Home Indústria de Defesa Marinha do Brasil estuda alternativas para viabilizar cluster naval

Marinha do Brasil estuda alternativas para viabilizar cluster naval

14067
161
Concepção em 3D da classe Tamandaré
Concepção em 3D da futura classe Tamandaré

Por Carmen Nery – Portos e Navios

A Marinha está empenhada em modernizar sua frota com encomendas em estaleiros nacionais e vem conduzindo um processo de articulação institucional com as esferas superiores do governo para criar no Brasil um polo naval com diversos clusters distribuídos pelo país. O desafio é a viabilidade orçamentária e financeira, mas o plano envolve uma parceria com a Emgepron. Entre as alternativas de funding e capitalização está sendo avaliada a destinação de 10% dos recursos do Fundo da Marinha Mercante, por meio de um projeto de lei que tramita no Congresso.

As informações foram dadas pelo vice-almirante Petrônio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de gestão de programas da Marinha do Brasil, durante o painel “Perspectivas de Construção de Meios Navais na Marinha do Brasil”, que abriu, nesta quarta-feira, 14, o seminário “Cenários da Indústria Naval e Offshore”, promovido pela Portos e Navios.

Aguiar afirmou que, entre os projetos em vista, a Marinha está pensando além da Classe Tamandaré, por entender que precisa aumentar o número de embarcações. Está em curso a montagem do modelo de negócios para aquisição de um novo navio polar. E há outros projetos que passam por navios de apoio logístico, navios de apoio oceânico, navios hidro-oceanográficos e navios patrulha oceânica e fluvial.

“Não temos prioridade porque precisamos de tudo isso. A viabilidade orçamentária é importante e buscamos diuturnamente fontes de recurso para aumentar o orçamento da Marinha, principalmente na rubrica de fontes discricionárias. A segunda fonte é a capitalização, em que, nos últimos dois anos, tivemos sucesso com a Emgepron, que foi capitalizada para dois projetos: o Tamandaré e o navio polar”, informou o vice-almirante.

Ele cita ainda o os acordos como os da Agência Nacional de Petróleo, Gas Natural e Biocombustíveis (ANP), que tem recursos para pesquisa, desenvolvimento e inovação. Isso permitirá construir dois navios oceanográficos junto com a ANP e a Petrobras. A quarta é o Fundo da Marinha Mercante.

“Existe um projeto de lei no Congresso que visa a proporcionar à Marinha do Brasil o acesso a 10% do Fundo de Renovação da Marinha Mercante. Isso vai permitir fazer alguns navios auxiliares. Temos projetos que serão iniciados quando houver viabilidade orçamentária. Dependendo da fonte de recursos vamos para um tipo de navio ou outro”, sinalizou.

Ele reiterou que a Marinha do Brasil não tem nenhuma intenção de construir navios fora do país. O objetivo é contribuir para o setor de construção naval; para o desenvolvimento para base industrial de defesa. “Além de gerar emprego e renda como está acontecendo agora em Itajaí que vai crescer de 2 mil para 6 mil empregos diretos. Mas precisamos de estabilidade de recursos financeiros”, afirmou Aguiar.

Ele explica que Marinha tem sete programas estratégicos: pessoal, programa nuclear, construção do complexo naval da segunda esquadra e da segunda força de fuzileiros no Norte e Nordeste, sistema e monitoramento da Amazônia Azul, sistema de segurança da navegação, e dois dedicados à formação da frota naval que é a obtenção da capacidade operacional plena e construção do núcleo do poder naval.

“Nossos processos hoje são baseados em Planejamento Baseado em Capacidade (PBC), conjunto de procedimentos voltados ao preparo da Marinha desenvolvido em conjunto com o Ministério da Defesa visando à aquisição da capacidade adequada de ao atendimento dos interesses e necessidades de defesa do Estado, observados os limites orçamentários e tecnológicos”, definiu.

A Marinha também trabalha com gestão do ciclo de vida dividido em seis fases: concepção, desenvolvimento do projeto, produção (construção do navio), operação e apoio, e descomissionamento.

“Vários estudos no mundo apontam que 75% do tempo está ligado às fases de operação e apoio e descomissionamento. Portanto, temos de perseguir os menores custos e prazos e melhores desempenho e qualidade. Em todas as fases há necessidade de investimentos e recursos financeiros. Com a intenção e a viabilidade conseguiremos chegar aos navios que a esquadra brasileira precisa”, acredita.

Ele ressalta que a Marinha hoje trabalha com poder naval mínimo, na sua avaliação, o que se pode ter e não o que se precisa ter. São 120 navios e submarinos cobrindo toda a esquadra brasileira e os nove distritos navais – marítimos e fluviais – e os serviços de sinalização náutica. Isso leva a crer que a Marinha tem uma presença razoável no Estado, com sustentabilidade para manter e operar seus navios.

Edesio Teixeira Lima Junior, presidente da Emgepron, detalhou a operação da empresa pública de personalidade jurídica privada, que atua em amplo leque de atividades ligadas à economia do mar – construção, reparação, assessoria – e tem como expertise estruturar de projetos complexos na área. Um exemplo são os programas da Marinha para recuperação do núcleo do poder naval e construção do poder naval.

“Para cumprir sua missão, a Emgepron atua em três eixos estratégicos; os programas estratégicos da Marinha, a economia do mar, e plataformas de exportação. Uma de suas responsabilidades é desenvolver a base industrial de defesa e, portanto, é preciso exportar. Um Estado por si só não consegue construir essa base. É preciso exportar e se inserir nas cadeias globais de valor”, concluiu.

FONTE: Portos e Navios

161
Deixe um comentário

avatar
49 Comment threads
112 Thread replies
5 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
75 Comment authors
Vitor Bruno Fonseca RodriguesJSilvaGil Roberto Alves de CarvalhoMarcelo BaptistaDudu Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

120 navios contando as lanchas e botes.

Juarez
Visitante
Juarez

“2^ frota”, FF do norte e nordeste”, e as viagens ao mundo dos planejamentos maionese não para, não tem fim. Os caras não conseguem por os pés no chão e se defrontar com a realidade operacional.

Renan Braga
Visitante

Pés no chão dificilmente faz anos que os almirantes barrigudos só pensão no seu salário aposentadoria precoce

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Embora seja falado em Frota tá mais pra 1 ou 2 esquadrão de escolta + um navio multi-função. Não entendo até hoje como isso pode ser uma frota….esquadra pode até ser…

Leonardo Santos Tarosso
Visitante

Uma esquadra tem cerca de 40 navios de médio e grande porte. O que o Brasil tem não pode nem ser dito como esquadra, realmente uma vergonha.

Renan Braga
Visitante

Tem o Atlântico alvo gigante consumidor de diesel
Sem helécopetero de ataque moderno descentes

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Verdade, deviamos gastar milhões em helicopteros de ataque que a marinha só usaria em treinamento pois 99% das missões que a marinha usa e usará o atlantico ela só precisa de helicopteros de transporte, esclarecimento maritimo e guerra anti-submarino.

Patriota lúcido ( Renan Braga)
Visitante

Treinar para usar quando precisar …( Helicópteros de ataque ) Já voltou o assunto da Amazônia e do mundo o papa argentino já deu sua benção pesquisem aí Tem uma adolescente que prega na Europa para salvar a Amazônia sem mesmo conhecer estes jovens no futuro podem ter cargos nos governos … Tem um certo prof de Harvard prega um bloqueio naval no nordeste e uma investida militar contra nós quem vcs acham que vem o Chile a Venezuela ? Não né uma certa Otan e o tio San Pra Rússia ninguém ousa ameaçar o Japão que come golfinhos e… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Pai do céu.

Vovozao
Visitante
Vovozao

15/08/19 – quinta-feira, bnoite, gente com todo respeito ao nosso almirantado, para podermos criar um clusters no Brasil, precisaríamos de 2 elementos essenciais: 1) estaleiros capacitados em produção de navios de uso militar; para isso teríamos de intervir em algum estaleiro nacional através da administração da emgeprom (sem contratação como funcionário e sim por tempo determinado, podendo ser renovado) e a associação com um grande estaleiro especializado em navios de guerra preferencialmente japoneses/coreanos do sul/israelense; 2) quanto ao sonho do projeto de lei que cria uma dotacao de 10 0/0 do FMM não acredito, entra governo, sai governo, e nosso… Read more »

gordo
Visitante
gordo

Olha, nosso orçamento esta entre os 15 maiores do mundo.

Rodrigo Moraes
Visitante
Rodrigo Moraes

Orçamento este que é usado em sua maioria com aposentadorias, pensões e salários…

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

a turma fala SEMPRE como se os nosso congressistas fossem como os argentinos deixando literalmente sem verba as forças armadas, mas aí quando vão buscar a realidade descobrem que temos orçamento de país de grande calibre da OTAN(Itália) mas forças armadas que mais se assemelham a Africa(excluindo o norte, porque se comparar-nos a Egito e afins vai ficar triste).
A culpa é em sua vasta maioria dos militares, mal acostumados com mordomias e que de guerra não querem nem saber, só de mamata e aposentadoria.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Exato. E não vejo, no futuro, chance alguma de mudanças. Vejam a proposta de mudança de previdência para os militares. Para compensar a mudança (leve por sinal) das regras, estão dobrando o valor das gratificações e da indenização quando o militar passa pela reserva. A economia com a previdência seria de R$ 98 bilhões ao ano. O custo mensal destas regalias será de R$ 8,7 bilhões ao ano, ou seja, quase 10%. Para “compensar” o cidadão, foi prometida uma redução de 10% do efetivo, ou seja, dos 360 mil militares serão dispensados 36 mil. Uma vergonha. Vejam os números: *… Read more »

Patriota
Visitante
Patriota
Visitante

Fernando vc tem toda razão
Os generais barrigudos almirantes brigadeiros de guerra nem em sonho querem saber…
Já nos discursos pra tropa atuam como se um grande exército fosse … hoje estão preocupados com a reforma da sua previdência só vão aceitar se tiver restruturação de carreira e uma vergonha !

Renan Braga
Visitante

80% para pensão de filha aposentadoria precoce e salários outros 20% para combustível munição água luz telefone internet comida
Eita vergonha vende defesa e não entrega !

Leonardo Santos Tarosso
Visitante

@gordo : mas é muito mal investido, cheio de desvios e ainda mal administrado.

Renan Braga
Visitante

Não só o congresso vovó os militares estão deitado em berço esplêndido faz uns 100 anos já
Só pensam no seu salário aposentadoria precoce carreiras na ativa há 444 mil 400 generais chega ser abuso ! Fonte site MD. já dão despesas e logo vão dar mais com pensão de filha aposentadoria precoce fora uso de hospitais militares
Leia a reforma da previdência militar vai de 30 para 35anos de contribuição … Más pra isso exigem gratificação e restruturação da carreira dar mais despesa pública e não entregar defesa alguma já Eu e vc só com 65 anos de idade .

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

Pois é, militar vai se aposentar com 53 anos de idade (35 de contribuição) e remuneração integral. O servidor civil com 65 snos e aposentadoria pela média das contribuições.
E neguinho ainda achando que temos de aumentar o orçamento das forças armadas.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Eduardo. Referente a idade, considero justo.
A rotina militar é muito diferente da rotina civil.
Fora que o seu trabalho não o obriga a dar a vida pela pátria, diferente dos militares. Exatamente por este motivo, policiais tem o o tempo reduzido de contribuição.

tupinamba
Visitante
tupinamba

Um Policial Militar vive uma situação de guerra constante. Na minha opinião, um militar que desempenhe atividades burocráticas é bem diferente de quando ele está em alguma missão. Acho que para efeito de contagem de tempo para aposentadoria, deveria ser aplicado um modelo semelhante ao de aposentadoria especial por agentes noviços, ou seja, por meio da aferição da exposição e não pela atividade. Não vivemos em guerra, não somos uma Nação expansionista, bélica como os EUA, China, Israel.

Rogério
Visitante
Rogério

A diferença enorme é que policiais efetivamente estão dando a vida nas ruas enquanto que nossos militares no máximo correm risco de morrer de tétano de cortarem o dedo com a enchada enquanto capinam o mato na frente dos BIs

MMerlin
Visitante
MMerlin

Tupinamba e Rogério.
Concordo com a visão de ambos. Mas a legislação não prevê o cenário de caos vivido hoje por boa parte dos estados, uma vez é papel de outros âmbitos garantir a segurança do cidadão.
Mas reitero que isto deveria ser revisto. E sim, deveria levar em consideração o momento atual e distinguir os ambientes de ambos.
Mas em um cenário hipotético, caso o Brasil entrasse em algum conflito, reparem que o cenário poderia se inverter.
Então o processo de melhoria é mais complexo, tendendo a se tornar mais adaptativo.

Patriota
Visitante

carpi e só pra recruta os demais se não tiver humilhado os recrutas estão no ar condicionado ou dando nó nos quartéis
Mas boa colocação parabéns

Patriota
Visitante

Se for policiais militares sim merecem estes dão a vida … Mas já os militares da despesas ops defesa não né faz o favor só dão a vida nas canções fala em reforma previdenciária militar eles já querem de adicional de disponibilidade de 5% para 35 % Eles escolheram a carreira cada escola uma renuncia não vem com este papo damos a vida pela pátria blá blá blá Agora e um bom orçamento militar mal usado Israel tem um orçamento próximo tirando a geopolítica que todos sabemos onde estão fazem bem melhor e tem um exército reduzido más poderoso moderno… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Fato curioso: eu nem ganho pra isso e em caso de guerra também seria obrigado a dar a minha vida pela pátria.
Não que eu não a daria voluntariamente, eu mataria e morreria sem problemas pelo meu país, a questão é que tirando soldados em zonas de guerra ou similares(como o Líbano), não existe qualquer razão para uma aposentadoria tão benevolente às custas de um tão sofrido povo.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Você uso a palavra chave que descreve bem a situação: benevolente.
O conjunto de mordomias é apenas superado pelo judiciário.
Este último é o ápice aonde a vergonha nacional pode chegar.

Vitor Bruno Fonseca Rodrigues
Visitante

Me desculpe, mas quem vai dar a vida em caso de guerra são os tradicionais “buchas de canhão” (soldados e reservistas) ou você acha que os generais e afins estarão na linha de frente?

Tupinambá
Visitante
Tupinambá

E a alíquota de contribuição é de 7,5%.

Patriota
Visitante

Vende defesa e não entrega !

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

O GOLPE DA REPUBLIQUETA nos tirou da Liderança Mundial , e nos colocou na Segunda e até Terceira Divisão do Mundo, até 1930 estávamos na Terceira, aí subimos a Segunda e nos Acomodamos ,depois da Desgraçada Constituição de 88 esta caminhando de Volta para a Terceira ,prestem Atenção ! Se o Governo Atual falhar ,cairemos mesmo para Terceira e chegaremos na Quarta !

Enes
Visitante
Enes

Renan Braga. quem mandou não estudar,kkkkkk

Enes
Visitante
Enes

Esse numero de generais, não existe nem no mundo inteiro, sua fonte de informação é bem esquisita, 444.400 generais? você viu nisso aonde?

Enes
Visitante
Enes

Correção, você viu isso aonde?

Carlos Alberto Soares
Visitante

Israel NÃO tem industria naval para esses fins. Recheio tecnológico tem.

João Boran
Visitante
João Boran

A EMGEPRON é um cabide de emprego para o pessoal da reserva, acorda vovozão, os concursados que são aqueles que realmente trabalham não recebem aumento a 03 anos ai vem você me dizer que tem que contratar por tempo determinado.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Todo o blablablá de sempre enquanto o brasileiro mais esperto em geral já sabe: não vai ter marinha decente porque tem excesso de marinheiro com excesso de aposentadoria.
Qualquer fala que não inclua um apoio a redução da aposentadoria/aumento do tempo de serviço é literalmente igual a nada, mero exercício de oratória.

Daniel Silva
Visitante
Daniel Silva

Só um exemplo.
10 navios de escolta? (6 no mar?)
6 submarinos (1 no mar e 1 em fase de testes)
3 Navios patrulha oceânicos
1 Navio multipropósito
Os demais meios são de transporte ou de pequeno porte.
80 almirantes.
Haja mesa e seminário.

Patriota
Visitante

Haja nessa com comida farta já viu eles na tv maioria barrigudos grande exemplo

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Seis SUBs , se for para brincarmos de Guerra 6 , 2 ou 1 esta de Bom Tamanho ,vamos Pensar !!

Trathanius
Visitante
Trathanius

É tudo uma grande PIADA. E a Emgepron a 37 anos é um cabide de empregos inútil.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Perfeito,nesse período o que a Engepron projetou e desenvolveu?Até a tal modernização do AMRJ ,teria que ser feita por um grupo estrangeiro ,eu comento isso de a muito , agora estamos vendo pressões internacionais pipocando aqui e ali contra o Brasil,porém eu não vejo nada de reativo para nossa defesa ,pelo contrário em um site ,um militar da reserva da Marinha pede para não apoiarmos intervenções dos EUA aqui ou ali ,por que isso poderá ocorrer conosco,quando escutei isso ,parei de entra no tal site, que é bem conhecido.Mirem no Mapa Mundi todos os países das dimensões , população e… Read more »

AntonioCV
Visitante
AntonioCV

Deveria haver uma fonte permanente de recursos destinados exclusivamente à obtenção e modernização de meios navais. Nada mais justo do que adotar o princípio de que quem deve arcar com essa despesa é o princípio do “Quem usa, paga.”, ou seja, as principais atividades econômicas vinculadas ao uso do mar devem arcar com essa conta (assim como o pedágio é cobrada dos motoristas que usam uma determinada rodovia). No Brasil são produzidos mais de 2 milhões de barris de petróleo por dia. Em 2018 a movimentação de contêineres nos portos brasileiros foi de aproximadamente 10 milhões de TEUs. Deveria ser… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Existe uma verba permanente para o que chamamos de “ministério da defesa” e ela é excelentemente gasta com a prioridade da tropa: efetivos elevadíssimos, salários pomposos com aposentadorias precoces e integrais. Jogar mais dinheiro aí é como bombear mais água em um cano estourado.

Fernando
Visitante
Fernando

O antigo comandante da US navy se aposentou com 40 anos de serviço, o antigo comandante da Marinha do Brasil foi pra reserva com 48 anos de serviço. Não me parece tão precoce assim.

tupinambá
Visitante
tupinambá

A maioria dos oficiais se aposenta muito antes disso. Entram com 16 anos no Colégio Naval e muitos se aposentam antes dos 50 anos de idade.

AntonioCV
Visitante
AntonioCV

No Brasil, os militares não se aposentam. Eles vão para a reserva e podem ser chamados à ativa em caso de necessidade!

AntonioCV
Visitante
AntonioCV

Lá em cima eu escrevi bem claro: “…recursos destinados exclusivamente à obtenção e modernização de meios navais.”

Seria interessante que as pessoas olhassem no dicionário o que significa o termo “exclusivamente” antes e saírem por aí falando em “salários pomposos” etc!!! Se há “salários pomposos”, certamente não é nas Forças Armadas, mesmo porque, militar recebe soldo e não salário!

Quer saber qual é o soldo de um militar? Consulte esta página e me diga se lá há algo de “pomposo” nela comparado com outras carreiras que exigem o mesmo grau de dedicação e formação intelectual!

https://www.defesa.gov.br/ministerio-da-defesa/2-uncategorised/8534-remuneracao-dos-militares-das-forcas-armadas-no-brasil-e-no-exterior

Vitor Bruno Fonseca Rodrigues
Visitante

Ali está listado apenas os soldos e não as gratificações. O grande problema não está apenas nos efetivo ativo, mas também no efetivo da reserva.

Patriota
Visitante

Fonte permanente seria 80% do quadro ser temporários 80 mil e muito pra dar despesas e não entregar defesa !

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

A bem pouco tempo a Marinha tinha um quadro de 50mil homens !

Vovozao
Visitante
Vovozao

16/08/19 – sexta-feira, bdia, Esposito, não esqueças que o pessoal cresceu desta maneira em função do erro dos comandantes sonharem com a 2 frota/esquadra seja lá o nome que chamam uma coisa que não irá acontecer, onde ficaria?? Teríamos de construir outra base suntuosa como a de Itaguaí???? Com que dinheiro??? Teríamos bases sem meios navais??? Itaguaí será linda, sem meios navais, um subnuc que não sabemos quando sairá, até lá Itaguaí já estará superada.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

O Brasil sempre começando a construção pelo Telhado , é Burrice , Má Fé ou talvez as Duas Coisas !

Patriota
Visitante

Obrigado pela correção 50 muito ainda
Poem a fonte aí meu jovem

Enes
Visitante
Enes

Caros amigos, esse aumento monstruoso no contingente, não foi criado pela MB, foi na verdade votado pelo congresso na época do governo Lula tendo em vista achar que o petróleo do presal traria grandes fortunas para o Brasil e por isso seria preciso uma grande frota para defender nosso petróleo. Com a queda do preço do barril de petróleo, não houve interesse dos políticos em uma grande frota. O detalhe é que inteligente que são, aumentaram o contingente antes de ter os navios. Para desfazer o erro agora ficou difícil.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

A Marinha tem mais Almirantes que Navios e a FAB mais Brigadeiros que Aviões !

Gabriel Oliveira
Visitante
Gabriel Oliveira

O maior problema da MB é o de se adequar a realidade,essa ideia segunda frota tem que ser esquecida.

João Bosco Alves Dias
Visitante
João Bosco Alves Dias

Concordo com o Antonio CV. Assim como pagamos pedágio em nossa lindas e conservadas estradas, deveria haver uma espécie de taxa para as forças navais baseada nesse conceito citado por Antonio. Mas acho que deveria ter uma reformulação nos gastos das forças armadas, principalmente com o pessoal

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Aí é que o Brasil se ferra mesmo, porque os custos marítimos aqui no Brasil são exorbitantes. Isso aumenta, em muito, o chamado ‘custo Brasil’ e vai contribuir ainda mais para a falta de competitividade do produto brasileiro no exterior. Algo precisa ser feito, mas esse não é o caminho.

Talvez uma releitura de todas as taxas e serviços já cobrados à empresas navais que operam no Brasil possa ser um caminho mais correto já que não incorreria novos custos aos usuários.

Tomcat4.0
Visitante

Lá vem a segunda frota de novo🤦🏽‍♂️. Não tem navios de guerra nem pra frota atual e nem navios patrulha oceânicos e fluviais em quantidade mínima aceitável para dimensões do Brasil e já na viajada 🤦🏽‍♂️🤦🏽‍♂️🤦🏽‍♂️. Assim fica difícil. Quem tudo quer ,nada tem.

JT8D
Visitante
JT8D

Pois é, o homem falou que eles não tem prioridades, ou seja eles querem tudo. Isso não vai dar certo …

Renan Braga
Visitante

Orçamento entre os 15 maiores do mundo !porém 80 % para pagar 444mil de contingente 400 generais 2 mil já aposentados das três forças de gasto * diga de passagem só a MB que devia ser marinha do Rio de janeiro , tem 11 escoltas e uma centenas de velharias sem capacidade banheiras e o Atlântico alvo gigante consumidor de diesel mas serve para festas dos almirantes.
80 mi de contingente  vários e vários prédios hospitais etc aí dos 20  % tem combustível comida água luz telefone internet sobra o que para investir ?

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

80% é com pessoal, mas isso não quer dizer que seja só o salário. Seria interessante ver dados mais completos só como é feito essa divisão.

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

“”Redução do efetivo

Como é hoje

Atualmente, 359,4 mil militares integram as Forças Armadas. Há 64,7 mil na Marinha, 72 mil na Aeronáutica e 222,8 mil no Exército. A proporção do efetivo é de 55% de militares temporários e 45% de carreira.”

gazetadopovo.com.br/republica/projeto-da-nova-carreira-militar-preve-aumento-de-gratificacoes-e-reducao-do-efetivo/?ndc=BROWSER%3A1565275990718_256105da567d_386054011&nduid=1565359894328_4e6b&ndry=PUSH

Só pra tentar parar com esse papo de 80 mil na MB, pensão pras filhas, etc….. Muita coisa já mudou, mas leva tempo para fazer efeito; vários integrantes das ffaa já vieram aqui explicar, mas as pessoas insistem em continuar com este papo.

EduardoSP
Visitante
EduardoSP

O papo continua porque a despesa continua e continuará, por décadas, a pesar no orçamento.

Renato B.
Visitante
Renato B.

A culpa é da idéia de direito adquirido.

Patriota
Visitante

https://www.defesa.gov.br/forcas-armadas/111-lei-de-acesso-a-informacao/perguntas-frequentes/remuneracao-dos-militares-das-forcas-armadas-no-brasil-e-no-exterior/8637-efetivos.
Tava vendo uma fonte errada desatualizada site do ministério da despesas obrigado pela correção poem a fonte aí

Mas com respeito a você militar como vc disse :

….Vários interessantes vieram explicar …

Aproximadamente 180 mil filhas de militares recebem pensão vitalícia hoje no Brasil. Os gastos superam R$ 5 bilhões ao ano. O benefício foi extinto em 2000, mas quem já integrava o quadro das Forças Armadas pode pagar um adicional de 1,5% na contribuição previdenciária para manter o privilégio a sua descendente.

http://www.osul.com.br/mesmo-extinta-as-pensoes-das-filhas-de-militares-custarao-cerca-de-4-bilhoes-de-reais-por-mais-40-anos/

E sempre assim vai tirar privilégios dos militares tem que dar um agrado sempre

Enes
Visitante
Enes

Renan,nove escoltas, a Jaceguai dará baixa em setembro portanto não conta, e mesmo assim das nove talvez funcionem razoavelmente quatro.

Bardini
Visitante
Bardini

Papo furado de “cluster naval”. É o famoso “aímmmm mim dá mais dinheiruuu, pq eu num sei gastáa”… . É o que eu sempre falo: as CCT são uma completa BURRADA. Vão ENTERRAR BILHÕES na porcaria do programa das CCT, para bancar capacitação de estaleiro estrangeiro a produzir aqui APENAS QUATRO navios, com um percentual vergonhoso de ingredientes a serem nacionalizados, e tudo sem PLANEJAMENTO de longo prazo. ZERO… BILHÕES jogados no lixo. No momento que não pingar mais nada na boquinha desse estaleiro, que tem zero participação da MB e que RASGARAM BILHÕES pra bancar estrutura e capacitar, é… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Apenas 4 navios orçados em 7 bilhões de reais que a MB não tem. Mesmo com o dólar hedgeado nos contratos, com a crise atual dos mercados provável é que os 4 fiquem ainda mais caros. Estaleiros alemães devem provar capacitação no Brasil? A ThyssenKrupp virou a metalúrgica da esquina? A nacionalização de componentes depende da nossa disponibilidade de capital. O exemplo do MEP do Riachuelo. Entregar o MEP a WEG dependeu de pagar o ToT. Sem grana para pagar o ToT, o jeito foi comprar da Jeumont e não nacionalizar. A MB não precisa participar de estaleiros. Não é… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz….

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Quando eu vou elogiar a MB por estar dando um bom prosseguimento no PROSUB e por estarem empenhados com o PROSUPER, os caras me vem com “criação de uma 2° esquadra e e formação de uma segunda força de fuzileiros no Nordeste”

Cristo misericordioso…os caras gastam quase tudo que recebem em salário e pensão, atualmente não tem nem uma esquadra completa, e querem de alguma forma ter grana pra uma 2° esquadra, enquanto oresto do país aperta os cintos e passa por problemas econômicos….

Bom….talvez tenhamos de agradecer por eles não terem mencionado nenhum NaE, eu acho….

Gabriel Oliveira
Visitante
Gabriel Oliveira

Não demorará muito para mencionar um Nae,os caras são deslumbrados demais,não chegamos na situação que está atoa,falta foco.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Bixo, vamos falar a verdade e ser sincero aqui. Nossos poucos ( pouquíssimos ) meios com o minimo de capacidade de combate estão praticamente com tecnologia dos anos 80 e 90. Tú pode contar nos dedos o que realme te a MB tem de moderno no momento. Emtra ano, sai ano, e é sempre o mesmo papo de “a MB vai acabar, tem que comprar navio de segunda mão senão a esquadra acaba”. Deus sabe se as CCT vão mesmo ficar prontas no prazo, e nem Deus sabe se vai ter outro lote desses navios. Nossos meios mais modernos (… Read more »

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Vc não tá doido não, quanto ao PROSUB e ao MANSUP, até um relógio quebrado acerta a hora duas vezes por dia! Hahahahahaha

Enes
Visitante
Enes

Bixo, isso tudo é uma brasa mora.

Dudu
Visitante
Dudu

Fica quieto não dá idéia hehe…
Falando sério,essa coisa de porta aviões é mesmo fora de propósito.Fora o evento apressado do sub só pra prestigiar quem estava de saída…e vá dinheiro desperdiçado pra vaidades…

Amaury
Visitante
Amaury

Vamos dar algumas sugestões básicas que qualquer bom administrador público já teria adotado há muito tempo: 1) Corte 30% do efetivo (não fará falta alguma) 2) Corte 30% das instalações inúteis que exigem por aí (ao lado do Parque do Ibirapuera em São Paulo há 1 enorme prédio da Marinha e na Av. 9 de Julho outro. Será que não podiam estar em Santos?) 3) Corte o pagamento às herdeiras e herdeiros… 4) Faça auditoria e corte o benefício das dondocas filhas de militares que vivem em união mas não casam no papel… 5) Cobre imposto sobre proprietários de barcos,… Read more »

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Todo dia alguém querendo criar mais impostos no país…
Se seguissem só os passos 1 e 2 aí não precisaria de NENHUM centavo a mais. Aliás, isso aí aliado com uma reforma previdenciária nas FA, lógico.

Esteves
Visitante
Esteves

1) funcionário público tem estabilidade.
3) não há herdeiros na MB. Há viúvas. Toda viúva recebe pensão do falecido. Até na China.
4) união estável e casamento é a mesma coisa. São regimes declarados em cartório. Ou para constituição familiar ou para regime de bens. Se não declara em cartório não é uma coisa nem outra.
5) já pagam.
6) já recebem dos cartórios e do Tesouro.
7 e 2) burocracia. Isso pode cortar.

Vida dura.

Amaury
Visitante
Amaury

1) Nem todos os militares possuem estabilidade. Os temporários e os conscritos poderiam ser reduzidos de imediato. Os de carreira poderiam ter o efetivo ajustado dentro de um cronograma. Mas se vc acha que o número de militares da Marinha e da FAB faz sentido, ok… 3 e 4) Há inúmeros casos de herdeiros. Particularmente conheço ao menos 3 casos. Mas se vc acha que não há nada de errado, ok…e nem estamos falando da diferença com os contribuintes da nova previdência… 5) Cite qual imposto é pago. Não vá falar em seguro, por favor… 6) uma parte do que… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

A Defesa não é governo. A Defesa não é Tesouro. Desde 1967 vivemos no regime de caixa único. Tudo o que o governo arrecada vai para uma conta única. O regime de caixa contabiliza receita e despesa. Essa é a razão dos contigenciamentos existirem. Se não existe arrecadação, o GF não paga. Existe um abismo entre o pretenso regime de competência das LOs do Legislativo e o regime de caixa do GF. Herdeiros vem de herança. Herança é transmissão de patrimônio. Quando alguém se aposenta vira aposentado. Quando o aposentado morre deixa pensão à viúva. Ela vira pensionista. E morre… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Amaury, não tem imposto sobre embarcação, felizmente. Há sim um seguro e custos normais de Marina, manutenção, obtenção de licensas, etc. E espero que nunca criem imposto para isso. Ao contrário do que parece, ter um barco à vela que for, não é coisa de marajá e para muitos, sua própria embarcação é seu sustento. A atividade marítima no Brasil é ridiculamente pequena para um país com o tamanho do nosso litoral e isso contribui para a ignorância da população em temas relacionados à ele, como por exemplo, a penúria em que se encontra a Marinha do Brasil. Se você… Read more »

Amaury
Visitante
Amaury

Creio que está claro onde escrevi anteriormente…”para fins de recreação”. Creio que um dos problemas desse país seja exatamente a questão da tributação. Pagamos IPVA e mesmo assim temos que pagar seguros obrigatórios e arcar com custos de manutenção dos veículos. Então não entendo pq os proprietários de barcos, lanchas e iates usados para fins de recreação não paguem algum imposto. E, como disse, o ideal seria que fosse destinado para a Marinha. E o mesmo se aplica para jatinhos, aviões e helicópteros. Se alguém acha correto pagar imposto sobre seu carro ao mesmo tempo em que o Eike Batista… Read more »

Vitor Bruno Fonseca Rodrigues
Visitante

Falando de carros, não podemos esquecer que pagamos pedágios caros em rodovias privatizadas…

Space jockey
Visitante
Space jockey

Na verdade, pra economizar recursos os temporários devem ser em maior número, pois os de carreira demandarão dinheiro do Estado até a morte da viúva. temos de diminuir os de carreira e investir num bom treinamento para os temporários, isso inclusive fortaleçe a reserva.

Patriota
Visitante

Militar tá deitado em berço esplêndido faz muito tempo já .
Vc tem toda razão se metade que vc disse em prática já era a mais poderosa marinha do Atlântico sul em 10 anos

Guizmo
Visitante
Guizmo

Alguém aqui conhece em Brasília o centro de comando do EB? É uma instalação de fazer inveja ao Pentágono. Mais de 10mil pessoas, só do EB. Marinha e FAB tem também os seus, fora o MDef, e prédios adicionais. Só em BRASÍLIA. O problema das FFAA, é excesso de contigente em lugar errado e eles não querem mudar isso. Vamos penar pra termos 4 navios meia boca, enquanto isso, nosso orçamento de Italia é usado pra salarios, pensionistas e inativos. É o fim da picada

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

A MB ocupa um edifício na Esplanada dos Ministérios… igual ao da FAB ali ao lado… igual também aos dos demais Ministérios… o EB saiu por causa de uma determinação do governo da época que mandou as Forças saírem da Esplanada… só eles conseguiram os recursos para tal, daí termos nós e a FAB permanecido no local original…

Vitor Bruno Fonseca Rodrigues
Visitante

Nem sabia que havia frota da marinha no lago Paranoá…

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Você obviamente nunca realmente olhou uma foto do Pentágono, né?

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Vc entendeu a comparação…

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Você obviamente não entendeu a crítica.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Foi pra mim essa?

Esteves
Visitante
Esteves

Sim. Pode ser feito. Viabilidade orçamentária e capitalização é a mesma coisa. Caixa. Precisa identificar de onde sairão os recursos. Orçamento que pode ser contigenciado ou Tesouro. O Fundo da Marinha Mercante citado diversas vezes no PN (em torno de 70 milhões anuais) não permite montar navios de guerra. Seriam navios simples. Auxiliares. A MB precisa e quer navios simples para negar o nosso mar aos inimigos? Estamos aprendendo a construir submarinos modernos para utilizar o aprendizado em navios simples? Outra vez a história que a MB vai gerar empregos. A MB é estatal? Autarquia? Já deveria estar sendo feito.… Read more »

Chevalier
Visitante
Chevalier

Já vi esse filme.

Esteves
Visitante
Esteves

Com esse orçamento impositivo não dá. Sobram 5% ou 6% em qualquer orçamento público. Investimentos tão pequenos seriam notáveis se o país avançasse 10% ao ano. Ritmo da China nos anos 2000. Convencer a sociedade para criar um esforço adicional ou um orçamento paralelo exclusivo para a Defesa descontaminando os atuais orçamentos depende de reformas. As empresas do cluster de Defesa teriam regimes tributários diferenciados. E poderiam montar partes fora do país concluindo aqui. Universidade Federal de algum lugar. Notícia publicada hoje. O professor crítica as políticas de valorização dos salários. Critica o salário mínimo. Prega, o professor, que o… Read more »

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Pelo Amor de Deus esquece essa segunda Frota, faz um 2° SUBNUC, esquece esse negócio de mais Fuzileiro, é mais pensão depois, enxuga o orçamento, corta na carne finge que não tem dinheiro, demite quem puder ser demitido.

Space jockey
Visitante
Space jockey

Esse CFN é um absurdo, jamais iremos projetar poder sobre terra dos outros, isso é coisa de países expansionistas. 15 mil marinheiros de terra e concursados sugando mais recursos. Mil tropas destas seria mais que suficiente.

Marcelo Baptista
Visitante
Marcelo Baptista

Eu não manjo nada, mas eu entendo que o CFN tem (para o contexto do Brasil) a função, não de projeção de poder em outros países, mas de recuperação de área contestada, caso nosso parte do litoral estivesse tomado.
Mas tem pessoas que podem informar melhor.

colombelli
Visitante
colombelli

2 frota e mais uma força de fuzileiros no nordeste? que tal a gente pensar nas escoltas minimas para uma esquadra? em por os macaés na quantidade necessária? em mais dois navios de patrulha oceânica? Em terminar os submarinos?
Fica dificil levar a sério uma administração da marinha que ainda continua com divagações e devaneios. Ainda está em falta mais pé no chão. Estamos às vascas de a frota de superfícíe se tornar simbólica.
Um efetivo de quase 80 mil e ainda querem mais fuzileiros? Desanima

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Pois é, amigo Colombelli. O que eu entendi do texto é que a MB não tem prioridades. Quando tudo é necessário, temos que definir o que é mais urgente e elencar numa lista em ordem decrescente o grau de necessidade. Me permitam escrever uma lista com 10 medidas, sob o meu ponto de vista: 1) Iniciar já um programa para redução de 30% do efetivo (exceto CFN) nos próximos dez anos: 2) Retirar-se da UNIFIL; 3) “Varrer” toda sucata atracada no AMRJ (NAe São Paulo e demais meios cuja operação se tornou inviável); 4) desativar o Esquadrão de Aviões de… Read more »

Space jockey
Visitante
Space jockey

Eles acham que iremos projetar poder sobre terra dos outros. Almirantado tá sonhando forte.

Celsoskl
Visitante
Celsoskl

Fala Sério. Não temos mais marinha. O que temos é um clube de chá, com 70k sócios e uma diretoria jogando gamão…..

Diego
Visitante
Diego

kkkkk clube de chá foi boa. É melhor esses militares de alto escalão começarem a ser competentes, gastar com meios navais, mover programas, diminuir pessoal, fomentar a indústria naval, ter a China como exemplo, fazer muito com pouco, um dia podemos decidir não precisar mais de almirantes, comandantes, colocar administradores civis, já que está uma vergonha mesmo.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Eu nunca imaginei concordar com tal descalabro, que fase!

Sergio Soma
Visitante
Sergio Soma

Pergunta de leigo no assunto…..sei que o Brasil é um país gigantesco, mas na situação que se encontra, não seria mais viável uma marinha mais enxuta? digo, com menos pessoal, quantidade menor de navios, mas com navios e equipamentos modernos?

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

pq vc está xingando os Almirantes?

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Pq se houver uma guerra nossas FAs vão pegar o inimigo no soco, chute, nado borboleta, voadora, dedo no olho…

José Carlos
Visitante
José Carlos

Situações que só observamos no Brasil:
As instituições governamentais brasileira não compreem os principais objetivos para o qual foi criadas por outro lado só serve para custear a vida de alto padrão e muita regalia e podemos observar muito bem com os três poderes, e as forças armadas já a prestação de serviço que é bom nada,
Me parece mais um sistema de Reis e burguesia que um sistema democrático…
Pagamos muito caro por tudo isso e a prestação é uma merda eles trazem mais instabilidades, corupção e crises que soluções…

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Ishi, o almirantado brasileiro, vive no mundo da Lua. Parece aquele filme que fala dos últimos dias da Alemanha Nazista, tem uma passagem onde Hitler fica divagando para seus generais, movimentando tropas que não existem. O almirantado brasileiro, é meio parecido. Ficam movimentando orçamento que não existe e nunca irá existir, pois em Brasilia, na Velha como na Nova Velha República, risos, risos, risos, eles não estão preocupados com o MB, ou FAB ou mesmo o EB. Lá, o que movimenta a atenção deles, é quanto eles vão lucrar das verbinhas$$$$$$ que eles movimentam. Não temos partidos políticos no Brasil,… Read more »

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Minha força de superfície dos sonhos é assim: 10 corvetas Tamandaré(MEKO A150), 8 Destroieres MEKO A400 , 4 cruzadores AKS-180 de 8000 toneladas, 2 porta-helicópteros multi-função.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

A única coisa que tem realmente dado certo é o prosub, foco no prosub!

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

É melhor investir em SS’s, tem mais futuro do que construir fragatas e corvetas.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Coloquem na cabeça ,deveríamos ter uma Força de Superfície Pequena ,porém Investir pesado em Submarinos , construindo no mínimo Dois Por Ano,possuirmos acima de 30 SUBs ,isto sim colocaria um Agressor ou Agressores pensando Duas Vezes !

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Força de Superfície Grande para o Brasil ,seria agora e por alguns anos ,apenas para Paradas ,Visitar outros Países e, para a vista de banhistas em Praias !

Diogo de Araujo
Visitante

A unica saída plausível seria aumentar o efetivo. Sim estou sendo irônico

Marcelo R
Visitante
Marcelo R

Ficam estudando, estudando, estudando, depois não tem dinheiro, depois tem contingenciamento, depois o estaleiro não recebe a verba para construir, depois o estaleiro vai a falência…… muitos anos se passam … se essas corvetas ficarem prontas…. a US NAVY ja esta de NAVE ESTELAR….

William Duarte
Visitante
William Duarte

Gracas a Deus não se paga imposto por sonhar no Brasil, pois se pagasse, depois dessa a marinha não teria dinheiro nem para o caviar do almirantado.

Larri Gonçalves
Visitante
Larri Gonçalves

Uma humilde sugestão, em primeiro lugar distribuir melhor os efetivos e não aumentá-los, afinal não adianta a MB querer um efetivo de mariners para o corpo de fuzileiros navais e apenas aumentar o efetivo de marinheiros em terra, pois não há belonaves suficientes para todos, é possível dar uma olhada na reestruturação da FAB, quem sabe…

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

FAB ,esta mais Inchada que a MB !

Jhon
Visitante
Jhon

Brasil não dispõe muitos recursos para investir nas forças armadas, muito por culpa da própria imprensa. No casa da MB não poderia se construir + corvetas Tamandaré sub armadas , construir navios e uma posterior melhora $$$ completar o processo? Porque em caso de conflito seria muito demorado construir meios navais, seria + fácil uma docagem para instalar equipamentos modernos, construindo duas completas para adestramento da tripulação e as demais tipo reserva.

Carlos Alberto Soares
Visitante

Vou postar um texto de dois anos (2017), trata-se de um Forista Colega.

Notarão que a única coisa que mudou foi a data e dois anos se passaram, pois é.

Breve.

Esteves
Visitante
Esteves

Tiro ao pato. Taca-lhes pau. A eterna bronca com o custeio e as despesas. Abre dois orçamentos. O investimento não tem passado de 6%. Pior em ministério civil. Saúde. Segurança Pública. Educação. Defesa. 4 ministérios para recuperar. 1) orçamento para investimentos com 10% da dotação. Não entra despesa. 2) orçamento da despesa. Não recebe. Só faz gestão. Gestão paralela. Orçamento 1) sobe. Orçamento 2) desce. Na Defesa de onde sairiam 4%? Da despesa. Vai faltar. Vai. Tem 12 meses para vender ativos, encerrar contratos, baixar, exonerar, adiar. Mário Covas assumiu o governo do estado. Chamou os fornecedores. 50% de desconto… Read more »

Paulo José Ferreira de Lima
Visitante

Espero que der certo

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

Usar o termo cluster para desenvolvimentos de novos projetos de variados tipos de navios para a MB é no mínimo surreal, viajar na maionese ou uma grande enganação para quem não entende nada dos bastidores da MB. Mas para quem entende um Pingo é letra.

Space jockey
Visitante
Space jockey

Segunda força de fuzileiros… é nessas horas que o cara desanima de vez de sonhar com poder de dissuasão de verdade.

elcimar marujo
Visitante
elcimar marujo

resumindo ….falta planejamento concreto e dinheiro garantido,e que seja usado somente pra construir não para se usufruir.

Nilson
Visitante
Nilson

Puxa vida, eu achava que estaria livre pelo menos por uns dez anos de ouvir esse assunto de base para a 2ª Esquadra. Mas pelo visto continua em voga nos corredores da MB. Esse assunto levou a Marinha para a falência, aumentaram o quadro em mais de 20.000 homens para uma segunda esquadra que nunca veio…

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Pense positivo, não veio hoje, mas, 1000 anos passa rapidinho rapaz!
Quando vc ver, já estaremos no ano 3019.
Dai, acredito que o Brasil tenha tecnologia para construir uma MEKO zero KM.
Enquanto isso a USSNAVY, está chegando na Galáxia Andromeda ou talvez em outro universo.

Rick Zoho
Visitante
Rick Zoho

Quer montar um cluster? Compre navios feitos aqui! E muitos!

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Agora, sim, tudo vai acabar bem. A MB tando salva, falta apenas nos concentraremos na nossa spaceforce brazuca. Tá ligado que corre boato de invasão alienígena depois da inversão dos pólos, né?…

Patriota
Visitante

União Nacional de Familiares das Forças Armadas e Auxiliares (Unifax) brigam ferozmente no senado com razão pois a reforma querem dar mais aos graduados e penalizar mais os praças . Para defender seus interesses tudo bem estão certos Com todo respeito porém Mas onde está a união associação etc dos interessados em defesa nacional de verdade ? Desculpa a franqueza mas nem mêsmo membros das forças estão preocupados com a questão empurram com a barriga o importante e seus soldos no fim do mês já caem em descrédito perante a população Agora vem almirantes são quantos mesmo 80 ? Eles… Read more »

JS666
Visitante
JS666

Imagino o “exame de qualificação” pra se tornar almirante no Brasil:

“Vc tem fetiche com porta-aviões ? Segunda frota ? Aumentar contingente ? 50k de fuzileiros navais ? Parabéns, tá promovido !”

Renan Lima Rodrigues
Visitante
Renan Lima Rodrigues

O plano de construir essas corvetas ou fragata é o que mais vem dando dor de cabeça, e agora esse negócio de Segunda Frota. É mais em conta continuar com o projeto ProSub que realmente está aparentando ser um sucesso total.

Talvez o Brasil com uma boa Wolfpack com esses novos SS’s já seria o suficiente para proteger a costa brasileira, é provável que fragatas e corvetas no momento sejam um tanto quanto inúteis,e alvos fáceis.

A respeito do ProSub, o valor é menor que o do investimento da classe Tamandaré? Vale mais a pena?

Nilson
Visitante
Nilson

O prosub completo custará de 4 a 5 vezes a classe Tamandaré.

Esteves
Visitante
Esteves

As Tamandarés foram orçadas em 7 bilhões de reais. Está no PP do Comando Naval que o PN mostrou.

O PROSUB foi orçado em 31 bilhões de reais.

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Caros, vocês estão esquecendo, e parece que os almirantes tambem, que a Marinha tem uma fonte extra orçamentária de financiamento que é um percentual dos royalties sobre a produção offshore de petróleo. E isso por lei. Para se ter uma ideia em 2018 a União arrecadou pouco mais de R$ 38 bilhões em royalties e participações especiais (adicional aos royalties cobrado sobre os campos mais produtivos). Por lei a Marinha tem direito a 20% sobre o total dos royalties normais (5% calculado sobre o valor da produção) e outros 15% sobre a parcela que exceder a estes 5% (participações especiais).… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Foi de lá que vieram os 2 bilhões para as Tamandarés. O PN publicou o documento original: compensações financeiras decorrentes da exploração dos hidrocarbonetos. Pré-sal.

A união não arrecadou nada. Ela ficou obrigada pela legislação amalucada a pagar essas compensações e royalties decorrentes da exploração dos hidrocarbonetos e dos recursos minerais.

Cidades que produzem, estados das cidades que produzem, recebem para investir na recuperação ambiental. Usam a grana do jeito que bem entendem. União recebe do Tesouro. Ou dela própria.

E a MB recebe em dia.

Esteves
Visitante
Esteves

Rompimento da barragem de Mariana.

Aquela reunião entre ou com a ex presidenta em que existiu a sessão de palmas. Passou na tv. Todos aplaudiram. Aplaudiram o que?

Compensações financeiras e royalties devidos pela atividade da mineração em Mariana (mineradoras): 20 bilhões de reais.
Contra parte do GF para diminuir os impactos ou reparar o acidente em Mariana: 20 bilhões de reais.

Total do fundo de Mariana: 40 bilhões de reais.

Palmas. Muitas palmas. Nem passando na tv as partes pagaram o que prometeram pagar.

Esse país tem muitas histórias. Algumas são esfregadas na nossa cara.

Diego
Visitante
Diego

Como tenho acompanhado os editais de concurso para as forças armadas, noto a redução de entrada de efetivos e o aumento no número de temporários, o que é positivo, mas insuficiente, essa reforma no sistema de proteção social das forças armadas, como eles chamam a previdência militar, infelizmente, parece deboche, com a sociedade e com a tropa, fica implícito que a preocupação com uma vida boa dos oficiais é muito maior que com a soberania nacional. Considerando o que foi dito, segunda força de fuzileiros e esquadra na nossa realidade orçamentária com o atual contingente, é um absurdo, contingente esse,… Read more »

Joli le Chat
Visitante
Joli le Chat

No ritmo que as coisas vão, quanto tempo vocês acham que levará para lermos uma matéria com o título “Marinha do Brasil estuda alternativas para viabilizar a Marinha do Brasil”?

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Cansei de ler tanto comentário ignóbio!!! Se planejam todo mundo é contra! Se não palnejam, todo mundo é contra!!!

Dudu
Visitante
Dudu

Ótimos comentários.Realmente desabafos!Pra min,como leigo,parecem opiniões de quem é apaixonado pelo assunto,gosta da nossa marinha e,na maioria dos casos,demonstra conhecimento do assunto,em níveis diversos.Muito bom.Esclarecedor.

Gil Roberto Alves de Carvalho
Visitante

E dinheiro para tudo isso? Mesmo saindo 10% do Fundo de Renovação da Marinha Mercante, o cobertor continua curto demais para tantos projetos a serem tocados.

JSilva
Visitante
JSilva

Realmente, ler, numa altura dessas, sobre segunda frota, segunda FFE, parece até uma piada… e de muito mau gosto por sinal…

Quando vamos levar as coisas a sério? O orçamento não é pequeno, mas não há seriedade… infelizmente essa é a verdade.

Vitor Bruno Fonseca Rodrigues
Visitante

Sempre essa tecla de construção em estaleiros nacionais, transferência de tecnologia… Já foi mais do que provado que isso não dá certo! Os estaleiros não possuem a capacidade de produção para isso, tanto em escala quanto em competência financeira.