Home Guerra Antissubmarino Londres teme que submarinos russos ‘super silenciosos’ operem em águas britânicas

Londres teme que submarinos russos ‘super silenciosos’ operem em águas britânicas

6795
127
Submarino classe Varshavyanka, Projeto 636.3

Segundo o The Telegraph, novos submarinos russos supostamente representam uma ameaça à segurança britânica, rastreando a frota da Grã-Bretanha, explorando cabos submarinos e espionando sistemas de telecomunicação

LONDRES, 4 de agosto /TASS/ Novos submarinos russos, classe “Varshavyanka”, ou o Projeto 636, também conhecido como submarinos da classe “Kilo”, devem operar nas águas territoriais britânicas sem serem vistos e ouvidos pela Marinha Real Britânica, disse o jornal The Telegraph no domingo, citando importantes fontes militares.

De acordo com o diário, novos submarinos russos equipados com motores a diesel de baixo ruído supostamente representam uma ameaça à segurança britânica, rastreando a frota britânica, utilizando cabos submarinos e espionando sistemas de telecomunicações.

“O novo Primeiro Lorde do Mar precisa dar conta da batalha submarina”, disse a fonte ao The Telegraph. “Devemos ser melhores no que fazemos.”

“Os russos estão se beneficiando de um enorme aumento nos gastos com pesquisa e desenvolvimento de 15 a 20 anos atrás, que agora está produzindo essa nova classe de submarinos ‘Kilo’ super silenciosos”, acrescentou.

O Telegraph cita o Almirante Tony Radakin, o novo chefe da Marinha Real Britânica, que disse em sua primeira declaração pública como chefe da marinha sobre um risco maior de conflitos entre estados no mundo e prometeu investir mais no Atlântico Norte para “manter a liberdade de manobra do dissuasor nuclear”.

A embaixada da Rússia em Londres reiterou que políticos britânicos e líderes militares estavam assustando o povo britânico com uma suposta ameaça russa buscando um aumento no financiamento da defesa.

FONTE: TASS

Subscribe
Notify of
guest
127 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat
Tomcat
1 ano atrás

Cara, onde será que essa foto foi tirada? A cor dessa água é magnífica!!!

Rudi -* PY3TO
Rudi -* PY3TO
Reply to  Tomcat
1 ano atrás

Pensei a mesma coisa

Camargoer
Camargoer
Reply to  Tomcat
1 ano atrás

Caro Tom. Provavelmente é o espalhamento da luz azul do céu. Acho improvável que seja algum microorganismo ou mineral dissolvido (pode ser photoshop também).

Kommander
Kommander
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Camargoer, sou meio leigo no assunto. Mas porque o UK temeria um sub diesel-elétrico ao invés de um sub nuclear que pode ir bem mais longe e ser mais silencioso?

JPC3
JPC3
Reply to  Kommander
1 ano atrás

É difícil dizer qual é o mais silencioso, os dois são perigosos, em águas rasas o elétrico é até mais discreto. O medo também se deve mais ao aumento da atividade russa não apenas pela qualidade do submarino.

Kommander
Kommander
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Entendi. Obrigado pela resposta. Vou pesquisar mais sobre o assunto.

nonato
nonato
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Alguns a diesel podem ser até mais silenciosos.
Não podem ficar submersos eternamente, mas ficam só na bateria.
Acho que nada que não possam ficar tipo 5 dias só fuçando.
Depois, se afastam e algum navio os abastece.

JPC3
JPC3
Reply to  Kommander
1 ano atrás

Mesmo que fosse dos subs mais antigos ainda seria um problema sério.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Kommander
11 meses atrás

Kommander, submarinos convencionais actuais conseguem ser tão silenciosos, e mais até, que submarinos nucleares.
Não conheço muito bem os submarinos russos, mas os U212/214 alemães, por exemplo, são reconhecidamente silenciosos, ao ponto de que aquando do seu lançamento não houve cliente do dito sub que não fosse convidado para se “exercitar” com os americanos, não foi coincidência.
Os convencionais perdem, por norma, em poder de fogo, e obviamente em autonomia e por norma velocidade, mas de resto são armas igualmente temíveis.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Peter nine nine
11 meses atrás

(…) A norma actual é que eles exercem dissuasão precisamente pela sua furtividade.

ScudB
ScudB
Reply to  Tomcat
1 ano atrás

Mar Negro , IMHO.

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Tomcat
1 ano atrás

Não foi na Baía de Guanabara…kkkkk

JPC3
JPC3
Reply to  Tomcat
1 ano atrás

Se for no mediterrâneo esse é o normal de lá.

ecosta
ecosta
1 ano atrás

Quem diria que um ssk com AIP iria meter medo.

Algum Tupi/Tikuna da nossa MB já lançou exocet ?
Todos foram convertidos para lançar mk48 adcap?

Fábio CDC
Fábio CDC
Reply to  ecosta
11 meses atrás

Saudações.
.
Até onde eu saiba, nossos Tupi não podem lançar míssil algum, estando limitados apenas ao emprego de torpedos e minas.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Fábio CDC
11 meses atrás

Não podem é a os futuros submarinos, inicialmente acredito que também não terão, só mais tarde.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  ecosta
11 meses atrás

Kilos não têm AIP.

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

Subs convencionais não tem autonomia para sair da Russia e chegar no RU.

ecosta
ecosta
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Não se esqueça que SSKs Foxtrot foram da Russia até Cuba sem reabastecer na crise dos mísseis.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Tem aonde ? Chegar combater ?
Evadir ? Não não tem. Submarinos convencionais só servem para operarem perto da costa.
Por isso que potências marítimas tem o nuclear

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Não tem nem velocidade para chegar a zona de combate a tempo, sem o risco de serem detectados.

Dalton
Dalton
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto…concordo que há um certo exagero dramático, afinal de contas não serão tantos submarinos assim, meia dúzia baseados na Frota do Norte e menos ainda certificados para missões, mas, podendo permanecer no mar por cerca de 45 dias isso é mais do que suficiente para alcançar o Reino Unido…se isso será feito ainda mais de forma rotineira não se sabe e pode ser que haja uma tentativa de se conseguir mais verbas para a defesa. . As “potências marítimas” tem o “nuclear” porque também não podem ter ambos os tipos e contam com aliados que possuam submarinos convencionais. . Veja… Read more »

Juarez
Juarez
Reply to  Dalton
1 ano atrás

Dalton, eles tem Kilos na frota do mar do norte?

Dalton
Dalton
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Oi Juarez…no caso de você retornar…há uma meia dúzia de
“Kilos” na Frota do Norte, são antigos já, mas, tem sido revitalizados para ultrapassar 30 anos ou mais de vida,
eventualmente visitam a Noruega e adentram no Báltico
também.
abs

Augusto L
Augusto L
Reply to  Dalton
1 ano atrás

45 dias usando snorkel e a velocidade maiores, como eu disse com isso sua furtividade diminui bastante. Nenhum submarino convencional faz uma travessia dessa submerso totalmente.
Sem contar que ele tem que ir e voltar, combater, procurar alvos, seguir navios que tem velocidades maiores.
Resumindo não irão descer submarinos convencionais para combater a a marinha real.

Dalton
Dalton
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Não se está em guerra e dificilmente os russos irão começar uma com o Reino Unido, mas, um submarino avançado como o “Kilo” se de fato enviado ao Reino Unido, pode em tempos de paz exercer funções de vigilância, reconhecimento, coleta de dados e mesmo em uma simulação de guerra poderia complementar submarinos de propulsão nuclear que os russos e também os americanos não tem em quantidades suficientes.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Dalton
11 meses atrás

A observação sobre Guam ou outra ilha do lado Americano ou até Chinês é que são alvos fixos, uma frota de submarinos estaria vulnerável a ficar sem apoio logístico ou até ser atingida no porto e quando submarinos sobem à superfície eles perdem seu encanto!

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Dalton
11 meses atrás

Obrigado pelo ponto de vista Dalton. Iluminar aqui a malta.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Eles faziam totalmente submersos ? A resposta, é não, ou seja, eram presas fáceis para aviação embarcada e quando a marinha americana e a marinha real começaram a fechar o atlântico com seus porta aviões de escolta com aeronaves anti-submarinos o numero de submarinos fazendo á travessia caiu drasticamente. Agora me diz como que raiz um sub convencional russo vai descer pelo GIUK gap, com uma porcaria de um snorkel para fora da agua denunciando sua posição ? Vocês tem noção que essa parte do Atlântico é um dos mais vigiado do mundo ? Isso sem contar que esses subs… Read more »

Wagner
Wagner
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Augusto, mesmo hoje, localizar uma task force completa no meio de um oceano nao é uma tarefa simples, qto menos um snorkel! Lembrando tambem que em uma eventual hostilidade em larga escala não fazemos a menor ideia de como a marinha russa operara seus diesel-eletricos. Mas seria uma jogada interessante tentar coloca-los sorrateiramente no litoral do UK antes do conflito aberto.

JT8D
JT8D
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Mas vários foram localizados e afundados. Era um risco que os alemães tinham que correr. Hoje isso não faz mais sentido, pelo menos em tempo de paz e para quem tem subnuc

julio
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Não achei essa informação sobre os Kilos, mas os Scorpene tem 11.700km de autonomia, daria pra fazer umas quase 5 viagens.

marcus
marcus
Reply to  julio
1 ano atrás

Em qual velocidade? Reportagem do poder naval 4 de novembro de 2008. Continuando nossa troca de idéias sobre os futuros submarinos do Brasil, no gráfico acima pode-se ver o alcance de um submarino convencional dotado de sistema AIP (Air Independent Propulsion) com células de combustível, como o alemão U-214. O círculo menor mostra o raio de ação submerso de nossos atuais U-209, antes que precisem usar o snorkel para recarregar as baterias. O alcance submerso do U-214 é de cerca de 420 milhas a 8 nós e 1.248 milhas a 4 nós, usando células de combustível. O U-214 já foi… Read more »

julio
Reply to  marcus
1 ano atrás
Augusto L
Augusto L
Reply to  julio
1 ano atrás

A 8 nós usando snorkel, não totalmente submerso, na qual cai para 400 milhas, não da nem 700km.
A distância de Murmansk até o RU é de 4 mil km.

Greyjoy
Greyjoy
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Por que o submarino não estaria totalmente submerso?

julio
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

De São Petesburgo dá um pouco mais de 2,500km e vc disse autonomia.

Kemen
Kemen
Reply to  marcus
1 ano atrás

Um submarino U 212 com seu AIP pode navegar submerso a 8 nós por 4.978 KM sem snorkel, A 6 nós navegando submerso por 5.689 Km sem snorkel, essas são distâncias máximas, não significa que tentem chegar ao limite. Além disso tem um alcance bem maior, limitado ao combustivel que dispõe se não for reabastecido e o limite em relação aos suprimentos disponíveis que se limitam em dias de navegação, se não for reabastecido em alimentos.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Kemen
1 ano atrás

Na verdade é de 1248 milhas o que da 2008 km, á 4 nós e á 8 nós 420 milhas ou 670 km.

Kemen
Kemen
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto L, você não esta informando dados do submarino U 212 com AIP, esta informando os limites aproximados da capacidade dos submarinos Soryu com baterias de Litio – Ión (sem AIP) que são de uns 1800 Km a 6 nós e 500 Km a 22 nós.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Kemen
1 ano atrás
Kemen
Kemen
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Pois é Augusto, eu me refiro ao Type 212, se você não acredita, abaixo vai um dado generico, e disponho deinformações mais detalhadas do submarino que bateu o record de submersão com AIP.

“Endurance:3 weeks without snorkeling, 12 weeks overall”

3×7 = 21 (deve ser a uns 3 ou 4 nós) com baterias novas.
O fabricante garante 14 dias a 8 nós em qualquer tempo, corrente maritima, etc.

https://en.wikipedia.org/wiki/Type_212_submarine

JT8D
JT8D
Reply to  julio
1 ano atrás

Submerso?

MBP77
MBP77
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Os U-boats germânicos da 2ª GM não concordam com esse comentário.
Sds.

Augusto L
Augusto L
Reply to  MBP77
1 ano atrás

Essa autonomia não é totalmente submerso.
MBP77 muito da travessia atlântica era feita ao nivel do mar.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Se viajar totalmente submerso vai perder autonomia, além do que dependendo da velocidade sua furtividade vai pro brejo e sua autonomia também cai, ou seja, teria que fazer submerso a baixa velocidade e ainda sim teria um alcance menor.
Caso resolvesse viajar a profundidade de periscópio iria virar um alvo.

Munhoz
Munhoz
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto Um sub Lada por exemplo irá navegar com o snorkel quando necessário. Sendo que na travessia até o RU ele usará mais vezes, quando chegar próximo ao mar territorial do RU ele usará as baterias com o auxílio do AIP para entrar e sair do mar territorial do RU, ou seja, enquanto ele estiver dentro do mar territorial britânico e óbvio que não usará o snorkel, mas quando estiver fora ao redor ele estará livre para usá-lo para recarregar as baterias! E mesmo que até seja rastreado com o snorkel em águas internacionais, ele poderá posteriormente desaparecer mergulhando e… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

Claro que é, e a autonomia e velocidade submerso é extremamente baixa, usando o snorkel aumenta significativamente a autonomia mas a velocidade ainda assim é limitada.
E o RU é da Otan, ou seja, teria vigilância marítima partindo do RU, Noruega, Islândia e Groenlândia.
No caso da crise dos mísseis de Cuba, o submarinos estava operando perto de bases aliadas, que era Cuba, já nesse hipotético cenário da reportagem estaria operando longe das bases.

Submarino convencional opera perto da costa, nuclear em mar aberto, sacou ?

MBP77
MBP77
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto, você falou de autonomia no 1º post.
Falei sobre isso, tão somente.
Ainda assim, a tecnologia de submersíveis convencionais evoluiu tanto desde então, que acreditar numa autonomia submersa tão restrita como a que você descreve, é como afirmar que entre um Ford T e uma Range Rover Evoque nada foi melhorado ou agregado em termos de tecnologia e desempenho.
Sds.

Rene Reis
Rene Reis
Reply to  MBP77
1 ano atrás

pois e , cada uma viu , aquele u-boat abatido na nossa costa era fake news

JT8D
JT8D
Reply to  Rene Reis
1 ano atrás

Você disse bem: abatido (localizado e destruido)

Victor F.
Victor F.
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Subs convencionais alemães atacavam alvos na costa brasileira durante a Segunda Guerra Mundial. Você realmente acha que submarinos russos construídos sete décadas depois não conseguiriam chegar ao Reino Unido?

Augusto L
Augusto L
Reply to  Victor F.
1 ano atrás

Voce sabia que tinha uma falha de cobertura no atlântico ate o fim de 1944? A é não, não sabiam, porque não entende nada de guerra.
Depois que colocaram porta aviões no meio do atlântico com aviões com radares essa atravessia se tornou praticamente inviável.
Nenhum submarino convencional faz totalmente submerso, o que o torna um alvo.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Foi o que eu disse, acima usando Snorkel, virando um grande alvo.

“Caso resolvesse viajar a profundidade de periscópio iria virar um alvo.“

pangloss
pangloss
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto L, um submarino da classe Tupi consegue atravessar o Atlântico e chegar à África, sem reabastecer.
Mas, pelo jeito, você só aceita que um submarino convencional faça isso sem snorkel, mantendo 200 nós de velocidade, a 300 metros de profundidade.
Nesse caso, tenho que concordar contigo.

Kemen
Kemen
Reply to  Victor F.
1 ano atrás

Victor F, muitos dos submarinos alemães tinham uma estratégia de reabastecimento no mar por navios e por submarinos chamados “submarinos mãe” quando operavam no Atlantico Sul, isso é explicado nos filmes e reportagens da WW II. Mas em relação aos submarinos russos, eles tem a capacidade de ir muiiiiiiito mais longe que a costa da Grã Bretanha e sem reabastecer.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

A base de Murmansk fica próximo do Mar do Norte e de lá eles chegam fácil no Atlântico Norte! E os submarinos Kilo pelo que se fala tem autonomia de 45 dias, da com folga para passar vários dias em patrulha perto do Reino Unido e voltar para casa!

Augusto L
Augusto L
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

Fabio, os Scorpene que tem 70 dias viajando, á 8 nós, a profundidade de snorkel o que da 20.000km de autonomia, que para o combate seria menos da metade, porque você teria que ir e voltar, e ainda combater. Já totalmente submerso a autonomia total cai para pouco mais de 670 km, o que não da nem para chegar lá. Imagina um Sub que só tem 45 dias. Lembrando que a profundidade de periscópio e com velocidade um pouco maior, sua furtividade diminui bastante. Resumindo os russos não irão usar submarinos convencionais no mar da Noruega próximo ao RU, essa… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

As versões mais recentes do Kilo tem AIP o que pode ser útil para se manter mais furtivo nos deslocamentos em áreas com maior vigilância. E se os britânicos estão preocupados é que a inteligência deles já deve ter identificado algo, muito provavelmente não são muitas missões deste tipo, mas vez ou outra um submarino deste pode dar uma volta por lá para testar com os aviões russos o fazem!

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Fabio Araujo
11 meses atrás

Kilos não têm AIP.

JOSE DE PADUA VIEIRA
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto, entendi o que quis dizer, mas vc está esquecendo que pode snorkear a noite onde fica menos visível, navegando submerso durante o dia. Partindo de são Petersburgo não é uma distância tão impossível para um submarino convencional realizar inteligência em tempos de paz.

Augusto L
Augusto L
Reply to  JOSE DE PADUA VIEIRA
1 ano atrás

O snorkel se detecta por radar.

Brunow Basillio
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Fiz um comentário não saiu, postei de novo, caso repetir peço desculpas.. Aqui as especificações do projeto 636 nos inícios dos anos 2000.. Deslocamento de superfície – 2300 toneladas (projeto 636 / 636M – 2350 toneladas); Deslocamento subaquático – 3040 toneladas (projeto 636 / 636M – 3100 toneladas); O maior comprimento – 72,6 m (projetos 877M / 636 / 636M – 73,8 m); Estoque de flutuabilidade – 32%; O comprimento do case durável é de 51,8 m; A maior largura – 9,9 m; Calado na linha de flutuação – 6,2 m; Usina principal: – número e capacidade dos motores diesel… Read more »

André Selles
André Selles
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Prezado Augusto L,
Esse é um blog de gente que conhece. Recomendo mais humildade para ouvir (ler) e aprender sobre o tema.

filipe
filipe
1 ano atrás

ele é chamado de buraco negro, é lada , é kilo, é perigoso e tem kalibir de sobra…

Bosco
Bosco
Reply to  filipe
1 ano atrás

Ele é chamado de “buraco negro” por quem?

Ricardo
Ricardo
Reply to  Bosco
1 ano atrás
Bosco
Bosco
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

Isso eu sei. Mas eu gostaria que me mostrasse um comandante da USN ou da OTN , ou um documento da USN ou da OTAN ou alguma citação oficial onde a USN cita esse “apelido”. Não há. O que há é que os próprios russos dizem que os americanos chamam assim os submarinos sem que isso nunca tenha partido originariamente da boca ou da escrita de um oficial americano ou da OTAN. Como sempre, essa história de “black hole” começou com uma … sputinice lá pelos idos de 2013 ou 14 (??). No artigo citava a reação emocional dos almirantes… Read more »

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  filipe
11 meses atrás

Lada é um outro sub diferente do Kilo. Assim como Amur e Kalina.

Jundiaí
Jundiaí
1 ano atrás

Para acompanhar a frota britanica basta os satelites Russos!

Augusto L
Augusto L
Reply to  Jundiaí
1 ano atrás

Satélite não proveem dados atualizados o tempo todo. Somente dados dados brutos.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Jundiaí
1 ano atrás

Tá ligado que não é assim que funciona né?

Bosco
Bosco
Reply to  Jundiaí
1 ano atrás

Jundiaí, 60% dos satélites militarem em órbita são dos EUA e nem por isso ele deixou de encomendar 180 aviões de patrulha marítima P-8 e mais uns 70 UAVs de patrulha Triton. Isso sem falar em algumas centenas de helicópteros embarcados em seus navios, etc. Os satélites mais apropriados para acompanhar navios são os de reconhecimento ELINT que monitoram o tráfego de radiofrequência, mas navios e submarinos militares, principalmente quando não querem ser achados , não ficam transmitido o tempo todo. O radar opera de forma racional e as comunicações são esparsas ou em frequências que não atravessam a atmosfera… Read more »

Jundiaí
Jundiaí
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Obrigado pelo esclarecimento!

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

Quem vai descer o GIUK gap em caso de conflito serão os submarinos nucleares e não os convencionais.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Representariam perigo caso a Royal Navy opere no Mar Báltico, no Mar Negro, ou próximo a costa Síria

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

É difícil imaginar as ações reais da Marinha Real no Báltico e no Mar Negro, devido à sua rápida degradação, apesar do comissionamento de novos navios, incluindo porta-aviões.
E não se preocupe com as ações dos submarinos a diesel na costa da Grã-Bretanha, essa é apenas uma “doença sueca” que ultrapassou a imprensa inglesa.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Evgeniy (RF).
1 ano atrás

Claros que eles operariam, eles são da Otan.
O próprio exercício BALTOPS desse ano teve grande participação da marinha real britânica.

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Toda a relação militar é baseada no “temor”. Um piloto de F-22 tem temor de um F-5 armado com canhão. Por isso ele o abate de longe.
O RU tem temor de todos os submarinos russos e chineses e iranianos e coreanos se não não teria uma marinha com armas antissubmarinos .
****Quem disse que sites de “defesa” não são cômicos?

100nick-Elã
100nick-Elã
1 ano atrás

Submarinos diesel-elétricos e submarinos nucleares não são concorrentes; na verdade, são complementares e uma marinha precisa dos dois modelos. A Rússia dispõe de 16 submarinos nucleares (contra 18 dos EUA) e conta com 32 (se não me engano) submarinos à diesel.

JPC3
JPC3
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

É algo próximo de 70 nucleares nos EUA e nenhum elétrico de ataque.

Brunow Basillio
Reply to  JPC3
1 ano atrás

100nick-Elã.
Segundo fontes Russas (flot.com) a marinha russa inclui 13 submarinos nucleares com mísseis balísticos, 27 submarinos nucleares com armas de mísseis e torpedos, 19 submarinos a diesel, 8 submarinos nucleares para finsespeciais e 1 submarino a diesel para fins especiais.
Este ano sera comissionado um Borei A, e se não me engano um Yasen e mais uns 2 ou três diesel elétrico ( estes últimos tenho dúvida se será comissionado ou lançado) mas de qualquer forma nos próximos anos a marinha russa terá em torno de 75 a 80 submarinos, somados todos modelos e funções…

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Kazan, projeto 885M, definitivamente não será a tempo este ano. No melhor dos casos, o seguinte.

Dalton
Dalton
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Brunow… . cabe uma pequena atualização, o número de SSBNs é de 10, sendo 3 “Borei”, 6 Delta IV e um único Delta III o “Ryazan” que ganhou uma pequena sobrevida recentemente até que os novos “Borei A” entrem em serviço…o único “Typhoon” sobrevivente foi utilizado para testar o SLBM “Bulava”, mas, não realiza patrulhas estratégicas e tem sido utilizado como um “SSN”. . Quanto ao número total chegar a 75 a 80 unidades isso só será possível se nenhum submarino for retirado de serviço o que parece pouco provável já que alguns nem mesmo será modernizados ou terão suas… Read more »

Brunow Basillio
Reply to  Dalton
1 ano atrás

Dalton… Realmente alguns deverá ser retirado, mas infelizmente se tratando de Rússia é difícil conseguir alguma informação que possa ser considerada 100% verdade, em uma breve googleada aqui descobrir quais serão comissionado e lançados nos próximos anos, mas não conseguir achar se vão retirar algum.. Segundo fontes Russas, nos próximos 18 meses será comissionado: 1 Borey A= P. Vladimir 1 YasenM= Kazan 1 Projeto 09852 =Belgorod Será lançado Borey A 2019 = P. Oleg 2020 = G. Suvorov 2020 = Imp.Alexandre III 2021 = P. Pozharsky Yasen a ser lançado 2019= Novosibirsk 2020= Krasnoyarsk 2020 = Arkhangelsk 2020 = Perm… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Brunow Basillio
11 meses atrás

De fato as informações não são tão transparentes e/ou fáceis de encontrar, como ocorre com a US Navy o que torna a tarefa de atualização mais complicada. . Recentemente li por exemplo que segundo a fonte “Izvestia” em 2021 serão desmantelados 4 submarinos entre os quais um Delta III o “Podolsk” e um “Victor III” o DaniiL Moskovsyi retirados de serviço recentemente, então, confirma-se que apenas um “Delta III” resta e os “Victor III” restantes não serão modernizados e em breve serão retirados. . Também a modernização do “Sierra II” tem enfrentado problemas técnicos e financeiros o que poderá levar… Read more »

rommelqe
rommelqe
1 ano atrás

Nesta questão de autonomia deve-se lembrar que um Tupi, por exemplo, apresenta um determinado alcance submerso a partir de uma condição na qual as baterias estejam totalmente carregadas. Quando esgotadas as baterias, ele deve emergir, recarregar com os motores diesel (o que pode er feito sem que pare de navegar na superfície) e depois ressubmergir, igualzinho aos ciclos que uboats faziam na IIGM, até que o diesel acabe (aí um navio reabastecedor pode perfeitamente ajudar…). Isso permite facilmente sair da Alemanha e chegar no Brasil sem nenhum reabastecimento externo. Já um sub com AIP-MESMA (frances), depende de ser ressuprido com… Read more »

kevinbuenuu
1 ano atrás

Li o título da materia e ja me veio mente o ‘Caçada ao Outubro Vermelho’ rsrs .Porém estes não são de propulsão à ion.

Bosco
Bosco
Reply to  kevinbuenuu
1 ano atrás

Kevin,
Sem querer ser preciosista, mas a propulsão do “Outubro” era MHD (magnetohidrodinâmica).

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Não estou certo, mas parece que no livro é pump-jet, no filme foi MHD! 😉
.
Sds

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Bosco
11 meses atrás

Obrigado pelo link Bosco!!
.
Abs

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

O fato é que Royal Navy esta deixando à desejar há alguns anos, desabilitando equipamentos sem ter outros para pronta substituição. É provável que os russos já tenha feito isso mas na frequência que se alardea a reportagem. O Reino Unido tem de voltar a ter prontidão que tinham na década de 80 pois é notório que seus interesses vem sendo constantemente ameaçados. A dissuasão nuclear resolve problemas grandes mas não os intermediários e pequenos.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Segue o jogo, para azar da Russia só faltava mesmo a Inglaterra, Itália, França e Alemanha investirem pesado em suas marinhas. Já não bastasse os EUA.

Osvaldo serigy
Osvaldo serigy
1 ano atrás

Assistir o filme recomendado aqui no site! Gostei bastante! A quem interessa o nome é Alerta Lobo (Fala sobre guerra submarina). Netflix.

MGNVS
MGNVS
1 ano atrás

Ué… nao entendi a preocupacao, pq de acordo com a cabeça fechada e obtusa de alguns foristas “ispecialistas” aqui o material militar russo nao é de pessima qualidade e a propria Russia nao esta falida? Pq o Reino Unido deveria se preocupar com a Russia visto que os “ispecialistas brasileiros de teclado de computador” ja “decidiram” que nada ali presta?… entao taókey. So que nao… a realidade dos fatos é totalmente diferente do achismo. O problema ali nao sao os Classe Kilo… e sim o submarino nuclear AC-31 Losharik e a profundidade que ele pode alcançar. Esse submarino sim, é… Read more »

Enes
Enes
Reply to  MGNVS
1 ano atrás

MGNVS, quem já levou tiro de fuzil, tem medo de garrucha.

MGNVS
MGNVS
Reply to  Enes
1 ano atrás

Enes
Por isso mesmo nem EUA nem Reino Unido subestimam a Russia. So alguns foristas aqui fazem isso, com certeza esses “ispecialistas” devem ter mais “informaçoes secretas” que o Pentagono.

jbqjunior
jbqjunior
Reply to  MGNVS
11 meses atrás

Algo mais engraçado ainda ocorre, quando o pessoal “vibra” com o Gripen NG mas desce o farrapo quando se trata de Su-57 ou J-20…

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Se os russos armarem seus submarinos com aquele raio descerebrante produtor de “paura” que usam em seus aviões e mirar em Londres. pode haver um suicídio em massa de londrinos tal a capacidade da arma secreta russa em causar pavor. Sem falar do efeito residual do “apagão”. Londres ficará as escuras e o povo gemendo de terror.
Muitos londrinos acreditarão ter chegado o Apocalipse.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Bosco
11 meses atrás

É cada propaganda que eu não acredito, arma que dá agonia, radar que pega stealth do outro lado do oceano, torpedo do fim do mundo supersônico, míssil matador de porta aviões… é uma miríade de conversas de doido!

Madmax
Madmax
1 ano atrás

Dessa vez concordo com o Russo. Político querendo verba.

Helio Eduardo
Helio Eduardo
1 ano atrás

Augusto L, você coloca bons argumentos, enriquece o debate, mas, ato contínuo, desperdiça-o ao teimar em não ouvir os outros. Ao contrário de afirmar peremptoriamente, eu só posso supor que, primeiro, o RU faz este estardalhaço todo porque vive a eterna briga por mais recursos, mais meios, mais homens e um adversário astuto e ousado é uma boa propaganda. E, segunda suposição, se a Rússia possui os meios, no caso subs convencionais super silenciosos e com AIP, porque não testá-los em águas contestadas? A Rússia sempre fez isto e fará novamente, talvez seja parte da doutrina, os mais informados poderão… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Helio Eduardo
1 ano atrás

Durante toda a guerra fria quem descia o atlântico norte eram os submarinos nucleares, não os convencionais. Os submarinos convencionais ou operavam perto de aguas russas ou perto de aguas aliadas como cuba. Submarinos com AIP não mudam a característica de um submarino convencional, se fosse assim o Brasil poderia desistir desde já de seu submarino nuclear. Portanto não há porque mudar, único objetivo em se chegar em águas britânicas em caso de guerra seria : 1 – Minar os portos. 2 – Impedir que os submarinos nucleares britânicos saem para sua patrulha. 3 – Tentar destruir parte da frota… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Todos os países do GIUK gap são da OTAN. Unico meio que vejo é em tempos de paz manter patrulhas constantes no caso de um conflito ocorrer ser um meio que posso ajudar na falta de submarinos nucleares e que ja esteja presente no T.O, mas mesmo assim eles teriam que lidar que esses submarinos não durariam muito em combate e que não haveria muita possibilidade de mandar outro depois do começo das hostilidades.

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Concordo, mas porque não considerar a hipótese de que os russos estejam testando as possibilidades? O uso de SSK para as missões que você elencou nos itens 1 a 3 acima deve exigir muito treino e planejamento, sem contar que ! Em caso de conflito, se o RU e a OTAN tomarem como possível que SSKs russos naveguem pelo mar do norte e cheguem à costa da Inglaterra (e França, Alemanha, Dinamarca, Noruega, etc), quantos recursos teriam que alocar nessa região para neutralizar a ameaça? Penso que, nessa hipótese, parte do objetivo russo teria sido cumprido, qual seja, “prender” importantes… Read more »

Wagner
Wagner
Reply to  Helio Eduardo
11 meses atrás

Helio, concordo e vou alem… Hoje a RN não chega a ser uma sombra do que um dia foi. Quem garante que uma força determinada e astuta nao encontre as brechas para passar com varios subs convencionais alguns dias antes de iniciar hostilidades em larga escala e pegar a RN com as calças na mão? Ademais, os russos sabem jogar esse jogo submarino muito bem.

João Bustos Moreno Neto
João Bustos Moreno Neto
1 ano atrás

Agora, é uma questão de tempo. O mundo nunca viu uma preparação tão grande para uma guerra psicológica e nefasta. Todos estão aumentando sua defesas e de ataque. Haverá volta para tudo isso ou eles pensam que algum país sairá vitorioso após uma guerra nuclear? Idiotas.

Enes
Enes
Reply to  João Bustos Moreno Neto
1 ano atrás

A bem da verdade, na minha opinião não existe vitoriosos em nenhuma guerra. Todos perdem.

Jagderband#44
Jagderband#44
1 ano atrás

Só acredito na TASS quando um Kilo destes entrar (emergido) na foz do Tamisa e emergir ao lado do parlamento. =D

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Jagderband#44
1 ano atrás

*submergido

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
1 ano atrás

Bom, sobre a autonomia dos Kilo e de qualquer outro diesel-eletrico com ou sem AIP: ela é o resultado do cruzamento das autonomias por combustível, por baterias (cada uma delas variando em função da velocidade de transito) e por víveres. Não dá pra cravar um número absoluto de milhas de autonomia, apesar do planejamento da missão, porque podem acontecer imprevistos que demandem alterações na velocidade ou rota ou intervalos de indiscrição.

Jundiaí
Jundiaí
1 ano atrás

Foto muito bonita impressionante!!!

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

Notar que os hidroplanos sao de geometria variavel, ou seja, podem ser recolhidos – na forma como se apresentam nesta foto fantastica – para uma regiao entre o casco externo (hidrodinâmico) e o casco resistente. Na condiçao da foto, navegando totalmente na superficie (pelo jeitao deve ter uma reserva de flutuabilidade de uns 8 %) mesmo se extendidos os hidroplanos nao encostam na agua; se estiverem na profundidade de snorkel podem oshidroplanos estar recolhidos evitando interferencia acustic a com o sonar. Assim quando houver necessidade de pronunciar o angulo de mergulho, extende os hidroplanos e submerge mais rapido! Por que… Read more »

Luiz Floriano Alves
Reply to  Rommelqe
11 meses atrás

Tem comentarista agarrado nos parâmetros do acionamento com baterias de chumbo. Já era. as baterias modernas, como as utilizadas nos automóveis elétricos tem um peso tão reduzido que possibilitam o avião elétrico. Aumentam a capacidade de carga nos Subs, bem como o raio de ação, Suoeram o sistema AYP de acumulação de combustível e oxidante. Os russos e os japoneses estão na frente. O Almirantado do UK, como sempre tradicional e avesso a grandes mudanças está perdido. Acima de tudo ainda temos o custo. Pelo preço de um atômico, se produzem seis Diesel de baixo ruido. O nuclear, por seus… Read more »

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Luiz Floriano Alves
11 meses atrás

Vc esquece todo o momento em que o submarino fica realmente vulnerável!

JT8D
JT8D
Reply to  Luiz Floriano Alves
11 meses atrás

É por isso que as forças aéreas estão substituindo seus caças supersônicos por aviões elétricos e os exércitos estão investindo em carros de combate elétricos? Não, péra …

Augusto L
Augusto L
Reply to  JT8D
11 meses atrás

Eu não sei aonde os russos estão mais avançados, estão chegando agora nos AIP e ainda sim, atrasados.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Os japoneses sim, estão avançados nessa aérea.

Leonardo Costa da Fonte
Leonardo Costa da Fonte
Reply to  Luiz Floriano Alves
11 meses atrás

Eles vão navegar a 35 nós indefinidamente, perseguindo alvos velozes? Quer ver…pago para ver…

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Rommelqe
11 meses atrás

Li, em algum lugar, que eles foram recuados pra não interferir com sonar. Os Paltus (projeto 877) e Varshavyanka (projeto 636.3 – os 636 são todos modelos de exportação) têm um modo inteligente de ressuprir torpedos: eles são empurrados adentro do sub pelos tubos de torpedo mais altos, que ficam acima da linha da água.

Luiz Floriano Alves
11 meses atrás

JT8D
Acertou na mosca. Os fuzileiros americanos já tem em testes avançados um jipão elétrico. A principal razão: não tem assinatura térmica intensa como a emissão dos motores de combustão sendo Stealth.. Aliás uma boa ideia tb para nós. Um jipe Gaúcho elétrico? Um carro a la M-113 elétrico seria indetectável ao atravessar um grande rio a noite.
Abço.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Luiz Floriano Alves
11 meses atrás

Quem tem o melhor submarino Diesel é o Japão, com o Classe Soryu nº9.

Leonardo Costa da Fonte
Leonardo Costa da Fonte
Reply to  Luiz Floriano Alves
11 meses atrás

O Soryos disparam algum míssil meramente parecidos com os Kalibrs? Testados em combate? Não me lembro de ter visto outro sub convencional disparar misseis desta classe.