quinta-feira, janeiro 27, 2022

Saab Naval

FOTO: Fragata ‘Independência’ e Porta-Helicópteros ‘Atlântico’

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Na foto, a fragata Independência – F44 e o Porta-Helicópteros Multipropósito Atlântico – A140, durante a Operação Aspirantex 2019.

O PHM Atlântico (ex-HMS Ocean), incorporado à Marinha do Brasil em 29 de junho de 2018, no Reino Unido, foi transferido para o setor operativo em 5 de setembro.

Inserido no Programa Estratégico de “Construção do Núcleo do Poder Naval”, que prevê a substituição gradual dos meios navais e aeronavais com o objetivo de ampliar a capacidade operacional da Força Naval, a aquisição do PHM Atlântico representou mais uma iniciativa bem-sucedida da Marinha do Brasil em proveito de seu reaparelhamento.

Devido à sua versatilidade, o “Atlântico” poderá ser empregado em diferentes missões, realizando Operações de Controle de Área Marítima, Anfíbias, de Paz, de Caráter Humanitário e Logísticas. Essas possibilidades reforçam, significativamente, o preparo da Marinha do Brasil para executar as Tarefas Básicas do Poder Naval e, consequentemente, para cumprir sua missão constitucional.

- Advertisement -

87 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
87 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claudio Moreno

Boa noite Senhores,

Pois é PA…mas quê helicóptero? A compra do Atlântico foi um golpe de mestre. Mas precisamos de dar-lhe dentes. Esquilo como helicóptero armado para apoio ao CFN é piada de mal gosto. Idem para os Cougar.

Dodo

A função do h225m é de ataque naval, antisubmarino e transporte, não de ataque. Dito isso, sim precisamos de um helicóptero próprio de ataque, entrentando, isso nao significa dizer que o navio é “desdentado”

Samuca cobre

Super lynx e sh- 16 seahawk com frequência vão aparecer no A 140 eu acho que está bom…é o que tem para o momento!!!

Enes

Claudio Moreno e Samuca Cobre, existe a possibilidade do PHM operar com Helicópteros do EB e FAB, alem dos da MB.

Camargoer

Olá Enes. O A140 não terá um conjunto de helicópteros permanente. Lembro de um comentário ou post, creio que do Alm. Monteiro, falando que os helicópteros serão escolhidos para operar no A140 em função da missão, inclusive podendo operar em conjunto com aparelhos do EB ou FAB. O

Dodo

Isso mesmo carmagoer. É o conceito de “bolsa de golfe”

Paulo Costa

Mas na verdade é o conceito do cobertor curto isso sim, porque se tivéssemos helicópteros em quantidade na MB teríamos condições de Manter esquadrões de helicópteros sempre.

Dodo

Paulo, as principais marinhas do mundo hj operam com esse conceito, mantendo seus vetores aéreos independentes dos navios, so alocanod estes qnd for necessário cumprir uma missão específica

Enes

Exatamente.

Marcelo Andrade

Esqueceu dos UH-15A com misseís Exocet e, futuramente, mansup.

Claudio Moreno

O amigo, não esqueci não! Mas o amigo está equivocado quanto a função do A140. Esta embarcação é de apoio. Apoio. Apoio. Sendo assim quem ele apoia? Respondo: O CFN.
Para a atividade a fim que você mencionou, anti-superfície a MB não vai empregar em primeiro plano um navio de valor estratégico tão alto, empregará as fragatas e corretas, que se classificam como navios escolta e não de apoio como o A140. Para mais detalhes leia meu comentário, posterior a este.

Diego

Não verdade ele amplia a capacidade ASuW em função do emprego das aeronaves armadas com exocet, penguim e sea skua além de poder realizar desembarquei de pessoal ou material gelo-transportado e, por fim amplia a capacidade ASW em função da presença do SH-16 e dos super lynx.

Highlander

Prezado colega, a função prioritária do PHM Atlântico não é de apoio. Mas sim de contribuir para o controle de área marítima e projeção de poder sobre terra. Para a missão de controle de área maítima, as aeronaves Seahawk, Super Cougar e Wild Lynx são vetores extremamente capazes e eficazes. Já para a projeção de poder sobre terra, o destacamento aéreo embarcado proverá prioritariamente a movimentação de tropas de fuzileiros helitransportadas. Contudo, para o apoio aéreo aproximado na cabeça de praia, poderão ser utilizados em um futuro muito próximo vetores de asas rotativas da aviação do EB e da FAB,… Read more »

Camargoer

Caro Claudio. Creio que a ideia para o A140 é embarcar os helicópteros dos diferentes esquadrões em função da missão. Portanto, não espere a aquisição de mais helicópteros exclusivamente para o A140.

Pablo

Os helicópteros são empregados dependendo do tipo de missão e não em permanente no PHM. O mesmo se justifica na aquisição.

Claudio Moreno

Sim sei disto. Mas esse modelo de equipagem é um remendo, um tapa-buraco. Pois se o A140 for apoiar o CFN, ô fará com SL, SH, Cougar ou Esquilo? Daí que voltarmos ao meu comentário introdutório. Para mais esclarecimentos, leia meu último comentário feito a 20 horas atrás.

Enes

Inclusive, a MB, não compra aeronaves para esse ou aquele navio, as aeronaves pertencem a seus esquadrões e embarcam em determinados navios para cumprimento de missões, o tipo de aeronave vai variar de acordo com o tipo de missão.

Claudio Moreno

Enes,

Para não ser repetitivo, leia os meus comentários após este comentário introdutório.

Carlos Alberto Soares

Qual é o TO e o(s) oponente(s) ?

Zorann

Pensei a mesma coisa. E uma operação de treinamento, oportunidade perfeita para treinar as tripulações das diversas aeronaves e esquadrões que devem operar no Atlântico. Mas não fazem isto. Usam um navio deste tamanho, que tem um custo de navegação maior para operações aéreas com um Esquilo.. se for só para treinar com o Esquilo, nem precisava do Atlântico, já que a fragata é capaz de opera-lo sozinho. Isto é um desperdício de oportunidades. Quando o Atlântico estiver em um PMG, e ficar ausente por anos vão dizer que as tripulações aéreas não treinam porque não tem navio. Mas quando… Read more »

Dalton

Da forma como vejo, trata-se de uma “ASPIRANTEX” conforme o título da matéria e portanto há dezenas ou mesmo umas duas centenas de aspirantes a bordo e o exercício tem como função principal familiariza-los com a vida no mar e independente disso a tripulação dos navios está sendo adestrada também. . Mesmo a US Navy não consegue aproveitar para treinamento mais intenso, toda a vez que seus NAes e Navios de Assalto Anfíbio saem para o mar, muitas vezes com apenas uma parte de suas aeronaves que são apenas embarcadas na sua totalidade quando aproxima-se a hora do último exercício… Read more »

João Souza

Nossos navios mais modernos e poderosos serão os Scorpene por um tempo. Não é o usual…mas um grupo de escolta composto por subs seriam viável será? Liberdade criativa mesmo.

Outra coisa…precisam treinar AWACS com a força aérea. Só o radar do Atlântico não é suficientemente embora seja bom.

João Souza

*suficiente

Fernando Turatti

Não, não existe criatividade a esse nível. Aliás, nossas escoltas atuais já estão obsoletas, nos falta um sistema antiaéreo de médio+ alcance. Sem isso, basicamente não temos escoltas.

Diego

Não é viável … submarinos convencionais não acompanham uma força naval

Roberto Bozzo

Quais seriam as Niterói propensas a modernização ??

Fernando Turatti

Nenhuma. A mais nova foi lançada há 39 anos. É aposentar e encomendar novas.

Dodo

As mais modernas ora

Enes

Acredito que Independência, União e Liberal devam ser as modernizadas.

Vovozao

24/04/19 – quarta-feira, bnoite, Roberto Bozzo, acho que uma modernização em alguma FCN, seria um jogar dinheiro fora, todas Niterói estão beirando 50 anos, corremos o risco de uma modernização e não ser possível aproveitar o investimento, devido a qualquer problema mecânico, entrada d’água, eu acho que poderíamos sim adquirir de oportunidades; inclusive sabemos que os franceses irão disponibilizar 2 lá Fayette’s, que estão com 18/20 anos, e, uma delas passará pelo Rio em maio/19, inclusive foi ”ventilado” que alguns almtes. iriam dar uma olhada, não sei se é verdade, porém, poderia ser uma boa aquisição.

Enes

Boa noite Vovozão, A Niterói é a mais antiga e tem 42 anos de incorporação, completou em novembro de 2018, as três que devem modernizar o sistema de combate e comando, não passam de 38 anos, a mais velha das três.

Vovozao

25/04/19 – quinta-feira, bdia, ENES, por informações aqui (site) divulgadas a MB, considera para compras de oportunidades navios com até 25 anos de serviços prestados, para compra tem que ter até 25; para modernizações pode ter + de 40; acho uma tremenda incoerência, vamos ficar como estão e utilizar o dinheiro que seria gasto em uma modernização para usarmos onde for mais necessário, mesmo que tenhamos boas intenções temos que considerar que são “”sucatonas”” vai que gastem dinheiro na modernização e depois ela apresente problemas e seja obrigado a descomissiona-la, não será um dinheiro jogado fora, já tivemos exemplo disso… Read more »

Enes

Na minha concepção, bom mesmo é encomendar pelo menos 12 escoltas novos.

Dalton

Vovô… . as duas “La Fayettes” que não serão modernizadas e que poderão ser disponibilizadas para venda, são as duas primeiras que foram comissionadas em 1996 e 1997, portanto elas já tem hoje mais de 22 anos e terão ainda mais quando finalmente forem retiradas de serviço por volta de 2023. . Mesmo que a marinha brasileira se interesse por elas com seus 25 anos ou mais, ainda assim será necessário manter algumas “Niteróis” ativas e para tanto será necessário modernizar mesmo que parcialmente algumas delas para que se consiga tirar alguns poucos anos a mais de vida…não vejo outra… Read more »

Enes

E essas Lafayétes não tem reparos de torpedo, não sei se seriam tão bons escoltas já que dependem de helicópteros para guerra AS, acho que o PHM se defenderia melhor sem elas.

Dalton

O “torpedo” embarcado em navios é uma arma de último recurso e de pouco alcance…se um navio tiver que usa-los é porque a situação está bem ruim para ele, mas, independente disso, um combatente de superfície tem velocidade e agilidade necessárias para lidar com um submarino, pode estender o alcance do helicóptero orgânico, abordar navios suspeitos, afastar eventuais navios que estejam próximos
do colocando em risco operações aéreas, ajudar no combate a um eventual incêndio, reboque, enfim
tam um monte de coisas para escoltas fazerem.

Grozelha Vitaminada Milani

Vovozao … que beleza. Por esse raciocínio o senhor teria que ter tido baixa faz tempo … kkkkk. Ainda hoje, zapaendo de pijamas, pantufas e gorro, podemos considerar uma modernização de pós-meia vida? Para com essa viajada de querem empurrar La Fayettes e Fremm … cai na real que o bolso tá vazio e esses xodós seus não saem baratos, nem novo e nem usadas. Cai na real. Vamos de coisas que podemos comprar e manter. Vai lá na Disney e conversa com George Lucas e aproveita que a série Star Wars acaba esse ano e vê se não tem… Read more »

O Âncora

Só um tubo de exocet a estibordo…

Dodo

Qual a razão de navegar armada com 4 tubos armados de exocet, em águas territoriais e em missão de treinamento ?

Enes

Em dotação de guerra teriam quatro exocets, em dotação de paz deveriam ser dois, porem na foto realmente só vejo um.

JACUBÃO

Tá vendo muito filme americano Jovem
A bordo temos BOMBORDO OU BORESTE!
Aprendeu?

João Adaime

Prezado Jacubão
Quais mais países, além do Brasil, usam boreste ao invés de estibordo?
Abraço

O Âncora

Prezado Jacubão,
Na verdade o uso do estibordo veio de leitura de edição portuguesa. Obrigado pela lição. E pelo ‘jovem’ 🙂

Cristiano de Aquino Campos

Que eu saiba as niteroi podem levr ate 8 tubos de misseis e as corvetas 4. E esse tudo me parece grande demais para ser um exocete.

Renan Braga

Se fala muito marinha do Brasil
Mas na verdade e marinha do Rio de janeiro
Só pesquisar e verá Fica tudo no rio
Nordeste e sul agora não tem nada se der sorte meia dúzia de navio patrulha !

Enes

Tudo oque no Rio de Janeiro? não temos nada em lugar nenhum, só carcaças atracadas.

Vovozao

25/04/19 – quinta-feira, bdia, ENES veja aí, até você concorda comigo, falar em modernizar fragatas “”Niterói”” é incoerência, só temos sucatas (pouquíssimas exceções), e, cada dia vemos nossos almtes sonhando, modernizações são feitas por marinhas que possuem equipamentos de 1a. linha, com todas as paradas feitas corretamente, mantendo os navios com alta tecnologia, não aqui, navios defasados, seria só gasto a toa. E depois rezar para eles na fazerem água.

Dell72

Um ataque estratégico na ponte Rio_Niteroi e ficaríamos sem marinha…confere?

ADRIANO LUCHIARI

Negativo!

Fabio Jeffer

Alguem já viu um submarino do Brasil em patrulha na costa do Ceará, Maranhão ou Pará
Não saem da Baía de Guanabara e do litoral do Rio

Marcos R.

Em tese eles não devem ser vistos mesmo!

Alex Stelio

Não, pois é justamente esse o propósito dos submarinos.

Dodo

Fábio, claramente vc não busca ler o suficiente, aqui mesmo no site tem matéria de missões de patrulha no Nordeste/norte. Só que essas missões tem alto teor de sigilo por razões óbvias( ex: uma das razões da dificuldade de achar o ara San juan na Argentina, é que o sub se encontrava em missão sigilosa de patrulha, se o acidente não houvesse ocorrido, provavelmente nunca saberíamos que tal missão tivesse ocorrido)

Parabellum

Sou de parecer também que Sul e NE deveriam ser dotados de pelo menos uma corveta permanentemente. O S nem NPOc possui.

Rocha

Qual previsao para instalacao do mistral?

Adriano Madureira

O PHM Atlântico acompanhado de umas quatro fragatas, mais uns dois submarinos e um classe wave sairia bem na foto…

Ricardo Cardoso

Isso tudo so pra ficar bem na foto?

Victor Filipe

Pra ter uma capacidade minima de ataque retaliação a qualquer força inimiga E sair bem na foto

Dodo

Força inimiga ? Em nossas águas territoriais ? Em missão de treinamento ? Estamos em guerra declarada caso eu não saiba ? Galera viaja….

Roberto Medeiros

Decididamente, o “PHM Atlântico” foi a melhor compra da marinha.

William Duarte

Linda Foto – O A140 é simpático é F-44 bonita. Voltando um pouco o A11 era top e ficava lindo o casal A11 e F-44. O A11 tinha linhas retas esguias tal qual a linha das Niterois. O A140 parece obeso (sem maldade). Mas bela foto. Este comentário é somente uma visão artística/comparativo sem conteúdo politico ou militar. Mas na década de 80 o Minas Gerias ao lado das Niterois dava um orgulho danado e acima de tudo era bonito o A-11 Porta Aviões Minas Gerias, tal qual e as terras que tem este estado.

William Duarte

Desculpem alguns erros de grafia, auto corretor sem óculos, com mais de 50 e usando tablet

GripenBR

Seria se Phalanx CIWS retiradas fossem substituídas por alguma defesa.

Enes

Esta previsto o mistral ainda no 1º semestre.

Kommander

Triste ver estas fotos e observar está belonave vazia, parecendo um navio fantamas sem os helicópteros, sendo que foi pra isso que ele foi criado, navegar com helicópteros embarcados. Tem uma força área que não tem aviões, uma marinha que não tem navios de guerra e um exército que só serve pra “GLO”. Sinceramente, tô muito triste e decepcionado com a atual condição das forças armadas brasileiras, e não adianta dizer que é culpa de político, porque todos tem uma parcela de culpa nesse cenário obsoleto que as FA se encontram.

jagderband#44

Dois alvos a navegar.

Alex Stelio

Amigo, qualquer navio é um alvo em potencial que navega. Não seria diferente com esses dois da foto.

Jagderband#44

Sim eu sei. E estes continuam a ser dois alvos.

Alex Stelio

Como já dito anteriormente: igual a qualquer outro navio.

Dodo

Pra quem? Pra poderosa armada venezuelana ? Piff….

Foxtrot

Acho que uma boa opção seria a aquisição das 16 células dos AH1 Super cobras para equipar o Atlãntico e Bahia. Desenvolvimento urgente e conjunto de um completo sistemas de armas ( Míssil Ar/Solo( Variante derivada do MSS 1.2 e semelhante aos Hellfire-MK1)-Ctex, Manpads- Ctex, Remax ou TORC-20/30 mm Versão aérea-Ares/Equitron, Foguetes guiados semelhante aos LCPK-Avibras( segundo seu ex diretor, tecnologia já dominada pela empresa), Fog-MPM-Avibras, para equipar Esquilos, HM-225, SH, Super Lynx, Panteras, BH,s etc.. Ai sim estaria de ótimo tamanho. Apos desenvolvido, fabricado e adquirido os sistemas de armas nacionais, partiriam para aquisição de plataformas mais modernas como… Read more »

Daniel

Cadê os helicops?

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro

Será impressão minha ou o Atlântico está com uma tonalidade de cor diferente da usada na fragata ? Acho muito bonita a tonalidade de azul do Atlântico.

Enes

O angulo das anteparas do atlântico refletem melhor a luz do sol, dando a impressão de ter a tonalidade diferente da fragata.

Jagderband#44

Por que ainda carrega os tubos do BOROC?

Dalton

Provavelmente porque não se ganharia nada retirando-o e ainda se teria que gastar com sua remoção.
.
No caso das fragatas “Oliver Perry” os lançadores MK 13 foram retirados já que o míssil SM-1 estava sendo retirado de serviço e no lugar instalou-se ao menos um útil canhão de 25 mm.

Jagderband#44

Não tinha pensado por este ponto de vista.
Interessante que estas fragatas na versão ASW eram muito bem armadas para o fim dos anos 70. Hoje em dia o Boroc, por exemplo, só ocupa espaço.

Cel. Heraclides

Desse jeito é um excelente cargueiro.

Claudio Moreno

Bom dia a todos os Senhores! Lamentavelmente não fui claro em expressar minha opinião e por isso peço desculpas a todos, então vamos a uma clareza de ideias melhor: – Sou contra o emprego de Esquilo a função de apoio ao CFN, pelo simples fato de que o aparelho não atende as necessidades do campo de batalha. – Sou favorável ao múltiplo emprego de forças combinadas no PA Atlântico, desde que tais forças (leia-se helicópteros) tenha real capacidade de emprego de apoio armado ao CFN. Não é o caso do SL, SH e muito menos dos Cougar (metralhadoras e Sbat70?… Read more »

Dalton

O “Esquilo” é um helicóptero de emprego geral…mesmo a bordo dos grandes navios de assalto anfíbio de convés corrido da US Navy, os “LHDs/LHAs”, sempre há um par de helicópteros utilitários UH-1 dos fuzileiros a bordo, então sempre há necessidade de aparelhos que não sejam combatentes, como helicópteros de emprego geral e de busca e salvamento.

Dalton

O “Esquilo” é um helicóptero de emprego geral…mesmo os grandes navios de assalto anfíbio de convés corrido
LHAs/LHDs empregam um par de helicópteros utilitários UH-1 dos fuzileiros, então, helicópteros não combatentes são necessários a bordo, seja de emprego geral e busca e salvamento.

Bryan

Que linda a imagem!

Souto.

Amigos alguma informaçao sobre a volta do ndcc Mattoso Maia??

RENAN

Gostaria muito que uma vez por ano o Brasil fizesse uma operação de desembarque anfíbio em uma ilha do território nacional. Utilizando toda a capacidade de cada navio com suas tripulação máxima. Com o Gastão Mota dando apoio logístico. Envolvendo o bombardeio da costa com 5 unidade dos A4. ( Com reabastecimento aéreo) Saturação com canhões das 04 fragatas e 02 corvetas visto que não temos mísseis navais para atacar a costa. Com o A140 Atlântico realizando a tomada da praia apoiado por 8unidades Ah2 sabre varrendo as trincheiras inimigas e destruindo tanques no local. Desembarcando os 64 combatentes em… Read more »

RENAN

Alguém sabe se existe um exercício deste anual para a marinha?

Enes

Mais ou menos próximo, acontece no fim do ano, Operação Dragão.

RENAN

Obrigado pela resposta
Vou procurar no YouTube

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

Construção da primeira fragata classe ‘Tamandaré’ deve começar em setembro

Em 20 de janeiro, na parte da manhã, como parte da Operação “ASPIRANTEX/2022”, o Comandante de Operações Navais, Almirante...
- Advertisement -