quinta-feira, maio 26, 2022

Saab Naval

Sem dinheiro, Marinha interrompe execução de contrato de navio hidroceanográfico

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br
NHoFlu Rio Branco
Navio hidroceanográfico fluvial “Rio Branco”

Por falta de recursos orçamentários, a Diretoria de Engenharia Naval (DEN) da Marinha suspendeu, nesta quinta-feira (18.06), por 30 dias, o contrato celebrado com o estaleiro INACE (Indústria Naval do Ceará), compreendendo pagamentos e serviços relacionados ao já incorporado navio hidroceanográfico fluvial (NHoFlu) Rio Branco.

Caso haja recursos, é possível que a DEN autorize a retomada da execução do contrato no próximo mês. Do contrário, o órgão emitirá um novo “Aviso de Suspensão”.

O NHoFlu Rio Branco faz parte do Projeto de Cartografia da Amazônia, realizado pela Força Naval em parceria com o Exército Brasileiro, a Força Aérea Brasileira e o Serviço Geológico do Brasil, sob a coordenação do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM) – órgão subordinado ao Ministério da Defesa e incumbido de repassar os recursos financeiros indispensáveis à fabricação das embarcações destinadas ao Projeto, que incluem Avisos Hidroceanográficos Fluviais (AvHoFlu).

Coube à Marinha do Brasil (MB), por meio da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), coordenar o Subprojeto de Cartografia Náutica, de modo a apresentar, como produto final dos trabalhos, cartas náuticas da Bacia Amazônica atualizadas na escala de 1:100.000.

Projetado para operar em um raio de ação de 3.000 milhas náuticas, com uma autonomia de 25 dias, o navio construído no INACE e incorporado à MB no final de 2014 é dotado de modernos sensores científicos, como ecobatímetros, perfiladores acústicos de correntes, sensores inerciais, medidor de velocidade do som e sistema de aquisição de dados de hidroceanografia.

Missões – Desde a incorporação, o Rio Branco vem sendo empregado na coleta de dados hidroceanográficos e em atividades inerentes à segurança da navegação. Adicionalmente pode realizar outras missões tipicamente militares: (1) formação e adestramento de pessoal, (2)  ações de presença em função de necessidades da política externa brasileira, (3) coleta de dados ambientais em apoio ao planejamento e à execução de operações ribeirinhas e (4) esclarecimento.

O navio também pode realizar, de maneira limitada, a prestação de socorro a embarcações e obtenção de informações operacionais, em apoio aos órgãos governamentais, na Defesa Civil, nas Ações Cívico-Sociais e na preservação do meio ambiente, bem como prover apoio logístico restrito aos AvHoFlu, durante a realização das chamadas campanhas hidroceanográficas.

AvHoFlu Rio Negro - foto INACE
O NHoFlu Rio Branco também foi projetado para prover apoio restrito aos Avisos Hidroceanográficos Fluviais (AvHoFlu) como o Rio Negro visto na imagem acima, de uma classe de quatro avisos já entregues para a Marinha pelo estaleiro cearence – foto INACE

 

Incorporação – A 17 de dezembro de 2014, no cais da Indústria Naval do Ceará, em Fortaleza (CE), ocorreu o Batismo, Mostra de Armamento e Transferência para o Setor Operativo do Navio Hidroceanográfico Fluvial (NHoFlu) Rio Branco, de 55 m de comprimento, 9 m de boca moldada e deslocamento (vazio) 560 toneladas. A tripulação é de 7 oficiais e 36 subalternos.

Com cerca de 70% de conteúdo nacional, o NHoFlu Rio Branco teve seu projeto de concepção realizado pelo Centro de Projetos de Navios, tendo sido posteriormente detalhado pelo estaleiro cearense.

Nesse planejamento destacam-se os aprimoramentos introduzidos nas linhas de casco, que possibilitaram a redução do custo de posse do navio, moderno Sistema de Controle e Monitoramento (SCM) e a incorporação tecnológica do sistema de sanitários a vácuo e de uma Unidade de Tratamento de Águas Servidas (UTAS), que incorporam importantes conceitos de sustentabilidade, em atendimento aos Diplomas Ambientais vigentes.

Aviso de suspensão – Segue abaixo o aviso de suspensão da construção da unidade ora em fabricação no estaleiro cearense:

DIRETORIA DE ENGENHARIA NAVAL

AVISO DE SUSPENSÃO

Contrato Nº 45000/2012-007/00

Fica suspensa, temporariamente, nos termos do art. 57, § 1º, inciso III 1ª parte e art. 78, inciso XIV, observado o art. 8º, parágrafo único e o art. 26, da Lei nº 8.666/1993, a execução do contrato nº 45000/2012-007/00, entre a Diretoria de Engenharia Naval e a Indústria Naval do Ceará S/A (INACE). Objeto: Construção de um Navio Hidroceanográfico (NHoFlu).

Prazo: 30 dias a partir de 18/06/2015.

MANOEL R. MACHADO FRANÇA

2ª Gerente de Obtenção de Meios Distritais e da DHN

ERRATA (29/6/2015): a matéria original informava, equivocadamente, que o contrato estava relacionado a um meio em construção e não ao já entregue NHoFlu Rio Branco. O texto foi corrigido.

- Advertisement -

12 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
12 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
_RJ_

Em que estágio está a fabricação desse navio? Ficou alguma obra empacando uma doca do estaleiro?

Wellington Góes

A despeito da crise e da importância do navio, o meu entendimento desta notícia é a MB penalizando um estaleiro que cumpre com o contrato, enquanto alivia as coisas para quem (EISA) é incompetente e irresponsável.

a.cancado

Sem dinheiro? Novidade…rsrsrsrsrsrsrsrsrsrss

Antunes

Excelente ponto Wellington Góes.

Me lembra os navios guerra de menor porte que estavam sendo construídos no Ceará e tiveram seus irmãos repassados para um estaleiro no Rio, gerando um novo ciclo de aprendizado, desnecessário ao meu ver.

_RJ_

Tem situações em que uma “suspensão temporária” é pior para o estaleiro do que um cancelamento definitivo do contrato. O INACE é um dos poucos estaleiros em que não falta serviço, e não sei se uma de suas docas pode acabar ficando ocupada com um navio parado, pela metade, sem que o espaço possa ser utilizado para outro trabalho. Alguém sabe se é este o caso?

Mauricio R.

Aparentemente o casco deste navio está completo, o que permitiria a sua retirada da doca eventualmente ocupada.
E a sua atracação a algum caís nas proximidades.

Roberto Lopes

Bom dia a todos.

Nesta data comunico o meu desligamento do blog Poder Naval e da Revista Forças de Defesa, para abraçar um novo desafio profissional.
Agradeço a confiança e o reconhecimento ao meu trabalho, e espero revê-los em breve, para retomar uma convivência que, para mim, sempre foi bastante inspiradora.

Felicidades!

Roberto.

Fernando "Nunão" De Martini

“_RJ_ 20 de junho de 2015 at 11:05 # Edit Em que estágio está a fabricação desse navio? Ficou alguma obra empacando uma doca do estaleiro?” RJ, O navio já se encontra entregue, e a suspensão (revogada na última sexta-feira) se relacionava a pagamentos e serviços. O título e texto original, que falava de construção (etapa esta já realizada), foi corrigido hoje, e acabamos de colocar um aviso de errata ao final. Aproveitando, até onde sei a construção no INACE não se dá em docas (ou diques, alagáveis, que normalmente são utilizados em navios de grande porte), e sim em… Read more »

_RJ_

Obrigado pelas informações, Nunão. O INACE parece um estaleiro bem interessante.

MO

Inace, interessante, minha imagem desta jaca = Estaleiro dos mais trapalhoes que ja ouvi falar …

Em tempo =

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2015/06/psv-alcatraz-ppnu-em-construcao-e.html

17 photos

_RJ_

MO, pode contar alguma trapalhada do INACE? Agora fiquei curioso. Para mim o EISA é que tinha feito trapalhada com os Macaé.

MO

Gururu … so p começar ..

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios de guerra britânicos podem ser enviados para quebrar o bloqueio de Putin aos portos do Mar Negro

A Grã-Bretanha está coordenando com seus aliados um plano potencial para enviar navios de guerra ao porto de Odessa,...
- Advertisement -