Home Indústria de Defesa Palestra da Saab sobre o uso de materiais compostos na construção naval

Palestra da Saab sobre o uso de materiais compostos na construção naval

3074
11
Caça-minas sueco classe Koster (MCMV-47), originalmente classe Landsort
Caça-minas sueco classe Koster (MCMV-47)

A Saab é uma das patrocinadoras do 27º Congresso Internacional de Transporte Aquaviário, Construção Naval e Offshore, realizado pela Sociedade Brasileira de Engenharia Naval (SOBENA), e fará uma palestra para falar sobre os benefícios do uso do material composto na construção naval.

Na próxima terça-feira, 23 de outubro, a Saab vai compartilhar algumas de suas experiências com a utilização de materiais compostos em uma palestra apresentada pelo executivo de vendas da Saab Kockums, Robert Centner Petersson, durante o 27º Congresso Internacional de Transporte Aquaviário, Construção Naval e Offshore promovido pela SOBENA. Na ocasião, a Saab vai apresentar o material composto e falar sobre os benefícios da configuração da estrutura chamada de ”sanduíche”, como ela é aplicada em superestruturas, os processos de construção, a transferência de tecnologia que essa inovação possibilita e a oportunidade de adoção de um negócio sustentável.

”Essa será uma ótima oportunidade para apresentar as qualidades do material composto e destacar que, além de sustentável, ele não sofre com os efeitos de corrosão ou degradação. Este porduto coleciona outras qualidades como a facilidade de manutenção e a consequente otimização do custo ao longo da vida do veículo, a capacidade multimissão por conta da sua estrutura não magnética e leve, resistência às explosões subaquática entre outras eficácias operacionais” comenta Petersson.

A palestra vai acontecer a partir das 11 horas na Sala 1 da FIRJAN, Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, Av. Graça Aranha, 1 – Centro, Rio de Janeiro. O congresso ocorrerá de 23 a 25 de outubro e deve abordar assuntos voltados para transporte marítimo e em hidrovias, indústria offshore, disseminação de pesquisas, divulgação de estudos tecnológicos, infraestrutura das vias, integração de sistemas logísticos, uso de energias limpas entre outros.

DIVULGAÇÃO: MSLGROUP/Publicis Consultants

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lucas Schmitt
1 ano atrás

Esse caça Minas deveria vir pra MB hein?!

Gilbert
Gilbert
1 ano atrás

Tomará que venham
A MB poderia fechar o contrato das CCTs com o consorcio da Fincantieri e a compra desses caça-minas com a SAAB assim teríamos 2 estaleiros já com trabalho no Brasil ajudando a MB, a economia e os trabalhadores brasileiros. De quebra poderia estudar a encomenda de NaPOc tipo Amazonas e NAP-500 contratando mais 2 estaleiros diferentes. Seria supimpa, todo mundo no Brasil sairia ganhando.

Flávio
Flávio
1 ano atrás

Os 2 navios oferecidos à Marinha do Brasil são usados e sua modernização seria feita na Suécia por 200 milhões de dólares (100 milhões por navio).

Top Gun Sea
Top Gun Sea
1 ano atrás

Será a próxima aquisição da MB em 2019.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Estes dois navios já devem estar até reservados pra MB.

Leonardo Araújo
Leonardo Araújo
1 ano atrás

Saab já está utilizando a mesma forma de atuação que no FX2. Antecipando ações institucionais e práticas, já está indicando empresas brasileiras que pode ser parceiras na empreitada. Nisso elês saem bem na frente. Não é à toa que tornaram permanente o instituto de colaboração ente Brasil e Suecia o CISB.
Com certeza a coroa sueca não deixará este contrato ser perdido tão fácil.
Acredito que a marinha esteja olhando 25 anos à frente com Gripen M.

Alexandre Fontoura
Alexandre Fontoura
Reply to  Leonardo Araújo
1 ano atrás

Leonardo, na LAAD 2017 os suecos da Saab/Kockums foram bem claros de que estavam propondo uma espécie de modelo de cooperação industrial similar ao do Gripen, só que para meios navais. Na mesma reunião/palestra eles apresentaram uma amostra deste material que chamam de “sanduíche”. É algo impressionante! Leve como isopor, mas com a resistência de uma chapa de alumínio ou aço naval. O emprego no revestimento de superestruturas dos navios deixa as embarcações muito leves.

br
br
1 ano atrás

Seria muito interessante uma matéria do naval explicando as propriedades com compósitos na construção naval.

Souto.
Souto.
1 ano atrás

Nosso amigo XO nos disse que a MB ja teriaverba empenhada do orçamento de 2018
para compar dois navios caça minas a Suecia.

Beto Santos
Beto Santos
1 ano atrás

Isso é uma palestra que eu gostaria de assistir, se o Naval puder colocar no site pra gente poder ver eu agradeceria, em relação a alguns comentários que li aqui não vejo fundamento a MB ficar dando uma de paizão pros estaleiros, se tem capacidade técnica e uma boa administração este estaleiro não precisa de nada pois anda com as próprias pernas e se não esta assim é porque não esta fazendo o seu trabalho corretamente, chega deste conto de fadas do povo ficar bancando empresário que só quer embolsar grana e não trabalhar, espero que esta era de preguiça… Read more »

Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

A modernização destes barcos bem que poderia ser colocado na conta do off-set que a SAAB tem a entregar ao Brasil, como consta no contrato dos Gripen. Até bem razoável, se bem que os vendedores querem levar vantagem em tudo ( Lei do Gerson). Comparando com o valor a receber isso não é expressivo.