Home Aviação Militar Chineses ameaçam armar a Argentina contra o Reino Unido

Chineses ameaçam armar a Argentina contra o Reino Unido

30754
171

Fórum online reage à provocação da Royal Navy no Mar do Sul da China

Na ilustração, um jato JF-17 Thunder ataca o porta-aviões britânico Queen Elizabeth
Na ilustração, um jato JF-17 Thunder ataca o porta-aviões britânico Queen Elizabeth

A recente realização de FONOP (Freedom of Navigation Operation) por navio da Marinha Real Britânica (Royal Navy) no Mar da China provocou irritação nos chineses.

O fórum online chinês mil.news.sina.com.cn sugeriu rearmar a Argentina para ameaçar diretamente os interesses do Reino Unido no Atlântico Sul, com uma imagem sinistra.

Na imagem divulgada no site chinês, um caça sino-paquistanês JF-17 (FC-1) Thunder com as cores argentinas aparece atacando o porta-aviões britânico Queen Elizabeth.

A China tem avançado bastante em sua aproximação com a América do Sul, com aquisições e investimentos. A Argentina cedeu parte do seu território para a instalação de um observatório espacial chinês e as aquisições de equipamentos militares poderão ocorrer em futuro próximo.

Preocupado com o avanço chinês, o secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis, realizou em agosto sua primeira viagem à América do Sul. Em suas paradas no Brasil, Argentina, Chile e Colômbia, o objetivo do chefe do Pentágono foi fortalecer as relações militares com Washington e conter a crescente influência de Pequim na região.

NOTA DO EDITOR: Em 2015 chegou a ser noticiada a compra de 20 caças JF-17/FC-1 pela Argentina, mas o negócio acabou não se concretizando.

O JF-17 pode levar uma variedade de armas ar-ar, ar-solo e ar-mar, incluindo o míssil CM-400AKG derivado do míssil balístico tático SY-400. O CM-400AKG é um míssil ar-superfície com capacidade antinavio, que pesa 910kg e tem alcance de 100 a 240km. Ele pode ser guiado por INS, GPS e buscador de radar passivo, e poderá receber ainda guiagem por IR e TV.

 

171 COMMENTS

    • Amigos do sul?

      Douglas, você certamente mora no norte do país.

      Argentinos têm uma rivalidade histórica com o Brasil. Se algum dia eles tivessem a força para ser o país dominante na região, certamente o fariam.

      Particularmente, não tem nenhum apreço pelos “hermanos”.

      • Viestes deste novela da Globo ? Devemos trabalhar com a Argentina e apoia-la , não digo no caso de tomar as Malvinas a força , mas apoiá-la , vamos acordar !!

      • Uruguai ou província Cisplatina não pertence ao Brasil graças a nossos “hermanos,” se Alemanha ganhasse a guerra certamente o plano de tomar o sul com colonização alemã seria dos argentinos, este era o plano, adivinha pra onde os nazistas foram se esconder após o fim da grande guerra, desde a época do império eles nos vê como inimigos e gente desinformada vem com este papo ingênuo de “hermanos” aff.
        Nossos aliados históricos se chamam grã Bretanha e EUA, aliás EUA está doando grandes quantidades de tanques (51) e tanques remuniciadores (48) e peças de artilharia M 198 além de venda de helicóptero de ataque super cobra plus+ (usados porpelos marines) baratinhos, etc e grã Bretanha nós vendeu o nosso orgulho do mar o porta helicópteros Atlântico a preço de banana ( descontando a reforma que deixou novo e servirá no Brasil por mais de 30 anos) saiu por certa de £20 milhões (preço de 2 tanques de guerra já os hermanos na hora de comprar nossos super tucanos (até os EUA compra) preferiram comprar um tal de texan II, com hermanos como os argentinos melhor ter nascido filho único kkk.

        • Jarbas nunca saístes do Brasil ,e também devias ter um Ódio de História terrível , o que publicastes acima , esta para um samba do crioulo doido , mas muito pior , ok ! Estudes e saia do Brasil , conheça outros povos e países , conheça aos argentinos , porém é claro que também lá , existem pessoas como a ti , mas muitos poucos , como aqui , depois Alemanha e França que combateram em Guerras ultra sangrentas , hoje estão unidas pela Europa , a falta de conhecer ao outro , te fazes pensar como se diz em Español , TONTERIAS !

        • rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs,isso mesmo,sempre tive inveja do brasil .
          nosso pais é maior do eles em tudo,economicamente,territorialmente,militarmente,culturalmente,riquezas naturais,enfim….

        • Não tenho nenhum rancor contra nenhum pais Latino Americano, aliás possiveis problemas existentes entre eles são de interesse exclusivo de potencias internacionais que querem aproveitar-se de pequenas querelas provocadas, a America Latina deve andar unida, para proteger seus recursos ainda inexplorados, tem muito pais distante de olho em recursos não explorados devemos ter quidado em manter nossas riquezas, a Argentina esta mal economicamente, nós poderemos um dia estar no mesmo caminho se não reagirmos internamente, não vi nenhum rancor com relação a nós de parte dos argentinos, visitem os outros paises para conhecer o que pensam realmente de nós.

        • Alguns estão desconsiderando o passado belicoso na fronteira Brasil – Argentina e uma rivalidade pela hegemonia regional.

          De modo geral o argentino se refere ao brasileiro de forma racista e inferiorizada (o que vem diminuindo em razão da própria situação econômica deles nos últimos tempos). Basta perguntar a quem mora próximo da fronteira. Não adianta ficar com a visão do brasileiro que mora no centro do país.

          De qualquer forma, isso não quer dizer que alguém que vá visitar o país em viagem de negócios ou turismo será hostilizado.

        • Brasileiros têm o perigoso hábito de reduzir tudo a futebol.
          E o futebol é uma de nossas maiores demonstrações de primariedade cultural, não obstante a forte concorrência.

        • Essa rivalidade entre Brasil e Argentina foi criada por esse imbecil do Galvão Bueno, o maior rival no futebol era o Uruguai e ele de tanto falar bobagens colocou isso na cabeça do povo, se a Argentina fosse ruim os Brasileiros não iam turistar lá aos montes.

          • A questão de haver certa hostilidade de argentinos com relação aos brasileiros vem de muito tempo , e é em grande monta alimentada por argentinos que moravam (ram) na região de Buenos Aires, os quais nos chamavam de macaquitos , a cultura argentina baseada principalmente na inglesa era considerada por eles muito superior à nossa . Tanto que para o mundo todo antes de 1970 o erro geográfico mais comum , era achar que Buenos Aires era a capital do Brasil !!! Aliás a antipatia pelos nossos Hermano não se restringe a nós , procurem conhecer outros latino americanos e vejam a opinião deles à nossos hermanos argentinos !

      • Bullshit. Essa rivalidade deve estar mais na cabeça de pessoas como o Galvão Bueno. É como o Blindman´s Bluff falou, somos muito bem recebidos lá.

      • Amigo

        Rivalidade entre Brasil x Argentina são coisas do passado, querendo ou não são o principal parceiro comercial do Brasil.

        Já estive lá algumas vezes e não vi ódio nenhum deles com o Brasil ou Brasileiros (tirando porcaria de futebol)

        Eles tem os mesmos problemas que nós (como todos latinos) como muita corrupção e uma classe politica que parecem quadrilhas.

        • A Argentina não é o principal parceiro comercial do Brasil. O principal parceiro comercial do Brasil é a China; e o segundo parceiro comercial do Brasil são os EUA.

      • Meu Caro, também não vejo com bons olhos nenhuma força que destaque “além da conta” na América do Sul…. mas um fato curioso é que foram os argentinos o primeiro pais a reconhecer a independência do Brasil!
        Abs,
        Éder

        • Completamente errado. O primeiro país a reconhecer a independência do Brasil foram os Estados Unidos da América. Por que tamanha paixão com os argentinos a ponto de diversos comentaristas aqui errarem (ou mentirem) em prol daquele país? O que mais os argentinos fizeram? Enviaram a nossa FEB para a segunda guerra também? Conquistaram as 5 copas do mundo para a seleção brasileira?

      • Obrigado pelo que toca a mim, sou argentina mais trabalho para o Brasil, com muito amor e di duas filhas medicas para o pais…vc esta falando da epoca facista de peron 1945

    • Esses “Amigos do Sul” tentaram iludir os ingleses para que eles derrubassem um avião de passageiros da VARIG, matando dezenas de civis brasileiros!

      • Argentina sofre até hoje com os horrores por déficit armamentista e financeiros pós guerra das Malvinas e sobretudo na atualidade com o plano econômico do Macri que está descendo a ladeira. Uma nova investida da Argentina contra
        a Inglaterra o país afunda de vez no oceano de dívidas e gastos mas, se a China quiser fazer essa jogada a Argentina, ela deve agarrar os armamentos Chineses e não se envolver em conflitos.

    • Vá jogar Word of Tanks e seja chamado de “MACACO” toda noite pelos nossos “amigos do Sul”.

      Na boa, torcida 100% pela Inglaterra!

      • Fale mal de World of Tanks não, eu jogo, assim como World of Warplanes e Call to Arms. Depois faço aquilo lá com a patroa, vejo quanto está a cotação da manga e vou dormir feliz. Quer vida melhor que essa?

        • Fala Defensor, adoro o jogo, o duro é que no servidor LATAM os idiotas dos Argentinos ficam nos ofendendo, pelo padrão de jogo daqueles otários da para perceber porque até hoje eles não souberam de onde partiram os tiros dos ingleses.

          Abraço – Carry Hard… Just kill them all!!!

    • Moro na fronteira com a Argentina. E não não somos amigos de jeito nenhum. Somos tratados sempre como inimigos e suspeitos em território argentino sendo que aqui são bem tratados e sem burocracia nenhuma para entrar no BR, já para brasileiros atravessar a fronteira é um martírio para ir e para voltar. Para teres ideia apesar de estar a apenas 5km e uma ponte de uma cidade argentina já faz mais de dez anos que não cruzo a fronteira mesmo quando acontece de ter produtos lá mais barato que aqui. Uruguaios sim são amáveis e nos recebem muito bem.

  1. Sinistra mesmo a imagem! Mas mesmo com uma Argentina rearmada eu acho difícil atacar o Queen Elizabeth e sair impune… É sempre bom lembrar que a Grã-Bretanha se prepara para lutar contra potências e não seria uma Argentina com caças chineses que representaria uma ameaça significativa. Para ser sincero, não acredito que a os hermanos tem interesse em outra guerra aberta contra os súditos da rainha, eles tentarão a diplomacia… Já perderam demais na década de 80.

    • A Argentina perdeu foi por pouco, em termos de material bélico, o Reino Unido ou seja vários países, levaram a pior no confronto , inúmeros navios foram destruídos ou desativados durante a guerra. A Argentina perdeu pois os melhores soldados estavam na fronteira com o Chile, devido o receio da invasão Chilena querendo retomar a Patagônia Chilena tomada pelos hermanos, durante a Guerra do Pacifico.
      A Argentina é traidora, pois vendeu armas para o Equador, durante o conflito que teve entre Peru vs Equador. Lembrando que foi o Peru que forneceu exocet para a Argentina durante o conflito das Malvinas.

      • Na verdade não faria diferença se os argentinos tivessem enviado mais unidades de elite para ilhas, perderiam da mesma forma. Poderiam ter dado mais trabalho, mas no momento que os britânicos isolaram as ilhas o resultado da guerra estava selado.

        Monte Tumbledown foi defendido pelo Batallón de Infantería de Marina 5 (BIM-5). Apesar de ser composto por recrutas, a unidade dos fuzileiros navais argentinos tinha um melhor nível de treinamento e adestramento do que a maioria do pessoal do exército. Eram bem equipados (tinham uniformes adequados) e estavam devidamente aclimatados, já que o batalhão fica localizado em Río Grande, na Província da Terra do Fogo.

        Enfrentaram o 2º Batalhão, Scots Guards. Estes, que apesar do alto nível tinham menor operacionalidade do que os Paraquedistas e Royal Marines.

        Mesmo assim, perderam para os britânicos sofrendo baixas fatais na proporção de 3 pra 1.

      • So para lembrar os Hermanos acertaram dois exocet que nao explodiram,pois os franceses fiorneceram o famoso código fonte para os britânicos desarma-Los, se não tivessem cometido esta sacanagem talvez a Vitória teria sido dos Hermanos.

      • Depois do conflito, foram divulgados relatórios do almirantado inglês, em que eles informaram a Sra. Thatcher, que a armada poderia perder de 6 a 8 navios, incluindo unidades capitais (porta-aviões), então não creio que a perda de equipamentos fosse algo que os fizessem desistir. A séculos os britânicos, estavam endurecidos por perdas catastróficas em batalhas, em homens e equipamentos. Eles sabem que quem entra numa briga vai se machucar.
        Agora você tem razão numa coisa, a elite das forças argentinas estavam mesmo na fronteira com o Chile, pois o próximo passo era invasão desse país. Mas mesmo assim não acredito que os argentinos fossem ganhar em qualquer situação. As tropas lá nas Malvinas eram o que o argentinos tinham de melhor, conscritos, mas assim era na
        época. A elite eram as tropas especiais e fuzileiros que foram retirados logo após a invasão e transferidos para o fronteira chilena. O que poderia acontecer com as tropas argentinas de elite nas Falklands, seria um endurecimento dos combates, que foram mesmo assim intensos, e aí sim a coisa poderia virar um guerra de verdade. Os Vulcans bombardeariam Buenos Aires, ingleses e chilenos atacariam em terra as bases no sul. A coisa ia feder de verdade pois ninguém poderia prever o que aconteceria.

      • Em Monte Longdon (um dos engajamentos mais duros), os britânicos enfrentaram membros do 7º Regimento de Infantaria (RI 7) da 10ª Brigada de Infantaria Mecanizada. Reservistas convocados pouco antes da invasão, tinham mais de 1 ano de treinamento e haviam participado de exercícios de larga escala e simulações de combate em treinamento para um possível conflito contra o Chile. Um grupo (aproximadamente 60 homens) recebeu treinamento dos comandos. Deram muito trabalho, mas no final foram derrotados.

      • Não dá pra confiar no “hermanos” sempre monosprezaram o Brasil ,so lembram do nosso país quando não encontram outra saída.Sao muito orgulhosos.

    • Li, há algum tempo o comentário de um veterano britânico, que se os argentinos não se rendessem, os britânicos não tinham mais recursos para continuar a luta e teriam que voltar para casa.

      • Os ingleses são um “osso duro de roer” e por favor, não entendam isso como elogio, nos artigos que tenho lido ao longo dos anos, é que na verdade se houvesse um recrudescimento do conflito, a intenção era atacar o território continental argentino, com ataques a bases e centros de comando, até na capital.
        O medo dos militares brasileiros que isso acontecesse era bem palpável. Na época, havia o perigo de uma interferência do Chile a favor dos ingleses, a tensão aqui era real.
        Chamavam isso de feito dominó, que envolveria todo o cone sul. Os argentinos chegaram a “invadir” o território chileno em 1978, por algumas horas, a guerra só não estourou por milagre. Na hipótese de um envolvimento chileno, Peru e Bolívia declararam abertamente que apoiariam a Argentina atacando o Chile.
        O Chile apoiou os ingleses quase abertamente, chilenos e argentinos se xingam até hoje nos fóruns por causa disso (e mais algumas outras diferenças).
        E quanto as reservas dos ingleses, os misseis ar-ar acabaram no meio do conflito, assim como munição, combustível, comida e tudo foi reposto pelos EUA rapidamente. Não ia ser por falta de reservas que os ingleses iriam desistir, não depois que começaram.

      • Um fator limitador para a continuidade das operações foi a condição climática na AOp… a janela para a operação anfíbia era muito restrita… claro que manter uma cadeia logística como a sustentada no conflito era tarefa hercúlea, mas acredito que o fator clima era o go/no go para a manutenção do esforço em reconquistar as ilhas…

        • Os argentinos perderam no momento qur nao aumentaram a pista de port staney e com isso nao puderam operar os mirage 3, dagger, A4 e SUE da ilha, o que manteria a força tarefa inglesa mais afastada e dificultaria a PAC e os ataques aéreos na ilha por parte doa ingleses, com isso os argentinos teriam uma melhor logística poia os Hércules poderiam abastecer a ilha durante todo o dia e nao somente a noite cono passou a ser durante o conflito

  2. Realmente, depois que tudo que passaram após a guerra, acho difícil cometerem o mesmo erro, a China está com ambições muito grandes, mas vamos ver quem irá ser seus aliados nestas ambições.

    • A gra bretanha hj não é nem metade do que era militarmente a 20,30 anos atrás. Na verdade, a situação é vergonhosa, tudo graças a ministra de defesa deles e as políticas politicamente corretas e abertamente adversas as forças armadas da thereza may(uma espécie de Dilma inglesa). Para se ter noção,na guerra das falkland/malvinas,a armada real enviou aprox. metade de sua força(75 navios) para o conflito,hoje, o total de navios na marinha Britânica(repare que eu não estou nem contando os que estão enferrujado em plymouth por falta de investimentos),são de em torno de 68 a 72 navios. Ou seja,em 36 anos,a grã Bretanha perdeu mais da metade de seus navios, o mesmo cenário se repete no exército e na força aérea. Realmente lamentável ver o que uma política de governo equivacada pode causar a uma nação

      • Dodo,

        Ao fim da URSS, todos os países europeus ocidentais diminuíram consideravelmente suas forças armadas.

        Por outro lado, na década de 80 o Reino Unido mantinha apenas uma pequena guarnição nas Falklands, ao passo que atualmente possuem Typhoons baseados na RAF Mount Pleasant.

        O numero de navios é menor, logicamente, mas ainda mantêm uma capacidade expedicionaria que outros poucos países possuem.

  3. Antes de armas, acho que a China devia fazer o mesmo que os EUA e europeus fizeram na década de 70, nessa época os EUA e europeus enviaram administradores, economistas, executivos e grandes gestores para auxiliar na abertura econômica da China, pois esses queria ser “competitivos”, ter 1 país e 2 sistemas. Sem dúvidas deu certo!
    Acho que a China e o mundo precisa ajudar a Argentina a sair do fundo do poço, o Estado argentino está PODRE, corrupção, ineficiência e intromissão estatal enorme. Devia ensinar a fazer reforma do Estado: legislação trabalhista, reforma da previdência, uma lei séria de licitações, corte de gastos, pagamento de dividas, redução do funcionalismo público, fim de privilégios, transparência pública, colocar em ação um tripé econômico, reduzir poder estatal, atrair empresas e estimular o empreendedorismo.
    É importante que as pessoas saibam os motivos que levaram a Argentina ao fundo do poço: populismo! No ápice desse populismo se encontra a guerra das malvinas.
    Quanto a essa matéria do NAVAL, acho que ela é uma notícia ruim para o Brasil e isso é um bom motivo para as pessoas entenderem na necessidade do Brasil comprar novos blindados leopard 2a4 e helicópteros de ataque (cobra) usados empregados no centro-sul do Brasil.

    • O q levou a guerra das Malvinas foi a falencia do regime miltar, e o caos q a Argentina vive hoje ė o resultado da politica neoliberal implantada pelo Macri q tem como modelos todos os exemplos q vc dá como solução.

      • O senhor tem memória muitíssimo e convenientemente curta, Douglas. A crise econômica argentina vem de muitos antes do governo Macri, pois ela tem origem já no governo de Nestor Kirchner, tal como a crise econômica brasileira tem origem no governo Lula, não no governo Temer, como alguns com memória de peixe insistem em dizer. O que Macri está fazendo é tentar, a trancos e barrancos, retirar a Argentina do atoleiro ao qual ela foi lançada pelos Kirchner através da sua política socialista e corrupta.

        No mais, isso foi apenas a China usando a Argentina para tentar provocar os britânicos. Os argentinos jamais voltarão a atacar as Falklands, seja por memória do passado, seja por pura incapacidade bélica, e não serão meros JF-17 que mudarão esse quadro em favor dos argentinos. A RN está num estado relativamente vulnerável, é verdade, mas não se enganem: ela poderia plenamente rechaçar um novo ataque argentino, só que desta vez com ainda mais facilidade, pois a disparidade tecnológica entre a Marinha Argentina e a Royal Navy é ainda maior do que era naquele conflito passado.

        Essa notícia mostra apenas a visão dos chineses para a América Latina: eles pensam em usar esses países para seus interesses, nada mais. Se jogar um desses países numa guerra contra europeus for favorável a eles, ótimo. E ainda tem alguns que defendem um “alinhamento” brasileiro com a China, como se fosse uma relação igual, e não um relacionamento de suserania e vassalagem entre China e Brasil, respectivamente.

        • Daglyan, permita-me corrigi-lo no aspecto crise Argentina. Para a maioria, a historia se faz muito recente e por isso nao conseguem ter uma visao clara sobre certos assuntos. Nada se faz ou acontece num pais de forma tao rapida, ou seja em meros 15 ou 20 anos. Os argentinos comecaram a chafurdar quando Juan Peron retornou ao poder e na bagagem trouxe a bailarina de cabare Isabel Peron….dai comeca-se a percebr o tamanho do buraco que comecaram a cavar com esse populismo torpe e covarde. Os militares foram somente a continuacao equivocada dos usos e costumes. Infelizmente seguiram os mesmos costumes e de forma mais violenta. Resultado…….ai esta o Foro de Sao Paulo.
          Sugiro uma boa leitura em relacao ao Gramscismo, sua origem e suas consequencias que estao sendo sentidas lentamente aqui mesmo no Brasil.

      • O que levou a Argentina à quebra, inclusive de suas FFAA, foi o ranço socialista dos Kirchner. Destroçaram a economia, destroçaram as FFAA, destroçaram o país. O Macri pegou o defunto fedendo…

  4. Do jeito que a gente economia Argentina está, acredito que estes aviões somente serão vistos nas cores da Argentina se forem a título de doação.
    Mas não há visita de autoridade americana que altere uma realidade: após a Guerra das Malvinas, se a Argentina quiser equipamentos militares com alguma efetividade, somente se forem de procedência russa ou chinesa. Material ocidental de um jeito ou de outro terá veto da Inglaterra.

      • Qualquer coisa divulgada pelos chineses, seja “oficial” ou não, tem a chancela e a mão (pesada) do estado intervindo. Nada lá é livre, opiniões contrárias a do governo central não existem. Portanto é sim, uma imagem oficial do governo. A precariedade é proposital, apenas para dar a “impressão” que foi feita por um forista independente.

      • J-20, eu mencionei “chineses”, sem falar no governo chinês.
        Mas endosso a resposta do Fernando SP: tudo o que se faz na China depende de aquiescência do PC – e este está cada vez mais centralizado em Xi Jinping, em um culto à personalidade digno dos piores regimes.

  5. Prezados,

    A Argentina e o Brasil despertam bastante interessante na China e nos EUA.

    No Brasil temos minérios
    em terra, água doce, terras produtivas, oceano com riquezas minerais e animais (Amazônia Azul), e a biodiversidade da Amazônia Verde.

    A tendência é que as disputas pelo Brasil e Argentina se intensifiquem entre as duas superpotências nos próximos anos.

    A Argentina pode tirar proveito disso para se rearmar, se aliando a um lado ou a outro.

    Abraços

    • Olá Luiz, Você considera um cenário futuro de disputa entre Brasil e Argentina provável, ou considera mais provável que ocorra maior aproximação entre os dois países?

      • Prezado Camargoer,

        Não vejo disputas entre Brasil e Argentina. Vejo manipulações para dividir internamente ambos os países.

        Quando falo em divisão, falo em secessão mesmo. Acabarem com ambos os países como vemos hoje ê criarem novos Estados independentes.

        Caso isso venha a se concretizar, prejudicaria os interesses soberanos de Brasil e Argentina e favorecia certamente a dominação pelas potências que certamente dividirao o mundo entre si.

        Abraços

    • Argentina tem lítio, o “combustível” dos carros elétricos. Esperem uma aproximação maior com a Bolívia também….no caso do Chile, a influência anglo-saxônica é bem maior.

  6. Este site é oficial do governo chinês? Creio que não. Portanto, trata-se de uma iniciativa individual, como se o Poder Naval publicasse algo parecido por aqui.
    Porém, se conta com a participação das autoridades chinesas, daí o negócio deve preocupar.
    Pelo sim, pelo não, os Estados Unidos sabem que o único que pode fazer frente aos interesses chineses no continente é o Brasil. Isto explica os últimos repasses de equipamentos para cá.
    Está na hora das nossas autoridades barganharem investimentos em infraestrutura. Melhorando a economia, o resto melhora junto.

      • Besteira, o governo chinês não tem e nem se pudesse, teria esse nível de controle da internet, quem conhece a internet sabe muito bem que isso é ladainha de politiqueiro. A união européia, por exemplo, tem um controle sobre o conteúdo muito maior e censuram mesmo, mandam para a cadeia quem “faz discurso de ódio”. E china censura sim, mas passa longe do que pregam por aí, o ocidente censura até mais hoje em dia.

        • A que ponto chega a cegueira de socialista de ensino médio, doutrinado por professor de história “baseado em fatos reais”, com ênfase no baseado.

          O cidadão diz que a Europa censura mais que a China! Filmes tem versões diferentes para rodar na China, até o Google é censurado lá… Pelo amor…

          • Meu amigo, se tem alguém doutrinado por professor do ensino médio aqui é você. A Europa não censura filmes? Censuram até vídeo games, eles formaram uma rede de vigilância imensa para vigiar e reprimir o livre pensamento da população, sem falar na infinidade de câmeras de monitoramento pelas ruas, londres é o lugar mais vigiado do mundo, e ainda usam o terrorismo como justificativa, quando esses mesmos governos protegem terroristas e prendem quem os denuncia. Afinal, do que você sabe?

          • Ah! Lembrando que o maior censurador da internet é o próprio google, assim como todas as outras empresas privadas ocidentais desse setor. Quer liberdade na internet? Só na Suíça, Rússia e Japão, justamente por serem autossuficientes em empresas de internet.

    • Qualquer coisa divulgada pelos chineses, seja “oficial” ou não, tem a chancela e a mão (pesada) do estado intervindo. Nada lá é livre, opiniões contrárias a do governo central não existem. Portanto é sim, uma imagem oficial do governo. A precariedade é proposital, apenas para dar a “impressão” que foi feita por um forista independente.

      Sempre é bom lembrar que na China não existe internet livre e independente, tudo passa por um rígido controle estatal. Nem mesmo nos sites de pesquisa você encontra o que quer, tudo é direcionado para favorecer o governo e eliminar dissidências.

    • É de certa forma um padrão do governo chines usar esses “fóruns independentes” para divulgar suas opiniões, sem usar meios diplomáticos “oficiais”. Exemplo, quando querem divulgar um novo progresso em armamentos, eles deixam “spotters” vazar fotos de testes de aviões de quinta geração nesses “fóruns”.
      Totalmente distinto e completamente diferente do que é feito no Poder Naval. E barganhar com chineses para obter vantagem é “chover no molhado” como diziam no meu tempo, eles não negociam honestamente, não existe o conceito de ganhar “para os dois lados”. Se existe um homólogo na ficção para os chineses eu diria que seriam os Ferengi, no entanto, pior.

      • Prezado Fernando_SP
        Eu me referia a barganhar com os norte americano. Ao invés de equipamentos militares apenas, as autoridades de lá incentivarem os bancos e fundos a investirem aqui em nossa infraestrutura, acenando com a possibilidade de bons lucros.
        Armas podem nos proteger uma vez, até se tornarem obsoletas. Capacitando o País a crescer, seremos fortes sempre. E uma barreira contra potências de fora do continente.

        • Tbm acho uma grande e miserável pobreza de visão e de espírito centralizar essa oportunidade meramente em armamentos.

          Não será/seria meia dúzia ou 34 cacinhas que fariam frente a uma potência se um dia toparem realmente com uma.
          No nosso caso:
          Tem-se a impressão que o pré-sal vai criar perninhas e bracinhos, se levantar do nada, uma nação qualquer estará passando com sua frota de navios zero quilômetro, curtindo um som stereo em um belo dia de sol e na hora H em que o pré-sal assobiar e acenar lhe dará carona para que se mude para outra ZEE…

      • Concordo com vc!!! Nada que tem a chancela ou não em país comunista seria livre … vide a Venezuela, sou a favor de um Brasil forte, soberano e livre.
        Nunca seremos sobre a aliança com a China .
        Os EUA foram um dos primeiros países a reconhecerem Nossa independência . Vide a aliança branca entre Inglaterra e Brasil e o episódio do Vulcan em 82, que nada mais foi que uma transferência de tecnologia de mísseis de forma disfarçada que colaborou e culminou com nosso míssel Piranha logo a seguir , e isto só ocorreria com a chancela americana, não é mesmo, ocidentais com ocidentais na Ásia só confio 100% no Japão

  7. Se argentinos e brasileiros forem espertos (coisa que não se pode esperar de nações cleptocráticas sem projeto de Nação como nos encontramos atualmente) beliscariam um tiquinho dos chineses, um tiquinho dos americanos e por aí vai, mas visando interesses próprios, econômicos e militares.

  8. Como sempre comento aqui, e as pessoas dizem que estamos em uma área que o Brasil não tem inimigos, e, a China vindo por acaso armar a Argentina, obrigatoriamente o Brasil seria obrigado a se armar, não sabemos intenções da China e da Argentina. Vai que surge um maluco com intenções expansionista. Sempre disse temos de ter uma Armada de respeito.

  9. Humm sei nao.. Quão rica é as malvinas pra valer uma guerra, qual o potencial dessa ilha? Depois de sabermos disso saberemos se vai ter algum movimento militar lá ou não.

    • Petroleo. O que chamamos de pressal também está presente no litoral Argentino. Só que falta dinheiro para os Argentinos desenvolverem a tecnologia para explorar.
      Os ingleses defenderam as Falklands somente pelo petroleo.

      • Não foi por causa de petróleo tendo em vista que as ilhas foram oferecidas aos argentinos e os ingleses precisavam de fazer cortes então eles queriam vender as mesma, mas ai as negociações falharam e anos depois os argentinos foram tomar a força e o orgulho e a necessidade do governo inglês de se firma e ter apoio da mídia/população também ajudou a aumentar o desejo de vitória e reconquista….mesmo que as forças armadas inglesas não estivessem preparadas para uma guerra “solo”…..

    • O que importa mesmo são as reservas de petróleo e gás natural na área ao redor da Malvinas/Falklands. Semana passada mesmo um navio argentino de pesquisa hidrográfica entrou nas águas territoriais inglesas para averiguar isso,e a Argentina vive pedindo na ONU a extensão da sua bacia hidrográfica exclusiva.

  10. Sim. E talvez.

    Minérios. Tem muito minério nos lados orientais incluindo o/no Afeganistão, país no qual a China já botou um pé.
    Água doce. Tem muita no Ártico e no subsolo árido do norte da China incluindo a Mongólia. E nas florestas úmidas e densas do sul.
    Terra. A China não se queixa da falta de terra. Nem da falta do pescado.

    Pensando bem…a China não se queixa da falta de nada. É o maior mercado consumidor do mundo. Incluindo artigos de luxo e lojas que vendem bolsas por 270 mil.
    A China inventou a receita médica, a bula, a dosagem, a medicina homeopática. Tudo com a diversidade verde deles. Criaram e receitam antibióticos ocidentais até para coceira…o que fez surgir problemas de resistência que não existiam na China antiga. Problemas de se produzir grandes volumes de qualquer coisa ao modo ocidental.

    O que a China faria aqui? Venderia rodovias, ferrovias, indústrias, pontes, máquinas. Tudo que precisa de manufatura e que geraria riqueza lá. Pra fazer isso não precisa de guerra. Precisa de dependência. Chineses não pagam nem reconhecem propriedade intelectual/industrial. Copiam tudo. No Brasil pouco existe para ser copiado.

    Eles pouco se interessam pelo parque automotivo nacional. Enviaram trancas para serem montadas no Uruguai. Uma delas está se tornando o primeiro veículo nacional produzido em Jacareí. Finalmente.

    Tamandarés? Esnobaram. Alcantara? Nem tchum. Compraram negócios na área de distribuição elétrica…mas não fizeram investimentos. Não quiseram nem a Oi.

    Penso ser matéria tipo tabloide inglês. Ou revista alemã.

    Argentina…no tango e na tanga que esses caras estão, melhor é a gente ir fazendo acordos e seguir fortalecendo as bobagens que fizemos no Mercosul porque não há volta. As montadoras daqui se foram para lá. Montam lá e vendem cá.

    É tudo chilique.

    Ops…tem a patente do ovo que ainda não dominamos. Mas penso que isso também já foi copiado pelos chineses.

  11. Eu me pergunto como é que duas dúzias de JF-17 conseguiriam arranjar o HMS Queen Elizabeth. Se eles nem são páreos para os J-10 chineses, imagina contra os F-35B da Royal Navy. Quem cogitou essa possibilidade deve viver no mundo da fantasia.

  12. A questão é o estratégico Estreito de Magalhães, que atualmente anda largado de mão e os chineses perceberam.
    Se a Argentina virar um feudo chinês, o Estreito e todo o tráfego marítimo que passa por ali estarão sob controle de Pequim.
    Recentemente a China também botou um naco de dinheiro na África do Sul, com isto garantindo o Cabo da Boa Esperança.
    A China está cercando os oceanos pelas pontas. Está jogando go com A Arte da Guerra no bolso.

  13. Diego ! A riqueza dela é a posição militar estratégica ! Geograficamente está posicionada para manobras militares ,por isso ocorreu aquela disputa em que a Inglaterra humilhou o inimigo que de forma absurda mandou até adolescentes para a batalha , na verdade é um assunto para ser muito bem pensado !

  14. Os EUA, apesar de nossa continentalidade e de representarem nossa primeira opção no ocidente, não tem sido um aliado totalmente confiável, obrigando as FFAA a buscarem alternativas de aquisição de tecnologia militar em países europeus, ou seja, fora da América. Nossa sociedade é culturalmente ocidentalizada em todos os sentidos, tornando meramente pragmática uma eventual aproximação com chineses ou russos, por exemplo. Entendo que os países vizinhos, hermanos inclusive, são mais descolados e passíveis de serem influenciados. Há, nos ambientes estratégicos, abordagens em relação ao assunto. Principalmente devido às dificuldades vividas pela Venezuela. Olhos abertos, pois há muitas armadilhas geopolíticas sendo armadas…

  15. Em princípio acho que -los Hermanos não são confiaveis, assim como nós também não somos. Na guerra anterior sabe-se que o Brasil tambem forneceu alguns equipamentos aos argentinos.
    Os equipamentos fornecidos pelo Tio Sam ultimamente, são apenas excedentes.
    Para os chineses, desviar a atenção dos ingleses e da OTAN para o Atlântico Sul, seria um excelente negócio, além de firmarem os pés na América do Sul. Vejo esse movimento , a se congirmar, como bastante preocupante.
    Acho que está na hora de nós retirarmos do tratado que nós impede de produzimos mísseis de longo alcance.
    Precisamos urgentemente de um poder dissuasório mais efetivo.

    • Luiz Alberto, podemos produzir mísseis de longo alcance para uso de nossas Forças Armadas. Só não podemos exportar.
      O AV-TM 300 “Matador”, por exemplo, dizem, pode ter capacidade superior aos seus 300 km de distância nominais, pois sua turbina teria autonomia para cobrir mais do que o dobro disso. Este projeto é um dos mais importantes em desenvolvimento no momento para nós, na minha opinião, principalmente por conta da instabilidade na Venezuela.

  16. Bem lembrado a China está querendo dominar todos os oceanos, já tem a maior marinha mercante do mundo. Talvez fora desse forum online tenham mesmo ambições de usar a Argentina pra mais uma rota, e em troca oferecer apoio, tratados economicos e militares, e a Argentina nessa crise vai ficar bem tentada a aceitar. O interessante que o que estamos cogitando os EUA ja sabem de td pois mandaram gente na Argentina fazer reunião ne.

  17. Só lembrando que quando a Argentina perdeu a guerra, ela estava no auge do seu poderia militar, quase em pé de igualdade com o Brasil, mesmo contando com a vantagem de lutar próximo de seu território, mesmo não sofrendo com bombardeios em suas cidades, mesmo tendo a vantagem de tomar o arquipélago das Falklands em um assalto inicial, mesmo contando com os mais modernos mísseis anti navio da época, os Exocets, além de bem equipados com caças supersônicos Mirage III e IAI Dadger dentre outros caças subsÔnicos, chegavam a mais de 200, e ainda assim perderam. Imagina nos dias de hoje uma nova guerra, com a Argentina falida, inflação, descontrole das contas públicas, forças armadas tão sucateadas que até perderam um submarino por provável falta de manutenção, uma fração marinha britânica já bastaria

  18. Recentemente postei em outro tópico meu receio de que a nova rota da seda poderia passar pela América do sul. Parece que fazemos parte deste novo traçado. Certamente estamos nos planos dos chineses. Temos minérios aflorando, US$ 11 tri em petróleo a ser extraído, nióbio, urânio, terras raras (esse eles também têm), água doce, terras férteis, etc. Tudo que precisa ser lavado para seu povo atingir o bem estar almejado. Petróleo já foi vendido a US$ 10 o barril, só falta concluir a entrega. Terras para cultivo eles já estão adquirindo, agora nada melhor que inventar uma guerra contra uma Inglaterra quando o real motivo é fornecer armas à um rival (em todos os sentidos) nosso. A Argentina estaria sendo usada como fantoche, ainda não sei bem o motivo. E acho que o alvo não é bem a Rainha.

  19. Esqueçam a Argentina e se ela vai ou não ser atada aos cordéis chineses. O principal é a atitude revanchista contra o FONOP inglês que dá bem um viés pra interpretar a psique e o caráter chinês ao lidar com adversários equivalentes ou inferiores.

  20. Seria muito bom ver ao menos120 JF-17 novos em folha na Armada e Fuerza Aérea Argentina. Complementado claro, com um grande pacote de treinamento, mísseis anti navio e ar-ar. Como parte do negócio poderiam também abrir um estaleiro lá e embarcar na construção acelerada de fragatas e destroyers.
    Só algo drastico dessa indole para o gigante preguiçoso e barrigudo que é o Brasil acordar e deixar de fingir que tem marinha e força aérea.
    Espero que chegue uma comitiva chinesa em Buenos Aires nestes próximos dias.
    E, por acaso, as Malvinas são da Argentina!!!

    • Moita Jr,

      Falklands… os “hermanos” perderam do lado de casa, em pouco mais de um mês.

      É uma visão míope achar que a Argentina não é, na realidade, uma concorrente do Brasil.

      Quem vive ao lado deles sabe exatamente que tipo de relação sempre existiu entre os dois povos.

  21. Manchete ridícula e por absoluta falta de interpretação de texto e bom senso de quem comenta, comentários ridículos.

    Quer dizer que basta eu montar um site, fazer uma montagem expressando a minha opinião ou da minha empresa , como por exemplo um caça brasileiro atacando um navio chileno, e isto quer dizer que o Brasil ameaça o Chile ?

    Ora, me poupem !!!.

  22. Antonio: “Esses ‘Amigos do Sul’ tentaram iludir os ingleses para que eles derrubassem um avião de passageiros da VARIG, matando dezenas de civis brasileiros!” GOSTARIA de conhecer mais detalhes; podes fornecer, por favor?

    Fora o futebol, temos mais interesses em comum do que rivalidades com a Argentina; penso que a geopolítica chinesa está correta e simplesmente fazendo seus procedimentos de implementação estratégica que, SOB HIPÓTESE ALGUMA poderá nos atingir, seja lá de que maneira for. Não podemos nos prestar ao jogo que não nos interessa.

    Não existe inocente nestes jogos, apenas interesses das nações; nossos históricos aliados sempre foram os EEUU e a Inglaterra.

  23. Particularmente não estou nem aí pra Argentina, eles não apreço algum por nós, e nós não devemos tomar sua dores. Fossemos nós a ter problemas com a Inglaterra, eles já teriam oferecido até base aérea pra rainha.

  24. palhaçada Argentina e Chinesa, a Royal Navy não brinca em serviço, o QE é o maior NAE da Europa e não é um caça-zinho sino-pakistanês que vai afundar ele, palhaçada autentica, se bobear levam mais uma surra, as duas nações já levaram surras, nas Malvinas foi a Argentina, em Hong Kong foi a China, portanto a China deveria ter juízo , muito Juízo…

  25. O que faríamos?

    Fazendeiros brasileiros aliados a locais paraguaios declararam a independência de uma região que inclui parte do Mato Grosso.
    Incentivados e apoiados por indígenas bolivianos que conseguiram o reconhecimento de uma região como autônoma e independente pela ONU e pelo governo local, tribos brasileiras representando 12 nações indígenas isolaram 2/3 do Acre.
    O Uruguai declara falência e desejo de ser anexado pela Argentina.
    Alemães e françeses declaram que o Brasil deve ceder a uma soberania relativa na Amazônia e aceitar que 4/5 da região não pertence mais ao país.
    7 países europeus apoiam o reconhecimento da autonomia do Peru sobre as águas do Rio Amazonas.

    Tudo birutice? Um tantan chinês fazer uma montagem sobre um hipotético conflito com os ingleses utilizando a Argentina, o que não seria novidade nos cenários em e de conflito, e…pensar sobre o fato e suas consequências é, ridículo?

    Se um desastre natural atingisse o RGN e, americanos a pretesto de serem humanitários, como desculpa de que não temos recursos, desembarcassem 15 mil soldados aqui como fizeram em 1941?

    O que faríamos?

    Um novo conflito entre argentinos e europeus ou japoneses por regiões e mares no sul, faria o Brasil adotar qual estratégia?
    Inventários, gente, recursos financeiros, meios, inteligência, óleo, armas…quanto de quanto precisaríamos para decidir o que fazer se russos e chineses desembarcassem no Uruguai, expandindo fronteiras à partir da Antártida?

    Penso que deve haver lá no Itamarati quem pensa nessas coisas e constrói cenários malucos e hipotéticos. Tipo estudos avançados.

    Se…se…Trindade nos for arrancada por estar, na opinião de outros, distante das nossas fronteiras?

    A Venezuela racha. A Colômbia invade. Um motorista de ônibus sentado na cadeira de presidente pede ajuda aos russos. Americanos impedem. Chineses oferecem guerra. Nós?

    Os países que detém a patente do ovo decidem não transferir mais as matrizes. O que faríamos?

  26. Eu mesmo já postei exatamente isto umas 7 vezes aqui.

    O nome disto chama-se geopolitica

    Sem duvida pode ser apenas um site de foristas chineses, mas não ha nada….absolutamente nada de absurdo ou imprevisivel nisto.

    Não acredito numa 2a. guerra das Malvinas, mas é absolutamente previsivel que se britanicos se sentirem com recursos e disponibilidade de intenção de influenciar o mar da china, então seria previsivel que chineses….estes mesmos chineses com disponibilidade de grana e industria belica possa subsidiar os argentinos com equipamentos afim de diluir esta disposição britanica, força-la a ter de gastar dinheiro e recursos em outro local que não seja o mar da china….Não precisa haver conflito algum, basta que exista um gradativo reequipamento.

    Aos poucos, podemos ver uma nova guerra fria do seculo 21

    Não acredito que apesar de uma hipotetica elevação de tensao e corrida militar nas falklands fosse chegar as vias de fato, mas seria o suficiente para alcançar os intentos chineses….

    Tambem não acredito em qualquer possibilidade de atrito militar entre Brasil e Argentina, nem no medio ou longo prazo…

    Não podemos confundir torcida de futebol com integração economica dos dois países.

    Argentina é o terceiro no ranking dos paises parceiros do Brasil (So perde para EUA e China) e nós, somos o maior parceiro economic da Argentina….compramos 60% do que produzem e exportam….

    Então esqueçam pois ninguem dá tiro no pé….e grana é o que move motivações belicas…

    • “Não acredito numa 2a. guerra das Malvinas, mas é absolutamente previsivel que se britanicos se sentirem com recursos e disponibilidade de intenção de influenciar o mar da china, então seria previsivel que chineses….estes mesmos chineses com disponibilidade de grana e industria belica possa subsidiar os argentinos com equipamentos afim de diluir esta disposição britanica, força-la a ter de gastar dinheiro e recursos em outro local que não seja o mar da china….Não precisa haver conflito algum, basta que exista um gradativo reequipamento.”

      Perfeito.

  27. Desculpa, será que ninguém conseguiu “ler” a realidade?
    A realidade é uma China expansionista tentando colocar os argentinos contra os ingleses, para poder continuar seu expansionismo, que aliás é justamente o que todo país tenta fazer pra se beneficiar em detrimento dos demais países.
    Vamos parar de pensar como sulamericanos e começar a pensar analiticamente, não tem mocinho nem bandido, só tem um monte de países tentando puxar uma sardinha pra sua própria brasa.

  28. Quando o sol nascer quadrado no céu, a galinha tiver dentes e ser tripé, a vaca voar por seus próprios meios e eu ganhar na loteria talvez os ingleses cedam as Malvinas ( ou Falklands) para os hermanos…. fora disso, nem com armamento chinês.

  29. Parceiros econômicos?

    As parcerias que temos com eles são montadoras de automóveis que decidiram transferir e abrir unidades de montagem na Argentina para vender a nós.
    E multinacionais de nutrição e de patentes do agronegócio.

    As montadoras se beneficiaram com esses acordos do Mercosul. Nós perdemos empregos e impostos.
    Os fabricantes de ração, de sementes, de agronegócios, alimentos, também. Fabricam lá, vendem aqui. Economia de encargos.

    Cooperação de verdade, simbiose verdadeira pode surgir e parece que vai, à partir de acordos como esse da produção de reatores e de combustíveis para reatores. O Poder Naval publicou várias postagens sobre.

    Os outros são entre empresas, com negócios, de lá e de cá, que prestou para liquidar empregos aqui. Como o Nafta fez. Trump quer as indústrias de volta. Elas estão pedindo muito para voltar.

    A postagem original e a montagem são provocativas. Mas fazem os especialistas pensarem. De imediato apareceram mais de 70 comentários. Somente aqui.

  30. Pontuando algumas coisas:
    1°: Uma guerra da Argentina com os ingleses no dia de hoje, é absurda até como hipótese. A Argentina está em ruina economicamente e militarmente. Isso seria uma nova aventura militar.
    2°: A aventura militar: O tenente general Benjamín Rattenbach (que era decano do exercito argentino), foi escolhido pelo presidente general Reynaldo Bignone para presidir um inquérito para apurar a responsabilidades.
    Segundo ele, foi tudo improvisado, não havia plano de defesa e nem de ataque, ainda segundo ele, faltou agasalho, armas e comida para atender as tropas. Ainda, tem o fato de atropa de conscritos não terem o treinamento militar adequado, alguns não tinham nem concluído o treinamento básico. Ou seja, uma tropa de garotos mal treinados, lutando contra tropas profissionais.
    Nas colocações dele, foi uma “irresponsabilidade”, uma “aventura militar”.
    Os argentinos não tinham chance de vencer nessas condições.
    Segue aqui o relatório do Decano: http://seprin.info/wp-content/uploads/2012/02/Informe-Rattenbach.pdf
    Apesar de toda a coragem do pilotos argentinos, pessoal guerra não é jogo de vídeo game, cada ação tem uma reação, os britânicos tinham planos em atacar a base de caça Argentina no continente, só não fizeram pois temiam a escaladas do conflito.
    3°: Sinceramente, se os argentinos intenderem que ser parceira da China é a melhor solução, é um problema deles. Cada povo tem que se alto governar.
    Eu espero que p próximo presidente do Brasil, tenha uma relação de aproximação cada vez maior com os suecos. Acredito que esse seja um grande parceiro tecnológico para nós associarmos.
    E por fim, eu torço que a América do Sul se desenvolva como continente, é melhor ter vizinhos desenvolvidos economicamente e socialmente do nosso lado, do que países subdesenvolvidos e possam gerar problemas múltiplos.

    • É verdade que a maior parte das tropas argentinas eram recrutas com pouco tempo de treinamento, mas nem todas as unidades que combateram lá tinham baixos níveis de operacionalidade.

      Em Mount Longdon (um dos engajamentos mais duros), os britânicos enfrentaram membros do 7º Regimento de Infantaria (RI 7) da 10ª Brigada de Infantaria Mecanizada. Reservistas convocados pouco antes da invasão, tinham mais de 1 ano de treinamento e haviam participado de exercícios de larga escala e simulações de combate em treinamento para um possível conflito contra o Chile. Um grupo (aproximadamente 60 homens) recebeu treinamento dos comandos, para serem tipo um PELOPES.

      A 1º Compañía do Regimiento de Infantería 25, que combateu em Goose Green, era uma unidade bem treinada e adestrada. Seu desempenho em combate foi considerado muito bom e deram mais trabalho aos paraquedistas do 2 PARA do que as demais subunidades envolvidas.

      Em Mount Tumbledown, enfrentaram o Batallón de Infantería de Marina 5 (BIM-5), uma das melhores unidades de infantaria do país. Apesar de serem conscritos, os fuzileiros navais argentinos tinham um melhor nível de treinamento e adestramento do que a maioria do pessoal do exército (iam mais a campo para realizar exercícios). Eram bem equipados para o combate e tinham uniformes adequados ao clima. Também já estavam devidamente aclimatados, já que o batalhão fica localizado em Río Grande, na Província da Terra do Fogo.

      Na escaramuça de Top Malo foi Comando (Royal Marines do Mountain and Arctic Warfare Cadre) vs Comando (Compañía de Comandos 602)

  31. Quanta asneira! A Argentina está acabando com suas forças armadas. Eles adquiriram uma aversão aos seus militares depois da aventura das Malvinas. Hoje a Argentina luta para se reerguer economicamente depois de ter sido assolada pelo Kirchnerimo. Uma nova guerra pelas ilhas não passa pela cabeça nem dos mais radicais nacionalistas. E é triste ver a ignorância de alguns que se aferram ao passado como se ainda vivêssemos na época da guerra pela província Cisplatina.

    • Concordo com você MAS (o sempre mas),
      Por mais que as forças armadas estejam mal equipadas, não significa que não podem tentar uma operação militar. Se a doutrina nos usos dos equipamentos ainda estiverem sendo usados, podem em um breve tempo, ter uma força considerável.
      Hoje a região está em paz, a palavra atual é integração mas nada que um novo regime hostil não possa desequilibrar a região, pode ser de qualquer um, inclusive o Brasil.
      Quantos aos Chineses armar a Argentina, é possível sim mas eles não desejam um conflito na região, eles importam uma grande quantidade de alimento (vamos exportar mais de 70 milhões de toneladas de soja), milhões de toneladas de minério e milho. A Argentina também é uma grande exportadora de grãos e quase tudo é via Atlantico Sul. Então, qual o sentido da China colocar um risco na região? Alimentar um conflito (seja pelas Malvinas, Canal de Beagle) não tem pé nem cabeça.
      Com o crescimento da India, o mesmo também tenderá a importar mais alimentos, neste ponto acredito sim que a China tenderá a colocar a sua Marinha na região, para garantir rotas abertas, por este motivo, acho imprescindível a presença da MB na região, pois poder não aceita vácuo. É muita ingenuidade acreditar que eles vão aceitar passivamente colocar a sua segurança alimentar em risco.

  32. Já começo a ter pena dos Ingleses, os Typhoon e os F-35 não serão páreo para a profissionalissima FAA com os seus temíveis hyper aviões chineses.

    O Galtiere morreu? Ou pode voltar a concorrer para a Presidência da Argentina????

    Deixando de ser ironico, essa matéria deveria se ater apenas a possibilidade de compra e as devidas avaliações de quanto isso alteraria a balança de forças no Sul do Continente.

    Acredito até que o nosso F-5M é muito mais inteligente que essa traquitana Chinesa.

  33. O Estado chinês não ameaçou bulhufas…
    Quem falou isso foram foristas de internet, viajando.
    É como se fosse nós aqui ameaçando invadir a Venezuela para resolver o problema…

  34. ANTONIO CV, muito obrigado.
    Che, fornecemos aviões e, ao que consta, alguns EXOCETs também. A França entregou aos ingleses os códigos chaves/fonte dos mísseis vendidos à França, que alteraram todos o sistema de controle da arma tornando-a ineficiente. Correto?
    Nos sites que me mostrastes, não vi nadda que indicasse a intencionalidade dos argentinos em induzir os ingleses a derrubar o jato comercial da saudos VARIG.

    • Aldo, como eu disse lá em cima: esse assunto já foi tratado várias vezes em profundidade em revistas especializadas de defesa e aviação. Não as tenho em mãos no momento para citar exatamente a edição delas.

      Aqueles links que eu passei são apenas de uma busca simples na internet. Se você procurar com mais detalhe e tempo vai encontrar a descrição mais aprofundada dos eventos.

  35. A China quer aliviar a pressão naval/militar próximo à costa, e certamente já decidiu abrir outros teatros operacionais, como Argentina e Venezuela.
    A Venezuela com o pé na cova, deve ser invadida, breve talvez, ai veremos a reação de seus aliados comunistas Cubanos, Bolivianos, Chineses.
    O atentado ao Sr. Bolsonaro poderia, eu disse poderia, em sua logística e planejamento, ter uma mão externa, ai qual seria a atitude do Brasil?
    A China para mim parece mais um pavão que um tigre.

  36. O Boeing da Varig não foi derrubado por muito pouco… safou-se a cerca de um minuto para o disparo de um Sea Dart porque os britânicos plotaram a rota seguida pela aeronave a partir de Durban para o GIG… esse acontecimento específico nada teve a ver com algum ardil dos argentinos… One Hundred Days esclarece bem este evento… cap. “Weapons tight !”, pág. 102 e 103…
    Agora, fiquei na dúvida sobre essa questão de código fonte dos AM39… se tal míssil recebe dados do radar da aeronave e faz sua navegação em função daqueles dados, até emitir com seu próprio radar, como assim “interferir no sistema de controle da arma” ? O que pode ter acontecido é o fornecimento de dados do auto-diretor (freq., LP, FRP) que possibilitassem a identificação positiva da ameaça e as devidas contramedidas disponíveis à época…

  37. A única ligação da anv da Varig com os argentinos (se tanto) foi o fato de os britânicos já terem detectado e interceptado um 707 argentino em missão de esclarecimento nos dias anteriores… mas daí pra dizer que os argentinos induziram o engajamento sobre a anv brasileira… não creio… no máximo, forçando a barra, indiretamente, pelo fato de enviarem uma anv semelhante em missão… mas, sinceramente, não enxergo essa intenção… a derrubada, caso ocorresse, seria causada exclusivamente pela análise da situação pelos britânicos, em função dos dados disponíveis e a ocorrência prévia de esclarecedores sobre a Task Force…

  38. O conflito das Falklands foi culpa da junta militar que comandava os argentinos, pois preferiram deixar as tratativas de posse das ilhas e resolveram tentar a (des) aventura militar.. Isso pegou os ingleses despreparados , talvez aí tenha queimado o filme dos militares argentinos. Eles não são parceiros confiáveis de projetos pois eles tem dificuldade estratégicas/financeiras (acha que nos podemos competir com FMS???).

    As ilhas hoje são muito mais importantes que em 1982… Outra se os ingleses tiverem Argentina Brasil e Chile do lado deles a China estará “perdida”(sem com encurtar passar pelo AS). Pois tanto Chile como Argentina estão no estreito de Drack, Argentina é um país próximo das Falklands logo seria o parceiro ideal para logística das ilhas, Já o Brasil a mesma coisa só que com a ilha de Ascensão ( no meio do AS 2.000 milhas de distância do Brasil e 2.000 milhas da África) considerando que o Panamá protegido pelo EUA e o Mediterrâneo pelos europeus a China teria que contorna a África e mesmo assim teria que passar por Ascensão….

    No final ter os argentinos como aliado é bem mais viável para os ingleses, mesmo que os argentinos não tenham mais capacidade militar…. pois a China virá com tudo e com esse aliados terão que fazer uma longa viagem dando tempo para reagir

  39. Olá Colegas. Sobre o fornecimento de Bandeirulhas para a Argentina, existe um caso engraçado contado pelo Roberto Campos, na época embaixador do Brasil em Londres. O governo inglês o chamou para cobrar neutralidade e questionar o fornecimento dos Bandeirulhas para a Argentina. O embaixador respondeu que o Brasil reiterava sua neutralidade e poderia fornecer Bandeirulhas para a Inglaterra também. Há também um relato que o Pres. Figueiredo não queria atender os telefonemas do presidente da Argentina, mas que um dia já no fim da guerra, ele foi convencido pelo Itamaraty a atender mas evitar assumir qualquer compromisso (devido a neutralidade do Brasil). O Pres. Figueiredo atendeu o telefonema e todos estavam tensos, temendo que a Argentina pedisse alguma intervenção militar brasileira para apoiar a Argentina. Para espanto de todos, o presidente da Argentina fez um longo telefonema em tom de desabafo, contando as dificuldades e as pressões que estava sofrendo. Depois de um longa conversa (quase um monólogo), o presidente argentino agradeceu o apoio que o Brasil deu à Argentina e a amizade do presidente brasileiro em atender o seu telefonema.

  40. Em um outro post sobre a Guerra da Malvinas (acho que no Aéreo), o Cel Nery recomendou lermos o Relatório Rattembach, escrito por um alto oficial do exército argentino (Benjamin Rattembach), sobre as causas da derrota argentina. Como ele é longo, sugiro um documentário da TV argentina sobre o Relatório disponível no Youtube. Acho bem melhor formar uma opinião a partir desse documento do que baseado em achismos.

  41. Não tem noticia? Ta baixo o numero de visitas e de comentários? Inventa uma noticia que envolva a argentina e o site decola!!!
    Não falha!!!

  42. Acho divertido como algumas pessoas subestimam a capacidade argentina. Eles fizeram uma bomba atômica (misseis Condor I e II), tem um programa espacial crível que já lançou um foguete chamado Tronador I. Nós não.
    É fato que hj eles estao em piores condiçoes economicas mas não se deve subestima-los.

  43. João Bosco 15 de setembro de 2018 at 20:32
    Quando o sol nascer quadrado no céu, a galinha tiver dentes e ser tripé, a vaca voar …..
    :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

    Mestre Bosco, como disse….tambem nao acredito numa hipotetica segunda guerra da argentina….

    Mas tenha certeza que tal como falei, se um dia chegar perto disto ou ate chegar….ja será num contexto de WWIII….e ai a coisa muda para todo mundo,,,,e todo o Mundo….e tenha certeza….em qualquer hipotese desta, Falklands estaria muito longe das 10 maiores prioridades britanicas….

    Torçamos para que estas coisas não surjam…mas se surgir…..ja seria por intermedio de uma nova Guerra Fria…..ecomo disse, se ingles estiver com disposição de incomodar la no mar da China, a China tera disposição de incomodar e patrocinar incomodos nas Falklands ou qualquer outro local do planeta…é isto o que potenciais mundiais fazem…minam os esforços dos adversarios em nivel global….isto não é novidade….é o que ocorreu nas dezenas de conflitos nacionais das decadas de 50, 60, 70 e ate 80….se o caldo engrossa, podem lançar mao das mesmas praticas….

    É neste contexto que o Brasil tem de estar preparado….para onde corremos…

  44. Caros Colegas. Recomendo a leitura do Relatório Rattembach (ou assistir um documentário da Tv argentina disponível na internet) sobre as responsabilidades dos comandantes argentinos para a derrota na Guerra das Malvinas.

  45. É um contexto de guerra fria: A Inglaterra (sempre ela) atormenta os chineses. Os chineses, por sua vez ameaçam a Inglaterra através de um fantoche (Argentina). Os argentinos recebem “gratuitamente” armamento e outras bugigangas chinesas e passam a se empertigar, como é de costume. Não se dão conta que estão sendo manipulados e se sentem o tal. O único contra-ponto na região é o Brasil, que provavelmente entrará na corrida armamentista. Aí vem o tio sam e a Inglaterra e vendem material para o Brasil. Resultado: não haverá guerra e os latinos ficam endividados até o pescoço: O Brasil com uma nova dívida a pagar e a Argentina cede parte da soberania para os chineses.

  46. Com o risco de sair do tópico, uma das passagens marcantes do “One Hundred Days” foi o Comandante da Força-Tarefa se permitir um copo de whisky ao final do primeiro dia de engajamentos, seu aniversário de 50 anos (1o. de maio) e véspera do afundamento do ARA General Belgrano.

    • Enquanto isso o Galtieri se permitia varias garrafas por dia.

      Trecho da musica Apocalipsis 1982 que retarata o conflito pelo ponto de vista de um soldado e um piloto que no final se encontram no conflito :

      …82!!
      El encuentro con la muerte
      82!!
      Cambio mi vida y mi suerte
      Con la Thatcher por un lado
      Con Galtieri enborrachado
      Y la muerte de soldados en el sur!!!…

      Já diz muito sobre ele gostar de se embreagar como um velho conhecido nosso de 9 dedos

    • Enquanto isso o Galtieri se permitia varias garrafas por dia.

      Trecho da musica Apocalipsis 1982 que retrata o conflito sob o ponto de vista de um soldado e de um piloto que no final acabam se encontrando em meio ao sofrimento da guerra:

      …82!!
      El encuentro con la muerte
      82!!
      Cambio mi vida y mi suerte
      Con la Thatcher por un lado
      Con Galtieri enborrachado
      Y la muerte de soldados en el sur!!!…

      Já diz muito sobre ele gostar de se embreagar como um velho conhecido nosso de 9 dedos

  47. Se elegemos um governo Bolivariano o Brasil vai comprar armas da China. E se bobearmos teremos um EPL ou Exercito de Libertação Popular que é o nome que dão para as tropas de choque que se utilizam para suprimir as liberdades e os opositores.

  48. AntonioCV, muito obrigado.
    Vou procurar, apenas continuo pensando que houve um incidente e que não houve a intencionalidade da Argentina em colocar nosso avião na linha de abate.
    Seria por demais criminoso!

  49. Isto de herança maldita não deu certo nem para temer e nem para macri,e para nenhum governo em nenhum pais do mundo.A Argentina deveria se armar com armamento chinês que além de ser mais barato é de tecnologia diferente dos ocidentais.O boicote da Inglaterra tem que acabar.

  50. Pessoal

    Realmente a China tá ligeira!
    Engraçado né há alguns meses atrás teve um vídeo de barcos fazendo pesca ilegal nas águas Argentinas e qual era a origem dos navios? China… Por que eles não doam navios patrulha? Por que tem que doar aviões?

    Ou seja, não há camaradagem nisso não!! Isso é puro jogo político! Vai da Argentina ser mais inteligente ainda!

  51. As eternas divulgações bombasticas envolvendo supostas aquisições de armas pelos argentinos. Igual o Reator Nuclear que estava pra ser instalado num submarino no governo da louca. Estão quebrados até pra comprar armas chinesas (eu não queria nem de graça).

    Escrevam, os chineses são inimigos de todos

  52. Alguém em um site fala algo estranho e a fofoca se espalha … ate parece que a china vai dar armamento de ultima geração de graça para a argentina s pra ela fazer guerra contra o reino unido e mesmo que isso acontece-se com certeza nao iriam usar pra atacar o reino unido de novo porque estao na pindaíba e muito menos o Brasil nao iria entrar na guerra ao lado de um ou de outro ….
    Quanta estupidez junta …. esses domingueiros so me fazem rir kkkk

  53. Hoje as ilhas estão bem defendidas com baterias anti aéreas, deixam até Eurofighters e um destroyer lá, ao contrário de antes que não tinha defesa nenhuma. Os ingleses aprenderam com o erro e estão sempre atentos, mesmo se a Argentina se reequipar totalmente seria muito difícil tomar a ilha e resultaria em muitas mortes. A influencia russa e chinesa vieram para causar guerras por aqui.

  54. Viajo para a Argentina à cada ano. Já estive 6x lá. Sempre fui muito bem recebido. Moro em Santa Catarina. Todos os anos, nossas praias são invadidas pelos argentinos e os catarinenses querem que essa invasão pacífica seja cada vez maior.

    Acho uma idiotice alimentar sentimentos anti-argentinos. Não somos rivais e muito menos inimigos. A Argentina tem 20% da nossa população e 10% do nosso PIB. Nem que quisesse, a Argentina poderia ameaçar o Brasil.

    Graças ao Mercosul (que tem defeitos, claro; mas que tem vários pontos positivos), a integração com países latino-americanos têm sido cada maior. Nossa Constituição determina que seja assim.

    Por falar em Argentino; outro dia, vi o Presidente do Uruguai mandando prender o Comandante do Exército por causa de declarações políticas deste (no Uruguai, isso é proibido). Sinceramente; o Uruguai deveria copiar a Costa Rica e abolir suas forças armadas. Deveria manter uma Polícia Federal forte, uma Guarda Costeira e só. O Uruguai precisa de Exército pra enfrentar quem?

    • Muito bom! !!

      No vulgo popular, as pessoas costumam comentar sobre a Argentina sobre um vies de rivalidade futebolística

      Futebol é uma coisa é economia outra

      Estamos enlaçados e é e, vão discutir a matemática da coisa

      E esta coisa se chama economia

      E economia manda na política quem briga com ela, acaba perdendo, independente da régua de tempo

  55. Militar não pode falar o que pensa? Aonde? Mandou prender por dizer?

    Militar deve dar cumprimento a hierarquia e a disciplina. Aquele presidente maluco que anda de fusca…gordo…só podia ser gordo. E barrigudo.

    A rivalidade no futebol haverá para sempre porque somos vizinhos e porque antes de Pele não sabíamos vencer. Nem argentinos nem outros.
    Mercosul foi bom pra quem? Para as montadoras, ok. Para os carnívoros, ok. Para a Bunge foi ótimo. Para a Monsanto, melhor.

    Mercosul só prestou para levar empregos e $$$ daqui. Tudo que eles exportam, somos nós quem compramos. Nós, ou as indústrias sem pátria, fazem troca-troca. E basta.
    Quem compra carro argentino? Carne? Adubos, sementes e defensivos? De indústrias que estavam aqui e foram para lá.

    Como a praga do Nafta. Levou 2 mil indústrias americanas to Canadá and México. Para venderem nos EUA. Pra fazer troca-troca de nota fiscal na fronteira. Como aqui. Importa bicicleta da China, passa pela Argentina, carimba a nota no Uruguai. Bacana.

    É claro que qualquer país precisa de defesa. Mas o Uruguai se transformou em corredor de contrabando, do tráfico, da sonegação, do banditismo. Então…já que tomaram tudo entrega as chaves. Defender de quem não é a pergunta.

    A pergunta é defender o que. Pe de maconha? Boi magro? Gorros e bombachas? Pé de tomate?

    O Urugai deveria ser reconstruído. Foi abandonado. Tá certo? Entrega pro ladrao?

    O que nos interessa na Argentina? São tão vulneráveis ao pré-sal, aos commodities, ao oceano, como nós. Sofrem do mesmo mal latino: ignorância e corrupção.
    O que nos interessa lá é a inteligência, o conhecimento e a pesquisa em áreas como energia. Nisso podemos cooperar. Riqueza. Empregos, cada um defende os seus.

    Mercosul? Bolivarianos? Fazer ferrovia, rodovia, hidrovia, pra ficar mais barato para os chineses? Quanto custava um carro nacional antes do Mercosul? Vai lá na França e procura carro inglês. Vai na Espanha e procura carro alemão. O que os espanhóis fizeram com o Dia do Carrefour quando a operação de supermercados de bairro passou a incomodar? Comprou. Tocaram os franceses de lá.

    Cada país deve preservar sua gente, sua moeda, seus empregos, suas indústrias. Quando as vendas da romena Dacia passaram a afetar os negócios da Renault, bastou. O Duster será o último e único. A empresa perdeu em valor. Perdeu vendas para uma tranca romena.

    Aqui entregamos tudo. Facilitamos a entrada e a saída. Ainda estamos nos anos 1950…papagaios do Disney. Sambando sem parar.

    Argentino invadia o Brasil nos anos 1990 quando o dólar era 1X1. Na Copa vieram dormir na praia e comer BigMac. Sem batata. Lanche do dia.

    Pera ai.

  56. Devemos nos preocupar sim com a ameaça vermelha interna, pois depois de 13 anos desta Perda Total conseguiram destruir o Brasil mais que todos os outros Durante os 500 anos … foi pior que o Brasil colônia …todo cuidado é pouco

    • Como diz a frase feita: “os comunistas são aqueles que leem Marx e Lenin, os Anti Comunistas são aqueles que leem Marx e Lenin e conseguiram compreender o que eles escreveram.

      A esperança é a ultima que morre, os Russos leram tanto Marx e Lenin que um dia acabaram entendendo e dando uma bica no atraso endemico gerado pelo comunismo.

  57. De toda essa salada, o q fica é:
    1) Pode haver interferência externa na AS.
    2) Há muito mais pela posse/controle das Falklands do q só nacionalismo. É uma posição que apoia o controle do encontro Atlântico-Pacífico e Atlantico-Indico. Projeção sobre o Continente Branco…. Leiam Therezinha de Castro.
    3) Governos ou grupos podem ser manipulados de várias formas e qual pode ser o resultado?
    4) Não arredondar tudo pra visão da geopolítica. Há empresas anglo-argentinas HOJE rendendo bem na logística naval, por exemplo.

    Pra nós:
    Se pode ter interferencia externa, se grupos podem ser manipulados, e nós temos riquezas imprescindíveis no Sul, é mesmo o caso afastarmos poder militar de lá?
    Sds

  58. – Vejo com bons olhos a cooperação chino-hermanos, pois abriria um leque de opções com relação a aquisição de armas pelas nações sul-americanas, que não devem ser atreladas aos USA ou RUSSIA, mas livres quanto a escolha. Hoje os chineses fabricam armamentos, navios, aviões com custo mais baixo que tradicionais fornecedores de armas.
    Sai ganhando todos, inclusive o Brasil.

  59. Mas como tem gente estulta mesmo heim??! Não conseguem ligar lé com cré…por mais que leiam e releiam o pensamento raso prevalesse. Respondam às perguntas e depois voltem a pensar..Chile gosta da Argentina? Paraguai gostam da Argentina? Uruguai gosta da Argentina? Peru Gosta da Argentina? Colômbia gostam da Argentina?
    Então parem de falar/argumentar besteiras, pois até hoje o massivo de nossas forças armadas miram a tríplice fronteira. Ou os serviços de inteligencia das 3 armas são idiotas? O cara faz turismo e vem falar idiotices??!! Avê MAria

  60. “Quanto às Ilhas Malvinas, o Brasil reconhece o direito de soberania da Argentina,
    mas não deve apoiar nenhuma iniciativa de sua retomada pela força, pois um novo
    conflito na região teria reflexos políticos cujas consequências seriam imprevisíveis para
    a segurança no entorno como um todo. Hoje, o Brasil já reconhece a soberania argentina
    também sobre as Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul, quando anteriormente
    reconhecia serem áreas em litígio. Qual foi o retorno em termos de apoio argentino aos
    interesses globais do Brasil e de boa vontade nas negociações no âmbito do Mercosul?
    Devem-se levar em conta as restrições de Argentina e Chile à presença brasileira na
    Antártida, ao contrário do incentivo e apoio dos Estados Unidos e do Reino Unido.”
    .
    http://www.en.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/livros/livros/150831_amazonia_e_atlantico_sul_web.pdf

  61. Não sei o que é pior. Uma nação querendo a III Guerra ou muitas pessoas torcendo pra ela acontecer, só porque acham que estão longe da confusão e que tudo vai ser tipo Battlefield.

    • Exato, tem muito imbecil que escreve sem pensar, milhões de morte, destruição de culturas, anos de recessão e acham que isto não é nada, que a vida vai continuar igualzinho.
      Vão começar a chorar quando não tiver emprego, o pais em recessão ? Não, pois moram no mundo de Polyana, mas vão sentir quando não puderem usar o whatsap ou o facebook, ai a ficha vai cair, ahh, nem postar aqui será possível.

  62. Seria um upgrade enorme para a Argentina os FC-1, mas, o fato é que a Argentina está em uma situação tal que não há espaço para uma compra desse vulto. Pior, vão ter que voar muito os Texan II para readequação operacional. Seria muito mais útil para eles o Pampa ou qualquer outro LIFT para readquirirem doutrina operacional, do que se transformar em potencial ameaça ao Reino Unido (e de quebra OTAN) sem poderem pagar pelo blefe.
    O Brasil não se alinharia à Argentina, o Chile seria o Chile e talvez peruanos e equatorianos dessem algum apoio logístico.
    E mesmo sendo esse upgrade para os argies, para o Typhoon e AIM-120C ou D o FC-1 não é problema.

  63. ameaça mesmo quem corre são os chineses.

    de levar um calote dos hermanos.

    mas seria uma boa opção para eles. Qualquer opção ocidental pode sofrer vero dos EUA.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here