Home Hidrografia Do canhão à imagem

Do canhão à imagem

806
8

Garnier Sampaio H 37 no Círio Fluvial - foto via G1

Acima, foto do navio hidrográfico Garnier Sampaio (H 37) levando a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré no tradicional Círio Fluvial de Icoaraci a Belém, realizado neste sábado, 11 de outubro. Há anos o navio participa do evento fazendo esse transporte.

Ao ver essa e outras fotos hoje, ocorreu a este editor o fato de que, no mesmo local onde foi transportada a imagem, no passado havia um canhão de 40mm, como se pode ver na fotografia abaixo.

HMS Helmsdale - M 2010 - foto via NGB

Esta foto em preto e branco é do ex-HMS Helmsdale (M 2010), navio varredor incorporado à Marinha Real Britânica (Royal Navy) em 1986, adquirido em 1994 pela Marinha do Brasil (MB) e incorporado como navio balizador Garnier Sampaio em 1995, recebendo no ano seguinte as necessárias modificações para a nova missão.  Além dele, outros seis navios do tipo acabaram sendo comprados e incorporados pela MB naquela ocasião ou pouco depois. Três das sete unidades tornaram-se navios balizadores (depois reclassificados como navios-hidrográficos) na MB, o próprio Garnier Sampaio, o Amorim do Valle – H 35 e o Jorge Leite – H 36, este último renomeado Taurus pouco depois.  Outros quatro tornaram-se a classe “Bracuí” de navios-patrulha. A principal diferença externa, no caso destes últimos, é que a posição continua ocupada por um canhão, como se pode ver nas fotografia abaixo, do Benevente e do Bracuí.

Navio-patrulha Benevente - foto via NGB

canhão do navio-patrulha Bracuí - foto via NGB

Abaixo, mais fotos do Garnier Sampaio no Círio Fluvial deste sábado. Segundo reportagem do G1, uma embarcação sofreu um princípio de naufrágio quando seguia rumo ao Círio Fluvial pela manhã, na manhã, próximo à praça Princesa Isabel, no bairro da Condor, em Belém.  A MB informou que o barco chegou a ser invadido pela água, mas não afundou. Cerca de 140 pessoas estavam no interior da embarcação, mas todas as pessoas foram resgatadas com o apoio de uma lancha da Marinha e de outras embarcações. Será instaurado um inquérito administrativo sobre acidentes e fatos da navegação, que irá apurar as causas do naufrágio, com prazo de conclusão de até 90 dias.

Garnier Sampaio H 37 no Círio Fluvial - foto 4 via G1

Garnier Sampaio H 37 no Círio Fluvial - foto 2 via G1

Garnier Sampaio H 37 no Círio Fluvial - foto 3 via G1

FOTOS via G1 e NGB

NOTA DO EDITOR: solicitamos que evitem comentários de cunho religioso.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Oganza
Oganza
6 anos atrás

Os Círios Fluviais no Pará (é, existem mais de um, mas o de Nossa Sra de Nazaré é o maior) é um grande pesadelo, é o maior festival de não cumprimento das mínimas regras de segurança a navegação. E TODOS os anos tem acidentes e existe uma média assustadora de mortes a cada 3 anos. Esse ano no de Macapá foram mais de 20 mortos e ainda tem corpos desaparecidos. A Capitania dos Portos e a MB simplesmente NÃO dão conta, com o atual sistema e os meios atuais que dispõe é SIMPLESMENTE IMPOSSÍVEL. E tem show de incompetência, imprudência… Read more »

Carlos Soares
Carlos Soares
6 anos atrás

MB nisso está errado Oganza.

GC seria adequado, estamos quase lá.

Que zona colega, normas de segurança …………… BRAZIIILLL.

Carlos Soares
Carlos Soares
6 anos atrás

Vi bem ?

Tem um monte de Jet no meio de tudo isso ai ?

E tem gente que paga ?

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Carlos Soares, Eh… só vendo ao vivo para entender… existem vídeos no you tube… mas não chega nem perto do que é estar lá. É a tomada de uma cabeça de ponte e com os fogos de artifício fica bem real, salvo se não fosse tudo muito colorido. O problema é real e muito, muito dificil de se resolver, pois envolve a Fé de milhões. Para se ter uma idéia, foi dito que esse ano na romaria principal, foram 2 milhões de pessoas nas ruas do percurso. Ps.: A zona metropolitana de Belém, que envolve mais 3 municípios, tem +/-… Read more »

Oganza
Oganza
6 anos atrás

Aos Editores,

deixando os pepinos de lado, uma curiosidade:

Lá no Pará, TODOS, da população as autoridades chamam o “navio” que transporta a imagem da Santa de “A Corvetinha da Santa” 🙂

Grande Abraço.