Home Marinhas de Guerra USS Santa Fe treina com quatro submarinos australianos no Oceano Índico

USS Santa Fe treina com quatro submarinos australianos no Oceano Índico

5679
14
O USS Santa Fe e quatro submarinos australianos da classe Collins

O submarino nuclear de ataque (SSN) USS Santa Fe da Marinha dos EUA navegou em formação com quatro submarinos da Marinha Real Australiana durante o exercício Ocean Explorer, na costa oeste da Austrália, informou o comandante da frota australiana em um tweet na terça-feira.

O contra-almirante Jonathan Mead escreveu que foi “ótimo ter nosso parceiro e amigo americano” durante o exercício.

O Santa Fe, que fica baseado na Joint Base Pearl Harbour-Hickam, no Havaí, é um submarino de ataque rápido, movido a energia nuclear, com 12 tubos de lançamento verticais para mísseis de cruzeiro Tomahawk, segundo a US Navy.

Este é o terceiro ano do exercício Ocean Explorer, do qual também participam as marinhas britânica e neozelandesa. O exercício de três semanas começou no domingo, segundo a Marinha Real Australiana.

Os participantes estão praticando a segurança marítima, ajuda humanitária e de desastre e combate naval.

Submarinos australianos da classe Collins

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sincero
Sincero
1 ano atrás

Poxa, sacanagem. Hehehe
Primeiro vocês mostram o Charles de Gaulle com “duzentos” navios escolta, aviões e agora um subnuc americano com “cem” submarinos junto, não provoque a nossa inveja. 😅😅
Parabéns mais uma vez.

FERNANDO MARTINS
FERNANDO MARTINS
1 ano atrás

Ótimas fotos. Vocês do Blog recomendam algum site gringo onde eu possa ver notícias sobre a construção de navios de guerra e submarinos que estejam acontecendo ao redor do mundo? Obrigado.

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  FERNANDO MARTINS
1 ano atrás

Fernando, os principais sites que acompanham projetos, lançamentos e atualizações de navios militares são o Navy Recognition e o Naval Today.

FERNANDO MARTINS
FERNANDO MARTINS
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Muito obrigado, Rafael.

JACUBÃO
JACUBÃO
1 ano atrás

Morram de inveja.
Kkkkkkkkkk
Enquanto isso na Marinha do Brasil vamos matando cachorro a grito!

Tobyaps
Tobyaps
Reply to  JACUBÃO
1 ano atrás

Matando cachorro a grito, discordo e acho exagero essa piada. A Marinha brasileira está construindo 3 submarinos e 1 já está em testes, tudo isso sendo feito aqui. E temos subs em operação, qual problema? 💩

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Tobyaps
1 ano atrás

Sem falar que os nossos submarinos atuais estão em boa forma e bem armados, mas é claro que os próximos por serem mais modernos serão superiores!

Pedro Bó
Pedro Bó
Reply to  JACUBÃO
1 ano atrás

Em nível de Hemisfério Sul, acho que estamos no mesmo patamar que os australianos na arma submarina, pelo menos por enquanto.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  JACUBÃO
1 ano atrás

O que tem a ver o ……com as calças?

Leonardo
Leonardo
1 ano atrás

Incrível submarino nuclear brasileiro só 2021

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Leonardo
1 ano atrás

A construção de submarinos nucleares é mais complexa que os convencionais e a grana curta só complica mais. Mas mesmo com todo o atraso estamos bem na foto desenvolvendo uma tecnologia que não é repassada, a nuclear.

Kemen
Kemen
1 ano atrás

Colocar os Collins em dia foi uma luta para a marinha australiana, apresentaram muitos problemas técnicos depois da entrega que foram corrigidos no seu devido tempo mas até 2012 somente 2 estavam operacionais, como pode se ver, atualmente todos estão disponiveis para a defesa da Australia, a sua grande vantagem é o seu alcance e o tempo de permanencia no mar, em termos de submersão chegam a 200 metros.

Heli
Heli
1 ano atrás

Impressionante a diferença de tamanho de um SSN Los Angelis e um submarino convencional.

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Heli
1 ano atrás

E veja como é surpreendente as dimensões internas de um SN balístico:

Todas as acomodações são espaçosas, seu interior é extremamente bem iluminado, e isso que foi mostrado apenas uma pequena parte do que possui. Mas suficiente para se perceber como foi grande a evolução dos apertados submarinos diesel para os gigantes nucleares (principalmente a classe dos maiores, os poderosos balísticos intercontinentais).
Incrível!

Quanto a Marinha Argentina, tentando se virar nos trinta.
Pelo menos com o que tem em mãos.