Home Indústria Naval Submarino S-80 espanhol é ‘grande demais para a doca’

Submarino S-80 espanhol é ‘grande demais para a doca’

14034
70
Concepção do S-80 navegando na superfície
Concepção do S-80 navegando na superfície

Uma tentativa de lançar um novo submarino para a Armada Espanhola encalhou novamente. Depois que ficou pronto, não cabe na doca, informou a mídia espanhola.

O submarino S-80 foi reprojetado com grande despesa após um erro anterior ter significado problemas de flutuação e foi ampliado no comprimento para corrigir o problema.

O jornal espanhol El País agora relata que, após as mudanças, as docas em Cartagena não podem receber o navio.

O custo para cada submarino quase dobrou, segundo o jornal.

Estima-se que o custo de cada submarino S-80 “Plus” estaria agora próximo de € 1 bilhão (£ 900 milhões).

O problema original com o submarino remonta a 2013, quando foi descoberto que era cerca de 100 toneladas mais pesado do que o necessário.

S-80 em construção
S-80 em construção

Isso causou um problema em sua flutuabilidade – ele poderia submergir, mas não poderia voltar à superfície.

Um ex-funcionário espanhol disse à Associated Press na época que alguém havia colocado um ponto decimal no lugar errado, e “ninguém prestou atenção para rever os cálculos”.

Esse erro custou 14 milhões de euros, enquanto engenheiros e consultores descobriram que a flutuação poderia ser solucionada com o alongamento do casco.

O projeto original da empresa de defesa estatal Navantia era para uma embarcação de 71 metros e deslocamento de 2.200 toneladas.

Agora, o S-80 Plus é um submarino de 81 metros e 3.000 toneladas.

Como resultado, a base em Cartagena terá que ser dragada e reformada para acomodar a embarcação que agora poderá flutuar, informou o El País.

A ministra da Defesa da Espanha, Margarita Robles, falando em rádio espanhola, admitiu que “houve deficiências no projeto”.

Ela insistiu que “eles já estão corrigidos e que o projeto é absolutamente viável”.

S-80 em construção
S-80 em construção

FONTE: BBC

NOTA DO EDITOR: A classe Scorpène foi desenvolvida conjuntamente pela DCNS francesa (que no início do projeto ainda era denominada DCN e agora Naval Group) e pela Navantia espanhola. Mais tarde, os dois estaleiros romperam o acordo e resolveram trabalhar individualmente em seus projetos.

O S-80 Plus é o Scorpène espanhol modificado e ampliado. Os submarinos da classe serão: Isaac Peral (S-81), Narciso Monturiol (S-82), Cosme García (S-83) e Mateo García de los Reyes (S-84), com lançamentos previstos para setembro de 2022, maio de 2024, março de 2026 e julho de 2027.

70
Deixe um comentário

avatar
42 Comment threads
28 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
50 Comment authors
Mk48Antonio PalharesLeonardo Costa da FonteRicardo CarvalhoCamargoer Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Joli Le Chat
Visitante
Joli Le Chat

Resumindo, primeiro projetaram sem engenheiros.
Depois, precisaram dos engenheiros para a correção.
E de mais engenheiros ainda para adequar a doca.

Fila
Visitante
Fila

Como assim, projetaram sem engenheiros?

Marcos
Visitante
Marcos

“O S-80 Plus é o Scorpène espanhol modificado e ampliado. Os submarinos da classe serão: Isaac Peral (S-81), Narciso Monturiol (S-82), Cosme García (S-83) e Mateo García de los Reyes (S-84), com lançamentos previstos para setembro de 2022, maio de 2024, março de 2026 e julho de 2027.”

Tem “forenses” por ai que dizem que é um projeto 100% espanhol e que a Navantia não utilizou 1% do Know-how adquirido do projeto FRANCÊS com auxílio espanhol.

A DCNS na época abriu um processo contra a Navantia, acusando-a de plágio

Kemen
Visitante
Kemen

O S-80 é muito diferente, não tem nada a ver com o Scorpene, por isso na época a DCNS desistiu de qualquer processo por plágio, a DCNS se queixava é que esperavam que eles comprasem o projeto completo para produzir seus Scòrpene para a marinha da Espanha, o que não aconteceu pelos requerimentos da marinha para seus submarinos os quais o Scorpene não atendia, o que ganharam os espanhois montando a parte posterior dos Scopene, foi reiniciar o processo moderno de montagem de submarinos no estaleiro de Cartagena que não os montava a decadas.

Paulo Maffi
Visitante
Paulo Maffi

Caramba, que cag*#@… Errar por 100 toneladas é de lascar, quase que fizeram a bigorna mais cara do mundo! Essa variante espanhola em dimensões e capacidade é semelhante aos S-BR?

Jr
Visitante
Jr

Creio que o nosso era mais semelhante com a primeira variante desse submarino o S-80, a nova versa tem mais de 10 metros de diferença e 1000 toneladas a mais que o nosso.

Creio que esse seja o ponto decimal colocado no lugar errado mais caro da história dos projetos de submarinos, o pior é que ficou por isso mesmo, sem investigação, sem culpados e sem punições, afinal na cabeça dessa gente, o dinheiro é público, e a população é que vai pagar esse erro grosseiro Ah só para lembrar que a Navantia é uma empresa/estaleiro público

Leonardo
Visitante
Leonardo

Como você sabe que ficou sem punições, sem culpados e sem investigação? Se você tem alguma informação privilegiada no ministério público da Espanha, por favor nos deixe inteirados, queremos saber!

Gabriel
Visitante
Gabriel

Se hovesse teria vindo a público né?!

Jr
Visitante
Jr

Se você ler os comentários de vários espanhóis sobre o assunto, todos sem exceção, dizem ser uma vergonha que um erro grosseiro desse sequer tenha sido investigado mais a fundo para apontar um culpado, aliás essa notícia de que alguém colocou um ponto decimal no lugar errado é extra oficial, a navantia nunca veio a público confirmar isso, foi a imprensa que descobriu sozinha por meio de funcionários e ex funcionários do estaleiro, porque se dependesse da navantia ninguém ia ficar sabendo que o submarino não emergia por causa desse erro grosseiro.

Paulo Maffi
Visitante
Paulo Maffi

Tks

Fawcett1925
Visitante
Fawcett1925

“Um ex-funcionário espanhol disse à Associated Press na época que alguém havia colocado um ponto decimal no lugar errado, e “ninguém prestou atenção para rever os cálculos”.”

Parece piada uma barbeiragem dessas. Gostaria de saber o que aconteceu com os engenheiros responsáveis pelo erro. Continuaram na Navantia ou foram para o olho da rua?

Robert Smith
Visitante
Robert Smith

Deixa eu ler as folha do meu Chá… aqui diz

“Foram apesentados pela Navantia e depois contratados para trabalhar no Brasil …. ”
🙁

Deus nos livre!!!

Marcelo
Visitante
Marcelo

kkkkkkkkkkk Deus nos ajude!!!!

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Erros assim podem acontecer e é por isso que os projetos passam por diversas revisões durante o detalhamento. Foi um erro de gestão e não apenas de engenharia.

Baschera
Visitante
Baschera

Ficou bem acima do seu primo, o Scorpene BR, que desloca entre 2.000 e 2.200 ton e tem 75 m de comprimento.

Sds.

Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto

Tudo por um decimal errado.

Rapaz….

Paulo Maffi
Visitante
Paulo Maffi

Tks

Carlos
Visitante
Carlos

Ainda bem que não foram os portugueses, seria piada pronta rsrsrs

Leonardo
Visitante
Leonardo

Claro, inteligentes são os brasileiros.

Lemes
Visitante
Lemes

Pois é, um pequeno país do sul da Europa que já foi uma das maiores potências econômico e militar da história é motivo de piadas. Chamados de burros e tal. Espertos mesmos somos nós, sua ex-colônia, que após duzentos anos de sua independência, com um dos maiores e mais ricos territórios do mundo, vive de pires na mão, pondo a culpa da própria incompetência e desleixo em todo mundo, chamando os outros de burros sem se olhar no espelho e com um povo que vive de eleição em eleição esperando o próximo salvador da pátria que vai lhe oferecer mais… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Senhores,
Essa discussão já está saindo completamente do tema da matéria, que trata de mudanças devido a um erro de projeto no submarino espanhol.

Sugiro manterem-se no tema, que é submarinos, e não a competência ou incompetência brasileira comparada à de países ibéricos.

ADRIANO LUCHIARI
Visitante
ADRIANO LUCHIARI

Por aqui brincamos que os portugueses são “burros”, mas eles descobriram o Brasil. Mais “burra” é a ArgentinA, que estava bem ao lado e não nos viu…

Bardini
Visitante
Bardini

O diâmetro desse submarino é maior que o de um SBR. Proa, arranjo dos tubos de torpedo e vela também aparentam ter um desenho diferente.
Foi o que notei olhando por cima…

Marcelo
Visitante
Marcelo
Paulo Maffi
Visitante
Paulo Maffi

Tks

Delfim
Visitante
Delfim

Existe coisa pior que algumas aquisições de oportunidade da MB.

Renato Oliveira
Visitante
Renato Oliveira

Duas coisas são infinitas: a estupidez humana e o universo, e ainda tenho dúvidas sobre o universo.
Albert Einstein

Cristiano Almeida
Visitante
Cristiano Almeida

Franceses trollaram os espanhóis que pensaram ter passado a perna neles no projeto.

Sandro Gomes
Visitante
Sandro Gomes

Culpa do famoso chororô de alunos de engenharia na época de faculdade: “Mas professor, eu errei apenas uma vírgula…”. Olha a ________ que dá na vida real. Rsrsrs!!

COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O BLOG LIMPO.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Me engana que eu gosto que esse erro custou só US$ 14 milhões. Com esse valor se contrata uma empresa para encontrar a solução e olhe lá.
Esse aumento de 700 (ou 800, como preferir) toneladas deve ter custado pelo menos uma centena de milhão de dólares.
E ainda vai ter a ampliação da doca.
PS: recentemente tivemos alguns erros grotescos, como o S-80, a T-45, a nova fragata alemã, etc.

Roberto Santos
Visitante
Roberto Santos

Dessa vez nem fomos nós, nem os Portugueses, fica a piada, e doido quem entra nessa geringonça

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Aos colegas que falaram dos portugueses, lembro que o mestre Chico Anysio uma vez revelou que na expedição do Cabral fazia parte um submarino ( ele destaca quem o inventou foram os lusitanos ), mas por um defeito de fabricação ele não afundava pois era feito de cortiça.

Mauricio_Silva
Visitante
Mauricio_Silva

Olá.
Um amigo comentaria: Ô península!!!
O ocorrido me fez lembrar de um filme, chamado “Idiocracia”, na cena em que o maior “monster truck” já construído tenta entrar na arena de exibição.
Difícil de acreditar em tamanha “comédia de erros”. Alguém está lucrando, sem dúvida.
Ficou grande. Será que irá funcionar?
SDS.

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Lembro deste filme e ele é muito bom no sentido da mensagem que transmite através de uma comédia. A mensagem é de que a humanidade caminha para se tornar totalmente idiotizada pois os menos favorecidos procriam como coelhos ao passo que os mais inteligentes, por diferentes razões, tem cada dia menos filhos ou até mesmo nenhum. Assim, na média, a inteligência da humanidade esta caindo a cada ano e assim continuará. E parece que os fatos confirmam visto não só a quantidade de erros grosseiros que vem sendo cometidos em projetos ou obras, e dá para citar uma enorme quantidade… Read more »

Leonardo
Visitante
Leonardo

É o nosso futuro.

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Os outros submarinos serao convertidos em PLUS??? Caso sejam, será q foi mesmo um erro ou um plano para aumentar os custos e respectivo lucro de alguem???

sergio ribamar ferreira
Visitante

Só para esclarecimento: os portugueses há cinco séculos foram uma potencia naval invejável e ainda possuem excelentes engenheiros em seus quadros atualmente. Muitas de nossas fortalezas de outrora foram construídas por portugueses os quais guarneciam suas posições na colônia chamada Brasil. no meu entender nós que somos uma piada, visto não por culpa apenas dado nosso atraso e sim pela corrupção generalizada que se tornou um câncer nos três poderes de nossa nação há décadas.

Leonardo
Visitante
Leonardo

Pois é, os outros trabalham enquanto o brasileiro ri e fala abobrinha. Parabéns ao nosso Brasil, PENÚLTIMO LUGAR nos testes educacionais dentre todo o planeta, e rindo sem parar. Em 1500, Portugal tinha 600 anos de vida e dominava metade do planeta. Em 2000, o Brasil fez 500 anos e já não dominava nem o morro do Borel. De lá para cá só piorou, talvez nem cheguemos inteiros aos 600 anos.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

No meu entender os portugueses foram mais competentes que os espanhois com as suas colonias. Ao contrário da Espanha . Eles foram capazes de não deixar o Brasil se fragmentar e se transformar em dezenas de republiquetas sem expressão. Basta ver as construções dos fortes pela costa brasileira para ver a competência Lusa no Brasil. Eles foram mais “macios” e menos traumáticos do que os espanhóis no trato com seus colonizados.

Moriah
Visitante
Moriah

Espanhóis erraram feio e agora estão pagando a conta… E em relação ao vizinho famoso? a resposta é Rogério d´Oliveira.

Mauricio R.
Visitante

Acho que os espanhóis deveriam engolir o orgulho e bater em uma certa porte, em Kiel…

filipe
Visitante
filipe

palhaçada….

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Prazos excessivamente apertados, corte nas equipes de engenharia e confiança excessiva nas simulações, alguma perda de “know-how” pelo pequeno número de projetos quando comparado às décadas passadas, engenheiros “Old School” se aposentando….esses são os motivos, em minha humilde opinião.
Estão “perdendo a mão”…

Marcelo Baptista
Visitante
Marcelo Baptista

Concordo com vc Adriano.
E isto está acontecendo no mundo todo.

Ricardo Carvalho
Visitante
Ricardo Carvalho

Fico curioso em saber se os sistemas de gestão deram “conformidade” nas diversas etapas.

Douglas Ramos
Visitante
Douglas Ramos

“Um ex-funcionário espanhol disse à Associated Press na época que alguém havia colocado um ponto decimal no lugar errado, e “ninguém prestou atenção para rever os cálculos””. É meus caros, até no primeiro mundo e no coração de uma poderosa empresa acontece (perdão pela palavra) cagadas megestosas

USS Montana
Visitante
USS Montana

Eu juro que lendo essa reportagem começou a tocar a musiquinha dos Trapalhões na minha mente. Hehehe

Gabriel
Visitante
Gabriel

Espanhol engolindo o orgulho?!
kkkkkkkkk

Gabriel
Visitante
Gabriel

Esse sem duvida será o submarino convencional mais caro do mundo , mas ao menos após a conclusão do projecto os espanhóis vão ter o domínio completo da tecnologia. Inclusive já existem países interessados em adquirir o S-80 após a conclusão do projecto.

Bueno
Visitante
Bueno

Nossa, com esta peripécia não deve conseguir vender um.
Que Deus nos livre de um erro deste nível

Bueno
Visitante
Bueno

Eles tiveram tempo de verifica e corrigir a falha no S80.
Será que vão fazer os demais com esta nova dimensão? Se sim, estarão lançando dois modelos…

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Uma informação: poucos sabem, mas a Espanha fabrica submarinos desde a década de 1920, inicialmente projetos ingleses e chegou até mesmo fabricar um submarino que seria o pai do Tipo VIIC em uma jogada entre um grande empresário espanhol e os militares alemães que c/ isso burlaram a proibição de fabricar submarinos pela Alemanha devido ao Tratado de Versailles.

Dalton
Visitante
Dalton

Espanhóis tem utilizado submarinos franceses há duas gerações…primeiro, 4 unidades da classe “Daphné” incorporados na década de 1970 que foram complementados por outros 4 da
classe “Agosta” na década seguinte, todos os 8 construídos na Espanha mantendo uma força de 8 unidades considerado essencial durante à guerra fria.
.
Hoje encontram-se em serviço apenas 3 envelhecidos classe “Agosta” que forçosamente terão que permanecer mais tempo em serviço que o esperado devido aos atrasos na construção
dos 4 futuros substitutos.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Pois é…. e ainda reclamam do Brasil!!! Imagine uma coisa destas aqui? O Servidor do Blog ia “sentar” !!!! kkkkkk

Marcelo Danton
Visitante
Marcelo Danton

Pois é!
Isso tem um nome e se chama externalidade de projeto. Pode ser positiva ou negativa…vai que esse aumento traga uma surpresa inesperada e boa.
Pensem: Ainda bem que não precisaram demolir a parede do hangar né não?!
Dizem as más linguas que no estádio do canindé SP, a´pos terminarem a construção, enterraram guindaste no meio do campo…kkkkk.

Marcos
Visitante
Marcos

O S-80 já nasceu famoso. Ganhou destaque na categoria “Proyectos militares fallidos”. Ficou em primeiro lugar do TOP 10

Essa matéria é digna de pena

La triste historia del submarino español que no flotaba (2018)

https://www.dw.com/es/la-triste-historia-del-submarino-espa%C3%B1ol-que-no-flotaba/a-44751943?maca=es-Facebook-sharing

Alexandre Esteves
Visitante
Alexandre Esteves

Essa trapalhada me fez pensar que se dependesse desses espanhóis a América nem fosse descoberta pela Espanha. Sejamos sempre gratos ao genovês Cristóvão Colombo.

Leonardo Costa da Fonte
Visitante
Leonardo Costa da Fonte

Caros,
Será que a tradução da matéria não está confusa? Lendo em outros blogs eu entendi que o submarino ficou grande demais para os piers/molhes da Armanda, os quais terão que ser alongados para poderem abrigar os S-80. Entendo que isto não tem nada a ver com a capacidade do estaleiro em lançá-los ao mar.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Será que a maioria não sabe que o balanço de uma embarcação se faz mediante alterações no Lastro? Tem que ser um erro muito grande para dar uma zebra destas. Ademais, os projetos deste porte passam por revisores, pois, por mais informatizado que seja o programa de cálculo, sempre temos que entrar com as constantes e as variáveis. Me parece istória mal contada. Tipo daquelas estradas que os empreiteiros gostam de fazer. O trabalho extra é que dá o lucro.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Mesmo assim a Arabia Saudita acaba de encomendar na Navantia, cinco corvetas do tipo Avante 2200 por um preço de 2,2 bi de dólares..
Ter grana em caixa é outra coisa. A ultima será entregue em 2022.

Kemen
Visitante
Kemen

Vamos aos detalhes, existe uma diferença enorme entre um S-80 e um Scorpene (modelo cuja parte posterior foi a unica que os espanhois montaram e não montaram com AIP) quem aprecia detalhes podera ver. Todo o desenvolvimento de um submarino com projeto proprio traz problemas que vão sendo solucionados. ao longo da primeira montagem. Conforme informações dos jornais espanhois e da marinha a reforma da doca e “outros” ja estava prevista com um valor em torno de 2 milhões de euros. A ampliação da doca para comportar os S-80 custa 284.000 euros… valor irrisorio.

Kemen
Visitante
Kemen

Correção em vez de 2 milhões de euros acima leia-se 2.2 bilhões de euros. Mil desculpas

Fernando
Visitante
Fernando

Lógico que os espanhois não vão lavar roupa suja em público. Afinal mesmo com erros tratasse de uma maquina criada para a guerra. Então sera tratado como um assunto reservado. Além disso a Navantia é uma exportadora de navios e serviços de engenharia naval. Ou seja mais um bom motivo para descrição.

willhorv
Visitante
willhorv

QQ é isso!
Se fossem os portugueses hein!?
Só falta dizer que não possuem instalação física para o motor, baterias ou tubos de torpedos.
Queria ser uma mosquinha na reunião de quando descobriram isso tudo! Kkkkkkk

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caros Colegas. Acho difícil que um erro deste tipo possa prejudicar todo o projeto. Não faz sentido algum. Qualquer projeto (de uma casa, equipamento mecânico, etc) é redundante e passa por diferentes equipes. É uma grande fantasia achar que um erro decimal afetaria o projeto inteiro. Se alguém mencionasse que as especificações das baterias tiveram que ser alteradas, ou até que o número de baterias foi modificado devido à introdução de novas capacidades, que o sistemas propulsor foi alterado ganhando potência e peso, ou até mesmo que a especificação do aço foi alterada por alguma razão técnica ou política, poderia… Read more »

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Camargoer. Concordo contigo. Não foi apenas aquele errinho.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Antonio. Esta versão de um erro na casa decimal é inverossímil. Pelo que li, ocorreu uma diferença de 70 a 100 toneladas entre o projeto original e o que seria executado. Um bom chute seria modificações no sistema AIP. Células-combustível são complexas, ainda mais aquelas que usam etanol como combustível (que parece ser a opção espanhola). De todas as tecnologias planejadas para o S80, tenho a impressão que a mais provável de apresentar problemas seriam as células-combustível.

filipe
Visitante
filipe

O S-80 Plus é o irmão do Riachuelo, é apenas um pouco maior e têm AIP, se for possível deveríamos procurar a autonomia de projecto , igual a Navantia fez , mas estamos no bom caminho.

Leonardo Costa da Fonte
Visitante
Leonardo Costa da Fonte

É claro que isto não foi um simples erro de posição da casa decimal. Isto foi um erro grosseiro de cálculo de peso dos componentes do projeto. Coisa passível de acontecer em empresas que não tenham experiência no assunto e não tenham um bom banco de dados (biblioteca) com as ferramentas de projeto necessárias aos cálculos mais complexos. Por essa razão a MB “comprou” da França, no acordo com a DCN, as informações técnicas necessárias para conseguir projetar com segurança os nossos futuros subs.

Mk48
Visitante
Mk48

Informações atualizadas hoje pela ministra da Defesa da Espanha dizem que o primeiro submarino será entregue em 2022 e o último em 2017 !.

Dizem também que o projeto está com sobrepreço de 1.7 bilhões de Euros. Nada mal para os que criticam os atrasos e aumento de custos do PROSUB !

https://navaltoday.com/2018/07/26/further-delays-for-spanish-navys-s-80-submarines/