Home Aviação Naval Alienação do casco do ex-NAe São Paulo

Alienação do casco do ex-NAe São Paulo

9088
55

PORTARIA Nº 347, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2018

O COMANDANTE DA MARINHA, no uso das atribuições que lhe conferem os art. 4º e 19 da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010, e o inciso V do art. 26 do Anexo I do Decreto nº 5.417, de 13 de abril de 2005, resolve:

  • Art. 1º Dar baixa, do Serviço Ativo da Armada, no Navio-Aeródromo “São
    Paulo”.
  • Art. 2º Exonerar do cargo de Comandante o Capitão de Mar e Guerra CARLOS
    ROBERTO ROCHA E SILVA JUNIOR.
  • Art. 3º Proceder à alienação do casco do ex-Navio-Aeródromo “São Paulo”, na
    forma da legislação em vigor.
  • Art. 4º Esta Portaria entrará em vigor no dia 22 de novembro de 2018.

FONTE: Diário Oficial da União de 23 de novembro de 2018/ COLABOROU: André Vital

Subscribe
Notify of
guest
55 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Emerson Miura
1 ano atrás

Agora o trabalho é triplicado para nós.
NON DVCOR DVCO!
Missão- Museu Aeronaval São Paulo/Foch

FERNANDO
FERNANDO
1 ano atrás

Puxa, uma pena.
Será que não da para aproveitar o SP, em outra função que não porta aviões??

Mauricio Pacheco
Mauricio Pacheco
1 ano atrás

Ficaria bom, preservado como museu atracado na Praça Mauá, ao lado do Museu do Amanhã.

Blindman's Bluff
Blindman's Bluff
Reply to  Mauricio Pacheco
1 ano atrás

Se pelo menos virar museu, melhor tirar do RJ, senao pega fogo.

jorge Alberto
jorge Alberto
Reply to  Blindman's Bluff
1 ano atrás

kkkk boa boa…

Cronauer
Cronauer
Reply to  Blindman's Bluff
1 ano atrás

Só não entregar nas mãos dos reitores e vice do PSol… Ou seja, que não esteja subordinado a uma adm vermelhuxa.

Cronauer
Cronauer
Reply to  Cronauer
1 ano atrás

A afirmação é de uma parlamentar da Alerj.
Tem vídeo sobre isso no YouTube, embora, todos saibam a verdade, mas sabe como é…
É o País onde almirante discursa em tom solene que melhorou o rancho…

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Blindman's Bluff
1 ano atrás

Já pegou fogo e, inclusive, matou militares a bordo.

Leandro Kubiack da Silva
1 ano atrás

É sempre triste o fim de um navio.

Vovozao
Vovozao
1 ano atrás

23/11 – sexta-feira, btarde, acho que a MB, não irá conseguir alienar, terão que pagar a desmontagem, a quantidade de amianto é muito grande, nem a Índia compra.

br
br
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Então não dá para afundar?

Matheus Silva
Matheus Silva
1 ano atrás

Transforma em museu. Tem várias sucatas de A-4 que podem ser colocadas em exposição estática.

Se os Tracker que compramos um dia vierem ao Brasil, podem ser colocados em exibição também

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Matheus Silva
1 ano atrás

Lúcido comentário!

James Marshall
James Marshall
1 ano atrás

Merci beaucoup France por ter nos vendido essa sucata ambulante e muito obrigado FHC por você ter comprado usando o nosso dinheiro.

jota ká
jota ká
Reply to  James Marshall
1 ano atrás

O responsável é FHC.
Então é o fez contrariando o almirantado da época?

Dalton
Dalton
Reply to  James Marshall
1 ano atrás

FHC gosta muito da França…até morou lá…mas…não foi ele que inspecionou o “Foch”, nem negociou durante meses com os franceses e a marinha brasileira sempre soube conforme revista que tenho da época que dentro de uns cinco anos, após a compra uma revitalização teria que ser feita. . Só que o dinheiro “secou” ainda mais, pois a corveta “Barroso” teve sua construção paralisada durante uns 3 anos depois de 2002, conforme vi e ouvi sobre isso quando visitando o Arsenal de marinha” e é bem possível que as dificuldades técnicas também tenham sido maiores que as previstas…navios velho normalmente é… Read more »

paulo costa
paulo costa
1 ano atrás

Teria que ser transformado em museu mas nem isso o atual comandante almirante “seu barriga” consegue fazer … que venha logo o novo comandante

Elton
Elton
1 ano atrás

Que nada, e melhor fazermos igual quando desativados os nossos antigos encouraçados, levamos ele para um desmonte no outro lado do oceano ai “acidentalmente” ela afunda no meio do Atlântico por alguma “falha estrutural”.simples….

J.Neto
J.Neto
1 ano atrás

Como alguns daqui sabem a quantidade de material que está no casco e seus equipamentos? Falam cada coisa…

Camilo
Camilo
1 ano atrás

Não se pode usar como porta-helicopteros?

Dalton
Dalton
Reply to  Camilo
1 ano atrás

Poder…até pode, mas, mesmo assim teria que se investir muito nele para que voltasse a navegar. Quanto a se a marinha brasileira tem condições de manter dois navios “capitais” o “São Paulo” e o “Atlântico” a resposta é não…e o “Atlântico” é bem mais barato de operar. . Lembro que alguns NAes da classe “Essex” foram convertidos em porta helicópteros de assalto ainda na década de 1950, mas, eram caros de manter então nada melhor que criar uma classe específica bem mais barata de operar e que praticamente fazia a mesma coisa…essa classe ficou conhecida como “Iwo Jima”, todos já… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Camilo
1 ano atrás

Caro Camilo, se fosse possível operar o A12, a MB ainda teria um porta-aviões. A decisão de desativa-lo resultou do custo estimando para a sua modernização, mais de um US$ 1 bilhão (segundo uma entrevista do atual comandante para o Roberto Lopes), praticamente o valor de duas Tamandarés novinhas e equipadas. O A140 é mais novo e mais barato de operar. Provavelmente, sairia mais barato construir um porta-helicopteros novo, ou um Mistral novinho, do que reformar o A12. O comandante da MB também mencionou que eles estavam mapeando o A12 para ter o projeto que servirá de base para a… Read more »

Antônio Just
Antônio Just
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Se políticos desse país podem roubar bilhões e bilhões para campanhas e enriquecimento individual e partidário, acho um grande erro não investir esse dinheiro necessário para o NAe São Paulo. Se o trabalho fosse bem feito, teríamos um porta aviões muito superior ao chinês ou russo que não possuem sequer catapultas. Não se troca um porta aviões por um par de corvetas, mesmo porque estas são vendidas pelo mundo todo, mas ninguém têm interesse em vender um de seus porta aviões. Ao meu ver deve-se reaparelhar o navio, custe o que custar, pois caso contrário passarão-se boas décadas até termos… Read more »

jodreski
jodreski
Reply to  Antônio Just
1 ano atrás

Faz assim… paga vc amigão!
Aí a MB opera ele tranquilo! E vc fica bem felizão!
Desembolsa aí uns 1,5 bilhões para fazer tudo o que precisa ser feito nele e ai vc abre a mão de novo mais uns 3 bilhões para recompor sua ala aérea, ou vc vai querer manter ele com meia dúzia de A-4, pq numa guerra moderna ele não tem utilidade nenhuma.
E ai vai ser no crédito ou débito?

Marcus Oliveira Albuquerque
1 ano atrás

Olá pessoal, Venho acompanhando as publicações e comentários a algum tempo mas essa é a primeira vez que participo fazendo comentário. Não sou nenhum expert, porém como brasileiro fico indignado com essas coisas. -Quando será que o Brasil vai parar de comprar ou “herdar” as sucatas do mundo? Nós somos uma nação potência mundial que “em abundância” tudo que é necessário para desenvolver e construir de tudo, no entanto vivemos das esmolas de países muitas vezes minúsculos menores que muitos estados brasileiros (ex: França menor que a Bahia ou Israel menor que Sergipe), ou países que são territorialmente grandes como… Read more »

Davi Pereira
Davi Pereira
Reply to  Marcus Oliveira Albuquerque
1 ano atrás

Marcus, eu concordo com tudo que você disse.

Cristiano GR
Cristiano GR
Reply to  Marcus Oliveira Albuquerque
1 ano atrás

Esse pensamento tem de ser multiplicado. Quando os bons ficam quietos os maus tomam conta.
Mas voltando ao assunto do A 12, não sei como países com marinhas de sucesso, como a chinesa e a indiana (resguardadas as devidas proporções), acharam muito viável comprar um porta-aviões usado da antiga União Soviética e reformá-lo totalmente, fazendo as necessárias atualizações e modernizações, e o Brasil achou inviável reformar um porta-aviões que já era seu. O mundo todo deve estar errado, nossos oficiais e políticos é que estão certos. Viva nóis.

Paulo de Tarso
Paulo de Tarso
1 ano atrás

Após uma grande limpeza dos materiais poluentes, podiam afundar. Transformaria um grande recife artificial, com o passar do tempo um imenso celeiro para diversas vidas marinhas e atrairia um enorme turismo, mergulho, para o local próximo ao seus afundamento.

jorge Alberto
jorge Alberto
1 ano atrás

Ainda penso que deveriamos te-lo reformado…

1 Bi? Ok… Mas por esse valor, onde podemos comprar um outro PA nao nuclear? Se pudermos Comprar, foi uma boa decisão a baixa, se nao pudermos… foi um erro!

Ops! Com esse valor “podemos construir um”… Ja esta com o projeto pronto e vamos iniciar as discussões a respeito ou a construcao de fato? Pa as tamandares (a principio), ja teem o projeto pronto e nao estao em producao!

Sabe qdo vamos construir um PA? Daq a 50a e ainda vai levar uma decada p ficar pronto (Se…)…

Temos que achar outro PA!

Cristiano GR
Cristiano GR
Reply to  jorge Alberto
1 ano atrás

Bem assim. E se pega uma cambada de polItico corrupto no governo da época saí pelo dobro.

Getdon Leandro
Getdon Leandro
1 ano atrás

O governo brasileiro deveria fazer como o chinês, comprou dos ucranianos um navio pior, gastou bilhoes para sua modernizacao com tecnologia e equipamentos nacionais, e adquiriu conhecimento para construir o seu proprio porta-avioes, que ja esta em testes. Falta seriedade e compromisso com a industria bradileira por parte dos governantes.

Geferson
Reply to  Getdon Leandro
1 ano atrás

Isso ai mesmo… Sai caro, mas depois de pronto teríamos as capacidades e tecnologias.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 ano atrás

Um enorme desperdício, poderia ser rebocado próximo a trindade, ser remodelado e tornar-se uma prisão federal para criminosos perigosos e chefes de quadrilha.

Gilmar
Gilmar
1 ano atrás

Serveeia bem como posto militar avançado atracado em alguma ilha distante da orla e com pouca adaptação serveeia também com pista de pouso sem precisar de intervir no ecossistema da ilha garantindo a sustentabilidade, preservação e principalmente a soberania nacional.
É só ter um pouco de criatividade.

Bardini
Bardini
Reply to  Gilmar
1 ano atrás

Se isso fosse problema, existem soluções bem mais interessantes $$$$
https://4.bp.blogspot.com/-rc-I5QfNVWQ/VqzEy5lCF7I/AAAAAAAAIug/lWtrEZwbqKc/s1600/20100718010259.jpg

Diego
Diego
1 ano atrás

Acho que seria melhor aguardar o Bolsonaro entrar e estudar a viabilidade de uma modernização efetiva

Antônio Just
Antônio Just
Reply to  Diego
1 ano atrás

Com certeza, a equipe militar que ele está formando parece promissora.

MAICON ADRIANO BECKHEUSER
1 ano atrás

Deixem a marinha vender essa sucata para alang ou Bangladesh para vira pecas para novos navios se quisessem fazer um museu teriam feito do minas gerais que deu muito mais orgulho do que esse vaso de guerra francês.

lincoln leonidas batista
1 ano atrás

Acho um equivoco pegar uma plataforma que já existe e ja teve muitas intervenções para inutiliza-la sendo que o know how operacional no tocante a manutenção de uma aviação naval é tão importante para uma nação que deseja ser levada a sério. O porta aviões esta sendo reabilitado e por isso vemos a Inglaterra colocando 2 novos navios e a China esta caminhando para ter operacional 4 Naes, até a Russia luta para manter o seu. O Brasil deveria considerar ainda que isso custe 1 Bilhão manter o Nae Sao Paulo operacional visando no médio longo prazo, obter um Nae… Read more »

Jones Marques
Jones Marques
1 ano atrás

Olá amigos se não conseguir virar museu quem sabe poderia virar presidio de segurança máxima e ficar fudeado bem longe dos grandes centros

Airacobra
Airacobra
Reply to  Jones Marques
1 ano atrás

Boa ideia (ironic mode on)
Do jeito que criminosos são bem tratados aqui no Brasil seria muito provável fazerem uma ponte aérea entre ele o continente para visitas íntimas e saidinhas de dia das mães, dia das crianças, natal e etc

Cronauer
Cronauer
1 ano atrás

É apenas um corpo morto, um “envelope”.
Não tem valor algum. Colocar como museu o primeiro “porta-aviões” (nael) de cabotagem da face da terra?

Dalton
Dalton
1 ano atrás

Mesmo depois que o “São Paulo” finalmente se for, fisicamente, porque, espiritualmente ele já se foi, provavelmente continuará havendo quem pense que ele poderia e/ou deveria ser modernizado e não serei eu que farei alguém mudar de ideia. . Não importa que o “1 bi” foi apenas uma estimativa e pelo que estou acostumado a ler sobre navios americanos e russos, estimativas nunca acabam sendo o valor de fato e normalmente o tempo necessário acaba sendo maior também e pouco importa se “informaram” à marinha que não haveria garantia de êxito e é ainda bem recente o que ocorreu com… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

Quanta choradeira inútil. Já deu o que tinha que dar. Sábia decisão da Marinha.

Vamos focar nos próximos projetos e manter a doutrina da Aviação Naval para o futuro PA.

O resto é mimimi!!!

Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Fazer o que com os Trackers/T? Cancelar o projeto, acho, e não gastar mais nada. Avião adaptado é fábrica de viúvas. Ou doar para os Argies. Possuem alguns e podem repor o estoque, possuindo a manutenção deles.

jagderband#44
jagderband#44
1 ano atrás

Aciaria elétrica é o melhor destino
.

Bruno
1 ano atrás

Será que vai ser viável alguma empresa comprar esse casco com tanto amianto?
Se não me engano também teve uma um navio britânico que até tentaram, mas não conseguiram vender, gastaram milhões e milhões para transportar, descontaminar e desmanchar…
Seria irônico gastar mais dinheiro em um navio para se desfazer dele do que gastou para compra-lo….

carvalho2008
carvalho2008
1 ano atrás

O tempo já foi e o Nae Sp não tem mais remedio…. Se eram uns US$ 1 Bi para reformar….bem…lembremos que esta reforma seria na persistente, persistente e teimosa visao de Navio CTOL da MB…. Não foi feita a conta para conversão Stobar que seria bem mais barata…. As catapultas e caldeiras e tubulação de vapor ficariam fora da conta…dificil imaginar que estes itens não economizariam uns 20% a 30% do orçamento….. Implementaria apenas a motorização , skijump e cabos de parada… Noves fora, talvez com US$ 700 MM ai sim faria sentido e daí, caberiam aviões com mais ou… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
1 ano atrás

comment image?w=1024

Aerokicker
Aerokicker
1 ano atrás

Stobar não é nenhum milagre econômico não. O maior custo de todos não seria nem a catapulta, seria a remotorização com novas caldeiras ou um motor diesel, de qualquer forma teria que abrir o casco e fazer uma obra enorme e caríssima. E isso em uma embarcação velha, com a reforma cercada de incertezas. Não faz sentido ter um navio, gastar para sua recapacitação e ter suas capacidades capadas, que é o que ocorreria com uma possível conversão para STOBAR. Ainda mais considerando que pelo mesmo valor mais um pouco de dinheiro dá para comprar um LHD Juan Carlos I,… Read more »

Esdras
Esdras
1 ano atrás

Eu visitei em Nova York um porta aviões aposentado que virou museu. É o mínimo que deveriam fazer com o São Paulo.
Mas o governo Brasileiro odeia preservar história e o Minas gerais era para estar aí até hoje como um belo museu.

Dalton
Dalton
Reply to  Esdras
1 ano atrás

Nem os britânicos que compartilharam o pioneirismo do NAe com os americanos, conseguiram converter um único em museu…nem os franceses converteram em museu o NAe irmão do “São Paulo” o “Clemeanceau” e isso não significa que britânicos e franceses odeiem preservar a História e sim que trata-se de uma missão muito difícil. . O NAe que você visitou o “Intrepid” iria ter o mesmo triste fim de muitos outros NAes não fosse por particulares que reuniram fundos e encontraram um local adequado para ele, não foi obra do governo dos EUA. . Recentemente o comitê formado para preservar o ex… Read more »

Pedro da Costa
Pedro da Costa
1 ano atrás

É lamentável, que mais uma vez em curto período de tempo perdemos mais um porta aviões. Mesmo sendo
Obsoleto e ultrapassado. O Brasil merecia ter pelo menos 4.
Mesmo não sendo uma prioridade, tendo em vista nossa situação financeira, se bem da verdade acho que houve um dedinho dos nossos ex- presidentes. Mais uma astuta estratégica manobra de domínio, enfraquecendo e desmotivando as forças armadas.
Quem sabe até os tanques tenham algo haver com isso, nos mantendo bem atrasados nesses quesitos, nos conservando como aliados e dependentes e dominados.

JT8D
JT8D
Reply to  Pedro da Costa
1 ano atrás

Antes de por a culpa nos outros nós precisamos fazer a nossa parte