Home Indústria de Defesa Cronograma do Programa de Submarinos (Prosub) para 2019

Cronograma do Programa de Submarinos (Prosub) para 2019

21640
98
Submarino Riachuelo no dia do lançamento

No dia 14 de dezembro de 2018 aconteceu cerimônia de lançamento do Submarino Riachuelo (S40), o primeiro de uma série de quatro submarinos convencionais e um nuclear que estão sendo construídos pela Marinha do Brasil.

A Estratégia Nacional de Defesa (END), lançada em 2008, estabeleceu que o Brasil deve ter uma “força naval de envergadura”, incluindo submarinos com propulsão nuclear. Naquele mesmo ano, foi firmado um acordo de transferência de tecnologia entre Brasil e França.

O programa viabilizará a produção de quatro submarinos convencionais, que se somarão à frota de cinco submarinos Tipo 209 já existentes, de origem alemã. E culminará na fabricação do primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear (SN-BR).

Os quatro submarinos convencionais brasileiros já começaram a ser construídos e estarão prontos até o final de 2022. O primeiro deles é o Riachuelo (S40). Depois virão o Humaitá (S41) em 2020, o Tonelero (S42) em 2021 e o Angostura (S43) em 2022.

Por fim, a Marinha construirá o primeiro Submarino com Propulsão Nuclear (SN-BR), que será batizado de “Álvaro Alberto”, uma homenagem ao Almirante Brasileiro que foi o pioneiro no uso da tecnologia nuclear no País.

S-BR e SN-BR
S-BR e SN-BR
Submarinos em construção no Complexo Naval de Itaguaí-RJ, em foto de 2017

Segundo a ICN – Itaguaí Construções Navais, o cronograma do Prosub para o ano de 2019 é o seguinte:

JANEIRO

  • Carga total das baterias do Submarino Riachuelo

ABRIL

  • Embarque do KE (mecanismo de controle dos tubos lança-torpedos) no S-BR2

MAIO

  • Embarque do MEP (Motor Elétrico Principal) no S-BR2
  • Instalação do TLT (Tubos Lança-Torpedos) no S-BR3

JUNHO

  • Submarino Riachuelo (S-BR1) no cais

AGOSTO

  • Mergulho estático do S-BR1
  • Embarque do Cradle de Vante do S-BR2
  • Usinagem do escotilhão fêmea do S-BR3

OUTUBRO

  • Submarino Riachuelo (S-BR1) pronto para navegação
  • União das seções S3/S4 + antepara de vante do S-BR4
O Brasil está construindo atualmente quatro submarinos S-BR dentro do Programa Prosub
O Brasil está construindo atualmente quatro submarinos S-BR dentro do Programa Prosub
Submarino Riachuelo na água
Submarino Riachuelo no dia do lançamento ao mar
Subscribe
Notify of
guest
98 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Navegante
Navegante
1 ano atrás

Vamos torcer para que não tenham imprevistos, que ocorra tudo conforme o planejado e o quantos antes estejam operacionais

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Navegante
1 ano atrás

Vamos torcer também para que a eficiência domine a Marinha e ela consiga adiantar esse cronograma porque 2020 ta longe.

Navegante
Navegante
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Da uma desanimada ver o cronograma estimado das Tamandarés 2024-2027, é compreensível, mas não evita a impressão de que leva uma infinidade de tempo até lá kkk

teropode
Reply to  Navegante
1 ano atrás

O MAL dos contigenciamentos , sempre dão as caras de maneira incompreensíveis, com justificativas pífias e preguiçosas, vimos as torneiras paternas do BNDS arreganhadas para muitos companheiros de outras nações, contratos com juros módicos e prazos seculares , sem retorno político ou financeiro ao Brasil , por que então não usar estes créditos para financiar a segurança nacional ? Estado emprestando para o estado ? Estado jogando dinheiro fora ? Prefiro a primeira opção porque uma nação com poder militar consegue atrair parceiros de olho em investimentos e segurança. Que venham mais 2 núcles e mais 5 convencionais , até… Read more »

Navegante
Navegante
Reply to  teropode
1 ano atrás

Concordo plenamente contigo teropode, já pensou se os 11 bilhões que o BNDES “emprestou” para a Venezuela tivessem sido empregados na defesa, ou os 14 bilhões de Angola? Uma quantia dessas daria um belo upgrade na frota

737-800RJ
737-800RJ
1 ano atrás

Quando nossos Tipo 209 estiverem no fim de suas vidas úteis, a tendência é que se construam mais Scorpène BR ou nucleares? E iriam apenas repor as 5 unidades para se unirem aos 4 convencionais em andamento e ao SN Álvaro Alberto ou há a possibilidade de aumentarmos nossa força de submarinos?

Hélio
Hélio
Reply to  737-800RJ
1 ano atrás

Isso ainda é uma discussão, tem quem defenda um segundo lote, tem quem defenda a opção de construir somente nucleares.

José Marco Fernandez
José Marco Fernandez
Reply to  Hélio
1 ano atrás

Acho que poderia ser só nucleares para substituir a frota antinga os 5 atuais ,no caso já teriamos o dominio do nuclerar , e ai o aumento da frota com ais 5 ou 6 convencionais

teropode
Reply to  Hélio
1 ano atrás

Para patrulhamento de águas costeiras o Scorpene já basta , a questão é focar em números, já as unidades nucleares seriam mais indicadas para setores pós áreas marítimas ou no limite destas, agindo como postos avançados de patrulha e por serem nucleares dispensando apoios de reabastecimentos , acredito que para o Brasil a utilização dos dois tipos torna mais barato o trabalho da esquadra submarina .

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  737-800RJ
1 ano atrás

Nao sou especialista naval, mas acredito que se em 10 ou 15 a Marinha consegui-se a combinação de 08 ou 09 scorpene SBR 04 ou 03 nucleares SNBR, chegaríamos a 2035 com uma força invejável de 12 submarinos.

Infelizmente, temos que lembrar que submarinos nucleares sao caros pra fazer e caros para operar, o que o diga a Royal

JT8D
JT8D
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Não confunda custos de SSNs com custos de SSBNs

teropode
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

3xiste um relativismo neste caro de operar destes ssbn , a eficiência e a aplicação de um Subnucle impedi a comparação dos custos de operação, caro pra mim sim custos desnecessários, aquela grana que se joga fora , tipo auxílios a detentos , ajudas a ONGs parasitas , benesses a funcionários públicos, empréstimos sem garantia de recebimento , aff , lista é longa .

Oriel
Oriel
Reply to  737-800RJ
1 ano atrás

Esses 5 nao são suficientes,eu li uma informaçao de um site q a Marinha pretende construir me parece q 16 sunmarinos convencionais e 5 nucleares no programa Prosub

Oriel
Oriel
Reply to  737-800RJ
1 ano atrás
Ghutoz
Ghutoz
1 ano atrás

Legal sbr4 ja esta no horizonte

Mauro
Mauro
1 ano atrás

O nome de batismo desses submarinos é dantesco. Exceto o SN-10.
Todos os demais são horríveis.

Top Gan Sea
Top Gan Sea
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Cada nome dos SBRs retrata uma história, uma memória de conflito armado. Mas acho o Riachuelo um nome bastante bacana e marcante até pela sua própria história.

Dodo
Dodo
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Feio ? Eu acho eles irados

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Feio? O nome da maior vitória da Marinha do Brasil? É como um inglês achar veio o nome Trafalgar.

Alessandro Manoel
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Horrível é demonstrar em público desconhecimento da história militar do próprio país.

teropode
Reply to  Alessandro Manoel
1 ano atrás

A MB tem bom gosto no nome de seus Vasos, soa bem , mas para gostar do nome tem que conhecer a História por trás deles , verão que os nomes trazem consigo uma história de lutas e honra . Imagina um PA nuclear com o nome significando “; Um trabalho para se realizar ” ou “Empreitada”.

teropode
Reply to  teropode
1 ano atrás

ou empreendimento ou Enterprise.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Todos os nomes são de batalhas decisivas da Guerra do Paraguai

Dodo
Dodo
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Apenas uma correção Marcelo. A batalha de angostura não foi da guerra do paraguai, mas sim da guerra de intervenção brasileira na Argentina contra o governo de rosas

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Mauro
1 ano atrás

São nomes de batalhas travadas e vencidas pelo brasil na guerra do Paraguai. Dantesco seria se fossem: Pablo Vitar, Anita, Xuxa, Fernandinho Beira Mar. O que a caterva bandida vitimista gostaria de ver. Pois eles são os heróis da ralé.

LucianoSR71
LucianoSR71
1 ano atrás

Amigos editores, sugestão de leigo ( e a maioria dos acessos é de leigos ) coloquem entre () o significado de termos como KE, MEP, TLT e etc. ou no fim da matéria um pequeno glossário. O iNguinorante aqui agradece, rs.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Que é isso meu chefe, eu ( e os outros vários leigos que deram like, rs ) é que agradeço. Abs.

Carlos
Carlos
Reply to  LucianoSR71
1 ano atrás

Boa!

Top Gan Sea
Top Gan Sea
1 ano atrás

O lançamento de um submarino até a sua prova de mar é bem mais complexo do que navios de guerra.

Flavio Marinha
Flavio Marinha
Reply to  Top Gan Sea
1 ano atrás

Até pq se mergulhar .Pode não voltar.

Navegante
Navegante
Reply to  Flavio Marinha
1 ano atrás

Flávio, lembra do projeto S-80 construído pela Navantia? Ele foi capaz de submergir, mas depois não conseguia emergir, abriu um rombo no orçamento espanhol, portanto bata três vezes na madeira e que a prova se mar não seja na sexta-feira kkk

Cleveson
Cleveson
Reply to  Flavio Marinha
1 ano atrás

Se mergulhar pode voltar a superficie… Mas se afundar, nao!

Caio
Caio
1 ano atrás

O Submarino nuclear detonou muito tempo e dinheiro, lembro de ter lido sobre o mesmo a 25 anos atrás.
Espero que a marinha se concentre nos convencionais, e nas frotas de superfície.

Dirceu Leme
Dirceu Leme
Reply to  Caio
1 ano atrás

Precisa lembrar que o Brasil esta fazendo na parte nuclear tudo sozinho e praticamente sem dinheiro (uma migalha por ano) Alguem pode informar quanto tempo demorou e quanto foi gasto para o inicio dos testes do projeto americano Manhattan. Lembrando que os americanos ainda tiveram ajuda (não sei qual foi o peso de cada um ) do Canadá e do Reino Unido.

Caio
Caio
Reply to  Dirceu Leme
1 ano atrás

O projeto Manhattan segu do a wiki.. Durou 6 anos.

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Dirceu Leme
1 ano atrás

Caro Dirceu, a ajuda do Reino Unido foi grande. No desespero pela sobrevivência na Batalha da Inglaterra, ‘entregaram’ ao parque industrial norte-americano seus projetos nucelares, tecnologias de sonares e radares e até os estudos de motores a jato.

Podemos dizer que abrirão mão de um futuro para terem o presente.

Dalton
Dalton
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Os britânicos não “entregaram”, mesmo entre aspas pode dar uma impressão que os americanos entraram apenas com o dinheiro…eles se uniram ao “Manhattan” que era um projeto inúmeras vezes maior do que os britânicos podiam sonhar ainda mais diante da precariedade em que se encontravam em plena guerra. . Os britânicos gostam de pensar que a bomba atômica foi um esforço conjunto, de igual para igual com os americanos, há divergência sobre isso, de qualquer forma, sem ajuda britânica os americanos teriam a bomba da mesma forma, apenas, não em 1945, porém os britânicos se continuassem sozinhos levariam muito mais… Read more »

Mahan
Mahan
1 ano atrás

Quando estará pronto para a primeira patrulha?

LUIS FERNANDO BAPTISTA
1 ano atrás

Parabéns Marinha!!! Acredito que devemos concentrar recursos para aumentar a frota de submarinos e depois focar em meios de superfície novos.Enquanto isso aproveitar as fragatas Inglesas / Americanas que serão desativadas para manter a força de superfície operacional.
NÃO e2 a solução ideal aem duvida porem fazendo isso teremos uma boa condição de Defesa no A.S., e ai teremos tempo para desenvolver corvetas e fragatas em parceria , pois o Brasil estará livre da crise se Deus quiser ( confio na equipe econômica e em nosso Presidente)

Gorgoroth
Gorgoroth
1 ano atrás

“Submarino Riachuelo (S-BR1) pronto para navegação”

Neste ponto já se pode dizer pronto para “guerra”???? Ou precisa ainda mais tempo no mar?
Pergunta de um ignorante

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Gorgoroth
1 ano atrás

Ora, um manjador da geografia de Arda

willhorv
willhorv
1 ano atrás

Não serão ao todo 16 SBR? Com uma produção acertada e garantida dentro das realidades a fim de garantir uma frota de subs efetiva e eficiente?
Itaguaí não está aí só para meia dúzia de subs não….
Muito bom estar vivenciando está realidade.
Espero que bons frutos venham com este novo governo, quem sabe até, com as Freem mobiliando nossa esquadra. Sou apaixonado pelo seu design!
As Italianas hein…
Kkkkk

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  willhorv
1 ano atrás

16? Esse número é real, sem piada matemática de mal gosto?

CipherNine
CipherNine
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

geralmente a esquadra de submarinos no brasil é mantida com 9

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Excelente notícia!
Acho que a MB já deveria encomendar mais 5 unidades dos SBR e mais uma do SNBR com modificações no projeto como mini submarino para resgate e Mec,s, sistema de lançamento vertical de mísseis Moreia (MT-300 naval) e Marlin (MANSUP), maior tonelagem de deslocamento etc.
Outra providência seria escolha de novos nomes, quem sabe da fauna e flora marinha ou mitologia marinha, tais como Netuno, Craquem etc.
Quem sabe até lá já estará pronto os sistemas de guerra eletrônica nacional e armas como Sonat/ Sonap, Torpedo pesado, Decois etc.

Navegante
Navegante
Reply to  Foxtrot
1 ano atrás

Netuno e Kraken não acho uma boa idéia hehe, deixando as homenagens e história de lado um pouco, talvez seria bacana uma nomenclatura nova, como Cruzeiro do Sul, Três Marias, Carina, Orion, Aquila, nomes assim.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Navegante
1 ano atrás

Ué? Nome de constelação pra navio? Haha

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Navegante
1 ano atrás

Eu sou mais de se colocar nome de cidades litoraneas do país rsrs

Navegante
Navegante
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Olá Felipe

Para quem navega, o nome de constelações faz todo o sentido, pelo menos para mim faz kkk

Nomes de cidades litorâneas também não é ruim, mas nesse caso faz mais sentido dar nomes de estados, temos muitos estados que já faz um tempo que não são homenageados

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Navegante
1 ano atrás

Acho que nomes como Fortaleza, Recife, Porto Seguro, Angra, Vitória são bons nomes pra subs e todos de cidades litoraneas kkkk Não mencionei os estados pq aí não teria novidade alguma. E alguns nomes da armada imperial como Defensora, Intrépida, etc seriam bons tb

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Navegante
1 ano atrás

Orion e Áquila já achei bom.
Porém como são recursos marinhos creio que não cairia bem.
Quem sabe Triton, Tridente etc rsrs

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Foxtrot
1 ano atrás

Vamos por nome de peixe, Bonito, Badejo, Pescada, Agulhão, Pargo, Vermelho, Garoupa, Namorado etc huehue

GUPPY
GUPPY
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Badejo não é o nome que o Galante recebeu quando do seu batismo ao mergulhar num submarino da MB?

Frederico
Reply to  Foxtrot
1 ano atrás

A MB deveria já está projetando um genuíno SSGN, que no meu entender, deveria ser o próximo nuclear a ser construído, com capacidade de desembarcar 75 grumec’s totalmente equipados. O AV-MT naval com um alcance maior (pelo menos 1000 km), talvez até um míssil de cruzeiro mais pesado (tipo brahmos). Isso num horizonte de 15 anos e com a economia crescendo pelo menos 3% ao ano.

Tonelero
Tonelero
1 ano atrás

O dobro de SSK’s e umas 6 fragatas (FREEM Bergamini?) já renovaria a MB.

Marcos10
Marcos10
1 ano atrás

Em que fase do projeto está o submarino nuclear?
Existe, por exemplo, desenhos das cavernas, especificações de aço, etc?
A essa altura, ainda seria possível usar o projeto do Barracuda para o nosso reator?
E em relação ao nosso próprio reator, em que situação se encontra?
E da fase de projeto do reator, para a construção de um reator fixo e depois para o reator que irá equipar o submarino, quanto tempo?

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

Tem trocentas matérias sobre isso aqui no PN, homi

Amauri Soares
1 ano atrás

Tomara que a marinha construa outro sub nuclear ao mesmo tempo que o Álvaro Alberto , isso elevaria nosso conhecimento na construção de subs nucleares e diminuiria o tempo de espera para construir outro subs nucleares. Do mesmo modo que estamos construindo os subs convencionais um após o outro , devemos fazer o mesmo com os subs nucleares ganharemos força submarina em pouco tempo .

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Amauri Soares
1 ano atrás

Armaria, um só já é um tiro, imagine dois. Com a licença do trocadilho sem graça, a MB não tem bala pra isso não.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Amauri Soares
1 ano atrás

Com a construção dos SK-209 , já tínhamos conhecimento para construir um subnuc, vide exemplo do projeto SNB10.
Ainda não entendo o porquê da MB ter investido tantos recursos no projeto Scorpone.
Mas já que investiram que tirem o melhor proveito.

ALEXANDRE
ALEXANDRE
1 ano atrás

Que bom,apesar de 1 por anos ser devagar demais eu acho,mas,contato que seja levadi em frente sem atrasos e sem consumir mais dinheiro ta otimo.
E as tamandares? Como anda as negociações alguem sabe?

Fernando Vieira
Reply to  ALEXANDRE
1 ano atrás

Um por ano para um país que não está em guerra e não a vislumbra no horizonte tá de bom tamanho. Só é preciso manter ritmo e que o estaleiro de Itaboraí não pare nunca mais.
E como sempre mencionam aqui, quem tem um não tem nenhum, então ao menos mais um SN-BR se faz necessário

luiz jorge da costa
luiz jorge da costa
1 ano atrás

Nós tivemos uma marinha poderosa no tempo do império.
Sugiro os nomes para os submarinos de D. Pedro I e D. Pedro II.
Justa homenagem

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  luiz jorge da costa
1 ano atrás

Deixa esses pros NAe

Sincero
Sincero
Reply to  luiz jorge da costa
1 ano atrás

Um regime republicano homenageando imperadores não faz sentido, certo?

Eduardo ALM
Eduardo ALM
Reply to  Sincero
1 ano atrás

Os Russos Homenageiam um monarca se eu n me engano, Pedro o Grande, em um de seus Kirov

Sincero
Sincero
Reply to  Eduardo ALM
1 ano atrás

Mas nós não somos a Rússia.

filipe
filipe
1 ano atrás

Essa discussão é muito antiga aqui no grupo, já falamos muito sobre isso, no programa da MB estão 15 SBR + 6 SNBR , ou seja tudo em 3 lotes, no 1º lote ( o actual) serão 5 unidades (1 SNBR + 4SBR), no 2º lote serão 6 unidades (2 SNBR + 4 SBR) e no 3º lote serão 10 unidades (4 SNBR + 6 SBR), devemos nos lembrar que o PROSUB é o maior projecto de engenharia do Hemisfério Sul, algo so ao alcance de um selecto grupo de paises (EUA, Russia, China, França, UK, India) , o Brasil… Read more »

Paulo
Paulo
Reply to  filipe
1 ano atrás

“Grandes de novo?”

Quando é que isto ocorreu anteriormente.

Hélio
Hélio
Reply to  Paulo
1 ano atrás

Você não conhece a história do Brasil, não é?

Wilson França
Wilson França
Reply to  Hélio
1 ano atrás

Quem conhece sabe que isso aqui sempre foi algo de ruim pra médio.

cwb
cwb
1 ano atrás

uma pergunta de leigo:
a quantos navios de superfície um submarino pode dar combate sozinho?
a primeira situação é um grupo tarefa com porta aviões escoltas dedicados e cobertura anti submarino.
a segunda seria uma escolta de navios mercantes.
sei que as questões são hipotéticas pois temos que considerar se é perto do continente ou em alto-mar.
isso já mudaria as condições de engajamento.
verifiquei as diferenças do nosso sub para um scorpene normal,então quais suas capacidades com uma tripulação com as garras afiadas?
obrigado pela atenção.

Leonardo M.
Leonardo M.
1 ano atrás

Ainda acho que o subnuc deveria ser cancelado e em vez de gastar com ele gastar em mais 2 ou 3 SBR
Teríamos uns 7 SBR até 2028 e na minha opinião muito mais úteis.
Sabemos que o subnuc no final das contas custará 10% ou 20% do orçamento da MB por ano para manter.

Sandro
Sandro
Reply to  Leonardo M.
1 ano atrás

Leonardo, no caso de Brasil, com toda a seriedade de nossos Políticos e até de alguns militares, eu concordo com vc. Se botou uma fortuna fora e ate o momento nda so sonhos e devaneios da MB, mesmo caso dos 2 PA. Qualquer um sabe das vantagens de um sub nuclear, só que na MB não vai ficar pronto nunca, e se por algum milagre o ficar, não tera verba para operar e também não passara de uma unidade. 7 Sub Convencionais com AIP, nos supririam perfeitamente a um custo muito mais aceitável a nossa realidade. Já falam ate e… Read more »

Valter Sales
Valter Sales
Reply to  Leonardo M.
1 ano atrás

Leonardo M. Foi discutida em rodas de conversa testemunhadas inclusive por não iniciados como eu, no dia 14/12/18 durante o lançamento do S40 a POSSIBILIDADE de se encomendar um quinto SBR, o SBR5, para dar volume de trabalho e ser lançado estrategicamente “entre” o SBR4 e o SN A. Alberto, que pelas previsões só deve ser lançado ao mar em 2027/28 e ficar operacional em 2029/30. Isso foi comentado por almirantes como uma possibilidade real para o mês de agosto de 2019 quando se começa a discutir o OGU para o próximo exercício(2020).

Valter Sales
Valter Sales
Reply to  Leonardo M.
1 ano atrás

O SBR5 serviria para fazer o pessoal da ICN “manter a Mão” até a construção do SN. Um cronograma ideal pensado no dia 14/12/2018 seria que o casco de um quinto sub pudesse ser iniciado no máximo até 2022 para que o timing ficasse perfeito.

Sincero
Sincero
1 ano atrás

E o PROSUPER nada, né?

Hilton
Hilton
1 ano atrás

Pessoal, o que vai ser feita com a nossa classe de submarinos Tupi ( Tipo 209)? Vão se reformados para operarem juntos com o da classe Riachuelo, ou serão vendidos pior ainda, serão progressivamente desativados nos próximos anos. Resumindo o que acontecerá com os nossos 209?

Dalton
Dalton
Reply to  Hilton
1 ano atrás

O “Tupi” passou pelo que teoricamente seria seu último “PMG” garantindo a ele pelo menos outros 7 anos de serviço, suficiente para alcançar 35 anos de comissionamento em 2024 e que não valeria a pena diante da incorporação de novos submarinos, ampliar esse prazo. . Foi comentado aqui no blog anos atrás, que 2024 deverá coincidir com a entrega ao setor operativo do SBR 4, portanto, há grande chance da força de submarinos iniciar 2025 com os 4 “Scorpenes” e 4 IKLs” , um aumento substancial quando comparado ao que se tem hoje, tanto numericamente quanto qualitativamente. . Caso essa… Read more »

Hilton
Hilton
Reply to  Dalton
1 ano atrás

Valeu mestre Dalton!!!

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Dalton
1 ano atrás

Pelo que aprendi por aqui ainda há a questão de tempo de imersão e profundidade nessa equação de limite de vida útil. Creio que dá p/ comparar c/ a aviação em que uma aeronave pode até ser velha pelo ano de fabricação, mas ser relativamente nova pelo nº de ciclos ( decolagens / pousos, que preferencialmente devem se igualar, rs ) que reflete o verdadeiro uso desta.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

Vão fazer o que com todo esse espaço que vai sobrar no SNBR já que não vai ter lançador de míssil vertical??

Dalton
Dalton
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

A tripulação será maior…pode não ser a única razão para o espaço extra, mas, é de importância significativa.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Dalton
1 ano atrás

Tripulação maior só aumenta os gastos ☹

Dalton
Dalton
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

Submarinos de propulsão nuclear exigem tripulações maiores que as de um convencional, ainda mais se comparados com um “peso médio” como o “Scorpene”, incluindo tripulantes especializados em propulsão nuclear, mas, para se ter algo melhor é preciso investir mais. . Os franceses por exemplo, tem duas tripulações mesmo para seus submarinos de propulsão nuclear “táticos” e ainda assim consideram um ótimo negócio. . Se a marinha brasileira terá recursos para efetivamente operar um pequeno esquadrão de submarinos de propulsão nuclear sem afetar significativamente o esquadrão de submarinos convencionais além de outras necessidades é algo que se terá que aguardar, mas,… Read more »

Veiga 104
Veiga 104
1 ano atrás

Bom dia a todos. Sobre esse equipamento de busca de corpos que as equipes de busca de Israel está trazendo para ajudar nas buscas em Brumadinho. Pelo que ouvi na imprensa mesmo a vítima estando morta , ou seja , sem emitir calor ; o equipamento localiza. Alguém pode dar detalhes sobre esse equipamento ? Obrigado e abraços

GabrielBR
GabrielBR
1 ano atrás

Não gostei de terem colocado o nome do almirante no submarino nuclear , soou corporativismo do pior tipo. Um grande projeto como esse é um feito nacional antes de qualquer coisa…

Eduardo ALM
Eduardo ALM
Reply to  GabrielBR
1 ano atrás

O Álvaro Alberto era um patriota de primeira, fez de tudo pro Brasil conseguir dar os primeiros passos no campo nuclear, tentou até contrabandear centrífugas se eu n me engano lá da Alemanha Ocidental

Alfredo RCS
Alfredo RCS
1 ano atrás

Caros, sempre debatemos o “tamanho” de nossa frota, seja ela naval, aerea ou terrestre, acredito que o parâmetro a ser adotado deva ser simplesmente qual o tamanho das RIQUEZAS as quais nossas frotas irão defender. Quanto valem as riquezas naturais da Amazônia? Quanto valem as riquezas naturais da Amazônia Azul? Quanto vale o PIB produzido pela população brasileira? Em quanto essas riquezas poderão ser multiplicadas sem as amarras impostas após mais de 38 anos de governos oligarcos-socialistas? Quanto valerão essas áreas produtivas: petróleo, produtos agrícolas, materias primas, pecuária, industria e serviços etc., para uma população mundial de 7 bilhões de… Read more »

eduardo
1 ano atrás

boa noite SRs ; onde eu assino Senhor Alfredo RCS ? tuas palavras sao puramente a verdade que toda sociedade deveria questionar aos Politicos ,Militares e planejadores, Populaçao , estrategistas do Estado Brasileiro com suas Instituiçoes ; mas so um pequeno detalhe que questiono , este governo que esta presente e todos NOS anseiamos por todas as mudanças necessarias a Naçao, sera que ira questionar a joint venture da Boeing Embraer nos termos atuais de negociaçao apresentado ao setor jornalistico ? porque esse negocio de 80% Boeing e 20% Embraer e realmente um negocio lessa Patria.

Humberto
Humberto
Reply to  eduardo
1 ano atrás

Eduardo,
O Governo Bolsonaro já deixou claro que não é contra a JV entre a EMB e a Boeing. Se este governo que tem uma forte influencia militar (com um grande viés nacionalista) já aceitou que a JV é uma boa solução para a empresa, e a própria alta direção da EMB também é a favor (temos que lembrar que não é uma compra hostil), fica difícil ter argumentos sólidos contra a JV.
Você pode ser contra a venda é o seu direito, mas sem bons argumentos são palavras jogados ao vento.
Um grande abraço

Helio Henrique
Helio Henrique
1 ano atrás

com a tecnologia do grafeno podemos ter baterias mais leves e mais poderosas fora outras aplicacoes como condutores mais eficientes,revestimento pro submarino ficar mais invisivel e blindado.

Tiago Eraldo
1 ano atrás

Aguardamos atenciosamente a finalização do SN-BR.