Home Noticiário Internacional Japão lança ao mar o porta-helicópteros ‘Kaga’, em homenagem a porta-aviões da...

Japão lança ao mar o porta-helicópteros ‘Kaga’, em homenagem a porta-aviões da Segunda Guerra Mundial

4277
41
Kaga DDH-184 helicopter carrier
Fotos do lançamento do porta-helicóteros Kaga

 

O Japão lançou hoje o segundo navio de sua nova classe de porta-helicópteros – os maiores navios de guerra japoneses lançados desde a Segunda Guerra Mundial – numa cerimônia em Yokohama.

O “Kaga” de 24.000 toneladas (DDH-184) – construído pelo estaleiro Japan Marine United – tem o mesmo nome de um porta-aviões da Marinha Imperial Japonesa da Segunda Guerra Mundial, que fez parte do ataque a Pearl Harbor e foi afundado na Batalha de Midway.

O navio se segue ao JS Izumo (DDH-183) que entrou em serviço na Japanese Maritime Self Defense Force (JMSDF) em março.

Os japoneses dizem que as missões primárias do navio são a guerra antissubmarino (ASW) e missões humanitárias e alívio de desastres (HADR).

Os navios “aumentam a nossa capacidade de lidar com os submarinos chineses que se tornaram mais difíceis de detectar”, disse um oficial da JMSDF ao Asahi Shimbum em março.

O navio vai embarcar sete helicópteros Mitsubishi-built SH-60k antissubmarino e sete AgustaWestland MCM-101 de contramedidas de minas, segundo a publicação do U.S. Naval Institute, Combat Fleets of the World.

Os navios poderão operar também com aeronaves “tilt-rotor” MV-22 Osprey e potencialmente poderão embarcar no futuro aeronaves Lockheed Martin F-35 Lighting II Joint Strike Fighter (JSF) da versão STO/VL – short takeoff and vertical landing.

Quando o Kaga entrar em operação, o Japão terá quatro porta-helicópteros. Além do Izumo, a JMSDF tem também porta-helicopteros da classe Hyuga de 18.300 toneladas.

O porta-aviões Kaga original, da Segunda Guerra Mundial
O porta-aviões Kaga original, da Segunda Guerra Mundial

FONTE: USNI News

Subscribe
Notify of
guest
41 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
PilotoVirtual
4 anos atrás

Parabéns ao Japão. Em momentos assim chega a dar uma certa inveja ao ver que eles tratam o setor de defesa com seriedade e competencia.

Wellington Góes
Wellington Góes
4 anos atrás

Futuro porta-Lightning II

Douglas
Douglas
4 anos atrás

Deslocam mais que a classe Mistral francesa…..

Felipe Silva
Felipe Silva
4 anos atrás

Só podem estar zuando com esse nome.

Marcos
Marcos
4 anos atrás

o Mo não vai gostar: é quadrado retângulo!

Dalton
Dalton
4 anos atrás

Pelo menos haverá coerência nos nomes da classe desta vez, já que o “Kaga” da II GM sendo construído como encouraçado e convertido em NAe manteve o nome da província “Kaga” já que encouraçados recebiam nomes de províncias o que destoava dos demais NAes que recebiam nomes de criaturas míticas.

Desta vez, ambos Izumo e Kaga são nomes de províncias !

carlos victor
carlos victor
4 anos atrás

porta aviões disfarçado de porta helicópteros…

Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

muito lindo linhas limpas, eu também dos PA Classe Rainha Elizabeth

Andromeda1016
Andromeda1016
4 anos atrás

Quando se trata de responder pelos crimes de guerra o japão diz que o japão de hoje não é o mesmo japão imperialista do passado, mas quando batizam seus novos navios fazem questão de homenagear os navios da marinha imperial ….. Quem pode levar esses cara a sério … aliás, esse aí não é o “destroier porta helicóptero” ?

Carlos Crispim
Carlos Crispim
4 anos atrás

Realmente você está certo, Andromeda, não se pode confiar em orientais, não é preconceito, mas a história mostra que são ardilosos e traiçoeiros, vide Pearl Harbor, eu não acredito nas boas intenções dos japoneses e ainda menos dos chineses, pra mim a terceia guerra mundial vai começãr naquela área.

Ze Abelardo
Ze Abelardo
4 anos atrás

Andromeda1016 Engraçado, foram os japoneses que partiram a ásia em colônias do século XV ao XVIII? Os ingleses, franceses, holandeses, americanos, portugueses e chineses não eram imperialistas? Alguém reclama quando esses países dão nome a navios? O que os chineses fizeram por séculos na coreia e na indochina foi esquecido e eles viraram os coitadinhos? Acho que já passou da hora das pessoas começarem a raciocinar os mantras repetidos a exaustão e enxergar a verdade. É estranho os japoneses serem condenados a pedir perdão eterno, enquanto outros países não o são e as atrocidades cometidas contra eles serem esquecidas de… Read more »

Ze Abelardo
Ze Abelardo
4 anos atrás

OBS:

A China foi e é um país imperialista.

Manteve por séculos diversos povos como colônias ou subjugados.

Hoje, fora o fato de manter no cabresto mongóis e muçulmanos, há um dos maiores absurdos atentados ao direito internacional que foi a conquista do Tibet.

Revoltas acontecem ciclicamente e são resolvidas na bala, com prisões e tortura.

Aí eu tenho que ouvir a eterna cantinela do Japão na II guerra.

Esqueci no post anterior da Rússia, que é outro país imperialista que manteve e mantem povos subjugados com braço de ferro.

Ewerton Calebe
Ewerton Calebe
4 anos atrás

Não adianta analisar o oriente com pensamento ocidental. As coisas são bem diferentes por aquelas bandas.

Sdds;

Celso
Celso
4 anos atrás

Ze Abelardo, exatamente isso…a historia nesta regiao eh muito mais antiga e enseja sempre uma analise sem paixoes. deve ser relembrada e lida com atencao, coisa q muitos nao fazem c imparcialidade. Nao tem santos na historia da humanidade e os fatos continuam a se repetir de formas e desculpas distintas e absurdas. A mentira repetida a exaustao, torna-se verdade absoluta . Sds

andromeda1016
andromeda1016
4 anos atrás

Zé Abelardo, mas não são os japoneses que não largam o passado? Dizem à exaustão que todos devem deixar o passado para trás, principalmente para as vítimas de seus crimes de guerra, mas aí lhes dá aquele golpe de saudade e de hora em hora encontram uma forma de trazer o passado de volta à mesa de conversações naquela região … provocam onça com vara curta e depois diz que é vítima de perseguição … Por que não dão outro nome a esses navios como “paz”, “amizade”, “Honra” em vez de nomes que evocam dor, tristeza e rancor em seus… Read more »

andromeda1016
andromeda1016
4 anos atrás

Ze Abelardo, um mal não justifica outro …. dizer que o japão não tinha opção senão atacar a china é o mesmo que um bandido dizer à sua vítima que ele não tem culpa pois a vitima seria assaltada de qualquer forma por outra pessoa algum outro dia ….. ações falam mais do que palavras e por mais desculpas que eles possam dar são as suas ações que valem no fim … Hoje Abe fala em um japão que se arma para contribuir com a paz mas todos sabemos que isso é conversa para boi dormir … História serve para… Read more »

Observador
Observador
4 anos atrás

Notem que na foto do Kaga, a versão porta-aviões da II Guerra, a chaminé está com o bocal virado para o mar e fumaça idem.

Muito interessante. Melhora a visualização para os aviões para o pouso? Dificulta a detecção (naquela época) para visualização do alto por aviões inimigos? Alguém sabe? E por que isto não foi mais adotado hoje em dia?

Toleman Alan Picoli
Toleman Alan Picoli
4 anos atrás

andromeda1016, quem dera o Brasil virasse colonia dos EUA como tu diz que o Japão virará! Teríamos democracia, liberdade, e qualidade de vida.
Aliás, ouço tanto essa de “colônia dos EUA”, poderia me citar uma colônia atual americana? Ou um país em que os EUA agem com colonialismo?

Ze Abelardo
Ze Abelardo
4 anos atrás

Andromeda, Fatos contra mentiras: 1) O Japão era o último país independente da ásia no início do século XX e lutou sozinho por 40 anos contra Rússia, EUA, Inglaterra e França. 2) Depois da II guerra, a China já invadiu: Tibet, Coreia, Vietnam e Índia. O Japão não invadiu ninguém. 3) O Japão não pode chamar o navio de Paz, pois as dezenas de navios que chineses construíram (proporção de 5 para 1) não se chamam. 4) Os vizinhos estão se aliando ao Japão contra a China. O único país agressivo na ásia é a China: Filipinas, Vietnam, Taiwan, Malásia… Read more »

Al
Al
4 anos atrás

O povo tá exagerando um pouco… Como se só o Japão usasse os mesmos nomes em épocas diferentes em seus navios. Todas as Marinhas fazem isso. Os Naes Minas Gerais e São Paulo mesmo são um exemplo. Os mesmos nomes dos dois encouraçados que tivemos na primeira metade do século passado. A RN vive reciclando os nomes em seus navios também. E outra: que mal há em se fazer uma homenagem? Pelo menos eles tem história, ao contrário da gente. O que houve com nossos encouraçados mesmo? Ou com o Minas Gerais? Viraram Museus? Não, tiveram a inglória ida para… Read more »

Ze Abelardo
Ze Abelardo
4 anos atrás

Toleman Alan Picoli A concepção de “Império” da esquerda é muito esquisita: – Rússia – um povo mais numeroso controla diversos outros povos. País com dezenas de línguas. – China – um povo mais numeroso controla diversos outros povos. País com dezenas de línguas. – Japão – um povo e uma língua. – Rússia: ocupa parte da Geórgia, Ucrânia e Moldávia. – China: ocupa o Tibet e parte da Índia. – Japão: nada – Rússia: diversos conflitos com vizinhos nos últimos 70 anos. – China: diversos conflitos com vizinhos nos últimos 70 anos. – Japão: nenhum Conclusão: o Japão é… Read more »

André Luiz.'.
André Luiz.'.
4 anos atrás

‘Kaga` (加賀 かが) e o nome de uma cidade do Japão, não de uma província… Para nós, de língua portuguesa, a sonoridade do nome não é das melhores… Mas e daí? É tradição de várias marinhas pelo mundo batizar seus navios em homenagem a cidades/localidades de seu país, ou homenagear figuras destacadas da política. Não há nada demais nisso, e é muito mias coerente do que batizar um navio de guerra (ou melhor, de ‘autodefesa’!) com um nome como ‘Paz’ (?! Isso seria o mesmo que ter um cão de guarda Rottweiler ou Doberman chamado de ‘Fifi’…!). Observador 28 de agosto… Read more »

marujo
marujo
4 anos atrás

Off-topic: parece que o assunto Siroco, provável G-40 Bahia, está morto e sepultado. A MB nunca se pronunciou sobre ele, ninguém comenta mais.

Dalton
Dalton
4 anos atrás

Observador… os NAes japoneses, ao menos os iniciais, possuíam uma “ilha” ou superestrutura muito pequena baseada em projetos britânicos e não havia espaço para a chaminé, ou seja foi um arranjo não muito feliz. Uma “ilha” pequena tinha como desvantagens a falta de espaço para o pessoal contrastando com o que ocorria nos NAes dos EUA que possuíam uma ponte para o Almirante e outra para o capitão e a impossibilidade de se ter mastros principais altos o suficiente para maior eficiência de antenas de radares e comunicações. Os japoneses no decorrer da guerra aumentaram o tamanho da “ilha” em… Read more »

john paul jones
john paul jones
4 anos atrás

Eu sei que o filme pré 2GM está se desenrolando novamente …. Porta He que opera Osprey e F-35 tá debochando da gente …. Na época tinhamos outras denominações para os paises burlarem os acordos estabelecidos: couraçados-de-bolso, cruzadores de batalha, cruzadores porta-aviões etc …. vamos esperar agora os demais afundados em midway, o Akagi, Hiryu e soryu ha ha ha ha. Dificil dizer quem está com a razão, seria muita pretensão dar uma de Lula e achar que pode pacificar um oriente médio por exemplo, mas neste caso eu acho que quem começou esta corrida “velada” foram os chineses …… Read more »

Jr
Jr
4 anos atrás

Marujo não esta sepultado, ontem mesmo li um marinheiro comentando no tópico do Siroco em um site:

“Confirmado pessoal, estarei na grupo que buscará o navio na França. Mais que confirmado”

Observador
Observador
4 anos atrás

Obrigado pelos esclarecimentos Dalton e André Luiz!

Dalton
Dalton
4 anos atrás

JPJ… o termo “encouraçado de bolso” foi uma denominação que à imprensa britânica deu a eles. Os alemães os chamaram inicialmente de navios blindados e posteriormente os classificaram como cruzadores pesados. Cruzadores de batalha não burlavam nada, eram navios com armamento de encouraçado e velocidade de cruzador sacrificando a blindagem, eram apenas mais um tipo de navio. Os japoneses já batizaram um de seus submarinos de “Soryu”, na verdade o primeiro da classe e outros navios estão sendo e já foram batizados com nomes de navios da II Guerra, assim como os alemães batizaram de “Rommel” e “Lutjens” nos anos… Read more »

Dalton
Dalton
4 anos atrás

André…

“Kaga” é uma antiga província do Japão por isso corretamente o nome foi selecionado para o encouraçado japonês que acabou sendo convertido ainda em construção para um NAe.

Hoje o nome “Kaga” é de uma pequena cidade pertencente à Prefeitura de Ishikawa, o termo Prefeitura substituiu
Província.

JagderVband#44
JagderVband#44
4 anos atrás

Tremei ching lings e fãs dos chinas e norte coreanos.
Japão é estado da arte em construção bélica naval e é um país sério, habitado por um povo patriota.

Sds.

André Luiz.'.
André Luiz.'.
4 anos atrás

Dalton 28 de agosto de 2015 at 13:14 #

Ok, Dalton! De fato, hoje a antiga região da ‘província de Kaga’ (“Kaga no kuni” 加賀国) é a região sul da ‘prefeitura’ de Ishikawa (“Ishikawa ken nanbu” 石川県南部), acabo de conferir na Wikipedia!

É bacana trocar ideia com quem tem ainda mais cultura do que nós! Aí sim temos oportunidade de aprender mais! 🙂

Abraços!

Dalton
Dalton
4 anos atrás

” Isto fica feliz em ser útil ” 🙂

abraços

USP
USP
4 anos atrás

Prezados.
Nunca podemos julgar um povo de 3000 anos como os japoneses e chineses… Nem sabemos limpar o traseiro…

Sobre o Kaga, adorei. Agora, ver o Hiriu, Soriyu e o Akagi..

Guardem o nome Yamato para um grande Carrier

Fernando
4 anos atrás

“Kaga”?!
Que nome de bosta!
Pelo menos é um excelente navio de guerra.

MO
MO
Reply to  Fernando
4 anos atrás

o que dever significar em japoines Waserclaysson ? para se pensar irmão … vc eh de aviaozinhum ne … so pode …

Luiz Monteiro
Luiz Monteiro
4 anos atrás

Prezado Observador,

As fragatas MEKO A200 possuem exaustores próximos da linha d’agua, em ambosos bordos e não em chaminés.

Outros projetos alemães de fragatas e destroires também possuem o mesmo tipo de exaustores.

Abraços

Wagner
Wagner
4 anos atrás

Essa neura criticando o nome do navio, da parte de alguns comentaristas, é ridícula. TODA NAÇÃO tem direito de homenagear seus lideres, heróism, personagens, e antigos navios. Não só os Estados Unidos… Parabéns ao Japão pelo nome, aguardo pelo Soryu e Hyriu ! Lembro que em 2000 eu estava fascinado pela Imperial Japanese Navy , eu sabia de cor cada navio, cada batalha, acho que li sobre guadacanal ums cem vezes … kkkkkkk Quanto a essa moralidade ocidental absurda de que Japão, ou China , ou Rússia, são ” malvados” b, sério, vamos deixar a infantilidade de lado… Toda nação,… Read more »

daltonl
daltonl
4 anos atrás

“…aguardo pelo Soryu e Hyriu !” Wagner… já existe um “Soryu”, que dá nome a mais nova classe de submarinos da qual também faz parte o “Unryu”, então é bem possível que o nome “Hiryu” seja dado a um dos que encontram-se em construção agora. Quanto a “resgatar o Yamato”, talvez seja mais complicado, pois diferente do “Kaga”, fundamental para consolidar à aviação naval japonesa e apesar de perdido ainda no início da guerra conquistou antes alguns “louros” o “Yamato” não fez nada significativo e foi estupidamente sacrificado porque a marinha achava que devia dar à sua contribuição na parcela… Read more »

MO
MO
Reply to  daltonl
4 anos atrás

Verdate Dalto, isso sem contar do Musashi ne (Buneco so conhece o Yamato … kkkk) quem tambem foi afundado em Leyte sem cumprie seu papel …

em tempo, novinho tbm, 300 m 8.700 teus, muito bonito =

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2015/08/mv-csav-tyndall-d5fn8-suspendendo-com.html

19 photos

Vader
4 anos atrás

Putz, digam o que disserem, mas esses japoneses sabem construir um navio. Que barco lindo! Tá mais que na cara que isso aí é um Porta-Aviões. Que venham logo os F-35B! Quanto à discussão Japão X China, a verdade é que não existe santo ali. Todo povo oriental é dissimulado e velhaco, e eles se matam a milhares de anos sem dó. Se o Japão pudesse, invadiria a China e escravizaria ou exterminaria até o último han. E se a China pudesse, faria o mesmo no Japão. São dois povos desgraçados de ruins, e sorte do mundo que eles se… Read more »

João Alcides Lomas Júnior Lopes
1 ano atrás

Parabéns Japão!!!! Ficamos na espectativa de um porta aviões !!!!