Home História Naval Navio-patrulha ARA King, comissionado em 1946, é reformado para navegar até 2038

Navio-patrulha ARA King, comissionado em 1946, é reformado para navegar até 2038

10871
51
ARA King - P21
ARA King – P21, na antiga configuração

Por Roberto Lopes
Especial para o Poder Naval

A Escuadrilla de Ríos da Armada Argentina recebeu, às 10h desta sexta-feira (21.12), o navio patrulha ARA King, de 77 m de comprimento e pouco mais de 1.000 toneladas de deslocamento, que se encontrava, desde 2014, sendo remodelado no Estaleiro Río Santiago (ARS na sigla em espanhol), da cidade de Ensenada (60 km a sudeste da capital Buenos Aires).

O navio, que possuía três canhões de 105 mm – dois na proa e um à popa –, teve retirada a peça de artilharia de ré, que ficava atrás da superestrutura.

Isso abriu um espaço, no convés principal, para operações de VERTREP (Vertical Replenishment) e, ocasionalmente, para o transporte de carga.

O King será empregado em missões de patrulha, no adestramento de fuzileiros navais em operações ribeirinhas e como navio-escola (de rio) para a oficialidade naval argentina.

A Marinha vizinha empresta grande importância à capacitação de oficiais condutores de embarcações fluviais civis e ao policiamento dos rios, tanto que possui a Escuela Nacional Fluvial Comodoro Antonio Somellera. Apesar disso, seus meios de patrulhamento da malha hidrográfica são antiquados e deficientes – especialmente diante das lanchas de alta velocidade empregadas por contrabandistas e narcotraficantes.

Os dois motores diesel do King vão garantir velocidade de 18 nós à embarcação.

Melhorias – Construído no próprio ARS obedecendo aos planos de um navio mineiro italiano, o King foi lançado ao mar em 1943. Agora a expectativa é de que ele permaneça na ativa por mais 20 anos.

As modificações a que o navio foi submetido podem ser resumidas da seguinte maneira:

  • novo sistema de governo;
  • mastro de sinais;
  • redesenho das condições de habitabilidade com reforma de camarotes (inclusive o do comandante) e alojamentos;
  • reforma da cozinha e do refeitório destinado aos cadetes navais;
  • obras na proa;
  • Modernização da área frigorificada;
  • Recuperação dos tubos de dutos de ventilação; e
  • reforma dos quadros elétricos e de todo o cabeamento.

Sexta-feira passada, centenas de operários do ARS e suas famílias festejaram o encerramento da recuperação do patrulheiro, ocasião que aproveitaram para realizar uma manifestação contra a possível redução do efetivo laboral do estaleiro, atualmente na casa dos 3015 trabalhadores.

FOTOS: HISTAMAR/LA NACION

Subscribe
Notify of
guest
51 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Souto.
Souto.
1 ano atrás

Amigos a armada Argentina tem algum navio corveta ou fragata em PMG?

Fábio Figueiredo
Fábio Figueiredo
1 ano atrás

A Inglaterra treme!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fábio Figueiredo
1 ano atrás

Caro Fabio. Pelo que entendi, o ARA King irá patrulhar a bacia fluvial. Talvez encontre o U17 Parnaíba, construído em 1938.

Fábio Figueiredo
Fábio Figueiredo
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Mas já vai causar … principalmente com o heliporto para uma aeronave!

Eduardo Malaquias
Eduardo Malaquias
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

1936/37

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Fábio Figueiredo
1 ano atrás

kkkkkkkkkkkk

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

vão usar um navio da época da 2ª guerra até 2038??! 😫

Fábio CDC
Fábio CDC
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

Sim.
.
Antes isso que nada disso. E deem graças a Poseidon.

FERNANDO
FERNANDO
1 ano atrás

Putz, o Brasil tem navio de antes da 2ª Guerra???
ta, marrrr!

Camargoer
Camargoer
Reply to  FERNANDO
1 ano atrás

Olá Fernando. O U17 Parnaíba é mais velho do que o ARA King e também opera cursos fluviais. Pelo seu juízo, a MB estaria pior que a ARA. Putz.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

O U17 Monitor Parnaíba e a Patrulheira Caboclo pra mim estão muito bem em suas distintas funções

Camargoer
Camargoer
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Caro Paulo. Bem lembrado. Além do Paranaíba (U17 incorporado em 1936), a MB tem o Caboclo (V19, incorporada em 1956) e a Imperial Marinheiro (V15, também 1955), além da Potengi (G17, 1938). Viva a Marinha.

marcelo kiyo
marcelo kiyo
1 ano atrás

Estenda-se o uso até 2043, daí faz-se uma comemoração de centenário.

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  marcelo kiyo
1 ano atrás

Eu não duvido…

BMIKE
BMIKE
Reply to  marcelo kiyo
1 ano atrás

Eu vou querer comer uma carne assada no deck do centenário! Kkkk

Fábio Figueiredo
Fábio Figueiredo
1 ano atrás

Venderemos o CTE Bauru pros hermanos!

Ai a esquadra vai estar completa.

Dodo
Dodo
Reply to  Fábio Figueiredo
1 ano atrás

Tá doido, o Bauru é um excelente museu, mto bacana

Pedro Bó
Pedro Bó
1 ano atrás

Lembrando que a MB usa o Monitor Encouraçado Parnaíba (U-17) cuja construção começou em 1936 na Flotilha do Mato Grosso.

Lincoln Batista
Lincoln Batista
1 ano atrás

Santo deus! Este continente só perde para a Africa e o Irã em noticias militares absolutamente patéticas, alias não só o navio é antigo, mas as instalações mostradas na foto mostram um lugar horroroso.
Enfim uma amostra clara e condizente com a condição pavorosa no trato com o assunto defesa e soberania nacional neste lado do mundo…

Dodo
Dodo
Reply to  Lincoln Batista
1 ano atrás

Que condições pavorosas ? Não vi nada demais. Outra coisa, esquadra fluvial é assim mesmo, não necessita de fragatas ou corvetas ultra modernas para se patrulhar é combater em um pequeno caminho dagua, eu que não queria ficar na minha de fogo desses canhões de 75mm

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Até, pode ser frescura, mas, pelo menos as instações onde ficam ancorados os navios, poderiam ser um pouco mais modernas e não estar ainda no ano de 1850.

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Com a velocidade pífia desse navio, esses simples canhões sem tiros “tele-guiados” (mísseis e afins) não vão buscar lancha alumga de alta velocidade.

Dá pra traficar “na cara” da marinha e acelerar quando enxergar o navio. E pronto. Mais um meio que só serve para consumir recursos do contribuinte. Eficiência e eficácia que é bom: NADA!

Dodo
Dodo
Reply to  Eduardo von Tongel
1 ano atrás

Eduardo, é para isso que servem as metralhadoras laterais do navio. Não se usa canhões navais de 75 mm para abater ameaças de superfície assimétricas.

Guina
Guina
Reply to  Eduardo von Tongel
1 ano atrás

O cara quer que o barco atire mísseis em lancha de traficante, kkkkkkkkk

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Guina
1 ano atrás

O inverso! As lanchas são equipadas com mísseis, vida as da marinha do Irã. Tu não entendesse.

https://www.naval.com.br/blog/2018/08/08/ira-demonstra-capacidade-naval-de-sufocar-o-fluxo-de-petroleo-do-golfo/

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Guina
1 ano atrás
Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Dodo
1 ano atrás

É só acelerar que se sai da mira dessa banheira lenta e velha. Se é que a mira e os canhões estão em plenas condições de uso…

Dodo
Dodo
Reply to  Eduardo von Tongel
1 ano atrás

Boa sorte em “acelerar” na mira de uma metralhadora .50 apontada para sua lancha

Eduardo von Tongel
Eduardo von Tongel
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Tu já atirasse com uma .50? Ruim de mira meu velho e atira a curta distância também. Para rio até tudo bem, mas é uma munição muito mais perfurante do que explosiva. E, com alguém em velocidade e “ziguezagueando” a tua frente, duvido que vá acertar algo. Enfim, é muito grande, pesado e lento pra pouco poder de fogo. Uma lancha rápida “dá voltas” num navio desses o atingindo por trás que é seu ponto fraco. Pessimamente armado pela popa. Mísseis x Mag 7,62mm? Fala sério… Isso tudo sem contar que velocidade em combate é muito. Muito mesmo favorável a… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Lincoln Batista
1 ano atrás

Caro Lincoln. Recentemente, soubemos no “continente” do lançamento de um submarino de 2200 ton, do teste de um míssil antinavio, da homologação de um cargueiro militar (ex-Embraer, agora Boeing), e da short list para a construção em estaleiro doméstico de 3 corvetas de US$ 400 milhões. Notícias pavorosas.

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Touché amigo Camargoer…. O amigo Lincon só deve ler noticias ruins…..

Alex Nogueira
Alex Nogueira
1 ano atrás

Apesar de muita gente criticar (por não ter conhecimento), o navio está de acordo com suas funções, se for possível restaura-lo e se está em condição de ser utilizado a plensegurança, por quê não o faze-lo?

Com certeza de ter um bom custo x benefício para a Armada.

Alessandro H.
Alessandro H.
1 ano atrás

Concordo Alex Nogueira, inclusive nosso Monitor Encouraçado U 17 Parnaíba, está em excelentes condições gerais, certamente, estará muitos anos ainda na ativa, que venha o centenário!

P.S. Lembrar que sua quilha foi batida na presença de Getúlio Vargas!!!

José Carlos David
José Carlos David
1 ano atrás

Excelente para as funções para as quais é designado!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Entre ele e o Parnaíba, qual dos dois chega aos 100 na ativa primeiro?
Bom, se até os EUA estão estendendo a vida útil dos B-52, porque a gente não pode fazer isso com navios fluviais da WWII?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 ano atrás

Para missão de patrulha fluvial contra contrabandistas e traficantes dá para o gasto.

James Marshall
James Marshall
1 ano atrás

Quem mandou a Argentina querer invadir as Falklands? Agora aguente as consequências (sanções).

Dodo
Dodo
Reply to  James Marshall
1 ano atrás

A decadência argentina em nada tem A ver com a guerra. Se eles realmente quisessem investir no setor bélico, poderiam fazer como a Venezuela e se entupir de equipamentos militares russos, chineses, franceses etc…. Hoje na realidade, a produção de material de defesa do Reino Unido é, comparado com o total de produtos de defesa mundo afora, incipiente

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Dodo
1 ano atrás

Tem em parte, hoje é mais falta de dinheiro, mas quando tinham dinheiro as negociações foram barradas pela Inglaterra!

Binho
Binho
Reply to  James Marshall
1 ano atrás

sanções de que e de quem? uma guerra de 82? kkkkkkkk

russos, chineses, suecos, coreanos……….todos loucos pra vender navios

James Marshall
James Marshall
Reply to  James Marshall
1 ano atrás

O próprio povo argentino tem um ranço com relação às forças armadas, a esquerda fez um belo trabalho em virar a cabeça do povo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  James Marshall
1 ano atrás

Caro James. Acho que o problema é bem mais complexo. Acho que é difícil para sociedade civil argentina esquecer a violência da ditadura militar, independente de qualquer discurso “esquerdista”. As mães da praça de maio não podem ser tomadas como “propagandistas comunistas”. Sugiro um excelente texto “Ditadura Militar, Tortura e História. A vitória simbólica dos vencidos” que faz uma bela discussão sobre as consequências histórias de quanto o Estado se torna um agente de exceção, atuando à margem do “estado de direito”, principalmente por meio da tortura. Recomendo a leitura.

Raul Quintella
Raul Quintella
1 ano atrás

A Marinha do Brasil possui o rebocador Laurindo Pita que participou da Primeira Guerra Mundial e ainda navega no Rio de Janeiro como Navio Museu Temático. O Laurindo Pitta foi lançado na Inglaterra em 1910.

horatio nelson
horatio nelson
1 ano atrás

isso é um recorde mundial…100 anos os argentinos agora podem se orgulhar de alguma coisa..

Wellington
Wellington
1 ano atrás

Podíamos ter alocado o Minas Gerais e o São Paulo para patrulha fluvial. Kkkkkkk

Camargoer
Camargoer
Reply to  Wellington
1 ano atrás

Caro Wellington. Seria engraçado ver a MB combatendo os Piratas do Tietê nos rios de SP, caso a MB tivesse US$ 1,5 bilhão para refogar o A12. Acho que com este recurso, a MB reformados todas as FCN para operar em toda a bacia hidrográfica da Amazônia.

sergio ribamar ferreira
1 ano atrás

Estou rindo que não me aguento. Situação pavoroso e calamitosa. 100 anossssss. Instalações horrorosas. sr. Lincoln Batista está certo. Soberania e trato com Defesa zero!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! estou rind…não dá mais

Rubiano
Rubiano
1 ano atrás

Só uma dúvida: esta multidão que está no porto…é…a tripulação ?

Léo Tavares
Léo Tavares
1 ano atrás

Não sou de comentar mas estava falando sobre esse assunto ontem, queria ver a galera ficar na linha de frente de um pré-mosquete chinês de 1000 anos e sair inteiro, que dirá desses canhões navais bem grandes. O fato dos objetos modernos serem mais eficientes não tira em nada a eficiência dos objetos antigos, vida real não é videogame nem super trunfo!

Vicente Roberto De Luca
Vicente Roberto De Luca
1 ano atrás

Grupo: De fato, o que foi gasto na reforma, decerto daria pra, juntando os cacos, obter duas a quatro lanchas-patrulhas fluviais de 40 ft/Cotecmar, ao redor de US$8mi, total. Com mais ousadia, investir nas suecas CB-90. Ocorre que são duas leituras – de um lado a carência de recursos, o que gera incapacidade de investimento; de outro, o pragmatismo que impõe “rolar” o meio por mais “X” anos, até quando a capacidade de manutenção permitir. Ao menos, algum investimento na plataforma, com a reforma do sistema de governo e distribuição da energia. Muita cosmética e nenhum investimento no poder combatente… Read more »

abrahamyamato
abrahamyamato
1 ano atrás

Scrap detected