Home Indústria de Defesa Transferência da segunda seção do submarino Humaitá (S-BR2)

Transferência da segunda seção do submarino Humaitá (S-BR2)

11952
101

Obras do segundo submarino convencional na ICN, em Itaguaí seguem de vento em popa e desta vez a segunda seção foi transferida da Fábrica de Estruturas para o estaleiro da ICN, ambas em Itaguaí.

Na última quarta-feira, dia 29 de maio, foi realizada a operação de transferência via terrestre, da segunda das quatro seções do segundo submarino do PROSUB, que serão transportadas da UFEM para o Estaleiro de Construção do Complexo Naval de Itaguaí, o ICN, no rio de Janeiro.

O ICN, Itaguaí Construções Navais é a empresa responsável pela construção dos quatro Submarinos convencionais e também o primeiro submarino movido a propulsão nuclear projetado e fabricado no Brasil.

Ambos os projetos fazem parte do programa de Submarinos (PROSUB) que é um acordo de cooperação Brasil-França que inclui transferência de tecnologia e treinamento de mão de obra na França.

Em 25/04 foi realizada a transferência da primeira seção do submarino Humaitá (S-BR2), o segundo submarino do PROSUB (Programa de desenvolvimento de Submarinos) da Marinha do Brasil.

Na ICN, a estrutura receberá a instalação de sensores e equipamentos e serão feitos todos os serviços de união às outras seções que devem ficar prontas e também transferidas até o final de junho deste ano.

O Brasil está construindo atualmente quatro submarinos S-BR dentro do Programa Prosub
O Programa Prosub comprende 4 submarinos convencionais S-BR
Seções do submarino SBR Scorpene

O PROSUB

O PROSUB prevê a construção de quatro submarinos de propulsão convencional (diesel-elétrica) e um de propulsão nuclear, o primeiro a ser fabricado deste tipo, no Brasil.
O Humaitá é o segundo dos quatro e deverá estar pronto até o final do ano de 2022.

O primeiro submarino do programa foi lançado ao mar em 14 de dezembro do ano passado e foi batizado de Riachuelo (S40) e a previsão de sua prova de mar é para este ano.

A prova de mar do Humaitá (S-41) está prevista para 2020, o Tonelero (S42) em 2021 e o Angostura (S43) em 2022.

O último submarino a ficar pronto será o SN-BR “Álvaro Alberto”, em homenagem ao Almirante Brasileiro que foi o pioneiro no uso da tecnologia nuclear no País.

FONTE: Click Petroleo e Gás

101
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
82 Thread replies
3 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
56 Comment authors
Gustavo GarciawilsonLuiz Floriano Alvesfewozfrancisco Farias Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Devagar e sempre.

Gelson
Visitante
Gelson

Fico feliz em ver que o PROSUB segue em frente, apesar de tudo. A minha dúvida é sobre a escolha de um modelo sem AIP. Enquanto a maioria das marinhas do mundo os estão adotando aqui, ao contrário, optou-se pelo modelo normal sem este dispositivo. Será que ainda não é tempo para se aprender com a experiência de outros operadores mais avançados? Não seria possível ainda equipar pelo menos um destes quatro primeiros com AIP para, pelo menos traçar um comparativo entre os dois usando a experiência de operá-los? O estranho é que algumas soluções já comprovadas, que poderiam ser… Read more »

Sandro
Visitante
Sandro

Caro Gelson, foram dadas muitas desculpas a respeito do AIP por parte da MB, a principal e definitiva foi a do Valor que encareceria muito os submarinos. Mas a verdade nua e crua e que ficaram com medo de perderem o sonhado sub-nuclear. Quando o AIP entrasse em uso, ficaria visível que tal capacidade colocaria em cheque a necessidade, de um projeto tão absurdamente caro e lento de um sub-nuclear, para uma marinha de “DEFESA”.

Gelson
Visitante
Gelson

Sandro,
trocaram o mais adequado pelo (muito) duvidoso sub-nuc.
Quando uma atitude vai contra toda a lógica…

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Gelson, A tecnologia de propulsão nuclear é anterior ao AIP. Ela já foi usada em centenas de submarinos. O Brasil domina a tecnologia nuclear (tanto para a fabricação e operação de reatores PWR, quanto a fabricação de combustível militar) mas não há nenhuma experiência comercial com células a combustível na escala necessária para a propulsão de um submarino. Há mais conhecimento acumulado no Brasil sobre tecnologia nuclear do que da outra.

filipe
Visitante
filipe

A vossa comparação não faz sentido… Submarino Nuclear é a elite da elite, o AIP não veio substituir o Nuclear, 48 MW de um PWR gerando 11 MW Electricos não é pouca coisa, é tudo que a Alemanha e o Japão querem em seus submarinos, mas esta ao alcance de poucos, e para a nossa sorte, entraremos nesse selecto clube de nações que detêm essa tecnologia, é caro , é demorado, mas vale a pena, soberania não têm preço, o Brasil nunca será ocupado por nenhuma nação estrangeira, nunca mesmo, e o PROSUB é essa garantia.

Sandro
Visitante
Sandro

Se a partir de agora tivermos políticos sérios comprometidos com a segurança de nosso pais, e não preocupados em encher os bolsos de si próprios e de seus partidos. Concordo plenamente com vc. Do contrário todo esse esforço de sub-nuclear não vai sair de papel e se sair, não passara de uma misera unidade, que pelo custo de operação pode se tornar inoperável. Como vc mesmo disse sub nuclear é a elite mas para isso temos que ter governantes sérios, mesmo caso para os sonhados P.As. Sem politica seria e comprometida e dinheiro posto fora assim como foi no São… Read more »

francisco Farias
Visitante
francisco Farias

A eterna desculpa. Verba tem demais, mas o que sobra da folha de pagamento é mal empregada.
Em se tratando de gastos dos militares os políticos não tem nada a ver.
Em 2017 o Brasil gastou 22,8 bilhões de dólares com os militares. Enquanto que Israel gastou somente 17 bilhões, Canadá 15, Espanha e Turquia 14.(https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_países_por_gastos_militares)
Então esta desculpa fiada de que a culpa é dos “politicos ladrões” já não convence mais a ninguém.

Gelson
Visitante
Gelson

Camargoer, Filipe e Sandro;
a minha estranheza é pela não adoção de um sistema que já está aí comprovado (AIP).
Sabe-se que outros países que operam sub nucleares tem problemas seríssimos para administrar o lixo gerado e depois para desativá-los, exemplo : Inglaterra.
O Brasil não possui este conhecimento ainda e tampouco terá as verbas necessárias para custear isso tudo.
Eu queria ser otimista mas acho que não viverei o bastante para ver isto acontecer.
Estas atitudes ou resoluções que vão na contra-mão do bom senso não são prenúncios de sucesso, infelizmente.
E a MB dá mostras seguidas disso.

Flamenguista
Visitante
Flamenguista

O Brasil que dá certo!!!…….
1 diminuir o efetivo da marinha em 40 por cento, sem diminuir o orçamento, é claro!
2 manter o prosub sem contigenciamentos
3 contratar mais um lote de Tamandarés dedicadas a ASW
4 investir no CFN

Zé Mané
Visitante
Zé Mané

A Bolsonavy está chegando, aguardem. Compras de (velharias) oportunidade.

João Moro
Visitante
João Moro

Engraçado, as únicas compras em quantidade relevante de navios foram no período militar. Os demais presidentes nem quiseram comprar as “velharias” e deixaram a Marinha neste estado deprimente. Agora que o Bolsonaro pensa em alguma reposição com compras de oportunidade, reclamam.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro João. Acho que não as coisas são um pouco diferentes. Vargas fez um das maiores aquisições de material militar da Alemanha antes da II Guerra (apenas parte foi entregue devido o início da guerra). Durante a década de 70, as forças armadas substituíram muito do material americano cedido no pós-guerra por material nacional (as Niterói, o Cascavel, Urutu, o Xavante, o Bandeirante…), mas o material mais sofisticado (submarinos e caças supersônicos) ainda eram importados. A classe Tupi ao longo dos anos 80/90 abriram uma nova etapa, que foi seguida pela aquisição dos F39 para a FAB, dos SBR e… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Camargoer, realmente houve aquisições significativas tais como os IKLs, ASTROS, Guaranis, Leopard, Gripen mas estas aquisições foram feitas ao EB e à FAB. No meu comentário limitei-me ao MB. Além disso, estas aquisições são proporcionalmente menores que aquisições de navios de guerra (custo unitário entre eles tem diferenças monstruosas). Sobre as Niteroi, era um bom momento para criar novas, mas as autoridades daquele momento não deram sequência. As aquisições de relevância ao MB iniciaram com os projetos dos SBR e das Fragatas/corvetas Tamandaré, quase 30 anos depois do fim do Regime Militar. As nossas fragatas são dos anos setenta e… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá João. Acho que nem é o caso de demonizar nem enaltecer governos passados, sejam eles do período democrático ou do período militar. Os anos 90 foram terríveis para todas as políticas públicas. Universidades, hospitais, estatais, forças policiais e forças armadas tiveram problemas orçamentários. O Tikuna (2005) e a Barroso (2008) são exemplos das dificuldades orçamentárias enfrentadas pela MB. Ambos foram iniciados no início da década de 90 e foram concluídos apenas quando a economia mostrou recuperação. Concordo que faltou a construção de outras 2 ou 3 corvetas similares à Barroso. A MB teria hoje pelo 3 ou 4 escoltas… Read more »

Carlos
Visitante
Carlos

Você um Zé Mané MESMO e pensa como tal o É !!
Por que não te Calas ?

Luiz
Visitante
Luiz

Aceita que dói menos.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Flamenguista. Esse seria o ideal, contudo os problemas orçamentários do MinDef são mais graves. Podemos dividir o orçamento em quatro partes. 1) salário/soldo do efetivo. 2) pensão/benefício dos inativos, 3) custeio, 4) investimento. O ideal seria preservar o investimento (essencialmente o Prosub, Itaguaí, Iperó-SN10, FCT e talvez as possíves compras de oportunidade de algumas escolhas), algo da ordem de US 15 bilhões (ou R$ 60 bilhões). É preciso levar em conta que esses recursos serão gastos ao longo de 10 ou 15 anos (portanto algo entre R$ 4 bilhões e R$ 6 bilhões por ano). Os recursos previdenciários são… Read more »

marcus
Visitante
marcus

Se não é possível diminuir as regras, cortem 40% do efetivo e parem de abrir concursos.
Treinem as pessoas para executar novas funções que aparecerem.
Só o povão que deve pagar o pato?

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Marcus. Talvez seja possível cortar 40%, ou talvez 60% ou apenas 15%. Esse número não vem de cima para baixo, mas é um número que surge a partir do dimensionamento da força e da operacionalidade. É um número que vai de baixo para cima. O efetivo profissional não pode ser simplesmente demitido, mas é possível deixar de contratar novos oficiais. As organizações militares não geram receita (como fazem a Petrobras ou Eletrobras), portanto seus custos são custeados pelo Tesouro a partir dos impostos. Ou seja, o “povão sempre pagará o pato dos gastos militars”

ednardo curisco
Visitante

Fui ver os efetivos. A Royal Navy têm um efetivo que é quase metade do nosso com uma esquadra 3 vezes maior e com bases em meio mundo.

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Mas, é isso!
É Royal Navy!!
Não MB Davis…………

Marcelo R Seixas
Visitante
Marcelo R Seixas

A Royal Navy tem muito subcontratados. SERCO, QinetiQ e outras empresas prestando serviços que aqui são feitos pela marinha do Brasil com pessoal militar. De qualquer maneira acho que somente os terceiros não explicam a diferença tão grande de efetivo. Mas ai vai capacidade gerencial do estado e meios de controle de efetivos e gastos. Lá é bem mais aperfeiçoado.

Pablo
Visitante
Pablo

pode até ser, mas a pergunta que fica é: se fosse o efetivo igual ao deles aqui no Brasil, teriam condições de estar em todo o território?

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Sim. A marinha britânica opera mais navios de linha de frente que a nossa, sempre “a toque de caixa” no quesito pessoal, tanto que nos venderam o Ocean basicamente pra colocar os marinheiros no segundo queen elizabeth.
O litoral brasileiro é inferior ao britânico e ao italiano, além de não termos nenhum território ultramar para proteger. Contudo, temos uma marinha com mais homens do que Itália e Reino Unido JUNTOS, ainda por cima, dando aposentadorias integrais, algo impensável no Reino Unido, por míseros 30 anos de serviço.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

quase a metade não, o efetivo inglês é de MENOS da metade. Os caras tem em torno de 33 mil contra mais de 80 mil da nossa marinha. Os Indianos, com aquele orçamento e marinha enormes, além de estarem em constante alerta, tem 68 mil marinheiros. O brasileiro que aceita isso tem sérios problemas mentais.

Souza
Visitante
Souza

lá não tem PT

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Souza. Os ingleses têm o Partido Trabalhista (Labour Party).

francisco Farias
Visitante
francisco Farias

O PT só passou 12 anos no poder. O Brasil tem 500 anos e desde 1889 é dominado direta ou indiretamente pelos militares que utilizam a força das armas para manterem seus privilégios.
Marinha com efetivo de 80.000. Exército 290.000 e Aeronáutica 80.000, perfazendo um total de 440.000 efetivos é um absurdo.
Pra que tanta gente usando farda sem produzir nada?

wilson
Visitante
wilson

No site do Ministério da Defesa consta que houve uma diminuição dos efetivos militares a partir de 2013.
Os efetivos são estabelecidos por lei e os números que você esta usando são os máximos estabelecidos por lei, mas o contingente foi reduzido por meio de decreto em 2013 para 64.694 para a Marinha, 222.869 para o Exército e 72.009 para a Aeronáutica, com um total de 359.386 efetivos
http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2019-03/efetivo-das-forcas-armadas-sera-reduzido-nos-proximos-10-anos
e de acordo com este site é para haver mais uma redução nos efetivos militares.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Wilson. Eu também tinha na memória um efetivo de 360 mil, sendo 90 mil deles convocados e 270 mil profissionais de carreira.

Flavio Marinha
Visitante
Flavio Marinha

Diminuir o efetivo ? Quem irá guarnecer os navios e submarinos com esse corte ?🤦🏻‍♂️😂😂😂

Adriano Luchiari
Visitante

Que navios??

Pedro Bó
Visitante
Pedro Bó

O problema é saber se os militares aceitariam essa redução de efetivo de bom grado.

Se acabassem com o Serviço Militar Obrigatório, criando FAs profissionais, com captação de pessoal via concurso público com número de vagas restritas, já seria um grande passo.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Pedro. 2/3 das forças armadas brasileiras são profissionais (são cerca de 90 mil convocados e 270 mil profissionais). O custo dos convocados é muito menor do que o dos profissionais porque o soldo é pequeno e porque não há despesa previdenciária. O soldo do soldado é R$ 956,00 por mês. Isso significa cerca de R$ 1 bilhão por ano com convocados, ou menos de 3% do gasto das forçar armadas com pessoal ativo.

Elton
Visitante
Elton

O pessoal NB pode ser facilmente cortado basta baixar uma ordem de não assinar nenhum reenganjamento.

francisco Farias
Visitante
francisco Farias

A existência de forças de reserva permite que uma nação possa reduzir seus gastos militares em tempo de paz, ao mesmo tempo em que mantém uma força pronta para a guerra. Reservistas não dá despesa para o Brasil. Um dos principais gastos inúteis do pais são os privilégios mantidos pelos militares que se aposentam e que jamais irão a nenhuma guerra, pois já não tem idade para isso. Será que o Brasil, em cado de guerra, irá enviar para o front um bando de idosos na faixa de 60/70/80 anos? esses senhores precisam baixar a crista e entenderem que são… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Bicho, se cortassem o efetivo em 40% sobraria verba, no longo prazo, com a redução dos aposentados, além do aumento do tempo de serviço, pra literalmente ter a marinha da Italia. Ta pensando baixo com lotezinho de corveta obesa!

Doug385
Visitante

Quer que corte efetivo e quer que invista mais no CFN? O amigo que me desculpe, mas precisa se decidir. Só o efetivo do CFN é de cerca de 20 mil homens. Detalhe: o efetivo é todo profissional.

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Prefiro reduzir o efetivo de servidores publicos em 40% e transferir a economia para as FFAA, se possivel aumentando seu efetivo em 50%. Assim teriamos o efetivo necessario para guarnecer o pais com as maiores e mais ricas reservas de recursos naturais do planeta.

Romão
Visitante
Romão

Sim,

“teriamos o efetivo necessario para guarnecer o pais com as maiores e mais ricas reservas de recursos naturais do planeta”

mas o déficit público iria continuar exorbitante e, o país, falido.
Funcionário público nunca é a solução.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

E deixar esse povo todo no quartel sem produzir nada?
E quem iria trabalhar para sustentar a crescente população idosa?

Gustavo Garcia
Visitante

Bom mesmo seria reduzir em 40% o efetivo de servidores públicos e outros 40% do efetivo das Forças Armadas e ainda por cima fazer uma boa reforma da previdência, que mordesse uma boa fatia do salário dos aposentados públicos que ganham acima do teto do INSS!! Aí teria dinheiro pra infraestrutura, educação, saúde, pra re-armar as FFAA, pra pagar dívida e ainda por cima reduzir a carga tributária. Ou seja, para que o Brasil se transformasse num país normal…

ADLER MEDRADO
Visitante

Se fosse no Chile esse navio já estaria pronto a 13 anos.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Se fosse no Chile, o chileno teria escrito direito……

Marcos
Visitante
Marcos

Se fosse no Chile o navio seria comprado da Malásia de segunda mão

Brasil, único país com capacidades reais para fabricar submarinos. Type 209, MOD Tikuna, S-BR e no futuro submarino Nuclear. Chora mais que tá pouco

Mauro
Visitante
Mauro

Falar em reator nuclear para um chileno me faz lembrar Lula e suas filosofias: “Vai pensar que é receita de bolo.”

Enes
Visitante
Enes

Adler, o chile não faz navios, compra usados, vocês gostam mesmo é de malhar.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Adler. Fiz uma busca rápida sobre os meios da marinha chilena. Os submarinos foram adquiridos da França e da Alemanha. As fragatas são holandesas e inglesas adquiridas de segunda mão. Os navios de ataque foram adquiridos de Israel também de segunda mão. Apenas os navios menores de patrulha oceânica foram construídos no Chile. A MB tem vários problemas que devem ser criticados, mas não creio que o ProSub esteja 13 anos atrasado.

Roberto Medeiros
Visitante
Roberto Medeiros

Camargoer, ou seja: pelo q vc pesquisou: se fosse no Chile, o submarino TALVEZ ficasse pronto daqui a 13 anos, SE eles até lá tivessem adquirido a capacidade de construí-lo…

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Roberto. Também é possível imaginar que entre o lançamento de uma chamada internacional para a construção de dois submarinos para substituir os dois velhos IKL, poderia levar 13 anos. Talvez dois anos para elaborar a chamada e receber as propostas, outro anos para short list e requerimento do BAFO, talvez dois anos para assinatura do contrato e aprovação do financiamento, um ano para preparação do estaleiro e 6 anos para a construção em sequencia de dois submarinos e seus respectivos testes atá a incorporação. Somei 11 anos, se tudo desse certo. Se ocorrer algum atraso (na elaboração das contratos,… Read more »

Adler Medrado
Visitante

Meu comentário foi irônico, um sarro com quem admira o Chile comprando usados e critica a MB quando esta o faz.

Gil
Visitante
Gil

Mais o Chile tem que ser admirado mesmo, um pais amigo do Brasil que tem a segunda melhor marinha da America do sul.

Vc estaria melhor tirando sarro de peruanos e argentinos, do que fazendo isso com os brasileiros

Adler Medrado
Visitante

Curti todos os comentários, até o da critica ao meu português, errei mesmo.

Como eu disse antes, esse meu comentário foi irônico, uma crítica aos palhaços que endeusam os chilenos e reclamam de tudo que é feito aqui.

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Bem, segue.
Se o money acabar, pelos teremos 4 convencionais.

SoutofABIO sOUTO.
Visitante
SoutofABIO sOUTO.

Segue porque mesmo com o contigenciamento do orçamento
a MB direcionar a verba que restou para o Prosub,pois esse
progra é prioridade maxima das MB.

Souto.
Visitante
Souto.

O PROSUB é prioridade máxima da MB esta seguindo
porque toda verba que há vai para o programa.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Cara, discordo. O cobertor está curto mas, com atraso ou não, temos o Programa da CCT, a modernização dos Super Lnyx, o recebimento dos UH-15A, vai sair, ainda esse ano, a RFQ para os NaPoc de 1.500 ton, os AF-1 estão vindo aos poucos, o traders, etc. Sem falar dessa possibilidade de pegar as Anzac e os detróieres japonese, AB nem pensar, muita areia para nosso caminhão, e o Wave tb. Depois, com a casa arrumada na Economia, lançamos um Prosuper zero bala. E aí sim, começamos tb uma reestruturação de pessoal e foco na atividade fim, como a FAB… Read more »

teropode
Visitante

A muito tempo não se via um programa tão acertado , o ritmo da produção está ótimo, o produto é excelente , espero que siga este curso e que venha o 2; lote , dissuasão é isto .

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Teropode. Em outra discussão sobre submarinos, comentei que talvez os quatro SBR que estão sendo feitos agora sejam os últimos submarinos convencionais da MB. Eles terão uma vida útil de 30 a 40 anos. O próximo desafio da MB será concluir o SN10, que resultará no SN11 (um SN10 melhorado). Parece-me mais provável que a MB teria uma capacidade de dissuasão muito maior com uma pequena frota de submarinos nucleares (entre 3 e 5) do que com uma frota maior de submarinos convencionais ou mista.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Gente, é impressionante. Uma notíca dessas em plena crise econômica, com contingenciamentos, etc, um projeto que muita gente aqui disse que não iria sair, que os cascos estão ocos, que a ICN faliu, etc.. Mesmo assim, toda notícia das nossas FFAA, tem sempre gente que toca nesse assunto de soldos, quantidade de gente, pensão,etc. Isso já encheu o saco!!!! Ah, já era para ter há 10 anos, ah, o Chile é uma potência naval!! Po, o Chile está do outro lado, deixa o Peru se preocupar com eles!! Vamos nos ater e focar no assunto!!! E ainda tem gente que… Read more »

Alexandre
Visitante
Alexandre

Totalmemte de acordo. Muita gente parece que torce contra. Óbvio que não é o ideal, mas é um programa sensacional. Parabéns Marinha.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Alexandre. O pior comentário é o de torcida, a favor ou contra. Um deles ignora os problemas e exagera no ufanismo. O outro precisa inverter a realidade para justificar o injustificável. A MB tem problemas sérios, como excesso de pessoal e falta de padronização com as outras forças. Contudo tem méritos, como o desenvolvimento do programa nuclear e a preocupação de fazer encomendas nacionais. Acho que todos gostariam de ver uma MB moderna, eficiente e enxuta, cliente preferencial da industria brasileira e integrada ao setor tecnológico/científico do país. Também gostaria muito de uma marinha profissional, nacionalista e preocupada com… Read more »

teropode
Visitante

Temos também o isentão , o pior deles pois não se pode confiar no que diz , elogios ou críticas são inócuos.

fewoz
Visitante
fewoz

Qualquer um que ouse pensar fora da caixa é “tachado” de isentão. Isso não é futebol, onde existem apenas dois lados, amigo. Peace.

Sincero
Visitante
Sincero

A marinha adotou a estratégia da Kriegsmarine na 2a GM, priorizar a frota de submarinos. Antes fosse pois teríamos no mínimo uns 50 submarinos em serviço.

Bardini
Visitante
Bardini

Mané estratégia… A MB hoje prioriza o PROSUB pq o contrato tá assinado.

Sincero
Visitante
Sincero

E o PROSUPER, babaca?

RENAN
Visitante
RENAN

Excelente notícia, espero que venha logo os testes de mar do Riachuelo.

Gostaria muito de ver 2 submarinos sendo construído juntos em Itaguaí. A foto iria ficar bonita

Hugo Martins
Visitante

Olá, sou um leigo, porém creio que nossa MB tem potencial para executar muito mais assim como as outras forças, sendo que como alguém aí disse que os militares não produzem $ eles podem sim produzir equipamentos para serem exportados, quem não produz nada é aquele congresso em Brasília com um bando de proteladores e consomem mais de 10 BILHÕES por ano.
Só esse montante melhoraria a saúde, educação e as forças armadas brasileiras.
Somos capazes e chegaremos lá.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

10 bilhões são 1/8 do que o ministério da defesa gasta com pessoal, só pra constar. 10 bilhões são… pouco mais de 3% do déficit da previdência previsto para esse ano.
10 bilhões são… menos de 2% do déficit do governo brasileiro de 2018.
Esse país literalmente está falido. São 563 bilhões de reais a mais em dívidas só em um ano.
2815 reais por ano por habitante do país a mais em dívidas!

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Exato meu caro. E todo mundo no Brasil (povo, executivo, militares) tem que enxugar suas contas, porém os parlamentares e o Judiciário permanecem sempre num mundo isolado dos nossos problemas nacionais. (salário de 1 mês ganho por deputado federal representa praticamente 3 anos de um assalariado). São os intocáveis da nação. Quanto aos 10 bilhões, vc deve estar se referindo apenas ao custeio oficial do parlamento federal, porque as amarrações entre centenas de parlamentares com o Judiciário, e suas bases eleitorais, acarretam centenas de bilhões a cada novo governo, sendo dilapidados desde a criação da República. Esse ninho de ratazanas… Read more »

marcelo baptista
Visitante
marcelo baptista

“Adoram falar em impeachment de Presidente, mas urge termos impeachment de deputados, senadores etc.na discussão…”
Isso seria possível se fossemos parlamentaristas, não deu acordo, dissolve e convoca novas eleições, mas perdemos o bonde da história, novamente.

Fernando Vieira
Visitante

Eu lamento informar mas ratazanas dão cria. O Congresso bem como as Forças Armadas e qualquer outro órgão público brasileiro é formado por brasileiros e como tal possuem a cultura Brasileira. O que isso significa? Que no Brasil a cultura é extremamente individualista, o brasileiro só se preocupa com o dele. Quando criticamos os almirantes que só querem saber de caviar e lagosta, a maioria dos brasileiros se tivesse na posição deles faria o mesmo. Ao criticar o congresso e o judiciário e suas mordomias, a maioria dos brasileiros queria na verdade era ter essas mordomias. Então, se você tira… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Fernando. Os EUA têm uma cultura muito mais individualista que a brasileira. Você assume que a educação brasileira é incorreta, o que é bastante vago, até porque a educação brasileira é bastante heterogênea, existindo escolas caríssimas excelentes e algumas escolas públicas de altíssima qualidade. Por outro lado, existem escolas públicas muito ruins e algumas escolas particulares péssimas. Segundo o IBGE, a chance de um jovem que tem pais com nível superior entrar na universidade é de 75%, mas a chance de um jovem que tem pais com nível fundamental incompleto é menor que 5%, o que evidencia a importância… Read more »

Fernando Vieira
Visitante

Acho que me expressei mal quando disse individualismo e peço desculpas. Comparado aos EUA, realmente, mas eles são capazes de se unir em um bem comum, por exemplo diante de crises nacionais. Quando ocorreu o 11/09 mesmo o mais ferrenho democrata apoiou o então governo pois foi um ataque não aos republicanos, mas aos EUA como nação. Da mesma forma podemos dizer inúmeras vezes que a população dos EUA assim o fez. Já no Brasil não. Enquanto um americano tem a consciência de que a coisa pública foi paga com seus impostos, no Brasil se acha que a coisa pública… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Fernando. Entendo. Acho que 11/set só poderia ser comparado ao ataque à Pearl Habor. Foram eventos que uniram em solidariedade inclusive pessoas de outros países que tem críticas aos EUA. O Brasil nunca teve nada parecido. Contudo, acho apropriado comparar a comoção despertada pelo assassinato de Kennedy à morte de Tancredo ou à de Senna. Eventos como o Katrina também tem similares no Brasil nas enchentes no sul ou deslizamentos no RJ devido chuvas. Acho que os dois povos são semelhantes. Discordo quando você sugere que deveríamos dar apoio ao governo federal para a reforma da previdência ou para… Read more »

Fernando Vieira
Visitante

Temos bastante coisa em comum pelo visto. A reforma da previdência está longe de ser o ideal, esse regime de capitalização não me agrada. Mas tudo o que for para tirar privilégios de Barnabé me agrada e muito. Meu ponto é: Precisa fazer. Se nem tudo que foi proposto é bom, ok, congresso existe pra isso. Passa o bom e muda o ruim. O que não pode é fazer (e não é novidade, todos os governos da redemocratização passaram por isso) é oposição ser contra só por ser contra. Se ela é contra a reforma, ok. Por que então não… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Fernando. Eu tenho certeza que concordamos mais do que discordamos. O fato da população viver mais é uma excelente noticia. Odiaria saber que a previdência estaria superavitária porque todo mundo morre aos 70. Mudanças na previdência foram realizadas por muitos governos, até antes da CF88. O problema é a proposta de mudar o regime. O debate sobre a previdência está travado por causa disso. Contudo, uma parte do problema previdenciário de hoje está relacionado à depressão econômica e à elevação do desemprego. É urgente medidas de retomada econômica. A depressão de 30 foi contornada pela II Guerra. Acho que… Read more »

Fernando Vieira
Visitante

Bem, como comunismo não funciona, e Deus me livre de cairmos no fascismo (embora seja um caminho que parece que muitos países estão interessados em trilhar novamente), acho que vou ficar com a opção número 1

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Fernando. Eu também descartaria ficar sentado esperando as “soluções de mercado”. Precisaremos almoçar diariamente.

Fernando Vieira
Visitante

O problema é que as saídas envolvem algo que não tem como no momento: Investimentos de governo. Se tivéssemos como fomentar uma indústria agora por meio de compras poderíamos surfar na guerra comercial EUA x China ao invés de apenas vender commodities para esses países.
Atrair o capital estrangeiro também seria uma ótima ideia, mas num país que o governo não dá sinais claros, quem vai querer investir?
Enfim, eu sinceramente não faço ideia de como fazer pra sair desse buraco.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Dinheiro de sobra? Então os 560 bilhões de reais gastos para além da arrecadação ano passado são… Mentira? Vamos aumentar o gasto em 30b nas forças armadas e subir esse déficit pra 600b? Como isso te soa razoável?

Zorann
Visitante
Zorann

Não sei se há motivos pra festejar. Temos quantos submarinos Tupi/Tikuna hoje aptos a navegar? Quantos destes submarinos Scorpene navegarão mesmo na Marinha Brasileira, com estes boatos de vendas e falta de verbas?

Eu queria muito que a realidade fosse diferente e que a marinha seguisse a END que ela mesma ajudou a escrever. Mas isto não vai acontecer.

Temos uma marinha que não faz nem patrulha e quer ter corveta, que quer ter 4 novos submarinos e não consegue sequer manter os submarinos que já possui.

Não temos nada a comemorar

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Os submarinos são provavelmente a única área que terá o mínimo operacional durante a próxima década na marinha do Brasil, afinal, nossa frota de superfície, se não for toda encostada, continuará navegando com bastante duvidável utilidade bélica, com fragatas despidas de qualquer defesa aérea de médio alcance, com lançadores mar-mar super reduzidos e, provavelmente, sem meios o suficiente para operarem embarcados, no caso dos helicópteros.
As vezes é o caso de começarmos a pensar como Karl Donitz e cogitar se não vale mesmo a pena uma marinha focada em força submarina. Pensando nisso ou não, a década de 2020 será isso.

Dalton
Visitante
Dalton

Fernando, já que você mencionou “Karl Donitz” no caso de você ou mais alguém ler, submarinos eram baratos e de construção rápida durante a II Guerra, ainda mais no caso de um país altamente industrializado e em guerra como à Alemanha. . Durante muitos anos os alemães foram proibidos de construir grandes navios como encouraçados e cruzadores , então pouco havia antes do início da guerra e nada pôde ser iniciado depois por conta de outras prioridades, mas, contra torpedeiros, torpedeiros, lanchas torpedeiras, navios varredores de minas, etc, continuaram sendo construídos até o fim da guerra. . No início de… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Com certeza, o cenário é bastante diferente e serve para pensar sobre tal equilíbrio da nossa marinha. A questão toda é que, de fato, o setor mais moderno e com o número mais perto do que pode ser considerado decente, num futuro previsível, será o de submarinos, sendo positivo isso ou não.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

É uma pena que se tivessem dado um pouco mais de recursos para a Marinha do Brasil este incio de ano teria como adiantar essas etapas e esse submarino poderia descer ao mar ja no fim de dezembro, assim adiantando todo o Prosub, mas infelizmente o governo pra atrasar tudo de vez ainda faz um contingenciamento enorme na Defesa.
Dizem os entendidos que a marinha precisa 12 submarinos convencionais e 04 submarinos nucleares para garantir sempre ter no minimo 04 subs e 01 subnuc em operação.

Parabellum
Visitante
Parabellum

Sem dúvida um motivo de orgulho para nós brasileiros. Mais que uma conquista da marinha, é a materialização de um autêntico projeto de governo. Outros tiveram a chance, mas preferiram outras prioridades. Parece que nosso país vem se firmando como liderança na região. O Chile já estaria interessado na parceria, o que é natural por não possuirmos antagonismos. Talvez o Peru também se interesse, já a Argentina por questões diversas jamais comprará material brasileiro de alto valor agregado. Falta agora a superação da barreira tecnológica na produção de torpedos.

jodreski
Visitante
jodreski

Uma dúvida, essa transferência de seção não deveria ser feita por um túnel que foi construído para isso? Pelo que me lembro isso constava no projeto da base, ou estou errado?

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

A parte final do trajeto é o túnel. Mas, pelo jeito, as autoridades do local só permitiram fotos na estrada. Mas , o importante é que o ProSub está seguindo firme em frente, para nossas únicas e verdadeiras armas estratégicas até agora. – Espero que nossa Marinha (se mexe – rebola) faça um grande marketing internacional desta sua moderníssima planta fabril de submarinos (no estado da arte), e faça Itaguaí lhe render várias parcerias com nações dos cinco continentes. Marinha do Brasil, pegue alguns bons homens e mulheres de seu enorme contingente em terra, e crie o quanto antes um… Read more »

jodreski
Visitante
jodreski

Amigo obrigado pela explicação e também acredito que vc está correto, a linha de produção está garantida para muitos anos ainda, mas essa mão de obra qualificada pode ser perdida caso não haja novos projetos após a conclusão desse. Ao mesmo tempo que enxergo nossos vizinhos da america latina como possíveis clientes me questiono se as marinhas dos respectivos países confiariam ao Brasil a fabricação de alguns dos seus seus subs. Essa conversa certamente daria pano pra manga… mas quem sabe do outro lado do oceano, junto aos africanos talvez possamos encontrar algumas encomendas.

rommelqe
Visitante
rommelqe

Caro Jodreski: o túnel esta localizado no final do trajeto entre a “…UFEM para o Estaleiro de Construção do Complexo Naval de Itaguaí, o ICN, no rio de Janeiro “. Este túnel é exclusivo para o uso entre setores do ICN, não sendo permitido o trafego público.

jodreski
Visitante
jodreski

Muito Obrigado pela explicação!

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Fico pensando, quando começam as provas de mar dos subs????

rommelqe
Visitante
rommelqe

Alguem poderia dar notícias atualizadas a respeito das atividades relacionadas ao Riachuelo? Estão conforme cronograma?

Chateado
Visitante
Chateado

Olá Srs, alguém tem noticias da modificação do uniforme para os marujos? Os Navais já foram contemplados com a mudança. Os submarinistas deveriam usar algo mais especifico para eles, os uniformes convencionais deixam a desejar na MB. única força no Brasil em que existe uma separação de fardamentos, isso torna o ambiente de trabalho dos militares, algo bastante pernicioso e opressor. Basta de tradições arcaicas, vamos ver o lado do mais fraco, aproximar, ao invés de separar tanto os subalternos. A MB deve seguir todas as forças que tratam seus pares como iguais, e não como se vivesse na Inglaterra… Read more »

RENAN
Visitante
RENAN

Hoje já foi transferido a terceira seção (2B) o pessoal está rápido em…
Parabéns a marinha por este programa relevante.

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Baby steps…
Mas, show de bola!!!

RENAN
Visitante
RENAN

Melhor do que parado.
Um gigante se move devagar mas com firmeza, melhor do que rápido e desequilibrado.

Hoje não me orgulho das forças armadas por ser um enorme cabide de emprego, teríamos condições de redução em 50% dos militares de carreira. Gerando economia para acelerar os projetos estratégicos.

Mas graças a Deus não está parado apenas com passos de bebê.
Abraço

Luiz Floriano Alves
Visitante

O pior é que tem expert afirmando que os 4 submarinos vão negar o uso do mar, no Atlântico Sul. Fala sério. A Kriegsmarine com centenas de U Boais, altamente motivados e treinados e no estado da arte da época, não conseguiram dominar o Atlântico Norte. Quase conseguem, mas tiveram que recuar frente a inimigos mais potentes. Essa lição, parece que não aprendemos. Seremos donos do mar, até surgir uma potencia maior para contestar.