1200px-Slava-Cruiser-DN-SC-86-03642

Os navios da classe “Slava” (designação soviética Project 1164 Atlant) começaram a ser construídos em 1976 e entraram em serviço nos anos 1980 na Marinha Soviética. Foram projetados como uma alternativa menos dispendiosa aos cruzadores da classe “Kirov” de projeto mais arrojado.

Os navios foram projetados principalmente para o emprego dos grandes mísseis antinavio P-500 Bazalt (SS-N-12 Sandbox), supersônicos e com alcance de 300 milhas (550 km), destinados a atacar os porta-aviões da Marinha dos EUA. Com tal alcance, o navio precisa de orientação além-do-horizonte fornecida pelo helicóptero embarcado ou por aviões de patrulha marítima, pois o alcance dos radares do navios é limitado pela curvatura da Terra.

Segundo algumas fontes o navio Moskva da mesma classe está equipado com uma versão melhorada do míssil, o P-1000 Vulkan.

Míssil antinavio P-500 Bazalt
Míssil antinavio P-500 Bazalt
1137px-SS-N-12_Sandbox_surface-to-surface_missiles
Os navios são equipados com 16 grandes mísseis antinavio P-500 Bazalt (SS-N-12 Sandbox), supersônicos e com alcance de 300 milhas (550 km)

A classe “Slava” foi inicialmente designada como BLACKCOM 1 (Black Sea Combatant 1), depois como classe “Krasina” por um curto período até o Slava ser visto no mar. Os grandes lançadores de SS-N-12 são fixos, sem recarga, com um ângulo de elevação de 8°.

Originalmente foram planejados 10 navios, mas com o colapso da União Soviética somente três unidades foram completadas. Um quarto navio foi lançado, mas sua construção permaneceu incompleta.

Nome original Rebatizado Comissionado Serviço Status
Slava (“Glória”) Moskva (“Moscou”) Quilha batida em 1976, lançado em 1979, comissionado em 1982, renomeado em 1995. Em serviço na Frota do Mar Negro Sofreu reforma de 1991 a 1998. Empregado na guerra da Ossétia do Sul em 2008. Em 2009 passou por reparo intermediário. De volta ao serviço em 2010 com exercícios no Oceano Índico. Participou dos exercícios Vostok 2010 no mar de Okhotsk. Enviado para a Síria em 2013.
Admiral Flota Lobov Marshal Ustinov Quilha batida em 1978, lançado em 1982, comissionado em 1986 Frota do Norte Passando por reforma. Deve voltar a operar no final de 2015.
Chervona Ukrayina Varyag Quilha batida em 1979, lançado em 1983, comissionado em 1989. Frota do Pacífico Operando com prontidão reduzida desde a chegada na frota russa do Pacífico, em 1990. Reentrou em serviço na Frota do Pacífico no início de 2008 depois de uma revisão.
Komsomolets, depois Admiral Flota Lobov Ukrayina Quilha batida em 1983, lançado em 1990 Nunca foi terminado devido a problemas de orçamento e mais tarde foi repassado para à Ucrânia. Atracado inacabado em Mykolaiv, Ucrânia. Em maio de 2010, a Rússia teria concordado em ajudar a completar o cruzador.

Mais armamentos

Além do poderoso armamento antinavio, a classe “Slava” também dispõe de poderoso armamento antiaéreo. Oito lançadores óctuplos de mísseis SA-N-6 (versão naval do S-300) estão dispostos em duas fileiras no eixo longitudinal do navio, entre a chaminé e o hangar de helicóptero.

SA-N-6_SAM_launchers_with_radar
Oito lançadores óctuplos de mísseis SA-N-6 (versão naval do S-300) estão dispostos em duas fileiras no eixo longitudinal do navio, entre a chaminé e o hangar de helicóptero.

Também existem dois lançadores duplos de mísseis antiaéros SA-N-4 Gecko ao lado dos hangares.

Uma torreta na proa com dois canhões de 130mm, e seis canhões rotativos de 30mm do tipo gatling completam a defesa antiaérea e anti-míssil.

O armamento antissubmarino compreende dois tubos de torpedos de 533 mm ao lado dos hangares e lançadores de foguetes antissubmarino à frente da superestrutura, na proa.

Slava classe cruiser

Moskva-info-full
@Naval_Graphics

ussr-varyag-1989-slava-class-project-1164-missile-cruiser

País Rússia
Tipo Cruzador de mísseis guiados
Ano 1976 em diante
Deslocamento 7.375 toneladas standard; 10.200 toneladas carregado
Dimensões Comprimento: 185,3 m; Boca: 20 m; Calado: 6,4 m
Propulsão  2 eixos; COGOG – 2 turbinas a gás M70 e duas turbinas a vapor, 130.000 shp
Performance Velocidade máxima de 33 nós; alcance de 10.000 milhas a 16 nós
Mísseis Mísseis: 16 mísseis antinavio SS-N-12; 8 x 8 lançadores verticais (VLS) de mísseis antiaéreos SA-N-6 para 64 mísseis; 2 lançadores duplos de mísseis antiaéreos SA-N-4 com 40 mísseis
Canhões 1 reparo duplo de 130 mm; 6 CIWS AK-630 de 30 mm rotativos;
Armas Antissubmarino 2 lançadores de foguetes antissubmarino RBU-6000; 2 x 5 lançadores de torpedos de 533 mm
Aeronave 1 Kamov Ka-25 ou Kamov Ka-27
Sensores Radar: MR-800 Voshkod/Top Pair 3-D busca aérea de longo alcance, MR-700 Fregat/Top Steer ou MR-710 Fregat-MA/Top Plate 3-D de busca aérea

Sonar: MG-332 Tigan-2T/Bull Nose de casco LF, Platina/Horse Tail MF VDS (sonar de profundidade variável lançado da popa)

Direção de tiro: Volna/Top Dome para controle do SAM SA-N-6, MPZ-301 Baza/Pop Group para controle do SA-N-4, Argument/Front Door-C para controle dos mísseis antinavio

Tripulação 480
Subscribe
Notify of
guest
53 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Leo
Leo
4 anos atrás

Lindo navio, e poderoso.
Bosco, o SA-N-4 tem capacidade anti míssil? Para defesa contra mísseis anti navio do tipo do harpoon?

danilojfsn
4 anos atrás

Que coisa mais incrível, esse navio é simplesmente foda, pronto falei !

E que belo post hein Galante !

Muito bom …

Bosco
4 anos atrás

Leo,
Com certeza! E ainda tem os 6 CIWS.

BrancoF-16
4 anos atrás

um belo navio

Mauricio R.
4 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

Principais sensores e sistemas de armas:

(http://theaviationist.com/2015/11/25/all-the-weapons-sensors-moskva/)

Bosco
4 anos atrás

Vale salientar que ele tem um radar de iluminação para os mísseis SA-N-6, um radar de controle de tiro para o canhão (duplo) de 130 mm, três radares de controle de tiro para os 6 CIWS, e dois radares de controle de tiro para os mísseis SA-N-4.
Ou seja, ele pode engajar 7 alvos aéreos ao mesmo tempo.

Bosco
4 anos atrás

Ficou faltando pintar de verde o terceiro radar de controle de tiro dos CIWS AK-630, logo à frente do passadiço e atrás dos RBU-6000.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Off tópicos. No Sputnik diz que a fronteira da Turquia ja está sob controle. Não tem mais como entrar e sair à vontade.
Talvez não haja um controle total. Mas pelo menos ha certo controle.
Desse modo, O fxexo de pessoas, armas e petróleo fica restrito.
Conforme eu havia sugerido.

Leo
Leo
4 anos atrás

Obrigado bosco.
A nova fragata russa tem radares planos parecidos com o do Aegis e também leva mísseis de cruzeiro e tem boa capacidade anti aérea.
https://i.imgur.com/0hGbkHZ.jpg

Ela ficou muito bonita mas ainda está em testes se não poderia estar já no Mediterrâneo para dar apoio atacando posições do EI.

Leo
Leo
4 anos atrás

Outro detalhe dessa nova fragata é que parece que o Kashtan foi atualizado, não tendo mais o radar utilizando somente um meio ótico para localizar alvos.
Aos 2:50 do vídeo mostra bem se perto ele.
m.youtube.com/watch?v=3hyPpir2JVw

Wagner
Wagner
4 anos atrás

Bela matéria! Essa classe é muito poderosa.

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
4 anos atrás

Bosco, aqui vou eu lhe fazer outra pergunta muito louca, bem, não só para o Bosco pra todos 🙂 Se amanhã Descobríssemos que um dessas belonaves classe “Slava” estivesse a 1 dia de viagem, a toda velocidade, da cidade do Rio de Janeiro, e que em seu comando estivesse um oficial russo revoltado (Admiral Boscovisky) que resolveu se vingar de um assalto sofrido por ele e sua família na “cidade maravilhosa”(essa parte é bem plausível) estando ele resoluto em chegar até a Baía de Guanabara e estacionar próximo ao pão de açúcar para disparar seus canhões e o diabo a… Read more »

Bosco
4 anos atrás

Melky, Você daria um excelente roteirista de Hollywood. rsrs O Tom Clancy revirou no túmulo de alegria por saber que deixou um sucessor. rsrs Essa sua estória é bem interessante, mas infelizmente quando chegasse lá na Bahia de Guanabara ele só teria o canhão mesmo pra tocar o terror, salvo se ele mexesse com o programa dos mísseis SS-N-12, desabilitando o radar e mandando os mísseis no modo “inercial” contra a Cidade Maravilhosa que não continuaria tão maravilhosa após ser atacada por 16 mísseis supersônicos gigantescos caindo sabe-se lá onde. Voltando à realidade, ou quase, essa belonave não tem mísseis… Read more »

Bosco
4 anos atrás

Melky,
O único “porém” da utilização de navios da MB contra esse cruzador é o fator “alcance” dos mísseis. Claro que com quase 10 x o alcance de nossos Exocet, o cruzador russo teria imensa vantagem. Sem falar que os 16 ASCM do Slava provavelmente seria maior que a quantidade somada de todos os nossos navios em condições de combater.
Então, esquece essa opção e fica só com as aeronaves e com os submarinos. rsrsrs
Um abraço e boa noite.

Rafael
Rafael
4 anos atrás

foristas Bosco e daltoni os que devem saber mais sobre o assunto gostaria de saber a capacidade anti-submarino dessa embarcação já que tenho ouvido em outros sites de defesa que as embarcações russas careçem de meios anti-submarinos moderno

vicente de paulo
4 anos atrás

navio, é poderio avassalador…

HRubio
HRubio
4 anos atrás

O que um cruzador de 11.000 toneladas não faz?

http://www.bbc.com/news/world-europe-34941093

Bosco
4 anos atrás

Rafa,
Até onde eu sei ele tem capacidade anti-submarino adequada.
O helicóptero é dotado de sensores AS e torpedos e o navio idem.
comment image

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Bosco, desconfio que o Lynx não possua Sea Skua operacionais, dado que não se tem relatos de compras e ou recondicionamentos deles nos últimos anos.

No mais, acho que em razão do alcance de todos os nossos mísseis, salvo se algum submarino der conta do cruzador, ele fará um tremendo estrago antes de ser afundado pela MB/FAB.

Bosco
4 anos atrás

Rafa, Só lembrando eu não citei o Sea Skua. E concordo que navio contra navio nossas chances seriam poucas. Já em relação às aeronaves (P-3, EC725 e SH-70) dotadas de mísseis antinavios OTH (AM-39, Penguin, Harpoon) um navio mesmo com mísseis de defesa de área se torna “preza fácil”, seja um Slava ou um Arleigh Burke. O alcance dos mísseis sup-ar do cruzador russo não impede que as aeronaves cheguem na distância de lançamento mantendo-se abaixo do horizonte radar. O navio terá que usar seus sistemas de defesa de ponto contra os mísseis já que as plataformas lançadoras estarão fora… Read more »

Mahan
Mahan
4 anos atrás

“São Sebastião”??

Dalton
4 anos atrás

Rafa… diria que contar com apenas um helicóptero a bordo é uma desvantagem já que ele pode não estar disponível quando se precisar dele, sem falar que a principal missão do helicóptero é obter informação além do horizonte para os mísseis anti-navio, não sei até que ponto está o treinamento para missões contra submarinos desse único helicóptero, mas, estando o helicóptero e tripulantes capazes, seria a principal arma contra submarinos complementado pelos tradicionais morteiros, 2 dos quais equipam o cruzador e cinco tubos de torpedos e na minha opinião menos eficazes quando comparado com o ASRoc que equipa os navios… Read more »

Marcelo
Marcelo
4 anos atrás

Esta classe de navios russos na verdade não apresenta nenhuma atualização, comparando com as novas classes de navios das marinhas ocidentais. Veja: as vigias no costado, item de navios da 2GM, servem para melhorar a ventilação interna destes navios, demonstrando que este sistema é ainda deficiente, as antenas de proporções gigantescas, da década de 60, nos apresentam que ainda não foram modernizadas ou miniaturizadas como as ocidentais, a distribuição de armamentos é bastante caótica, com um sistema duplo de 130mm volumoso, com um paiol de munições que ocupa toda a proa; com mísseis anti navios de proporções descomunais posicionados na… Read more »

CVN76
4 anos atrás

Dalton

Creio que vc se distraiu….na realidade são 10 tubos de torpedos, e não 5.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Sim, Bosco, você não falou do Sea Skua. E tem que ver quantos helicópteros a MB tem em condições de disparar Exocet e Penguin (que é pequeno e só deve fazer um estrago considerável se der muita sorte). Então tenho minhas dúvidas se seria possível saturar as defesas do navio. Quantos mísseis seriam necessários? Como ninguém comentou nada, o Harpoon não deve ter chego. E mesmo depois que chegar vai demorar para ficar operacional – isso se os P3M ainda estiverem voando quando isso acontecer. Nessas horas a gente vê como o Brasil é despreparado para enfrentar uma ameaça antinavio.… Read more »

CVN76
4 anos atrás

A melhor arma antinavio que nós temos, ainda são os 5 submarinos….

Dalton
4 anos atrás

Verdade Franz…são dois reparos quíntuplos de torpedos !!!!!!

Bosco
4 anos atrás

Marcelo, A USN na década de 90 aposentou o Tomahawk antinavio com 250 NM de alcance porque julgou não existir razão para um míssil com alcance tão grande tendo em vista a dificuldade de atualizar a navegação do míssil contra alvos tão além do horizonte. O limite de alcance prático para mísseis antinavios subsônicos é estimado como sendo na casa dos 200 km. Os supersônicos podem ter esse limite prático expandido, mas duvido que sejam muito maior que 300 km, aliás, como os novos mísseis antinavios russos de geração mais nova. Hoje, os americanos estão tentando criar um novo míssil… Read more »

GuiAmaral
GuiAmaral
4 anos atrás

Achei a estrutura de pouso/hangarete bem pequena. Eles operam com o Ka-27? Pelo que vi estes helicopteros pesam 11 ton. O que determina a capacidade de operar um helicóptero em um navio desses? Se o Ka-27 opera no slava, porquê o MH-60 não opera das União?

Dalton
4 anos atrás

O piso do hangar situa-se um nível abaixo da plataforma de pouso e decolagem, há uma rampa inclinada que adentra o hangar então dá
a impressão do hangar ser menor além do mais a plataforma é reforçada para receber um helicóptero maior.

Gerson
Gerson
4 anos atrás

A Russia mandou um sistema S-400 para a Siria além do Cruzador Moskva. E com isso a turquia já está mansa feito cordeiro. Nem toda sua frota aérea uma das mais equipadas da OTAN pode fazer frente a defesa anti-aérea Russa. E se os Russos enviarem tropas terrestres ai já era!

Bosco
4 anos atrás

Fazendo uma comparação entre um Slava e um Ticonderoga (totalmente armado): Armamento AA: Curto alcance: Tico: 2 CIWS com diretoras de tiro independente Moskva: 6 CIWS com 3 diretoras de tiro e o cahão AK-130 com uma diretora de tiro 1 a 0 pro Moskva Médio alcance: Tico: 48 ESSM com 4 diretoras de tiro Moskva: 4 SA-N-4 (24 recargas) com duas diretoras de tiro 1 a 1 Grande alcance: Tico: 68 mísseis Standard SM-2 com 4 diretores de tiro Moskva: 64 mísseis SA-N-6 com 1 diretor de tiro 2 a 1 pro Tico Armamento AS: Tico: 2 lançadores triplos… Read more »

Rafael
Rafael
4 anos atrás

Bosco o tico foi feito pra interceptar mísseis com grande rcs a alta altitude e atacar ao solo, os moskva foram feitos para atacar porta aviões e se defender de mísseis voando abaixo do horizonte de radar com baixo rcs ex: harpoon e tomahawk naval, é claro que um sistema aegis é melhor mas o moskva se bem escoltado ainda faz um estrago no meu ver ele já deve ter sido modernizado com sistemas de computador RP que conversam entre si dando uma maior conciensia situacional mais ainda não chega perto de um aegis

CVN76
4 anos atrás

Bosco, creio que o placar final deveria ser 6 x 4 a favor dos “Ticonderogas”; teve um “gol” que vc esqueceu de contar…

Para mim; treinamento e motivação da tripulação é muito importante; e nesse ponto, considero os americanos superiores aos russos!

CVN76
4 anos atrás

Além de treinamento e motivação; esqueci de citar o item “manutenção”.

Rafael
Rafael
4 anos atrás

Cvn76 com a propangada Russa do putin motivação é que não falta , conto a manutenção….

CVN76
4 anos atrás

Olha Rafael; já tive a oportunidade de visitar alguns navios russos, de conversar com a tripulação e também com veteranos. Os salários, moradia, assistência médica-odontológica são ruins, existem inúmeros casos de espancamentos e abusos sexuais contra os novatos, alimentação a bordo e em terra é ruim…..conforto a bordo praticamente inexistente….e tudo isso reflete muito na motivação do pessoal….. Várias vezes os navios vão em comissão com vários equipamentos não funcionando ou funcionando precariamente….e vão assim mesmo, porque eles carecem de meios……mas eles são mestres em “dar um jeitinho” ou de improvisarem… Claro que isso não tange 100% da tripulação ou… Read more »

Rafael
Rafael
4 anos atrás

Quanto a manutenção * desculpem pelo erro

BrancoF-16
4 anos atrás

Bosco e se fosse trocado o moskva pela classe Kirov mudaria muito ??

Rafael
Rafael
4 anos atrás

Cvn não que eu queira de discorda de vc mas de 2012 pra ca o governo do Putin tem feito reformas enormes na área econômica,política e principalmente nos operadores de material de alta tecnologia como marinheiros por exemplo das forcas armadas das forças armadas russas, o reflexo disso aparece bem na população russa que está numa onda de nacionalismo tremenda. Em outro site tbm muito famoso assim como aqui tem umas notícias dessas reformas. Aproveitando o embalo bem que as forças de defesa podiam fazer uma reportagem dessas reformas que abrange mais áreas do que eu falei é óbvio ,… Read more »

Bosco
4 anos atrás

Branco,
Aí cê tá de sacanagem. O Kirov é peso pesado. Acho que o Tico perde. Vou ver se mais tarde eu faço a relação.

CVN76
4 anos atrás

De fato houve algumas melhoras….principalmente na época que o preço do petróleo estava alto….mas agora caiu bastante…além das sanções econômicas….isso atingiu a Russia bastante…. Outros problemas que a Russia tem como alcoolismo, a população está diminuido de tamanho…..a infra estrutura é ruim entre vários outros problemas. Que Putin está em alta popularidade é verdade….mas em parte isso é devido ao controle que ele exerce com mão de ferro no país….praticamente não existe imprensa livre…..rádio e TV estão quase todos sobre controle direto ou indireto dele……outro fator que joga a favor dele é a politica em parte incorreta do Ocidente contra… Read more »

Iväny Junior
4 anos atrás

Em canhão principal sua análise foi subjetiva, Bosco. Na guerra ASuW e ASW o Tico ganha pelo heli a mais. Pra mim dá empate. É um puta de um navio.
Por falar nisso, a unica classe de cruiser na USNavy é o Ticonderoga?
Nessa missão do Moskva cabia pelo menos 1 Udeloy de apoio. Ele sozinho não intimida tanto.

Bosco
4 anos atrás

Ivany, Note que o “canhão” do Moskva foi citado em três quesitos: canhão principal, armamento AA de curto alcance e capacidade de engajamento simultâneo de ameaças aéreas (de modo implícito para compor o 7 do Moskva e o 6 do Tico) No caso os dois canhões do Tico só entraram na categoria “canhão principal”. Nessa “categoria” o que vale é a quantidade de bocas de fogo independentes que possa ser usada para apoio de fogo, e aí ficam duas do Tico contra uma do Moskva. Mesmo o canhão do Moskva tendo maior cadência de tiro não supera a flexibilidade dos… Read more »

Rafael
Rafael
4 anos atrás

Ivany com um udaloy tbm não , nem com dois , a classe udaloy e totalmente desatualizada. Por isso a navy russa carece de escoltas esse é o vdd problema

XO
XO
4 anos atrás

O acompanhamento do navio por anv de esclarecimento seria a diferenca entre intercepta-lo ou ele fazer mossa por aqui… o Seaskua nao faria nem cocegas nele, precisariamos de alguns AM39 para fazer algum efeito, jah que chegar no alcance do MM40 seria um desafio pela possibilidade de sofrer um ataque daqueles postes telefonicos travestidos de MSS… como jah dito aqui, o submarino seria a melhor opcao, mas nao isoladamente… em que pese a ocultacao ser a maior vantagem, caso a situacao tatica o permitisse, eh provavel que houvesse troca de info do submarino com as anv de esclarecimento…. ja fizemos… Read more »

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Bosco sem desmerecer sua análise comparativa dos dois navios.
Sei que a fez para fins didáticos.
Mas na hora H o que vai valer é o que está se passando e a qualidade.
De repente um tem excelente proteção ASW mas vem aviões…
E essa comparação não considera eles se enfrentando.
Outro ponto, de repente um tem mais mísseis mas o outro consegue afunda-lo com um disparo apenas.
Ja imaginou um navio desses como vc mesmo falou em outra matéria.
Dispara 50 mísseis contra um NAE.
Afunda o NAE.
Vem um avião dispara um único míssil e o afunda…

Wagner
Wagner
4 anos atrás

CVN 76, sua comparação é meio injusta, olha o tamanho do orçamento dos Estados Unidos e o da Rússia. Olha o que a Rússia passou na decada de 90… vc fez uma comparação entre duas civilizações bem diferentes com história recente bem diferente. A mentalidade russa é diferente da ocidental, eles seguem linha própria. Eu conheço militares russos e sempre converso com eles, e em nenhum deles vi um desejo de inércia funcional pelo fato das condições lá serem dificeis. As condições na Russia sempre foram difíceis. Isso nunca os impediu de lutar bem. O russo ama lideres fortes e… Read more »

CVN76
4 anos atrás

Wagner Acho que vc não leu tudo o que escreví….em nenhum momento falei que eles são menos patriotas ….ou que não sabem lutar….; muito pelo contrário!! Não é somente entre veteranos americanos que existe suicídio; entre veteranos russos do Afeganistão ou da Chechênia, também existe muito suicídio; o problema é que não é publicado…..afinal suicídio ainda na Rússia é considerado tabú……coisa de “baitola”, “fraco”….e os russos gostam de posar de “macho”…por isso muitas fotos do Putin sem camisa, caçando ou lutando judô. Entre os recrutas que servem as forças armadas por 2 anos, o índice de suicídio também é muito… Read more »

MO
MO
4 anos atrás

Acho que deveria perguntar como um Slava aparecerei desapercebido perto da costa … quiça na Baea dos cara dos merrrrmao …. rssss, pouquissimo provavel … chegar desapercebido …