Home Indústria de Defesa PROSUB em ritmo acelerado: ICN transfere mais uma seção do submarino Humaitá

PROSUB em ritmo acelerado: ICN transfere mais uma seção do submarino Humaitá

7320
63
Transferência da seção 2B do submarino Humaitá – S41

A Itaguaí Construções Navais (ICN) cumpriu ontem mais uma importante etapa rumo à fase final da preparação do submarino Humaitá (S41) – o segundo submarino convencional do PROSUB – Programa de Desenvolvimento de Submarinos.

Com mais de 10 metros de comprimento e cerca de 170 toneladas, a transferência da seção 2B do submarino foi um sucesso.

A previsão é que Humaitá seja lançado ao mar no segundo semestre de 2020.

O ICN, Itaguaí Construções Navais é a empresa responsável pela construção dos quatro Submarinos convencionais e também o primeiro submarino movido a propulsão nuclear projetado e fabricado no Brasil.

Ambos os projetos fazem parte do programa de Submarinos (PROSUB) que é um acordo de cooperação Brasil-França que inclui transferência de tecnologia e treinamento de mão de obra na França.

O PROSUB prevê a construção de quatro submarinos de propulsão convencional (diesel-elétrica) e um de propulsão nuclear, o primeiro a ser fabricado deste tipo, no Brasil.
O Humaitá é o segundo dos quatro e deverá estar pronto até o final do ano de 2020.

O primeiro submarino do programa foi lançado ao mar em 14 de dezembro do ano passado e foi batizado de Riachuelo (S40) e a previsão de sua prova de mar é para este ano.

A prova de mar do Humaitá (S41) está prevista para 2020, o Tonelero (S42) em 2021 e o Angostura (S43) em 2022.

O último submarino a ficar pronto será o SN-BR “Álvaro Alberto”, em homenagem ao Almirante Brasileiro que foi o pioneiro no uso da tecnologia nuclear no País.

Seções do submarino SBR Scorpene
O Brasil está construindo atualmente quatro submarinos S-BR dentro do Programa Prosub
O Programa Prosub comprende 4 submarinos convencionais S-BR

DIVULGAÇÃO: Itaguaí Construções Navais (ICN)

63
Deixe um comentário

avatar
21 Comment threads
42 Thread replies
4 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
37 Comment authors
Laurindo BurinJoão Rodrigues Dos SantosLuis FelipeMathrusFligth_Falcon Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Daniel Ricardo Alves
Visitante
Daniel Ricardo Alves

Maravilha!!!!! Agora fica a dúvida? Depois que todos eles estiverem prontos, devemos construir mais submarinos nucleares ou convencionais?

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Depende. Vamos ter submarinos nucleares pra enfeite ou não? se for só pra defender a costa, vamos ficar nos convencionais mesmo. não precisa de submarino nuclear pra navegar de São Paulo até o Rio de Janeiro.

Renan Braga
Visitante

Esta e a Amazônia azul do rio a são Paulo MB e só mentiras e propaganda e empregos gastos

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Renan. Entendo seu ponto de vista (apesar de discordar dele). Contudo, achei estranha a expressão “empregos gastos”.

Renan Braga
Visitante

Há um exesso de oficiais e suboficiais há músicos capelões até cozinheiro no qual e no mínimo sargento necessário ? Cozinheiro sim mas capelão ?Cozinheiro pode ter patente inferior
gastos sim e emprego de funcionários públicos Devia valorizar os marinheiros e mais temporários, fora as pensões de filhas acabou em 2000 mas ainda tem muitas , aí e fácil gastar 80% do orçamento para isto tudo ! Israel tem orçamento inferior e tem mais respeito !
Brasil só vai ter uma marinha de guerra respeito quando reformar tudo isto e valorizar a indústria nacional de defesa .

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Victor. Submarinos nucleares são para operar em mar aberto. São ineficientes para guarnecer costas. Por exemplo, imagine uma frota de outro país impondo um bloqueio naval no sul do Atlântico ou na região entre o NE do Brasil e a África. Uma operação dessas prejudicaria o Brasil. Ou cenários seria uma disputa pela influência em uma região da África, que seria contrária ao interesse brasileiro. A presença de dois ou três submarinos nucleares operando seria uma enorme ameaça para essa frota estrangeira talvez até ao ponto de inviabilizar o início da operação militar. O litoral do ES até PR… Read more »

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

e como citado o litoral do es é onde se sabe do ultimo plano de invasão ao brasil por meio da operação brother sam(da qual sou totalmente a favor) a quarta frota estacionou-se a 12 mn do espirito santo onde teria inicio a invasão…graças a DEUS a revolução de 64 pois um fim as loucuras de jango e tivemos um bom governo militar até 79 !

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Horatio. A operação Brother Sam foi autorizada pelo Pres. Johnson no dia 31 de março, poucas horas após iniciado o golpe contra o Pros. Goulart. A força tarefa consistia do USS Forrestal, 100 ton de armas e munições e 500 mil barris de combustível para serem fornecidos para os militares envolvidos no golpe, além de destroiers de escolta. A previsão é que a força tarefa chegaria em Santos entre 8 e 10 de abril. Como não ocorreu uma resistência armada ao golpe, a operação foi cancelada no dia 2 de abril. Portanto, a frota não chegou a se posicionar… Read more »

Renan Braga
Visitante

Toda razão seu comentário …
E hoje o nordeste norte e até o sul não tem defesa naval respeitável o pouco que tem fica no Rio de janeiro … nem mesmo policiamento para fiscalização da pesca onde gringo faz o que quer no nosso mar e agridem nossos pescadores .

João Rodrigues Dos Santos
Visitante

Boa noite, “gringo” de qual país? Pelo que eu sei até agora e até onde eu sei, eram Chineses que jogaram um monstruoso barco de pesca de grande tonelagem contra a embarcação brasileira que estava a 600km do litoral… Fala em “gringo faz o que quer…” Pela normalidade e uso do vocabulário para se referir a anglo saxões, americanos, franceses e até alemães, fica parecendo que foi um deles que bancou a tal covardia em atacar um barco de pesca, estruturalmente inferior…Não, não foram eles…Foram Chineses mesmo!! Em uma outra surtida dos chineses, dessa vez no litoral argentino, porém dentro… Read more »

Fligth_Falcon
Visitante
Fligth_Falcon

Boa noite Camargoer,
Sabe onde posso encontrar essa dissertação para baixar o arquivo?
Obrigado

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá. Procure primeiro por “SUBMARINO NUCLEAR BRASILEIRO: DEFESA NACIONAL E EXTERNALIDADES TECNOLÓGICAS” (um texto para discussão do Ipea). Tem um outra dissertação de mestrado de 2009 “O PROJETO DO SUBMARINO DE PROPULSÃO NA VISÃO DE SEUS PROTAGONISTAS” da UFRJ. Tem um artigo de 2011 “O projeto do submarino nuclear brasileiro”. Tem uma tese de doutorado de 1999 “Síntese de doutrina de segurança para projeto e operação de submarinos nucleares” da USP. Por fim, tem a dissertação de 2011 da UFF “UMA ANÁLISE DO POTENCIAL DISSUASÓRIO DO SUBMARINO DE PROPULSÃO NUCLEAR BRASILEIRO”. Cada um desses trabalhos aborda o problema de um… Read more »

Gustavo
Visitante
Gustavo

A vontade da MB era de pelo menos 8 convencionais, dito em algum documento desses que eles soltam vez ou outra.
se chegarmos em 8 convencionais e 2 nucleares estaria ótimo! Difícil é acreditar.

Pablo
Visitante
Pablo

É como falei em outro comentário, pretensões são muitas, mas todos nós sabemos como é.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Pablo. Os ciclos econômicos são mais curtos que os períodos de planejamento estratégico de qualquer instituição complexa como a MB, uma universidade, uma hidrelétrica, uma siderúrgica. O planejamento de longo prazo serve como guia e vai sendo modificado para adequar à realidade de curto prazo.

Dalton
Visitante
Dalton

Quatro submarinos de propulsão nuclear garantiriam um devidamente certificado todo o tempo o que é pouco. . Se ao invés de dobrar o número de “nucleares” o que garantiria dois ou três devidamente certificados se investisse também em submarinos convencionais se teria pelo preço de outros 4 “nucleares”, 12 ou 16 convencionais, dependendo do tamanho o que garantiria pelo menos 4 certificados. . Dessa forma, operando ambos os tipos, se tem uma maior disponibilidade e mesmo um seguro contra imprevistos como danos de última hora. . Nações que operam apenas submarinos de propulsão nuclear como os EUA tem objetivos diferentes… Read more »

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Acho que era melhor ter o maior número possível de submarinos convencionais, o reator nuclear colocava em um porta aviões que é algo que o povo pode ver (e visitar 😀) ao invés de gastar tanto em algo que vai ficar escondido no fundo do mar.

João Augusto
Visitante
João Augusto

Gostei dessa função militar: “povo pode ver (e visitar)”. Não conhecia. Se pá as FFAA poderiam fazer umas praças e shoppings também.
Francamente.

O incauto
Visitante
O incauto

Vc tá ironizando, né?

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Daniel. Isso ainda é um debate aberto aqui no PN. Sabemos que a MB tem um plano para a fabricação de 4 SBR-Scorpenes e um submarino nuclear (SN10). O que virá depois ainda é especulação. Há aqueles que usam como referência o plano estratégico da da MB de ter no futuro uma frota mista de submarinos nucleares e convencionais. Outros, se apegam ao quadro atual de crise financeira para criticar o submarino nuclear, até duvidando que a MB tenha substitutos para os Scorpenes. Há que defenda que a MB opere apenas submarinos convencionais, encerrando o programa nuclear. Eu acredito… Read more »

india-mike
Visitante
india-mike

Caro Camargoer, em um comentário seu em outro post lembro de ter lido q vc considerava a “torcida” (tanto contra quanto a favor) prejudicial ao diálogo. Concordo contigo, e me causa estranheza vc usar da “torcida” agora nesse momento. Idealmente um diálogo deveria ser racional e não passional. Eu amaria que a MB tivesse SSN, PA, 2 (ou 3) esquadras e tudo o mais, mas intelectualmente devemos entender as limitações e dificuldades das forças armadas no Brasil. Todos nós somos entusiastas e queremos o melhor possível. E essa é a palavra chave: “possível”. Já discutimos isso outras vezes, mas por… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro M.I. O fato de termos certeza que a MB terá 4 SBR e depois iniciará o SN10 faz com que qualquer opinião sobre o que virá depois (se um segundo lote de SBR, um segundo SBN ou se a MB decida adquiris IKL´s novamente) seja especulação. O que podemos fazee é imaginar diferentes cenários e ponderar qual seria o mais provável. Acho que deixei isso bem claro em meu comentário. Por exemplo, minha torcida seria que outros países adquirissem Scorpenes do Brasil, mas isso demandaria um esforço coordenado do Itamaraty, MinDef, MinFaz e até do envolvimento pessoal da presidência.… Read more »

india-mike
Visitante
india-mike

Camargoer, primeiro não podemos afirmar com certeza nem que a MB terá 4 SBR muito menos que a construção do SNBR vai ser iniciada. Esse é o plano, e os dois primeiros cascos estão indo bem, mas já vimos a MB jogar no lixo diversos planos anteriores… Quanto ao SNBR, meu principal problema é de responsabilidade. Um reator e um submarino nucleares não podem simplesmente ser “abandonados” como aconteceu com diversos meios da marinha ao longo da história por falta de verbas. Ou seja, é um compromisso financeiro que a MB assume desde o primeiro abastecimento do reator até o… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá M.I. Um reator nuclear apresenta dois grandes problemas, a segurança de sua operação e o custo de seu descomissionamento. Sua preocupação é justificada não pelo histórico da MB, mas porque operações nucleares envolvem grandes riscos. O Brasil tem hoje 2 grandes reatores comerciais (Angra I e II, e um terceiro para ser instalado), 3 reatores civis de pesquisa em universidades e outro 1 reator militar de pesquisa. Outros 2 reatores estão em instalação (RMB e Labgene). Serão cerca de 10 reatores em funcionamento (incluindo o SN10 e Angra III). Portanto, o problema de manejamento de material contaminado inclui todos… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

O submarino nuclear vai demorar mais que o comissionamento do último submarino convencional. Entendo ser necessário obter mais submarinos convencionais (o que criaria maior dissuasão) e tentar vender mais unidades da classe Riachuelo para outros países. Com a venda, poderíamos adquirir fundos para novas aquisições da MB ou recuperar alguma parte do valor investido. Seria o ideal fechar um novo lote com mais submarinos ao MB e à outros países parceiros. Os custos de cada unidade diminuiria conforme a maior quantidade de submarinos solicitada. No meu entender e ponderando com o custo de manutenção de mais submarinos, um número racional… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro João. O cronograma da MB é iniciar o SN10 após o concluir o quarto SBR. Imagino que a sua construção comece em 2025 para entrar em operação uns 5 ou 6 anos depois, talvez 2032 ou 33. A MB operou 5 IKL convencionais durante os últimos 20 anos. Não sei o que mudou para que a frota precise ser aumentada para 8 ou 10 . Provavelmente a MB irá aposentar 2 ou 3 IKL daquii uns 10 anos, ficando com uma frota de 5 ou 6 convencionais até a entrada em operação do SN10,;quando serão aposentados os IKL restantes,… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Acredito e acho certo que o MB continue e conclua o projeto do SN-10 porém a construção deste submarino só iniciará a partir da conclusão do reator nuclear, que está em desenvolvimento. Como quase ninguém vende tecnologia nuclear, o desenvolvimento não pode ser acelerado. Se tudo ocorrer bem, como você disse, estará comissionado em 2033. Neste período, será dado baixa dos IKLs e ficaremos por um bom tempo (quase 10 anos) com uma baixa proteção (5 unidades, como você disse). Eu entendo que 5 submarinos para a nossa costa e em relação aos demais países latino americanos são poucos, gera… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá João. Apesar de ser apenas um entusiasta, também fico feliz em poder expor algumas ideias e aprender muito mais lendo comentários como os seus. Também acho que seria muito bom (menos para a MB e mais para a economia do país) que pudéssemos fornecer alguns submarinos convencionais para outras marinhas, como a do Chile ou Argentina, Venezuela, futuramente a África do Sul, etc O problema é que depende deles decidirem comprar do Brasil. Para assegurar uma venda dessas, o Itamaraty deveria estar atuando junto com outros ministérios (comércio exterior, defesa, economia) para assegurar financiamentos, contrapartidas, etc. Tenho a impressão… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Bem, se o SNBR fica pronto antes, bora fazer mais dele!

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá João. O meu argumento é mais ou menos isso. Se a MB irá construir o SNBR depois dos quatro SBR, então seria um retrocesso voltar a produzir submarinos convencionais depois do SN10. Então, “bora fazer mais” submarinos nucleares.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

Daniel acho que li que a Marinha tem planejado ter ate 2040 algo em torno de 16 submarinos, sendo 12 submarinos convencionais e 04 nucleares no total.

Infelizmente se em 2018 e nesse inicio de ano tivessem injetado um recurso extra na Marinha eles teriam tipo tempo e condições de adiantar o Prosub e talvez ja no fim de dezembro de 2019 teríamos o Humaitá ja indo ao Mar

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Paulo. Esses números constam do plano estratégico. Seria o que a MB desejaria mas é improvável que seja possível chegar a isso. Acredito que a MB irá ter uma frota entre 4 e 6 submarinos nucleares e que esse quatro SBR serão os últimos submarinos convencionais da MB.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Que continue nesse ritmo segundo semestre de 2020 é um bom prazo para o lançamento na água.

Sou totalmente a favor de qualquer gasto para as Forças Armadas que não seja destinado a bolso dos políticos ou ao pagamento do excesso de pessoal absurdo. investimento em equipamentos e modernização é o único caminho.

Marcos
Visitante
Marcos

Ativaram o modo turbo do PROSUB? hehehehe

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Pessoal ta empolgado, que continuem assim e que venham mais do que os previamente contratados.

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Well, Daniel, eu acho que não haverá grana nem para construir um barco de pesca básico. Daqueles que meu falecido avó utilizada aqui na Represa de Vossoroca, aqui no Paraná.
Pobre é assim, não come feijão, arroz, macarrão, salada e nem carne. Mas, quando como, se entope todo, e passa mal.
Esse é o Brasil.
Triste!
Acho que tentamos dar dois passos, quando deveriamos ter dado um passo de cada vez.

RENAN
Visitante
RENAN

Que mantenha o ritmo, espero ver uma foto de dois Submarino montados logo lado a lado.

É bom ver nosso dinheiro sendo gasto em algo relevante a defesa nacional
Abraço

Caravaggio
Visitante
Caravaggio

Run, Lola, Run! Corra antes que cortem tudo!

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Dá a impressão de que estão adiantados, o que é/seria ótimo claro. E vamo que vamo!!! 😉

Negrão
Visitante
Negrão

Acho que vai ao mar antes, no primeiro semestre de 2020.

PauloOsk
Visitante
PauloOsk

Olha que desse jeito o nuclear vem mesmo hein. haha

ALEXANDRE
Visitante

Seria bom se fossem garantidos mais 4 sub conv e mais 4 tamandares

RENAN
Visitante
RENAN

Baseado no primeiro o S40 acho que em quinze dias eles transfere a última parte do Humaitá.
Espero que sim
Abraço a todos

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Na realidade essa “terceira” parte é a 2b.
A terceira é a maior, com alojamentos e periscópios. A 4a é a frontal, com a sala de torpedos.

Delfim
Visitante
Delfim

Acho que alguém em Brasília se tocou que as coisas não andam bem no cenário internacional.
A SAAB deu uma acelerada, podem chegar F-39 ano que vem.
Podem vir meios de superfície usados. Upgrade leve das FCN. E agora isso.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Cenário internacional está relativamente bom e bem favorável a nós brasileiros

filipe
Visitante
filipe

O mais importante é o SN10, O SNBR é o divisor de aguas, Brasil acima de tudo…

Ricardo Azevedo
Visitante
Ricardo Azevedo

Eu acho que o Brasil deveria fabricar também uns menores e mais baratos …. temos uma costa muito grande e pouco dinheiro.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Submarino para defender o Brasil é na vastidão do Atlântico, e não perto da nossa costa, ou em mares pequenos ou fechados que não existem nestas bandas, seria jogar verbas no lixo gastarmos com submarinos de pernas curtas. Qualquer Força Naval inimiga que adentre nossa zona de influência do Atlântico Sul e se aproxime de nosso litoral significará que já fomos derrotados. Já que carregam centenas de misseis de cruzeiro, todos com longo alcance. – Quanto aos SNBR, construirmos apenas um é algo totalmente sem sentido. Depois desses 4 Scorpenes convencionais, e após o SN Álvaro Alberto teremos a construção… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Farroupilha. Concordo com quase tudo, apenas acho que existem outros cenários para atuação de uma frota estrangeira contra o Brasil além do ataque direto ao território, por exemplo um bloqueio naval em torno do litoral do SE, o bloqueio naval na região entre NE e a África, ações no litoral da África, etc. Além disso, acho que apenas os EUA teriam capacidade naval de colocar uma grande frota no Atlântico próxima ao Brasil sem prejudicar as suas próprias defesas. Inglaterra, França, Rússia, por exemplo, tem excelentes marinhas mas não tão grandes ao ponto de formar uma força tarefa para… Read more »

Renan Braga
Visitante

Parabéns pelo comentário dentro da realidade!

Sincero
Visitante
Sincero

O PROSUB de vento em popa e o PROSUPER no lamaçal burocrático, que venham as sucatas no osso dos países desenvolvidos.

Renan Braga
Visitante

A MB tem que estar do nordeste e norte ao sul do Brasil não só no rio de janeiro!
Francamente amazônia azul que balela !
Melhor seria guardA costeira brasileira bem equipada !

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Renan. A MB precisa ter capacidade e flexibilidade de deslocamento. Não importa se a base é no RJ, na Ba ou RN. Ela precisa estar próxima ao litoral entre ES e PR onde estão os principais portos, linhas comerciais marítimas, complexo industrial naval e a usina nuclear.

teropode
Visitante

Não é bom nem falar muito disto só pra não dar azar . Mas acho que estarei lá no dia que batizarem o Subnuclear .

Heitor
Visitante
Heitor

Por curiosidade, como se transporta uma estrutura tão pesada?

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

A NUCLEP e a UFEM ficam próximos de 3,5km do ICN em Itaguaí. Bastou transportar por aquele veículo de mais de uma dúzia de eixos da primeira foto.

Heitor
Visitante
Heitor

Ahh que massa! Obrigado, CFC_RJ!

Mathrus
Visitante
Mathrus

Não seria possível levar a seções dos subs via Navio?
Não é muito demorado transportar de caminhão?

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Mathus. Sugiro você dar uma olhada no Google Maps para ver o caminho percorrido pelas seções dos submarinos entre a UFEM e Itaguaí. O transporte por terra é o mais simples e rápido.

Renan Braga
Visitante

Sou a favor da guarda costeira brasileira bem equipada em todos os estados litorâneos …
E uma marinha de guerra respeitável bem destribuida pelo litoral e uma redução de custos com contratação de temporários e diminuição de promoção de cargos e valorização dos marinheiros
Extinção de oficiais capelões e outros cuja função não é tão necessária e uma indústria naval potente e bem distribuídas gerando respeito e renda a todos.

Luis Felipe
Visitante
Luis Felipe

Espero que a onda dos contingenciamentos não afete o Prosub. O ritmo do programa vem se mantendo, ao menos aparentemente, intacto. Bacana mesmo vai ser quando o “Álvaro Alberto” estiver pronto.

Laurindo Burin
Visitante
Laurindo Burin

parabéns ao Brasil por esse grande projeto, que nos dá orgulho de ser brasileiro.Pais que investe em defesa é soberano.Que Deus abençoe este investimento.