Home Guarda Costeira Há 17 anos, Guarda Costeira japonesa afundava barco espião norte-coreano

Há 17 anos, Guarda Costeira japonesa afundava barco espião norte-coreano

7976
18
Imagem capturada de vídeo mostra barco norte-coreano sendo atingido por tiros disparados por navio da Guarda Costeira japonesa
Imagem capturada de vídeo mostra barco norte-coreano sendo atingido por tiros disparados por navio da Guarda Costeira japonesa

A Batalha de Amami-Ōshima, também conhecida como o Incidente do Navio Espião no Mar Sudoeste de Kyūshū, foi um confronto de seis horas entre a Guarda Costeira japonesa e um navio norte-coreano armado, que ocorreu perto da ilha de Amami-Ōshima, no Mar da China Oriental.

O encontro de dezembro de 2001 terminou no naufrágio do navio norte-coreano, que as autoridades japonesas anunciaram mais tarde que era um navio de espionagem. O encontro ocorreu fora das águas territoriais japonesas, mas dentro da zona econômica exclusiva, uma área que se estende por 200 milhas náuticas (370 km) da terra japonesa, dentro da qual o Japão pode reivindicar direitos exclusivos de pesca e recursos minerais.

Um navio não identificado foi avistado em águas japonesas em 21 de dezembro de 2001. A traineira armada foi detectada por uma estação de comunicações em Kikaijima, Kagoshima, que estava sob controle do Quartel-General da Inteligência de Defesa do Japão. Em 1999, outra embarcação norte-coreana encontrada pela Guarda Costeira japonesa foi acusada pelo Japão de ser um navio de espionagem, embora a Coreia do Norte tenha negado.

Cedo na manhã seguinte, o navio foi perseguido por quatro embarcações da Guarda Costeira do Japão, que ordenaram que ele parasse, e disparou 25 tiros de advertência sobre o navio quando essas ordens foram ignoradas.

Seguiu-se um tiroteio de seis horas, no qual mais de 1.000 tiros de metralhadoras foram disparados por ambos os lados; a tripulação norte-coreana teria empunhado lança-foguetes de ombro. A traineira norte-coreana foi atingida por um número de projéteis de 20 mm. Várias explosões não diretamente relacionadas aos ataques japoneses abalaram o navio antes que ele fosse afundado.

Navio espião norte-coreano exposto no Museu da Guarda Costeira do Japão
Navio espião norte-coreano exposto no Museu da Guarda Costeira do Japão
Metralhadora antiaérea que equipava o barco espião norte-coreano

De acordo com o jornal The Guardian, “quinze sobreviventes foram vistos agarrados a uma boia em mares revoltos, mas os navios japoneses foram obrigados a ignorá-los devido ao medo de que eles usassem a força para resistir à captura”. Dois corpos foram recuperados e treze pessoas foram declaradas desaparecidas e presumidas mortas vários dias depois.

Uma Unidade Especial de Embarque foi mobilizada para embarcar no navio, mas não o fez porque tiveram que esperar por ordens oficiais da Agência de Defesa do Japão. O navio afundou antes que essas ordens chegassem.

O engajamento foi gravado em vídeo de embarcações japonesas da guarda costeira.

Em 2003, a traineira foi recuperada pelos japoneses para confirmar sua origem e intenções. A inspeção do casco determinou que ela era de origem norte-coreana e provavelmente uma embarcação de infiltração e espionagem.

Foi revelado que o navio estava camuflado como um barco de pesca chinês ou japonês e que poderia navegar a 33 nós (61 km/h), muito mais rápido do que qualquer traineira comercial.

O navio também tinha uma escotilha dupla escondida na popa para ser usada como uma porta de saída para lanchas. Depois que as inspeções foram consideradas concluídas, o casco foi exposto no Museu da Guarda Costeira do Japão, Yokohama, em Yokohama, onde ela se tornou uma atração turística popular.

ASSISTA NO VÍDEO ABAIXO AO ENGAJAMENTO DO BARCO ESPIÃO NORTE-COREANO PELA GUARDA COSTEIRA JAPONESA

FONTE: Wikipedia

18
Deixe um comentário

avatar
11 Comment threads
7 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
14 Comment authors
Daltonandrepoa2002ObservadorRickelton Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Carlos Campos
Visitante

bom já vimos que os japas tem coragem, e sempre interceptam os russos e os chineses, mas ultimamente na coréia os chineses pelo visto tem voado livremente, deviam abater o avião chinês, nem sabia que CN tinha navio espião. fica o lembrete para a MB afundar qualquer barco, seja francês, chinês, inglês que queira pescar ilegalmente na nossa ZEE

Gelson
Visitante
Gelson

“fica o lembrete para a MB afundar qualquer barco, seja francês, chinês, inglês que queira pescar ilegalmente na nossa ZEE”

A MB só fica sabendo da presença destes barcos quando há uma emergência médica à bordo e eles pedem ajuda. Do contrário, tudo fica à mercê do Deus Netuno.
Ou seja, deixa quieto para não haver incômodo. Não temos relatos de incidentes assim, porque será?
Não existem navios e aviões de patrulha e menos ainda vontade para tal.
É o que parece.

Mikhail Bakunin
Visitante
Mikhail Bakunin

Quem estava falando no outro post que 20 mm não fazia nada?

Masa
Visitante
Masa

No futuro os japoneses poderão contar com um canhão eletromagnético pra acertar os norte-coreanos… A notícia é antiga, segue a informação: O Ministério de Defesa Japonês, através da ATLA – Acquisition, Technology & Logistics Agency, anunciou que o Japão está desenvolvendo um canhão eletromagnético (EM). Segundo relatório da ATLA, eles irão investir JPY1 bilhão entre 2016 a 2021 em fundos de pesquisa para desenvolvimento de um canhão raingum EM. “ATLA claims that the EM railgun system, if powered by an electrical current exceeding two mega-amperes, could theoretically launch a 10 kg projectile at 2,000 m/s. This would not only increase… Read more »

Carlos Campos
Visitante
Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Concordo com o Carlos Campos… Acho também que a Marinha Brasileira deveria ter mais presença na nossa ZEE. E sim… Mandar pelos ares qualquer um que quisesse fazer graça neste respectiva zona. Mas fazer o que neh?!? Vamos com o novo presidente como irá se posicionar daqui por diante. Mas também concordo com o Gelson que tudo ficará a Deus dará como sempre ficou!

Theo Gatos
Visitante
Theo Gatos

Posso estar errado, mas a minha impressão inicial é que os sobreviventes deveriam ter sido resgatados e não deixados à própria sorte… Uma hipótese que eles resistiriam ao resgate pra mim parece pequena diante da tentativa de preservação da vida e até mesmo da possibilidade de investigação posterior… Naquele momento eram náufragos e poderiam ser algemados e presos, 13 pessoas não tomariam o barco japonês de assalto…
.
De resto um belo estrago dos canhões japoneses e aparentemente algumas explosões foram consequências dos disparos! Não acho que a ação foi incorreta não!
.
Sds

elton
Visitante
elton

os marinheiros japas não tem tradição de serem muito bonzinhos com naufragos de embarcaçoes inimigas ainda mas quando teve combate antes, isso aconteceu muito na SGM

Shandowlord
Visitante
Shandowlord

Shandowlord
Visitante
Shandowlord

O navio maior tinha casco em V para maior velocidade no mar.
29.68m de comprimento
4.66m de largura
44t de deslocamento
4 motores de 1100hp = 4400hp (10 vezes mais potente que um pesqueiro normal)
1200 milhas náuticas de alcance a 33 nos.
3000 milhas náuticas de alcance a 7 nos.

O navio menor que saia pela porta traseira tinha:
11.21m de comprimento
2.5m de largura
2.9t de deslocamento
3 motores suecos de gasolina de 300hp cada = 900hp
Velocidade máxima de 50 nos / 90km/h
Alcance de 150 milhas náuticas a 50 nos.

Daniel Ricardo Alves
Visitante
Daniel Ricardo Alves

A pergunta que não quer calar: com os chineses se tornando cada vez mais agressivos hoje em dia, será que os japoneses teriam coragem de interceptar e afundar um navio espião chinês? Duvido.

Rick
Visitante
Rick

Se até a Argentina afundou um navio de pesca Chines, antes da reunião do G20, um navio espião chines em águas Japonesas, certamente sofreria a mesma represália, caso houvesse resistência.

Observador
Visitante

Resposta: SIM. Quanto ao você duvidar, bom, é um direito seu.

wwolf22
Membro
Noble Member
wwolf22

ainda acho que toda embarcação da MB(500T +) deveria ser equipada com míssil anti-navio… de pequeno/medio porte ao pesado…

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Insisto que deveríamos ter uma guarda costeira para cuidar nosso imenso litoral e amazônia. A marinha deveria cuidar dos assuntos estratégicos da defesa nacional e deixar o contrabando, drogas, pesqueiros chineses e pirataria para uma força policial marítima.

Dalton
Visitante
Dalton

A marinha quer uma guarda costeira…desde que…a guarda costeira tenha um orçamento próprio, não um orçamento vinculado à marinha, então, será necessário que mais recursos sejam alocados, caso contrário, nada mudará, a não ser pintar os navios de patrulha de
branco.
abs

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

Sem dúvida, orçamento próprio e relacionamento com a marinha da mesma forma que as forças policiais com as forças armadas. Agora o que vai ter de sargento reclamando que largou a boquinha de fiscalizar jet-sky e lancha de passeio para pegar no pesado, isso vai! hehe