Home Indústria Naval Fragata russa lança míssil de cruzeiro Kalibr no Mar de Barents

Fragata russa lança míssil de cruzeiro Kalibr no Mar de Barents

6273
28
Almirante Gorshkov
Fragata Almirante Gorshkov

MOSCOU – A fragata russa Almirante Gorshkov destruiu um alvo com um míssil de cruzeiro Kalibr a uma distância de 700 km em exercício no Mar de Barents, informou no dia 6 de dezembro a assessoria de imprensa da Frota do Norte.

“O exercício de combate foi realizado em uma das áreas de treinamento de combate da Frota do Norte no Mar de Barents. O míssil foi lançado em direção à cordilheira Chizha na região de Arkhangelsk. O alvo, contra o qual o tiro foi realizado, estava a mais de 700 quilômetros.”, disse a assessoria de imprensa.

O equipamento de gravação de dados mostrou que o disparo foi realizado com a precisão projetada e com a confirmação de todos os parâmetros técnicos e de voo, completou a assessoria de imprensa da Frota.

Além disso, durante a missão planejada, a tripulação da fragata realizou exercícios de guerra antissubmarino e de defesa aérea, juntamente com alguns exercícios de controle de danos de navios.

A fragata Almirante da Frota da União Soviética Gorshkov chegou na Frota do Norte de São Petersburgo em 8 de setembro. A fragata é o primeiro navio de superfície da Frota do Norte carregando mísseis de cruzeiro Kalibr. O navio de guerra fez inúmeras passagens entre as frotas do Báltico, Mares Brancos e Barents para testar sistemas de defesa aérea, mísseis e artilharia, armamento de mina e torpedo.

Durante todo o período de testes de estado, o navio de guerra realizou 16 exercícios de tiro, usando o complexo principal de mísseis.

FONTE: TASS

28
Deixe um comentário

avatar
15 Comment threads
13 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
23 Comment authors
Alex Barreto CyprianoBardiniCRSOVcarcara_brFarroupilha Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Osório
Visitante
Osório

Precisamos de um MTC- 300 naval ?

Vovozao
Visitante
Vovozao

13/12 – quinta-feira, bdia a todos, uma pergunta este missil era dirigido a um alvo estatico, em situação real de combate o alvo teria condições de se deslocar e nao ser atingido, lancando contra-medidas???? É amanha lancamento do SSR.

depvendaslemos@gmail.com
Visitante

Está geração de mísseis já possui sistemas de contra medidas eletrônicas e guiamento e acompanhamento de alvo, neste caso mesmo que este estivesse em movimento seria atingido

Delfim
Visitante
Delfim

A parte “fácil”, que é fazer um foguete, já sabemos.
A parte “difícil”, que é transformar foguete em míssil, dar-lhe guiamento a um alvo preciso, aí mora o problema. Guiamento, contramedidas, contra-contramedidas, sea-skiming, etc., o que faz ? Desenvolve-se nativamente ? Compra-se ? Espiona-se ?

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Basta lembrar que quando o VLS ainda tinha futuro, pouco antes do lançamento chamavam os russos que instalavam o controle de atitude e outros dispositivos vitais.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante

O Mansup (e acredito que também o MCT-300), utilizam um sistema de navegação inercial brasileiro.

Bueno
Visitante
Bueno

Com a evolução das forças Russa a Suécia deveria entrar na OTAN ?
Se a Suécia estivesse na OTAN , provavelmente não teria desenvolvido tanta tecnologia. Já alcançou boa autonomia na área , acho que deveria entrar para OTAN, fortaleceria sua defesa e aumentaria os ganhos com a venda de armas para os sócios.

carcara_br
Visitante
carcara_br

A Suécia entrar pra Otan só mostra que a Rússia ainda está combalida. É uma aposta arriscada, caso haja um significativo aumento de tensões e fortalecimento da economia russa, sem sombra de dúvida, seria um alvo prioritário.

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Off topic: Como estão os preparativos em Itaguaí? O NAVAL está a postos?

Bueno
Visitante
Bueno
Bueno
Visitante
Bueno

Felinto Perry também esta na região de Itaguaí

https://www.marinetraffic.com/en/ais/home/shipid:775627/zoom:12

Rafa_positron
Visitante
Rafa_positron

Muito Bonita essa fragata

Salvo engano ela teve os motores recentemente substituidos, confere?

Os russos pretendem encomendar mais?

Artur Castro
Visitante
MARCOV
Visitante
MARCOV

A Classe Gorshkov (Project 22350) foi projetada com os motores diesel, 10D49, produzidos pela empresa russa Kolomensky Zadov e turbinas a gás, UGT15000+ (DA91), e conjunto de engrenagens redutoras, R055, produzidos pela empresa ucraniana Zorya-Mashproekt.
A NPO Saturn (Сатурн НПО), empresa russa do grupo UEC (United Engine Corporation, em russo ODK – Объединённая двигателестроительная корпорация) ficou responsável por desenvolver o modelo M90FR. A expectativa era que o conjunto de propulsão fosse entregue em 2018, mas foi postergada para 2019:
https://www.turbomachinerymag.com/russian-navy-to-get-first-serial-home-made-gas-turbines-in-2019/

MARCOV
Visitante
MARCOV

ERRATA: Kolomensky Zavod

Cleber
Visitante

Queria ver se fosse aqui do nosso lado , na Venezuela este exercício . Visch …

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Deve ser fogo trabalhar na marinha russa, especialmente nessa frota do norte.

Bruno w Basillio
Visitante

Na saída do porto a tripulação leva três carregamentos para o navio , armamentos, alimentos e outro de vodka…

ScudB
Visitante
ScudB

Errado 🙂 .
Naquelas bandas (Norte da Russia) dificilmente alguém leva vodka a bordo porque ela … congela!!! Pessoal normalmente toma álcool puro ou dilui com champanhe – famosa “Aurora boreal”. Alem disso vodka ocupa muito espaço em comparação com álcool.
Um grande abraço!

Artur Castro
Visitante
Artur Castro

Pra quem tem dúvidas em relação à fragata em questão:

A primeira da classe (essa) foi comissionada em julho desse ano. A segunda foi ao mar em 2014 e ainda está em fase de testes. Os russos ainda tem 2 em construção e mais 2 em encomenda.

A índia também encomendou essas fragatas para equipar sua força naval ano passado.

Daniel Souza
Visitante
Daniel Souza

Verdade.
Segundo a não muito confiável “wiki” eles pretendem comprar 15, no total.
São fragatas “pesadas” (5.400 T) e bem armadas, potencial concorrente para o PROSUPER, caso este saia da gaveta um dia.
A Marinha Russa, assim como as outras forças daquele país, tem renovado seu armamento em ritmo acelerado, ainda que em velocidade inferior aos americanos e chineses.

Rafa_positron
Visitante
Rafa_positron

15?

Sério?

É um numero considerával….

Wagner
Visitante
Wagner

Nao, a Índia encomendou as Grigorovich.

As Gorshkov não tiveram encomendas estrangeiras e nem sei se os russos vai liberar para exportação.

A Kasatonov, segunda dessa classe, está na fase de testes . A Golovko e a Isakov em construção.

Existem relatos de que a quinta será a Yumachev, mas não tem confirmação oficial. Esse nome é de um Kresta muito famoso.

Arariboia
Visitante
Arariboia

Só complementando, a partir da quinta unidade eles vão receber uma serie de melhorias e maiores capacidades de misseis.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

E aí Marinha do Brasil?.. Vão insistir que não precisamos de armas realmente atuais? Notícia clara: Mais um alvo além do horizonte, e dos sensores de uma dada fragata, a 700km de distância ►Perfeitamente atingido◄. – Interessante que “aparentemente” a doutrina de guerra da nossa Marinha se volta apenas para alvos que seus sensores embarcados possam plotar. Dando a entender que parou no tempo. Pois, “Todas” as Marinhas de Guerra modernas estão se armando com mísseis com alcances de centenas de quilômetros. Já que seus alvos cada vez mais estão em coordenadas perfeitamente conhecidas, bastando as registrar no sistema de… Read more »

CRSOV
Visitante
CRSOV

A Rússia tem poucos navios mas estes são bem poderosos !! Uma corvetinha de 800 toneladas de deslocamento é capaz de disparar 8 mísseis Khalibr de 2500 km de alcance !! É muito mais jogo construir navios pequenos e com bom poderio de fogo pois creio que a cadência de produção seja maior e os custos bem menores !!

Bardini
Visitante
Bardini

Ilusão…

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

O tratado que impedia o desenvolvimento de mísseis de alcance intermediário não valia pra mísseis lançados do mar. Com os Kalibr embarcados nas Buyan-M, toda a Europa está ao alcance de um ataque convencional, e o périplo das corvetas ao redor da península da Ásia (a Europa) foi uma proeza distinta e uma demonstração política. Mas não é uma vantagem absoluta, apenas mais um recurso, posto que competidores aptos, por definição, possuem contra medidas.