Home Marinhas de Guerra Coreia do Sul oferece fragata classe ‘Ulsan’ à Argentina

Coreia do Sul oferece fragata classe ‘Ulsan’ à Argentina

12018
73
ROKS Kyong Buk (FF 956), classe Ulsan
ROKS Kyeongbuk (FF 956), classe Ulsan

Por Roberto Lopes
Especial para o Poder Naval

O ministro da Defesa argentino, Oscar Aguad, examina a conveniência de enviar um grupo de oficiais da sua Marinha à base naval sul-coreana de Jinhae (312 km a sudeste da capital Seul), para que eles inspecionem uma fragata da classe “Ulsan”, de 103,7 m de comprimento e 2.300 toneladas de deslocamento, oferecida como doação pela Administração do presidente Moon Jae-in ao governo Mauricio Macri.

A oferta, formalizada por meio de um documento assinado pelo Adido de Defesa, Naval e Aeronáutico da República da Coreia do Sul na Argentina (também acreditado no Chile e no Paraguai), tenente-coronel do Exército Ho Lim, acontece após uma série de reuniões entre militares dos dois países – que, em pelo menos uma oportunidade, contou com a intervenção pessoal do chanceler argentino Jorge Faurie.

As informações foram publicadas, nesta segunda feira, pelo jornal econômico bonaerense Ámbito Financiero, que teve acesso ao expediente Nº 238/2018 da diplomacia argentina – um dos que trata do assunto.

O lote inicial de embarcações da classe Ulsan foi comissionado pelos sul-coreanos na primeira metade da década de 1980, e descomissionado a partir de 2014.

A classe abarca navios lança-mísseis maiores e mais capazes que as corvetas tipo Pohang, também doadas por Seul às Armadas da Colômbia e do Peru.

LPD classe Makassar
LPD classe Makassar

Navio-doca – O Ámbito Financiero levanta a hipótese de a proposta acerca da fragata ser a ponta de lança, ou cunha, de um estreitamento das relações militares entre Coreia do Sul e Argentina.

Os sul-coreanos têm um interesse imediato de vender aos argentinos entre 12 e 16 caças leves KAI FA-50 – iguais aos que vêm sendo adquiridos por Tailândia e Filipinas –, e, se possível, de encorpar essa operação comercial com a licença para que a indústria naval argentina construa um navio-doca classe Makassar – igual ao Pisco, recém-construído pela empresa SIMA-Peru, do porto de Callao.

No caso do navio, a primeira tentativa dos sul-coreanos foi feita com base em um equívoco: o de propor que a construção fosse feita no Astillero Río Santiago, da periferia da capital, empresa que mantém importante litígio com o governo Macri.

Em sua correspondência para o Ministério da Defesa argentino, Ho Lim solicita que o governo argentino arque com os gastos da viagem da equipe de inspetores navais e, mais tarde, com as custas do envio de uma tripulação e do translado do navio desde Jinhae até a base naval de Puerto Belgrano.

O primeiro passo a ser dado por Aguad é manifestar oficialmente, por escrito, o interesse da Administração Macri no navio.

Os inspetores argentinos vão avaliar o estado geral da fragata a ser disponibilizada e, sobretudo, estimar o custo que caberá à sua Marinha suportar para sua prontificação.

Já está claro que os dois sistemas de mísseis da classe Ulsan – um antinavio (Harpoon) e outro antiaéreo (Mistral) – foram retirados, e não serão repostos. Bem como os dois lançadores triplos de torpedos antissubmarino.

Restaram em cada unidade dessa classe dois reparos de 76 mm e três reparos duplos de canhões de 40 mm. Com essa configuração os Ulsan – que, originalmente, alcançavam a velocidade máxima de 34 nós – poderão, apenas, realizar missões de patrulha oceânica – algo ainda relevante para a Armada Argentina, especialmente se for levado em consideração o desgaste das corvetas tipo A-69 (de origem francesa) que operam na Flota de Mar (Esquadra argentina).

Fragata da classe Ulsan

73
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
44 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
50 Comment authors
Otto LimapedroJoaso CarlosMatheus SilvaPedro Tavares Nicodemos Filho Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Vovozao
Visitante
Vovozao

28/01/19 – segunda-feira, bnoite, notícia bem interessante, a armada Argentina, encontra-se nas mesmas condições da MB, tudo no osso, qualquer doação seja qual for na situação de penúria, são muito bem vindas, tanto na armada Argentina, como na MB. Vamos ver o final deste filme, A do Sul, principalmente cone sul são só sucatas. Argentina/Uruguai/Brasil.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Na verdade os Argentinos estao infelizmente muito piores colega idoso …

Pense por exemplo, o Reino Unido, o Japão, os EUA, Israel e agora a Itália, todos prontos para parceria com a nossa Marinha…

E olha, a Marinha do Brasil tem tudo pra melhorar!!!

espora
Visitante
espora

Argentina é a nova Venezuela, só que sem petroleo!!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Visitante
FABIO MAX MARSCHNER MAYER

A Argentina é um país democrático, de economia diversificada. Ela sofre do mesmo problema do Brasil: gigantismo do Estado, que não para de gastar. Mas nem de longe sequer se assemelha à Venezuela!

J.Neto
Visitante
J.Neto

De onde tirou esta conclusão ridicula?

Toni Cavalcante
Visitante
Toni Cavalcante

Vovozao está caducou… A armada argentina não dispões de meios como o PHM Atlântico, NDM Bahia, navios patrulhas classe Amazonas, corveta no porte da Barroso, submarino Scorpene, helicópteros de ataque seahawk, H225m armado, Super Lynx, etc.

Otto Lima
Visitante

Vovozao tá gagá, hein! A MB ainda tem um mínimo de operacionalidade, enquanto a ARA está quase parada por falta de recursos.

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Absurdo o caos gerado nas marinhas da Argentina e Brasil pela sucessão de governos eufemisticamente intitulados de “progressistas”…seus progenitores politicos e mantenedores devem estar se borrando de tanto rir…

J.Neto
Visitante
J.Neto

Que caos? explique…

Dodo
Visitante
Dodo

A situação da marinha do Brasil nem se compara com a da Argentina. Aqui ainda temos uma força operacional, construímos submarinos, adquirimos embarcações em compras de oportunidade etc… talvez pelo pro Rio poder econômico do Brasil, a situação da nossa marinha, por mais que não seja ideal, está MUITO a cima da armada argentina, o que é muito triste para uma instituição tão respeitada como a armada daquele país

Marcos Rêgo
Visitante
Marcos Rêgo

No momento nobre colega mesmo com toda penúria da MB, estamos muito a frente da Armada Argentina, e não só na Marinha, mas no exército e aeronáutica também.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Com toda a penúria que sofremos os nossos esquerdistas não foram tão destrutivos quanto os argentinos, bem ou mal ainda investiram alguma coisa, bem menos que o necessário, mas o suficiente para não deixar na penúria como estão os argentinos.

Navegante
Visitante
Navegante

Os comunas no Brasil foram bem destrutivos também, o que nos salva é que somos um país continental, e com uma riqueza continental, assim conseguimos resistir por mais tempo antes que as nossas F.As e nosso país ficasse tão prejudicado como eles.

Espero que eles se recuperarem, merecem um futuro melhor, e nós também

figueira lima
Visitante

4 Novas Corveta Barroso Modificadas (com batimento de quilha da primeira no final de 2014) 3 Navios Patrulha Oceânicos Classe Amazonas(todos recebidos) 4 Submarinos Scorpene (todos fabricados no Brasil, gerando mais de 30 mil empregos de alto nível, com o primeiro entregue em 2015) 1 Submarino Nuclear para 2023( o valor do contrato ficou em cerca de 12 bilhões de dólares, porque além dos submarinos está terminando de ser construída uma das maiores e mais modernas bases navais para submarinos e que também será um dos maiores estaleiros fabricantes de submarinos do mundo) 27 Navios Patrulha Classe Macaé (Fabrivados no… Read more »

Adriano Luchiari
Visitante

A coisa não é bem assim: “4 Novas Corveta Barroso Modificadas (com batimento de quilha da primeira no final de 2014)” A licitação nem foi concluída ainda. “4 Submarinos Scorpene (todos fabricados no Brasil, gerando mais de 30 mil empregos de alto nível, com o primeiro entregue em 2015)” Primeiro batizado em dezembro de 2018, ainda volta ao estaleiro antes do testes hidrostáticos. “1 Submarino Nuclear para 2023( o valor do contrato ficou em cerca de 12 bilhões de dólares, porque além dos submarinos está terminando de ser construída uma das maiores e mais modernas bases navais para submarinos e… Read more »

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Como é o nome da Corveta Barroso modificada que teve a quilha batida em 2014?

Juarez
Visitante
Juarez

Boa noite.É a BNS “Sonhus”.

Heli
Visitante
Heli

Até onde eu lembre foi no governo dito progressista comunista que a FAB comprou os 36 Gripens e a MB comprou os Scorpene e o casco do SNB (que se depender do Tio Sam nunca irá ao mar), ambos com interação/transferencia de tecnologia.

pedro
Visitante
pedro

Heli, pela quantidade de “deslikes” o pessoal não gosta de ouvir a verdade…

Otto Lima
Visitante

Pedro, quem deu deslike foi um bando de “aborrecentes” que enxerga o comunismo até na própria sombra.

Otto Lima
Visitante

Você se esqueceu de mencionar os projetos do KC-390 da FAB e da VBTP-MR Guarani do EB.

Roberto
Visitante
Roberto

É a autentica Lata-velha….. essa vai pra globo. O problema não é comprar…… o problema é pagar! rs

Top Gan Sea
Visitante
Top Gan Sea

A Argentina bem que tenta mas está deficil!
2017 e 2018 ela comprou caças de vários países e não levou nenhum. Está em negociação com Seul para compra dos caças leves KAI F50 a quase 01ano. Também negociando navio LPD Makassar mas com maior interesse na velha fragata desdentada da classe Ulsan, mas que não tem dinheiro nem para custear uma equipe de especialistas para avaliar o navio bem como manutenção e arma lo. Será que os sul-coreanos estão acreditando que vai sair alguma coisa dos argentinos!!

Roberto
Visitante
Roberto

acabei de ler em outro site… Corea del Sur donará una fragata a la Armada Argentina (será para patrullaje) ai sim de graça…

Joao Carlos
Visitante
Joao Carlos

Pois é… mas nada está confirmado. Esta noticia apareceu num site de pouca credibilidade… e ninguém confirmou.

Roberto
Visitante
Roberto
espora
Visitante
espora

Colegas , Ambito é do empresario Cristobal Lopez, laranja dos Kirchner … responsáveis pela última estocada nos militares argentinos, agora o Macri está jogando a última pá de cal!!!

João carlos
Visitante
João carlos

Repito, site com pouca credibilidade.
O jornal âmbito tem pouca credibilidade sim.
Consulte qualquer meio militar argentino, por favor.

Renato
Visitante
Renato

Aqui tb esta9escrito que é doação.

espora
Visitante
espora

Menen assinou um decreto nos anos anos noventa que limita as ações da Marinha hermana, atenção as espiral negativa começou bem antes … talvez quando prenderam o Menen nos anos 70 … meus comentários atrapalham???

Matheus
Visitante
Matheus

Tem no infodefensa tb

Fernando Turatti
Visitante

Um dos países com maior extensão da América, outrora rico, agora depende de doações e boa vontade para conseguir proteger sua costa de navios pesqueiros…

Navegante
Visitante
Navegante

Não dá para dizer que falta boa vontade, estão usando um navio de 1946 para patrulhas, claro que modernizado (dentro do possível), mas mesmo assim… não é fácil, eles também sofreram muito com o sucateamento das forças

espora
Visitante
espora

sim, esse é o plano de governo peronista, eliminar as forças armadas … Argentina virou um narco estado …

Hélio
Visitante
Hélio

E pensar que eles tem metade de um submarino nuclear abandonado. O que nos penamos para fazer hoje eles já estavam fazendo a 30 anos atrás, como pode tamanha decadência em tão pouco tempo?

Flanker
Visitante
Flanker

Pelo que eu sei, a ARA tem o casco do TR-1700 “Santa Fé”, semi-acabado e estocado há mais de 25 anos. Ano passado, eles pensaram em desenvolver e instalar um reator nuclear nesse casco. Fora isso, não conheço nenhum outro desenvolvimento nuclear dos argentinos nesse sentido.

Matheus Silva
Visitante
Matheus Silva

Olha, a situação não é bem essa.

O ARA Santa Fe é o terceiro TR-1700 que os argentinos pararam a construção no meio nos anos 90 por falta de dinheiro.

Em 2011 uma fonte do governo argentino declarou que não só eles iriam
terminar o Santa fé, como ele seria nuclear, como se fosse simplesmente a questão de comprar um reator nuclear no mercado e enfiar no casco.

Da forma que você fala parece que eles fizeram todo um projeto nuclear e estavam na fase de construção do primeiro sub-nuc, o que não é verdade.

Dodo
Visitante
Dodo

Já um canal no yt chamado “panzerargentino”muito bom e que possui bastante credibilidade, criticou bastante o jornal “âmbito financeiro” e destacou a informação de que a corveta, na pequena possibilidade de vir a Argentina, ter a seus lançadores de mísseis removidos

Vovozao
Visitante
Vovozao

28/01/19 – segunda-feira, bnoite, minhas postagens (2), não estão sendo publicadas, será minha internet

J.Neto
Visitante
J.Neto

Gracas a Deus

Flanker
Visitante
Flanker

Ué, o que é isso? O Neto sendo desaforado com o Vovozão? Que falta de modos! Tsc, tsc, tsc….

Roberto Santos
Visitante
Roberto Santos

Mais uma lata velha pra os pobres sul-americanos

Eduardo
Visitante
Eduardo

De jeito que está a frota Argentina seria uma lata nova.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

De graça vale ate injeçao na testa hermanos argentinos kkkk

Mas pensar em construir um navio-doca classe Makassar no Brasil muito me interessa kkk

Luiz Floriano Alves
Visitante

Esse barco cheio de canhõezinhos é bem interessante. Como guarda costa ainda tem algum valor, se o maquinário suportar mais algumas milhares de horas de operação sem maiores manutenções.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

To só vendo gente que tem uma Marinha que navio não pode sair do Porto pq afunda chamando um navio de sucata desdentada mas que vai vir navegando do outro lado do planeta!

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Opa! Sorte para os hermanos! Se o estado geral for razoável e tiver condições de navegar bem pelos próximos 10-15 anos, fazendo a manutenção regular, está muito bom! Se pensar em utilizar do modo como está, só com canhões já será um acréscimo, agora se conseguir integrar algum sistema de mísseis Exocet block 2, mais lançadores de torpedo (retirados de algum navio já desativado ou em vias de desativar) e quem sabe com um super-esforço trazer e volta o lançador de mísseis Mistral*, ai ficava show de bola. *Já que tem chances dessa doação ser o início de uma negociata… Read more »

Veiga 104
Visitante
Veiga 104

Boa noite a todos. Desculpem sair do tema dessa matéria específica. Fiquei muito interessado no equipamento que Israel trouxe para ajudar nas buscas das vítimas de Brumadinho. Mesmo sem emitir calor ( vítima já em óbito ). O aparelho consegue localizar ? Alguém pode falar mais detalhes sobre esse equipamento ? Obrigado, abraço

Leo Rezende
Visitante
Leo Rezende

Sonares e localizadores de emissão de sinais de celular .

Navegante
Visitante
Navegante

Também tem o radar de penetração de solo

Davi
Visitante
Davi

Os argentinos vão avaliar a classe Zumwalt para aquisição. Assim como a Enterprise para a força aérea e vão desenvolver uma versão local do Abrams. SQN

Mauro
Visitante
Mauro

Pessoal, a classe Makassar é um navio civil adaptado para uso militar, não foi projetado como navio militar e não segue as normas de segurança de emprego para uso militar. Não esqueçam da fragata da Holanda, fabricada na Espanha e que de um simples choque com um petroleiro se encheu de água a afundou. Os holandeses acusaram que o navio tinha falha de projeto e que os compartimentos estanques não funcionaram. Isso num navio de projeto militar. Imagina um projeto civil. Essa classe Makassar é furada. O jornal Ambito é só lorota, não tem credibilidade alguma e inventam de tudo.… Read more »

sėrgio noronha
Visitante
sėrgio noronha

Mauro a fragata que afundou era da marinha norueguesa é não holandesa, a indústria naval holandesa é uma das melhores do mundo.

Nico 88
Visitante

Triste ver a Argentina em tal situação. Já foi um grande país no qual o Brasil temia/respeitava. Parece contraditório, mas não é bom para o próprio Brasil uma Argentina tão mal armada como atualmente. Lamentável!

Tiger 777
Visitante
Tiger 777

Na verdade, a fraqueza da Argentina, é um risco pro cone Sul ( Chile, Uruguai, Brasil). Caso, um país domine seu território, nos colocará em grande perigo ( ex: China)

Frederico
Visitante

Não enxergo dessa forma. Se o Brasil crescer, como acredito que crescerá nos próximos anos (em uma taxa de pelo menos 3% nos próximos 10 anos); esses países deveriam abdicar de forças armadas no sentido stricto sensu.
O Brasil seria responsável pela defesa de todo o sub-continente, deixando os militares desses países mais focados em patrulhamento da costa (combate ao narcotráfico), ações contra cartéis, tráfico de armas; liberando o orçamento diminuto para as funções citadas.
Para que a Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Equador… com forças armadas, totalmente desnecessário.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Se conseguíssemos um barco destes, se obteria artilharia para dotar uma meia duzia de barcos patrulha. Isso partindo do pressuposto de que venham artilhados.

nonato
Visitante
nonato

Apesar de ser mais um interesse econômico (venda do FA 50 e do makassar), vejo uma maior aproximação do Brasil com a Coreia do sul e com o Japão (além de Israel), como bastante vantajosa. E esses três são os melhores países, além dos EUA, para uma parceria mais próxima. Cada parceria precisa de um ganha ganha (se bem que em alguns casos alguns países não exigem muito, como foi o caso da venda dos navios ingleses e da prisão de Cesari batisti que aumentou muito a boa vontade da Itália em relação ao Brasil). No caso do Japão e… Read more »

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

2300 Ton é corveta, no máximo anabolizada.

Eae MB ?

Coloca o SM 39 e outros brinquedos, pronto.

Matheus
Visitante
Matheus

Bem isso é bom para eles recuperarem as capacidades e terem algum meio.
Para nós acredito que não é impossível até 2030 nos encomendamos um segundo lote de corvetas Tamandaré e mais dois submarino scorpene Br , além de umas três FREEMs de prateleira isso já vai “salvar” literalmente nossa MB de desaparecer.O resto a gente vai como pode com compras de oportunidades e com o q temos atualmente.
Espero q os argentinos também se recuperem nem q seja ao mínimo.Ja q as madrinhas da AL sofrem com esses problemas TB.

EB75
Visitante
EB75

Convenhamos amigo Frederico, você viajou na maionese hein ? Você como cidadão brasileiro, pagador de impostos aceitaria mais esse custo absurdo nas nossas costas de bancarmos a segurança militar do cone sul inteiro ? Sem falar na questão de soberania dos países envolvidos que será que eles topariam isso ? Tudo bem aqui é pra se discutir mesmo, mas nessa você VIAJOOOUUUU

Frederico
Visitante

Sem dúvida alguma, seria maravilhoso para o país!! EB75, você tem que enxergar mais além, vou lhe explicar com calma. Existe uma frase dita no mercado financeiro que diz “não existe almoço grátis”, então, se o Brasil assumisse tal oportunidade, e por óbvio tivesse condições para tal, a indústria brasileira, dos mais diversos ramos garantiria um mercado cativo. No Brasil temos mais de 200 milhões de habitantes, na América do Sul toda algo em torno de 420 milhões de habitantes, você tem noção de um mercado deste tamanho?! Ter a vantagem de comercio com 420 milhões de pessoas é algo… Read more »

Marcelo R
Visitante
Marcelo R

Talvez interesse ao Uruguai, que tem um grupo de navios, como já dizia o nosso “mestre” Boechat “que apenas boiam”. Trocar aqueles cinco navios por um que ainda navega, pelo preço que querem … será melhor..

Eduardo
Visitante
Eduardo

Esse navio vem de graça!

Hélio
Visitante
Hélio

Olha aí o medo da influência chinesa na América do Sul.
Por isso se deve ter inteligência e pragmatismo nas relações internacionais, coisas como essas são chances de outro para a região, com o Brasil incluso. Quem se alinha não é uma preocupação, quem não é uma preocupação não tem oportunidades, porque as oportunidades servem de moeda de troca e somente isso, ninguém vai sair por aí oferecendo Deus e o mundo se não for para prospecção.

_RR_
Visitante
_RR_

Francamente…

O que os argentinos precisam, isso sim, é de NPaOc decentes para substituir a classe ‘Drummond’… E isso não é coisa substancialmente cara.

No futuro, havendo recursos, poderiam muito bem constituir uma classe única de NPaOc que substituísse também a classe ‘Espora’, legando a capacidade de combate apenas a um tipo, que viesse a substituir a ‘Almirante Brown’.

A ‘Intrépida’, o ‘King’ e a ‘Indómita’ poderiam ser substituídos por uma classe única de NPa de 500 ton full, ao passo que os demais patrulheiros menores o seriam por um tipo de 50 toneladas ou menor.

Luiz Floriano Alves
Visitante

A Marinha Argentina é composta por oficiais altamente qualificados. Eles possuem conhecimento para determinar suas melhores opções. Seguramente não irão se atirar em qualquer lata velha. Essas fragatas de bolso já foram oferecidas ao Brasil. Viriam em doação se comprássemos fragatas novas dos estaleiros Coreanos. Não prosperou, o material usado, não foi considerado bom o bastante para ser incorporado aos nossos meios. Acho que recortando a popa e fazendo pista de helicópteros, até pode ser.

Bardini
Visitante
Bardini

A Argentina adquiriu 4 OPVs Classe L’Adroit… O que está pronto na França ao que parece, vai ser repassado para a ARA ainda esse ano. Os outro 3 ainda vão ser construídos na França. . 4 Navios Patrulha inseridos em um pacote de 319 milhões de Euros… É disso que eu estou falando para a MB. É a forma mais racional de fazer número para a Esquadra, nesse momento de desespero. Seria barato, rápido e os navios durariam no mínimo 3 décadas na ativa. . A ARA em termos de Escolta, aparenta estar superficialmente em uma situação melhor do que… Read more »

Rogério
Visitante
Rogério

Um continente com tantas demandas parecidas, Brasil, Argentina e Chile, mas com mentalidades tão estranha para não se dizer coisa pior. Marinhas capengas e defasadas, sei que para iniciar um projeto para suprir as lacunas abertas se leva tempo, por isso as compras de oportunidades(e doações) , mas a Coréia esta olhando ao longe. O que falta para grandes e concretas parcerias na América do Sul. A Colômbia vem caminhando com bons projetos.

Delfim
Visitante
Delfim

De fragata a OPV, que queda… e esse Makassar parece uma barca ferryboat.

Pedro Tavares Nicodemos Filho
Visitante
Pedro Tavares Nicodemos Filho

Desarmada como está essa fragata idosa dos anos 80 deve ser uma dor de cabeça. E digo mais: reaparelhar-lhe deve sair CARO! Talvez seja melhor mesmo partir para uma fragata nova. Será que não consideram a COTECMAR da COLÔMBIA? Eles já fizeram embarcações até para o Brasil. Tem também a possibilidade de se fazer no Brasil essa classe de navios, talvez na mesma linha que o Brasil vai adquirir, reduzindo o custo para ambos com uma produção maior. Poderíamos até lhes vender o recém testado MANSUP, o nosso míssil anti-navio disparado de navio militar.

Joaso Carlos
Visitante
Joaso Carlos

Pronto, ERA BOATO, tal como eu já tinha avisado quando esta noticia foi publicada… o jornal “ambito” da Argentina foi o primeiro a criar esta noticia, e digo criar, porque foi isso mesmo, uma noticia criada para confundir unicamente. Além do mais, essa noticia indicava uma fragata de numero FF-953, justamente uma fragata que foi afundada creio em 2015… sim, afundada num exercício naval.
Se alguém quer ver a “noticia” no original, por favor, fique à vontade… show de fantasias:
https://www.ambito.com/corea-del-sur-donara-una-fragata-la-armada-sera-patrullaje-n5012865

Otto Lima
Visitante

Nada mau para um país cujas Forças Armadas sofrem com um processo criminoso de desmantelamento desde a derrota na Guerra das Falklands (ou Malvinas, como queiram). Aliás, o armamento de tubo das corvetas Classe Ulsan da RoKN é exatamente o mesmo das corvetas Classe Espora (Meko 140 A16) da ARA, o que é positivo para a questão da logística. Os canhões Breda-Bofors de 40 mm também são os mesmos das corvetas Classe Drummond (Aviso A69) e dos CTs Classe Almirante Brown (Meko 360 H2).