Home Clipping Marinha Venezuelana intercepta navio da Exxon em águas guianenses

Marinha Venezuelana intercepta navio da Exxon em águas guianenses

26790
75
Ramform Tethys
Ramform Tethys

GEORGETOWN/CARACAS (Reuters) – A Marinha Venezuelana interceptou neste sábado “um navio explorando petróleo em nome da Exxon Mobil Corp em águas guianenses, disse o Ministério das Relações Exteriores da Guiana em um comunicado no mais recente incidente em uma disputa fronteiriça de um século.

Uma série de descobertas de petróleo offshore nos últimos anos deu à Guiana o potencial para se tornar um dos maiores produtores da América Latina. Por outro lado, na Venezuela, membro da Opep, a produção bruta caiu para os seus níveis mais baixos em quase 70 anos em meio a uma crise econômica.

O navio Ramform Tethys, que pertence à empresa norueguesa Petroleum Geo-Services (PGS) e estava realizando pesquisas sísmicas em nome da Exxon, parou a exploração e rumou para o leste depois de ser abordado pela Marinha Venezuelana, informou o porta-voz da PGS Bard Stenberg.

“A Guiana rejeita este ato ilegal, agressivo e hostil”, disse o Ministério das Relações Exteriores da Guiana em uma declaração no final do sábado, acrescentando que a medida “demonstra a real ameaça ao desenvolvimento econômico da Guiana por seu vizinho ocidental” e “viola a soberania e integridade territorial de nosso país”.

O ministério acrescentou que reportaria o incidente às Nações Unidas e enviaria uma comunicação formal ao governo da Venezuela. O órgão informou que informará os governos das várias nações dos 70 tripulantes a bordo do navio, com bandeira da Bahamas, sobre a “ameaça à sua segurança”.

Uma porta-voz da Exxon disse que as explorações sísmicas na porção oeste do Bloco Stabroek, na Guiana, “foram interrompidas até que possam continuar com segurança”, e que a embarcação estava operando na zona econômica exclusiva da Guiana.

O Ministério da Informação da Venezuela não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

O presidente socialista da Venezuela, Nicolas Maduro, criticou anteriormente a decisão da Guiana de permitir a exploração de petróleo nas águas da costa da região de Essequibo, uma área de floresta escassa e densamente povoada equivalente a dois terços do território guianês que a Venezuela também reivindica.

A Guiana diz que Caracas concordou em abandonar a área após uma decisão de um tribunal internacional em 1899, mas a Venezuela voltou atrás nesta decisão. As Nações Unidas no início deste ano encaminharam a disputa para a Corte Internacional de Justiça, uma medida bem-vinda de Georgetown, mas criticada por Caracas.

A disputa se intensificou nos últimos anos, quando a Exxon anunciou a descoberta de mais de 4 bilhões de barris de petróleo na costa da Guiana, um país de língua inglesa de 750.000 habitantes, sem histórico de produção de petróleo.

O último incidente ocorre menos de um dia depois que o parlamento da Guiana derrubou o atual governo em um voto de desconfiança, abrindo caminho para eleições em três meses.

Guyana’s Stabroek Block
Guyana’s Stabroek Block

FONTE: Reuters

75
Deixe um comentário

avatar
34 Comment threads
41 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
49 Comment authors
Andradeandrepoa2002100nick-ElãMatheusJoão Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Fawcett
Visitante

Pobre Guiana. Se o ditador maluco da Venezuela decidir jogar war seu vizinho do Leste será o alvo preferencial.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

A bronca é que o Temmer firmou um acordo de ajuda militar com a Guiana e isso pode jogar o Brasil no meio da confusão. No começo deste ano houve uma crise e o Brasil deixou claro que não aceita uma solução pela força.

L365
Visitante
L365

Ano que vem, deviamos estreitar relações com a Guiana enviando o PHM Atlantico para fazer uma visitinha.

Fawcett
Visitante

Dei uma pesquisada e descobri que a marinha guianense é praticamente inexistente, resumindo-se a menos de uma dezena de barcos fluviais. Se a Guiana quiser garantir sua soberania sobre essas águas precisa urgentemente de barcos patrulhas oceânicos.

André Macedo
Visitante
André Macedo

Não quero ser daqueles que quer ver uma guerra ou conflito a todo custo por achar “legal”, mas vejo uma excelente oportunidade pra nós ai, um protetorado rico em petróleo e militarmente irrelevante…

Tiago
Visitante
Tiago

Esse papel já está ocupado pela Inglaterra. A Guiana faz parte do Commonwealth of Nations e qualquer agressão a eles seria revidada por forças combinadas de todos os membros (incluindo o Reino Unido, Canadá e Austrália, Índia e África do Sul, pra me ater aos mais relevantes militarmente).

Marcos
Visitante
Marcos

A Guiana faz parte do Commonwealth, se a Venezuela brincar com eles, o reino unido vem defender, assim como fez no caso das Falklands…

Rick
Visitante
Rick

Uma invasão da Guiana e só o que o Governo de Donald Trump precisa para dar andamento ao seu plano quanto ao Governo de Caracas, me recordo que 1990 a guerra do Golfo se desenrolou da mesma forma.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Qualquer semelhança com o Iraque não é mera coincidência.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Então seriam forças da Coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos e patrocinada pela Organização das Nações Unidas, com a aprovação de seu Conselho de Segurança autorizando o uso da força militar para alcançar a libertação do Guiana, ocupada e anexada pelas forças armadas venezuelanas sob as ordens do ditador maduro.

E ruim da Russia e china votar a favor disso no Conselho de Segurança mesmo a ONU desejando isso, a menos e claro que eles pudessem dividir entre companhias petrolíferas dos 3 países a exploração dessas reservas

Marcos
Visitante
Marcos

Foi uma incursão militar na ZEE da Guiana, isso é gravíssimo. Uma pena a Guiana não ter equipamentos para responder no mesmo tom.

737-800RJ
Visitante
737-800RJ

Eles deveriam pensar seriamente em adquirir 2 ou 3 submarinos convencionais e alguns patrulhas oceânicos, ou então serão sempre reféns das decisões da ditadura venezuelana. Sei que o orçamento deles é limitado e os mesmos não possuem doutrina e nem tripulações aptas para desenvolver isto, mas é um esforço financeiro que valerá à pena frente ao lucro que se pode obter com a exploração do petróleo na região.

Fila
Visitante
Fila

É um paiseco pobre de 750 mil habitantes… Tem dinheiro no máximo para manter uma guarda nacional equipada com fuzis e alguns VBTP…

elton
Visitante
elton

Alguem ja viu esse filme antes :Iran 1980,Kuwait 1990,Malvinas 1982 e todo mundo viu como acabou .Duvidas que vai acabar sobrando pra gente se acontecer aqui perto.

Doug385
Visitante

E assim o louco venezuelano vai conseguir arrumar confusão com uma petrolífera americana.
Que não reclame depois …

Marcos
Visitante
Marcos

Foi uma ação deliberada por parte da Venezuela, arrisco dizer que nos próximos 90 dias (situação de extrema instabilidade política na Guina) algo mais vai acontecer. Uma invasão não pode ser descartada. Quem viver, verá! “As Forças Armadas brasileiras têm a informação de que a Venezuela planeja tomar à força a região de Essequibo que pertence à Guiana. A ONU praticamente lavou as mãos sobre o litígio territorial.” Noticia publicada pelo site “O Antagonista” em fevereiro de 2018. Nas semanas seguintes, o então ministro da Defesa Raul Jungmann, o Chefe do Gabinete de Segurança Institucional, o General Sérgio Etchegoyen e… Read more »

calvario
Visitante
calvario

O Ministério da Informação Venezuelano não respondeu IMEDIATAMENTE a um pedido de comentário. Vamos aguardar. Pode ser notícia plantada.

JPC3
Visitante
JPC3

Bom, pode ser. Mas o governo deles teve oportunidade de se defender ou negar o incidente.

Marcos
Visitante
Marcos
James Marshall
Visitante
James Marshall

Si vis pacem, para bellum. “Se quer paz, prepare-se para a guerra”.
Esse podre do Maduro tá brincando com fogo.

TELMO LIMA MARINHO
Visitante

A GUIANA é uma republiqueta ‘artificial’ que os Ingleses, Franceses e Holndeses plantaram no norte da América do Sul. São enclaves colonialistas e não são ‘nações nem países’ no sentido geopolítico e sociológico. O Imperio Britânico tomou a Província do Essequibo ( era parte da Venezuela no Século XIX) e tomou do Brasil (isso mesmo do nosso País) a Região do PIRARA. Com isso ‘ormou a Guiana Inglesa” atualmente GUIANA. A QUESTÃO DO PIRARA – A Questão do Pirara foi um conflito diplomático entre Portugal (depois o Brasil) e Inglaterra iniciado no início do século XIX e terminado em 1904,… Read more »

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

A Guiana é um país independente, com suas fronteiras reconhecidas pela comunidade internacional inclusive o Brasil e membro da Commonwealth. Se o tirano de Caracas continuar assim vai arrumar uma encrenca muito maior p si.

Edcarlos Prudente
Visitante
Edcarlos Prudente

Lembrando que nas Guianas e no Suriname existe uma população de brasileiros e filhos de brasileiros residindo lá. Acreditem qualquer agressão a soberania de qualquer um desses três vai resultar na intervenção por parte do Brasil.

Saudações!

Binho
Visitante
Binho

Edcarlos

Governo brasileiro não importa nem com os brasileiros no BR, o que diria com os que moram em outro país……

Dá uma volta na periferia da sua cidade, se tiver uma rua sem “Crateras” ou um posto sem remédios e médicos, não é Brasil….

E os megalomaníacos e os seguidores do QI de Ostra, querem invadir outro país….

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Violação internacional.

Esse Maduro (VEN) sempre me lembra o Galtieri (ARG), qualquer semelhança parece não ser coincidência.

Carlos Campos
Visitante

Bom isso foi perigoso, uma ação militar dentro da área de outro país é algo que legitima uma guerra, a Guiana não tem capacidade de enfrentar a Venezuela, mas corre os boatos de que o Brasil interferiria, impedindo a Invasão e somente a invasão não atacando a Venezuela, tem os EUA na jogada também, a Guyana não é mais uma colônia inglesa, ou seja não pode mais correr pra saia da Rainha, porém a Inglaterra talvez os ajudassem, assim como as Monarquias Caribenhas poderiam se tornar Porta Aviões para ataques contra as tropas da venefavela, acho que a vontade de… Read more »

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Mais uma vez o petróleo dando as cartas. Uma área em litigio.
Uma companhia estrangeira faz a pesquisa, comprova a reserva e explora.
Eu sabia deste imbróglio há mais de vinte anos. O Chaves queria resolver isto invadindo a área e o Fidel Castro o demoveu da ideia. Os inimigos precisam de um álibi e agoira tem.

Roberto Medeiros
Visitante

Alguém sabe me dizer se a Guiana faz parte da Commonwealth? Pq se fizer, Maduro tá arrumando um abacaxi para descascar, pior do que o Sadam arrumou…
Vai trazer para cima dele de uma vez só: A Commonwealth, a UE (OTAN), a Colômbia e os EUA.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Com um reserva de petróleo em jogo e envolvendo um empresa petrolífera americana não precisa fazer parte da Commonwealth para ter intervenção americana.

BILL27
Visitante
BILL27

faz …mas isso ai foi um incidente menor ,sem muita repercussão

Mercenário
Visitante
Mercenário

Faz parte da Commonwealth, Roberto.

Dodo
Visitante
Dodo

A UE? A mesma que está se despendacaondo politicamente ? A otan? A mesma que tem problemas mto mais importantes pra resolver ? Os EUA? Os mesmos que estão evitando se envolver em conflitos desnecessários? Com todo respeito, pra essa galera, a Guiana que se dane, o mundo já tá cheio de problema pra essa galerinha

Roberto Medeiros
Visitante

“Dodo 23 de dezembro de 2018 at 17:23 A UE? A mesma que está se despendacaondo politicamente ? A otan? A mesma que tem problemas mto mais importantes pra resolver ? Os EUA? Os mesmos que estão evitando se envolver em conflitos desnecessários? Com todo respeito, pra essa galera, a Guiana que se dane, o mundo já tá cheio de problema pra essa galerinha” Quando os argentinos ocuparam as Falklands em 1982, a Inglaterra vivia uma crise política e econômica que estava colocando em xeque o ministério de Margareth Thatcher. Ela não pensou duas vezes: Enviou a esquadra britânica para… Read more »

BILL27
Visitante
BILL27

kkkkkkkkk é cada delirio por aqui …Um incidente deste e ja tão achando q vai ter uma guerra ,que vai vir OTAN ,UE ????????EUA ?rs Comparar com o caso das MAlvinas ? Ah parei …

João Carlos
Visitante
João Carlos

Bill27 – Acho que você não entendeu… O Sr. Roberto está respondendo aos delírios do Sr. Dodo… Se vai ter alguma coisa ou não é coisa de futurologia… apenas isso.

Dodo
Visitante
Dodo

Pois é bill, é cada coisa que me aparece por aqui…. agora a Austrália vai usar sua poderosa esquadra para invadir a Venezuela e proteger a Guiana! Sem contar com a presença de submarinos nucleares britânicos(que estão todos parados diga-se de passagem)para lutar contra o ultra ameaçador maduro….

Fawcett
Visitante

Faz parte mas nada garante que RU e demais membros partiriam para ajudar a Guiana numa aventura militar.

Jefferson B.
Visitante
Jefferson B.

Maduro está implorando por uma guerra, acho que ele já percebeu que essa é a única forma de permanecer no cargo. Logo após a sua saída será enviado para o Tribunal de Haia para responder pelos crimes contra a humanidade (milhões de refugiados, mortes, perseguições, racismo etc…). Observação: A Venezuela tem a maior reserva de petróleo do mundo, mesmo assim é frequente os ataques contra o país pequeno e pobre chamado Guiana, mesmo Maduro tendo tanto petróleo ainda assim fica de olhos arregalados diante do gramado do vizinho. É O FIM! Está na hora de alguém acabar com essa palhaçada,… Read more »

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Grandes chances da história se repetir! Se a Venezuela invadir a Guiana para pegar o petróleo deles vai acontecer igual ocorreu com o Iraque quando invadiu o Kuwait para se apossar dos poços de petróleo do Kuwait, só que dessa vez duvido que vão deixar o Maduro vivo no poder que nem o Bush antigo deixou o Saddam.

BILL27
Visitante
BILL27

A Venezuela não vai fazer isso .E outra ,quem tava fazendo a pesquisa para extração é a Guiana …Tem muito alarmismo aí

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

ué, a Guiana tem todo o direito de extrair o que está na sua zona econômica exclusiva.

BILL27
Visitante
BILL27

Sim …E pq o alarmismo da embarcação ter sido interceptada ? A Venezuela Não invadiu a Guiana para pegar petroleo …Não sei onde foi exatamente o encontro das embarcações ,mas isso foi um incidente que daqui uma semana ja foi esqecido e bola pra frente

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Sim, invadiram. Não podem interceptar nada em território de outro país.

Mahan
Visitante

A Força de Submarinos e os Mec’s provarão o Valor.

sub-urbano
Visitante
sub-urbano

São os tambores da Guerra… desta vez ecoando na floresta.

HMS TIRELESS
Visitante
HMS TIRELESS

E o Maduro tem tudo para tomar um sacode dos EUA e da GB se continuar a se meter a besta com a Guiana. E não acho que a Rússia tenha pernas e músculos para vir em socorro do narcoditador.

Dodo
Visitante
Dodo

Claro, a Thereza may tá super na onda com os políticos lá no parlamento pra lançar uma ofensiva militar contra o maduro….. sinceramente, esse tireless não cansa de passar vergonha

José Carlos David
Visitante
José Carlos David

O Maduro está apodrecendo muito rápido!

Alessandro
Visitante
Alessandro

Depois vem gente escrever nos comentários que o Maduro é vítima e não tá fazendo nada, pois só está se “defendendo” do imperialismo capitalista ocidental opressor intergalático.

“Quem procura acha”

Carta Branca
Visitante
Carta Branca

As reservas de petróleo guianenses são de ótima qualidade ao contrário das venezuelanas, as reservas guianenses tem pouco enxofre e são leves, as reservas guianenses não precisam de extenso processamento como a venezuelana e assim podem gerar um lucro imediato. O único porém é que pelo que eu sei ainda não produzem como as do Kuwait, não há poços ativos ainda. O detalhe importante na crise venezuelana é que ela não é causada principalmente pela queda do preço do petróleo mas sim pela queda na produção, como é caro produzir óleo na Venezuela devido ao alto custo de processamento e… Read more »

SPQR
Visitante
SPQR

Impeachment por qual motivo? Como seria aprovado, se o senado é republicano?

SPQR
Visitante
SPQR

Em que a geografia do Brasil é desfavorável?

SPQR
Visitante
SPQR

Como aprovar o impeachment de alguém que possui índices de aprovação popular relevantes? Quais aliados estão pulando fora do governo para salvar suas carreiras políticas? Em que o governo está acuado?

Paulo
Visitante
Paulo

Pois é. Mais mortadelices dos esquerdistas. Para esses caras bom mesmo é o Maduro e certos presidiarios presos por roubar o país.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

A questão é que republicanos e/ou democratas agiriam para defender os interesses de uma petrolífera americana na exploração de uma imensa reserva de petróleo de excelente qualidade e ainda mais perto de casa, o que torna a exploração mais rentável, então mesmo na remota possibilidade de um impeachment do Trump os americanos podem agir!

Carlos Campos
Visitante

Vc fala tão bonito, mas não tem visão da realidade, não existe motivos para um impeachment, quem saiu para poupar sua vida política? o Jim? ele nem tinha vida política relevante, geografia desfavorável? explica isso, e que governo tá acuado? o da Venezuela? sim ele está.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Acho que o Brasil deveria “fechar” a fronteira com tropas posicionadas e limitar entrada e saída de pessoas. Não sei como se encontra as forças armadas do Brasil naquela região. Mas eu acho que hoje eles deviam sair um pouco do Sul, e irem para fronteira com Venezuela. O maior perigo se encontra naquela região hoje para o Brasil e eles sempre ficam com a maioria dos equipamentos no Sul!

Roberto Medeiros
Visitante

“Dodo 23 de dezembro de 2018 at 17:23 A UE? A mesma que está se despendacaondo politicamente ? A otan? A mesma que tem problemas mto mais importantes pra resolver ? Os EUA? Os mesmos que estão evitando se envolver em conflitos desnecessários? Com todo respeito, pra essa galera, a Guiana que se dane, o mundo já tá cheio de problema pra essa galerinha” Quando os argentinos ocuparam as Falklands em 1982, a Inglaterra vivia uma crise política e econômica que estava colocando em xeque o ministério de Margareth Thatcher. Ela não pensou duas vezes: Enviou a esquadra britânica para… Read more »

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Uma sugestão: Pq o tio Donald Trump não instala uma base norte-americana nas Guianas? Queria ver a Venezuela se meter a besta …

Dodo
Visitante
Dodo

Porque a Guiana não quer, aliás eles estão atualmente sem um governo central devido a um golpe de estsdo que rolou por lá semana passada, então isso é fora de cogitação

Mahan
Visitante

Deixem o Libano e mandem um navio para o litoral da Guiana.

Nilson
Visitante
Nilson

Recentes bravatas do Maduro: implante da notícia de que EUA, Colômbia e Brasil pretendem apeá-lo do poder à força; visita dos TU-160 e dos assessores russos e prospecção de base russa no Caribe; anúncio de milhões de componentes da milícia popular; e agora essa interceptação na ZEE da Guiana. Para mim, isso é típico de quem está acuado e precisando de alguma “desculpa” para se fortalecer perante a opinião pública venezuelana, posando de vítima. Tomara que os Trumps e Bolsonaros tenham sangue frio suficiente para não bravatearem também (ou pior, mobilizarem ou atacarem) de forma a colocar a Venezuela na… Read more »

João
Visitante
João

Melhor comentário que li. Parabéns Nilson.

JPC3
Visitante
JPC3

É um fato muito pequeno para justificar qualquer atitude dos EUA ou da União Européia além de protestos formais. Vamos ver se com o tempo as provocações do Maduro aumentam, aí sim podemos esperar alguma reação.

Nilson
Visitante
Nilson

“Marcos 23 de dezembro de 2018 at 16:33
https://twitter.com/jaarreaza/status/1076908754371862528
.
E agora, as águas eram venezuelanas ou guianenses?? Alguém conseguiu plotar essas coordenadas e verificar onde ficam?? (lembrando que o comunicado guianense não informou coordenadas, somente o venezuelano, pelo menos até agora)

Nilson
Visitante
Nilson

Segundo um site venezuelano, a divisa marítima entre Venezuela e a região do Essequibo (Guiana) segue o azimute 70 graus a partir da Ponta da Praia (uma pontinha na divisa defendida pela Guiana), nesse caso as coordenadas do encontro seriam em águas venezuelanas. Seria interessante uma manifestação oficial de algum organismo internacional sobre o assunto, pois os dois lados são suspeitos, tenderão sempre a puxar a brasa para sua sardinha, ainda mais que os dois governos estão em decadência, ambos precisando de argumentos para cativar suas respectivas opiniões públicas.

ALDO GHISOLFI
Visitante

Penso que antes de qq coisa, NUNCA esquecer que a Guiana faz parte do Commonwealth e qq ato contra a sua soberania, muito antes de qq nação se manisfestar proativamente, o British Commonwealth of Nations, pelo dever recíproco de assistência -inclusive militar- se fará presente nos mares guianeses -interesse de todos- e o Maduro vai acabar socando seus próprios ecos.

Dispiciendo o rufar dos tambores brasileiros.

PARA
Visitante
PARA

Lembrando que o pessoal da Commonwealth é bom em guerra na selva…

Delfim
Visitante
Delfim

UK nem precisa levar porta-aviões. Não falta membros da Commonwealth na região – Jamaica, Belize, Trinidad & Tobago, entre outros – que podem basear caças ingleses.

Dodo
Visitante
Dodo

Que cacas ? Ja viu a situação vergonhosa que o governo May deixou a RAF? Os caras tiveram que retirar todos os equipamentos de Belize, pois não tinham como bancar uma base avançada por lá, se não me engano ainda querem abaixar os investimentos de defesa, essa ther3za may é uma vergonha e o voto de desconfiança do parlamento é um exemplo disso

Ralfo Penteado
Visitante

Parece o prosseguimento do garimpo de um inimigo externo para desviar a atenção `as próprias fragilidades .

Matheus
Visitante
Matheus
100nick-Elã
Visitante
100nick-Elã

Interceptou em águas venezuelanas, ou melhor, águas que estão sob soberania da Venezuela mas disputadas pela Guiana.

andrepoa2002
Visitante
andrepoa2002

O desespero do maluco do Maduro para inventar um conflito está chegando a beira do bizarro. Se continuar a aprontar vai conseguir levar umas salvas. Pobre povo venezuelano.

Andrade
Visitante
Andrade

Isso me faz lembrar um pouquinho Sadam e um pequeno país seu vizinho lá na década de 90.