Home Indústria Naval Temer deve destinar recursos para renovação da frota da Marinha

Temer deve destinar recursos para renovação da frota da Marinha

16455
80
NPa Macaé
Navio-Patrulha Macaé

Proposta pode tirar do sufoco estaleiros nacionais

Por Pedro Carvalho

Parece que finalmente a indústria naval terá uma boa notícia. Michel Temer deve publicar, em breve, uma Medida Provisória que destinará 10% dos recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM) para a renovação da já combalida frota da Marinha Brasileira.

FONTE: Veja.com/Coluna Radar

Definição sobre 10% do FMM para navios militares esperada até agosto

Em 19 de junho noticiamos que representantes da Marinha e da indústria naval esperam que, até agosto, o governo dê uma posição sobre a proposta de alocação de até 10% dos recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM) para construção e manutenção de navios militares. A proposta atualmente está na Casa Civil e pode virar medida provisória ou projeto de lei, porém a definição depende de decisões governamentais.

O percentual da receita anual do fundo pode representar recursos, não reembolsáveis, na ordem de R$ 250 milhões a R$ 300 milhões por ano. Com esse alento, a Marinha terá mais capacidade para executar manutenções em embarcações e construir novos navios, em especial algumas classes como navios-patrulha, hidroceanográficos, de pesquisa e polares.

Subscribe
Notify of
guest
80 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
1 ano atrás

Boa notícia. Só que tais medidas devem acelerar e muito, pois daqui a pouco já não vai haver frota nenhuma para renovar.

Gilberto Verdi
Gilberto Verdi
1 ano atrás

Gostaria que fosse uma boa notícia. Mas assim que o recurso do fundo for destinado à marinha, imediatamente o mesmo valor será cortado do orçamento pelo ministério da Fazenda, de modo que não haverá aumento de recursos disponíveis para a marinha. Escrevam.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Gilberto Verdi
1 ano atrás

Pra que escrever se você já escreveu?

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Mitou!

XO
XO
Reply to  Gilberto Verdi
1 ano atrás

Esse é o mesmo risco que corremos com a redução de efetivo e mudanças na LRM com relação aos inativos…

Vovozao
Vovozao
1 ano atrás

Só vendo para crer, só vejo promessas neste ” santo” governo, desde quando eu usava calças curtas, já se falava nestes 10 porcento do FMM, e, até agora só promessas.

USS Montana
USS Montana
1 ano atrás

Tudo vindo desse governo é pra ficar com o pé atrás, espero que não fique só na promessa.

Esteves
Esteves
1 ano atrás

Se entrar no orçamento da MB, some. Tem contigenciamento. Tem custeio. Tem transferências.

Teria que entrar em uma alínea específica para manutenção e construção dos meios da MB. Não sei se existe. Sai do FMM e paga o estaleiro.

Melhor esperar pra ver. Quando deu dor de barriga na greve dos caminhões cortaram 500 milhões.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Esteves
1 ano atrás

Esteves (e demais leitores), Dinheiro do FMM, até onde sei, tem que ser obrigatoriamente empregado em construção naval (seja em novos navios, estaleiros, reparos etc). Não creio que haverá diferença nesse aspecto no caso dessa MP ser aprovada. A diferença é que a parte que caberá à Marinha será a fundo perdido (não reembolsável ao fundo), e não financiamento. O objetivo não é apenas contribuir para o reequipamento da Marinha, mas para aumentar a atividade dos estaleiros, de forma que uma parcela do dinheiro disponível no fundo, mas que não encontra pleno uso devido à crise, traga benefícios nos dois… Read more »

Gustavo
Gustavo
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Essa verba poderá ser empregada na manutenção da operação dos meios também, não?
Acho que o principal seria investir em construções de navios de apoio e mais navios da classe amazonas que se enquadram nessa faixa de gasto… além de manter os meios atualizados e operando com essa verba. Obviamente que nem tudo ao mesmo tempo.
Pelo menoes essa verba desafoga a fila de projetos que a MB precisa concluir, ficando apenas na fila o Prosub, Prosuper (fragata e corveta) e o NAe.

Luis nelson
1 ano atrás

Com esse dinheiro daria para ajunda a refomar o Nae sao paulo, as covertas as contruçao das classe tamandare e outras coisa mais

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Luis nelson
1 ano atrás

Não, não daria.

DOUGLAS TARGINOO
DOUGLAS TARGINOO
Reply to  Luis nelson
1 ano atrás

Amigo, não daria nem para 2% do que tu falou ai…

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Luis nelson
1 ano atrás

São R$250/300 milhões ao ano e não por semana…..

Allocer
Allocer
Reply to  Helio Eduardo
1 ano atrás

rsrsrs ótimo.

USS Montana
USS Montana
Reply to  Luis nelson
1 ano atrás

Eu também fui um defensor do SP na MB, desde jovem eu admirava e sonhava em ter um dos Clemenceau no Brasil, mas após sua chegada e tudo que ocorreu depois quanto mais rápido nos livrarmos dessa sucata, melhor.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Luis nelson
1 ano atrás

Apesar do A-12 estar em boas condições no geral, o sistema de propulsão não está… e isso é o mais caro. Estimaram quase 1 bi para reformar os sistemas e demais coisas… infelizmente.

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Olha aí, seria viável encomendar mais unidades das CCB,s?
Com melhorias pontuais, como adoção da plataforma giro estabilizada em término de desenvolvimento na AVIBRAS, radares SABER-M200 NAVAL, GAIVOTA-X, CAMM nacional ou MARLIN Sul Africano, TORC-30 mm versão naval etc ?
Mas como promessa de políticos no Brasil não vale nada, ainda mais deste atual vamos aguardar para ver.
Também precisamos de auditoria externa do MPU/ CGU etc, pois nossos oficiais são péssimos administradores financeiros e gerentes de contrato.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Foxtrot
1 ano atrás

CCB é coisa do passado.
CCT é a bola da vez.
No mais, aposto que o foco serão navios distritais e não armamentos.

Juscelino S. Noronha.
Juscelino S. Noronha.
1 ano atrás

Fugindo um pouco do assunto. Gostaria de perguntar aos nossos adm’s do Poder Naval se existe algum plano de reaparelhamento de nossa frota de navios patrulha fluviais e como está está frota, visto as ameaças em nossas fronteiras por causa no Narcotráfico é uma futura tensão com as Armadas da Venezuela.

Juscelino S. Noronha.
Juscelino S. Noronha.
Reply to  Juscelino S. Noronha.
1 ano atrás

Se possível for gostaria de ver matérias sobre nossa frota de navios patrulha fluviais em ação nas nossas fronteiras. Desde já quero agradecer aos administradores do Poder Naval pelo excelente trabalho desenvolvido aqui. Grato.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Juscelino S. Noronha.
1 ano atrás

Juscelino,
Nessa matéria abaixo você vai encontrar todos os 102 navios da Marinha (no final do ano passado), incluindo meios fluviais e onde estão:

https://www.naval.com.br/blog/2017/12/18/onde-ficam-e-quais-sao-os-102-navios-da-marinha/

Quanto a planos de reaparelhamenro, há planejamento de substituir algumas unidades de menor porte por um novo projeto de 200t de emprego costeiro e fluvial, mas está longe de ser prioridade pois há muitas outras na fila. Felizmente, navios-patrulha fluviais duram bastante tempo. Parte deles foi remotorizada na última década.

Juscelino S. Noronha.
Juscelino S. Noronha.
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Sempre aprendendo aqui no blog. O meu muito obrigado a todos.

Cinturão de Orion
Cinturão de Orion
Reply to  Juscelino S. Noronha.
1 ano atrás

Caro Juscelino. Me permita uma breve consideração sobre o Patrulhamento Fluvial frente a uma muitíssimo improvável tensão “Venezuela-Brasil”. A Venezuela só poderia empreender uma “Ação de Força” fluvial direta contra o Brasil pelos 02 Estados com os quais faz fronteira – o do Amazonas e o de Roraima. No Amazonas, a única via fluvial passível de utilização por eles é pelo afluente “original” (e vindo da própria Venezuela) do Rio Negro, que adentra o nosso território “dando de cara” com (leia-se estrategicamente guarnecido pelo), se não me engano, Pelotão Especial de Fronteira de Cucuí (Destacamento do 1o BIS/Manaus), cuja baixíssima… Read more »

Juscelino S. Noronha.
Juscelino S. Noronha.
Reply to  Cinturão de Orion
1 ano atrás

Muito obrigado pela excelente explicação. Abraços.

Bardini
Bardini
1 ano atrás

Vão acabar distribuindo esse dinheiro entre vários estaleiros, que vão construir vários projetos diferentes, dispersando conhecimento e capacidades. Tem tudo para ser uma completa burrada… Uma burrada tão grande quanto a Classe Tamandaré tem potencial para ser.

Esteves
Esteves
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Por que a burrada na Tamandaré? O que vai dar errado?

Senhor Escote
Senhor Escote
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Então pelo seu raciocínio distorcido, a MB deve abrir mão desta verba pra não fazer burrada? Menos, bem menos, mais humildade e menos ego que pensa saber de tudo…

Bardini
Bardini
Reply to  Senhor Escote
1 ano atrás

____________________ ____________________ . A MB vai colocar a mão em 10% do FMM… Vários estaleiros estão saltitantes e serelepes com isso, pq??? Pq estamos no Brasil e é impossível não somar 2+2 e ver que vários “amigos do rei” vão receber um bom trocado desse FMM, pra construir navios para a MB. Se isso acontecer, vão acabar jogando no lixo a chance de estruturar e manter um estaleiro, que poderia ser a tal da “Embraer Naval” que tanto sonham em ter. Se fizerem de novo essa palhaçada de pulverizar as compras, na próxima crise que der, estaleiro nenhum sobrevive e… Read more »

Luiz
Luiz
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Pois é….
A tempestade passou a canoa virou e o AMRJ continua lá firme e forte prestando seus serviços ao Brasil, porque não moderniza-lo??… ele não vai “falir” na primeira crise como os outros estaleiros.

Bardini
Bardini
Reply to  Luiz
1 ano atrás

É óbvio e seguro demais investir no AMRJ. Por isso devemos gastar dinheiro para capacitar outro estaleiro no Brasil e, de preferência um que nunca construiu navio militar…

Manoel
Manoel
1 ano atrás

Transformar o sampa num porta helicpteros. Uma boa com essa grana.

ADRIANO LUCHIARI
ADRIANO LUCHIARI
Reply to  Manoel
1 ano atrás

Já temos um porta-helicópteros: A140 Atlântico!

cicero x matins
cicero x matins
1 ano atrás

Na verdade o Brasil tem tudo para ter um exercito forte se não fosse a maldita corrupção que tá arraigada em todos os partidos políticos desde o _________________

COMENTÁRIO EDITADO. O ESPAÇO NÃO É PARA DISCUSSÃO POLÍTICO-PARTIDÁRIA.

Anthony Souza
Anthony Souza
1 ano atrás

Como esta a situação do porta avião São Paulo desistiram da reforma? Se sim esta aquisição foi um tremendo de um prejuízo _______________________

COMENTÁRIO EDITADO. MODERE O LINGUAJAR.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Anthony Souza
1 ano atrás

não foi prejuízo nenhum já que custou míseros 12 milhões de dólares, um porta aviões em perfeito estado custaria bilhões de reais. Deveriam ter feito uma reforma total há muito tempo, desde que adquiriram, agora acho tarde demais.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

Não acho tarde e sim falta de visão e interesse político pois gastar pouco mais de 1 bi na reforma e modernização do A-12, que nos geraria conhecimento para a construção local de um novo PA nacional, não chega nem perto do valor de um PA novinho e teríamos ,após esta reforma, ao menos mais uns 20 ,25 anos de uso pro A-12 que poderia receber o Gripen Naval(que teria a demanda da MB ao menos). O dinheiro não chega nas nossas forças armadas pois está sendo segurado pelos camaradas que foram combatidos no passado e hoje, por ajuda do… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Foi feito um estudo sobre a reforma do “São Paulo” e a conclusão a que se chegou é que mesmo que houvesse 1 bilhão disponível , provavelmente esse valor não seria suficiente…vide tantas outras modernizações mundo a fora onde o valor inicialmente calculado não foi suficiente. . Pesou também o fato de que não seriam dadas garantias de que o navio voltaria a funcionar plenamente após o longo período de trabalhos, anos, e ainda estão frescas na memória o que aconteceu com o NDD Ceará que depois de 7 anos de manutenção e no início com boas perspectivas de sucesso,… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Dalton
1 ano atrás

Correto Mestre Dalton, Mas eu sou critico deste orçamento e modelo… O orçamento foi exclusivamente delineado com relação a atualizar o Nae para suas condições de projeto original ou seja, CTOL no seu formato mais caro e dispendioso. Os Britanicos por sua vez, fizeram o caminho contrário com o Hermes trasnformando-o em VSTOL, bem mais barato. Prestou os ótimos serviços que prestou. Óbvio que isto se relaciona fortemente ao modelo de asa fixa que possuiam disponivel para formar o conjunto. Mas o São Paulo poderia ter um orçamento considerando a modalidade stobar, atualizando apenas o maquinario de de cabos de… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  carvalho2008
1 ano atrás

Carvalho, O que circulou entre o pessoal que cobre a área de defesa é que, no orçamento de 1 bi ou mais, a maior parte do custo seria de colocar em plenas condições diversas partes do navio que não tem nada a ver com a propulsão / geração de eletricidade e de vapor. É um navio grande, com muitos tanques de combustíveis, tubulações e redes diversas, compartimentos, tudo isso precisando de ampla reforma após cinquenta anos de idade. Provavelmente o sistema separado de geração de vapor para as catapultas representava um dos menores problemas no orçamento – na questão do… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

“teríamos ,após esta reforma, ao menos mais uns 20 ,25 anos de uso pro A-12” Tomcat, É justamente nessa expectativa de 20 ou 25 anos de operação adicional, para um navio já com mais de cinquenta anos de uso, que estava o problema. Não obstante o custo orçado para a ampla reforma, o risco envolvido foi considerado muito grande, tanto em prazo quanto em garantia de que realmente pudesse servir por tempo suficiente para justificar o gasto. Considerou-se que mesmo reformado com nova propulsão por motores diesel, geradores elétricos e sistemas geradores de vapor para as catapultas, a própria idade… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Carvalho… . antes do “Foch” ter sido disponibilizado para venda, já havia se adquirido 23 aeronaves A-4, 18 das quais potencialmente modernizáveis e de uma versão que era considerada demais para o “Minas Gerais” ou seja podiam operar com certas restrições e de qualquer forma o “Minas” não iria durar muito mais. . O “São Paulo” foi oficialmente incorporado no ano de 2000…não acho que houvesse “Harriers” disponíveis nessa época…mesmo assim, colocar uma “rampa” na parte dianteira do convés de voo e aposentar as catapultas seria fácil…mas…sem “Harriers” isso não se justificaria e ainda se teriam os A-4s…o que fazer… Read more »

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Valeu pelos esclarecimentos Nunão e demais comentaristas.

De Luca, Vicente Roberto.
De Luca, Vicente Roberto.
1 ano atrás

Senhores! Bardini! O aporte de recursos do FMM segue regras preconizadas pela Lei nº 10.893, regulada pelo Dec 5543 e outras Resoluções. Existe todo um aparato burocrático na destinação das verbas. Creio que deva ser editada uma MP sobre o processamento dos recursos, eis que se trata de verba carimbada. Não entraria na “vala comum”, isto é, não ficaria condicionada ao escrutínio do BNDES, do Conselho Diretor do Fundo e de injunções politicas. Imagino que a Marinha não terá vida fácil, mas se trata de um alento. No ano passado, propriamente em outubro, o então Ministro Jungman deu entrevista, onde… Read more »

De Luca, Vicente Roberto.
De Luca, Vicente Roberto.
1 ano atrás

Desculpem o erro: “…., disponível no portal do BNDES.”

Adriano rangel da silva
Adriano rangel da silva
1 ano atrás

O certo msm seria um valor assim sobre o PIB, pq dinheiro tem, problema é a corrupção q leva muito.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

“Tamandaré” ?

Damen/SAAB/Wilson & Sons no radar ?

Wilson & Sons fazendo caixa para ?

https://www.valor.com.br/empresas/5663577/wilson-sons-poe-venda-4-ativos-de-portos-e-logistica

Wagner
Wagner
1 ano atrás

Bom acho que isso é só porque a eleição está as portas e ele quer parecer amigo das forças armadas acorda povo , ele é malandro se ouve vários boatos de ajuda as forças armadas mas isso eles não querem, primeiro porque nosso ministro da defesa não era militar tinha que ser paisano pra não correr atrás de recursos.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
1 ano atrás

Esse fundo precisa ter primeiramente ampliado o seu percentual para 20% e não como medida provisória e nem decreto pois pode desaparecer com a troca de presidente e sim regulamentada como lei. Vejo de início como prioridade a aplicação desse percentual em navios patrulhas, pelo menos 20. Poderia distribuir 08 projetos iguais por ano em 08 estaleiros distintos para acelerar a fabricação desses vasos e promovendo contratações e empregos evitando polarizar tudo em uma zona só. Isso de fato precisa acontecer até agosto pois, sendo ano político, lembrando que em agosto começa a corrida eleitoral e nesse período não se… Read more »

Aldo Ghisolfi
1 ano atrás

Penso que, liberada a verba do Fundo, o valor orçamentário não deverá ser mudado, pq, exatamente!, está no orçamento que precisa ser cumprido, vedado o contingenciamento; de outra banda, os valores vindos do Fundo, serão valores tidos como ‘receita vnculada’, com destinação especifica estabelecida na Constituição Federal e demais legislações, destinada a determinado setor, órgão ou programa dos quais não poderá se afastar. Esperemos!

De Luca, Vicente Roberto.
De Luca, Vicente Roberto.
1 ano atrás

Top Gun e Aldo! Já existe uma lei que regulamenta o FMM [Dec 5543]. De imediato, caberia uma MP; posteriormente, nova regulamentação. Seria ideal que os aspectos citados pelo Aldo fossem contemplados. Neste momento, importa “sacramentar” os 10%. Para o próximo governo, buscar o incremento dos gastos militares para 2% do PIB. Consoante este vetor, considero muito importante a participação de todos no convencimento dos candidatos, principalmente, obter o compromisso deles por essa Causa. Obs.: Desculpe Galante, não sei se infringi alguma regra do blog ao comentar este tópico,mas foi por uma boa causa. Caso positivo, “safa” minha P.O. junto… Read more »

De Luca, Vicente Roberto.
De Luca, Vicente Roberto.
1 ano atrás

Desculpe Wagner [18/07;05:53]. Omiti o seu nome no meu comentário anterior, cuja resposta tb foi direcionada a vc. Cabe à sociedade sensibilizar o próximo PRESREP, independente de quem seja. Quanto à origem do Ministro da Defesa, creio que pouco importa, se civil ou militar, desde que seja comprometido com a Causa.
Saudações, De Luca, Vicente Roberto.

LEONEL TESTA
LEONEL TESTA
1 ano atrás

Boa noticia pelo menos se for destinados para as patrulhas e varredura ja esta bom

Luís Henrique
Luís Henrique
1 ano atrás

A MB deve se esforçar para conseguir verbas para construir 1 Navio Escolta Por Ano.

300 milhões do FMM já é um bom começo.

Aldo Ghisolfi
1 ano atrás

De Luca: não entendi a necessidade de MP…
Obrigado pela resposta.

Tiago Cruz
1 ano atrás

Boa notícia ,agora e sonhar daqui a 5 anos pelo menos 10 patrulhar patrulhas 500t e pêlo menos 3 patrulhas oceânicas novos ,assim como fuzileiros com um bom número de lanchas rápidas adquadas por toda Amazônia para operações ribeirinhas

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Tiago Cruz
1 ano atrás

Tiago, Creio que será por aí mesmo, um pouco menos, talvez. Pelo que vi, baseado no que já se divulgou em relatórios da Defesa de anos anteriores, creio que cada navio-patrulha de 500 toneladas atualmente deverá custar perto de 80 milhões de reais. Daria para custear a construção de três ou quatro deles a cada ano (a construção leva mais tempo que isso, evidentemente). Em cinco anos, daria para ampliar a quantidade de navios-patrulha dessa categoria e iniciar a substituição de outros em fim de vida útil. Cada NPaOc de cerca de 2000 toneladas, levando em conta preços internacionais e… Read more »

Benjamin
Benjamin
1 ano atrás

Seria boa uma boa noticia, mas Medida Provisória, tem validade (120 dias se não me engano), e caso não for aprovada do Congresso Nacional para transformação definitiva em lei, neste período, volta ao que era antes da MP. Infelizmente com os políticos que temos e ainda mais em ano de eleição, duvido que sai algo de bom do Congresso até o fim do ano.

XO
XO
1 ano atrás

Em minha opinião exclusivamente pessoal, acredito que segregar parte desses recursos para a manutenção dos meios seria fundamental e suportaria a incorporação de outros que viriam com o saldo restante… porque isso daria uma folga no orçamento da MB, possibilitando investimento em P&D, por exemplo… sem contar que, sendo verba “carimbada” permitiria o fiel e completo cumprimento dos períodos de manutenção, sem atrasos ou adaptações… abraço a todos…

Laerte Marcelli
Laerte Marcelli
1 ano atrás

Os administradores do Brasil, diga-se os políticos, são verdadeiros inescrupulosos. Nunca há dinheiro suficiente para as Forças Armadas, mas quando apuram-se os desvios de verbas da corrupção, falamos em Bilhões e Bilhões de Reais. Como pode? Até quando o Brasil aguentará isso. Ficaram mais de uma década para comprar míseros 36 caças, mas nesse período, quanto foi desviado do erário? Bilhões e Bilhões, que dariam para 500 caças!

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Vai ser bom demais pra MB ter um dindin garantido pra se equipar e manter na área de patrulha que mais necessita, e ver os Napa 500 BR aos montes vai ser bem legal. Toda minha família curtil ver um napa 200 que ficou em Guarapari perto da praia pra que os pescadores não fossem pro mar ,que estava agitado com chuvas e tal. Imagine se fosse um navio maior(500 t). Até hoje não conseguimos ter a chance de adentrar navios da MB ao estar no ES mas sempre que dá,estando lá, vou ao porto ver os navios ,ao menos… Read more »

Esteves
Esteves
1 ano atrás

Lucros na produção do petróleo. Lucros. É assim que tratamos a Petrobras. …indenização à União, aos Estados e municípios, que envolve o pagamento de royalties mensais e participações especiais trimestrais, que são calculados em função do volume de petróleo produzido… Saqueamos as receitas da Petrobras mensalmente. MB, Ministérios, Prefeituras, Estados. É a farra do boi. Chamamos isso de royalties. Chamamos isso de lucros. Ao final do período a estatal tem que vender ativos para mostrar lucro de verdade. Ou quebra. No final de cada exercício a estatal tem que correr para não pagar impostos (deve quase 15 bilhões ao GF)… Read more »

Zorann
Zorann
1 ano atrás

O dinheiro tem de ir pra construção de patrulhas. Não deve ir um centavo disto aí para as Tamandarés. O fundo é da Marinha Mercante, nada mais natural do que investir na melhoria dos meios que dão suporte/apoio à navegação.

Nunes-Neto
Nunes-Neto
1 ano atrás

Concordo, toda essa grana só para construção e manutenção dos navios de patrulha.Precisamos de pelo menos mais uns 15 de 500 ton e de 3 a 5 de 2000 ton , os de 200 ton só precisarão no futuro de uma reforma e troca de equipamentos, mas creio que ainda seguram tranquilo mais 15 anos. Cade distrito oceânico deveria ter no mínimo :
2 Patrulhas oceânicos de 2000 ton
4 Patrulhas de 500 ton
3 de 200 ton.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Nunes-Neto
1 ano atrás

Nunes Neto, A classe Grajaú, de 200 toneladas, já tem exemplares beirando os 25 anos de uso, o que não é pouco para navios de pequeno porte que operam no mar, que judia bastante das estruturas. Vale lembrar também que os navios-patrulha estão entre os que mais cumprem dias de mar na Marinha. A manutençao periódica deles eu acredito que vem mantendo-os em condições, já os vi nos diques do AMRJ mais de uma vez, vejo noticias sobre os PMGs com alguma frequência (tanto no Rio quando em outras bases), mas eu não esperaria mais 15 anos de uso, pelo… Read more »

Leonel Testa
Leonel Testa
1 ano atrás

Tambem tem que se pensar nas patrulhas da Amazonia e Mato grosso

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Leonel Testa
1 ano atrás

Se não me engano a DGS estava já desenvolvendo uma lancha nos moldes da CB-90 e já tem mais de ano que li sobre isso, porém não houve mais informações(oficiais principalmente).

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
1 ano atrás

Amigos, já de jogar chinelos um nos outros. O que o Brasil necessita com urgência é um plano Marshall para a MB. Sim, em um país sensato e responsável o São Paulo seria colocado em circulação, com seu complemento de F-18 Super Hornet, que chegariam em tempo recorde atravéz do parceiro do Norte. O AMRJ sim, é a única opção responsável para receber uma enorme infusão monetária, para um programa acelerado de construção de no mínimo 36 fragatas Tamandaré, que além disso poderiam ser exportadas. A Marinha Brasileira está muito perto de se transformar em uma pequena guarda costeira. A… Read more »

Airacobra
Airacobra
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

São Paulo nem nas melhores condições teria condições de operar Super Hornets, Hornets Legacy (A, B, C, D) ai sim, poderiam operar com pequenas restrições, mas Super Hornets sem condições, isso ja foi infinitamente discutido e mais que provado que não dá.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

A Marinha não tem nem pessoal para operar 25 Tamandarés. Como não tem pessoal para operar o Atlântico e o NaE São Paulo. Aliás, a folha de pagamento de ativos e inativos corresponde à maior parte do orçamento das forças armadas e, sem entrar no mérito de se isso é bom ou ruim, o fato é o seguinte: mesmo os navios mais modernos precisam de pessoal altamente qualificado para operá-los, e o material humano das FFAA é limitado em sua quantidade.

Nunes-Neto
Nunes-Neto
1 ano atrás

Nunão, nem com troca de chapas?Bom , realmente poderiam ser transferidos para patrulha fluvial, pelo menos uma parte, meu achismo é que seguram até as portas de 2030! Mas urge a necessidade dos NAPA 500, chega dar raiva pensar que já deverias estar bom os 5 que não foram concluidos!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Nunes-Neto
1 ano atrás

Nunes, Trocas de chapas, reparos estruturais etc são feitos ao longo da vida útil de um navio, mas o metal com o tempo e o uso fica mais fraco (fadiga) e conforme o desgaste geral aumenta a necessidade de troca de chapas e elementos estruturais também aumenta. Pode chegar num ponto em que o reparo sai quase tão caro quanto um casco novo. Há limites para estender vida util de navios, especialmente os de menor porte que pegam mar grosso vez por outra e operam bastante. E não são só chapas, há equipamentos que desgastam. Pode durar mais, durar menos,… Read more »

Vicente Roberto De Luca
Vicente Roberto De Luca
1 ano atrás

Tomcat! Em relação ao seu post de 18/07 [13:15], praticamente certa a visitação a navios da MB quando atracados em Vitoria. A Capitania divulga a programação. Fique atento. Sugiro chegar um pouco antes do início. Sempre tem fila. Com um mínimo de paciência, vc poderá visitar e conhecer os navios. A tripulação terá a maior satisfação em recepcioná-lo e à sua digníssima Família. Bom programa!
De Luca, Vicente Roberto.

sergio ribamar ferreira
1 ano atrás

Torço para que esta medida provisória seja assinada.De preferência com urgência. A MB necessita, precisa, merece reativar mesmo que seja este valor de 300 ou 350 milhões por ano. Dependendo da minha pessoa seria por mês. Porém não cabe a minha pessoa decidir e sim GF e MD.

Thom
Thom
1 ano atrás

E os meios fluviais e de minagem? Vai haver alguma renovação ainda nessa década?

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

R$ 300 milhões, para a construção de novos navios ? Só se for para lanchões e canoas!!!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Marcelo,
A discussão sobre o que daria para adquirir com 300 milhões de reais por ano já foi feita em vários comentários anteriores desta matéria. Sugiro dar uma olhada.

Nunes-Neto
Nunes-Neto
1 ano atrás

300 milhões desde que, destinado somente a construção de navios patrulhas , navios de apoio oceânico ou compras de oportunidade dá sim para comprar muita coisa, vale lembrar que o Bahia e o Atlantico custaram um pouco mais que esse valor, e que toda compra é paga em parcelas, logo 300 milhões ao longo de 4 anos dá um bilhão e 200 milhões , ou seja se usado somente para compra de equipamentos, será um dinheiro muito bem vindo, daria para pagar o construção de 15 NAPA 500 BR, sem retirar recursos de outros projetos ou fontes, vale lembrar que… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Nunes-Neto
1 ano atrás

“mantendo se por 10 anos tudo certinho, vai dar para colocar a patrulha em ordem!” . Em 10 anos, se poderia ter ao menos 30 Navios Patrulha, já que em tese, se teria condições de pagar por 3 todo ano com o dinheiro do FMM… É serviço que pode manter um Estaleiro. Fora as manutenções ao longo da vida dos navios. Por isso digo que é uma grande burrada se pulverizarem a construção desses navios. . Um contrato de 30 Navios, poderiam tentar diminuir o preço por unidade, pois seriam construídos por um mesmo Estaleiro ao longo de 10 anos,… Read more »

Gonzaga
Gonzaga
1 ano atrás

Para que Temer vai aumentar os recursos da Marinha? Ele já entregou tudo o que vale a pena defender.