Home Academia Mestrado Profissional em Estudos Marítimos da Escola de Guerra Naval

Mestrado Profissional em Estudos Marítimos da Escola de Guerra Naval

4758
11

A Escola de Guerra Naval (EGN) publicou o edital do processo seletivo para ingresso no Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos (PPGEM), em nível de Mestrado Profissional (stricto sensu).

As inscrições  podem ser feitas de 27 de agosto a 10 de outubro. Poderão inscrever-se civis e militares que possuam graduação completa reconhecida pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC).

A Turma/2019 tem início previsto em março do ano que vem, tendo o curso duração de dois anos.

Os Estudos Marítimos conformam um campo acadêmico interdisciplinar, que abrange as relações políticas e sociais do homem com os espaços marítimos e as águas interiores. O Programa se estrutura em torno da área de concentração “Defesa, Governança e Segurança Marítimas”, contando com três Linhas de Pesquisa:

I – Política e Estratégia Marítimas;

II – Regulação do Uso do Mar, Processo Decisório e Métodos Prospectivos;

e III – Política e Gestão em Ciência, Tecnologia e Inovação no Ambiente Marítimo.

Informações sobre o edital, vagas, processo seletivo e corpo docente estão disponíveis na página do PPGEM na internet (www.ppgem.egn.mar.mil.br); dados adicionais podem ser obtidos pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone: (21) 2546-9325.

11
Deixe um comentário

avatar
8 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
Ronaldo de souza gonçalvesTarcizio Rodrigo de Santana MeloPhilNacelio Ezequiel de AraujoKommander Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Colegas. O corpo docente deste curso de mestrado profissional é muito bom. Todos com doutorado em várias áreas, incluindo história, sociologia e engenharia. Alguns são oficiais da MB. Talvez seja a oportunidade para alguns ingressarem em um excelente programa de pós-graduação (conceito 5 da CAPES). A diferença do mestrado profissional com o acadêmico é a ausência de bolsas e que o projeto seja desenvolvido em parceria com uma empresa ou instituição. Não significa que seja mais fácil. Os dois tipos de mestrado são equivalentes.

Flanker
Visitante
Flanker

Vendo a imagem, dá saudade dos tempos, não tão distantes assim, em que a MB podia colocar uma Força-Tarefa razoável à navegar. Na imagem, podemos ver: G23 Gastão Motta, G27 Marajó, G28 Mattoso Maia, G31 Rio de Janeiro, F40 Niterói, F41 Defensora, F46 Greenhalgh, F48 Bosísio, F49 Rademacker e uma CV classe Inhaúma (pela foto não dá pra ver o indicativo visual). Desses navios todos, ainda estào ativos apenas: G23, G28 (em um PMG interminável), F40 (parada há um bom tempo), F41 (em PMG há uns 10 anos), F46, F49 e CV classe Inhaúma ( das 4 que compunham a… Read more »

Kommander
Visitante

É uma bela foto, impõe respeito e da saudades… Pena que com o tempo o material sempre vai se deteriorando.

Nacelio Ezequiel de Araujo
Visitante
Nacelio Ezequiel de Araujo

Que pena…o Brasil poderia estar entre as 6 potências mundiais em termos de desenvolvimento social e econômico. As FA não são competitivas a nível internacional, embora seja no âmbito regional (AL). A MB está com seu arsenal marítimo defasado e sob risco de acabar. Faltam políticas competentes..Falta governo comprometido com o Brasil…Quem sabe, um dia o Brasil possa avançar nesses quesitos.. Salve a MB..

Phil
Visitante
Phil

Mas que bela foto da esquadra.

Tarcizio Rodrigo de Santana Melo
Visitante

Existe a possibilidade de conseguir uma bolsa de estudo?

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Tarcizio. Eu não encontrei na página do curso informação sobre bolsas. Eu sugiro que você entre em contato com o programa e pergunte diretamente a eles. O que posso adiantar é que se você não pode receber salário e bolsa de estudo ao mesmo tempo. Tem que escolher entre o emprego e a bolsa de estudos.

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

Apesar de não ser muito visto essa missoês da ONU,no qual o Brasil participa e os observadores nos dá experiência real de conflitos mesmo em menor escala, e junto com os exercícios nos ´favorece no aprendizado,só tenho uma critica pois o serviço militar obrigatório e um erro.Teria que ser volútarios,pessoas que querem seguir carreira,concursos etc etc.Pessoas que servem por um ano que apreendem manejar fuzis,metrelhadouras.depois dão baixa e um desperdício de tempo é material.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Ronaldo. Creio que o serviço militar no Brasil é profissional, já que todos os oficiais ingressam por concurso (por meio das academias militares) e diversos postos são preenchidos por concurso, como por exemplo no ingresso para os fuzileiros navais ou para as carreiras militares nos quais o ingresso é por concurso. Recomendo acessar o “GUIA DE INGRESSO NO EXÉRCITO PARA O ANO DE 2017”. Boa leitura.

Nacelio Ezequiel de Araujo
Visitante
Nacelio Ezequiel de Araujo

Pertinente vossa observação. Não deveria ser obrigatório o serviço militar. Infelizmente o Brasil ainda vive os resquícios do tempo antigo. O serviço militar deveria ser optativo. Serve quem desejar. Também, deveria ser atrativo, com vantagens, que possibilitasse reais chances de efetivação da carreira militar.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Nacelio. O serviço militar obrigatório é adotado em vários países. No caso brasileiro, não faz diferença. O número de jovens que se alistam por ano é maior que 1 milhão, sendo que cerca de 100 mil são convocados, a maioria deles declarou ser voluntário no momento do alistamento. Contudo, o mais importante é que o ingresso na carreira militar é feita por concurso. Sugiro fazer uma pesquisa rápida na internet para acessar os editais de concurso para ingressar nas forças armadas. Não basta querer, teria que ter alguma competência mínima.