domingo, abril 11, 2021

Saab Naval

FOTO: USS George Washington (CVN 73) se prepara para retornar aos EUA

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

OCEANO PACÍFICO – (07 de agosto de 2015) – O porta-aviões da classe “Nimitz” USS George Washington (CVN 73) transita no Oceano Pacífico. O George Washington e sua ala aérea embarcada, CVW-5, estão a caminho de serem rendidos pelo porta-aviões da classe “Nimitz” USS Ronald Reagan (CVN 76), depois de cumprirem sete anos de “deployment” em Yokosuka, Japão. Clique na imagem para ampliar.

FOTO: U.S.Navy

- Advertisement -

15 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bardini

Detalhe interessante: a bandeira hasteada, sob a qual os EUA se tornaram independentes dos ingleses é um baita homenagem a George Washington que comandou o Exército Continental e com a vitória sagrou-se o primeiro presidente da nova nação.

Sds.

Dalton

Bem observado Bardini, o desenho da bandeira hasteada foi feito ainda durante a guerra revolucionária e está presente também na “insígnia” do navio. Trazer o GW de volta aos EUA é na realidade o esforço combinado de 3 NAes: o próprio GW, o USS Ronald Reagan que ocupará o lugar dele no Japão e o USS Theodore Roosevelt que está de mudança do Atlântico para o Pacífico e tomará o lugar do Reagan em San Diego. A maior parte da tripulação do GW retornará ao Japão a bordo do Reagan enquanto o restante bem como vários dos tripulantes do Reagan… Read more »

JagderVband#44

Um povo patriotra merece um navio a sua altura.

Navio de patrão.

Sds.

Eliakimsdc

Basta um desses com mais uma ou duas escoltas para pulverizar a América Latrina inteira…

Não passamos de um bando de jaguaras.

JagderVband#44

Isso ai Eliak, e digo mais, basta 4 EA18G para que a MB e a FAB fiquem cegas e surdas. Mudas já estão a tempos.

Sds

Ferreras

Eliakimsdc,

Mais fácil deixarem essa tarefa para nós mesmos.

Quanto ao CVN a soma da necessidade com competência leva ao resultado da foto.

A bandeira é a cereja do bolo.

Marcos F.

Jagder, kkkkkkkkk morri de rir com seu comentário. Muito bem pensado kkkk

David

Bom ver os detalhes da defesa aérea.

Jomar Goncho Junior

Interessante os comentários de alguns “patriotas brazucas”, uma guerra amigos é decidida em terra e um País como o Brasil com um litoral continental é invadivel, nem com 10 NAes USS GW, se invade o Brasil.

Quem não conseguiu ganhar a guerra do Vietnã, um País minúsculo, se batem até hoje no Oriente Médio gastando bilhões de US$ dólares.

Tem pessoas que gostam de ser capacho dos EUA, o povinho sem amor próprio. Uma guerra é decidida em campo e no braço a prova esta ai, o terrorismo ainda esta ganhando.

Dalton

Jomar… sei que não irei fazer você mudar de ideia, mas, vai assim mesmo ! Ao usar o Vietnã como prova de fraqueza dos EUA é preciso lembrar que o Norte contava com imenso apoio da China e URSS e sendo uma ditadura era mais fácil militarizar e doutrinar à população e havia uma grande infiltração do norte no sul que também por contar com mais liberdade dava margem à dissidências que só atrapalhavam à condução da guerra. Mesmo assim os EUA conseguiram forçar o Norte e o Sul à assinar um acordo de paz e embora o norte tenha… Read more »

Toleman Alan Picoli

Jomar Goncho Junior No Vietnã, os americanos tiveram 58 mil de seus soldados mortos, mais 220 do Vietnã do Sul, contra 1 milhão e 176 mil dos soldados do norte. Civis de ambos os lados foram entre 4 e 5 milhões. A guerra foi assimétrica, implicando em que um lado democrático deveria respeitar os direitos civis, enquanto outro comunista os aterrorizava, se infiltrava no meio dessa população e os usava como escudo (não sei por que mas m[e lembrei do Hamas). Como democracia, a opinião pública foi contrária a morte de americanos e muitas das brutalidades provocadas pelos próprios soldados… Read more »

Bosco

Nunão,
E carregar esse Mk-29 aí? Esse aí dá trabalho porque naquela portinha só passa um Sea Sparrow ou ESSM de cada vez. Ou será que vem pelo convoo?
E o peso de cada “caixote” deve ser mais de 300 kg.
Será que esses lançadores não são recarregados no mar?
Você deve já ter visto mas esse vídeo mostra a recarga do Kashtan.
https://www.youtube.com/watch?v=wg1PnTrLJr4
O SA-N-4 (170 kg) usa um lançador duplo dotado de recarregador automático igual aos que eram (ainda são) usados no Ocidente só em mísseis de defesa de área.
http://giaoduc.net.vn/Uploaded/quocte/2012_12_05/tau%20san%20bay%20Minsk%20_24.JPG

Bosco

Nunão,
E carregar esse Mk-29 aí? Esse aí dá trabalho porque naquela portinha só passa um Sea Sparrow ou ESSM de cada vez. Ou será que vem pelo convoo?
E o peso de cada “caixote” deve ser mais de 300 kg.
Será que esses lançadores não são recarregados no mar?
Você deve já ter visto mas esse vídeo mostra a recarga do Kashtan.
“http://www.youtube.com/watch?v=wg1PnTrLJr4”
O SA-N-4 (170 kg) usa um lançador duplo dotado de recarregador automático igual aos que eram (ainda são) usados no Ocidente só em mísseis de defesa de área.
“http://giaoduc.net.vn/Uploaded/quocte/2012_12_05/tau%20san%20bay%20Minsk%20_24.JPG”

Dalton

Bosco…

comment image

Tenho essa foto faz tempo , mas consegui encontrar novamente a fonte e está sendo executado em pleno mar, espero que ajude e seja realmente o que você
busca.

Há várias fotos tente algo como “loading sea sparrow launcher” ou algo assim.

Bosco

Valeu Dalton,
Então descem o míssil pelo convoo.
Quanto a recarregar o lançador Mk-29 em mar eu sabia o que me gerou dúvidas foi quanto a recarregar o lançador do porta-aviões porque não me pareceu ser por aquela portinha à esquerda.
Um abraço.

- Publicidade -

Guerra Antissubmarino

SIMULAÇÃO – Como o P-3AM Orion da FAB caça submarinos

O Esquadrão Orungan (1°/7° GAv) realizou, nos dias 16 e 17 de julho de 2014, missão antissubmarino (ASW) na...
- Publicidade -
- Advertisement -