Home Indústria Naval Brasil juntou-se como observador no programa do Navio de Apoio Logístico (LSS)...

Brasil juntou-se como observador no programa do Navio de Apoio Logístico (LSS) da Itália

6923
42

logistics-support-ship-lss

O Jane’s noticiou que o Brasil juntou-se como observador no programa do Navio de Apoio Logístico (LSS) da Itália.

O programa, que é gerido pela Agência Europeia de Contratos de Defesa OCCAR, será responsável pela construção, entrega e suporte em serviço de um novo navio de apoio logístico para a Marinha Italiana. A participação do Brasil no programa é a primeira indicação de interesse de um potencial novo cliente.

Falando durante as apresentações da indústria e OCCAR a bordo nova fragata multimissão FREMM Alpino da Marinha Italiana, na entrega do navio em 30 de setembro, o chefe da direção de armamentos navais do Ministério da Defesa italiano, contra-almirante Matteo Bisceglia, confirmou a participação do Brasil.

lss

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus
Matheus
3 anos atrás

Esperemos que saia algo de bom nisso.

Lucas Schmitt
3 anos atrás

Deve haver um abismo de diferença entre ser um observador e ser um comprador.

Leandro Costa
Leandro Costa
3 anos atrás

Bem, pelo menos mostra que a Marinha está de olho. Claro que aquisição em si já é outro papo.

Pampa_CX-S
Pampa_CX-S
3 anos atrás

Brasil, único pais entre as 10 maiores economias do mundo que não projeta navio..

Na Marinha tá tudo certo, tudo legal…

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

A MB eatá igual a FAA, observa, observa, analisa, analisa e comprar que é bom nada.

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Pampa, projetar eles projetam, o problemas deles é iniciar, desenvolver e concluir a construção deles, mas é detalhe, o importante é ter “muito prujeto”, mas como tu disseste; tá tudo certo, tá tudo legal, mais legal ainda porque nós continuamos pagando a conta, até quando não sei…..

G abraço

Bardini
3 anos atrás

Não vindo um Stromboli para a esquadra nessa observação toda já fico contente.

Juarez
Juarez
3 anos atrás

É, isto pode ser uma “armadilha Bisol” e pode aparecer um vulcão…

G abraço.

Marcos
Marcos
3 anos atrás

Uns observam, outros compram e operam:

Bardini
3 anos atrás

Mas o Etna até seria negócio… Seria melhor que um Durance (primo do Sirocco)…
Só que está planejado para sair só em 2025.
Tem 18 anos, atualmente.
.
O Stromboli está planejado para sair em 2018, mas se aparecer oportunidade, eles despacham até antes.
Só que é um navio de 1973…

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Bardini, não tem pizza grátis………tu bem sabe disto.

G abraço

Bardini
3 anos atrás

Marcos 12 de outubro de 2016 at 14:50
.
Baita vídeo.

Bardini
3 anos atrás

Juarez,
.
O Marajó não tem mais condições, alguma coisa vai ter que vir.

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Bardini, eu sei, ele vai virar panela em 2017, tá fila do cemitério. Pena deixarem passar aquele Holandês que foi comprado pelos Peruanos.

Marcos, que vídeo, que marinha, que inveja……

G abraço

a12comanf
a12comanf
3 anos atrás

Basta colocar um canhaozinho aqui e acola,,, um radarzinho… e ja temos uma FREEM-BR 🙂

a12comanf
a12comanf
3 anos atrás

Deixando as brincadeiras de lado: esse parece ser o primeiro movimento serio na direcao de um fabricante e operador das modernas escoltas atuais.
Torcer para algum tipo de acordo sair.

Dalton
3 anos atrás

O vídeo que o Marcos postou é uma beleza…mas…reparem que o HMAS Camberra aparece
cercado por navios de outras marinhas, o mais próximo um Arleigh Burke da US Navy, caso
algum leitor menos atento tenha pensado tratar-se apenas de navios australianos.
.
E também tem os 2000 fuzileiros navais do USMC baseados na Austrália sob rodízio entre
outras coisas.
.
Não sou contra alianças militares, mas, alianças, além de direitos e benefícios, trazem deveres e comprometimentos e os australianos estão tentando honra-los da forma como podem.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
3 anos atrás

a12comanf.
.
A MB tem vários marinheiros espalhados pelo mundo acompanhando a construção de navios. Tem várias notícias sobre marinheiros nos estaleiros da BAe, por exemplo.
.
Infelizmente, trata-se apenas de observação mesmo, com o consequente gasto de dinheiro público nessas missões, sem que resulte em compras.

marcus
marcus
3 anos atrás

Seria melhor a marinha parar de sonhar, e comprar financiado da Coréia 3 navios da classe Makassar.
Ou financia com os baguetes 3 navios da classe Foudre, é a mesma classe do Bahia G40.
Só que agora viriam com motores que estão em produção.
Os Foudre são maiores que os Makassar.

a12comanf
a12comanf
3 anos atrás

Rafael Oliveira, estamos sempre ouvindo das missoes e avaliacoes, quase igual a FAA como alguem citou mais acima, mas a materia da a entender que esse foi o primeiro movimento serio. Pequeno ao que parece mas o melhor ate agora…

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Falta só um detalhe, o din din, mas é um detalhe apenas.

G abraço

Jr
Jr
3 anos atrás

Quanto será que tá custando um navio desses, 400/500 milhões de dólares mais ou menos?

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Boa pergunta, talvez o Bardini que pesquisa e acessa bastante estes sites das marinhas consigas ajudar. Seria interessante se já tem um esboço de ficha técnica do projeto para vermos o tamanho do dito cujo.

G abraço

Ádson Caetano Araújo
3 anos atrás

Alguém tem notícias de alguma resolução dos quatro Macaé começados no EISA? Também sobre alguma resolução sobre os quatro Tamandaré, já que MB as declarou como uma das prioridades?

Bardini
3 anos atrás

Se não me falha a memória esse LSS vai sair por 325 milhões de euros.

Bardini
3 anos atrás

É que não só o LSS.
É um pacote com um LHD, 6 PPA (com opção para mais 4) e o LSS, no valor de 5,4 bilhões de euros.

Bardini
3 anos atrás

“and the logistic support unit for a total value of 372 million euros”
.
É, fui traído pelo memória…

Bardini
3 anos atrás

Ok. Desconsiderem o comentário acima. Isso é referente ao inicio de vários trabalhos.

Jr
Jr
3 anos atrás

Ok Bardini, porque se o preço dele fosse esse de 372 milhões de euros, estaria absurdamente caro, a Austrália fechou a compra de dois navios de apoio logístico da Navantia por 420 milhões de euros nesse ano

Valtenio Oliveira Spindola
3 anos atrás
Mauricio R.
3 anos atrás

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!!
.
Novo N/T neozelandes:
.
(https://t.co/CQ4N5kY2jQ)

Mauricio R.
3 anos atrás

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!!
.
Novo N/T paquistanes:
.
(https://t.co/KEwPBV9uS2)

DK
DK
3 anos atrás

Os barcos Italianos são otimos más para cada barco europeu novo se compra 2 a 3 barcos sul coreanos, que também são bons… falta gestão na MB.

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Não existe milagre, quem costumava faze-los partiu há 2000 mil anos.
Há que comparar corretamente um com o outro. Não tenho dúvidas que os estaleiros tem custos de costrucao menores, mas não tanto.
Os “barcos” coreanelicos(agora MO vai ter um troço) são bons navios, mas temos que saber quais os requisitos da MB.

G abraco

DK
DK
3 anos atrás

Fazer requisitos que só europeu pode entregar….

Rogerio Rufini
3 anos atrás

O mais barato é o Sul coreano, falta grana, mas apos o ocorrido com a Venezuela, acendeu a nescessidade de uma Força armada superior ao seus vizinhos

Juarez
Juarez
3 anos atrás

Mas senhores vocês estão falando de navios de classe diferentes, o Italiano é um Navio de apoio logístico e o Coreanélico é um NDD micro toy.

G abraço

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
3 anos atrás

Este navio do post do Maurício R. será construído pela Hyundai por US$ 325 milhões, tem 22 mil tons de capacidade, enquanto o italiano terá 25 mil tons….

jose luiz esposito
jose luiz esposito
3 anos atrás

Vou tentar me inscrever nestas comissões de observação ,quantas já tivemos e ao final foi só um Tour turistico , na comissão a Rússia para a ** Compra ** do PANTSIR até um sargento musico marido/amante de Ideli Salvatti foi incluído maravilha !!

jose luiz esposito
jose luiz esposito
3 anos atrás

Quando da assinatura da Construção no RU da Esquadra de 1910 , no contrato havia uma clausula que oficiais e engenheiro navais brasileiros acompanhariam as Construções , neste tempo , também o Japão encomendou ao Reino Unido a Construção de vários navios e também enviaram ao RU oficiais e engenheiros para acompanharem as construções ,os japoneses colaram nos engenheiros ingleses , e os brasileiros chegando lá , tiraram fotografias em seguida partiram para Paris, ,acompanharam as construções de lá ;o Japão nunca mais construiu seus navios no exterior , enquanto nós estamos comentando aqui se é novo , ou velho… Read more »