Home Feira de Defesa Damen revela projeto da fragata Omega de 6 mil toneladas

Damen revela projeto da fragata Omega de 6 mil toneladas

8827
36
Concepção da fragata Omega
Concepção da fragata Omega do estaleiro Damen

Na IndoDefence 2018, exposição de defesa realizada em Jacarta, na Indonésia, o grupo holandês de construção naval Damen revelou o novo projeto da Fragata “Omega” da classe de 6.000 toneladas.

A maquete exposta é representativa de um conceito inicial para a futura Marinha Real da Holanda (Koninklijke Marine) e da Marinha da Bélgica.

O navio esta sendo oferecido também como Future Frigate Indonesia (FFI) para a Marinha da Indonésia.

A Damen explicou que a fragata Omega/FFI é baseada na comprovada forma de casco da fragata LCF/De Zeven Provinciën. A embarcação possui um sistema de propulsão híbrido que consiste em quatro motores a diesel (dois podem ser usados ​​para velocidade econômica, quatro para velocidade máxima) e dois motores elétricos. Os motores diesel são separados para a proa e para a popa para maior capacidade de sobrevivência em combate. A geração de energia a bordo do navio leva em conta sistemas de armas futuros, como armas de energia dirigida.

A fragata Omega possui duas grandes baias multi-missão: uma a meia-nau e outra na popa. Como é a tendência das fragatas de última geração (Type 26 e FTI/Belharra), a baia multimissão a meia-nau atravessa os bordos de um lado ao outro com um sistema de manejo aéreo para carregar e movimentar contêineres ou lançar e recuperar RHIBS ou USVs/UUVs. A baia multimissão é grande o suficiente para acomodar contêineres de até 4×20 pés e o compartimento de multi-missão da popa pode acomodar contêineres de 2×20 pés. Há um espaço adicional no convés superior, ao lado dos lançadores de mísseis antinavio para 2 contêineres adicionais.

Fragata Omega e a Sigma 10514 (oferecida ao Brasil no Programa Tamandaré)

Suíte Thales S/X

O visual futurista (quase um Zumwalt) da fragata Omega deve-se principalmente ao novo conjunto de radar de nova geração fornecido pela Thales: é a nova suíte Thales S/X que consiste Conjunto de radar S-band SeaMaster 400 de painel fixo e radar multi-função APAR Block II de banda X, ambos com tecnologia de nitreto de gálio. De acordo com a Thales, a nova solução de radar de banda S de painel fixo é a resposta certa para combater as ameaças colocadas por aviões ou mísseis teleguiados de superfície, munições guiadas com precisão ou mísseis pop-up disparados por submarinos, tipicamente atacando logo acima da superfície do mar ou de ângulos de alta elevação (alto mergulho). O APAR Blk2 defende contra ataques de saturação nos cenários de maior ameaça, suportando muitos engajamentos simultâneos de AAW e ASuW com orientação ativa e semi-ativa usando o ICWI. O Thales SeaMaster 400 oferece um alcance de 450 km, enquanto o APAR Block 2 pode substituir os iluminadores para fornecer orientação diretamente para os mísseis ESSM e SM-2.

A fragata Omega também está disponível com diferentes configurações de radar. Uma versão equipada com um radar rotativo (como o Thales NS200) também está sendo lançada pela Damen.

Armas e outros sensores

O conjunto de armas e sensores depende dos requisitos do cliente, como de costume. No entanto, o modelo em escala exibido na Indodefence mostra a fragata Omega equipada com um canhão principal de 127mm da Leonardo, um canhão secundário de 76mm (variante não penetrante) da Leonardo no topo do hangar de helicóptero, um CIWS Rheinmetall Millenium, 2 estações de armas remotas Leonardo Hitrole , 8 mísseis antinavio Kongsberg NSM, 4 lançadores de despistadores Rheinmetall MASS, um sonar de casco Thales Kingklip e um sonar de profundidade variável Captas-4, 4 antenas de ligação por satélite e 2 sistemas Thales Mirador EO. Para defesa aérea, o modelo em escala mostra 24 células VLS (provavelmente VL MICA NG para a Indonésia ou ESSM Block 2 para Holanda e Bélgica).

Especificações iniciais da fragata Omega / FFI

Comprimento: 144 metros
Largura: 18,8 metros
Deslocamento: 6.100 toneladas
Velocidade máx.: 29 nós
Alcance: 5.000 milhas náuticas a 18 nós
Autonomia: 30 dias no mar
Estabilização: Rudder Roll (semelhante ao LCF)
Tripulação: 122 militares (acomodações para até 160)
Espaço de armazenamento para RHIBs de 3×12 metros
Espaço de hangar para 2 helicópteros de porte médio e/ou UAV.

FONTE: Navy Recognition

36
Deixe um comentário

avatar
16 Comment threads
20 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
25 Comment authors
CipherNineKemenHermesDaltonMarcos R. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Flávio
Visitante
Flávio

Segunda foto é o futuro da Marnha do Brasil: Ômega e Sigma

abrahamyamato
Visitante
abrahamyamato

Flavio se a omega for barata como os submarinos Scorpene vai ser uma belezura para a MB

Foca
Visitante
Foca

O valor divulgado pela DAMEN é entre 540 e 750 milhões de euros, dependendo da configuração

Os IKL 214 e os Scorpene custam cerca de 500 milhões de dólares.

Valores acima são para compras diretas do fabricante, sem ToT ou fabricação no país que adquiriu o navio.

Marcos
Visitante
Marcos

Da pra por 2 lançadores do sistema astros em cima da superestrutura, compra garantida.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Não esqueça do Phanlax!

James Marshall
Visitante
James Marshall

E um F 35.

Kemen
Visitante
Kemen

Impossivel, o F-35 B é STOVL

Hermes
Visitante
Hermes

Tem que ter uma versão lift também

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

Linda fragata! Espero que dê Sigma Damen no certame das CTTs. Reparem que por mais que suas dimensões, tonelagem são grandes e bem armadas a tripulação é de apenas 122 marinheiros, isso mostra o quanto esse projeto de fragata ômega será dotada de muita tecnologia.

Carlos Sinésio
Visitante
Carlos Sinésio

Também estou na torcida pela Damen…sonhar não custa nada…

nonato
Visitante
nonato

8 mísseis antinavio acho pouco armada.
E uns 24 VLS?
Só tem tamanho e não armas?

BENJAMIM MENDES JUNIOR
Visitante

“Ok, fechou! Me da 4 sigmas que tô com pressa, mas depois volto e levo pelo menos duas Omega”

James Marshall
Visitante
James Marshall

Muito ”caminhãozinho” pra nossa terra, ops, quero dizer…

Burgos
Visitante
Burgos

A Damencada vez mais se superando em seus projetos !!!
Muito bonito e espera-se ser eficaz ,quem sabe futuramente a MB não se engraçe com umas 4 dessas aí !!!

Luiz Floriano Alves
Visitante

O sistema de maquinas deste barco propicia a inclusão de baterias de alto rendimento. Com essa reserva elétrica será possível fornecer mais potencia para a propulsão e atingir maiores velocidades de combate. Melhor do que turbinas a gas e a um custo mais reduzido.

_RR_
Visitante
_RR_

É por essas e outras que o PROSUPER já perdeu a razão de ser…

Uma nova geração de escoltas está nascendo, e promete já nos próximos 15 anos substituir as atuais escoltas que estão sendo pleiteadas pelo programa brasileiro.

Aliás, essa arte com a fragata Omega e a SIGMA dizem muuuuito… 🙂

Marcelo
Visitante
Marcelo

muito bacana, mas e o preco? deve ser interestelar igual a aparencia dela de destroyer do Star Wars…

willhorv
Visitante
willhorv

Está também é feita de cartolina?
Desculpem…mas ocorrer o que ocorreu com a outra que naufragou por colisão é o Ó!!
Imaginem em conflito!
Se é pra ser só pra inglês ver vamos de botes de borracha!

Gelson
Visitante
Gelson

willhorv,
se tu estás falando da KNM Helge Ingstad e o acidente na Noruega ela é de construção da Navantia e não da Damen.
Este projeto Damen tem linhas muito arrojadas e promete ser uma nova tendência nos projetos navais. As linhas da Sigma também não deixam nada a desejar. Se for como na aviação onde a beleza é sinônimo de voar bem, o mesmo poderá ser aplicado para estes navios.
Abraços

willhorv
Visitante
willhorv

Estou me referindo a concepção e tendência de alguns fabricantes em fazer o Bela viola, entende!
Por fora, Bela viola….e por dentro pão bolorento!
Kkkkk
E violas caras ainda!!!

Alex Melo
Visitante
Alex Melo

O tempo dos encouraçados terminou, qualquer navio de guerra que sofrer uma colisão com um mercante de 30 mil ton pra cima vai levar a pior, não existe nenhum navio de guerra, seja da nação que for que aguente levar uma porrada e sofra apenas arranhões.

abrahamyamato
Visitante
abrahamyamato

Alex e verdade o HMS King George V colidiu em outubro de 1941 com o destroyer HMS Punjabi mas o encouraçado não afundou

Foca
Visitante
Foca

Os Navios da Navantia tem apresentado alguns problemas.

Afirmo isso porque as fragatas F310 da Noruega (essa que afundou agora) apresentou problemas de corrosão prematura e técnicos espanhóis foram para Noruega. Agora esse naufrágio.

O encalhe do patrulheiro Warao que não pode ser reparado. Os 2 LHD australianos que também apresentaram problemas e precisou que técnicos espanhóis fossem para a Austrália

Marcos R.
Visitante
Marcos R.

Sem contar o submarino que afunda e não flutua mais.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Atenção:
Sem acesso aos comentários no novo post.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Faltou coragem!

Luiz Floriano Alves
Visitante

No TO europeu e suas ex colonias não há espaço para corvetas. A Fragata de grande poder e tecnologia avançada é a primeira necessidade. No passado certos círculos navais priorizaram os encouraçados, só para se arrependerem amargamente. Agora o poder no mar se expressa no ar. Misseis e aviões rápidos e potentes, contando com cobertura de satélites de informação. O poder de fogo atual é impressionante: em poucas horas uma esquadra inteira pode desaparecer, rumo ao fundo do mar.

Bardini
Visitante
Bardini

Tem as mesmas dimensões de casco das De Zeven…
.
Pra mim, parece um PPA, só que mais “quadrado”. E os PPA existe em diferentes configurações, onde as versões Light vão custar para os Italianos um barganha.
.
O que esse navio da DAMEN faz, que o navio da Fincantieri não faz?

Marcelo
Visitante
Marcelo

marketing

Carlos Campos
Visitante

Sou mais um petroleiro armado com sistema AEGIS e Harpoon, inclusive a US NAVY terá alguns petroleiros no seu Strike Group….. bom parando de brincadeira, eu era fã da Type 26 até saber dessa belezura, a Omega é a Fragata mais bonita do mundo na minha opinião, em termos de sensores ela está no estado da arte, esse radar está além de tudo que a MB tem hj, só não sei quanto esse missil NSM nunca tinha ouvido falar dele, ele é furtivo e subsônico, voa quase tocando o mar, ou seja ele usa o design e a curvatura da… Read more »

Marcelo
Visitante
Marcelo

mísseis anti navio sea skimming existem desde o Exocet…o NSM é norueguês da Kongsberg que fabrica o Penguim usado pela MB no Seahawk e possui versão para lançamento a partir do F-35A também (no F-35B não porque a baia é menor devido ao fan de sustentação vertical).

Delfim
Visitante
Delfim

Só observo o incremento de tamanho e deslocamento em cada tipo de navios.
As Niterói deslocam pouco mais de 3000 ton. e eram das mais avançadas fragatas do mundo em sua incorporação há 40 anos. Agora fragatas chegam a 6000 ton.

Dalton
Visitante
Dalton

Delfim…isso tem muito a ver como cada marinha classifica seus navios…para muitas,
não faz mais sentido o termo “destroyer” muito menos ainda “contratorpedeiro”…veja por exemplo as grandes fragatas francesas seja “Horizon” seja “FREMM” que ainda levam no costado o indicativo “D” e não “F” como na classe “La Fayette”.
.
Em meados da década de 1970, a US Navy fez até pior…diante do grande número de navios soviéticos classificados como cruzadores …a US Navy reclassificou seus grandes “destroyers”, até menores que os “Arleigh Burkes” de hoje, como cruzadores !

nonato
Visitante
nonato

Um “pequeno” caça pode levar de 4 a 12 mísseis com 50, 100, 200 km de alcance (antiaéreo ou de ataque ao solo). Aí, uma fragata de 6.000 toneladas leva 8 mísseis antinavio e 24 mísseis antiaéreos? 🤔 Tem algo muito errado nesses conceitos. Para mim, era para ter no mínimo uns 20 mísseis antinavio (inclusive supersônico com uns 300 de alcance – e por que não com 2.500 km de alcance como as corvetas russas de 700 toneladas?) e uns 50 a 80 misseis antiaéreos incluindo contra mísseis balísticos como os do sistema aegis. Menos do que isso é… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Nonato… . no caso da fragata norueguesa há espaço para se adicionar mais armamento…mas… diante da função que um navio vá exercer ou das condições financeiras ou ambas as coisas, decide-se não fazer e provavelmente os “caças” dessa nação, também não poderão levar tantos mísseis assim…o estoque é sempre limitado…diferente do que realmente pode transportar…nem a US Navy consegue preencher cada silo dos seus MK-41 com um míssil. . Uma fragata tem que ser capaz de navegar muito mais e enfrentar condições de mar muito mais adversas que uma corveta…portanto tem que ser maior, embarcar mais combustível, exigir mais tripulantes,… Read more »

CipherNine
Visitante
CipherNine

24 vls é diferente de 24 mísseis… pelo missel dito na matéria cabe até 4 por vls.
Quero ver usar 96 mísseis anti aéreos em uma fragata…
Como Dalton disse nem a US Navy faz isso.