Home Noticiário Internacional Primeiros feitos da Marinha Chinesa em 10 anos de operação

Primeiros feitos da Marinha Chinesa em 10 anos de operação

7638
16

1. Primeira força-tarefa de escolta

Em 26 de dezembro de 2008, navios de guerra Wuhan, Haikou e Weishanhu da PLA Navy (Marinha do Exército de Libertação Popular da China) navegaram de Sanya para realizar missões de escolta em águas somalis no Golfo de Aden.

Esta foi a primeira vez que a República Popular da China utiliza as forças militares no exterior para salvaguardar seus interesses estratégicos nacionais, cumprir suas obrigações humanitárias internacionais e defender importantes rotas de transporte.

2. Primeira missão de comboio

Em 6 de janeiro de 2009, a Marinha do Exército de Libertação Popular da China iniciou sua primeira missão de comboio, escoltando quatro navios mercantes chineses de Sanya até o Golfo de Aden.

3. Primeira missão de evacuação

Em 26 de março de 2015, a PLA Navy realizaou a evacuação de 897 pessoas do Iêmen, incluindo centenas de cidadãos chineses, sob a ameaça de um ataque de artilharia.

4. Primeiro resgate armado de um navio estrangeiro

Em 9 de abril de 2017, a PLA Navy interceptou um navio cargueiro de Tuvalu que havia sido abordado e sequestrado por piratas no Golfo de Aden. Dezesseis membros de uma equipe das forças especiais da Marinha Chinesa invadiram no navio, resgataram a tripulação e capturaram três piratas.

5. Primeira viagem de volta ao mundo

Em 3 de abril de 2015, após completar uma missão de escolta, uma força-tarefa da PLA Navy visitou 13 países, incluindo Egito, Suécia, Estados Unidos, Cuba e Austrália. A viagem de 309 dias levou a força-tarefa através de três oceanos e cinco continentes, e atracou em 18 portos em 16 países. A missão estabeleceu um recorde na China por ser a mais longa viagem a atravessar a maioria das áreas e países marítimos.

6. Primeiro Prêmio por Serviços Especiais humanitários e em transporte

Em 23 de novembro de 2009, os navios da PLA Navy Wuhan, Haikou, Shenzhen, Huangshan e Weishanhu receberam o Prêmio de Serviço Especial para Navegação e Seres Humanos pela IMO, International Maritime Organization.

FONTE: China Plus

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
wwolf22
wwolf22
1 ano atrás

A MB teve participação na “formação” da marinha chinesa??
A MB treinou ou não treinou a marinha chinesa na operação de um porta aviões??

Diego K
Diego K
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

Que diferença faz..

BILL27
BILL27
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

Treinou …Li uma reportagem na época .Acho que foi em 2008

Pedro
Pedro
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Sinceramente… Iam ensinar o que?

wwolf22
wwolf22
Reply to  Pedro
1 ano atrás

iriam ensinar “como se usa um porta aviões”…

José Carlos David
José Carlos David
1 ano atrás

É uma evolução espetacular num tempo relativamente curto! Parabéns aos chineses!

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Acho que tudo que eles colocaram na água de 2008 pra cá, se tornou maior que 95% das marinhas de outros países.

marcus
marcus
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Maior e melhor?

Diego K
Diego K
Reply to  marcus
1 ano atrás

Só maior. Qualidade inferior em tecnologia e treinamento mas com o tempo isso pode mudar.

Cláudio
Cláudio
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Em tonelagem perde para a Marinha dos Estados Unidos.

Rene Dos Reis
1 ano atrás

E senhores , se preparem para conviver com números astronômicos como foi na guerra fria , os americanos com esse impressionante numero de 73? submarinos todos nucleares dedicados a missões diversas e os chineses querendo pelo menos igualar nos números , acho que em caso de conflito os números podem fazer a diferença sim porque em caso de guerra total ninguém constrói mais nada.

Pedro
Pedro
Reply to  Rene Dos Reis
1 ano atrás

Errado, pela história dos conflitos modernos é na guerra que se constrói mais, melhor e novos equipamentos.

Dalton
Dalton
Reply to  Pedro
1 ano atrás

Isso era verdade antes quando praticamente se podia montar uma aeronave de caça no quintal de uma casa…e podia se contar também com a proteção da distância…hoje, os equipamentos são muito complexos, caros e portanto mais precisos e com maior alcance e isso reflete na quantidade e na velocidade com que podem ser produzidos e integrados. . Os EUA por exemplo chegaram a ter dezenas de estaleiros grandes e médios durante a Segunda Guerra…ainda no início dos anos 1960 havia 3 estaleiros capazes de construir NAes…hoje há apenas um e um outro capaz de construir grandes navios anfíbios e destroyers… Read more »

Rene Dos Reis
1 ano atrás

Caro Pedro , acha que seria possível nos dias atuais e futuros uma um senário de guerra total e de atrito entre potencias?