Home Marinha do Brasil Vídeo: PHM Atlântico A140 nos estágios finais de preparação para incorporação à...

Vídeo: PHM Atlântico A140 nos estágios finais de preparação para incorporação à MB

19533
76

O canal Warship TV do Youtube disponibilizou hoje outro vídeo do Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) Atlântico (ex-HMS Ocean) na Base Naval de Devonport, Plymouth, no Reino Unido.

Desta vez o vídeo mostra o navio por boreste (lado direito), com a rampa traseira de veículos aberta e muitos outros detalhes.

O navio, que será incorporado à MB na próxima sexta-feira – 29 de junho, foi adquirido por £ 84 milhões e está sendo adaptado e reparado pelas companhias Babcock e a BAE Systems para a transferência à Marinha do Brasil.

O PHM Atlântico depois da incorporação passará pelo Flag Officer Sea Training (FOST), um programa da Royal Navy que provê o treinamento operacional no mar para todos os navios de superfície, submarinos e auxiliares, sendo ministrado por uma dedicada equipe de especialistas da Marinha Real.

A chegada do PHM Atlântico ao Brasil está prevista para meados de agosto.

76
Deixe um comentário

avatar
31 Comment threads
45 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
43 Comment authors
Roberto BozzoAlex NogueiraBuenoCarlos Alberto SoaresNivaldo Vasconcelos Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
José Luiz
Visitante
José Luiz

O que me chamou a atenção é que várias antenas foram removidas, provavelmente sistemas da OTAN, acredito que de comunicação via satélite e de guerra eletrônica. Comparando os mastros do navio no vídeo com as fotos de antes fica fácil visualizar a falta de vários equipamentos. Mas estou no aguardo da análise do Poder Naval.

Andrew Martins
Visitante

Eu vou pergunta porque acredito que mais pessoas ficaram curiosas assim como eu rs. Mas aqueles 5 Bandvagn 206 no vídeo foram comprados também e vão vir no translado com o navio?

Bardini
Visitante
Bardini

BvS10

Andrew Martins
Visitante

Grato pela correção!

Bardini
Visitante
Bardini

Agora que fui olhar mais pra esses blindados… Não são os BvS10 novos não, me enganei. São os velhos Bandvagn 206 mesmo.
.
O CFN tem um que é equipado com radar… Não sei se aquilo ainda está operacional.
Vai ver acharam esses aí sobrando em algum lugar por lá…

willhorv
Visitante
willhorv

São aquisições estes BvS10? Novos? E vão atuar como?
E….cá pra nós….parece um navio zero kilômetro!!!

Ney Jorge Hitos Ferreira
Visitante
Ney Jorge Hitos Ferreira

Os veículos que estão ao lado do navio vem junto?

Lucas Schmitt
Visitante

Realmente, várias antenas foram tiradas, percebe-se vários suportes metálicos vazios, onde elas ficavam antes. Uma pena. Pelo menos o Artisan e os canhões de 30mm permaneceram.

Bardini
Visitante
Bardini

E as LCVP Mk5 que falaram que iria vir?

Vovozao
Visitante
Vovozao

Continuo achando a compra muito boa, de ante mão não sabemos realmente o que foi retirado, porém, mesmo com estas retiradas na A do Sul, será a nave mais importante, acho que estamos no caminho certa, navio imponente, outra pergunta de um leigo: como estarão várias autoridades tanto Brasileiras como do R U, não seria possível já iniciar as tratativas para o Wave???

Juarez
Visitante
Juarez

Não sei se os meu olhos me traíram, mas tem um FLIR e uma EO, ou duas EOs no topo da ponte de comando.
Alguém confirma?

Bardini
Visitante
Bardini
Vinícius Stivanelli de Moraes
Visitante
Vinícius Stivanelli de Moraes

Também contei 3 FCEO, mas acho que deve ter 4 no total, dois na popa (perto da onde ficavam os Phalanx) e dois no topo da ponte de comando.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

O que será que há debaixo da “tenda” branca na proa, no local onde ficava o CIWS?

Maverick
Visitante
Maverick

Por enquanto… Pastel e Caldo de Cana… rss.

Sérgio Araujo
Visitante
Sérgio Araujo

Galera, por acaso aqueles veículos que estão ao lado do navio virão junto?

Jr
Visitante
Jr

Eu acho que não, mas esses veículos BvS 10 estavam na lista de coisas que a Royal Navy iria se desfazer.

Maverick
Visitante
Maverick

Pastel e caldo de cana. rss.

Fabio
Visitante
Fabio

Eu não vi antena do radar Artisan, foi retirada?

Mk48
Visitante
Mk48

Lá vamos nos outra vez com a novela mexicana do Artisan……….

Não foi retirado.

USS Montana
Visitante
USS Montana

E as escoltas, quando virão? Kkk…

Pablo
Visitante
Pablo

Senhooor, dai-me forças

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

A antena do rotativa do Artisan,está lá,e no local da ancora parece que foi colocada uma manta espessa,pois está destacada da chapa lateral do casco.O que pode ser?

MateusPeruibe
Visitante
MateusPeruibe

Esse navio parece 0km…muito bonito!

Osório
Visitante
Osório

Pessoal, vou dar uma viajada na maionese (ou não) :

Seria possível adaptar a plataforma de lançamento de foguetes (Ou desenvolver outra) do Astros Mk6 no PHM Atlântico para lançar o missil de cruzeiro MTC-300 em alvos baseados em terra ?

Bardini
Visitante
carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Com o detalhe que em sendo um navio anfibio de conves corrido e elevador, qualquer equipamento MRLS pode ser empregado diretamente do convés.

Esta é a grande vantagem de conceitos similares.

Em poucos minutos, uma bateria completa pode atuar no conves, quer seja de misseis, foguetes ou artilharia de boca, ser desmobilizada, descer conves pelo elevador e ser desembarcado para nova mobilização e posição de fogo.

Maverick
Visitante
Maverick

Segundo informações divulgadas pela própria AVIBRAS sobre a Plataforma Giro Estabilizada – equipamento que será apresentado na RIDEX – a “plataforma será a base para o SLDM (Sistema de Lançamento de Despistadores de Mísseis), único Sistema de Armas Brasileiro incluído nas corvetas da Marinha do Brasil. Trata-se de um projeto estratégico dentro dos programas de desenvolvimento do IPqM (Instituto de Pesquisas da Marinha). O produto possui potencial para novos negócios, pois serve como base para o Sistema de Armas Navais, como por exemplo, o ASTROS embarcado com o Míssil AV-TCM Mar?Solo e Mar?Mar.” Ou seja, já há a previsão de… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

Não é um navio de esquadra, mas somente um navio auxiliar, como tal vem com equipamentos de um navio auxiliar, ainda temos a necessidade da Royal Navy de peças e equipamentos que devem ser transferidos para outros que ficam, se tudo der certo a MB deverá ter um belo transporte para apoio anfíbio, mas necessitando de equipamentos que vão ser transferidos do São Paulo entre outros que ja estão parados no AMRJ para isso.

Dalton
Visitante
Dalton

O “Ocean” agora “Atlântico” não é um “navio auxiliar” e sim um navio cuja principal função é a “guerra anfíbia”, mas pode operar mesmo que de forma limitada em outras funções como “guerra anti submarina”.
.
Um “navio auxiliar” seria mais propriamente um “navio de apoio logístico” por exemplo.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Discordo. Não será apenas um navio auxiliar.
Será a nau-capitânia de um GT.
Com Seahawks e H225M tem uma baita capacidade antissubmarino e antinavio. Basta colocar os Simbad do NAeSP e mais alguns canhões para ele ter alguma proteção antiaérea que terá condições de cumprir suas missões.
Não se esqueça que até alguns meses atrás ele era a nau-capitânia da RN, que estava/está/estará muito a frente da MB em todos os aspectos.

Mk48
Visitante
Mk48

Navio auxiliar ?!

Oi?!

O Atlântico será o principal navio e capitania da Esquadra.

Marcelo
Visitante
Marcelo

Gostaria de deixar bem claro aqui que existem muitos Marcelos e que a opinião pessoal de um não necessariamente reflete a dos outros :). Eu considero a vinda do Atlântico como a melhor compra de ocasião feita pela MB na história* (Comparável ao Minas) pelo que vai representar de novas doutrinas de operação para a força.

*contanto, claro, que ele não venha a ter problemas que restrinjam precocemente a sua operacionalidade

Marcelo Zhanshi
Visitante
Marcelo Zhanshi

Assim como o segundo Marcelo sem nome, eu, o Marcelo Zanshi, também me manifesto favoravelmente à compra do Atlântico e não concordo que ele seja “apenas” um navio auxiliar.

Essa confusão de Marcelos está complicada. kkkkkkk

Marcelo
Visitante
Marcelo

Espero que a MB abra à visitações, com acesso ao hangar e ao convoo.

USS Montana
Visitante
USS Montana

Os dedos coçando pra tirar fotos dele aqui quando chegar. 🕝 🕞 🕟 🕠

Diplomata92
Visitante
Diplomata92

Olha só o fato dele vim já está ótimo !
Só uma curiosidade
http://www.naval.com.br/blog/2012/09/17/mod-do-reino-unido-coloca-a-venda-15-sistemas-goalkeeper-de-30-mm/
Será que todos foram vendidos ? Por que eu não encontrei nada sobre esses sistemas depois que foram colocados à venda
Só um chute e de dedão!
Mais já pensou que a Royal navy rã MB podem ter entrado em um acordo ?
Seria muito complicado sua substituição ?

Marcelo
Visitante
Marcelo

Vai que eles já foram adquiridos e instalados e estão agora escondidos debaixo das “tendas brancas” , só esperando uma grande revelação na sexta…
Ou então são barraquinhas de pastel e caldo de cana mesmo 🙂

Diplomata92
Visitante
Diplomata92

Marcelo você deu uma boa idéia kkkk
Olha se alguém chutar a altura das tendas é só comparar !
Não sei si esses dados estão certos mais
Olha aí
3.71 m (above deck) 6.2 m (including deck penetration).
Creio que só o fato ter que ser penetrada no deck já tira 50% da possibilidade de realmente ter um goakeeper ali.aliem. baixo !

Diplomata92
Visitante
Diplomata92

Ali ***

Marcelo
Visitante
Marcelo

Comparando esse vídeo com imagens da semana passada da pra ver q tb tinham “barracas de caldo de cana” nas posições de proa dos phalanx tb. As mesmas agora foram retiradas e não tem nadinha lá. A de proa porém permanece… então, pra quem
gosta de fantasiar as coisas, ainda tem uma chance…

Marcelo
Visitante
Marcelo

*as de popa saíram, a de proa permanece

marcelo
Visitante
marcelo

caro Diplomata, desculpe se soou ofensivo o “fantasiar”. não quis falar de forma pejorativa e tampouco estava me referindo especificamente a vc.
de qq forma, voltando a nossa “improvável teoria”, aparentemente a tenda tem no máximo a altura de 1 deck (aquele vinco na ilha do Atlântico parece ter 2 decks de altura e aparentemente tem o dobro da altura da tenda). isso significa q a tenda teria no máximo 2.5-3m, portanto menos q o necessário pro goalkeeper…

FighterBR
Visitante
FighterBR

Aquela barraquinha é cabe um Simbad. Então não.

Diplomata92
Visitante
Diplomata92

Pessoal pra ficar claro eu não fantasiei nada e não tô reclamando do próximo sistema de defesa que a MB irá utilizar!
Só levantei essa hipótese por que estava pesquisando à uns dias atrás sobre a goalkeeper aqui no Blog
Daí vi essa notícia é achei interessante porém isso é de 2012
Como disse no primeiro comentário
Só o fato desse mostro ser nosso
Já fico satisfeito

Nivaldo Vasconcelos
Visitante
Nivaldo Vasconcelos

O que eu não vi foi a ancora deste navio na proa, e a abertura é muito pequena

renato alves santos
Visitante

Belo navio

Diplomata92
Visitante
Diplomata92

Maldito corretor
Aonde se lê rã MB,é pra ser ‘”ea MB ” !

Marcelo
Visitante
Marcelo

Quanto aos veículos do lado de fora, será q aquele Fiat Punto vem tb? Parece quase semi-novo 🙂 (Desculpem, eu nao resisti) Falando sério agora, realmente os Bandvagn estão numa posicao suspeita. Pode ser q não signifique nada, mas comparando com a imagem de satélite q se tem no google maps – q evidentemente não é atual – (procure por “Devonport Plymouth”, va na aba “maps”, depois mude pra visão por satélite) é possível encontrar o ocean na mesma posição q ele se encontra hoje (no limite norte da base). Na visão 3D da pra ter varios detalhes interessantes do… Read more »

Mario
Visitante
Mario

Por falar em logística.quantos fiéis de óleo incrementam este recebimento,pois a capacidade de armazenamento dele é de vital importância.

Carlos Crispim
Visitante
Carlos Crispim

Não fiquei interessado nos Bandvagn 206, mas sim no Oshkosh HEMTT M984 que está ao lado deles. Tem uma matéria rolando que o EB vai comprar vários via FMS, alguém sabe?

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Sim.
Serão 10 viaturas para equipar as unidades mecanizadas e serem utilizadas como Viaturas Blindadas Especializadas Socorro (VBE-Soc) para as Brigadas Mecanizadas, principalmente em apoio às viaturas VBMR-SR 6×6 Guarani.

Segundo consta já virão no pacote dos M-198, M88A1 e M557a2

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Com o detalhe que em sendo um navio anfibio de conves corrido e elevador, qualquer equipamento MRLS pode ser empregado diretamente do convés.

Esta é a grande vantagem de conceitos similares.

Em poucos minutos, uma bateria completa pode atuar no conves, quer seja de misseis, foguetes ou artilharia de boca, ser desmobilizada, descer conves pelo elevador e ser desembarcado para nova mobilização e posição de fogo.

Nilson
Visitante
Nilson

Realmente, aparenta ser mais uma utilidade para o convés corrido do Atlântico. Sobe o Astros MK-6 no elevador, atira do convés e os fuzileiros têm uma bela cobertura de fogo. Se armado o Astros com Matador 300, passamos a ter até um vetor para atirar mísseis de cruzeiro em costas sul americanas que não estejam protegidas por aviação de asa fixa. Estudar como fazer uso simultâneo de helis e MLRS. Adaptar a unidade de controle de tiro para as condições marítimas. Preparar alguma chapa ou coisa similar para proteger o convés contra o calor liberado pelo foguete ou míssil. Será… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Não precisa adaptar revestimento de convés, basta que as culatras sejam posicionadas no bordo voltadas ao mar.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

O Astros é apenas um exemplo conceito. Pode ser empregado qualquer equipamento conteiravel, superficie-terra ou superfície-ar. Ou seja, quase todo o inventário dos fuzileiros podem ser empregado. basta uma doutrina de mobilização e desmobilização de convés para desembarque. Muito melhor que equipamento precioso viajar encaixotado no porão e somente no desembarque ser mobilizado.

Uma bateria RBS-70 é outro exemplo. Qualquer navio pode fazer isto, desde que tenha um pedaços plano e liso de conves desimpedido e um elevador para desmobilizar rapidamente.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Se for um armamento guiado ( misseis ou foguetes guiados ) tudo bem, porque se for foguete ‘burro’ aí complica, tem que levar em conta que o lançador não está em terra firme, mas no mar e portanto a plataforma sofrerá oscilações, mesmo c/ o navio parado, acabaria perdendo precisão.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Sem dúvida, guiados.

Karl Bonfim
Visitante
Karl Bonfim

Continuo achando que a Marinha deveria ter sido mais incisiva (perspicaz) e comprado o Atlântico de porteira fechado, ou seja, com os Phalanx CIWS e tudo, é isso!

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Os Phalanx CIWS e tudo, não estava disponível para a MB. Querer, queria mas não estava disponível.

Jr
Visitante
Jr

E quem te disse que a Royal Navy queria vender o Ocean de porteira fechada? Ela colocou o Ocean a venda nas condições dela, quem foi comprar já sabia o que estava a venda e o que não estava, ela não estava obrigando ninguém a comprar o navio, já achei bem positivo de não ter tirado as lanchas e outas coisas

Robert Smith
Visitante
Robert Smith

Muito Feliz com essa compra, com certeza foi a Melhor Compra de Oportunidade deste Milênio!

É impressão só minha ou o NPH A-14 Atlântico esta mais bonito do que era o HMS Ocean?

José Luiz
Visitante
José Luiz

Não é assim coloca o RBS 70 no convés e pronto, o míssil é guiado por laser e o
seu emissor precisa ter estabilidade e o reto e plano convés não é estável. O mesmo também afeta o Astros um balanço e toda a solução de tiro já era. Sistemas navais possuem estabilização e isso faz diferença. O pessoal precisa pensar um pouco na física.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Artilharia de foco anti aereo em si, possui grande nivel de correção direcional nos tres eixos….é diferente de uma artilharia superficie-superficie. para foguetes guiados precisaria de uma plataforma de estabilização. Para o RBS70 não necessariamente. O equipamento é concebido para buscar altas mudanças de trajetórias e isto independe se a mesma ocorre no eixo de disparo ou no eixo do alvo. Seu emprego em embarcações não é novo….

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

A Avibrás já desenvolveu uma plataforma giro estabilizada, ela pode ser utilizada, no futuro se a MB desejar, para uma versão do AVMT mar-mar ou mar-terra. “Plataforma Giro Estabilizada Outro projeto em destaque na feira será a Plataforma Giro Estabilizada. Com tecnologia nacional, a plataforma é a base para o SLDM (Sistema de Lançamento de Despistadores de Mísseis), único Sistema de Armas Brasileiro incluído nas corvetas da Marinha do Brasil. Trata-se de um projeto estratégico dentro dos programas de desenvolvimento do IPqM (Instituto de Pesquisas da Marinha). O produto possui potencial para novos negócios, pois serve como base para o… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Recebeu a maquiagem em doca molhada.

E o calado ?

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Já foi feita inspeção e pelo estado acho que não precisa de retoque.

Nilson
Visitante
Nilson
Nilson
Visitante
Nilson
Bueno
Visitante
Bueno

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Nilson
Visitante
Nilson

“José Luiz 26 de junho de 2018 at 20:58 Sistemas navais possuem estabilização e isso faz diferença.” “LucianoSR71 26 de junho de 2018 at 21:13 Se for um armamento guiado ( misseis ou foguetes guiados ) tudo bem, porque se for foguete ‘burro’ aí complica, tem que levar em conta que o lançador não está em terra firme” “carvalho2008 26 de junho de 2018 at 19:26 Pode ser empregado qualquer equipamento conteiravel, superficie-terra ou superfície-ar. Ou seja, quase todo o inventário dos fuzileiros podem ser empregado. basta uma doutrina de mobilização e desmobilização de convés para desembarque.” . Tudo indica… Read more »