Home Indústria Naval Hyundai vai construir duas fragatas para as Filipinas

Hyundai vai construir duas fragatas para as Filipinas

5936
62

2600ton_frigate_for_philippine_navy_-_hyundai_heavy_industries

A Hyundai Heavy Industries (HHI), o maior construtor naval do mundo, anunciou hoje que assinou um contrato para construir duas fragatas de 2.600 toneladas para a República das Filipinas.

A cerimônia de assinatura realizada em Manila, Filipinas, foi assistida pelo Sr. Chung Ki-sol, vice-presidente executivo do Escritório Corporativo de Planejamento da HHI, o Sr. Delfin Lorenzana, secretário de Defesa Filipinas e Sr. Kim Jai- shin, embaixador coreano para Filipinas e outros convidados.

As fragatas são um projeto mais leve que a fragata classe “Incheon” que está agora em serviço ativo na ROKN, adaptadas à exigência da Marinha das Filipinas, com a aplicação optimizada de bons padrões marinhos sob as regras da sociedade de classificação Lloyd Register.

Os navios de 107 metros de comprimento terão propulsão CODAD (Combined Diesel e Diesel) com velocidade máxima de 25 nós. O alcance será de 4.500 milhas náuticas em velocidade de cruzeiro de 15 nós. Os navios de guerra herdarão da “Incheon” a capacidade de sobrevivência, qualidades marinheiras e capacidade de manobra melhorada operável até estado de mar 5.

Serão fortemente armadas com mísseis, torpedos e equipadas com sensores controlados pelo mais recente sistema de gestão de combate. São capazes de conduzir guerra antiaérea, guerra anti-superfície, guerra antissubmarino e Guerra Eletrônica. As fragatas estão programados para serem entregues a partir de 2020.

FONTE: Hyundai Heavy Industries

Subscribe
Notify of
guest
62 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Iväny Junior
3 anos atrás

Não seria muito leve pra uma fragata?

Rick Bittencourt
3 anos atrás

hoje em dia ter uma fragata com padrões compactadas não é mais novidade pois, os gastos com defesa aumentaram em uma época de cortes orçamentários e um nave que atenda as especificações a menor custo (custo/benefício) é mais apropriada nos dias de hoje !

kfir
kfir
3 anos atrás

esta mais para corveta….faltou o preço do contrato,

Bardini
3 anos atrás

https://www.shephardmedia.com/news/defence-notes/philippines-seals-deal-frigates/
.
“This contract for the most advanced vessels the PN has ever operated was signed during a ceremony in Manila. A notice of award worth PHP15.7 billion (US$337 million) for these South Korean-built warships was delivered last month.”

Bardini
3 anos atrás

É uma versão mais simples da FFX Batch-2.
.
Achei interessante a opção por aquele tipo de disposição dos dois Simbad-RC.
Na representação, a Fragata possui o sistema STRALES no seu canhão Oto Melara, será que vai ter mesmo, ou é coisa de maquete virtual?
.
No mais, os filipinos compraram dois Wildcat a pouco tempo, agora já tem um bom navio para usá-los.

Carlos Campos
Carlos Campos
3 anos atrás

queria uma Incheon pra MB, mas o sonho de consumo é uma Type 26

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
3 anos atrás

Realmente um pouco leve, e lento, para uma fragata.
.
O Presidente Duterte das Filipinas faz um discuso puxa-saco pra China e compra armas sul-coreanas ?

XO
XO
3 anos atrás

Interessante… principalmente o arranjo da propulsão… o uso de turbina, pelo menos nos meus tempos de embarque na saudosa V33 foram para dar vento para pouso mono do Lince e pra acompanhar o pessoal da OTAN durante a TAPON 98… fora isso, 2 MCP na linha, casco limpo, chegávamos a 18 nós… mas do que suficiente pra mudança de posto em formatura e guerra AS… abraço…

XO
XO
3 anos atrás

Sorry… “o uso de turbina… foi…”

kfir
kfir
3 anos atrás

Bardini
Obrigado pelo preço do contrato…
.
.
ai 10 corvetas por 1,7 bilhão ta bom ?

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás


Os Chinas não estavam “anexando” as Filipinas ?
Ah, “A Hyundai Heavy Industries (HHI), o maior construtor naval do mundo….”
Fragata ou Corveta ?

Bardini
3 anos atrás

Achei parecida com a SIGMA 10514 PKR, da Indonésia.
.

Rogerio Rufini
3 anos atrás

Deslocamento é mais para uma corveta, queria saber o preço, brasil deve pensar na Tamandarés para mercado latino, afinal pra que serve o mercossul, e os acordos militares, poderiámos criar um joint venture da classe Tamandaré. Paises latinos já devem começar a pensar em novos meios,
Perú, de 6 a 8 unidades
Argentina: de 4 a 6
Perú de 4 a 8
Colombia, de 4 a 6
Brasil de 12 a 20

As tamandarés poderia suprir algumas dessas unidades por ser mais barata

ErichWolff
ErichWolff
3 anos atrás

Custando de largada 450 milhões de reais? Fora o q o sistema vai acrescentar durante a obra?? só se eles forem loucos….. Vê quanto custa essas aí…

Iväny Junior
3 anos atrás

Caros Existem Fragatas leves (como a própria Incheon) e pesadas (o monstro MKS-180, um destroyer eufemizado), porém acredito que com menos de 3k ton fique difícil para um navio fazer tudo que se espera de uma fragata atualmente. Existem exceções, como a Meko 80 (menos de 2k ton) israelense que é um mini-destroyer, porém, o nível de automação e a quantidade de drones armados faz diferença, afora alguns sistemas exclusivos e desenvolvidos por eles. Na acepção da palavra das marinhas mais tradicionais do mundo, essa filhota de Incheon vai ser uma ótima corveta, tanto pelo tamanho, como pelo alcance e… Read more »

Wendell Barreto
3 anos atrás

Após ler a palavra Hyundai seguido de “o maior … do mundo”, é difícil não lembrar do locutor de voz aveludada anunciando os predicados sem fim dos carros da marca em 2011/2012.

Nonato
Nonato
3 anos atrás

Compre duas fragatas e leve um HB 20 de brinde.
Assistência técnica em todo país para sua fragata.

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Iväny Junior, boa noite, assino em baixo com o que escreveu, pra mim quase beira a loucura deixar de comprar essa ai por U$ 168.5 mi (conta de padaria com base no valor de contrato de U$ 337 mi para 2 corvetas de acordo com o link postado pelo Bardini) para gastar cerca de U$ 450 mi em cada Tamandaré, tendo como base que a tamandaré terá basicamente as mesmas caracteristicas dessa ai, se essa mini Incheon batch 2, e ainda garanto que é bem melhor do que a Tamandaré será (se sair), pois é de conhecimento geral a qualidade… Read more »

Nonato
Nonato
3 anos atrás

5 anos de garantia sem limite de km.
A eficiência de um motor de porta aviões russo.
O conforto de um navio de cruzeiro.
O poder de fogo de um cruzador da classe Iowa.
A disponibilidade do nae sp.
Preço de navio chinês.

MO
MO
Reply to  Nonato
3 anos atrás

Cuna cruzador da classe Iowa … eita Nonato … kkkkkk

Nonato
Nonato
3 anos atrás

Tamanho de iate…

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

Nonato,
apresente sua tese de forma técnica.

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

Iväny Junior e Airacobra
Imaginem,
os preços podem ser ajustados na MEKO 80, basta não ser necessário todos “maldades Israeli”, porém muito bem artilhadas, com equipos Italianos, Francélicos, Ingleses, etc … ver a melhor relação custo x benefício nessa montagem. Ótimo casco composto com bom “recheio”.
Mas concordo com os comentários de ambos, aqui nossa MB vai reinventar a roda.
Por isso nunca vai ter $$$$$
++++++++++++++++++++++++
http://defense-update.com/20150511_meko80.html

kfir
kfir
3 anos atrás

pelo preço comprar 10 pagando antecipado com uma multa alta só pra tentar um desconto com alguma atraso…

pareci sim um super yacht, só falta a piscina e a mulherada

Iväny Junior
3 anos atrás

Carlos A Meko 80 israelense saiu por 107 milhões de euros a unidade (fora os subsídios, que abateram mais 113 milhões do contrato total de 430 por 4 unidades), e, essa mini-Incheon sai por 168,5 milhões de dólares. Neste caso em especial, sou adepto da oferta coreana, tanto pelo preço e porte quase equivalentes, quanto pelo equipamento nativo, pois, é bom lembrar que essa Meko israelense saiu tão barata porque a grande parte dos sistemas e armamentos será instalada pelos próprios. Esse preço da oferta coreana pressupõe que o equipamento bélico e sistemas de combate já virão integrados de fábrica.… Read more »

Mauricio R.
3 anos atrás

OFF TOPIC…, mas nem tanto!!!!
.
Modernização do SICONTA nas fragatas classe “Niterói”:
.
“Under Project ‘Phoenix’, the current command-and control suite is to be modernised to the SICONTA Mk2 Mod1 standard, according to a 12 December 2013 contract issued by the navy’s Weapon Systems Directorate. Two land-based systems used for training also will be modernised.”
.
“CONSUB was recently sold by Siem Offshore to Bravo Industries.”
.
(http://www.janes.com/article/64874/brazilian-niter%C3%B3i-class-frigates-to-receive-weapon-system-improvements)
.
PS: Mas aposentar o “Boroc”, nem pensar…

Bardini
3 anos atrás

Se comprassem algo de lá e como “offset” eles entregassem o AMRJ modernizado, sairíamos no lucro…

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

Boa, gostei.

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

Iväny Junior
Amigo, qual é o “recheio” da Koreana ?

Bardini
3 anos atrás

Outro ponto interessante relacionado ao armamento desta Fragata é o seu VLS. Não são dois módulos de Mk-41, mas sim dois módulos do KVLS (Korean Vertical Launch System) que estão integrados a este navio. . Resta saber qual serão os Mísseis adotados pelo comprador. . O coreanos também tem o KVLA (Korean Vertical Launching Anti-Submarine), também chamado de K-ASROC. . A respeito do assunto, para quem tiver tempo e saco, recomento este artigo: “Development of Hybrid Anti-Submarine Weapon Training Simulator Using Component-Based Development Methodology” https://www.sisostds.org/DesktopModules/Bring2mind/DMX/Download.aspx?Command=Core_Download&EntryId=29022&PortalId=0&TabId=105

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Bardini, um dos motivos de eu gostar desses navios sul koreanos (apesar da Inchron batch 1 não possuir) e ter defendido o kdx 2 para o prosuper é porque sempre fui tarado do ASROC, sempre achei uma arma extremamente válida e de reação rapida a uma ameaça submarina que esteja a uma razoavel distancia que necessitaria lançar um heli pra cobrir a distancia e lançar um mk46, enquanto que com o ASROC (ou o saudoso Icara) a reação é imediata. . Posso ser enquadrado (como muitos por aqui dizem) “viuva” dos Garcia, mesmo sem ter tido a chance de servir… Read more »

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Outro detalhe que lembrei é que o lançador do ASROC dos Garcia podia lançar tbm harpoon, capacidade que não foi utilizada na MB, como sempre tudo na MB (ou melhor, Brasil) é subutilizado.

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Bem lembrado Mauricio R., pra quem acha que as Niteroi são eternas, então o que dizer dos boroc?
Creio que mesmo após a baixa das Niteroi a MB vai dar um jeito de deixar os boroc “ativos” em algum outro navio, Tamandaré será? Kkk

Iväny Junior
3 anos atrás

Carlos Imaginando que o armamento seja próximo da Incheon batch 1, e, com os equipamentos já utilizados por eles, temos: Propulsion: (Será CODAD, portanto, pode-se ter 4 MTU das Incheon) CODOG, 2 shafts 2 × MTU 12V 1163 TB83 diesel engine 2 × GE LM2500 gas turbine (Batch I)[1] 1 x Rolls-Royce MT30 gas turbine (Batch II) Speed: 30 knots (56 km/h; 35 mph) (max) 18 knots (33 km/h; 21 mph) (cruising) Range: 4,500 nautical miles (8,000 km) Complement: 140 Sensors and processing systems: SPS-550K search radar Samsung Thales Naval Shield Integrated Combat Management System[2] Electronic warfare & decoys: LIG… Read more »

Bardini
3 anos atrás

Airacobra, também gosto muito do conceito do ASROC. . O dos coreanos é esse aqui, usando o Red Shark: https://www.lignex1.com/eng/product/product01_03.jsp . Se comprassem uma FREMM italiana (como diziam ser a preferida), eu torceria e muito para que viesse o MILAS. Uma combinação entre o UMS 4110, CAPTAS-4, MILAS e SeaHawk traria a MB um vetor no estado da arte na arena ASW, talvez o melhor abaixo da linha do equador. . Confesso que não gosto muito do “KDX-2” para a MB, e creio que podemos ter coisa um pouco melhor, mesmo o modelo coreano sendo um ótimo custo x benefício.

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Então Bardini, é por ai mesmo, mas como o prosuper foi engavetado, e a prioridade agora são as Tamandaré, então as KDX II estão fora de cogitação, agora que entra a questão, que ser vivo em sã consciência preferiria pagar U$ 1.8bi em 4 corvetas nacionais (vão demorar o dobro do tempo para ficarem prontas, além da grande chance de sairem tortas ou meia boca) a pagar U$ 1.65 bi em 10 corvetas dessas iguais a da matéria? Com o detalhe de que as duas classe terão dimensões, deslocamento, e caracteristicas gerais paracidas, pagar mais caro para dizer que foi… Read more »

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Perdão, U$ 1.69bi em 10 corvetas…

Carlos Alberto Soares-Israel
Carlos Alberto Soares-Israel
3 anos atrás

Airacobra 25 de outubro de 2016 at 19:46
Nós,
creio que o Iväni também ….

Bardini
3 anos atrás

Airacobra, é como eu falei antes, se comprassem algo de lá e como offset eles modernizassem o AMRJ, sairíamos no lucro.

Iväny Junior
3 anos atrás

Airacobra e Carlos Exato. EU preferiria 10mil vezes estas corvetas mini-Incheon, as fragatas Incheon, 4 destróieres KDX-II (apelidado de mini-aegis na OTAN), 2 Makassar e 2 Juan Carlos I ou Izumo capazes de operar aeronaves VSTOL. FREMM, F-100, F-124, F-125, Type 26, MKS-180, Horizon, Type-45 e até o Kolkhata são ótimos vetores, negócio de ponta pra quem tem cacife de comprar e manter. Os vetores coreanos mencionados tem a mesma qualidade (motores MTU-Siemens-GE e armamentos compatíveis com o padrão OTAN), menor capacidade física, porém, custos operativos muito baixos, divulgados também por seus operadores. O salto de capacidade em relação ao… Read more »

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Perfeito Bardini, mas lembro que na decada passada os sul coreanos nos ofereceram uma belo pacote com as KDX II, modernização do AMRJ e 10 corvetas classe Pohang de brinde, mas na época se não fosse Francês não servia.

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás
Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Assino em baixo Iväny Junior

XO
XO
3 anos atrás

Eu estava no ComemCh quando bateu essa proposta… era perfeita… daria uma longevidade para a Esquadra… permitiria a baixa gradual de Navios sem perda da capacidade operativa da MB… e resolveria parte do problema do AMRJ…

Professor
Professor
3 anos atrás

Bosco, Sem querer explorar você, mas já explorando, quero aproveitar seus ótimos conhecimentos técnicos para aprender e refletir sobre nossas Forças Armadas. Qual a sua opinião sobre a Marinha do Brasil nas seguintes questões: 1- Vale a pena investir nesse tipo de fragatas? se não, qual seria outra opção que o Brasil tem? O que você faria, a curto prazo, em relação à Marinha? 2- O que você acha sobre a manutenção ou modernização do São Paulo? vale a pena? eu tenho uma opinião meio polêmica, porque acho que o São Paulo é útil sim contra os possíveis inimigos que… Read more »

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Boa tarde XO, torci muito naquela época para que esse negocio fosse fechado, mas é aquela velha história para o GF da época se não fosse francês (ou o mesmo padrão de pixulecos) não servia, e como os coreanos não trabalham com esse modus operandi então a proposta não vingou, independente de ser atrativa financeira e estrategicamente para a MB, hoje sofremos com os frutos da má gestão anterior, que acreditou cegamente no conto de fadas do PAEMB.

Iväny Junior
3 anos atrás

Airacobra

Não sabia dessa ocasião. Uma grande oportunidade perdida, lamentável.

Maionese bad-trip since always.

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

XO, nessa época eu estava no Ceará, que já havia entrado na funerária para embelezamento (PMG) para o velorio (Alguns dias de mar) e posterior enterro (baixa).

kfir
kfir
3 anos atrás

Alguém na marinha tem de ser demitido, é muito erro de estratégia , pelo menos temos um preso… . . http://www.naval.com.br/blog/2008/11/19/coreia-oferece-navios-ao-brasil/ O presidente da República da Coréia, Lee Myung-bak, chega ao Brasil trazendo na bagagem uma oferta para a Marinha. A Hyundai, que além de montar carros é um dos cinco maiores construtores mundiais de navios, quer construir no Rio de Janeiro quatro destróieres da classe KDX2 — embarcações extremamente bem armadas e equipadas, que deslocam 5.200t — ao custo unitário de US$ 420 milhões. Como atrativo extra, ofereceram a doação de 10 pequenas corvetas da classe Pohang, de 1.200t.

Iväny Junior
3 anos atrás

kfir

Comentei na matéria original e vou colar aqui, só pra fomentar o assunto. Essa bad trip de maionese tem que parar um dia!

Bem meus amigos

Ler isso aqui agora, depois de um lembrete do Airacobra em outro tópico, é coisa que muito me entristece.

Vejam bem a oportunidade que a marinha perdeu: por 1,68 bilhão de dólares viriam 4 destróieres mini-aegis e 10 corvetas leves e fortemente armadas.

Enquanto isso se entubava um famoso insubmersível por 1 bilhão de euros a unidade.

Parabéns aos envolvidos.

Airacobra
Airacobra
3 anos atrás

Agora vejamos Iväny Junior e Kfir, 8 anos se passaram e hoje temos uma esquadra com somente 12 escoltas e praticamente somente metade operando “eficientemente”, culpa de quem? Com a palavra o Juarez