Home Divulgação Marinha do Brasil realizará a Operação ASPIRANTEX 2019

Marinha do Brasil realizará a Operação ASPIRANTEX 2019

24331
99
PHM Atlântico
PHM Atlântico

A Marinha do Brasil (MB) realizará, no período de 11 a 31 de janeiro, na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro e Montevidéu no Uruguai, a Operação ASPIRANTEX 2019, com visita aos portos de Montevidéu, Rio Grande, Itajaí e Paranaguá.

Durante os vinte dias de comissão, serão realizados diversos exercícios de caráter militar, como operações com aeronaves, transferência de óleo combustível e água no mar, manobras táticas entre os navios, exercícios de tiro, exercícios de combate a incêndio, dentre outros, a fim de aprimorar o adestramento dos meios navais e aeronavais da Esquadra.

Os navios estarão abertos à visitação pública nos portos de Itajaí, Paranaguá e Rio Grande.

A ASPIRANTEX 2019 envolverá cerca de dois mil militares. Embarcarão, também, 319 Aspirantes da Escola Naval, com a finalidade de experimentar a vida e a rotina dos navios da Esquadra.

O Grupo-Tarefa contará com a presença do Comandante em Chefe da Esquadra (COMEMCH), o Almirante de Esquadra Alipio Jorge e será comandado pelo Contra-Almirante Fernando Ranauro Cozzolino, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra (ComDiv-2), sendo composto pelos seguintes meios da Esquadra: Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” (A140), com um helicóptero anti-submarino (SH-16) e um helicóptero de emprego geral (UH-15) embarcados; Navio de Desembarque de Carros de Combate “Almirante Sabóia” (G25), com um helicóptero de emprego geral (UH-12); Fragata “Independência” (F44), com um helicóptero de emprego geral (UH-12); Fragata “Rademaker” (F49) e a Corveta “Julio de Noronha” (V32).

NDCC Almirante Saboia

Em apoio aos exercícios realizados pelo GT, os seguintes meios também serão empregados: Navio-Patrulha “Macaé” (P70), Navio de Apoio Oceânico “Mearim” (G150) e duas aeronaves de interceptação e ataque (AF-1). Será empregado também um destacamento de Mergulhadores de Combate, que estará a bordo do Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” (A140), além das seguintes aeronaves da Força Aérea Brasileira: uma aeronave de patrulha (P-95), uma aeronave anti-submarino (P-3AM) e duas aeronaves de ataque (A-1).

P-3AM da FAB

Contatos para cobertura da imprensa na visitação pública aos navios nos portos de Itajaí, Paranaguá e Rio Grande:

1) Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí:

  • Nome – 1ºTenente Letícia;
  • Telefone – (47) 3348-0129 / (47) 992289680; e
  • email: [email protected]

2) Capitania dos Portos do Paraná (Paranaguá):

  • Nome – 1ºTenente Cesca;
  • Telefone – (41) 3721-1503 / (41) 99607-5823; e
  • email: [email protected]

3) Comando do 5º Distrito Naval

  • Nome – 1ºTenente Raquel ;
  • Telefone – (53) 3233-6108/3233-6333 / (53) 98419-9164; e
  • email: [email protected]

99
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
70 Thread replies
2 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
48 Comment authors
Carlos Eduardo Oliveiraluis cAudaxJames MarshallRoberto Pires Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Souto.
Visitante
Souto.

Boa tarde amigos a corveta Jaceguai esta operacional?

2- O NPa, Maracana sera´concluido esse ano??

obrigado.

Roberto
Visitante
Roberto

meu Deus!!!! como é possível a marinha: projetar, executar, e manter um projeto tão ruim como das corvetas da Classe Inhaúma,

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Tambem nao e assim uma brastemp mas So basta um canhão de 40mm e duas metralhadora 20mm e da pra usar Julio de Noronha como navio patrulha mais 10 ou 20 anos

Carlos Eduardo Oliveira
Visitante
Carlos Eduardo Oliveira

Já fui da Jaceguai (servi de 95 a 2005). Desde o início quando embarquei, vi o quanto o projeto do navio foi mal executado. O embarque de água na proa em viagem, era apenas um deles apesar de ser o mais comentado.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Em função do alcance do radar, o P-3 pode ser usado (ou já é usado) para guiar os A-1 em simulação de ataque naval?

Airacobra
Visitante
Airacobra

Se houvesse integração e capacidade de lancar algum míssil anti navio por parte dos A-1 da FAB e AF-1 da MB, seriam bons vetores de dissuasão e negação do uso do mar.

Vovozao
Visitante
Vovozao

10/01/19 – quinta-feira; btarde, o Bahia; nao ira participar?? Houve algum problema; anteriormente comentavam que estariam juntos Atlântico e Bahia em um exercicio naval.

Roberto
Visitante
Roberto

a matéria já diz que sim!

Vovozao
Visitante
Vovozao

10/01/2019 – quinta-feira – bnoite; Roberto nao falei do Atlantico; postei o Bahia; ” não ira participar” ??? Sacou??

Roberto
Visitante
Roberto

…Será empregado também um destacamento de Mergulhadores de Combate, que estará a bordo do Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” (A140)…

Antônio Carlos Sandoque
Visitante
Antônio Carlos Sandoque

Ele perguntou se o NDM Bahia irá participar, e não o PHM Atlântico (esse já está bem evidente que irá).

elcimar.marujo
Visitante
elcimar.marujo

no texto só faz referência ao almirante saboía G25

Marujo
Visitante
Marujo

O Bahia irá docar agora no final de janeiro, por esse motivo não participará da ASPIRANTEX

Nilson
Visitante
Nilson

O Atlântico e o Bahia já estiveram juntos em um exercício naval, a Atlântico V: https://www.naval.com.br/blog/2018/11/15/marinha-do-brasil-participa-da-operacao-atlantico-v/

Roberto
Visitante
Roberto

Deprimente a situação dos escoltas Brasileiros… com relação ao PHM Atlântico, tinha gente que torcia o nariz……. agora tem que engolir e bem! excelente compra da marinha Brasileira, parabéns!!!.-

kevinbuenuu
Visitante

Poisé, pelo mesmo jeito que torcem o nariz para os Gripens e KC’s 390, e depois vão ter que engolir quando estas aeronaves estiverem rasgando os céus brasileiros.

João carlos
Visitante
João carlos

Tava demorando pra falar de assuntos que não tem nada a ver… Parabéns… O Gripen é o melhor avião do mundo! … Contente?

Valim
Visitante
Valim

Bons tempos aqueles em que todo escolta, que possuía hangar, tinha sua aeronave orgânica. Me lembro que as aeronaves já vinha com o nome do seu “navio mãe” escrito na fuselagem…. agora, só saudades

Dalton
Visitante
Dalton

Não estou duvidando Valim, mas, você poderia dar mais detalhes/época…não lembro de ter visto fotos do UH-2 com o nome de um contratorpedeiro ou mesmo um Lynx com o nome de uma fragata.
.
Na US Navy o nome do NAe é escrito nas aeronaves pois sabe-se que o elo entre o NAe e sua Ala Aérea é algo para muitos anos, mas, um helicóptero
embarcado em um combatente de superfície pertence a um esquadrão que cederá uma aeronave para o navio enquanto da duração de uma comissão.

Dodo
Visitante
Dodo

Esse modelo é tao ultrapassado como a epoca em que ocorria. Hj as forcas navais vizam a racionalizacao de recursos e novas estrategias, tais como o modelo do ” sacola de golfe” em que as aeronaves ficam baseadas em terra e sao desdobradas nos navios de acordo com a necessidade e especificidade da missao. Esse modelo criado no reino unido, é vigente atualmntet na maior parte das marinhas do mundo

Marcos
Visitante
Marcos

Como anda o projeto de integração do míssil Harpoon nos P-3 Orion da Marinha, ops, FAB?

Algum lançamento de testes?

Jeff
Visitante
Jeff

Olá, sabem informar as datas de visitação pública? Eu gostaria de visitar este bichão aí, bela oportunidade.

Kommander
Visitante
Kommander

Não é lá “aquele grupo-tarefa”, mas pelo menos temos um.

William Duarte
Visitante
William Duarte

Por favor é somente uma missão de treinamento, não é guerra. Se fosse seria um outro contexto.
Para a função de “treinamento” é uma considerável manobra no cenário da America do Sul.

Juarez
Visitante
Juarez

Pois e,me impressiona a quantidade “grandiosa” de dois helicópteros embarcados no Atlântico.
E os ufanistas e membros do Hellmann’s wonderful world tendo orgasmos pleonasticos.

Dodo
Visitante
Dodo

Liste 10 marinhas que conseguek fazer melhor, aguardarei com paciencia….. impressionante como brasileiro desconhece da situacao dos outros paises e acha que tudo aqui e ruim. Mais impressionante ainda é o camarada achar que tem que deslocar todos os meios da esquadra pra um exercicio com alunos da escola naval….

Humberto
Visitante
Humberto

Sem duvida a mb é a mais poderosa da América do Sul.
Mas pensando rápido.
EUA, Inglaterra,França, Espanha, Egito, Rússia, China,Japão, Coreia, Australia, India.
Deixo de fora O Canada e vários países da OTAN como países baixos e Alemanha que possivelmente possuem uma marinha mais moderna e poderosa mas confesso que não sei como estão.
Países que têm um inimigo ou que possuem responsabilidades de um pacto, sempre estarão mais preparados. Felizmente não estamos em nenhuma destas opções.
Abraços

Dodo
Visitante
Dodo

Humberto, mostrar navio é uma coisa, ter treinamento adequado e o mais importante, realmente operacional, é outra bem diferente. Darei apenas o exemplo da Noruega e sua poderosa fragata afundada em alguns segundos por bater em um cargueiro, ou da Alemanha que destruiu a proa de sua fragata por lançadores vls de mísseis que não funcionam. Eu conheço a MB e conheço seus membros, posso lhe assegurar que ela não fica atrás de muitos dos países que você listou. Minha cirtica vai aqueles que, por má fé ou ignorância, subestimam a marinha

Rafael_PP
Visitante
Rafael_PP

Você poderia nos informar, com base na suas muitas fontes internas, quais das marinhas citadas possuem um nível de prontidão menor que a MB? Treinam menos? São carentes de doutrina?

Japão, Índia, Coréia do Sul só “mostram” navios então?

Humberto
Visitante
Humberto

Gosto de acreditar que a Doutrina duramente conquistada e profissionalismo de muitos da MB, ajudem a manter o mínimo de prontidão da força. Mas do jeito que está, fica cada dia mais difícil.
Quanto a acidentes ou incidentes creio que isto acontece quando se treina em situações mais perto do limite, mas aparentemente o que aconteceu na Noruega tem mais ver com um descuido (para não dizer desleixo) da tripulação do que outra coisa.
Abraços

Dodo
Visitante
Dodo

Apenas complementando a resposta, tbm não entendo essas pessoas que acham que, para realizar uma manobra ESCOLAR, a força de superfície necessitaria enviar 5 fragatas, 4 corvetas, 3 submarinos etc…. pq na cabeça dessa gente, se tivessem o comando da marinha, fariam isso…

Kommander
Visitante
Kommander

Dodo
Mas em nenhum momento eu fiz críticas a MB e sim ressaltei que nós temos um GT. Diferente de um comentário acima de um colega criticando o estado das escoltas.

david de carvalho
Visitante
david de carvalho

Preparação para a 4a guerra Mundial?

Paulo/Anemarie
Visitante
Paulo/Anemarie

Sucesso Comandante.
Visão de proa a todo vento.
Nesse Come-Fogo, saudações Comercialinas!

Nilson
Visitante
Nilson

A matéria traz a ótima confirmação de que a Júlio de Noronha voltou à ativa, agora é uma operação longa, depois daquele aperitivo na parada naval da chegada do Ocean.
Outra boa notícia é a de que o Bahia vai poder descansar, devido à chegada do Atlântico. Era um absurdo ele ter que participar de todas as missões, agora poderão revezar, permitindo as docagens necessárias.
Tomara que na Aspirantex 2020 já utilizem pelo menos um Super Lynx modernizado.

Rogério
Visitante

Deveria colocar os subs tb…..

Fábio Figueiredo
Visitante
Fábio Figueiredo

Queria saber quando MB vai testar o PHM Atlântico em plena carga? Com capacidade total de helicópteros e fuzileiros? Fazer um treinamento de uma ação real, envolvendo total capacidade operacional e logística. E seria bem interessante ver outros meios na mesma condição e treinamento como por exemplo o Bahia …

Fábio Figueiredo
Visitante
Fábio Figueiredo

Inclusive com a participação dos Submarinos (há tempos não vejo nenhuma matéria sobre eles, missões, visitas, treinamentos … etc).

Ou compramos um PHM para operar com 2 meios orgânicos e no máximo 4 helis?

Ou vai substituir as festas no convôo do aposentado SP no RJ?

Dalton
Visitante
Dalton

Na minha opinião…o “Atlântico” é um recém chegado e é necessário adequar aeronaves, pessoal de apoio, etc e isso é feito gradativamente. . Guardadas as devidas proporções, um novo Nae da US Navy ou mesmo um que recém saiu de um longo período de manutenção levará mais de 12 meses até estar 100% certificado para missão…até lá, ele participa de inúmeros treinamentos, inclusive treinando pilotos de outros NAes e novatos já que todo NAe é também um NAe escola e opera apenas com parte de sua própria Ala Aérea que vai sendo embarcada gradualmente a medida que mais aeronaves saem… Read more »

Airacobra
Visitante
Airacobra

Comentário irretocável como sempre Dalton, tipico comentário de quem acha que Força Aérea é só Caças e marinha é só NAes, Subs e Escoltas

Airacobra
Visitante
Airacobra

Me referi ao comentário a que você se respondeu

Dodo
Visitante
Dodo

Ou de gente que comenta que comandante de forca aerea tem aue ser piloto de caça, do exercito infante, e da marinha comandante de fragata como estavam falando na materia do curriculo do alm.Ilques….. é de uma ignorancia ….

Fábio Figueiredo
Visitante
Fábio Figueiredo

Dalton, e etc … não me fiz entender com a minha pergunta de quando o Atlântico estará completamente operacional. Daqui a 1 ano, 1,5 anos, 2 anos? Lógico que nesse treinamento não poderia estar. Mas na minha opinião deveriam começar a acelerar e aproveitar as oportunidades. Se por exemplo não tem nenhum submarino nessa missão, então não vão poder treinar ataque-defesa e detecção, então não faz sentido ter um Sea Hawk embarcado para esse tipo de serviço. Mas poderia sim embarcar 6 UH-15, com todo o staff de manutenção (mecânicos, técnicos, …) e todos os pilotos de Uh-15 e já… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Fabio coincidentemente vi agora seu comentário e não nos pareceu uma pergunta e sim uma ironia embora todos tenham o direito de expressar suas opiniões da forma como bem entender. . Quanto à “acelerar” depende da opinião de cada um, na minha, tudo está sendo feito a seu tempo e de acordo com a disponibilidade de meios e recursos. . Trata-se de um exercício que guardadas as devidas proporções é similar a muitos exercícios intermediários que a US Navy promove, antes de exercícios mais complexos envolvendo por exemplo seus grandes navios anfíbios que só aí contam com a participação de… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

O que chama atenção é a ausência do Super Lynx. Não foi recebido nenhum dos modernizados ainda, e talvez a disponibilidade das células que não serão modernizadas esteja bastante baixa. Tem um Super Lynx operando com a Liberal na UNIFIL desde setembro passado.

Dodo
Visitante
Dodo

Eles não são utilizados para preservar a vida das celulas para a modernização futura. Ainda há aqueles que servem de peças de reposição.

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Boa tarde a todos, precisamos de mais dois ou 5 navios tipo Bahia, mas, custa bem caro.

F.alves
Visitante
F.alves

Precisamos de escotas urgente ,esse GT em um ataque real o Atlantico já estaria abatido .

Dodo
Visitante
Dodo

De quem ? Ataque real de qual força tarefa no Atlântico Sul? Da Argentina, da Nigéria ou de Angola? O senhor já viu uma fragata classe Niterói disparando um exocet ? Conhece a lista de armamentos dessa classe de navio ? Está ciente de que isso é uma manobra escolar e não uma força naval de invasão?

F.alves
Visitante
F.alves

Meu amigo tenho 48 anos de MB,precisa dizer alguma coisa a você.

Dodo
Visitante
Dodo

Tem ? É mesmo? Qual o tipo atual de munição utilizado pelos canhões bosfors dos patrulheiros ribeirinhos classe raposo Tavares? Qual missão de patrulha você participou? Desculpe, mas percebe-se que você está inventando quando falou o que disse no comentário acima

F.alves
Visitante
F.alves

Não estou aqui pra troca gentilezas com o Sr, creio pelo que vi em seus comentários, gosta de atacar as pessoas. Não sou artilheiro (AT) ,nem armamentista, sou de comunicação e nunca servir nos navios da classe Raposo Tavares, que seria uma honra vi os mesmos serem feito no arsenal, suas primeira guarnições foram os valorosos marujos da nossa Esquadra . Servir nos classe A, nos 14 classe P , A-11 e o Ary Parreiras , participei das operações dragão em navios e lanhas ,sou sinaleiro ,participei das Unidas várias ,Temperex ,Aderex várias , Nordestão, Vembras, Fraterno ,Aspirantex e muito… Read more »

Dodo
Visitante
Dodo

Falou e não disse nada, se você não está inventando tudo isso, então poderia me explicar em qual contexto o “velhos marinheiro” vislumbra uma aniquilação do grupo tarefa durante a aspirantex? Ps:só ataco comentarista ignorante de g1 que vem poluír e espalhar desinformação neste blog. Como o “experiente marujo” que voce é parece fazer no comentario acima

F.alves
Visitante
F.alves

Ficamos por aqui um bom dia para o Sr .

eder barbosa dos reis
Visitante
eder barbosa dos reis

Pobre dos nossos marinheiros (Homens Honrados) com estes meios navais dos anos 90 !!! apenas um contratorpedeiro da classe Arleigh Burke daria conta suficiente de abater nossas fragatas a 100 km de distancia, muito triste.

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Sim, está feio mesmo.
Mas, com um presidente militar, vamos ver se ele se sensibilize para os problemas militares.

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Amigo, caso você não saiba, 33 navios da classe Arleigh Burke, o qual você parece gostar, são da década de 90…

Fazem seu trabalho normalmente, qual o problema disso🤔⁉️
Não é só o Brasil que usa equipamento com certa idade, se viesse mais navios da faixa etária do atlântico e do Bahia, seria muito bom.

Quem sabe esse ano poderemos adquirir umas Lafayettes para a MB, ou uma Wave ruler ⁉️

F.alves
Visitante
F.alves

Só que os nossos, já estão no osso. As Lafayettes,Wave seria um bom reforço para a Esquadra. Enquanto, se preocupamos em pinta navios para mostra que sabemos cuidar, o tempo passar e nossos meios vão a cada dia ficando mais obsoletos .

Pedro nine-nine
Visitante
Pedro nine-nine

Eder, o obsoletismo em certas áreas da marinha do Brasil não está directamente ligado a navios dos anos 90, que por norma são modernos e constituem a base de muitas marinhas (navios dos anos 90 a 2005). O obsoletismo da marinha está mesmo ligado ao descuido, falta de orcamento e falta de uma visão mais armamentista no que toca a defesa com navios até nem muito velhos demasiado desdentados e outros velhos, não tão desdentados, mas que se deixaram chegar a uma situação meio insustentável.

Dodo
Visitante
Dodo

Epe nao disse essa besteira, por favor deus me diga que nao li um comentario desses…. o que esta acontecendo com o nivel de inteligencia dos forristas deste site ? ??

Nilson
Visitante
Nilson

Alguém tem notícia do G-29 NDCC Garcia D’Ávila?? Nas notícias de 2018 ele não apareceu. E considerando que o Sabóia atuou na Atlântico V, não seria normal ele revezar com o Garcia na operação seguinte??

Johan
Visitante
Johan

Tem muito tempo que ele está atracado na base naval em Niterói RJ. Possivelmente está esperando na fila para um PMG.ele sofreu um incêndio em 2016, mas não sei da gravidade do incidente.

Marujo
Visitante
Marujo

Galante, o Mattoso volta ou vai virar ao o?

Souto.
Visitante
Souto.

Amigo XO alguma informaçao sobre a extensão da vida util
das fragatas classe Niteroi e Greenhhalg?

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Souto, esse assunto, embora seja de meu interesse, tramita em outros setores aos quais não faço parte… sorry… abraço…

Marujo
Visitante
Marujo

Quis perguntar se o Mattoso vai virar alvo.

Tomcat
Visitante
Tomcat

Trabalho em uma empresa no centro do Rio, com vista total para o AMRJ. Hoje, tarde demais, li essa matéria. Uma pena. Se tivesse lido antes, teria ficado atento para tirar fotos no momento em que PHM Atlântico estivesse suspendendo. Fica para a próxima.

Airacobra
Visitante
Airacobra

Olha ai meu ex-Navio (um dos) e o ex-Navio do XO (um dos tbm) participando ai, bom ver alguns navios voltarem ao setor operativo

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Isso aí, camarada !!! Abraço !!!

Giovane
Visitante
Giovane

Alguém sabe o paradeiro das Niterói F40/42, a muito tempo não as vemos navegando…

Dodo
Visitante
Dodo

Periodo de docagem para manutencao e reparacao

Vovozao
Visitante
Vovozao

12/01/19 – sábado, btarde, SR. DODO, vejo suas postagens, e, também vejo que você não aceita que critiquem a MB, até concordo; entretanto; temos que dizer a verdade: nossas escoltas ( fragatas) são sucatas, qual das nossas fragatas tem menos de 30 anos; maioria das marinhas mundo afora caso tenha escoltas antigas intercalam com novas ja que nenhuma nação possui capacidade de ter somente meios navais novos, entretanto, a MB, com todo respeito do tem fragatas ( sucatas), temos o Bahia e o Atlântico por um fator sorte, senão nem isso, estou a pouco tempo acompanhando a MB, e, vejo… Read more »

Vovozao
Visitante
Vovozao

12/01/19 – sábado, btarde; SR DODO; aceite que as pessoas discordem de você; não temos escoltas ( fragatas) a última construída/comprada tem mais de 35 anos, só por um favor sorte foi possível comprar Bahia, Atlântico, navios patrulhas, navios de apoio (Mearins) tudo isso outras nações não queriam/ podiam comprar, aí ofereceram a MB, ultima escolta construída ” Barroso” quanto tempo levou; aceite nossa MB é uma marinha de terra; veja países que tem marinhas modernas, vivem em constante estado de ”atencao”, Japão/Coreia/ Índia/Israel tem um contingente bem menos que nossa MB, passo sempre na ponte e vejo BNRJ cheia… Read more »

Dodo
Visitante
Dodo

Vovozao, navios não funcionam como carros, navios possuem um período de vida muito mais longo(veja a idade média dos navios da USN por exemplo, estão todos nessa faixa de 25-30 anos). A marinha brasileira possui um dos maiores e mais complexos sistemas de monitoramento e alerta não só da região como do mundo, sempre há pessoal e navio de prontidão para atuar em alguma emergência que vai desde resgate aeromedico a interceptação de navio suspeito. Você mencionou a base da ilha das cobras com navios docados, bem essa é a função de uma base naval, navios ficam ali enquanto outros… Read more »

Vovozao
Visitante
Vovozao

Sim, até concordo com você, entretanto, temos várias pessoas ( como eu) que não são da área e tentam aprender. Então temos que exercer a tecla ” paciencia” outro dia postei aqui que eu diariamente passando nas barcas ( não existia) ponte vi a construção das FCN, via cada dia elas subirem mais um pouco, veja deixei de trabalhar em 92, e até hoje nenhuma foi construída e só houve compra de ocasião FCG e outras coisas que vieram junto no pacote, vi você postando e agora vou inverter a pergunta diga-me 10 marinhas grandes que possua fragatas com mais… Read more »

Dodo
Visitante
Dodo

Marinha dos EUA, marinha da Rússia(a não, espere, o piter the great é um destroier), China, Chile, argentina, etc…
Vovo, a corveta Barroso teve início de construção no ano de 94 e foi posta ao mar em 2008

Dalton
Visitante
Dalton

Na minha opinião…é um tanto injusto com os que antecederam o Almirante Leal. . Foca-se muito em navio novo, mas, a modernização das “Niteróis”, por exemplo, executada entre fins da década de 1990 e meados da década de 2000 foi de suma importância para elas continuarem carregando o piano nos dias de hoje e marinha não é apenas “fragata” , as 3 classe “Amazonas” adquiridas na gestão anterior foram muito importantes. . Ao Almirante Leal é creditado à vinda do “Bahia” e do “Atlântico”, mas, o “Bahia” foi inspecionado na gestão anterior e houve recomendação de compra e o “Atlântico”… Read more »

F.alves
Visitante
F.alves

Concordo, o que pegou na Gestão do Almirante Moura Neto, foi o governo que não deu apoio a suas ideias mais se soltasse a grana hoje todo mundo estaria batendo palma para ele .

Vovozao
Visitante
Vovozao

13/91/19 – domingo – btarde; Sr DALTON; Sempre leio suas postagens; considero uma das mais lúcidas; junto aos srs XO; Camargoer; o que eu quis externar foi que o Almte Leal Barcellar foibem ativo em função do momento conturbado politicamente no qual ele exerceu seu comando; passamos por um momento historicamente muito conturbado; e, com todos os problemas ele de uma maneira geral conseguiu ” cavar” verbas em BSB. Nunca questionei os comandantes; acho só que ficamos muito tempo sonhando com fragatas de 6.000, e, conforme ja comentado pelo senhor perdemos muitas ótimas oportunidades, e hoje alem de estar dificial… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Obrigado por gostar do que escrevo…mas…achei exagerado quando escreveu que os antecessores apenas cumpriram tempo e participaram de homenagens e pessoalmente acho que se o momento em que ele assumiu estava conturbado, não acho que estava melhor antes, pelo contrário, acho que o país melhorou um pouco a partir de 2016. . Quanto à sonhar com fragatas de 6000 toneladas, não houve nenhum prejuízo, apenas perguntaram à marinha o que ela queria e ela respondeu…daí à marinha acreditar que as receberia é outra coisa e com o passar do tempo passou-se para outro plano, isso leva algum tempo, e como… Read more »

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Gente, calma aí! É um exercício anual de aprestação dos novos aspirantes da EN, não é a Terceira Guerra Mundial! As pessoas querem o Atlântico abarrotado de helis, pra quê? A quantidade de navios e aeronaves está totalmente dimensionada para o propósito da manobra! Manter o setor operativo e preparar os novos aspirantes para este setor, somente isso! Se a Marinha sai da Base , pessoal reclama, se fica ancorada, pessoal reclama, tá difícil, não é a toa que muita gente boa saiu o fórum e o que se vê é um bando de comentaristas fúteis de G1, que nem… Read more »

Dodo
Visitante
Dodo

Pois é Marcelo, é tanta maluquice que tem forrista aqui que deve ser agente infiltrado de outro país tentando fazer campanha de desinformação

Wilson França
Visitante
Wilson França

Essa foi uma das maiores maluquices que já li aqui. Desconfio que vc seja agente da Venezuela.

Audax
Visitante
Audax

Que maconha vc fuma?

Esteves
Visitante
Esteves

Fútil. Leviano. Despropositado. Ainda não li comentário assim aqui. As vezes leio tontices dos marinheiros. Menos dos especialistas. Mais dos civis e dos interessados. Porque o mundo pertence aos ignorantes. Eles iluminam os caminhos. Eles pavimentam. Nós. O PN publicou o estado da MB. Está obsoleta. Gasta demais. A Defesa consome 92% do orçamento com custos (manutenções, conservações, gente) no Brasil. Como a Defesa não gera receitas, o Tesouro paga pelos 92%. 8% são investimentos. Sem novidades. No MOD britânico a mesma despesa (gente, manutenções, operações) leva 40%. Li na Internet. Deve ser verdade. O A140 irá se tornar 100%… Read more »

Marcio
Visitante
Marcio

O adestramento é muito importante , Porém não se faz mais operações principalmente anfíbias tipo A Dragão, antigamente as operações parecia guerra real e levava 15 20 dias de treinamento intenso, agora quando tem o dia D a tomada de cabeça de praia leva no máximo 2 dias e já acaba tudo ,

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Eu torço para o novo comando se mobilize para comprar fragatas e um novo porta-aviões porque de resto mesmo que poucos ta caminhando

Roberto Pires
Visitante
Roberto Pires

Aos que reclamam da nossa MB, façam uma vaquinha e comprem mais navios. Simples.
Parabéns a nossa gloriosa Marinha do Brasil, que continue a navegar em nossas águas.

James Marshall
Visitante
James Marshall

Pra quem reclama da nossa MB, façam uma vaquinha e comprem mais navios, simples.
Parabéns aos nobres marinheiros, que defendam o nosso país tão desacreditado pelo próprio povo.

Nilson
Visitante
Nilson

Prezado Dalton, sobre aquela discussão de oportunidades perdidas devido ao sonho do ProSuper e similares, as quais levaram à atual falência da força de escoltas, levanto as seguintes questões: – o não início de construção da segunda da série Barroso; – a não modernização das Greenhalgh; – a não aquisição das Type 22 B II, que foram escrapeadas após estarem à nossa disposição por vários anos; – a não tentativa de aquisição das Type 23 e holandesas que foram parar na Armada do Chile, se tivéssemos entrado na disputa poderíamos ter ficado com pelo menos uma, mas a MB não… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Nilson…na minha opinião uma “oportunidade perdida” é de fato aquela quando há dinheiro e não havia dinheiro antes e não há dinheiro agora. Pode-se até dizer que foi uma pena, azar, mas, sem dinheiro, não dá para reclamar ou tentar encontrar culpados. . Como escrevi em ocasiões anteriores…não havia como adquirir as T-23s… a marinha brasileira havia adquirido as T-22s B1, estava modernizando as “Niteróis” e a “Barroso” estava em construção…o Chile por outro lado precisava sustentar o nível histórico de 8 principais combatentes de superfície e precisava urgentemente daqueles 3 navios e agarrou a oportunidade. . Não havia condições… Read more »

Nilson
Visitante
Nilson

Concordo, Dalton, que a falta de dinheiro impediu o aproveitamento das oportunidades possíveis. Exatamente aí é o ponto, se não havia dinheiro sequer para as merrecas, porque o planejamento da Força focou em ProSuper e ProNae, totalmente fora da realidade? Caíram no “conto do vigário” da promessa do governante, infelizmente. Aceitaram a promessa de querer muito e ficaram com nada, absolutamente nada. Já são 10 anos sem receber um mísero escolta, seja novo ou usado, e isso a partir de um quadro que já era muito grave. Na minha visão esse planejamento estratégico equivocado a partir de 2009, com o… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Nilson… . na minha visão esse “desejo” por NAe e “super fragatas de 6000 toneladas” em nada atrapalharam um “melhor aproveitamento”, vejo como um exercício de imaginação, um universo alternativo e nada muito diferente poderia ter sido feito caso a marinha tivesse declarado que ao invés de um NAe novo seria melhor adquirir 4 fragatas de segunda mão, as tão lamentadas T-22s B III que ninguém quis ! . Não gastou-se com planos de navios que não foram construídos como décadas atrás pagou-se pelos planos de um navio anfíbio da US Navy ou em modificações em estaleiros para atender a… Read more »

Nilson
Visitante
Nilson

Ok, fica claro que temos opiniões divergentes quanto ao sonho ter atrapalhado ou não a situação atual das escoltas. Creio que já está tudo bem exposto, não temos mais o que debater.
Mas não resisto e mando um pequeno exemplo: se não tivesse havido priorização do São Paulo, os 100 milhões gastos nos Trader poderiam ter sido usados na revitalização de alguma escolta.

Dalton
Visitante
Dalton

Ainda havia uma possibilidade do “São Paulo” retornar ao serviço quando contratou-se a modernização dos “Traders”, mas, independente disso, é importante a marinha brasileira manter um pé na “asa fixa” que foi tão difícil conquistar e isso será feito com os 7 A-4s e os 4 “Traders”. . Os “Traders” depois de modernizados serão ótimas aeronaves e deverão servir muito tempo depois da retirada dos A-4s, operando a partir de terra, como também o fazem os C-2s da US Navy quando não embarcados em NAes. . E aeronaves de asa fixa tem suas vantagens sobre helicópteros principalmente na função pouca… Read more »

luis c
Visitante
luis c

Tomara que a Marinha vá um pouco mais de 300 km, pois os exercícios dela é muito perto da costa.