Home Marinhas de Guerra Japão envia porta-helicópteros ao Mar da China Meridional

Japão envia porta-helicópteros ao Mar da China Meridional

12049
48
JS Kaga
JS Kaga

A Força Marítima de Autodefesa do Japão (JMSDF) enviará um de seus dois porta-helicópteros classe “Izumo” em uma comissão de dois meses pelo Mar do Sul da China e pelo Oceano Índico pelo segundo ano consecutivo.

O JS Kaga (DDH 184), de 248 metros de comprimento, que pode operar vários helicópteros simultaneamente, fará paradas em países do Sudeste Asiático como a Indonésia e em portos da Índia e do Sri Lanka.

O navio também fará uma escala na Base Naval de Changi, em Singapura, na mesma época em que a 12ª Reunião de Ministros da Defesa da ASEAN (ADMM) e a 5ª reunião da ADMM-Plus estão marcadas (18 a 20 de outubro).

O Japão compartilha preocupações sobre a crescente presença chinesa na região onde passam as principais rotas comerciais que são vitais para as economias dos EUA e do Japão. Mas o Japão se absteve de participar das operações militares dos EUA, temendo que isso fizesse com que a China aumentasse sua presença no Mar da China Oriental, onde os dois países já estão em conflito por um arquipélago contestado, conhecido como Senkaku no Japão e Diaoyu em China.

A JMSDF enviou o navio irmão do Kaga, JS Izumo (DDH 183), em uma comissão semelhante no ano passado.

O JS Kaga é um porta-helicópteros (oficialmente classificado pelo Japão como destróier porta-helicópteros) e o segundo navio construído da classe Izumo.

Seu nome homenageia a província de Kaga na atual Prefeitura de Ishikawa. O navio tem o mesmo nome e quase o mesmo tamanho do porta-aviões Kaga, que serviu na Marinha Imperial Japonesa na Segunda Guerra Mundial.

O Kaga original foi afundado em junho de 1942 perto do Atol de Midway.

As características de projeto do porta-helicópteros foram planejadas para suportar aeronaves de asa fixa, como o Bell-Boeing V-22 Osprey e o Lockheed Martin F-35B Lightning II, embora até agora nem o Ministério da Defesa nem a JMSDF tenham confirmado que irão incorporar jatos de combate de asa fixa.

O JS Kaga e JS Izumo são capazes de operar cerca de nove helicópteros a partir de seu convés de voo e estão armados com dois lançadores Raytheon RIM-116 Rolling Airframe Missile SeaRAM e dois sistemas CIWS Phalanx.

48 COMMENTS

  1. Olhando para o navio você vê que ele praticamente implora por uma rampa Ski jump e por alguns F-35B no convôo, se fazendo necessária também uma versão AEW do V-22 Osprey. Aliás, seria também útil ter alguns desses nos próprios LHD/LHA da USN.

    • Penso o mesmo.
      Notar que o sistema CIWS Phalanx na frente do navio está acomodado bem a direita, e não ao centro como seria o mais óbvio (defendendo com a mesma facilidade mísseis vindo de ambos os lados).
      Essa me parece ter sido uma jogada para tirar o CIWS da frente dos possíveis jatos se for necessária a mudança de Porto Helicópteros para Porta Aviões.

      • Nos 2 navios menores classe “Hyuga” o “Phalanx” dianteiro também encontra-se
        “à direita” e não posicionado no centro o que pode significar um melhor arco de fogo do que se posicionado no centro.
        .
        A instalação de uma rampa não necessariamente seria feita na parte dianteira do
        convés de voo já que ele estreita-se à vante e possivelmente um F-35B poderia decolar sem rampa como nos LHDs/LHAs da US Navy desde que posicionado bem para à ré do convés de voo.

    • Pois então, até colocaram o Phalanx de proa mais ao lado. Dá, alí, tranquilo um rampa Sky jump. Mesmo sem a rampa, não me espantaria ver o USMarine treinando com os F-35B estacionados no Japão, testando neste porta-aviões, digo, porta-helicóptero. rsrsrs

  2. De qualquer forma, O Japão esta mandando um recado para a China que ela esta de olho em suas movimentações de modo a dizer que para tudo tem limites!

    • Este recado não é tão firme, dado que no texto deixa claro que não participou de exercícios com os EUA para não irritar o Dragão.

      • O Japão não participou de um certo exercício com os EUA que é o de “Liberdade de navegação” que consiste em desfilar um ou dois “destroyers” próximos das “ilhas artificiais”…nem o USS Ronald Reagan baseado no Japão se presta a isso…há outros
        meios de “mostrar a bandeira” como o Japão está fazendo sem ser tão provocativo ou parecer provocativo.

  3. Olha o tamanho desse navio? Com certeza foi preparado para os F-35B! Até já saiu uma reportagem que o Japão tem interesse em usar essa aeronave nessa navio!

    • Os 2 navios da classe “Izumo” são 2 grandes navios anti submarinos, natural diante de uma crescente força de submarinos chinesa, com sonar de casco, boa capacidade de operar e manter helicópteros e são navios bastante velozes o que se encaixa na classificação de “destroyers porta helicópteros” já que o tradicional porta helicópteros é lento.
      .
      Também foram construídos tendo em mente uma boa capacidade de ajuda humanitária
      principalmente quanto a terremotos que ocorrem no próprio Japão…em 2011 por exemplo navios da US Navy , incluindo NAes, socorreram o Japão.
      .
      A Força Aérea japonesa está adquirindo o F-35A …uma eventual compra do F-35B o estabelecimento de uma doutrina e modificações necessárias aos 2 navios da classe “Izumo” poderão impactar a compra pela Força Aérea e/ou outros programas da marinha e resta saber se valeria a pena ter uns poucos F-35Bs a bordo em adição aos helicópteros.

      • Daltão,
        Mudando de pato pra ganso, você sabia que já houve a intenção de instalar 4 mísseis RAM em duas células do lançador Mk-29? Somando 6 Sea Sparrow com 8 RAM.
        Parece que igual ao módulo de RAM compatível com o lançador MK-13, não foi pra frente. Pelo menos nunca ouvi falar desse arranjo na prática.

        • Boscão…
          .
          já havia lido sobre isso muitos anos atrás…nem me recordava mais, acho que na época em que estavam colocando mísseis “harpoon” nos lançadores
          óctuplos do “ASRoc”.

  4. Pelo nome desse Mar, dá para ver que o Mar é da China, o Japão quer invadir novamente um mar pertencente a China? Vai dar Guerra… A China esta construindo secretamente o LHD Type 075 com 36000 toneladas, 250 metros de cumprimento e 33 metros de largura, propulsão CODAD, 6 Decks para Helicopteros, 3 Elevadores, capacidade para levar 28 Helicopteros medios, e tenho a certeza que vão construir mais LHDs dessa classe, Dai quero ver quem vai peitar a China, mais 3 anos eles estão lançando essa classe de navios , que tornam o Izumo insiginificante.

    • Foi da chima até o Japão tomar (o Japão acabou com a hegemonia chinesa a ponto de ela perder força na região) e depois os Aliados tomaram do Japão (pós-SGM) e repartir entre os novos países/existentes (que ora foram conquistado/influenciados pelo Japão/China…. que passaram a se influenciado pelas potencias ocidentais/URSS e hoje em dia a China quer de vota só que de um forma soberana sem respeitar a leis).

      • Caro Flavio Henrique.
        Qual país grande e poderoso respeita as “leis” ?
        Manda quem pode e obedece quem tem juizo.

    • Ninguém é dono do oceano, só uma pequena parte do oceano que banha a costa de uma nação é que pertence a ela. O que me causou estranheza é sobre tu saber de uma construção secreta de um LHD, agora que nos contou, deixou de ser segredo…

    • Realmente insignificante, 248 metros contra 250… quanta diferença!
      E é tão secreto que até vc aqui no Brasil está comentando.

    • China está construído “secretamente” kkkkk eles não sabem guardar segredo não é? todo mundo tá sabendo, e sobre o mar ter esse nome, é pq no passado tudo aquilo para o ocidente era china, vc tem que estudar mais geografia.

  5. Achei engraçado o pessoal comentando sobre nomes de mar e até hoje tem disputa sobre o nome “Mar do Japão” entre o Japão e Coreia do Sul que chama o de Mar do Leste teve até brigas na internet entre internautas alterando o nome do Mar tanto na Wikipedia coreana e japonesa além do governo de ambos os países tendo se envolvido nas discussões e cada um apresentando um argumento é o Japão tem territórios sendo disputados com a Coreia do Sul também pelas ilhas Dokdo e tem também reivindicações sobre ilhas Curilas pertencentes a Russia, é também nem e só a China malvada e imperialista rsrsrs que vem brigando por ilhas desabitadas no leste asiático tem algumas que são disputadas por 7 países diferentes cada um com um argumento diferente.

    • Tem uma pequena diferençá o Japão se basear em um documento, a rendição, que dá a entender que essa ilhas são suas pois ficaram subtendida….a culpa é de quem fez que deixou, EUA, vago….e os russo querem uma ilha anterior a SGM e por isso não reconhecer a rendição japonesa só não fez nada por causa dos EUA, sim Rússia e Japão “ainda” estão em guerra.

      • Muito disso de ilhas e territórios marítimos no leste asiático e pacifico continuarem em disputa gerando tensão entre grandes poderes foi pelo Tratado de São Francisco de certo modo ter sido porcamente regido e ter deixado muitos pontos subentendidos dando aval a qualquer tipo de entendimento pelas partes reclamantes ou seja não tó errado mas também não tó certo, e a URSS não participou da conferencia porque já tinha posse sobre as ilhas que queria que tinham sido cedidas pelo Império Russo 40 anos antes depois da Guerra Russo-Japonesa é ficou por isso agora as disputas mais ao sul e no leste asiático são mais complicadas uma parte era territórios Ultra-mar Japoneses e foram tomadas de um pais que tinha tomado de outro e por assim vai, e a maioria dessas disputas e por valor econômico do que por valor estratégico muitas parecem ter reservas de petróleo e reserva pesqueira mas nada 100% mesma coisa quando o Paraguai Invadiu a Bolívia achando que o Chaco era rico de petróleo e no final tinha e nada só pântanos mesmo e ambos países se endividaram até o pescoço.

  6. Kkkkkkk no cenário mundial de hoje, só existem 3 países verdadeiramente soberanos, na acepção da palavra ‘soberania’: EUA, Rússia e China. Os demais, mesmo a outrora dominadora do mundo (do séc. 19 é verdade, e lá vai tempo, kkkkk), a Europa Ocidental, são apenas peões neste tabuleiro do xadrez internacional, se submetendo as ordens emanadas de um daqueles países que chamei de soberano.
    Se conseguirem me provar que o japonês – que não tem nenhuma questiúncula territorial com a China no Mar do Sul da China (e sim em outro Mar…da China Oriental) – pôs seu navio sem que os EUA lhe pedisse para fazê-lo, desfilo pelado no próximo baile de carnaval aqui na minha cidade, kkkkk.

    • Samuca,
      O único local da Terra que é soberano de verdade é a população da ilha Sentinela do Norte, sob proteção da Índia. E assim mesmo eles só o são por beneplácito de seus protetores.
      Todo o resto depende mais ou menos dos outros. Mesmo países poderosos como esses três que você citou quando querem impor suas vontades a terceiros enfrenta algum tipo de reação e por vezes não conseguem atingir seus objetivos e não raro, perdem mais do que ganham.
      E como estamos assistindo, a ideologia de Esquerda, dominante hoje no cenário internacional de modo geral e mais dominante ainda no Ocidente, nos ensina que não existe isso de país isolado. A Terra é de todo mundo! Viva a diversidade cultural! Ser patriota é ser intolerante e xenofóbico, portanto, não há o que reclamarmos de não sermos tão “soberanos” quanto gostaríamos porque o futuro da humanidade é ser um mundo sem fronteiras, com cidadãos assexuados vestidos de macacão cinza, tomando 3 doses de amitriptilina por dia e sobe a direção de uns poucos cidadãos iluminados.

      • Bosco:
        1 – Dizer que países poderosos não atingem seus objetivos, bem…pode ter acontecido uma ou outra vez, à título de exceção que, como já diriam os cínicos, ‘para toda regra, há exceções’ 🙂 mas, via de regra, o forte impõe sua vontade ao fraco e acabou! Seja em quaisquer níveis de interação: entre pessoas, entre instituições, e quando digo instituições, refiro-me também a países…
        Sei lá o porquê, mas sempre que tomo conhecimento de queixas de ‘bullying’ entre países, sempre vou lembrar duma vez em que eu tava num grupo que tinha um chinês e um inglês entre outras nacionalidades. Daí lá pelas tantas, o chinês lembrou da Guerra do Ópio pra reclamar, ao que o inglês deu uma resposta que fez todo mundo balançar a cabeça concordando com ele: ‘Não chora tudo, deixa um pouco pra mim! Daqui alguns anos teu país vai revidar e aí eu é que vou listar algumas lamúrias também!’…um era forte e se impôs ao que era fraco, 150, 200 anos depois, o outro vai ‘retribuir’ a imposição…
        2 – Quanto ao item a que vc alude à ‘esquerda’, com todo o respeito, não vou entrar em discussões de ‘esquerda’ e ‘direita’, porque isso aí envolve uma boa dose de maniqueísmo que, mesmo que os lexicógrafos, os professores de língua portuguesa não digam, para mim é a continuação da racionalização infantil depois que o sujeito atinge a vida pretensamente madura, kkkk, ou seja, maniqueísmo é aquela estória: ‘eu tô certo/eu sou o bem’ e ‘você tá errado/você é o mal’, no caso, ‘a _____ (complete com a sua ideologia) tá certa e a _______ (a ideologia que vc odeia) tá errada’, kkkkkk
        3 – quanto a tua definição de patriota e suas características associadas, discordo, mas respeito teu ponto de vista. Só lembraria que se você é de um país ‘não-soberano’, você apenas vive o mundo sendo intolerante e xenofóbico, como vc escreveu, de forma recalcada ou na forma que a grande pensadora da Idade Contemporânea, Marta Suplicy, bem definiu: ‘Relaxa e goza’,…relaxa e goza recalcadamente, kkkkk

  7. Sem querer provar nada, mas, a “marinha japonesa” enviou o “Izumo” ano passado para treinar com à marinha indiana e reforçar os laços entre ambas as marinhas que são no mínimo suspeitosas da China.
    .
    Da mesma forma que o USS Ronald Reagan baseado no Japão costuma fazer duas patrulhas
    anuais que o levam para o sul também mesmo visitando países pelo caminho como é o caso nesse exato momento, natural que a marinha japonesa faça a mesma coisa estreitando
    seu relacionamento com outros países da região e de prontidão para qualquer uso no caso de ajuda humanitária que costuma render bons dividendos.
    .
    EUA e Japão são grandes aliados e como tal necessitam um do outro e isso pode levar à
    ações que aparentemente possam parecer contrárias à interesses japoneses, mas, apenas
    parecem, pois em caso de conflito haverá um escalamento que irá afetar outras áreas e
    não apenas a que mais preocupa o Japão.

  8. Simples:
    Os Japas terão asas fixas em meios navais, certamente o 35B, não vão demorar muito.
    Mudanças na Constituição estão a caminho.
    Banzai

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here