Type 056
Corveta Shangrao, uma das Type 056

A Marinha do Exército de Libertação Popular da China (PLA Navy) incorporou sua 25ª corveta Type 056, em 20 de fevereiro. A Tongren (indicativo 507) entrou em serviço na Frota do Mar do Sul, e irá juntar-se ao 24° Esquadrão de Fragatas Leves baseado em Shantou, província de Guangdong, a cerca de 275 km ao nordeste de Hong Kong.

Embora a produção desta classe de navios tenha começado em 2012, a Type 056 já é uma das mais numerosas da PLA Navy, com mais unidades a caminho. O casco número 31 foi lançado em 25 de dezembro de 2015 e há indícios de mais navios em construção. No sua avaliação das capacidades da PLA Navy, o US Office of Naval Intelligence (ONI) prevê que entre 30 e 60 desses navios serão construídos.

TYPE 056 JIANGDAO Class Light Frigate
As Type 056 têm um perfil baixo

O ONI também avaliou que a Type 056 irá substituir navios patrulha costeira e algumas antigas fragatas Type 053H (classe Jianghu I). Equipada com quatro mísseis antinavio YJ-83 de 65 milhas de alcance, um canhão de 76 milímetros, mísseis HQ-10 de defesa antiaérea de curto alcance, e dois lançadores triplos para torpedos leves, a Type 056 é potencialmente mais eficaz, uma plataforma moderna que irá melhorar as capacidades da China em águas litorais.

A Tongren é a sétima da classe equipada com sonar de profundidade variável rebocado, indicando um papel primordial da guerra antissubmarino (ASW). Três destes navios estão alocados na Frota do Mar do Sul, o comissionamento anterior tendo ocorrido em 25 de janeiro.

Mais corvetas em construção
Mais corvetas em construção

FONTE: www.janes.com

Subscribe
Notify of
guest
41 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
digossa
4 anos atrás

“A Tongren é a sétima da classe equipada com sonar de profundidade variável rebocado, indicando um papel primordial da guerra antissubmarino (ASW).”

Só uma pequena correção: essa versão equipada com o sonar rebocado recebe a designação Type 056a.

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
4 anos atrás

Acho que seria uma boa alternativa para a MB.

Ceip
Ceip
4 anos atrás

Na minha Humilde Opinião: O Brasil poderia analisar as Fragatas da China, porque a tem um preço bem acessível. Sendo um pacote com varias Fragatas e alguns navios auxiliares resolveria o problema da Marinha do Brasil, e a entrega seria mais rápido. E o preço iria fazer a diferença, sendo um pacote chines de navios sairá mais barato do que outras nações. E por ultimo se comprassem os navios chineses, a marinha iria aproveitar nos próximos 40 anos e sendo que o Brasil não está em conflito e não tem histórico de Guerra. Seria a opção mais viável para o… Read more »

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Não falou do deslocamento (peso).
Achei pouco apenas quatro mísseis antinavio de alcance muito limitado.
Claro que parece ser uma corveta leve.
Mas qualquer navio ou helicóptero armado com hsrpoon tem alcance de 150, 200 km fácil.
Os 100 km de alcance desses mísseis me parece muito pouco.
E a defesa antiaérea?. So para 30 km de alcance?

MO
MO
4 anos atrás

Nonato, irmao isto é uma CV , naturalmente keve eperfeitamente armada cimo tal … nao wspere de una CV ser um Kirov … ah e desloc nao é peso .. rssss

abs !

Saylor96
Saylor96
4 anos atrás

Solução prática para a Marinha do Brasil e rápida para resolver as deficiências de nossa esquadra. Não é o ideal, mas precisamos abrir a mente para essa possibilidade. Quanto a transferência de tecnologia, esqueçam. Não veremos muita evolução nas duas próximas gerações!

willhorv
willhorv
4 anos atrás

Eles construíram em 1 ano o que o Brasil não tem em 20 anos …. brincadeira né!

gengisduEduardo Pereira
4 anos atrás

A nossa marinha já deveria estar em conversa com a China para obter alguns meios navais como fragatas e corvetas , são mais acessíveis $$$ e estão muito bem equipadas e se não me engano há possibilidade de se instalar armamentos ou eletrônica ocidentais.

Bosco
4 anos atrás

Nonato, A defesa antiaérea provida pelos mísseis HK-10 é de no máximo uns 10 km, o que é compatível com sistemas de defesa de ponto. Os mísseis SSMs têm alcance na casa dos 120 km, mas algumas fontes citam como sendo de 180 e até 200 km. Esses dados não costumam ser confiáveis e sequer sabemos o que o autor quer dizer com esse alcance, se é o alcance em linha reta ou se é o alcance prático. Pode ser que 120 km se refira ao alcance prático, já que em torno de 1/3 do alcance nominal pode ser utilizado… Read more »

Bosco
4 anos atrás

Para aquele teatro 4 mísseis realmente é pouco mas devido à grande quantidade de navios talvez tenha querido distribuir os ovos em mais cestas.

Bosco
4 anos atrás

Nonato,
Eu sei que você só quis ilustrar o comentário, mas só de curiosidade, o Harpoon não é lançado por helicóptero, apesar de ser plenamente possível integrá-lo a um.
Os maiores mísseis antinavios lançados por helicópteros são: Exocet AM-39, Sea Eagle e KH-35.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
4 anos atrás

Nonato, bom dia.
.
Tem pelo menos meia dúzia de matérias anteriores sobre essa classe de corvetas aqui no Poder Naval, incluindo informações sobre o deslocamento. Basta digitar Type 056 no campo busca do blog (ícone de lupa no canto superior direito da página).
.
http://www.naval.com.br/blog/?s=Type+056

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
4 anos atrás

Sobre as questões levantadas, o deslocamento carregado divulgado é de apenas 1500 toneladas, para um navio com 90 metros de comprimento e 11 de boca.
.
Assim, creio que a quantidade e alcance dos armamentos divulgados está dentro das possibilidades desse deslocamento e dimensões, sendo que parte do espaço disponível também é ocupada por um convoo (embora não tenha hangar).
.
Não dá pra esperar muito mais do que essa quantidade / alcance de armamento para um navio desse porte equipado com canhão, mísseis antiaéreos, mísseis antinavio, lançadores de torpedos antissubmarino e convoo.

Ribeiro
Ribeiro
4 anos atrás

Acho que para a MB, os meios chineses são atrativos…. melhor que escoltas de 2ª ou 3ª mão….
Aos colegas e ou editores, uma dúvida…
Alguém sabe me informar se o NGB está em algum site “hospedado”? não consigo mais achar…

Abraços

Bosco
4 anos atrás

Engraçado que parece que o radar de busca não é 3D e só há um radar de direção de tiro e um sistema optrônico à vante, que servem bem ao canhão mas não ao sistema de mísseis sup-ar que opera de modo LOAL (se for como o RAM) e que em regra precisa de dados a respeito da altitude da ameaça.
Não creio que só o sistema MAGE possa abastecer o IMU (sistema inercial) do míssil dos dados necessários.
Ou seja: uma incógnita!

Leo
Leo
4 anos atrás

Bosco
Poderia comparar algumas capacidades das corvetas russas buyan – M com essas chinesas? Quais as vantagens de cada uma?

Bosco
4 anos atrás

Leo,
Ao meu ver a Buyan é uma classe de corveta dedica ao ataque estratégico com uma razoável capacidade de defesa antiaérea e feita para operar em águas confinadas e protegidas.
Esse navio chinês é mais parecido com o que entendemos como uma corveta, com capacidade ASW e ASuW e um razoável defesa antiaérea.
São classes com funções bem distintas.
Acho que o Nunão, o Almirante e outros podem tecer melhores comentários sobre essa comparação.
Um abraço.

Luiz Monteiro
Luiz Monteiro
4 anos atrás

Prezados,

Já existe uma proposta de estaleiros chineses para o PROSUPER. Eles concorrem com os demais.

Agora é esperar a retomada deste Programa.

Abraços

jagderband#44
jagderband#44
4 anos atrás

Sou mais da Meko da Africa do Sul.

Leo
Leo
4 anos atrás

Obrigado bosco
Então em vez da buyan M a corveta russa Steregushchy está mais próxima no quesito função da corveta chinesa?
Peço se o Nunão ou outro possa me responder sobre qual é melhor e em que aspectos.
Obrigado

Bosco
4 anos atrás

Leo, É isso mesmo. A Steregushchy é mais próxima dessa Type 56, apesar de ter uma defesa antiaérea muito mais robusta. A Buyan não tem equivalente. Ela é um navio de míssil cruise de longo alcance pra operar num mar fechado onde não há razão de existir um navio de porte de um destróier com 60 dias de autonomia. Em vez de construírem um ou dois destróieres cada um com 80 mísseis e autonomia de 60 dias resolveram muito acertadamente fazer uma maior quantidade de pequenas corvetas com autonomia reduzida e com poucos mísseis cruise (8). Não colocaram todos os… Read more »

Leo
Leo
4 anos atrás

Obrigado bosco,
Sem querer ser impertinente mas já sendo kkk
Na questão de radares e sensores qual a diferença entre essas 3 classes?

robertobozzo
robertobozzo
4 anos atrás

CA Luiz Monteiro, boa tarde.

Poderia informar quais meios foram ofertado na proposta chinesa ?

Grato

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Bosco. Talvez para o conceito defesa de ponto esses 10 km sejam aceitáveis. Aliás muita coisa é aceitável na vida. Mas com esse alcance só se for contra helicópteros ou caças quase sobrevoando. A 50 km de distância qualquer avião dispara um antinavio.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Nonato
4 anos atrás

Nonato, boa noite. . Nessa distância, os alvos principais dos mísseis superfície-ar são justamente os mísseis antinavio. E, se o sistema das corvetas for similar ao RAM germano-americano, como parece ser, então ele foi desenvolvido exatamente com a defesa antimíssil como prioridade, e secundariamente dissuadir helicópteros e aviões de ataques a curta distância. Enfim, isso é a essência da defesa de ponto. . Vale lembrar que a maioria dos mísseis superfície-ar que equipam hoje navios de guerra bem maiores que essa corveta, em várias marinhas do mundo (fragatas, por exemplo), tem alcance inferior aos 50km que você vê como desejáveis.… Read more »

marcos
marcos
4 anos atrás

Já dizia o Âncora Boris Casoy ” isto é uma vergonha”,o Brasil leva mais de uma década para construir uma corveta ,no arsenal de marinha ! E a China já se tornou uma grande Montadora de Belonaves !!!!

Bosco
4 anos atrás

Leo,
O que dá pra ver é que os sistemas russos das corvetas citadas é bem mais sofisticados que as dessas corvetas chinesas, que parece ser 2D, em franca obsolência para navios de guerra. Já em relação ao destróier chinês parece ser bem avançado, sendo inclusive do tipo de “matriz faseada”.

Bosco
4 anos atrás

Nonato, Como o Nunão disse os sistemas de ponto são direcionados à interceptação de mísseis. Vale salientar que o horizonte radar vai até uns 30 km e qualquer aeronave que esteja abaixo do horizonte radar pode lançar um míssil antinavio impunemente. Ou seja, na prática um míssil com alcance de 25 a 30 km (ex: Aster 15, Aspide, Sea Sparrow, etc), considerados de defesa de área curta, já são mais que capazes de defender o navio das principais ameaças logo que elas despontam no horizonte. Não adianta muito na prática ter mísseis sup-ar com 100 ou 150 km de alcance… Read more »

airacobra
airacobra
4 anos atrás

Bosco e Nunão, falaram tudo e mais alguma coisa, tem gente que acha que somente porque existe mísseis de defesa de área não se precisa ter mísseis de defesa de ponto

airacobra
airacobra
4 anos atrás

Uma possibilidade de uso de mísseis de defesa de área além das possibilidades citadas acima seria com o auxílio de uma aeronave AEW até mesmo de asas rotativas operando a partir de algum navio de maior porte do GT, não necessariamente um NAe, podendo até mesmo a partir de um NDD oou um NT

Bosco
4 anos atrás

Aira,
Com a introdução do E2-D e do míssil SM-6 será possível que um míssil com 270 km (alguns creditam ser mais de 400 km) de alcance atinja alvos ao nível do mar bem além do horizonte radar do navio.
Inclusive uma das funções do SM-6 será antinavio OTH. Poderá ser utilizado também contra alvos fixos em terra já que tem orientação GPS.

airacobra
airacobra
4 anos atrás

Uma das coisas que nunca me desceu na MB foi a mesma nunca instalar um convôo em seus NTs quando dos reparos deles, pois espaço tem, e garanto que um convvôo não alteraria a estabilidade de um navio com o deslocamento e a capacidade do Marajó e do Gastão Motta, sendo que hoje em dia seria inviável para o G-27, que já está na esta final de sua vida útil, mas no G-23 ainda é um caso a se pensar

Leo
Leo
4 anos atrás

Bosco
Mas uma aeronave para detectar o navio precisa subir a uma altitude que entrará no horizonte do radar do navio, nem que seja por pouco tempo… Quem tem a vantagem é vai detectar o outro primeiro a uma distância de uns 150km quando o avião entrar no horizonte do radar do navio? E nesse tempo o navio disparar um míssil contra o caça tem chance de acertar sendo um míssil guiado por radar ativo?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

“Luiz Monteiro 1 de março de 2016 at 13:09 Prezados, Já existe uma proposta de estaleiros chineses para o PROSUPER. Eles concorrem com os demais. Agora é esperar a retomada deste Programa. Abraços” ________________________________________ Os requisitos técnicos terão que ser atendidos 100% certamente. ________________________________________ O recheio (armamentos em geral) serão chinas ou conforme especificações da MB ? Integrar envelope e “massa crítica” devem estar contempladas, como sair do “projeto/papel” e por isso na prática ? ________________________________________ A Trilogia está sendo “inundada” de artigos/tópicos sobre produtos chineses, vamos “avermelhar” em defesa / (rs). _______________________________________ Prefiro Made in Korea, España, Holand, Germany,… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Quanto ao tema/tópico:
Prefiro as idéias do MO;
O Bosco já descobriu “defeitos” e elas o tem com certeza e
Não é pro nosso bico, aqui é Cisne.
Chineses, meu D’US.

Bosco
4 anos atrás

Leo, Depende dos radares da aeronave e do navio. Se a aeronave tiver que permanecer muito tempo acima do horizonte radar para detectar e estabelecer a posição do navio pode dar tempo de um míssil ser lançado, mas devido à distância (em geral) daria tempo para o avião se evadir. Cada vez mais os radares tanto das aeronaves quanto dos navios fica mais rápido, principalmente os de varredura eletrônica. O navio em geral tem imenso RCS, mas tem radares muito mais capazes. O avião tem um pequeno RCS, mas seu radar é muito menos efetivo. No caso de um míssil… Read more »

Leo
Leo
4 anos atrás

Obrigado bosco
Então é sempre bom o navio ter ótimas defesas de ponto por que a aeronave tem grandes chances de lançar seus mísseis.

Alexandre Samir Maziz
4 anos atrás

Em abril de 2012 a Nigéria comprou duas por 42 milhões de dólares que foram entregadas em fevereiro de 2015 , a principio eles achavam que iam receber a encomenda em no meio do ano de 2014 ,dividindo por 2 o preço sai uns 21 milhões cada uma por um navio completamente novo .Atualmente a China opera 22 navios desse modelo , agora não sei se eles tem alguma pronta para entrega caso algum comprador queira comprar abraços ….

Bosco
4 anos atrás

Leo, É isso mesmo Leo! Mesmo navios de defesa de área com mísseis com duzentos quilômetros de alcance não abrem mão de ter uma consistente defesa de ponto. Tanto pelo horizonte radar quanto pelo RCS diminuto dos mísseis muitas ameaças só são detectadas muito próximas do navio e sistemas de mísseis de longo alcance em geral têm um alcance mínimo que as vezes é maior que a distância em que a ameaça é detectada. Por exemplo, os cruzadores e destróieres Aegis têm mísseis de menor alcance (ESSM) e canhões Phalanx como defesa de ponto. Alguns, como os coreanos têm o… Read more »

Iväny Junior
4 anos atrás

Acerca do navio, parece interessante. Mas seria um pesadelo logístico em tese.
Só me chamou a atenção a beleza do vaso e dos diques.
Os caras tão investindo pesado, detêm a maior economia PPP (paridade de compra, que gera mais impostos e arrecadação por parte do governo) do mundo, e não enfraquecem o investimento durante a crise.
A nova polarização vai ser interessante de se ver, uma vez que todos falam a mesma língua dessa vez.
Pode ser dólar, euro, rublo ou yuan. Pelo negócio, o pessoal se entende.

Juarez
Juarez
4 anos atrás

OFF TOPIC: Senhores, bom dia a todos, dia histórico para o Brasil, o tempo mostrou mais uma vez, ser senhor de todas as verdades. A Xiringa vai pegar Ótima sexta feira a todos nós e um grande abraço a todos amigos. G abraço _ NOTA DOS EDITORES: SENHORES, OS FATOS DE HOJE DA POLÍTICA / JUSTIÇA NÃO SÃO OBJETO DOS TEMAS EM DISCUSSÃO NESTE BLOG. PEDIMOS MODERAÇÃO QUANTO A COMENTÁRIOS FORA DE TÓPICO, POIS ISSO COSTUMA DESCAMBAR PARA DISPUTAS POLÍTICO-IDEOLÓGICAS ENTRE OS COMENTARISTAS DESTA OU DAQUELA VERTENTE POLÍTICA, QUE NÃO COSTUMAM ACABAR BEM E NÃO LEVAM A NADA DE PROVEITOSO.… Read more »