Home História O fracasso do Programa de Submarinos da Argentina

O fracasso do Programa de Submarinos da Argentina

14854
65
Submarinos argentinos TR 1700 (à esquerda na foto) que tiveram sua construção interrompida continuam armazenados

A Argentina ainda tem dois submarinos guardados em um armazém esperando por um destino final


Por Jennifer Perez Olivera

Atualmente, a Argentina tem dois submarinos semi-acabados armazenados em um armazém à espera de um orçamento e uma decisão política que não chega. Foi na década de 1970 que a Argentina iniciou um ambicioso projeto de modernização naval que previa a construção de até oito submarinos.

Assim, juntamente com a Alemanha, a Argentina fechou as negociações de cooperação sobre a montagem para seis submarinos TR 1700, dois dos quais chegaram prontos da Alemanha, enquanto o resto seria construído inteiramente no país. Os quatro submarinos foram entregues por Howaldtswerke-Deutsche Werft da Alemanha (HDW) ao estaleiro Domeq Garcia — o único estaleiro de submarinos da época em toda a América Latina — em 1984 e 1985.

Infelizmente, o projeto foi cancelado na década de 90, sob a presidência de Carlos Saul Menem, causando o fechamento das instalações e a interrupção total da construção dos quatro submarinos. No entanto, dois dos submarinos apresentavam um alto grau de progresso, o ARA Santa Fe (S-43) e ARA Santiago del Estero (S-44).

A construção da ARA Santa Fe (S-43) foi suspensa em 1994 e foi estimada em até 74%. Da mesma forma, continua a agitar a ideia dentro do Ministério da Defesa para continuar com a reconstrução dos submarinos e equipar um deles com um reator nuclear. De acordo com especialistas, o candidato ideal para liderar este projeto seria o ARA Santa Fe, embora se estime que o custo do término seria de cerca de 60 milhões de dólares.

O trabalho seria realizado em colaboração entre o Ministério da Defesa, responsável pela reconstrução do navio e pela CNEA (Comissão Nacional de Energia Atômica), encarregado da tarefa de adaptar um reator de tamanho médio CAREM ao submarino.

Por outro lado, há também o ARA Santiago del Estero (S-44), que se estima ter um percentual de adiantamento de 35% e também se tentaria reconstruir. Atualmente, a Marinha da Argentina tem o ARA San Juan, ARA Santa Cruz (TR 1700) e ARA Salta (Type 209).

Os esqueletos dos dois submarinos não terminados não deixam de ser um chamado para todo o espectro político argentino, que mantém seu desinteresse e ignora os verdadeiros benefícios de ter sua indústria naval ativa. Ambos os submarinos projetariam não apenas os benefícios em termos de empregos, mas também aumentariam as capacidades tecnológicas em um mercado global que inveja esse tipo de expertise.

No entanto, tanto o Santa Fé quanto o Santiago del Estero esperam, inacabados, um apoio que não parece querer aparecer.

Um dos dois submarinos TR-1700 argentinos atualmente em operação. O programa previa a entrega de oito submarinos

FONTE: www.zona-militar.com

LEIA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
65 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Glasquis 7
2 anos atrás

Um país deve conhecer e aceitar as suas limitações.

Joao davila
Joao davila
2 anos atrás

Eu quero novidade!

Fábio Mayer
Fábio Mayer
2 anos atrás

A miopia dos governantes latino-americanos é muito pior que uma doença…

AL
AL
2 anos atrás

Qual seria a diferença entre esses TR 1700 e os U-209?

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Todos estes problemas poderiam ter sido evitados se o Governo Argentino não tivesse escolhido produzir um Submarino francês… Não, pera…

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 anos atrás

O Brasil tá com sério risco de acontecer o mesmo!

Dalton
Dalton
2 anos atrás

A “farra” acabou definitivamente com a derrota nas Falklands que imediatamente conduziu à
Argentina à democratização…menos “brinquedos” para às forças armadas.

EParro
EParro
2 anos atrás

Dalton 11 de setembro de 2017 at 13:34

Aliás, depois das Malvinas, eles não conseguiram mais nada de armamento ocidental.

Forte abraço

Jessé
Jessé
2 anos atrás

AL, os TR-1700 foram inicialmente desenvolvidos para “superar” os Tipo-209, a primeira diferença é o deslocamento TR-1700, chegam a deslocar 2336 toneladas submerso o Salta desloca 1200 toneladas(209-1200), eles eram bastante avançados com sistema de recarga de torpedos automático.
o poder naval tem um texto interessante sobre eles.
http://www.naval.com.br/blog/2008/12/16/100-anos-de-submarinos-alemaes-parte-4/

sub-urbano
sub-urbano
2 anos atrás

“Infelizmente, o projeto foi cancelado na década de 90, sob a presidência de Carlos Saul Menem, causando o fechamento das instalações e a interrupção total da construção dos quatro submarinos. No entanto, dois dos submarinos apresentavam um alto grau de progresso, o ARA Santa Fe (S-43) e ARA Santiago del Estero (S-44).” – Não duvido que todos esses governos do cone sul, no inicio dos anos 90, foram uma ação bem sucedida da CIA para a desmilitarização dessa região. Lembram do Collor e o Buraco de Cachimbo? – Não duvido que tudo tenha sido orquestrado. CIA, KGB, MI6, esses caras… Read more »

Marcos Andrey
Marcos Andrey
2 anos atrás

AL 11 de setembro de 2017 at 13:18

Apesar do projeto do U-209 se tornar um grande sucesso no mercado internacional, especialmente na America do Sul. O projeto da Thyssen Nordseewerke visava superar o U-209. A classe TR-1700 foram os maiores submarinos construídos na Alemanha desde a Segunda Guerra Mundial e ficaram entre os mais rápidos submarinos diesel-elétricos do mundo.

Contagem regressiva para aparecer um maluco perguntando pq o Brasil não aproveita a oportunidade e compra esses dois dos hermanos!

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

Eparro, Menem aproximou a Argentina dos EUA e até mesmo do Reino Unido, tanto que participou da Guerra do Golfo. Ademais, Clinton incluiu a Argentina na lista “Major non-NATO ally (MNNA)”, sendo o único país latino-americano da lista, que concede benefícios no acesso ao FMS. Nem Chile, nem Colômbia, muito menos o Brasil são. Fato é que a Argentina não comprou nada mais por falta de dinheiro – e depois pelo esquerdismo da família K. – do que propriamente por boicotes. Nos anos 90, teve a modernização dos A-4 pela LM que chegou a “comprar” a FadeA. Mas o número… Read more »

helio
helio
2 anos atrás

Marcos Andrey 11 de setembro de 2017 at 15:13

Rindo até agora……

Helio
Helio
2 anos atrás

sub-urbano 11 de setembro de 2017 at 15:08

“Não duvido que todos esses governos do cone sul, no inicio dos anos 90, foram uma ação bem sucedida da CIA para a desmilitarização dessa região. Lembram do Collor e o Buraco de Cachimbo?”

Meu caro sub-urbano, acho que nem precisa de tanto. A soma da incompetência com o viés ideológico míope e equivocado (estou sendo educado) faz tanto estrago que um “inimigo” nem precisa se dar ao trabalho de fazer qualquer coisa…..

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

“Um país deve conhecer e aceitar as suas limitações.” Esta frase coincide muito bem com a mentalidade de vira-latas vigente no Brasil. Um país não deve dar passos maiores que as pernas mas deve procurar superar suas limitações sempre que possível. Não considero errada as ambições argentinas nesse finado programa de submarinos pois o que o matou não foi apenas os elevados custos do projeto mas a crise econômica e política na qual a argentina mergulhou durante os últimos anos do seu regime militar. Após os anos de chumbo e a derrota nas Malvinas as forças armadas caíram em desgraça… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Errados Gustavo e GGlasquis 7
_________________________

Os Argies já desenvolviam Tec Nuc antes que nós.
Sua Armada no passado foi mais completa que a nossa.
Sua FA e Ex também.
___________________________

Afundaram, antes que nós.
___________________________

Tema tópico:
Lá e breve cá.
Teremos novidades daqui a pouco, o Italiano e o Margarina vão vomitar ….

romário
romário
2 anos atrás

Colonias não devem desenvolver submarinos, Talvez possam comprar sucatas. Viva a Má-çonaria.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
2 anos atrás

Ah tá que com US$ 60 milhões se termina os 26% restantes de um submarino há décadas parado. Uma das coisas que mais me revolta nesse tipo de reportagem são esses valores irreais, como se fosse barato retomar uma indústria parada há décadas, com mão de obra perdida, equipamentos obsoletos, falta de peças e etc. Aqui no Brasil também os “especialistas” costumam estimar os valores dos programas nacionais em valores irreais e muito abaixo do que efetivamente acaba sendo gasto. Aí se tem a impressão de que foi superfaturado (em regra também é, mas mesmo que não fosse, o valor… Read more »

Tamandaré
Tamandaré
2 anos atrás

Tem que avaliar se a estrutura do Santa Fé está com um mínimo de conservação pra compensar a finalização. Tem que analisar também se há meios financeiros/intelectuais/industriais para de fato terminá-lo. E os sistemas?? Vai ter que botar coisa mais atual né? Mas o sub foi projetado para colocar aqueles equipamentos mais antigos…. não são mais fabricados, tem que trocar por substitutos mais recentes…. vai caber? Vai ter que mexer muito na estrutura?

Esse outro submarino (Santiago Del Estero) tá meio atrasado, tendo só 35% construído. Esse aí acho que nem precisa fazer conta nenhuma…..

André Luiz.'.
André Luiz.'.
2 anos atrás

romário 11 de setembro de 2017 at 17:41
Estou admitindo que o comentário foi feito com pesada tinta de ironia. Mas o quê diabos a “Má-çonaria” possa ter a ver com isso?! Por acaso o comentarista atribui a derrocada da capacidade das FFAA argentinas (e, por extensão, das FFAA brasileiras) a ‘complôs orquestrados pelas Potências Maçônicas’ (de qual país?…). Isso está mais para trama de um romance de Dan Brown! …
Cordialmente

Jeff
Jeff
2 anos atrás

SUSTO!!!
Juro que quando eu coloquei os olhos na chamada da matéria, achei que era o Prosub.
UFA!!!

Barros
Barros
2 anos atrás

Tenho uma Dúvida se compartilhar armanento e construção conjunta na América latina é permitido,apenas para reforçar laços de amizade e interesses comerciais?baratear custo de tecnologia.

Jeff
Jeff
2 anos atrás

Helio, assino onde?
.
“A soma da incompetência com o viés ideológico míope e equivocado (estou sendo educado) faz tanto estrago que um “inimigo” nem precisa se dar ao trabalho de fazer qualquer coisa…..”

Salomon Weetabix
Salomon Weetabix
2 anos atrás

1-Conseguem ser piores do que nós.
2-““A soma da incompetência com o viés ideológico míope e equivocado (estou sendo educado) faz tanto estrago que um “inimigo” nem precisa se dar ao trabalho de fazer qualquer coisa…..”
Falou e disse.

Ralfo Penteado
Ralfo Penteado
2 anos atrás

Aqui sabotaram a indústria aeronáutica espacial detonando os quarenta melhores em Alcântara. A indústria nuclear o temer acerta a pá de cal. O submarino sempre postergado desde 1985, o dia que boiar já afundou. Eleva-se a alta natalidade e longevidade de facínoras e dos parvos que os elegem.

Conde rui
Conde rui
2 anos atrás

O que espanta é um país com graves fragilidades na dua economia ir empatar dinheiro na compra de 8 submarinos. A tropa quer é brinquedos novos e ousados e o resto não interessa… O povo que se lixe, “quem manda é quem pode” e o resto é tretas da reacção…

Ze Abelardo
2 anos atrás

Os inimigos imaginários de sempre: CIA, maçonaria, marcianos…

Melhor economizar nos subs e reforçar a dose de gardenal.

Ze Abelardo
2 anos atrás

“sabotaram a indústria aeronáutica espacial detonando os quarenta melhores em Alcântara”

Gentileza apresentar as provas da sabotagem.

“A indústria nuclear o temer acerta a pá de cal.”

Gentileza apresentar as provas de que o governo colocou pá de cal na indústria nuclear.

Ze Abelardo
2 anos atrás

Ralfo Penteado,
Gentileza apresentar qualquer prova da suposta sabotagem ou de que o governo tenha jogado pá de cal na indústria nuclear.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
2 anos atrás

Já que os argentinos não conseguiram armamentos ocidentais, deveria ter partido para os armamentos russos, chineses e uma produção própria, como forma de alavancar a sua combalida economia e dinamizar a sua produção industrial. A questão toda é de decisão política, força de vontade dos governos. Nações com menor capacidade econômica que a Argentina e o Brasil, demostram infinita maior capacidade. Esses políticos corruptos, demagogos latino americanos (nem todos) estão sempre cuidando dos seus próprios interesses, o povo e a nação que espere…

André Luiz.'.
André Luiz.'.
2 anos atrás

Ze Abelardo 12 de setembro de 2017 at 10:21 Até hoje existe esta lenda de que o trágico acidente de Alcântara tenha sido causado por sabotagem de ‘potências estrangeiras’ que não queriam que o Brasi desenvolvesse tecnologia espacial… Mas, como bem lembra o amigo, não há qualquer prova disso. Se pararmos para pensar (não custa o esforço!), vamos lembrar que na base de Alcântara se armazenava combustível de foguetes — material altamente explosivo — e que, como qualquer outra situação que envolve riscos, basta que se diminua o orçamento destinado à ações de SMS para criar condições ideais para um… Read more »

Airacobra
Airacobra
2 anos atrás

Lambram de um comparativo que fiz da crise da ARA da decada de 90 com a crise que a MB sofre hj? Um porta avioes parado cada Submarinos em construção em um estaleiro novo Aviões embarcados sem PA pra operar Entre outras semelhanças. A grande diferença é que quando do inicio da crise deles eles tinham fragatas e corvetas novas em operação (que seguraram o piano ate hj), enquanto a media de idade de nossas escoltas é de mais de 30 anos algumas com mais de 40 anos. Só temos que ficar na torcida pra não ocorrer o mesmo com… Read more »

Juarez
Juarez
2 anos atrás

Air Cobra, o Tic tac do Prosub está ligado….o “nuc tuc” já era, só não foi alardeado, ese fizerem os dois primeiros diesel elétricos pode começar a ir de joelhos até a catedral de sua cidade.
Não se esqueça meu amigo, o Imperador não deixou pedra sobre pedra…..

G abraço

Ze Abelardo
2 anos atrás

André Luiz,
Isso mesmo, André. Já ocorreram diversas tragédias com foguetes por falhas técnicas. O tortuoso programa brasileiro foi o único sabotado.

Adriano R.A.
Adriano R.A.
2 anos atrás

Se poupássemos 10% do que gastamos com o pagamento de juros da dívida no ano passado, teríamos 40 bilhões de reais para modernização das forças armadas…. Daria um bom caldo… Com 100% teríamos um orçamento militar próximo ao da China. Não custa sonhar.
Saudações.

Gilson Moura
Gilson Moura
2 anos atrás

Adriano R.A. 12 de setembro de 2017 at 22:57 Não tem como poupar o pagamento dos juros, porque simplesmente NÃO ESTAMOS PAGANDO OS JUROS COM DINHEIRO DE IMPOSTOS, E SIM COM EMISSÃO DE MAIS TÍTULOS PÚBLICOS. O governo não paga bilhões aos credores da dívida porque desde 2014 estamos tendo déficit primário, o pagamento de juros é com o superávit primário. http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-07/governo-central-registra-maior-deficit-primario-da-historia-no-primeiro Mas eu tenho uma solução para você, vamos dar um calote. Simples assim, aí o governo teria dinheiro para bancar todos os projetos militares e sociais, pelo menos essa é a tese dos canhotinhas. Então, vamos fazer. Vamos… Read more »

Glasquis 7
2 anos atrás

Gustavo: “Esta frase coincide muito bem com a mentalidade de vira-latas” Não meu amigo. Esta frase coincide com a realidade ególatra do argentino que, considera a si mesmo, invulnerável, superior e principalmente Brilhante ante todo e ante todos. Ser capaz de construir não é algo apenas inerente à sua capacidade tecnológica mas, e principalmente, é inerente às suas capacidades em conjunto e isto quer dizer que precisa ter capacidade industrial, econômica e o mais importante, humana. A Argentina, impulsionada pelo seu ego enceguecedor, sonhou com ser potencia y assim se autoproclamou como tal, longe ainda de serlo, carregada pela fantasia… Read more »

Glasquis 7
2 anos atrás

Carlos Alberto Soares
“Errados Gustavo e GGlasquis 7”
Volto a dizer, Argentina caiu atropelada pelo próprio ego e nada mais. E isso é uma constante na sociedade argentina. Acharam que ter dinheiro e indústria seriam suficientes pra se tornar potência e falharam ao se sentir capazes de se transformar em potência da noite pro dia, investindo desordenadamente em diversas áreas dissipando o foco e inchando o ego da população (que desde já nunca foi pequeno) ao ameaçar com guerra a seus “fracos” adversários.

Bavaria Lion
2 anos atrás

Sugiro não rir muito, afinal, coisa parecida ou pior vai acontecer por aqui.

Somente por que 2 desses submarinos ainda navegam, mergulham, operam…

Depois de 10 anos, nenhum insubmersível irá operar minimamente como deveria. Talvez porque o periscópio optrônico saia de linha de produção e o “cliente” seja obrigado a comprar um novo em folha, chiquérrimo, ao preço de um “assento com encaixe por trás” bem grande.

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Bavaria Lion 13 de setembro de 2017 at 1:59 “Depois de 10 anos, nenhum insubmersível irá operar minimamente como deveria. Talvez porque o periscópio optrônico saia de linha de produção e o “cliente” seja obrigado a comprar um novo em folha, chiquérrimo, ao preço de um “assento com encaixe por trás” bem grande.” . Sempre nessa… . Quem selecionou o Serie 30 SMS então esta na mesma M. de situação: Chile, Índia, Malásia, Brasil, França, Suécia (overhaul dos Gotland e futuramente A26), Korea (Futuro KSS-III). . Daqui 10 anos, quem não vai mais operar são os nossos IKL, que terão… Read more »

Bavaria Lion
2 anos atrás

Bardini Convém você dar uma olhada na vida operacional útil dos U-209. Os nossos são os mais “novos” afora as encomendas dos anos 2009/10 (Egito, Turquia e Indonesia, a ultima encomenda vendida pela própria Coreia do Sul, retransferindo tecnologia a propria indonesia no ultimo submarino). Ademais, submarino de verdade tem uma vida útil muito extensa. A Colômbia comprou o U-206 recentemente, o Chile vai modernizar os dois (e veja só, cancelou dois insubmersíveis), e até um U-209 peruano já colocou um NAe ianque no periscópio sem ser detectado (exercícios, claro). Então, pelo histórico (os do chile operarão até 2030), é… Read more »

Dalton
Dalton
2 anos atrás

O Chile simplesmente não tem “plata” para dois novos submarinos então a coisa certa a fazer
é revitalizar os antigos e de fato há submarinos com vidas bastante longevas até porque passaram muito tempo sendo “poupados” em longas modernizações/revitalizações e não
emergindo e imergindo que são responsáveis pelo maior desgaste.
.
Há histórico de submarinos franceses sendo mantidos em serviço por mais de 40 anos também
depende se a marinha em questão tem interesse ou não.

Glasquis 7
2 anos atrás

Bavaria Lion “o Chile vai modernizar os dois (e veja só, cancelou dois insubmersíveis)” ??? Cancelou como se nem mesmo fez pedido? aliás, não fez nem concorrência. Como se cancelam dois submarinos que não foram pedidos? Dalton Qual foi o General chileno que deixou vazar essa tão importante informação de que o Chile não tem “Plata” pra dois subs? Até onde tenho entendido, as FFAA o Chile tem um financiamento direto pra renovação do seu material e se calcula que este fundo esteja em mais de UD$ 8 bi. Será que não dá pra comprar um par de susbs com… Read more »

Bavaria Lion
2 anos atrás

Teste

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Os Chilenos já estão se mexendo para comprar 2 novos submarinos, coisa pra 2020… Querem trocar os 209 lá por 2025.

Glasquis 7
2 anos atrás

Bardini,

Justamente, a ARCh a caba de concluir o informe sobre as exigências técnicas dos próximos navios da sua frota silenciosa e espera concluir os requerimentos específicos em 2020. Até o final desse ano deverá ter fechado o contrato e espera receber as novas unidades em 2025.
Os U 209 serão modernizados pra estarem aptos até 2027/30 caso ocorrer algum imprevisto na entrega já que no passado ficou operando com apenas uma parte da sua frota por contratempos na entrega.

Bavária Lion
2 anos atrás

Comentários presos. Glasquis, o Chile não exerceu a opção de compra, nisso eu contei o cancelamento. Quem cancelou de fato foi a Espanha.

Bavaria Lion
2 anos atrás

Comentários sobre o programa brasileiro em paralelo continuam presos. Tem um link da defense news onde os franceses afirmam já ter recebido 4.1 bilhões de euros do total de 6.7, o que vai de encontro ao publicado pela marinha e orgãos competentes no brasil.

Porque esse comentário tá retido?

Bavaria Lion
2 anos atrás

Chamam o rafale de jaca, a kombi de kombi (uma falta de respeito com o VW), mas mexeu com o insubmersível as coisas começam a ficar estranhas.
O f-35 de orquinha, o F-18 de super lobby, o Mig-29K-iu, um monte de referencias bem humoradas, mas mexeu com o insubmersível…

Dalton
Dalton
2 anos atrás

Glasquis… . não encare meu “falta de plata” como algo ofensivo…a realidade é que será muito mais barato revitalizar dois submarinos antigos que adquirir dois novos…não é preciso ouvir isso de um “General”…é corriqueiro e todo mundo está mantendo navios/submarinos antigos por mais tempo devido à falta de recursos…até a US Navy irá extrair todo o possível de suas unidades de superfície já que seus submarinos sendo de propulsão nuclear estão restritos à algo como 33/35 anos de vida útil. . Li recentemente que a marinha do Chile deseja equipar seus submarinos com mísseis de cruzeiro para ataque terrestre…ou seja…apesar… Read more »