Home Exercício Vídeo: Su-34 lança míssil antinavio Kh-31 em alvo no Mar Cáspio

Vídeo: Su-34 lança míssil antinavio Kh-31 em alvo no Mar Cáspio

6462
124

A Rússia divulgou um vídeo de um caça-bombardeiro Su-34 lançando um míssil antinavio Kh-31 contra um alvo no Mar Cáspio, em um exercío recente.

O Sukhoi Su-34 Fullback é projetado para atacar alvos de superfície, incluindo alvos móveis, por meio de uma grande variedade de armas, incluindo munições guiadas de precisão. A aeronave pode lidar também com ameaças aéreas também e pode operar em qualquer tempo. Realizou seu voo inaugural em 1990 e entrou em serviço em 2014

A velocidade máxima de alta altitude do Su-34 é de 1.900 km/h, e alcance ferry é de 4.000 km. A aeronave é capaz de reabastecimento em voo e é propulsada por um par de turbofans AL-31F, cada um produzindo o empuxo de 12.500 kgf em pós-combustão. O avião é tripulado por dois pilotos em cockpit com configuração lado a lado.

Para ataques marítimos o Su-34 pode ser armado com até seis mísseis antinavio supersônicos Kh-31A ou Kh-31R, seis mísseis Kh-35U, três Kh-59M/D stand-off, Kh-41 Moskit (Sunburn) e 3M-54 Alfa supersônicos. Isso tudo, sem perder sua capacidade de combate aéreo.

Alguém já disse que um país como o Brasil, tendo um esquadrão desses aviões para proteger seu litoral, poderia “fechar” o Atlântico Sul…

124
Deixe um comentário

avatar
44 Comment threads
80 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
57 Comment authors
ECostaTomcat4.0Rinaldo Nerysub-urbanoMGNVS Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Bardini
Visitante
Bardini

“Alguém já disse que um país como o Brasil, tendo um esquadrão desses aviões para proteger seu litoral, poderia “fechar” o Atlântico Sul…”
.
O que é uma baita de uma ilusão sem fundamento…
Vai fechar os ~1.000km da Passagem de Drake como?
Vai fechar os ~4.000km da passagem entre África do Sul e Antártica como?
O Combat Radius dessa aeronave não serve nem para “fechar” a passagem entre Natal-Dacar, de ~3.000km.
.
Antecipando os comentários: “Ohhh, nossa, que porradaaa…”
.
Alguém sabe informar o tamanho do alvo?
Sim, pq um Exocet no meio de um NPa 500t também faria um baita de um estrago.

Cbamaral
Visitante
Cbamaral

Bardini 28 de julho de 2018 at 12:02
“Alguém já disse que um país como o Brasil, tendo um esquadrão desses aviões para proteger seu litoral, poderia “fechar” o Atlântico Sul…”

Se for contra algum de nossos vizinhos “muy hermanos” alteraria sim a balança de poder, agora contra um US Carrier strike group, no máximo faria tomarem preocupações extras, mas com certeza não fecharia o Atlântico rsrsrs

Bardini
Visitante
Bardini

Contra nossos vizinhos, até as aeronaves modernizadas do VF-1, que muitos chamam de sucata, alteram a balança de um combate…
.
Mas fica a questão, pq Su-34?
Pq não adquirir mais Gripen para a FAB, que mantém e ainda dá escala a TODA a logística, que pagamos para ter?

Renan
Visitante
Renan

Porque ele não foi desenvolvido para operar por dezenas de horas em vôo Veja a cabine deste SU-34 ela é equipada com muitos itens para o ser humano que está dentro possa ficar dezenas de horas em vôo isso é basta apenas o revo É magnífica, bonita e eficiente Seus sistemas e armas são impressionante Se a marinha adquirir 36 unidades desta aeronave Com certeza a fáb irá ficar com dor de cotovelo danada. O Brasil necessita de vetores como o su34 e também do F35 No caso de não ter um navio capaz de decolar o F35. O principal… Read more »

Renan
Visitante
Renan

Segue um resumo: A característica mais distinta do Su-34 é sua larga e atípica cabine. Muito de seu design teve objetivo em providenciar conforto aos tripulantes. Ambos os membros sentam lado a lado na grande cabine, com o piloto-comandante a esquerda e o navegador/operador de armas na direita, ambos em assentos ejetores NPP Zvezda K-36. A vantagem de um cockpit lado a lado concerne a não necessidade duplicação de instrumentos para cada piloto. Com a necessidade de conforto em missões longas, o sistema de pressurização possibilita operação até 10 000 metros (32 800 pé) sem mascaras de oxigênio, as quais… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Não viaja…
.
Não tem banheiro e muito menos cozinha dentro dessa aeronave.
https://qph.fs.quoracdn.net/main-qimg-adf9c26cf29da8a0bd5d044d2f2a9fd2-c
Esse é o banheiro dos caras…
Cozinha? Uma garrafa térmica, que você pode ver em vídeos da cabine.
.
Dá pra ficar em pé na cabine… Isso por conta do próprio projeto do acesso da cabine, que é entre os dois assentos.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Dor de cotovelo? Você é, ou foi, da FAB? MB? Você deve estar nos anos 80.

Fox-2
Visitante
Fox-2

Bardidi,
A afirmação dessa materia é totalmente verdadeira, tendo em vista que através das bases navais que temos espaladas em nossa costa, poderia partir qualquer ataque.
A palavra “fechar”, se refere a inimigo que não teria coragem de aventurar em nossa costa.

Bardini
Visitante
Bardini

“A afirmação dessa materia é totalmente verdadeira, tendo em vista que através das bases navais que temos espaladas em nossa costa, poderia partir qualquer ataque.” . O que está escrito na matéria não é uma afirmação. É achismo… Achismo por achismo, qualquer um pode ter o seu. Eu tenho os meus, você tem os seus. Mas daí para a realidade de “fechar” o Atlântico Sul, vai alguns milhares e milhares de quilômetros. “A palavra “fechar”, se refere a inimigo que não teria coragem de aventurar em nossa costa.” . Ata… Agora eu entendi! Mas quem seria esse tal inimigo, mesmo?… Read more »

Bento Perrone
Visitante
Bento Perrone

Se esse grupo aéreo de ataque e negação de mar fosse composto por Gripen NG, apoiado por aviação de patrulha marítima para localizar os alvos, aeronaves de REVO para estender o alcance dos Gripen, R 99/E 99, pode ser muito difícil, mesmo para uma grande potência militar, destruir em um ataque prévio toda a capacidade de combate deste sistema de nagacao de mar. Os Gripen podem ser dispersados a ponto de ser difícil de neutraliza-los e as outras aeronaves podem ser postadas mais para o interior do continente.

Dalton
Visitante
Dalton

Não há necessidade de se destruir todos os aparelhos um por um…alguns sobreviverão , mas, pouco poderão fazer com tudo o mais destruído ou danificado e uma “grande potência” como os EUA por exemplo utilizarão primeiro a Força Aérea, para depois enviar o resto…seria tolice expor navios valiosos antes…então não basta apenas tentar negar o uso do mar, mas, também negar o ar.

Fox-2
Visitante
Fox-2

Bardidi,
Você tá enchergando as coisas somente por uma via. Avião não voa só porque tem assas !
Uma das coisas que mais potencializa um ataque naval, entre outras coisas, é a capacidade de carregamento de misseis anti-navio.
Uma unica surtida de um só Su-34 é capaz de levar um ataque de media intencidade e por isso ele pode afundar qualquer navio da atualidade. A unica forma de sobreviver é mante-lo bem longe…ou destrui-los previamente.

Bardini
Visitante
Bardini

Você só quer enxergar benefício… Você está enxergando só por uma via.
.
Sim, essa aeronave carrega muita coisa. É uma grande vantagem que ela possui. Poder carregar muita coisa ou coisa muito pesada…
Mas é importante lembrar que quanto mais penduricalhos, menor e menor será o Combat Radius.
.
O Su-30 é multifunção e ainda assim, possui capacidade semelhantes as do caça da matéria em termos de transporte. É algum muito mais interessante para as necessidades do Brasil, do que o Su-32/34, mas ninguém fala dele…

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Fox-2 não sei se sabe, mas das bases navais que temos espalhadas na nossa costa, apenas uma é aeronaval, capaz de operar aeronaves de alta performance, e é em São Pedro D’Aldeia, Rio de Janeiro.

Operação de Su-34 no Brasil, por mais capaz que seja a aeronave, é loucura pura e simplesmente falando. Para não falar de uma brutal irresponsabilidade financeira e logística. Gripens armados com armamento ASuW é a melhor pedida sem sombra de dúvida no cenário anti-navio.

Fox-2
Visitante
Fox-2

Leonardo,
Toda compra de equipamento militares requer obras de adeguação, seja na base, seja na estoque de armamento.

pm
Visitante
pm

acho que a frase faz sentido, um vetor desses é capaz de cobrir toda a distancia entre o Nordeste e a Africa. Só uma força tarefa com NAes de grande porte faria frente a isso.

Não é algo ao alcance do Brasil nesse momento (e na verdade seria um desperdicio de dinheiro) mas ao menos deveriamos armar nossos futuros Gripens com misseis suecos Rb-15 que são otimas armas antinavio e permitiriam praticamente a mesma capacidade. Abastecidos por KC-390s, os Gripens tambem podem cobrir boa parte do Atlantico Sul.

Bardini
Visitante
Bardini

“um vetor desses é capaz de cobrir toda a distancia entre o Nordeste e a Africa”
.
O texto cita 4.000 km de Ferry Range… Isso é viagem só de ida.
O Gripen E também tem esse mesmo Ferry Range… E ninguém fica falando que ele pode “fechar” o Atlântico Sul.
.
O Combat Radius dessa aeronave, que é ida, tempo sobre o alvo e volta, levando em conta o transporte do peso dos armamentos, é inferior a 2.000 km.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Pela sua linha de raciocínio, o ataque feito pelos F-111 a Líbia, partindo da Inglaterra, jamais poderia ter acontecido.
Tendo reabastecimento em vôo, esses SU-34 podem ir até Casablanca e voltam para Natal.

Bardini
Visitante
Bardini

Com reabastecimento em vôo, um Vulcan bombardeou as Falklands…
.
Gripen também faz REVO, nem por isso falam em “fechar” o Atlântico Sul com ele.

Cbamaral
Visitante
Cbamaral

Mas fica a questão, pq Su-34? Pq não adquirir mais Gripen para a FAB, que mantém e ainda dá escala a TODA a logística, que pagamos para ter? Isso eu concordo plenamente, se for pra adquirir Su-34 que comprem no navy gripen, além de padronizar com a Fab ainda teria as horas vôo mais baratas e poderia ser fabricado aqui made in Brasil. Na minha humilde opinião, 24 gripens sendo 2 esquadrões de 12 aeronaves cada, com um esquadrão no norte e outro no sul, em bases e, terra, devidamente protegidas por baterias AA em profundidade ( longo/médio/curto alcance e… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Pq não comprar 24 Gripen E/F para a FAB somar ao menos 60 aeronaves e justificar o investimento feito para produzir o caça aqui, pois só tem 36 garantidos até o momento e vamos precisar de mais aeronaves para defender o território nacional?
.
Sobre 24 Gripen M para a MB: Eu preferiria uns 12 F-35B, comprados em 2 ou 3 lotes, para o VF-1 operar umas 6 aeronaves em um LHD. Esse seria um pacote muito mais barato de adquirir e manter, que um Porta Aviões capaz de operar estes Gripen M.
comment image

Mikhail Bakunin
Visitante
Mikhail Bakunin

“Alguém já disse que um país como o Brasil, tendo um esquadrão desses aviões para proteger seu litoral, poderia “fechar” o Atlântico Sul…”

The Treta Has Been Planted

JT8D
Visitante
JT8D

Alguém já disse que a Venezuela com seus SU-30 seria uma potência. Pensamento super-trunfo

Delfim
Visitante
Delfim

Qual deveria ser a velocidade do míssil no momento do impacto ? Aparenta ser supersônico. Estimando o comprimento da embarcação de 100 metros, percebe-se que o míssil voou o equivalente em menos de um terço de segundo.
E como o Bosco me respondeu em outro tópico, impactou em ângulo.
Percebe-se a embarcação partida nos 00:57.
.
Eu acredito que se não “fechar” o AS com aeronaves e armamento dedicados à interdição de belonaves de superfície em quantidade suficiente, ao menos seria uma ameaça dissuasória.

Dalton
Visitante
Dalton

Um único esquadrão mesmo que 100% disponível o que só se conseguiria com unidades extras
para cobrir os eventualmente em manutenção ou outras indisponibilidades, significaria em
média 12 aeronaves o que seria pouco diante da imensidão do Atlântico Sul mesmo contando com reabastecimento aéreo.
.
Fica também a questão de quem se quer fora do Atlântico Sul ou mesmo o quê ? Submarinos
obviamente são imunes ao SU-34.

CRSOV
Visitante
CRSOV

Para quem acha que a Rússia não passa de um bando de _______________________ tá aí a resposta nesse vídeo !! Quem tem mais de 7000 ogivas nucleares prontinhas para uso jamais pode ser menosprezado !! Pelo contrário tem que ser respeitados e levados a sério !!

COMENTÁRIO EDITADO. NÃO ESCREVA EM MAIÚSCULAS. LEIA AS REGRAS DO BLOG.
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Flanker
Visitante
Flanker

Os russos podem ter 7000 ogivas nucleares…..podem ter até 1 zilhão de ogivas nucleares. Mas, no dia em que chegarem ao extremo de usarem essas armas, nem uma fração disso poderá ser lançada de fato. Eles lançarão as primeiras dezenas e logo começarão a receber o ataque de resposta e não sobreviverão o suficiente para usar o restante de suas ogivas. E isso vale paraqualquer país detentor de armas nucleares. Ter essas armas é um grande poder de barganha que se tem. Mas, quando se chega ao extremo de usá-las, é certeza de que também será destruído. É uma arma… Read more »

CRSOV
Visitante
CRSOV

Você é que pensa que ter 7000 ou 1000 ogivas é a mesma coisa !! Primeiramente a Rússia jamais vai ser pega de surpresa em um ataque nuclear !! Por conta disso eles terão alguns minutos para dispararem armas nucleares mais do que suficientes para destruir o mundo algumas vezes !! A menção a posse das armas nucleares tem por objetivo mostrar o quão é forte tanto convencionalmente quanto nuclearmente as forças armadas russas !! A qualidade dos armamentos russos é evidente sendo que o problema na maior parte das vezes são dos países que os importam mas não tem… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Substitui, em todos os locais onde você escreveu “Rússia”, por “EUA”, que o seu post também fica válido.
Quanto a vc inserir o que quiser no texto, essa liberdade vai até algum dos editores apagarem seu post por ser fora do topico. Mas, deu, enchi o meu saco….um abraço.

Bruno w Basillio
Visitante

Fechar o Atlântico eu não sei…Mas ia ser um fator de respeito, para aqueles que um dia sonhar em aventurar por aqui…. Mas só o Su34 não resolveria , que armas ele portaria ,se estivesse no Brasil? Com que radares vão rastrear os alvos no meio do Atlântico sul? Ter somente o caça não significaria nenhum tipo de negação no Atlântico sul …

Allocer
Visitante

Fechar o AS, seria um baita exagero.
Mas certamente seria um elemento dissuasório bem mais “assustador” que um NPa.

Bardini
Visitante
Bardini

Navio Patrulha tem que ser “assustador” para aqueles que estão cometendo crimes… Seria coisa para “assustar” aqueles que estão navegando na ilegalidade, aqueles que estão ferrando com o nosso meio-ambiente e assim por diante… Navio Patrulha não tem de ser pensado para ir a Guerra e colocar medo em outra Marinha.

Allocer
Visitante

“Sim, pq um Exocet no meio de um NPa 500t também faria um baita de um estrago.”
Tinha lido rápido e entendido erroneamente essa sua colocação, no meu primeiro entender achei que o NPa seria o atacante e não o alvo.
Naturalmente, um NPa possui função distinta.

Atirador 33
Visitante
Atirador 33

Não entendi as imagens feita no começo do vídeo, em um navio com bandeira da Finlândia, não sabia que esse país compartilhava videos com os russos, achei que ela fazia parte dos países que vivem a neurose de se defender da Rússia, como a Dinamarca e a Suécia.

Abs

Bardini
Visitante
Bardini

Aquela bandeira branca com uma cruz azul?
É o simbolo da Marinha Russa…
http://cimsec.org/wp-content/uploads/2015/11/Navy-Day-Sevastopol-2014-672×372.jpg

Thom
Visitante
Thom

P-3 Orion já faz um bom trabalho de patrulha e está chegando os harpoon.
Eu achando que deviam transferir os AF-1 para a FAB e os P-3 para a MB. hahahahahahaha
Submarinos, Patrulhas e os Orion. Isso sim.
Essa é uma bela aeronave. Mas só os russos as possui. A robustez dela me faz lembrar os Typhoon.rs

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Prezado, a Argélia encomendou 12 Su 34 em 2016.

Hermes
Visitante
Hermes

Aproveitando a deixa sobre a bandeira da Finlândia que na verdade é a da Marinha da Rússia, apesar do histórico de guerras com a URSS, durante a Guerra Fria a Finlândia usava muito armamento soviético, sempre quis saber por que.

Dalton
Visitante
Dalton

Durante parte da guerra fria, nos anos 60, aí sim, se pode dizer que havia uma predominância de armamento soviético até porque a Finlândia adotou uma postura neutra e não de confronto com os soviéticos.
.
Mas já na década de 1970 as coisas começaram a mudar e muito armamento foi adquirido de outros países …o “Draken” sueco tornando-se a principal aeronave de combate, por
exemplo.

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezados, Antes de 2025 não acredito na aquisição de aeronaves de alto desempenho. Até lá, a MB precisa racionalizar e cortar gastos, fazendo a restruturação planejada e já em curso. A partir da segunda metade da próxima década, se houver recursos constantes, além da supramencionada reestruturação, será possível obter aeronaves de alto desempenho. A aquisição se daria em pequenos lotes, de 4 a 6 aeronaves em cada, até se chegar ao número pretendido. Entendo que essas aeronaves devam ser capazes de operar embarcadas. Mesmo que o futuro navio-aeródromo só esteja operacional na década de 30, a MB poderá adquirir essas… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

Excelente informação, Almirante. Se me permite gostaria de fazer uma pergunta referente à força aeronaval, mas de outro tipo de vetor — Faz parte dos planos da MB adquirir um VANT da categoria do ScanEagle, por exemplo? Imagino que q aquisição de uns três sistemas ScanEagle3 ou Integrator (cada um com um sistema de controle e 4 aeronaves) mesmo que em sistema de leasing por uns 5 anos seria interessante para criar uma doutrina em seu uso. Nesse período os sistemas poderiam “circular” em diferentes ambientes, estabelecendo sua eficácia por exemplo no auxílio a patrulha fluvial e oceânica tanto a… Read more »

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezado Marcelo,

A MB selecionou para o short list o Scan Eagle e o Camcopter S-100. Porém, no momento, ainda não há recursos para aquisição.

Abraços

MARCOV
Visitante
MARCOV

O SU-34 é excelente, mas a Rússia não o venderia.
O nosso caminho é o Gripen.

nonato
Visitante
nonato

Não o venderia?
A Argélia encomendou uns 12.

MARCOV
Visitante
MARCOV

Não para o Brasil, nonato. A Argélia é cliente de material bélico russo há muito tempo.
Esta é uma opinião minha, mas não quer dizer que não admiro, e muito, o modelo da SUKHOI que é um excelente equipamento.

nonato
Visitante
nonato

Hoje em dia, os países vendem tudo. Não há muita limitação. O negócio é ganhar dinheiro. Vendem até S400 para qualquer país que pague por que não venderiam o SU 34 que é um bom avião mas não se trata de uma tecnologia revolucionária como o F22.

MARCOV
Visitante
MARCOV

Não, não é como eu analiso esta situação em particular.

Washington Menezes
Visitante

Caraca, afundou com um único disparo.

abrahamyamato
Visitante
abrahamyamato

Cara irado esse caça sera se o brasil tem condições de operalo

Silvano Conti
Visitante
Silvano Conti

0:52. “Beleza pessoal.”

Guilherme Lins
Visitante
Guilherme Lins

interessante para a MB pelo alcance e capacidade. Mas também sou da opnião que se for para a MB possuir esquadrão que esse seja abastecido pelo Gripen. Logicamente a manutenção, gastos e desenvolvimento de futuras melhorias ficariam incomparavelmente mais acessíveis e baratas numa uniformização de vetor MB-FAB.
e sobre “fechar” o Atlantico sul senhores, o caminho é, e somente é, SUBMARINOS. Um numero entre 10-15 unidades de scorpenes, incluindo ai uns dois nucleares, significaria uma enorme dor de cabeça para qualquer país. Muito mais que esquadroes de su-34 ou gripen.

Adriano M.
Visitante
Adriano M.

MARCOV 28 de julho de 2018 at 13:49 “O SU-34 é excelente, mas a Rússia não o venderia”. Quem disse que não o venderia,se a mesma tem modelo exportação?! Tanto que a Argélia já encomendou 12 aeronaves… Flanker 28 de julho de 2018 at 12:47 “Os russos podem ter 7000 ogivas nucleares…..podem ter até 1 zilhão de ogivas nucleares. Mas, no dia em que chegarem ao extremo de usarem essas armas, nem uma fração disso poderá ser lançada de fato. Eles lançarão as primeiras dezenas e logo começarão a receber o ataque de resposta e não sobreviverão o suficiente para… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Defesa contra chuva de ICBM’s? Dê uma lida sobre ‘MAD.’ E não estou falando da revista.

É bom separar logo o Nuclear do convencional. A Rússia é uma potência nuclear. Convencionalmente eles também são potência, mas é principalmente uma potência regional. Isso inclui a Europa, mas mesmo assim hoje em dia eles são apenas uma sombra do que a antiga URSS era em termos convencionais, embora estejam tentando voltar à velha forma.

MARCOV
Visitante
MARCOV

A Argélia é cliente de longa data de material bélico russo.
A Rússia não venderia para qualquer país e a minha opinião (isso é pessoal) é que não venderia para o Brasil.

Flanker
Visitante
Flanker

Ah tá…..então as ogivas nucleares de todos ou outros países detentores dessas armas podem ser retiradas de serviço, já que os russos tem capacidade de atacar com suas armas, e de se defender de um ataque de resposta. Esses russos sào “os caras” mesmo!…….kkkkkk….menos, meu amigo, bem menos!!

Bosco
Visitante
Bosco

Adriano, O único país que tem defesa contra um ataque de ICBMs e que cobre todo o seu território é os EUA. O sistema é denominado GMD e é baseado em mísseis que lançam veículos de interceptação cinética. A defesa provida pelo GMD cobre todo o território americano mas só é efetivo contra um ataque limitado. Se a Rússia quiser implementar um ataque em larga escala não há nada que o sistema de defesa americano possa fazer. E a Rússia nem precisa usar esse monte de armas exóticas que está implementando (torpedo nuclear , mísseis de cruzeiro nuclear, míssil planador… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

Nem precisaria de PAs para se contrapor a um suposto Brasil, com SU-34.
Uma fronta de Burkes armada com SM-6 e RAMs, junto com toda sua parafernalha de guerra eletronica, faria os misseis e os aviões esclarecedores ficarem cegos.
Sem contar os Tomahawks que poderiam fechar as bases.
Uma salva de 12 Tomahawks pode fechar uma base aérea por 24h, destruindo sua pista de vôo e de táxi.
Agora o Brasil já tem os P-3 armados com os Harpoons, sendo que a versão que o Brasil comprou tem um alcance de 280km.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Uma característica destes mísseis pesados e supersônicos é que se não encontrarem algo realmente duro no navio, um compartimento carregado, atravessam o navio como um bala e a carga queimam sua carga explosiva fora do navio.
Se bem que o Yakhont P-800 usado pela Indonésia neste teste atingiu o objetivo de tirar o navio de combate, se estivesse ativo. Deve ser um impacto muito grande no navio, afinal é um míssil de 9 metros a Mach 2.6.
Vejam que a explosão da carga ocorreu fora do navio, depois que o míssil o atravessou como uma bala.
. https://2.bp.blogspot.com/-7d5HqjyBYek/UHq4qpeA82I/AAAAAAAASCk/J2e1d-gWBNk/s1600/KRI+Teluk+Bayur+-+Yakhont.jpg

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Sempre que vejo esse avião lembro do F-22… que susto!!!

Bruno w Basillio
Visitante

“Sempre que vejo esse avião lembro do F-22… que susto!!!”
Não entendi muito seu comentário…
Se fala do incidente no começo do ano na Síria ..
Eram Su25.

Mk48
Visitante
Mk48

Com o calibre do canhão que os navios da classe Amazonas possuem qualquer barco pesqueiro que tenha um rifle AK47 o enfrenta na maior tranquilidade, correndo o risco de ainda botar o patrulheiro para correr.

Mk48
Visitante
Mk48

Essa postagem é uma resposta ao post do Allocer, um pouco mais acima.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Vou postar de novo a foto comparando a munição do canhão 30 x 173mm do Amazonas com a de um fuzil calibre.30-06 Springfield ou 7,62 x 63 mm, foi o calibre padrão das forças armadas americanas de 1906 até a Guerra do Vietnam.
A munição do AK-47 é a 7,62x39mm, do mesmo calibre porém mais curta que a a da foto.
Não vejo como um barco com um fuzil 7.62 mm possa botar um navio com um canhão 30mm para correr.
. https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQtEiIbyUEbL6_QDTHrq6IhjHR34bp7SjZfdKQG3hSWWxTVZpEArqpogWf2LA

JT8D
Visitante
JT8D

Kkkkkkkkkk
Parece que o pessoal aqui tem muita dificuldade com números. Agora que você desenhou vamos ver se eles entendem

Mk48
Visitante
Mk48

Walfrido,

Fiz apenas um comentário espontâneo, sem nenhuma pretensão de ser técnico. Foi mais uma maneira de dizer que acho os Amazonas mal armados. Já tive a oportunidade de responder algumas duvidas suas aqui no Blog e o fiz com seriedade , sem nenhum tipo de cinismo ou ridicularizando o seu comentário. Uma pena que você tenha me respondido desta forma.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Vc deve estar confundindo com o comentário do outro colega, pois não o ridicularizei ou fiz cinismo, não é meu estilo.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Trusted Member

Sinceramente, não vi qualquer cinismo ou ridicularização no comentário do Walfrido.

Mk48
Visitante
Mk48

Walfrido, vc tem razão. Me confundi com o “comentário” do JT8D. A resposta era para ele. Me perdoe.

JT8D
Visitante
JT8D

Mk48, meu comentário foi geral, e não dirigido especificamente a você. É que essa confusão com calibres se tornou recorrente no blog. Não é nada pessoal, inclusive considero seus comentários sempre muito pertinentes e informativos

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Como não responder um comentário ridículo desses sem te ridicularizar? Nossa cara, antes de abrir essa caixa de comentários, reflita…faça uma pausa, respire e, se possível, pesquise no Google a diferença entre os calibres citados. Você, com certeza, encontraria a mesma foto postada acima e, de imediato, perceberia a besteira que estava prestes a escrever. Patrulha é patrulha, navio de guerra é navio de guerra. A classe Amazonas está dimensionada para sua missão. Agora, se por ausência de outros meios, ela precisa ir lá pro OM, se colocando em risco de tomar um balaço de um insurgente, o problema é… Read more »

Raduga
Visitante
Raduga

É claro que um barquinho de pesca com um AK 47 não pode ser contrapor a um Amazonas; mas entendi à crítica do Mk48 como relativo ao sub-armamento dos navios da classe, opinião da qual compartilho.

Flanker
Visitante
Flanker

Ah tá!….tu ja viu o estrago que um projétil 30 mm faz? Agora compara com o estrago de um 7,62….a partir daí tu soma a cadência de tiro do 30 mm sobre o pesqueiro….sem falar naquantidade de munição disponível ao canhão 30 mm….acabaria o pesqueiro no fundo do mar e seus tripulantes virariam isca para os peixes!

Sequim
Visitante
Sequim

Bom,eu postei em outro site um comentário do tipo ” que porrada” , que ao que parece incomoda a sapiência de alguns aqui. De fato, foi um impacto impressionante. Creio que ocorreria o mesmo utilizando -se qualquer míssil antinavio supersônico pesado de qualquer origem., não necessariamente apenas russo. No mais, é de lamentar que alguns, de tanto conhecimento que acumularam, em paralelo, tenham ficado um tanto quanto intolerantes a comentários menos técnicos e mais espontâneos.

Épsilon
Visitante
Épsilon

Tenho que concordar com você e crime ser leigo aqui no Site os mais entendidos não perdem a oportunidade de fazer bullying por isso a maioria dos leitores se afastam dos comentários e melhor só ler a matéria mesmo.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Trusted Member

Épsilon, Boa parte dos comentaristas com mais conhecimento que eu acompanho aqui no site, há mais de dez anos, responde às perguntas dos que se consideram leigos com muita paciência e boa vontade. Eventualmente perdem a paciência, mas esses casos são exceções. O que pode ser considerado “crime” e gera bullying e reações do tipo é a postura de alguns comentaristas que aparecem com frequência, sem conhecimento algum e cheios de petulância, de despejar um monte de certezas que tiram sabe-se lá de que video porco e mal feito que tem de monte no YouTube. (Estou escrevendo de forma geral,… Read more »

Wagner
Visitante
Wagner

Interessante a mudança tecnológica da AV_MF : passou daqueles Bisons e companhia enormes, para Caças como Su 34 e Su 30 , vetores modernos menores que levam mísseis bem mortais.

Se bem que eu gostaria de um número maior de aviões, mas, de fato existe uma recuperação no setor. Para fins defensivos, a Rússia está em excelente fortalecimento.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

São aplicações diferentes, o Su-34 é um bombardeiro tático enquanto o Bison era um estratégico.
O Bison que voou de 1953 a 1993 levava a carga total de 9 tons do Su-34 internamente e até 24 tons com carga externa.
.comment image

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O Bison levava mais armamento que o seu sucessor Tu-95 Bear que carrega 15 tons, porque no tubo-hélice Bear foi priorizado o alcance 3 vezes maior.

Everton Matheus
Visitante
Everton Matheus

A cara do “Seu Vlad”(na foto) olhando para os controladores ali é engraçada…
Vamos lembrar que a quase 40 anos atras a Argentina ja fazia um exocet afundar um destróier de 5.000t e um cargueiro de 15.000t

Bonito de ver mesmo vai ser nossas Corvetinhas Tamandaré lotados de MANSUP e Gripen’s deitando o cabelo pela costa Brasileira, não precisamos buscar no Oriente algo que podemos ter aqui com as próprias pernas…

José Luiz
Visitante
José Luiz

1-) Já escolhemos o nosso avião, é o Gripen e a sua arma anti navio homologada é o RBS 15, que inclusive esta sendo lançado um novo modelo, que é um míssil de respeito em todos os sentidos. 2-) Um caça em missão anti navio não precisa ter uma base fixa, como São Pedro da Aldeia, pode operar de qualquer aeroporto civil do litoral ou próximo ao litoral, neste ponto o número de pistas sob bastante. Lembrando que o Gripen foi projetado para operar até de rodoviais e todo o material e armas podem seguir por aeronaves de transporte ou… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

O P-95M ainda existe, foi modernizado com um bom radar, e é uma aeronave de esclarecimento.

Arariboia
Visitante
Arariboia

Na verdade o SU-34 pode levar de 8 até 12 Toneladas. Varia de acordo com a missão e distancia.

De todas as aeronaves russas, acho o SU-34 o mais enigmático… Seus dados de radar são de 2004 e depois não se teve mais informações…Tem matéria do ano passado na Zvezda sobre atualizações mas nada as claras.
Fora que ele funciona como um “growler” podendo levar 2,3 e previsão partir de 2019 até 5 PODs de Guerra Eletrônica ou a familia da UKR-RT

Videos dos SAP-518/M e SAP-14 ou L700:
https://www.youtube.com/watch?v=kOcQ3ru4QUE&t=51s

Marcos Matos
Visitante
Marcos Matos

acompanho a trilogia a muito tempo…
raramente escrevo algo, sou muito leigo por ser soldado de infantaria..
não acho que haja algum tipo de discriminação por aqui…
embora haja uma disputa ferrenha de vermelhos contra azuis kkkk
mas aqui pra nos gente..tem cada comparação viu…desculpa ai amigão mas aquela do fuzil 7,62 X Can 30mm foi forte..
obrigado gente

Juscelino
Visitante
Juscelino

Uma dúzia dessas aeronaves, na ala 10 em Natal, seria interessante para defender a nossa costa norte que é a mais vulnerável tanto por falta de equipamentos de defesa como pela proximidade com uma possível ameaça, que certamente viria pelo atlântico norte. É só ver o mapa mundi. O termo “fechar” a ameaça pode ser substituído por “dificultar” a passagem dessa ameaça para a costa sul que por ser a mais industrializada, seria o possível alvo.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Se precisar de algo lá é só desdobrar. Avião voa. Em algumas horas estão lá. Inclusive o apoio.

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

Perceberam a foto do Putin no vídeo?

Mk48
Visitante
Mk48

Putz…. tava reparando isso também ! rsrsrsrsrs

BILL27
Visitante
BILL27

Não tinha como não reparar kk

fabio jeffer
Visitante
fabio jeffer

Bardini
O Su-34 é mortífero sim, quer vc queira ou não

Bosco
Visitante
Bosco

Uma pequena comparação entre mísseis da mesma categoria (ar-sup, ramjet com booster integrado, Mach 3, peso menor que 1 t)

Peso:
Krypton: 600/610 kg
ASMP: 860 kg
XASM3: 900 kg

peso da ogiva:
Krypton: 85/95 kg
ASMP: 180 kg (nuclear)
XASM3: 180 kg +-

alcance:
Krypton: 110/120 km
ASMP: 300 km
XASM3: 150/200 km

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Concordo com a opinião do Bardini e fico feliz que, conforme o comentário do Luiz Monteiro, a MB tenha a pretensão de dotar uma base litorânea de caças atuais. Mas que esse Su 34 é um baita avião, não há dúvidas. Se pudéssemos nos dar o luxo de fazer um high low e os russos tivessem um pós venda confiável, seria interessante a dupla gripen e alguma das variantes do Su 27 mais o Su 34 baseado no litoral. Mas deixemos isso para os indianos, que sempre precisaram de um mix ocidental/oriental e têm condições de operar mais uma linha… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

A base litorânea sempre existiu. Chama-se Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia. E se precisarem, podem utilizar qualquer base da FAB. Não é proibido.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Todos os A 4 da MB passíveis de modernização deveriam recebe lá.

Integrando o Harpoon ou o Exocet.

Simplesmente assim CA LM

O Gap estaria anulado.

nonato
Visitante
nonato

Não sei quem escreveu a matéria. Mas colocou esse parágrafo de fechar o Atlântico para”estimular o debate”. Para o bom entendedor, meia palavra basta. O Atlântico sul não é um estreito para ser fechado. Certamente o que se quer dizer é que o SU 34 é um mix de bombardeiro com alguma capacidade ar ar e velocidade supersônica. Tem um alcance enorme e também um payload enorme. Se a Marinha quer tanto dois naes, se for para “proteger” nossa costa (e não atacar outro país), melhor aviões de longo alcance e grande payload. Se o avião alcançar uns 1.000-1.500 km… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Nonato, o REVO permanece na área Drink, fora do alcance da aviação inimiga. Isso já foi estudado antes, no Exame de Situação, e um Plano de Controle do Espaço Aéreo foi confeccionado pela Força Aérea Componente. Guerra não se faz de improviso. Você precisa participar de um Exercício AZUVER nas Escolas de Comando e Estado-Maior pra aprender.

Esteves
Visitante
Esteves

Por que o Su34? Porque quem fez a matéria escolheu esse. Não fez com outro. Também não disse que com outro não se poderia. Ou que deveríamos ter. Ou que vamos comprar ou trocar. O editor bota um avião na matéria, ilustra com o vídeo e, no final diz que alguém teria dito ou disse que o Su34 poderia negar o mar ou fechar o mar. Em um país como o Brasil. Poderia ser a turma do Pacífico ou a Argentia. Ou até país africano. Lendo a quantidade de mísseis que o menino leva… Aí o pessoal pesquisa o alcance,… Read more »

JT8D
Visitante
JT8D

Como enfrentar SU-34 ?
Com Gripen, Meteor e R-99

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

E-99. Não aprenderam ainda.

JT8D
Visitante
JT8D

Vc entendeu

Arariboia
Visitante
Arariboia

SU-34 mostrando sua manobrabilidade no mASK 2017 com 2 KH-31, 2 R-27, 2 R-74M e 1 Kh-59
http://www.youtube.com/watch?v=L1PwfpEa9tQ

Arariboia
Visitante
Arariboia

Não creio que precisaria disso… e se funcionaria. Até porque teria que se passar primeiro por SU-35S/30SM +A-50U ou A-100 antes de chegar perto de SU-34 ou SU-34M mesmas condições de lançar misseis de R-77-1 ou M fora que possui um dos maiores radares em módulos e em tamanho em caça bombardeiro.

Renan
Visitante
Renan

O melhor, mais belo caça bombeiro que já vi.
Ele é projetado para ficar dezenas de horas voando. Sua cabine é o que permite longas jornadas. Devido ao conforto.
Possível ficar em pé. Tem banheiro. Cozinha.
Basta um revo e determinação e a missão dobra de duração
Portanto é magnífico

nonato
Visitante
nonato

Poderia era ter logo duas camas e quatro pilotos se revezando.
Não dou valor a caças que voam uma hora e precisam reabastecer…
Especialmente em um território e mar tão vasto quanto o nosso.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Por isso é o Su-34 é um bombardeiro tático e não estratégico.

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

O Su-34 não tem banheiro nem cozinha, isso era um projeto não aprovado e o banheiro se restringiria a uma única pequena privada atrás dos assentos ejetáveis perto da escada(no Su-34 os pilotos sobem por uma escada que da acesso por baixo, o canopi não abre) e a cozinha era um pequeno forno elétrico de baixa potencia para aquecer o lanche.
. https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRg7UtZZNURplk63Y1LF0B4raF8U5MIgmwb5_P3fBDK4x8m4SaBz0Dqebw_

Walfrido Strobel
Visitante
Walfrido Strobel

Este é o “banheiro” do bombardeiro estratégico Tu-95. Seria algo parecido no Su-34 com um sistema de vedação aprimorado devido a possibilidade de G negativo.
. https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRcoqdglI3tA1xETrWQyRXd_P_N1fZJdZo6IoncGvo33A9D_QKsB3XFEqME

Jose Carlos Pires
Visitante

A Russia e um exemplo de pais que leva a questao de defesa a serio com um orçamento em torno dos 80 bilhoes de dolares esta renovando as tres forças um pais imenso que sabe se proteger seria tambem o nosso caso um pais pacifico cheio de riquezas deveria saber se defender a altura pelo tamanho da costa brasileira era pelo menos pra ter uma frota de submarinos nucleares e convencionais no estado da arte, mas a FAB ja esta dando o passo inicial com o gripen espero que o proximo modelo deveria ser um caça mais pesado estilo SU-35… Read more »

MGNVS
Visitante
MGNVS

Jose Carlos Pires 29 de julho de 2018 at 9:58 Jose Carlos Concordo com alguns dos pontos que descreveu. Pelo fato do Brasil ser o 5° maior pais do mundo em extensao territorial o seu ponto de vista foi bem assertivo. Tbm acho que o Brasil precisa de uma frota de submarinos nucleares (no minimo 4 subnuc) e convencionais (pelo menos 24) no estado da arte e mais, precisariamos de pelo menos 6 porta-avioes de defesa de ponto (18 avioes), onde 3 estariam sempre operacionais para defesa da nossa costa, 1 para treinamento e 1 em doca nas manutencoes atualizacoes.… Read more »

Juarez
Visitante
Juarez

Racionalizar e padronizar, leva poder manter e operar.
Um dia aprenderão.

JT8D
Visitante
JT8D

Eu acho que nunca aprenderão

sub-urbano
Visitante
sub-urbano

A Venezuela tem esses mísseis KH-31 integrados nos Flankers. Na segunda fase da trajetória esse míssil beira match 4…

Existe ainda uma versão antiradiação para missões anti-radar.

O custo benefício desse míssil é fantástico. Ele oferece muita coisa pelo que custa. Imagine só, se os Exocet subsônicos fizeram o que fizeram nas Malvinas….

Bosco
Visitante
Bosco

Sub,
Não necessariamente!
A RN nas Malvinas estava apta a lidar com mísseis como o AS-4,que tinha velocidade supersônica (apesar de ser quase 10 x mais pesado que o Kh-31).
O que se mostrou complicado foi a capacidade sea-skimming. O Krypton (Kh-31) é um míssil de trajetória alta, facilmente detectável por sistemas da época e muito provavelmente passível de interceptação via Sea Wolf ou Sea Dart.
Os russos de modo bem inteligente tem para o mesmo segmento tanto o supersônico Krypton (Kh-31) quanto o subsônico sea-skimming Kh-35. Isso complica a defesa.

MGNVS
Visitante
MGNVS

Pelo fato do Brasil ser o 5° maior país em extensao territorial do mundo e tbm ter uma grande costa maritima, no meu ponto de vista nosso país deveria ter: . 06 submarinos nucleares (03 em patrulhamento constante na costa, 01 para treinamento, 01 em doca p manutencao/atualizacao, e 01 para projecao de poder em missoes de paz e ajuda humanitaria.) . 24 submarinos convencionais (no minimo) . 06 porta-avioes de defesa de ponto (Total de 12 ou 18 aeronaves Grippen NG por PA) (03 PAs em patrulhamento constante na costa, 01 para treinamento, 01 em doca p manutencao/atualizacao, e… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Sonha…

MGNVS
Visitante
MGNVS

Rinaldo Nery

Exatamente… SONHO… apenas um exercicio de imaginacao de um simples leitor.

Isso é algo q jamais acontecera pq o Brasil nao investe como deveria na Defesa e nem em Pesquisa & Desenvolvimento.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Rapaz vc sonhou absurdamente sonhando viu de modo que nem em meus maiores delírios consegui ainda!!!rs
Tirando os 6 PA’s e reduzindo para dois creio ser bem possível.

Sds.

Bosco
Visitante
Bosco

MG, Eu já ficaria só com os 5 subnucs planejados, mais 12 sub convencionais. Tirava os PA. E aí dava um jeito da FAB ter uma aviação de patrulha de primeiro mundo, com qualidade e quantidade. Quem sabe duas dúzias de P-8. O Su-34 seria interessante se combinado com um daqueles megamísseis russos se houvesse um cenário onde fôssemos atacar um PA inimigo. Nesse caso eu apostaria nos submarinos para a missão e dispensava os Su-34, principalmente se houver previsão de míssil antinavio para os Gripens. Vale salientar que o Su-34 armado com esse “traque” é ridículo. Contra um porta-aviões… Read more »

MGNVS
Visitante
MGNVS

Tomcat4.0 e Bosco…
Saudaçoes

Entao… meu pensamento foi so em relacao ao que o Brasil poderia ter se quiser ser uma pitencia regional e baseado mais na defesa do nosso país do que na intervencao militar.

Mas igual eu disse: um SONHO da minha parte…. kkkkkkkk… ou melhor… um delirio igual o Tomcat4.0 disse.
kkkkkkkkkk

Vcs dois, Tomcat e Bosco, foram bem mais realistas na projecao de uma futura estrutura militar basica para nós aqui no Brasil.

Tomcat4.0 e Bosco…
Digam, se o Brasil fosse um país serio na area de Defesa Estrategica, e realmente aplicasse os devidos investimentos, esse meu SONHO delirante seria possivel?

MGNVS
Visitante
MGNVS

*Potência

Bosco
Visitante
Bosco

MG, Acho meio exagerado termos 6 PA dentro do atual contexto. Eu era muito crítico da MB quando ela insistia com o tal do Opalão, mas hoje acho que ela está trilhando um caminho mais pé no chão. Já acostumei até o o PHM Atlântico. O que achou ruim mesmo na MB é nossa força de submarinos medíocre. Tal desleixo pra mim só e superado pelo desleixo da FAB em nos deixar duas décadas sem um caça de primeira linha. Mas com o tempo tudo se arranja sem esquecermos que “atrás de morro vem morro”. Nem quero imaginar o que… Read more »

MGNVS
Visitante
MGNVS

Bosco

Bom dia.

Sim… hj em dia mabter PAs no Brasil se tornou inviavel.

Tbm espero q o Brasil consiga pelo menos os 5 subnucs planejados igual vc vc citou e no minimo os Grippen acordados. Isso seria o minimo viavel para um país com nossa dimensao territorial.

Bosco
Em relacao aos radares, bem o Sputinik é um excelente site de ficçao cientifica… hahahaha…
… de repente eles tem varios projetos secretos da Enterprise do Novo Star Tekk… vamos pedir informacoes p o ator Chris Pine (novo Cap.Kirk)… ae ele passa alguns projetos pra nós… hahahaha

Abraço

ECosta
Visitante
ECosta

Bosco, imagino que esta regra dos 300km suicídio só serve se o oponente for um CV americano.
Estou certo ?

Bosco
Visitante
Bosco

ECosta,
Sem dúvida! Pra marinha francesa também. Em menor grau pra chinesa, indiana, russa e futuramente a britânica, que também tem lá seus porta-aviões, apesar do AEW ser em helicóptero.
Mas sem dúvida não há nada comparado a um porta-aviões americano e sua capacidade de controle de área marítima.

Bosco
Visitante
Bosco

ECosta,
Muitos fazem pouco de uma “carrier strike group” da USN e acham que eu exagero em desfavor de russos e chineses, mas se lembrarmos que um porta-aviões americano leva 5 aviões AEW (E2C/D) que é a mesma quantidade de aviões E-99 que temos para o Brasil todo, conseguimos avaliar melhor as potencialidades a que me refiro.