Home Acidente Aeronáutico Marinha encontra partes do caça AF-1B desaparecido

Marinha encontra partes do caça AF-1B desaparecido

7301
46

Caça AF-1

MARINHA DO BRASIL

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA

Nota à Imprensa VI

Brasília, em 08 de agosto de 2016.

A Marinha do Brasil (MB), em complemento às Notas publicadas anteriormente, informa que as buscas ao piloto e à aeronave AF-1B, desaparecidos no mar desde terça-feira (26/07), prosseguem de forma contínua.

Foram encontrados, até o presente momento, os dois pneus do trem de pouso principal da aeronave, nas praias de Monte Alto, em Arraial do Cabo, e do Peró, em Cabo Frio, o que fez com que as buscas fossem intensificadas no litoral daquela região.

No final da tarde do último domingo, o Navio de Socorro Submarino “Felinto Perry” e o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira” – utilizados diuturnamente desde o início das operações de busca – saíram temporariamente da cena de ação para reabastecimento no Rio de Janeiro e retornarão à área na próxima quarta-feira.

Entretanto, as equipes de apoio permanecem no local realizando buscas, com emprego de aeronaves, lanchas e viaturas. As condições do mar de ressaca reinantes nos últimos dias têm dificultado os trabalhos; contudo, todas as praias das regiões de Maricá, Saquarema, Arraial do Cabo e Cabo Frio têm sido verificadas diariamente.

AF-1M (1)

AF-1B N-1011 na cerimônia de entrega na Embraer
Nas duas fotos acima, o AF-1B N-1011 na Embraer em 2014, depois da modernização

LEIA TAMBÉM:

46
Deixe um comentário

avatar
46 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
26 Comment authors
Luiz MonteiroXORinaldo NeryCarlos CamposCarlos Miguez _BH Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcelo
Visitante
Marcelo

Nossa, desintegrou mesmo. Ja se sabe qual foi o AF-1B? O 1001 ou o 1011?

ELEAZAR MOURA JR.
Visitante
ELEAZAR MOURA JR.

1011

Lucas Lima
Visitante
Lucas Lima

Ele se desintegrou no ar ou com abatida em alta velocidade com mar ? mesmo assim o acidente foi feio!!!

Jodreski
Visitante
Jodreski

A MB não vai divulgar foto do 1001? Ou por motivos de “segurança nacional” eles vão manter essa foto em sigilo?

Airacobra
Visitante
Airacobra

Engraçado não é Jodreski? Na primeira semana a FAB ja divulgou fotos do F-5F acidentado, mas a MB parece que ainda vive na guerra fria, isso só alimenta as teorias de conspiração de alguns.

Clésio Luiz
Visitante

Os últimos meses tem foram complicados para aeronaves de caça. Só o USMC perdeu 3 Hornets.

Luiz Antonio
Visitante
Luiz Antonio

Bom dia a todos. Pelo que tudo indica a aeronave fragmentou-se em várias partes não necessariamente ter ocorrido desintegração. As demais partes, inclusive o cockpit pode ter sido arrastado sabe lá Deus para onde. Infelizmente o que eu temia deve ter mesmo ocorrido. Será muito difícil, como tem sido até agora localizar outros fragmentos e apesar dos esforços do militares envolvidos nas buscas apenas o tempo fará com que isso ocorra. Apenas complementando, uma queda no mar não se compara jamais com uma queda em terra. As condições do local de queda em terra praticamente não se alteram, portanto são… Read more »

Reinaldo Deprera
Visitante
Member
Reinaldo Deprera

Houve quem disse que o Galante “pagou mico” quando cogitou a desintegração da aeronave:
http://www.naval.com.br/blog/2016/08/03/caca-pode-ter-se-desintegrado-diz-ex-militar-da-marinha-sobre-acidente/

Save Ferris!

Glasquis 7
Visitante

Bom dia a todos, Ao que parece, essa aeronave se desintegrou no ar e a história não bate certo. Se as duas aeronaves colidiram no ar em alta velocidade e em baixa altura, ela deveria ter mergulhado no oceano inteira e nesse caso, acredito que apenas as partes sobressalentes deveriam ter se fragmentado. Asas, cauda, antenas, ailerons, canopy, tanques sobressalentes e se tiver, armamentos. Não acredito que um impacto na água vai arrancar os pneus nem o trem de pouso se este está recolhido dentro da fuselagem do avião ou na parte mais próxima da asa pois não ouve tempo… Read more »

Tamandaré
Visitante
Tamandaré

Reinaldo Deprera,

A colocação do Galante foi até bem plausível. Quem chamou isso de sandice é que é um louco pagando mico!!

Bom dia a todos

Juarez
Visitante
Juarez

Eu não acredito que a anv tenha se desintegrado totalmente, ela, provavelmente no choque com o mar, a baixa altura como estavam, provocou o seccionamento de partes da aeronave, mas provavelmente pelo tipo de construção do A 4, o charuto da deve estar praticamente intacto até porque o para quedas foi acionado pelo choque, e o piloto deve estar junto com a fuselagem.

G abraço

Juarez
Visitante
Juarez

Airacobra 9 de agosto de 2016 at 9:55

Engraçado não é Jodreski? Na primeira semana a FAB ja divulgou fotos do F-5F acidentado, mas a MB parece que ainda vive na guerra fria, isso só alimenta as teorias de conspiração de alguns.

Pois é Aircobra, isto me chama a atenção, e não é uma falha do serviço de comunicação social, parece ser algo muito estranho este comportamento.

G abraço

Juarez
Visitante
Juarez

A propósito, as partes do trem de pouso foram encontradas próxima a praia aonde o salva vidas diz ter avistado um para quedas no ar.

G abraço

Edcarlos
Visitante
Edcarlos

Estas aeronaves militares efetuaram manobras de treinamento armadas? Pergunto se as mesmas estavam portando pelo menos a munição dos canhões, pois fogo amigo já aconteceu em treinamentos.

http://www.aereo.jor.br/2012/12/29/canhoes-do-f-5-efetividade-comprovada-contra-f-5/

Saudações!

Juarez
Visitante
Juarez

Não sei se estavam com as baias dos canhões armados, acredito que não, era um treinamento de ataque naval, e definitivamente não foi caso de fogo amigo, foi um caso deabalroamento amigo. As causas disto só saberemos após as conclusões das investigações que serão feitas pela AVN, mas algumas delas eu posso dizer para vocês que é só voltar nos tópicos aqui do PN e vocês verão noticias como: Simulador de voo do VF 1 volta a funcionar depois não sei quantos anos fora de operação, restrições financeiras da MB impedem manutenção que limitaram os voos deste pessoal a 50%… Read more »

EParro
Visitante
EParro

Juarez 9 de agosto de 2016 at 12:47

Bah tchê! Seja bem-vindo Juarez.

Juarez
Visitante
Juarez

Obrigado Eparro.

G abraço

carvalho2008
Visitante

Se o ocorrido foi a baixa altura, o caça e seus escombros devem ter quicado varias vezes no mar…..isto pode despedaçar até mesmo partes entrais da fuselagem…mas sem o relatorio e testemunho sobre o real perfil da manobra na hora da colisão, tudo vira conjectura….

Airacobra
Visitante
Airacobra

Carvalho2008, sempre quando penso na queda desse AF-1 voando a cerca de 700km/h rente à água só me vem em mente a imagem de um Formula 1 capotando em alta velocidade e se despedaçando, só sobrando o charuto como citou o Juarez, um detalhe a se atentar é que o trem de pouso principal do A-4 recolhe para frente, o que pode facilitar seu desprendimento em caso de impacto com a água.

Daniel
Visitante
Daniel

Alguém tem uma noção do quanto poderia ter sido economizado nas buscas se a aeronave/assento possuisse os equipamentos de rastreamento? A dificuldade em achar os destroços coloca em xeque a capacidade operativa de SAR/C-SAR?

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Não entendi a colocação de alguns aqui querendo ver a foto do avião sinistrado!!!! ele ou o que sobrou não foi achado ainda!!!!

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Daniel, leia sobre o caso do voo da Gol, que caiu em plena selva, se desintegrando no ar e depois tire a conclusão sobre nosso sistema de SAR.

Glauco
Visitante

Marcelo, o choque foi entre 2 aviões, querem ver a foto do segundo, o 1001. Pessoal, um P3 ou um R-99B não poderiam ajudar mais nas buscas?

Daniel
Visitante
Daniel

Marcelo, você sugere alguma matéria em particular? Não estou querendo menosprezar o trabalho de nenhuma equipe, mas pelo que me recordo é a primeira vez que a aviação naval de asa fixa vivencia essa situação, será que a doutrina de segurança dos exercícios deixou alguma lacuna? É um problema de procedimentos, meios ou ambos?

Daniel
Visitante
Daniel

Uma dúvida, na opinião de alguém esse exercício era de alguma forma semelhante à ação dos Super Etandards que afundaram o HMS Sheffield?

Jorge Alberto
Visitante
Jorge Alberto

Reintero a pergunta que o glauco fez acima…

Nonato
Visitante
Nonato

Parece-me que a Marinha pode ter cometido algum equívoco nas buscas. Posso estar completamente equivocado até porque não sou do ramo. Falo isso já considerando eventual falha prévia de, supostamente, não se saber o local exato ou aproximado da queda, mesmo havendo um outro avião no local, navio e radares. Teoricamente, se saberia, com razoável precisão, o local aproximado do impacto. Por que começaram as buscas em determinado local onde, inclusive, um popular estaria num caiaque? Havia algum forte indício da queda naquele local? Se o local estava certo, os meios disponíveis não eram adequados para as buscas? É possível… Read more »

Deia Linhares
Visitante
Deia Linhares

Bem, eu sou (fui) do ramo, só que em outra área, e acompanhei vários acidentes de asas rotativas, inclusive na Amazônia, e posso garantir que estão faltando peças nesse quebra-cabeças. Porque não foram mais a Leste? A batimetria ali está entre 20m e 60m, bem tranquilo, nesse ponto. E encontrado o trem de pouso? WTF?

Glasquis 7
Visitante

Deia Linhares,

É o meu questionamento, um impacto na água conseguiria arrancar um trem de pouso recolhido? Será que é mais fácil encontrar um trem que uma asa? O pneu é o único que flutua nessa aeronave? Eu acho (agora) que se foram encontrados destroços como o trem de pouso, ela se desintegrou no ar ou, na “batida” o mesmo foi arrancado.

Carlos Miguez _BH
Visitante
Carlos Miguez _BH

Acharam partes na Praia do Peró; em 03 de agosto fiz o seguinte comentário: “Lembrei-me de um caso real, ocorrido há mais de 20/25 anos e relatado nos telejornais da época: um banhista, um tanto entusiasmado, afastou-se irresponsavelmente da praia na Ponta do Arpoador. Uma corrente marítima ”o pegou” e ele foi afastando-se rapidamente da orla, sem nada poder fazer. Trinta e seis (isto mesmo 36) horas depois, já na noite do outro dia, a “corrente” aproximou-se da orla; vendo as luzes o desesperado nadou pela vida com suas últimas forças para a segurança da praia. Exausto chegou pouco antes… Read more »

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Boa Volta Juarez

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Daniel, toda aeronave é equipada com ELT (Emergency Transmitter Locator), que é acionado automaticamente com uma desaceleração superior a 5G, e transmite nas frequências 121,5MHz, 243 MHz e 406MHz. Porém, como está na cauda da aeronave, foi pro fundo do mar. Daí nenhum satélite receberá o sinal. Não há ELT em assentos ejetaveis. O piloto é quem carrega consigo um PLB (Personal Locator Beacon). Como já havia postado no PA, o Capitão de Fragata sobreviveu, e deve saber exatamente onde a outra aeronave caiu. Estranho não terem encontrado nada. Pensava como o Juarez quanto à inexperiência dos aviadores do VF-1,… Read more »

Juarez
Visitante
Juarez

Cel, eles reuniram após o ataque a menos de 100 Kts, isto, como o senhor bem sabe é fora do padrão, e este pessoal está voando a metade do que os caçadores da FAB voam, ficaram muito tempo com aeronaves indisponíveis e sem simulador. É só o senhor juntar as peças e o quadro da dor está definido. Eles começaram a voar mais a pouco tempo., e, o mais importante, tem pouca experiência em voar elemento em liderança.
O senhor lembra o que o Brig Burnier dizia quando estava do Comgar???

G abraço

Juarez
Visitante
Juarez

Nonato 10 de agosto de 2016 at 0:28

Parece-me que a Marinha pode ter cometido algum equívoco nas buscas.
Hummmmm, será, tenho dúvidas, ahh deixa assim. O silêncio dos marinheiros que frequentam a trilogia sobre o assunto é no mínimo “interessante”……

G abraço

Airacobra
Visitante
Airacobra

Muito estranho mesmo Juarez, ao menos eu me mantenho ativo, dentro das minhas convicções que é o mais importante

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Reunião a 100 KT? Vixe, tava quase estolando. De onde veio essa informação?

Nonato
Visitante
Nonato

Por equívoco refiro-me à possibilidade, por exemplo de terem iniciado as buscas em local diferente do da provável queda com base em informações insuficientes ou, caso tenham procurado no local exato ou aproximado não terem se precavido para o deslocamento das partes do avião por correntes ou ondas. Mudando de foco, que tipos de partes poderiam boiar, afundar ou permanecerem acima do fundo do mar? Além de correntes abaixo da superfície, há ondas que podem deslocar objetos? Com que velocidade isso ocorre? Qual seria o procedimento padrão em um caso desses? Passar com um radar (avião ou helicóptero – no… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

R-99, e não P-99. O Radar de Abertura Sintética pode identificar óleo ou combustível na superfície. Mas, devido ao tempo passado desde o acidente, já não é mais eficaz. E haveria, também, óleo derramado por outras embarcações na área.

Nonato
Visitante
Nonato

Falo isso para o dia do acidente ou seguinte.
Há uma diferença entre esse caso é o do vôo da airfrance. O tamanho do avião e das partes…
Esse é um caça de pequeno porte…
Partes bem menores…
Continuo achando que talvez tenham começado no lugar errado…
Ou não tenham agido com vigor, com vários meios ao mesmo tempo.

XO
Visitante
XO

Juarez, bom regresso, primeiramente… seguinte, como ja escrevi antes, fico na minha e acompanho, como vcs as buscas e notas do CCSM… so fiz questao de negar aquele boato de abate… no mais, não tenho o que acrescentar… abraço a todos…

XO
Visitante
XO

E convenhamos, vocês sabem que estou na ativa e pouco posso discutir sobre certos assuntos…mesmo que soubesse…

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezado Juarez,

É bom ter sua presença novamente entre nós.

Como você bem sabe, existe um IPM em curso e, até que seja concluído, não será possível falar sobre o acidente.

Quanto à outra aeronave sinistrada (a que retornou à BAeNSPA), ela vem passando por “perícias” conduzidas pelo SIPAAerM. Por esta razão, decidiu-se por não divulgar (por enquanto) imagens desta aeronave.

Grande abraço

Juarez
Visitante
Juarez

Senhores marinheiros, nós sabemos o que houve, e permaneceremos em silêncio na fonia por absoluto e total respeito aos familiares.
Caro Almirante, penso que é hora de cessar a emissão EW e de lançamento de Chaff/ Flare, buscar o marinheiro e lhe dar as honras merecidas.

G abraço

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

XO, em 2008, atendendo ao convite do VF-1, compareci ao aniversário do Esquadrão com uma aeronave E-99. Lá tive a oportunidade de conhecer o Fonseca Jr, atual CHEM da FORAERNAV. Quando servi na 2a ELO, seu pai era comandante do HU-2.
Hoje a tarde conversei com uma amigo da FAB, Jambock, ex instrutor do VF-1. Hoje voamos juntos na Azul. Ele, conhecedor da aeronave e do Esquadrão, também achou o acidente muito estranho. Esperamos que a verdade venha à tona. Salvo melhor juízo, parece falha operacional.
Meus sentimentos à família do CC Igor.