Home Marinhas de Guerra USS Santa Fe treina com quatro submarinos australianos no Oceano Índico

USS Santa Fe treina com quatro submarinos australianos no Oceano Índico

5442
14
O USS Santa Fe e quatro submarinos australianos da classe Collins

O submarino nuclear de ataque (SSN) USS Santa Fe da Marinha dos EUA navegou em formação com quatro submarinos da Marinha Real Australiana durante o exercício Ocean Explorer, na costa oeste da Austrália, informou o comandante da frota australiana em um tweet na terça-feira.

O contra-almirante Jonathan Mead escreveu que foi “ótimo ter nosso parceiro e amigo americano” durante o exercício.

O Santa Fe, que fica baseado na Joint Base Pearl Harbour-Hickam, no Havaí, é um submarino de ataque rápido, movido a energia nuclear, com 12 tubos de lançamento verticais para mísseis de cruzeiro Tomahawk, segundo a US Navy.

Este é o terceiro ano do exercício Ocean Explorer, do qual também participam as marinhas britânica e neozelandesa. O exercício de três semanas começou no domingo, segundo a Marinha Real Australiana.

Os participantes estão praticando a segurança marítima, ajuda humanitária e de desastre e combate naval.

Submarinos australianos da classe Collins

14
Deixe um comentário

avatar
6 Comment threads
8 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
12 Comment authors
FarroupilhaHeliKemenMarcelo AndradeFabio Araujo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Sincero
Visitante
Sincero

Poxa, sacanagem. Hehehe
Primeiro vocês mostram o Charles de Gaulle com “duzentos” navios escolta, aviões e agora um subnuc americano com “cem” submarinos junto, não provoque a nossa inveja. 😅😅
Parabéns mais uma vez.

FERNANDO MARTINS
Visitante
FERNANDO MARTINS

Ótimas fotos. Vocês do Blog recomendam algum site gringo onde eu possa ver notícias sobre a construção de navios de guerra e submarinos que estejam acontecendo ao redor do mundo? Obrigado.

Rafael_PP
Visitante
Rafael_PP

Fernando, os principais sites que acompanham projetos, lançamentos e atualizações de navios militares são o Navy Recognition e o Naval Today.

FERNANDO MARTINS
Visitante
FERNANDO MARTINS

Muito obrigado, Rafael.

JACUBÃO
Visitante
JACUBÃO

Morram de inveja.
Kkkkkkkkkk
Enquanto isso na Marinha do Brasil vamos matando cachorro a grito!

Tobyaps
Visitante
Tobyaps

Matando cachorro a grito, discordo e acho exagero essa piada. A Marinha brasileira está construindo 3 submarinos e 1 já está em testes, tudo isso sendo feito aqui. E temos subs em operação, qual problema? 💩

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Sem falar que os nossos submarinos atuais estão em boa forma e bem armados, mas é claro que os próximos por serem mais modernos serão superiores!

Pedro Bó
Visitante
Pedro Bó

Em nível de Hemisfério Sul, acho que estamos no mesmo patamar que os australianos na arma submarina, pelo menos por enquanto.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

O que tem a ver o ……com as calças?

Leonardo
Visitante
Leonardo

Incrível submarino nuclear brasileiro só 2021

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

A construção de submarinos nucleares é mais complexa que os convencionais e a grana curta só complica mais. Mas mesmo com todo o atraso estamos bem na foto desenvolvendo uma tecnologia que não é repassada, a nuclear.

Kemen
Visitante
Kemen

Colocar os Collins em dia foi uma luta para a marinha australiana, apresentaram muitos problemas técnicos depois da entrega que foram corrigidos no seu devido tempo mas até 2012 somente 2 estavam operacionais, como pode se ver, atualmente todos estão disponiveis para a defesa da Australia, a sua grande vantagem é o seu alcance e o tempo de permanencia no mar, em termos de submersão chegam a 200 metros.

Heli
Visitante
Heli

Impressionante a diferença de tamanho de um SSN Los Angelis e um submarino convencional.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

E veja como é surpreendente as dimensões internas de um SN balístico:

Todas as acomodações são espaçosas, seu interior é extremamente bem iluminado, e isso que foi mostrado apenas uma pequena parte do que possui. Mas suficiente para se perceber como foi grande a evolução dos apertados submarinos diesel para os gigantes nucleares (principalmente a classe dos maiores, os poderosos balísticos intercontinentais).
Incrível!

Quanto a Marinha Argentina, tentando se virar nos trinta.
Pelo menos com o que tem em mãos.