Home Incidentes navais Incidente com míssil SM-2 na fragata alemã ‘Sachsen’

Incidente com míssil SM-2 na fragata alemã ‘Sachsen’

12220
39
Imagem capturada de vídeo mostra a queima do míssil no lançador da fragata
Imagem capturada de vídeo mostra a queima do míssil no lançador da fragata

A fragata da Marinha Alemã Sachsen sofreu um incidente com um míssil antiaéreo SM-2 durante exercício de tiro real em 21 de junho na costa norueguesa. O míssil, acionado para disparo do lançador vertical VLS do convés em frente ao passadiço, não decolou e queimou seu propelente no lançador, causando sérios danos.

O lançador, convés ao redor e o passadiço foram danificados pelo fogo e calor. Dois marinheiros ficaram levemente feridos. A fragata seguiu para Harstad na Noruega, a fim de realizar avaliação e investigação do incidente.

A classe F124 Sachsen é a mais recente classe de fragatas da Marinha da Alemanha, dotadas de tecnologia de ponta de defesa aérea. O projeto destas fragatas baseia-se no da classe F123 Brandenburg mas com características stealth melhoradas, e incorpora também o radar avançado multi-funções APAR, bem como o radar de longo alcance SMART-L.

Com um custo total de 2,1 bilhões de euros por três navios, este foi um dos programas de construção naval mais dispendiosos da Marinha Alemã. Esta classe assemelha-se à classe De Zeven Provinciën da Marinha Real Holandesa. Os navios de ambas as classes baseiam-se na utilização de um sistema comum de guerra antiaérea usando os mísseis superfície-ar Standard SM-2 e RIM-162 ESSM de alcance médio.

O lançador, convés ao redor e o passadiço foram danificados pelo fogo e calor. Dois marinheiros ficaram levemente feridos.
Nas fotos acima e abaixo, os danos no lançador, convés ao redor e no passadiço, causados pelo fogo e calor. Dois marinheiros ficaram levemente feridos.

Fragata Sachsen lançando SM-2
Fragata Sachsen lançando SM-2
Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Imagina o desespero?

Helio Eduardo
Helio Eduardo
1 ano atrás

Rapaz,

Pelas fotos, um tremendo prejuízo…

Eu desconheço o mecanismo de armazenamento dos mísseis nos silos do VLS, alguém pod me esclarecer? Há travas mecânicas? O que pode ter “emperrado” o míssil no lançador já que propelente e empuxo não me parece ter faltado…

Ivan BC
Ivan BC
1 ano atrás

kkkk e ainda saíram da Copa. Essa Alemanha passa por uma onda de azar, só coisas ruins nos últimos 4 anos.
Em termos de forças armadas então…muito inferior as necessidades e bem aquém em relação aos parceiros.
Espero que os marinheiros feridos fiquem bem!

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Ivan BC
1 ano atrás

alemanha nunca ganhou na russia kkkk

Marcelo Moraes
Marcelo Moraes
1 ano atrás

que maré…

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Incidente raro de ocorrer. Em geral se o motor foguete sólido ignita o míssil é lançado. Essa é uma das vantagens do lançamento a quente. Os lançadores a frio são mais afeitos a incidentes já que o míssil é ejetado primeiro e o motor foguete é ignitado já longe do lançador e se isso não ocorrer o míssil cai sobre o lançador. O lançador Mk-41 prova ser bem seguro já que a queima do motor foguete parece não ter afetado as outras células contendo mísseis. Um problema sério desse incidente é que não há como parar o “incêndio”. O fogo… Read more »

Airacobra
Airacobra
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Será que a escotilha do container não abriu e ai a queima do combustível deve ter causado a explosao dela? Mas o container parece ter resistido bem a queima do combustível e nao se alastrou para os containers próximos, pq se isso tivesse ocorrido poderia ter acontecido uma tragédia

Marcos Andrey
Marcos Andrey
1 ano atrás

Nada que um WD 40 e duas mãos de tinta não resolva!

Mk48
Mk48
1 ano atrás

A maré não anda Boa para as Forças Armadas alemãs, especialmente para a marinha.

Marcos Aryeh
Marcos Aryeh
1 ano atrás

@OFF

http://www.janes.com/article/81368/argentina-orders-opvs-from-france

Aquela velha máxima ainda está valendo: É ver para crer

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Marcos Aryeh
1 ano atrás

Da a impressão de que nao houve explosão da cabeça de guerra; parece que basicamente o missil nao decolou mas o combustivel foi totalmente consumido. Seria um missil so de treinamento, sem explosivo?

Aerokicker
Aerokicker
1 ano atrás

Fragatas de última geração que não navegam, mísseis que não decolam, aviões que não voam… O que está acontecendo com a Alemanha é fora de série.

Marcos
Marcos
Reply to  Aerokicker
1 ano atrás

Esqueceu uma coisa

Eliminados da copa na fase inicial 🙂

marcelo
marcelo
1 ano atrás
marcelo
marcelo
1 ano atrás

nunca tinha pensado nisso, mas esse vls coladinho nessa ponte de comando baixa desse jeito parece um pouco perigoso…

que faaase

Marcelo Zhanshi
Marcelo Zhanshi
1 ano atrás

No mesmo link citado pelo outro Marcelo tem esse desenho esquematizado: https://twitter.com/StrataNL/status/1011937634518749185

Se me permitem deduzir as causas do incidente diria que o “After Cover” (cobertura inferior???) não se rompeu, fazendo com os gazes do míssil não fossem canalizados pelo “Plenum” (câmara???), misturando-se no “Canister” (tubo???) e detonando a ogiva do míssil antes que este decolasse.

Apenas uma hipótese de curioso e leigo.

Saudações.

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
Reply to  Marcelo Zhanshi
1 ano atrás

Marcelo, acho que não houve a detonação do missil, apenas a queima do propelente; se houvesse a detonação os danos seriam bem maiores, podendo chegar a afundar o navio.

Bosco
Bosco
Reply to  Roberto Bozzo
1 ano atrás

Roberto,
A ogiva do SM-2 pesa menos de 70 kg e dos quais no máximo 30 kg de explosivo. Não daria pra causar grandes danos não, que ficariam restritos ao âmbito do lançador Mk-41.

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Entendi Bosco, achava que um SM 2 explodindo em local confinado causasse um grande estrago.

Bosco
Bosco
Reply to  Roberto Bozzo
1 ano atrás

Roberto, O destróier classe Zumwalt, com seus lançadores periféricos Mk-57, em tese são mais seguros que o Mk-41 em relação a esse tipo de “acidente” (como bem disse nosso colega Gilbert). A explosão que ocorrer internamente dentro de um tubo seria dissipada lateralmente. No caso de um acidente desses com o lançador Mk-41, mesmo que a “porta” da célula não abra e o propulsor seja acionado (praticamente impossível de acontecer porque a porta estar aberta dese ser passo obrigatório para a ignição do motor foguete), a chama produzida vazaria pela porta do sistema de exaustão das chamas, que serve às… Read more »

Carta Branca
Carta Branca
Reply to  Marcelo Zhanshi
1 ano atrás

A cobertura abre antes de se energizar a ignição, muito difícil ser isso, se for é um erro do sistema bem sério. No vídeo há a tocha inicial do escape do lançador e então fragmentos brilhantes característicos de metal incandescido, ou seja, pedaços de metal do míssil voaram com a tocha. É provável então que o míssil tenha começado a ignição e então o motor tenha explodido dentro do lançador, e como tinha essa energia cinética os fragmentos foram lançados para fora do lançador e queimaram sobre o lançador. Pode até ser a ogiva que explodiu mas é mais fácil… Read more »

Gilbert
Gilbert
1 ano atrás

Só uma coisa isso não é incidente, é um acidente. Incidente é um evento que poderia tornar-se um acidente.

FRL
FRL
1 ano atrás

Foi macumba pelo 7×1… 😎

Defensor da Liberdade
Defensor da Liberdade
1 ano atrás

Goooooooooooooooolll da Coréia…..

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
1 ano atrás

“O que está acontecendo com a Alemanha é fora de série”
Realmente. Von Clausewitz está de bruços no túmulo…
Pelo menos não morreram marinheiros nesse acidente. Danos materiais são fácil de repor.

Dodo
Dodo
1 ano atrás

Hoje o dia realmente não foi bom para os alemães…..

Leonardo
Leonardo
Reply to  Dodo
1 ano atrás

O acidente foi no dia 21.

tomcat4.0
tomcat4.0
Reply to  Leonardo
1 ano atrás

Leonardo, mesmo assim o dia histórico não foi bom pros alemães.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
1 ano atrás

Nossa, como a ponte desse navio alemão fica pertinho do VLS, certamente um erro inesperado fazer um passadiço tão perto de onde sai fogo com potencial até de explosão. Por isso gosto das Tidenderogas, a ponte é enorme de alta, fica muito longe de eventuais acidentes no convés.

Dalton
Dalton
Reply to  Carlos Crispim
1 ano atrás

A “ponte é enorme de alta”, mas, também é de alumínio portanto mais leve propiciando
grande espaço interno…problemas de rachaduras e uma menor resistência ao fogo
fizeram com que os “Arleigh Burkes” fossem construídos com superestruturas de aço,
mas, são navios bem maiores que a “Sachsen” e podem se dar ao luxo de possuírem
estruturas mais altas.
.
Seja como for é raro acontecer…o PN publicou uma matéria anos atrás sobre a explosão
de um SM-2 a bordo do USS Sullivans da classe “Arleigh Burke”.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Com o calor da queima do combustível, não ocorreria o risco de detonação do explosivo dentro do míssil?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Tenho essa duvida também.

Dei uma pesquisada rápida e encontrei que a cabeça de guerra do míssil e de aproximadamente 70kg. Acho que não colocaria o navio a pique, porém a detonação faria um estrago maior do que dá para ver nas fotos.

Bosco
Bosco
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Willber,
A USN utiliza muito o conceito de “munição insensível”. Não sei se é o caso da ogiva do SM-2 MR Block IIIA, mas não duvido que seja.
Mesmo não sendo não é comum a ogiva explodir devido ao aumento da temperatura. Em sendo, é bem mais difícil isso ocorrer.
A munição insensível (que não explode salvo se for acionada pela espoleta) é muito segura e é a preferível dentro de navios e está se tornando a norma.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Acontece, mesmo nos sistemas mais seguros a possibilidade de falha é sempre presente.

Como dito em comentários anteriores, digno de nota a robustez do sistema de lançamento. Muito provavelmente existiam outros mísseis estocados e pelo jeito eles não detonaram.

Até hoje só não vi falhar a morte…

Helio Eduardo
Helio Eduardo
1 ano atrás

Bosco, por gentileza, pesquisei um pouco sobre o VLS Mk41 para entender as explicações sobre o acidente com a fragata alemã e fiquei com uma dúvida: no caso de reposição de um míssil disparado, troca-se todo o casulo ou insere-se um novo míssil? Vi algumas imagens em que um casulo é inserido no lançador VLS….

Bosco
Bosco
Reply to  Helio Eduardo
1 ano atrás

Helio,
A célula do lançador Mk-41 é recarregada com um contêiner selado com o míssil dentro.
Tem um vídeo que mostra o Standard sendo colocado dentro do contêiner ainda na fábrica, mas não achei. Parece que foi retirado.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Obrigado pela resposta a minha pergunta acima, Bosco.
Aproveitando o gancho da pergunta do Helio, o contêiner é reutilizavel, ou é tiro único?

Bosco
Bosco
1 ano atrás

comentário retido

7x1Revange
7x1Revange
1 ano atrás

Que fase. Deve ser carma. Qualquer agrupamento alemão em solo russo, gera energia negativa para toda a Alemanha…rs.