Home Aviação Naval Imagens de satélite mostram a China construindo terceiro porta-aviões

Imagens de satélite mostram a China construindo terceiro porta-aviões

20758
51

7 de maio (UPI) – A construção está em andamento no terceiro porta-aviões da China, e acredita-se que o novo navio seja maior e mais poderoso do que os dois primeiros do país.

Imagens de satélite comercial obtidas pela ChinaPower, um projeto do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, mostra a construção em andamento no estaleiro Jiangnan, da China, do terceiro porta-aviões.

O primeiro navio construído na China, que está passando por testes no mar, “provavelmente se juntará à frota até o final de 2019”, segundo relatório do Departamento de Defesa de 136 páginas ao Congresso sobre “Desenvolvimentos militares e de segurança envolvendo a República Popular da China, 2019”, lançado na semana passada.

O novo navio é uma versão modificada de seu navio original, o Liaoning, que foi comprado da Ucrânia, mas “é similarmente limitado em suas capacidades devido à falta de um sistema de lançamento de catapultas e um convés menor do que o convés de porta-aviões dos EUA”. “de acordo com o Pentágono.

A China iniciou a construção de seu segundo porta-aviões de fabricação nacional em 2018, que provavelmente será maior e equipado com um sistema de lançamento de catapultas, disse o Pentágono. “Esse projeto permitirá que ele suporte aeronaves de combate adicionais, aeronaves de alerta antecipado de asa fixa e operações de voo mais rápidas”, de acordo com o relatório.

O navio é projetado pelo Pentágono para estar operacional em 2022.

O porta-aviões Liaoning
O porta-aviões Liaoning (CV16)
Type 001A, futuro CV17, o primeiro porta-aviões totalmente construído na China

A China planeja ter quatro grupos de batalha de porta-aviões em operação até 2030, disseram especialistas da Marinha ao South China Morning Post.

“Se o terceiro porta-aviões tiver algum sistema de lançamento assistido por catapultas, isso será um enorme passo à frente para a China”, disse Matthew Funaiole, membro do Projeto ChinaPower no Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, ao Business Insider. “Eles rapidamente se aproximaram do que é a tecnologia atual. Isso é algo que pouquíssimos países podem fazer. Isso colocaria a China em um status de elite”.

O sistema de energia do sistema de lançamento da catapulta não é claro. Os porta-aviões da classe “Nimitz” dos EUA são movidas a vapor, enquanto as da classe “Ford” são eletromagnéticas. Os novos navios chineses também são provavelmente movidos convencionalmente, em comparação com os navios norte-americanos que são movidos a energia nuclear.

As imagens obtidas em 17 de abril mostram uma nova atividade significativa desde que o ChinaPower analisou o estaleiro pela primeira vez no final de 2018.

Uma grande embarcação está sendo montada e uma doca alagável está sendo construída em uma nova instalação de montagem a sudeste do estaleiro existente. Um arco e seção do casco principal da embarcação estão tomando forma, embora não haja acesso ao rio para o lançamento de embarcações.

Estima-se que o navio seja de 80.000 a 85.000 toneladas, comparado com o primeiro porta-aviões doméstico de 66.000 a 70.000 toneladas.

O primeiro porta-aviões da China, Liaoning, desloca de 60.000 a 66.000 toneladas e é o navio-capitânia da Marinha Chinesa.

A Marinha Soviética lançou o cruzador de aeronaves classe “Kuznetsov” em 1988 como Riga e renomeou-o Varyag em 1990. Quando a União Soviética foi dissolvida em 1991, a construção foi interrompida e o navio foi colocado à venda pela Ucrânia. O navio foi reconstruído e comissionado na Marinha do Exército de Libertação Popular (PLA Navy) em 2012.

A China vem modernizando suas forças armadas com uma força de “classe mundial” projetada em 2049, segundo o relatório do Pentágono. Além dos porta-aviões, a China está desenvolvendo um veículo de voo hipersônico.

No Ártico, a China lançou navios quebra-gelo e estações de pesquisa civis na Islândia e na Noruega, além de uma frota de submarinos nucleares armados com previsão para operar na região do Ártico, informou o Pentágono.

E a China tem mantido sua presença militar no disputado Mar do Sul da China.

Na segunda-feira, a reivindicação de Pequim aos recifes de Gaven e Johnson foi contestada por dois destróieres de mísseis guiados dos EUA, o USS Preble e o USS Chung-Hoon. Eles afirmaram os direitos internacionais de “passagem inocente” e “desafiaram reivindicações marítimas excessivas” para essas áreas por Filipinas, Taiwan e Vietnã.

O Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, disse que a marinha do país “identificou e alertou” os navios de guerra dos EUA. Um tribunal internacional em 2016 desacreditou as reivindicações da China para a área.

Maquete do segundo porta-aviões da PLA Navy e o primeiro construído na China (clique nas imagens para ampliar)
Maquete do terceiro porta-aviões da PLA Navy e segundo construído na China

FONTE: UPI

51
Deixe um comentário

avatar
24 Comment threads
27 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
36 Comment authors
Renan Lima RodriguesLuis Fernando CurvoRenato CunhaAntoniokingsfewoz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcelo Bardo
Visitante
Marcelo Bardo

O dragão está afiando as garras… As coisas poderão ficar tensas daqui uns tempos.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Bola já cantada há muito tempo

Aldo Ghisolfi
Visitante

Imaginem só o que está sendo construído debaixo dos panos…
Vai ser quase impossível segurar o dragão qdo ele sentir fome…

ODST
Visitante
ODST

É um dragão que poderia ser capado, pois se entrar em guerra com o EUA ou algum aliado, a economia chinesa não seria poupada, já que é muito dependente do ocidente.

André Macedo
Visitante
André Macedo

ODST, da mesma forma que o ocidente também é dependente da China, que lógica deturpada é essa? Numa relação bilateral só um lado sairia perdendo?

ODST
Visitante
ODST

Quem depende mais? O ocidente da China ou a China do ocidente? É claro que o mundo todo sentiria, mas o grande perdedor seria a China, com certeza.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Em números, a mais poderosa concentração econômica é a União Europeia, depois a Iniciativa B & R e por último o NAFTA (caiu para terceiro ano passado).
Os EUA caíram para terceiro lugar no fluxo de comércio com a China.
A estratégia da China é essa. Cozinhar o galo e diminuir a importância dos EUA em sua economia. Genial.

João Souza
Visitante
João Souza

Tem que ficar de olho no custo. Se for movido convencionalmente pode ser então um produto de exportação no futuro. Até 2 bi de dólares quem sabe.

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Pela maquete mostrada não será de propulsão convencional mas nuclear… repara que a na maquete não tem as chaminés….

João Souza
Visitante
João Souza

Se for nuclear vai projetar a China militarmente para o mundo. Eles tem base no chifre da África, poderão se projetar melhor lá. Ou ainda no Golfo Persico e claro no Pacífico.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

A ideia principal da china hoje e limita-se ao Pacifico, mais precisamente ao mar do sul da china, isso sim eles querem dominar e pra isso essa frota toda num mesmo lugar

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

João Souza. ninguém “exporta” porta aviões

Das duas uma, ou se vende velho e quase sem utilidade ou a força que emprega a belonave é forçada a vender os mesmos porque não tem recursos para fabricar.

mas exportar um navio dessas proporções com essas capacidades não acontece principalmente porque é caro e não tem um mercado pra isso (quem quer e pode operar porta aviões geralmente fabrica para si mesmo)

João Souza
Visitante
João Souza

Pode ser um mercado muito difícil. Mas não é impossível. A Inglaterra ofereceu a classe Queen Elizabeth pros indianos por exemplo.

Dalton
Visitante
Dalton

Há muita especulação de como será esse NAe…nem a maquete que mostra um NAe de propulsão nuclear – sem chaminé – coincide com o desenho que mostra um NAe de propulsão não nuclear.
.

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Vai ser de pilhas AAA…

Marcelo R
Visitante
Marcelo R

O Planeta China avança sobre o nosso mundo!!!!.Pode acreditar, a China deverá ter 10 porta aviões em 10 ou 12 anos…. A US NAVY não consegue mais correr atras do prejuízo de ser apenas a segunda maior marinha do mundo ou tentar emparelhar em construções com a China….Resta ao EUA tentar construir os dois CVN’s ao mesmo tempo para entregar em 2026, enquanto o CVN 68 Nimitz vai pra desativação em até 2025…

Dalton
Visitante
Dalton

Os chineses não afirmaram que pretendem ter 12 NAes…talvez eles nem precisem e mesmo para eles é impossível construir 8 em 12 anos.
.
O “Nimitz” deverá ser substituído pelo futuro “John Kennedy” que será lançado ainda esse ano e ter sua construção terminada em 2022 para então ser entregue parcialmente pronto devido a complexidade de tecnologias ainda não maduras, para estar totalmente operacional em 2024/2025 para substituir o “Nimitz”.
.
O futuro “Enterprise” terá sua construção iniciada para valer depois que a doca for desocupada pelo “John Kennedy” e eventualmente substituirá o
“”Dwight Eisenhower” em 2027.

Control
Visitante

O que foi divulgado é que os chineses pretendem chegar a 2025 com 4 e em 2030 com 6 sendo os últimos de propulsão nuclear.
Sds

100nick-Elã
Visitante
100nick-Elã

Os fanboys piram; eu, só alegria.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

falou o fã boy

Flanker
Visitante
Flanker

Como se escreve “fanboy” em cirílico? E em mandarim? Só muda o idioma…..típico da esquerda, ou seja, acusar os outros por serem exatamente aquilo que você é!

Leonardo
Visitante
Leonardo

MB com esquadra tão pequena incrível

Esteves
Visitante
Esteves

É melhor ficar sócios desses caras. O Trump blefou sobre a OCDE e a OTAN.

Augusto
Visitante
Augusto

Armando-se até os dentes discretamente. Exatamente o contrário do que o Brasil faz: fala, fala, fala, planeja, muda o planejamento e faz estimativas, mas acaba não fazendo nada.

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

Brasil já fez asneiras desde o tempo da pré-guerra quando a Vickers construiu um canhão de 381mm/45 para a classe Riachuelo e a Marinha do Brasil cancelou por causa de verba, ficamos só com o Minas Geraes,São Paulo e Rio de Janeiro (HMS Agincourt e Erin). Se na WW2 o Brasil tivesse entrado em um combate ASuW, a gente estaria lascado de todas as formas, nem a aeronáutica poderia ter como dar ajuda “Land Based”, por sorte isso não ter acontecido, e lutaram bem em combate ASW com os PBY Catalina. Desde aquela época o Brasil era uma lesma na… Read more »

CRSOV
Visitante
CRSOV

Enquanto em Putênfia leva – se 9 anos para construir um simples Navio Patrulha de 592 toneladas !!

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Espera que vai começar a Copa América! E na Globo!!!

Dodo
Visitante
Dodo

Estupidez querer comparar a capacidade industrial e a massa humana da China com a do Brasil

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

Acha mesmo que o Brasil não poderia construir uma Belonave? Se tivessem mais estaleiros e o povo tivesse interesse em investir em segurança a gente já teria uma boa quantidade de corvetas.

Mas como essa MB incompetente prefere ficar pesquisando blueprints em estaleiros europeus, nós vamos ficar apenas esperando até ficar com cabelo branco.

Se tivessem cérebro já teriam contratado a IHI e a Mitsubishi que lançam navios ao ano que nem carro, a Coreia do Sul é outra que são ágeis na construção naval.
Enquanto isso os europeus ficam fazendo essa burocracia toda.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Eu acredito que será de propulsão Nuclear, agora se as catapultas serão eletromagnéticas eu não sei, a China já fez o feito de construir sozinha, entrou para o Grupo de EUA, UK, Fra, Russ, Japão, Ital, Esp, das quase 2 centenas de países no mundo só esses constroem porta aviões,,,,, falando de Brasil agora, acredito que o melhor é dominar a miniaturização dos reator nuclear, e seguir com subs nesse modo, e muitas décadas depois para PA nuclear, e o texto fala sobre um veículo hipersônico, esse tipo arma dará capacidade de destruir satélites, e atacar qualquer parte do mundo… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Não colocaria todas essas nações na mesma prateleira…até agora apenas EUA
e França possuem NAes equipados com catapultas e o francês tem menos da metade da capacidade dos NAes americanos.
.
A China será a próxima nação a possuir um NAe com catapultas, mas, ainda levará alguns anos para juntar-se ao “clube”.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Coloquei os países que conseguem fazer um PA, quanto aos tipos de PA é vdd que os EUA e França estão na frente ainda.

Dalton
Visitante
Dalton

Carlos…parece haver uma certa “vulgarização” da classificação Navio Aeródromo…veja por exemplo que a Espanha conta com um navio anfíbio lento capaz de embarcar um punhado de aeronaves “STOVL” e quando assim o faz, tem sua capacidade anfíbia diminuída pois o número de helicópteros de transporte tem que ser diminuído também. . O Japão conta com porta helicópteros velozes com sonar de casco cuja principal função é e será a guerra anti submarina. Recentemente publicaram que se de fato converterem eles para operar o F-35B apenas eventualmente irão embarca-los, dando preferência ao uso do F-35B a partir de terra e/ou locais… Read more »

CVN76
Membro
Noble Member

Almirante:

Para as suas listas; não sei se já está sabendo:

– SSN 720 partiu de Groton/CT pela última vêz com destino Bremerton/WA para iniciar o longo processo de inativação e descomissão…como previsto.
– A USN anunciou o nome do futuro DDG 133, mas pelo jeito se esqueceram do DDG 132…..bom, não é raro isso acontecer 🙂

Dalton
Visitante
Dalton

Oi Franz ! Parece que ele deixou Groton dia 23 de abril, então tudo dentro dos planos de iniciar a inativação em
junho e o “724” também retornou de sua última missão,
situação nada boa para a força de submarinos que irá
encolher na próxima década.
.
O “133” está mais “adiantado” no processo de aquisição que o “132” então nada mais natural 🙂
.
abs

CVN76
Membro
Noble Member

Jovem Dalton

Creio que o plano de enviar o DDG 80 do ATL para o PAC depois da longa fase de manutenção, foi mudado…

O mesmo se encontra em manobras no ATL Norte…

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Realmente falha minha em relação a India

Dodo
Visitante
Dodo

Espanha e Itália construíram navios de desembarque anfibio que operam uns 4 ou 5 aviões de decolagem vertical( sendo que a Espanha nem dinheiro suficiente tem para manter a frota dos vetustos sea harrier 100% operacionais, ainda mais agora com um governo de extrema esquerda chegando por lá). Japão é um pouco diferente, visto que o isumo Pó de levar mais aeronaves, porém continuam sendo apenas LCD’s, não podendo ser considerados como porta aviões propriamente ditos

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Incrível a força de vontade de passar os EUA. E do jeito que vão, daqui uns 25 anos eles passaram.

Burgos
Visitante
Burgos

Maravilhas da tecnologia reversa.
Parabéns China !!!👏
Se o Brasil fizesse pelo menos a metade ou até 1/4 do que eles fizeram (Chineses), seríamos uma mini potência no hemisfério sul.
Mas ainda estamos “afogando” na nossa própria arrogância e de termos políticos que legislam em causa própria do que ter um país próspero. Lamentável !!!😔

teopode
Visitante

O Brasil poderia comprar um Tipo 01 na mão deles,

Cássio Silva
Visitante
Cássio Silva

Inveja, é só o que sinto…

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Os planos Chineses são para 4 porta-avioões, de inicio, 2 convencionais e 2 nucleares.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Acho bem improvável que a Marinha da china possa operar simultaneamente 05 ou 06 porta-aviões devido ao elevado custo disso e a necessidade de pessoal adequado para isso, mesmo assim, sera uma frota grande no pacifico, por isso outros países como a coreia do sul e o japão também vão aumentar seus porta-aviões.
Acredito que ate 2030 os EUA ja terão 15 porta-aviões e operação e outros 15 porta-helicópteros em apoio.

Chen
Visitante
Chen

Muito difícil. Os PA modernos tem um custo muito maior e portanto demoram muito mais para construir e operar e o orçamento americano já está no limite não importa o quanto a economia vá bem. Mas a China pode sim operar 6 PA se eles realmente pararem nesses pq se bobear vão construir mais ou susperar a quantidade de outras formas .1.3 bilhão é maior que 360 milhões. Afinal a China já prevê uma guerra com os EUA e ninguém entra nessa sem se garantir. O Brasil tem essa qualidade. Não está naira de nenhum país mas a China, Quer… Read more »

Luis Fernando Curvo
Visitante
Luis Fernando Curvo

O problema todo é a questão de orgulho, a China sempre foi poderosa e humilhava aos outros povos da região, chamando-os de bárbaros, tal como Roma, e aí quando voltarem a mandar a história pode secrepeyir, pois de bonzinhos eles nada tem …..

Luiz
Visitante
Luiz

China será a dona do mundo. As futuras gerações que se preparem para a nova idade média. Vai ter muito país escravizado e a nossa amazônia. cerrado já devem estar no radar deles há muito tempo.

Samuca
Visitante
Samuca

O próximo navio quebra-gelo que a China vem gestando teria propulsão nuclear. Seria o embrião da indústria naval chinesa em relação ao uso de reatores nucleares para navios de superfície. Se tiver êxito nessa empreitada, o primeiro porta-aviões nuclear do país vem rapidinho.

fewoz
Visitante
fewoz

O mais impressionante é o país ter duas empresas capazes de construir porta-aviões.

Renato Cunha
Visitante

A China nunca ganhou uma batalha naval. Desdenharam dos porta aviões e agora correm pra ter vários…. Tem que comer muito arroz com feijão.

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

Próximo Shinano,ksksksks

Ter equipamentos e não ter tanta experiência na batalha seria uma catástrofe pior que Midway.
Pelos primeiros três anos vencendo,depois só apanhando e apanhando.