Barracuda Chantier 4 - Copyright DCNS
Barracuda em construção

O site Mer et Marine publicou uma matéria com informações atualizadas sobre a construção dos novos submarinos nucleares franceses da classe “Barracuda”:

  • O Suffren, primeiro da classe, será concluído no próximo verão para ensaios da doca. Os testes no mar devem começar a partir do início de 2017;
  • Mulheres poderão fazer parte da tripulação se os ensaios em um SSBN francês forem bem-sucedidos;
  • O reator nuclear naval é uma evolução do K15. A potência de saída mencionada é de 50 MW (em vez de 150 MW da classe Triomphant);
  • 4 tubos lança torpedos com 20 armas armazenadas;
  • Capaz de lançar minas de campo e talvez mísseis antiaéreos MICA para se defender contra ameaças aéreas (conceito A3SM da DCNS);
  • Poderá acomodar 10 tripulantes extra para Specops (além de 60 tripulantes);
  • Integração com drones no futuro;
  • Mastro Fotônico;
  • O Suffren foi adiado em um ano devido a dificuldades técnicas. Os demais submarinos foram adiados por razões orçamentárias (serão mais 5 unidades).
Seção da popa do Barracuda
Seção da popa do Barracuda

Os atuais submarinos da classe Rubis poderão alcançar 35 anos de serviço, ao contrário dos 25 anos inicialmente previstos.

Apesar do seu uso pesado, a taxa de disponibilidade é notável (50% melhor que a classe britânica Trafalgar).

Observar nas fotos abaixo os tubos de torpedos à mostra e depois a proa já coberta.

Barracuda Chantier 6 - Copyright DCNS
Barracuda Chantier 5 - Copyright DCNS

Barracuda-Class-Submarines-to-Feature-Cathelcos-AFS

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

pq veio o Scorpene e não o Barracuda?

augusto
augusto
4 anos atrás

por causa de la plata

augusto
augusto
4 anos atrás

e porque os franceses não iam vender a cereja do bolo para gente

rogério rufini
rogério rufini
4 anos atrás

corrigiram o leme dele, era em forma de + agora esta x, disseram que tem melhor manobrabilidade

John Paul Jones
John Paul Jones
4 anos atrás

No comments …., corsários ….

Flavio Braun
Flavio Braun
4 anos atrás

O que é mastro fotonico e sufren?

Blind Mans Bluff
4 anos atrás

1- Mastro fotonico é um mastro eletronico que não necessita de toda a raiz de um periscopio normal. É apenas um mastro que se estende da ponte à superficie com uma camera. https://en.wikipedia.org/wiki/Photonics_mast A vantagem é que ocupa menos espaço e permite que a sala de controle possa ser posicionada em outros lugares mais vantajosos dentro do casco do submarino. 2- “Apesar do seu uso pesado, a taxa de disponibilidade é notável (50% melhor que a classe britânica Trafalgar).” Ficou mal explicado. Na fonte da materia, em francês, isso se referia a taxa de disponibilidade da classe anterior, a Rubis,… Read more »

Dalton
4 anos atrás

Flavio… “Suffren” é o nome de um famoso almirante francês que foi honrado no passado dando seu nome a diversos navios franceses e agora pela primeira vez a um submarino e como primeiro da classe os originalmente conhecidos como projeto “Barracudas” serão a classe “Suffren”. . Mastro fotônico para simplificar é o substituto do tradicional periscópio e capaz de dar ao comandante uma visão e/ou percepção do exterior muito superior. Trata-se de um mastro com câmeras de vídeo e outros sensores que da mesma forma como o periscópio é erguido acima da água, mas, o mastro é contido dentro da… Read more »

Aurélio
4 anos atrás

O reator nuclear francês , da classe ” Barracuda ” é de 50MW. O nosso futuro SN-Br terá um reator nuclear de 50MW e as dimensões do nosso submarino são praticamente as mesmas do Barracuda. É muita coincidência, não acham ???

John Paul Jones
John Paul Jones
4 anos atrás

Exceção dos Classe Virginia todos os SN da US Navy operam com um periscópio optrônico mas o segundo periscópio é totalmente mecânico (Kollmorgen) e derivado dos antigos modelos que operamos nos guppy e eles na 2GM,

Ou seja, tecnologia “Star Wars” pero no mucho rs ….

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  John Paul Jones
4 anos atrás

Pois é, John Paul Jones. Como diz a propaganda, vai que…

Airacobra
Airacobra
4 anos atrás

JPJ e Nunão é a velha história sempre repetida em filmes, mesmo com toda tecnologia empregada que o inimimigo sempre consegue anular (geralmente ets) sempre quem salva é o bom e velho código morse, por isso que a US Navy nunca abre mão de um periscópio secundário mecanico e tradicional, mesmo contando com o mastro optronico.
Sempre é bom manter o feijão com arroz.

Airacobra
Airacobra
4 anos atrás

…vai que aparecem ets né nunão? Kkk

Dalton
4 anos atrás

Apenas submarinos classe Virgínia estão sendo construídos hoje em dia e dentro de alguns poucos anos eles serão a maioria com a gradual retirada da classe Los Angeles, portanto o “tradicional” periscópio perdeu definitivamente o seu lugar ao menos na US Navy e a vantagem de se ter a sala de controle um convés mais abaixo não tem preço em que pese possíveis ameaças de aliens… 🙂 . E o mastro fotônico/optrônico só foi introduzido com a classe “Virgínia” todos os demais submarinos possuem 2 periscópios tradicionais um tipo 2 e um tipo 18 e este último tem camêras de… Read more »

Flavio Braun
Flavio Braun
4 anos atrás

Blind Mans Bluff e Dalton obrigado pela explicação;

Flavio Braun
Flavio Braun
4 anos atrás

O Submarino nuclear brasileiro não é uma extensão maior do scorpene?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Flavio Braun
4 anos atrás

Não.

augusto
augusto
4 anos atrás

Sobre a tecnologia da errado na hora H é só pesquisarem sobre o millenium challenger exercise 2002, seria o maior desastre da US navy desde pearl harbor

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

$em comentário$$$$$.

Alex
Alex
4 anos atrás

Para os especialistas de plantão, coisa que não sou. O SNB não seria um intermediário entre o scorpene, projeto frances e espanhol, e o barracuda? E por causa dos laços espanhóis não poderia ter sido vendido ao Brasil. Ou seja não seria um barracuda tipo basicão que viria para nós?