Home Estratégia China pode vencer militares dos EUA na Ásia em questão de horas,...

China pode vencer militares dos EUA na Ásia em questão de horas, segundo relatório australiano

11617
317
Mísseis balísticos chineses DF-26

Por Brad Lendon

Hong Kong (CNN) – As forças armadas dos EUA não são mais a força principal na Ásia, e os mísseis das forças armadas em rápido desenvolvimento da China podem vencer suas bases em horas, de acordo com um novo relatório.

O estudo do United States Study Center, na Universidade de Sydney, na Austrália, alertou que a estratégia de defesa dos EUA na região do Indo-Pacífico “está no meio de uma crise sem precedentes” e poderia ter dificuldade para defender seus aliados contra a China.

Isso significa que a Austrália, o Japão e outros parceiros dos EUA precisam construir e reorientar suas forças na região, e considerar uma maior cooperação com os EUA, para garantir sua segurança, afirmou o estudo.

O relatório destaca áreas onde as forças armadas da China estão fazendo grandes avanços em comparação com os EUA e seus aliados e parceiros asiáticos. A principal delas é em mísseis.

“A China implantou uma matriz formidável de mísseis de precisão e outros sistemas de contra-intervenção para minar a primazia militar dos EUA”, afirma o relatório. Esses mísseis chegam aos milhares, diz o relatório.

Quase todas as instalações militares dos Estados Unidos no Pacífico Ocidental, assim como as de seus principais parceiros e aliados, “podem se tornar inúteis devido a ataques de precisão nas primeiras horas de um conflito”, segundo o relatório.

O Ministério das Relações Exteriores da China disse na segunda-feira que não viu o relatório, mas o porta-voz Geng Shuang enfatizou que a política militar do país é “defensiva por natureza”.

“A China está firmemente em um caminho de desenvolvimento pacífico e nossa política nacional e densa é de natureza defensiva”, disse Geng.

A CNN entrou em contato com o Pentágono para comentar o assunto, mas não o ouviu no momento desta publicação.

Capacidades de mísseis e de aviação de ataque da China no Pacífico (clique na imagem para ampliar)

Pequena surpresa

Grande parte do relatório australiano não deve surpreender o Pentágono.

Um relatório de novembro de 2018 para o Congresso da Comissão de Estratégia de Defesa Nacional disse que “os militares dos EUA poderiam sofrer baixas inaceitavelmente altas” e “podem ter dificuldade para vencer ou talvez perder, uma guerra contra a China ou a Rússia”.

Seis meses depois, o relatório anual do Departamento de Defesa dos EUA sobre as Forças Armadas da China disse que Pequim estava empenhada em desenvolver um exército de classe mundial e se tornar “o poder preeminente na região do Indo-Pacífico”.

Mais de 2.000 mísseis balísticos de curto, médio e médio alcance que podem atingir alvos terrestres e marítimos fazem parte desse plano, de acordo com o relatório do Pentágono.

O estudo australiano questiona a capacidade dos EUA de acompanhar os avanços da China e adverte que Washington enfrenta uma crise de “insolvência estratégica”.

Por exemplo, os EUA estão vendo sua frota de submarinos de ataque movidos a energia nuclear diminuindo em um momento em que eles são ainda mais necessários.
“Simplificando, como o ambiente acima da superfície se torna mais mortal por causa das implantações chinesas de mísseis de cruzeiro, tecnologias hipersônicas e defesas antiaéreas, a vantagem duradoura dos EUA na guerra submarina se tornará cada vez mais importante no equilíbrio regional de poder”, diz o relatório.

Mas o almirante Phil Davidson, chefe do Comando Indo-Pacífico dos EUA, disse ao Congresso em março que ele estava recebendo apenas metade dos submarinos necessários no Pacífico diariamente.

O relatório australiano diz que é crítico que Canberra e parceiros como o Japão precisem se esforçar para preencher os vazios que os EUA estão deixando.

“Washington exigirá apoio significativo e contínuo de seus aliados e parceiros regionais para deter com sucesso o aventureirismo chinês”, afirmou.

O relatório, por exemplo, sugeriu que a Austrália aumente sua produção de submarinos convencionais, que são ideais para operações perto do litoral ou em áreas como o Mar do Sul da China.

Também incentivou a “defesa coletiva” por meio de software que permite a comunicação entre aliados.

Navios da Marinha Chinesa em exercício

Trabalhando juntos

O aumento da cooperação entre os EUA e seus aliados já está acontecendo.

Os EUA e a Austrália completaram recentemente seus exercícios bienais Talisman Saber no norte da Austrália, que este ano também incluiu um contingente da Força de Autodefesa do Japão que realizou dois desembarques anfíbios.

O relatório australiano disse que mais do mesmo é necessário, e mais longe da Austrália.

“Os exercícios devem praticar e demonstrar a rápida dispersão das forças de ataque aéreas e terrestres das forças concentradas no Japão continental, Okinawa e Guam, para pequenos locais de operação geograficamente diversificados (ao redor do Mar do Sul da China)”, afirmou.

“O objetivo primário de tais exercícios deve ser o de reforçar a capacidade coletiva de deter, negar e, se necessário, neutralizar uma potencial agressão chinesa”, disse o documento.

O relatório observou que as forças armadas australianas são assoladas por um dos mesmos males que prejudicam seus aliados americanos – dispersão excessiva de recursos.

Entre 2001 e 2018, a Austrália gastou três vezes mais em operações no Oriente Médio do que no Indo-Pacífico.

A tensão que os conflitos no Afeganistão, Iraque e Síria colocaram no orçamento, nos equipamentos e nas operações militares dos EUA “mal preparou” Washington “para uma grande competição de força no Indo-Pacífico”, afirmou.

FONTE: CNN

Subscribe
Notify of
guest
317 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings
Antoniokings
9 meses atrás

Pode-se imaginar a mobilização de milhões e milhões de militares pelos chineses.
Não há como se opor a isso sem armas nucleares.
O exemplo clássico disso foi a Guerra da Coreia, com uma China acabando de sair de um regime quase feudal e se opondo aos EUa.
Imagine agora com as armas modernas que tem.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Agora por favor. imagina a logística ai pra mim.

Imagina: Treinamento dos Milhões.
Alimentação dos Milhões
Equipamento dos Milhões
O Custo da mobilização dos Milhões
Vai imaginando tudo ai pra mim por favor

pangloss
pangloss
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Um ponto que favorece a China é que eles não se importam com a vida de seus soldados ou de seus cidadãos. que, aliás, são bastante numerosos. Não vai faltar bucha para canhão, ali.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  pangloss
9 meses atrás

A questão não é apenas a “vida” do seus soldados e sim o treinamento que os mesmos devem ter.

Não podemos menosprezar a inteligencia das partes envolvidas. Eles querem tudo, pode acreditar, menos guerra, pois com Ela os dois lados perdem tudo.

XFF
XFF
Reply to  Ricardo Bigliazzi
9 meses atrás

Ricardo Bigliazzi^^^,
Vá estudar a guerra do Vietnã , que você terá a resposta.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  XFF
9 meses atrás

XFF… estudar a Guerra do Vietnã? Você acha que o Exercito regular do Vietnã do Norte não se preocupava com o numero de baixas? Você acha que os Vietcongs se atiravam contra as fileiras americanas como verdadeiros idiotas? A discussão que temos agora é pelo absurdo dito pelo Kings que os Chineses possuem milhões e milhões e milhões de soldados que estão dispostos a agredir uma nação inimiga apenas pelo custo de suas vidas. Já li (estudar seria um exagero) bastante sobre o Vietnã, considero um modelo perfeito de largo emprego de batalhas assimétricas e da luta de um “invasor”… Read more »

Wilson
Wilson
Reply to  Ricardo Bigliazzi
9 meses atrás

Perfeito.

Rafael
Rafael
Reply to  pangloss
9 meses atrás

Mas os soldado se importam com suas vidas e são seres pensantes, a China logo entrará em colapso social e econômico, o “imperador” Xi não poderá conter uma revolta de milhões de pessoas. Já esta começando por Taiwan e logo se espalhará por todo o país.

Bosco
Bosco
Reply to  Rafael
9 meses atrás

Rafa,
Acho que quis dizer “… por Hong Kong..”

Cheng
Cheng
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Rapaz, eu sou de Hong Kong, nasci em Hong Kong e acompanho os movimentos de perto, pois tenho muito parentes lá ainda. Esse movimento anti-China em Hong Kong é apoiado ocultamente pelos EUA e Inglaterra! E já fizeram estatística e pesquisa, apenas 15% queria independência de HK da China! Pois são um banco de marionete britânico. Em 2014, já teve outro movimento mais fraco e moderado, e deixou HK quase em recessão, e foi a China q salvou a economia de HK, q fizeram um acordo com Gov.SAR de HK, eliminando permissão de viagem de turista chinês do continente, permitindo… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Cheng
9 meses atrás

Sempre isso. Em todo lugar que há revolução contra comunistas ou ditadores islâmicos aparecem os sabichões que soltam ao vento que tais populares insatisfeitos são financiados pela CIA. Eles não provam mas como também não há como provar o contrário tal afirmação fica sendo válida no campo da retórica e aí se cria mais uma fake news que vira verdade incontestável na lacrosfera. O que revolta é o Cheng é “bando de marionetes britânicos” mas o bando de marionetes do partido comunista ele aceita de boa. rsrsss Queria o que em Cheng? A China apoia o golpe do Maduro aqui… Read more »

fico só observando
fico só observando
Reply to  Bosco
9 meses atrás

A China apoia seus interesses econômicos na venezuela e só

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Os iluminados esquerdistas acham que só com lavagem cerebral feita pela CIA um povo pode se rebelar contra a benevolente , valorosa e humanitária ditadura comunista.
Só alguém destituído da razão pode ir contra o comunismo, afinal, o comunismo quer o bem do povo e a libertação dos oprimidos e o fim das classes sociais.
Não fosse os tentáculos do capitalismo opressor e jamais os povos iriam se rebelar contra tão benevolente sistema político e seus líderes iluminados.

“Senta lá, Cláudia”.

Cheng
Cheng
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Rapaz, vc conhece de perto na China ou em HK, melhor compre uma passagem ir até lá para conhecer pessoalmente. Patriotismo na China só vem crescendo a cada ano. Na China PCC, apenas o nome do Partido, sistematicamente na China, não existe Comunismo, a China é muito mais capitalismo no q vc imagina! A diferença do apoio, a China só olha pelo lado financeiro, qualquer outro novo governo assume no poder, a China apoiaria e negociaria condição bilateral. Diferentemente o dos EUA, só querem a China separada, fraca….. Para vc ter uma ideia, a família do meu pai era da… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Cheng
9 meses atrás

Cheng,
48 pessoas da sua família foram mortas devido à implantação da revolução mas você se ressente dos japoneses.
E a sua família aceita essas mortes e a de alguns milhões de cidadãos chineses em nome da “revolução necessária”
E a China não é mais comunista?
Tá bom!
Obrigado! Não quer conhecer não!

Cheng
Cheng
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Bosco, vc está TOTALMENTE EQUIVOCADO! vc não me conhece, tenho muito amigos japonêses, e alguns são os melhores!

Muito bom mesmo a China e nem HK NÃO TENHAM esse tipo de pessoa rancorosa e invejada como turista!

Cheng
Cheng
Reply to  Cheng
9 meses atrás

Corrigindo: INVEJOSA

Cheng
Cheng
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Outro ponto, gostaria de comentar por aqui, a China terá seu tempo de democracia, porém nunca será dentro de 50 anos, acredito eu daqui a 80 a 100 anos. Um país democrático, precisa trabalhar pragmaticamente, treinando, educando e melhorando a condição de vida de toda a população. A China ainda tem um longo caminho para isso! Tudo mundo sabe… Não adianta de ter uma DEMOCRACIA PREMATURA, igual ao Brasil, a gente sabe muito bem nisso, democracia brasileira só ideologia! Democracia trabalha junto com Patriotismo, coletividade, o último q não existe no Brasil e o segundo apenas Man hora de cantar… Read more »

Edison Castro Durval
Reply to  Cheng
9 meses atrás

Cheng, o ocidental não consegue compreender o Oriental pois os dois tiveram evoluções na esfre políticas muito diferentes, exemplo a Magna Carta de 1215 para muitos e o marco inicial da democracia ocidental e a primeira tentativa de diminuir o Absolutismo, A China não passou por uma Magna Carta, o Império terminou após a 2WW como querer que os anseios e desejos de liberdade sejam o mesmo? São visões de mundos diferentes e que podem até se unir um dia, mas deve se dar a China e ao Chineses a liberdade de ser no tempo deles.

Cheng
Cheng
Reply to  Edison Castro Durval
9 meses atrás

Edison, o Gov chinês sabe muito bem q um dia desse, a população precisa ter uma China democrática, mas não hoje e nem daqui a 50 anos. Para a China ser um país democrático sem separatista, precisa ter uma linha de pensamento no geral da população, em todas as etnias, é exatamente o Gov chinês está fazendo. Essa linha de pensamento são: 1. País em chinês é “Guójiā” 國家,traduzindo para português literalmente seria 國=país 家=família, ou seja, primeiro vem país, depois, família. 2. Sonho chinês: Realizar o grande renascimento da nação chinesa é o grande sonho da nação chinesa na… Read more »

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Bosco
9 meses atrás

> Sempre isso. Em todo lugar que há revolução contra comunistas ou ditadores
> islâmicos aparecem os sabichões que soltam ao vento que tais populares
> insatisfeitos são financiados pela CIA. [Eles não provam}

Talvez entao voce acredite no heroi americano John MacCain quando diz que a CIA financia rebeldes para derrubar os governos.

https://www.politico.com/story/2017/07/20/john-mccain-trump-syria-rebels-240766

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Bosco, na Venezuela quem deu golpe foi o Guaidó que se intitulou presidente em praça pública.

Bosco
Bosco
Reply to  Walfrido Strobel
9 meses atrás

O Guaidó, como presidente eleito democraticamente e sem questionamentos internos e externos da Assembleia Nacional da Venezuela, constitucionalmente assumiu o poder por ser o primeiro da linha de sucessão, após constatado o golpe do Sr. Maduro.

Rafael
Rafael
Reply to  Cheng
9 meses atrás

Só a titulo de curiosidade, o PIB de HK é de U$341,4 bilhões e vc vem dizer que “QUASE” 20 bi salvaram a economia do país nos setores comercio e serviços??? Conta outra vai….

Cheng
Cheng
Reply to  Rafael
9 meses atrás

Nao falei esse número salvou o HK!

Vou corrigir: Este USD 20 Bi apenas dos turistas chinês injetando DIRETAMENTE no setor turístico q salvou uma parte do comércio e serviço.

Vc tem q entender o peso maior na economia de HK é setor financeiro, ok.

Rafael
Rafael
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Verdade, obrigado pela correção.

Cheng
Cheng
Reply to  Rafael
9 meses atrás

Lógico q o Xi se importa com o saldado!

Foi ele quem diminuiu o número de exército e modernizou sistema, arma e equipamento bélico.

Atualmente, a China não é na era das guerras da Coreia e Vietnã, não se guerrear mais corpo a corpo, tudo é via botão e sistema.

E aguarde o sistema Beidou funcionando globalmente, e vc verá mais desespero dos americanos!

rafa
rafa
Reply to  pangloss
9 meses atrás

Como assim? Eles não se importam com a vida dos soldados? Então seria mais fácil e barato manter todo mundo na reserva, sem treinamentos, sem custos e sem nada. Assim q começar uma guerra convocariam todo mundo. Os exercícios conjuntos, cada vez mais numerosos, maiores e mais complexos, mostram justamente o contrário: que eles se importam em ter um pessoal treinado e preparado.

Cheng
Cheng
Reply to  pangloss
9 meses atrás

Lógico q o Xi se importa com o saldado!

Foi ele quem diminuiu o número de exército e modernizou sistema, arma e equipamento bélico.

Atualmente, a China não é na era das guerras da Coreia e Vietnã, não se guerrear mais corpo a corpo, tudo é via botão e sistema.

E aguarde o sistema Beidou funcionando globalmente, e vc verá mais desespero dos americanos!

Tiago Gimenes
Tiago Gimenes
Reply to  pangloss
9 meses atrás

Dizer que “.. a China é que eles não se importam com a vida de seus soldados ou de seus cidadãos.” beira ao ridículo.

Não estou defendendo a China, mas precisamos discutir sem colocar “esteriótipos” baseados no estilo politico ou em cores de bandeira.

São esses mesmos “esteriótipos” é que fazem os alguns gringos referirem a nós, brasileiros, como um bando de macacos, jogadores de futebol que amam carnaval.

Wellington
Wellington
Reply to  pangloss
9 meses atrás

Falar em numeros, a producao da soja do Brasil foi toda vendida, novas safras estao para ser vendida. A China precisa de comida para alimentar o enorme povo, e o poderoso Exercito…
Que o Brasil fique neutro afinal, nao teriamos condicoes para bater de frente com qualquer potência belica a curto prazo, nossa economia ainda esta engatinhando.
Que o Presidente amplie a rota do pacifico corredor bioceanico exprtando nossos produtos passando por Argentina ate chegar aos portos chilenos. E ferrovia passando por Bolivia ate o Peru, devemos rasgar o pais para escoar a producao mais rapido para a China.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Wellington
9 meses atrás

Paraguaios, bolivianos, argentinos, sempre que podem nos prejudicam. Cuidado com esse corredor para o Pacífico

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Caro Victor, perfeito, a China seria inexpugnável se os combates fossem resolvidos a “cusparadas”. Como não é, fica muito mais difícil armar, alimentar, vestir, treinar, comandar, mover, repor equipamentos, estruturar linhas logisticas para milhões, milhões, milhões e milhões de soldados.

Segue o jogo, acredito que muita gente ainda pensa que um F-18 é tão facil de ser construído como um P-51 e que o treinamento dos pilotos é tão simples como era na década de 30 e 40 do século passado.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Ricardo Bigliazzi
9 meses atrás

Este é ponto chave para descobrirmos até aonde pode chegar o crescimento militar chinês. Que este país tem uma reserva enorme é inegável. Mas até que ponto é sustentável o nível alto de construções militares. Bem simplificado, existe o custo de construção e o custo de manutenção. O segundo puxado pelo primeiro. Os EUA extrapolam o segundo, tendo o surpreende custo de manutenção diário do parque mecânico-eletrônico de US$ 1 bilhão para todas as forças armadas. Ocorre que a economia americana é bem mais independente do governo do que a economia chinesa. Ainda estamos para descobrir o nível sustentável das… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Eles já tem as tropas de milhões oara desdobrar por terra, o que epga e por mar e ar. Tem que ver qual a capacidade de desdobramento de todas as forças na região.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Quando ocorre uma guerra dessa magnitude (o que eu acredito que não ocorrerá) fala mais alto o apelo patriótico.
Desta forma, a população suporta muitos sacrifícios.
A História é farta destas atitudes.

marcus
marcus
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Suportam mesmo? Quando os primeiros Minuteman começarem a pipocar na cabeça da Chinesada, a vantagem populacional acaba.
Minuteman mais de 300 quilômetros quadrados de destruição.

rafa
rafa
Reply to  marcus
9 meses atrás

Pode ter certeza que ninguém vai lançar esse tipo de armamento contra nações que poderiam responder na mesma moeda. Isso chama-se dissuasão.

ScudB
ScudB
Reply to  marcus
9 meses atrás

Relativo. Mas diria que menos de 150km para prédios comuns e 30-40km para reforçados (para blindados menos ainda).
Lembrando que estes misseis , devido a eficiência e precisão , são destinados primeiramente para destruição dos meios de ataque (silos , lançadores e etc).

francisco Farias
francisco Farias
Reply to  marcus
9 meses atrás

No Vietname nem as bombas de napalm resolveram. No final os norte-americanos bateram o pé na bunda de tanto correr com medo dos subnutridos vietnamitas do norte.
Os USA Abandonaram os idiotas do Sul que acreditando na “valentia” dos yankes e sifu.

Alison Lene
Alison Lene
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

A diferença criança… é que a China não projeta força fora do Pacífico, coisa que os EUA não fazem… E, por querer ser o dono do mundo, não pode retirar tropas de outras áreas para fortalecer ali… pois possibilitaria aos inumeros inimigos que fez no mundo, atacarem de forma simultanea…

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Pau que dá em chico dá em Francisco, imagina tudo isto e fora do seu país que não é o caso da China, que concentra a maior parte da estrutura em seu país.

Daniel
Daniel
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Olha Victor, a capacidade “logística” da China é proporcional ao seu tamanho… Não adianta medir as capacidades daquele país tendo como parâmetro os padrões brasileiros.

Sem falar na cultura: chineses costumam ser bem disciplinados no que fazem, sem muito mimimi ou exigências.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Xings por favor né, os USA não estavam lutando pelo seu país em si, e sim por interesses, além do mais ficaram com pena dos Chineses, não jogaram uma bomba atômica em Pequim, agora atualmente é morte mutua, é como a grande filosofa Dilma disse: Quem ganhar e quem perder, não vai ganhar e nem perder, vai todo mundo perder.

Marcelo Lemos
Marcelo Lemos
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Dentro do campo das mais valorosas especulações vocês acham que os EUA não sabem de nada das posições chinesas 24 horas por dia com satélites e tudo mais e se isso acontecesse como seria e a resposta americana ?? Resposta milhões de chineses mortos em questão de horas ou vcs duvidam ainda do poderio Militar americano?

rafa
rafa
Reply to  Marcelo Lemos
9 meses atrás

Não duvidamos do poderio americano. Mas não duvide do poderio chinês. O pessoal acha que é fácil calcular as possibilidades de um conflito dessa magnitude. Isso deve ser tema de estudos de uns mil militares americanos, uns mil militares chineses e um punhado de militares russos full-time.

Daniel
Daniel
Reply to  rafa
9 meses atrás

Rafa, Mas os especialistas daqui, em postagens de 140 caracteres, já deram todos os pareceres. Resumindo, de acordo com nossos pareceristas: China: país agrário dominado por um grupo de oligarcas que desprezam o povo e estão dispostos a tudo para dominar o mundo. Não detém tecnologia, não sabem fazer contas e devem ter o QI de uma ameba. EUA: a potência da liberdade, os libertadores dos povos oprimidos, cujo povo tem QI acima da média global, cultos, com capacidade criativa e disciplina superiores, cujos pensamentos são benéficos para a humanidade, sendo capazes de mandar “minuteman” aos milhares sobre um povo… Read more »

rafa
rafa
Reply to  Daniel
9 meses atrás

Hahaha.. Sensacional! Perfeito!

marcus
marcus
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Voce acha que os EUA exitariam em enviar vários misseis nucleares na cabeça da Chinesada? Já tem experiência nisso, fulminaram duas cidades japoneses, com bombas de 15 quilotons de TNT, que para o padrão de hoje não são tão potentes. Um missel Minuteman carrrega de 1 a 2 Megatons de poder de destruição. Podem dizer que a China tem condições de interceptar um míssil. Mas, o EUA com certeza lançariam vários para um mesmo alvo. Partindo do território Americano e dos submarinos próximos da costa Chinesa. Na minha opinião a Chinesada exagera muito o seu poderio militar.

João P. Moraes
Reply to  marcus
9 meses atrás

Claro, os EUA atacam a China com armas nucleares e ficam de boa né? De fato se os EUA atacarem a China assim, eles ganharão a guerra , só que durante alguns minutos.

Bosco
Bosco
Reply to  João P. Moraes
9 meses atrás

João P, No caso de guerra e de lhe ser concedido o direito de escolher onde se abrigar a tempo, se nos EUA ou na China, se fosse você eu optaria pelo primeiro. Os EUA tem 6 x mais armas nucleares operacionais em prontidão que a China. E em caso de necessidade tem mais 20 x ainda sem terem sido desmanteladas e prontas a entrar em operação em alguns meses se necessário. Os EUA tem 10 x mais “meios de entrega” nuclear (lê-se: mísseis) que a China. Os EUA têm meios de defesa continental, formada por mísseis GBI (interceptadores baseados… Read more »

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Bosco
9 meses atrás

> Gostemos ou não os EUA é o único país do mundo que está se preparando para travar e vencer uma guerra nuclear no futuro. Omigod, ainda tem gente que acredita que os USA vao travar uma guerra nuclear e sair ilesos, enquanto seu povo assiste alienadamente a entrega dos Oscar, acostumados que estao ao estado de guerra permanente tao comum que ja’ nem sabem mais com quem estao em guerra. E ai’ vao ficar estarrecidos com a realidade descrita por Norman Kahn: “Few people differentiate between having 10 million dead, 50 million dead, or 100 million dead. It all… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Harriman Nelson
9 meses atrás

Harriman, É difícil criticar seu comentário porque não faço ideia do seu nível intelectual (grau acadêmico não tem nada a ver) e muito menos do seu entendimento sobre o assunto “tecnologia militar” em geral e mais precisamente “tecnologia antimíssil balístico”, mas sob pena de estar perdendo meu tempo vou tentar justificar o meu comentário onde cito que “os EUA é o único país do mundo que está se preparando para travar e vencer uma guerra nuclear no futuro”. Não sei se você sabe mas os americanos estão criando um abrangente sistema antimíssil que visa defender seu território continental contra ataque… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Se se interessar pelo assunto esse site é uma boa fonte de informações: https://missiledefenseadvocacy.org/missile-defense-systems-2/missile-defense-systems/

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Supondo entao que os USA saiam ilesos desta guerra nuclear que voce diz que eles estao se preparando para travar e vencer. E supondo tambem que o inimigo seja a China. Que voce acha que acontecera’? Todos os paises que abrigam arnmas nucleares americanas como Japao e Coreia do Sul se tornarao alvos do inimigo que precisa tentar destruir estas armas americanas que serao usadas contra eles. Japao, Coreia do Sul, China sao pesos pesados na economia mundial que entrara’ em colapso. Todos os paises serao afetados mesmo que nao recebam uma bomba sequer. Os 13 milhoes de desempregados no… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Harriman Nelson
9 meses atrás

Harriman, A parte do “ileso” é por sua conta. Eu não disse isso e nem acho que os EUA saiam “ilesos” de um hipotético conflito nuclear futuro de alta escala. Eu disse que “venceria”. Muitos países vencem guerras e saem muito machucados, mas sobrevivem. Quanto ao que possa ocorrer em um mundo depois de uma guerra nuclear generalizada, não dá pra imaginar. Depois que a caixa de Pandora for aberta é impossível prever o mundo pós conflito nuclear. Só um adendo, Japão e CS não abrigam armas nucleares americanas. Os únicos países que o fazem são da OTAN, que contam… Read more »

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Obrigado pelo esclarecimento. Bom saber que a setima frota baseada no Japao nao tem nenhuma arma nuclear. Nem nenhuma das outras 20 e tantas bases no Japao inclusive da forca aerea capazes the operar bombadeiros estrategicos. Ou as 15 bases na Korea do Sul com igual capacidade. Eu disse armas nucleares nao silo de misseis. Ja’ possuiram, se possui hoje ou nao e’ igual discutir se Israel tem armas nucleares ou nao. > nem acho que os EUA saiam “ilesos” de um hipotético conflito nuclear futuro de alta escala. > Eu disse que “venceria”. Eu nao sei o que voce… Read more »

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Harriman Nelson
9 meses atrás

Uma pergunta, se o missil que quebrou o tratado e’ uma “mensagem para a China”, onde os USA pretendem instala-los? Me parece que tem que ser mais ou menos proximo do pais alvo. Que acontecera’, se a guerra estourar, com os paises que permitirem a instalacao destes misseis em seus territorios?

http://br.rfi.fr/mundo/20190820-teste-com-missil-americano-e-enderecado-china-avalia-general-frances

Bosco
Bosco
Reply to  Harriman Nelson
9 meses atrás

Harriman, Quem deve responder isso é o general francês. De minha parte eu acho que os EUA não precisam de mísseis em terra na região para vencer uma guerra convencional contra a China e nem de nucleares para destruir a China. O medo dos Tomahawks (ou de futuros sucessores deste) por parte dos chineses e dos russos diz respeito a que um ataque nuclear maciço coordenado de mísseis de cruzeiro pode pega-los de surpresa. Diferente de um ataque de ICBMs ou SLBMs que é “facilmente” detectado , o ataque a partir de mísseis cruise lançados de terra, mar e ar… Read more »

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Bosco
9 meses atrás

> Quem deve responder isso é o general francês.

Ou entao o US Defense Secretary Mark Esper.

https://www.militarytimes.com/news/pentagon-congress/2019/08/04/esper-us-to-soon-put-intermediate-range-missile-in-asia/

Bosco
Bosco
Reply to  Harriman Nelson
9 meses atrás

Harriman, Pode ser que vc esteja certo e os EUA tenham armas nucleares espalhadas pelo mundo todo à revelia das populações locais, mas eu nunca li nada a respeito, por isso não posso fazer conjecturas sobre o tema. E eu entendi perfeitamente quando disse “armas nucleares” e eu respondi de acordo com sua pergunta. As armas nucleares estratégicas a que me referi são os ICBMs Minuteman lançados de silos nos EUA continental, os SLBMs Tridents lançados pelos submarinos Ohio e baseados em bases nos EUA, os ALCM AGM-86B e as bombas B-61/7 laçados pelos B-52 e B-2 respectivamente, ambos, sediados… Read more »

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Bosco
9 meses atrás

> eu duvido muito que um país que tenha acabado de ser atacado nuclearmente, > com provavelmente milhões de baixas Pois para muitos a perda de milhoes de baixas ja’ e’ considerada uma derrota. Aniquilar um pais inteiro dificilmente pode ser considerado uma vitoria. Ate’ Trump entende isto quando recentemente disse que os USA podem tirar o Iran do mapa, mas que ele nao quer entrar para historia como aquele que matou 80 milhoes de pessoas. Para mim conceitos como “guerra nuclear limitada” sao puro absurdo. Guerra nuclear e’ como fogo em palha que se alastra rapidamente e consome tudo.… Read more »

Edison Castro Durval
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Bosco, já combinaram o ataque a China com os Russos?
Acha mesmo que Moscou vai ficar olhando os mísseis subindo sem mandar uns Nukes nos Americanos??
Acho melhor não chegarmos a esse ponto.

Bosco
Bosco
Reply to  Edison Castro Durval
9 meses atrás

Edison,
E a China? Já combinou com a Rússia que vai destruir os EUA em questão de horas?

Dalton
Dalton
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Britânicos e franceses tem um SSBN cada, sempre em patrulha no Atlântico Norte, então, já que se está especulando sobre quem vai mandar “nukes” em quem,
é possível que eles também não fiquem só olhando e todas as maiores cidades russas estão dentro do alcance deles.

Bosco
Bosco
Reply to  marcus
9 meses atrás

A China não tem nenhuma sistema antimíssil capaz de (em tese) deter ICBMs/SLBMs.

Rene Dos Reis
Reply to  marcus
9 meses atrás

Cara , se os americanos chegarem nesse ponto com certeza já sabem que estão condenados , isso e impensável, são mestres na diplomacia só acho que perderam muito disso apos a queda da URSS.

R22
R22
Reply to  marcus
9 meses atrás

Você se esquece que na época o Japao não dispunha de armas nucleares. Então eles nunca se preocuparam com uma retaliação. No caso da China o cenário é diferente. Mesmo que os satélites tenham a posição dos silos, a China ainda dispõe de SLBMs suficientes pra transformar todo o território americano em deserto. E vice-versa. O uso de armas nucleares de um dos lados resultaria em perdas que não interessa nem um nem outro. Não acredito num confronto direto entre as duas potências mas ambas precisam dessa disparidade (principalmente os americanos) pra manter essa gigante indústria bélica caminhando.

Bosco
Bosco
Reply to  R22
9 meses atrás

R22, A China não dispõe de tanto poder nuclear como você imagina não. Você deveria dar uma conferida na capacidade nuclear e na capacidade de entrega de armas nucleares da China e vai ver que ela , do ponto de vista nuclear, é um rato que ruge. Gostemos ou não os EUA é o único país do mundo que está se preparando para travar e vencer uma guerra nuclear no futuro. Isso porque há mais de 30 anos vem sedimentando sua capacidade defensiva, construindo um “escudo” que mostra sinais de que será eficiente num futuro próximo. A despeito de toda… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
9 meses atrás

A capacidade nuclear chinesa destrinchada: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/00963402.2018.1486620

R22
R22
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Saudações caro Bosco. Acredito sim que os EUA tenham uma capacidade nuclear tanto ofensiva quanto defensiva (como você disse, inexistente do lado chinês) bem maior que a China, mas o lado chinês tem o suficiente pra que essas “feridas” sejam no mínimo profundas o suficiente pra fazer os americanos pensarem muito antes de um ataque nuclear. E claro, a China sabe que se optarem por esse lado também seria assinar sua aniquilação do mapa. Abs.

WVJ
WVJ
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Bosco, desde 2007 é conhecida a capacidade chinesa em destruir um satélite em órbita, ponha uns 30.000 km/h aí.
A capacidade nuclear dos EUA é fundamentada em mísseis balísticos, por enquanto. Eu não vejo muita distância para eles conseguirem levantar esse escudo ao qual se refere.
Acho, inclusive, que os EUA estão correndo atrás de seus hipersônicos por perceberem que é a forma dissuasória mais efetiva para os próximos anos/décadas.

Bosco
Bosco
Reply to  WVJ
9 meses atrás

WVJ, Todo país com com tecnologia para colocar satélites em órbita detém capacidade de ter mísseis balísticos intercontinentais e em tese dispõem de tecnologia para interceptar satélites. Em tese, em tendo capacidade de colocar cargas em órbita, ter ICBMs e interceptar satélites, também dispõe de tecnologia para interceptar veículos de reentrada lançados por mísseis balísticos intercontinentais. O problema não é a capacidade tecnológica “em tese” e sim construir um complexo sistema antibalístico minimamente efetivo de fato, capaz de detectar lançamentos em tempo hábil , o que exige uma rede de satélites de alerta Infravermelho, e capaz de seguir a trajetória… Read more »

francisco Farias
francisco Farias
Reply to  Bosco
9 meses atrás

A sociedade norte-americana é totalmente individualista, fragmentada em classes sociais que se odeiam e contida com muito esforço pelas autoridades.
Um dos grandes problemas, em caso de um ataque contra o território dos USA, seria as autoridades norte-americanas conterem a própria população.
Em todo o território iria pipocar crimes, saques, roubos. Seria um festival de salve-se quem puder incontrolável. Eles sabem disso.

rafa
rafa
Reply to  marcus
9 meses atrás

Ah sim, claro.. exageram.. Isso vindo de uma nação que lançou apenas nos ultimos 6 meses 16 navios ao mar. Sendo: seis corvetas Type 056A, quatro destróieres Type 052D e um navio de desembarque Type 071.

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Seria a mobilização de milhões e milhões de militares (escravos) desnutridos, mal treinados e mal equipados … todo o resto é lixo-propaganda comunistas sem valor … Mas, dito isso, acho que os EUA deveriam retirar completamente suas forças da Europa, da Africa, do Oriente Médio e reforçar a Asia para botar a china imperialista e belicista no seu lugar de inutilidade , fraqueza e inferioridade … Lembrando que a Europa nao precisa de forças americanas porque a Russia é Amiga da UE agora e pode Auxilia-los plenamente, E no oriente médio é bom e normal deixar todos se matarem porque… Read more »

francisco Farias
francisco Farias
Reply to  Entusiasta Militar
9 meses atrás

Aonde os USA vão arranjar tanta cocaina para controlar os seus militares em caso de uma grande guerra?

Victor Filipe
Victor Filipe
9 meses atrás

Esse tipo de situação considera o seguinte cenário: Um ataque surpresa da china usando misseis Balísticos de Curto e Médio alcance. nesse cenário, mesmo que o ataque seja detectado não se teria muito tempo para retirar os meios das bases e preservar o efetivo. a não ser que a esquadra já estivesse no mar. Isso ai não é um relatório afirmando que em uma guerra aberta e convencional as forças chinesas vão esmagar os EUA de uma vez e sem chances de resposta. (acho que ninguém com metade de um cérebro funcional acredita nisso) Acontece que se a china abrir… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Seria péssimo para todos pois como sempre falo, entre Russia, China e EUA guerra será em larga escala e nuclear. Ai cada um vai pesar se vale a pena ou não. A china quer taiwan, e os EUA fem que pesar se vale a pena perder nova york por isso.

Alison Lene
Alison Lene
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Só um cego não enxerga o fanatismo nos seus “supostos argumentos”…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

o Japão com seu AEGIS Terrestre, AEGIS da marinha, Patriot, poderiam abater centenas de mísseis em poucas horas, os danos talvz não sejam tão grande quanto o rela´torio diz, não sei se eles levaram consideração as defesas antiaérea do Japão e da Coréia, a Coreia tem Patriot e THAAD, seria muito danificada em Seul pela artilharia Norte Coreana, mas o resto do País é bem protegido. Acredito que a NSA e CIA conseguiria avisar com tempo necessário para o Japão e a Coreia ativarem seus escudos anti-mísseis. sabemos que o Patriot e o THAAD funcionam bem assim como o AEGIS,… Read more »

Marcelo Lemos
Marcelo Lemos
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Em que planeta vc vive a maior potencia e a do Tio SAM não adianta bla bla bla. A resposta seria no minimo esmagadora ou se acha que os americanos iam ficar vendo apenas os seus navios irem a pique,

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Um ataque desses seria retaliado de forma assimétrica pelos Americanos.

Traduzindo: O pau iria quebrar feio com todo o tipo de arma que poderíamos imaginar, de estilingue e bombas nucleares.

Nunca os Chineses iriam fazer isso, Eles são muito mais inteligentes do que podemos imaginar em nossos devaneios de estrategistas. Simplesmente não vale a pena economicamente. Não podemos esquecer que vivemos um conflito comercial que os Chineses ainda podem ganhar, dá para imaginar Eles a perder tudo numa Guerra???

João Moro
João Moro
9 meses atrás

O Pior será para os países aliados, que serão dizimados.
Acredito que não será fácil como a notícia afirma, mas pode ser que a China consiga várias vitórias antes que o EUA consigam equilibrar as forças no pacífico.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  João Moro
9 meses atrás

Concordo, mas também lembramos que a China e imensa porém contra com diversos territórios com minorias subjugados que preferiam ser “estimulados” a se rebelar criando diferentes frentes para administrar.

XFF
XFF
9 meses atrás

Esse relatório é para captar mais verbas…

Carlos Gallani
Carlos Gallani
9 meses atrás

Terrorismo sobre o óbvio para ganhar mais um cascalho, aquelas ilhas chinesas tbm seriam pulverizadas é muito mais, segue o baile!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
9 meses atrás

Ok, nunca saberemos ( assim espero ) se esse relatório é mesmo verdade, ou se é só alarmista pros militares pedirem mais verba pro governo.
Em todo caso, a matéria só fala na destruição das bases ( o que é “relativamente facil”, já que são alvos estáticos e seriam o primeiro alvo ),mas o relatório não fala sobre os Strikers Groups e a força de submarinos japoneses que já estariam na água, o que os tornaria difícil de serem detectados.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Ps: o relatório parece esquecer que só os EUA tem uns 10 Strike Groups com NaE’s e subs nucleares, e a Austrália, Japão e Coréia do Sul tambem tem marinhas de respeito.

Alison Lene
Alison Lene
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

O relatório e sobre as forças estacionadas naquela área filhote… aprenda a ler…

Rene Dos Reis
Reply to  Alison Lene
9 meses atrás

Se bem que ,

“Simplificando, como o ambiente acima da superfície se torna mais mortal por causa das implantações chinesas de mísseis de cruzeiro, tecnologias hipersônicas e defesas antiaéreas, a vantagem duradoura dos EUA na guerra submarina se tornará cada vez mais importante no equilíbrio regional de poder”, diz o relatório.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Alison Lene
9 meses atrás

O “relatório” fala como se ambos os países só pudessem guerrear com o que tem na região, e que uma vez que os meios que estão no Pacífico forem destruídos, a guerra acaba. Como se os EUA não tivessem meios e tropas em outras partes do mundo, e que eles não fossem deslocar esses meios pro Pacífico em caso de necessidade.
Aprende a interpretar, filhote.

rafa
rafa
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

Já na época da guerra fria, os russos sabiam onde estavam todos os porta-aviões americanos 24h por dia e esses seriam alvos primários para um conflito convencional. Imagina agora a China com seus inúmeros satélites.. eles devem saber até o que vai ser servido na hora do almoço nos Strike Groups.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Se EUA e China não falirem antes… do jeito que o mercado ta na corda bamba…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

já andou lendo sobre como os Chineses estão injetando dinheiro na sua economia, há duas semanas quase um banco vai pro ralo, o Baosheng….. isso é o que sabemos, se os EUA entrarem em crise leva a China junto, uma impressora imprime Yuan, que não tão aceito (ainda) a outra imprime dólar, (que ainda) é bem aceito, em qual vc aposta?

andre
andre
Reply to  Carlos Campos
9 meses atrás

Aposto no ouro

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  andre
9 meses atrás

É o que a China e a Rússia estão fazendo.
Às toneladas.
Literalmente
Estocando muito ouro para a previsível atribulações do dólar que estão e aproximando.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

A Rússia já saqueou o ouro todo da Venezuela.

francisco Farias
francisco Farias
Reply to  SmokingSnake 🐍
9 meses atrás

Russia não foi a Inglaterra e o outro da Síria foi roubado pelos norte-americanos.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  andre
9 meses atrás

melhor aposta possível, Ouro continua sendo o refúgio absoluto.

rafa
rafa
Reply to  Carlos Campos
9 meses atrás

Eu vou é comprar um .308 Win. Isso sim.

Cheng
Cheng
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Essa guerra comercial é apenas teatral!

Por atrás de tanto mimimi americano é o mercado global de 5G q vale mais de USD15 trilhões q os EUA estão perdendo para China na exportação e implantação da rede na Europa e Ásia.

Outra coisa, a China já está planejando a próxima geração, 6G…

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Tirando o fato de que o “front interno” da china não ta tão estável assim.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Quando eu vejo esse tipo de coisa acontecendo, uma corrida armamentista naval entre potencias em lembro do Washington Naval Treaty e London Naval Treaty. que foram assinados e moldados para evitar tal corrida naval já que eles sabiam que entrar nessa iria destruir a economia deles.

Nem China nem EUA pode manter esse ritmo acelerado de construção naval sem pesar na economia.

(fora o desenvolvimento nas forças terrestres e aéreas)

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Se ele quebrar ela quebra junto e vice e versa. pouco importa qual a ordem em que eles vão quebrar. se um cair, ele puxa o outro.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Alexandre. isso foi a 11 anos.

Onze anos. não da pra mensurar o quanto as coisas mudaram nesse meio tempo.

Os mercados chineses e americanos estão mais interligados do que nunca. a queda de um representa a queda do outro e consequentemente um efeito domino levando outras nações.

Não vai ter um espaço de tempo significativo entre a falência dessas nações. Hoje em dia, como mostrado pelas sanções na turquia, previas de eleições na argentina e etc… o mercado responde na Hora.

Alison Lene
Alison Lene
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Esmagou ele agora fera… rsrsrsrs. Engraçado é que ele é notadamente pro EUA e ataca qualquer um que defenda o “inimigo”, menos vc… pq será?? kkkkkk

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

China ainda tem nos EUA quase 30% por cento das exportações, seu ritmo de crescimento só tem diminuído, e os EUA não estão estagnado, acredito que se a China passar os EUA vai ser só depois de 2050. afinal temos o fator índia e demais países asiáticos que podem vir a ser competidores da China.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos Campos
9 meses atrás

Lembre que os EUA caíram para quarto lugar no quesito ‘relações comerciais’ com a China, vindo atrás de U.E. ASEAN e Belt & Road.
E a China caiu para terceiro lugar em importância para os EUA, atrás de México e Canadá.
O movimento chinês foi brilhante, cozinhando o galo e transferindo parte das exportações para outros mercados.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Levando em consideração o crescimento militar-econômico a tendência é essa mesmo.
Mas gostaria de ver uma economia global distribuída de forma mais sustentável, de preferência envolvendo 3 ou 4 grande players de igual força e influência, diminuindo a importância e impacto da rivalidade.
Atualmente, a briga entre os dois países tem deixado o mercado agitado e instável.

Dudu
Dudu
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Galante:
Permita que eu me intrometa novamente.Sua visão é muito interessante.Mas,mesmo sem ser conhecedor de economia,acho que os EUA com um presidente que una o país,e não esse destrambelhado atual,acarretará uma reação gigantesca em todas as áreas.Sobre a Inglaterra:é verdade,mas a ilha tem lá suas diferenças de grandeza com os EUA.
Mas também não sei se digo isso por convicção ou por esperança,pelo temor de um mundo á semelhança da China…

SardaukaR
SardaukaR
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Concordo com a visão de que existe uma corrida armamentista em andamento similar ao que houve na Guerra Fria. Agora, um ponto que eu quero acreditar torna essa corrida diferente da Guerra Fria são os efeitos da globalização. Parece-me que as economias chinesas e americanas estão tão imbricadas que qualquer conflito militar entre os dois países – seja em qual escala for – resultaria em perdas economicas imprevisíveis para ambos os lados. Vide os efeitos da atual “guerra” fiscal. Não acredito (e aqui estou falando sem embasamento) que o mesmo nível de interdependência economica entre EUA e URSS existiu durante… Read more »

JT8D
JT8D
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

O Império Britânico precisou de duas guerras mundiais para ruir. Eu não queria ver isso acontecer

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Galante, você afirmar, cabalmente, que um país com mais de um bilhão de bocas para alimentar, semtonomia alimentícia, com várias rusgas internas, com fronteiras quentíssimas, irá passar a consolidada economia americana, não é um pouco emocional demais? “Ocupando espaços”…onde? Uma coisa é ter a supremacia regional. Outra coisa é substituir o papel americano onde interessa…onde tem alimento para alimentar os bilhões de chineses. Você vai ter a ousadia de dizer que a influência chinesa na América do sul e central sequer chega perto da americana? Na Oceania? Nem na África isso está perto de acontecer. Vocês fazem previsões pra China… Read more »

Cheng
Cheng
Reply to  Felipe Morais
9 meses atrás

Salário médio da China já supera a média do Brasil.

Sem contar, o poder de consumo de um trabalhador chinês é muito maior do que de um brasileiro!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

As revistas de economia já estão comentando a imensa dificuldade que os EUA terão para começar a rolar a sua dívida.
Mencionaram apenas o deficit anual de US$ 1 trilhão.
Nem mencionaram a dívida total de US$ 22 trilhões.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás
francisco Farias
francisco Farias
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

A China já se desfez de quase todos os títulos da dívida norte-americana. Portanto, o Brasil, que detêm muito desses títulos é quem quebra caso os USA afundem.

Ironcop
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Ao meu ver, a relação de dependência no mercado está a jogar contra a China, o maior mercado consumidor dela é os EUA.

Nuptzx
Nuptzx
Reply to  Ironcop
9 meses atrás

“As exportações aumentaram 6,7% ano a ano para 9,48 trilhões de yuans durante o período, enquanto as importações cresceram 1,3%, para 7,93 trilhões de yuans. A China viu seu superávit comercial aumentar em 47,4% ano a ano, para 1,55 trilhão de yuans durante o mesmo período. Só em julho, as exportações cresceram 10,3% em relação ao ano anterior, para 1,53 trilhão de yuans, enquanto as importações subiram 0,4%, para 1,21 trilhão de yuans, levando a um superávit de 310,26 bilhões de yuans, aumentando 79%. . O comércio geral cresceu 5,7% em relação ao ano anterior e respondeu por 59,8% do… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nuptzx
9 meses atrás

Perfeito Nuptzx!

marcus
marcus
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Caro economista Alexandre Galante, a China depende totalmente do comércio exterior. Se EUA e aliados pararem de comprar da China, ela quebra.
Não estou falando dos aliados Europeus, incluo a India, e vários países em outros continentes.
A China quebla. Aqui no Brasil não paramos de passar vergonha, importando produtos da China, que já temos expertise para fazer aqui.
Importar liquidificador, e ventilador da China?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  marcus
9 meses atrás

marcus, É e por que não o fazem e salvam o mundo da tirania do regime comuno-imperialista chinês? Não é tão fácil assim produzir os produtos que hoje são feitos na China a preços baixos, levaria muitos anos, mais de uma década talvez, pois seriam necessários volumosos investimentos em infraestrutura, capacitação, produção de energia, etc, nos novos lugares de produção. O preço destes produtos ficariam elevados por muitos anos até os investimentos serem amortizados, tu acha que o povo do ocidente democrático e livre iriam aceitar a carestia calados por causa de politicagem? Esse boicote econômico contra a China só… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Defensor da liberdade
9 meses atrás

Defensor,
Devolvendo a pergunta feita ao Marcus: se a China pode derrotar militarmente os EUA em poucas horas, tá esperando o quê?
Responda a esta pergunta que estará respondida a que você fez ao Marcus.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Bosco
9 meses atrás

A China não fará isso por que perderia muito em termos econômicos, afinal não se faz abracadabra alakazam e surgem tanques, aviões fuzis, etc. Da mesma forma os EUA e a UE não boicotam os produtos feitos na China por que tem muito à perder também. Estão um para o outro como unha está para a carne.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Defensor da liberdade
9 meses atrás

Agora eu fiquei na dúvida. Estão atrelados ou não? O Galante fala em crise de 2008. Como se algo ocorresse agora, não fosse afetar a China. Esse é o ponto. Vocês tentam estimar o futuro, partindo do momento atual da China num movimento constante e estabilizado de crescimento. Não é assim. Hoje não é mais 2008. A interligação entre os países, por meio do mercado global, é imensamente maior e crescente. O pau que dará em Chico, também dará em Francisco. Não tem isso de prever crises e crises para o mercado ocidental e achar que o mercado oriental estará… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Defensor da liberdade
9 meses atrás

Tá vendo!?? Eu sabia que você sabia!

Cheng
Cheng
Reply to  marcus
9 meses atrás

Por favor, leia primeiro antes de comentar q a China depende totalmente dos EUA!

https://oec.world/pt/profile/country/chn/

Em 2017, a China exportou 2,41 tri, sendo 476 bi para o EUA, ou seja, são apenas 19,75% da exportação chinesa.

jardel
jardel
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Rússia e China denunciam escalada militar após teste de míssil americano
EUA realizaram primeiro teste com míssil de médio alcance desde a Guerra Fria, após rompimento de acordo de desarmamento com Moscou.
https://veja.abril.com.br/mundo/russia-e-china-denunciam-escalada-militar-apos-teste-de-missil-americano/

M.@.K
M.@.K
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Na minha opinião, os problemas internos como insurgências serão os maiores obstáculos no futuro da China, a longo prazo. Fora isso, muito provável, ainda na década que vem que a China ultrapasse os EUA, economicamente, militarmente e culturalmente.

José Augusto
José Augusto
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Acho qie você anda muito mal informado sobre a real situação da China…

Dudu
Dudu
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Galante
Como leigo,creio que uma realocação de meios navais dos EUA para a Ásia,mesmo enfraquecendo a presença deles em outras regiões,iria mudar essa equação.
Tô viajando?

Bosco
Bosco
Reply to  Dudu
9 meses atrás

Dudu, Não tem como haver guerra da China contra os EUA. O que pode haver é uma guerra da China contra EUA, Japão, CS, Taiwan, Austrália… Ninguém em sã consciência pode subestimar essa força combinada e os chineses não têm como fazê-lo nem agora e nem num futuro previsível. E não será com mísseis exóticos que conseguirão. Claro, não seria um baile. Haveriam perdas severas para ambos os lados, mas no final a China sairia derrota, quebrada, humilhada e sem capacidade de reagir salvo se fosse para selar seu destino trágico com um ataque nuclear. Os meios navais americanos são… Read more »

Brunow Basillio
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Complicado vai ser tentar unir Japoneses e Coreanos para lutar contra a China…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Brunow Basillio
9 meses atrás

E ainda, a China tem quase o triplo da população desses países todos somados.
E daqui a uns dez anos terá a economia maior que a soma deles também.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Ok, mas esse triplo vira força de ataque como? Vai nadando até a Australia ou Japão? O numero populacional é um dado muito importante como força de defesa ou de produção, mas não como força de ataque direta.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

a China tinha mais populção e perderam para os Britânicos! agora fala a grande estratégia que vai destruir Japão, CS e Austrália e EUA juntos.

Cheng
Cheng
Reply to  Carlos Campos
9 meses atrás

A China perdeu na Disnatia Tsin, era uma China atrasada, sem armamento moderno, corrupta, desunida e corrupta.

Atualmente, o cenário é bem diferente.

Bosco
Bosco
Reply to  Cheng
9 meses atrás

Cheng,
Menos a corrupção. Essa continua igual. Não há como existir governo comunista sem haver corrupção. Principalmente num sistema econômico apelidado de “capitalismo de Estado”.
Os Wesleys Batistas, Marcelo Odebrechts e Eikes Batistas de lá nadam de braçada e devem ficar muito gratos aos líderes do partidão.

Cheng
Cheng
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Antes disso, leia e pesquise quantos políticos corruptos foram condenados a mortes e a relação de bens dele e da famílias dos corruptos foram confiscados desde 2010 a 2018!

Sinceramente, nem vou perder meu fôlego para explicar os detalhes do programa de combate à corrupção lá na China.

Pq certa pessoa tem deficiência de inteligência de compreender, pois o mesmo, já existe um certo preconceito mesmo a qualquer coisa relacionada da China!

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Brunow Basillio
9 meses atrás

Já vimos britanicos e soviéticos se unirem para combater o inimigo comum, então não seria surpresa esse tipo de aliança. Para quem está se afogando, jacaré é tronco…

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Brunow Basillio
9 meses atrás

Verdade mesmo. A Russia diz que não invadiu o espaco aereo da Korea do Sul, não esta’ mentindo porque o Japão diz que o espaco aereo invadido e’ o dele. O Japão entao re-preende a Korea do Sul por ter ido proteger seu espaco aereo, um pedaco de pedra no mar igual a São Pedro e São Paulo no Brasil.

https://www.bbc.com/news/world-asia-49091523

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Superioridade Regional…. sim é o quintal deles, torna óbvio que numericamente a Marinha Chinesa tenha mais meios no momento, mas em caso de aumento de tensões o EUA envia meia dúzia de Strike Groups e resolve o problema… Até pq os NAe. Chineses tem perna curta…

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Sinceramente eu não iria esperar que uma pessoa como você iria resumir isso a um verdadeiro super trunfo…

Augusto L
Augusto L
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

A iniciativa belt and road já está sendo barrada, na Europa e nos paises aliados dos EUA, investimentos chineses já estão sendo barrados, ela pode ter resultado em países não tão alinhados ao ocidente (Ex: Paquistão) e temos que considerar que países como a India podem ficar mas alinhados com os EUA. Quanto a economia chinesa eles estão criando seu próprio caixão estão crescendo a custas de títulos públicos com juros superiores a 4%, sem controle nenhum, estão com um sistema financeiro totalmente frágil, quando a economia chinesa esfriar e ela vai a bolha vai estourar, o mesmo aconteceu com… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
9 meses atrás

Sem contar a imensas áreas no pacífico que podem ser usadas como aéreas de dispersão.
Ainda há a possibilidade dos EUA construirem ilhas artificiais como bases dispersantes, coisa que vai acontecer.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Augusto L
9 meses atrás

Não esquecer o desgosto que os EUA têm causado nos europeus. Isso que voce considera barrar as iniciativas chinesas é um mero “esperem só um pouco, ver no que isto dá”

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Augusto L
9 meses atrás

Barrada na Europa?
Fala sério.
A Revista Fortune está com uma reportagem sobre o Porto de Pireus comprado pelos chineses e que está sendo a porta de entrada para a Europa.
Se não me engano, 1/3 dos portos de conteineres da Europa já são controlados pelos chineses.
Sem contar as milhares de viagens de trens que estão sendo feitas e incrementadas entre China e Europa.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
9 meses atrás

Corrigindo: ‘1/3 já é controlado’.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Augusto L
9 meses atrás

Já postei aqui matéria da Foreign Policy sobre o insucesso da Belt and Road na europa, até mesmo no leste europeu. Os políticos de lá já percebem que há um lado ameaçador na influência chinesa.

Ironcop
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Simulações não passam de simulações, se Strike Groups são tão vulneráveis, então qual é o motivo da China investir tanto neles ? Sabendo até que a ilha de Taiwan possui grandes aparatos de mísseis anti-navio

Horna
Horna
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

“existem estudos e simulações”

Risos

marcus
marcus
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Na pratica a teoria é outra.
Me cite qual a grande guerra que a China já levou adiante nos seculos XX ou XXI?
Quem salvou a China na Segunda guerra foi os EUA.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Quais estudos e simulações?

Gabriel
Gabriel
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Não esquece de mandar as simulações para os americanos, que não devem saber que estão usando a estratégia errada.

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Sério, Galante?! E por que elesá não pulverizam os porta-aviões dos EUA agora mesmo? Se eles tem essa capacidade, façam isso de uma vez e era bem com esse mimimi….e eles usariam o que? Os super ultra mega poderosos mísseis destruidores de porta-aviões? Hehehe….Galante, você, muitas vezes, parece tanto com o kings que alguns pensam que ele é teu alter ego….. Seria bom os EUA dissolverem suas Forças Armadas, afinal a China é superior em tudo…..tem zilhões de soldados…..e irá usá-los para invadir e tomar todo o território dos EUA…… para os norte-americanos, resta se esconder e deitar, em posição… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Sim, existe vários estudos, feitos por agências chinesas né?

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Sim, e as ilhas chinesas que proveriam apoio logístico para sua marinha seriam pulverizadas pelos mísseis de cruzeiro disparados pelos Ohio, pelos B-2/B-52 e pelos Ticonderoga. Muito provavelmente bem antes da chegada dos Strike Group.

Pedro
Pedro
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Vc teria esses estudos para compartilhar ? Abs.

R22
R22
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Estudos e simulações que contam com o uso dos mísseis DF-21 e DF-26 pra”pulverizar” os grupos navais americanos. Mas daí cairíamos no mesmo assunto já discutido aqui. O uso de armas nucleares, já que pra acabar com uma esquadra americana esses mísseis contam com uma ogiva nuclear de 200 Kt.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

nem eu esperava isso.

teropode
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Isto é um truque para acirrar o debate e multiplicar as visadas e likes .

Dudu
Dudu
Reply to  teropode
9 meses atrás

teropode:
Pensei o mesmo.

Eduardo dos Anjos
Reply to  Victor Filipe
9 meses atrás

Não questionaria a posição do Alexandre pois ela é baseada nos estudos de diversas entidades civis e militares como esta do post do naval, é serio e não estão brincando, há diversas projeções algumas mais comedidas e outras mais alarmantes, porém todas no sentido que a China já possui capacidade de se opor aos EUA por meios convencionais no cenário Asia-Pacifico. O próprio EUA já admitiram isso emitindo um relatório em 2018 e tem gente que quer questionar o Alexandre? Porque acham que os EUA mudaram sua estratégia diante da China? Certamente não é por conta de suposições… O ritmo… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Eduardo dos Anjos
9 meses atrás

“O ritmo atual de construção de meios militares da China é equivalente ao dos EUA no período da 2ª GM,…” . Está muito distante do que os EUA conseguiram fazer e isso jamais poderá ser igualado,foi uma época única na História e mesmo navios sendo mais baratos e menos complexos do que são hoje, ainda assim os EUA conseguiram comissionar pelo menos 15 grandes NAes em pouco mais de dois anos e mais alguns foram terminados logo depois do fim da guerra, fora todos os demais tipos de navios. . A construção naval chinesa impressiona e é até natural que… Read more »

Eduardo dos Anjos
Reply to  Dalton
9 meses atrás

Sei disto caro Dalton, por isso utilizei a palavra “equivalente”, só nos primeiros 6 meses deste ano a China comissionou 16 navios de guerra(incluindo seis corvetas Type 056A, quatro destróieres Type 052D, um navio de desembarque Type 071), em somente 6 meses, é um ritmo alucinante, por isso a comparação, logicamente são tempos diferentes, complexidades diferentes também, além disso, os EUA possuem muita tradição, mais tonelagem, mas é questão de pouco tempo serão ultrapassados, é fato.

Dalton
Dalton
Reply to  Eduardo dos Anjos
9 meses atrás

Entendi que você escreveu “equivalente” aos EUA no período da II Guerra e não há nada de equivalente a isso ocorrendo e mesmo a China comissionando mais navios que os EUA hoje não significa que eles irão construir sem parar e a medida que os navios se tornem mas complexos, caros e existirem em maiores quantidades a China terá que sustenta-los e não será fácil, como também tem sido comentado por analistas. . Comparações são complicadas porque existem necessidades diferentes, por exemplo, os EUA estão modernizando um de seus NAes, um processo que leva 4 anos e custa bilhões de… Read more »

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Dalton
9 meses atrás

Ufa! Lucidez!
.
ΛΑΜΨΕ ΤΟ ΦΩΣ ΥΜΩΝ!
.
Sds

Bosco
Bosco
Reply to  Eduardo dos Anjos
9 meses atrás

Eduardo, Não entendi. Quem está torcendo pra ter guerra? Salvo o Toinho e mais uns 3 ou 4 que têm ódio dos EUA , de Israel e do Ocidente de modo geral (acho que eles querem que o Ocidente pague uma dívida histórica com o resto do mundo) e que acham que a China iria dar um “couro” nos EUA com uma das mãos amarradas nas costas, ninguém aqui está torcendo pra nada. O “Naval” sugeriu um tema (A CHINA PODE VENCER OS EUA EM QUESTÃO DE HORAS) e nós estamos discutindo sobre esse tema, vendo as diversas variáveis. Alguns,… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Eduardo dos Anjos
9 meses atrás

Cara, que falta de paciência de ler esse seu texto. É lógico que os chineses possuem meios para se opor aos americanos na Ásia pacífico. Você acha que a gente é cego? Você acha que a gente acredita que os vários e vários meios que a China tem lançado em terra, céu e mar, não servem para nada? Que os chineses com todo o investimento em educação, tecnologia e inovação não estão aprendendo e conseguindo, de fato, construir bons meios? Isso é lógico. É o quintal da China. O território americano está a milhares de quilômetros de lá. Mas o… Read more »

Marcelo Lemos
Marcelo Lemos
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

E a china seria pulverizada da face da terra né

marcus
marcus
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Alexandre,” Dinah”, Galante. Me passe os seis números da MegaSena.
Quero jogar ainda hoje.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Super Trunfo.

Os países aliados dos EUA formam um cordão de isolamento ao redor da China. Desse aspecto estão pior que o Japão em 1942. Isolando a frota chinesa do Pacífico e impedindo o escoamento da produção imobilizaria o país.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Alfa BR
9 meses atrás

Exato, os EUA tem um cinturão de aço ao redor da China, e ainda tem ostros paises vizinhos da China que não se dão com ela como Vietnan.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Aqueles DF-21 podem ser confundidos com um ataque nuclear…

Bosco
Bosco
Reply to  Space Jockey
9 meses atrás

Space, Os chineses não têm mísseis balísticos antinavios. É mentira! Os DF-21D e DF-26 jamais serão usados com ogivas convencionais para atacar navios. O laçamento de tais mísseis seria detectado e a resposta seria imediata e inusitada. A China jamais iria correr esse risco. Ou a China se vira com seus mísseis de cruzeiro ou semibalísticos e torpedos ou … quá. Ela não terá como usar mísseis MRBM para atacar um BSG americano. Por mais doidos que os comunas chineses sejam eles jamais iram querer despertar a resposta nuclear americana que é possuidor de arsenal nuclear no mínimo 6 x… Read more »

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Amém

Dudu
Dudu
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Galante
Se isso acontecer a China vira um deserto.Some do mapa.
E mesmo se China reajir impondo um desastre parecido aos EUA,a meca do sobrevivencialismo irá sobreviver bem mais eficientemente.

samuka
samuka
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Galante, como você acha que isso poderia acontecer? Quais tipos de misseis e em quais circunstancias? Grato.

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Posso te avisar uma coisa? O EUA tb tem os seus mísseis! fica a dica… e tem muito mais…

Diogo
Diogo
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

O renomado United States Study Center da Universidade de Sydney, na Austrália, alertou que a estratégia de defesa dos EUA na região do Indo-Pacífico “está no meio de uma crise sem precedentes” e poderia ter dificuldade para defender seus aliados contra a China, sendo aniquilado em questões de horas….ah, pelo o amor de Deus, uma rápida passada na página desse instituto percebe-se que ele é anti-Trump. Dizer que os Strikes Groups norte-americanos serão pulverizados pelos chineses é no mínimo uma forçação de barra ou uma piada de mau gosto. É simples assim, ataca sem medo de uma retaliação? E todo… Read more »

Rene Dos Reis
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Me fez dar gargalhadas , jogou um balde de água fria no comentário do colega , po estão esperando batalhas entre porta aviões tipo WW2

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

É galante. Você se perdeu. Uma pena. O site perde muito de legitimidade quando o principal editor mostra sua carteirinha de fã clube.

Diogo
Diogo
Reply to  Felipe Morais
9 meses atrás

Carteirinha do fã clube + uma foice e martelo tatuado no braço. Kkkkkkk

Alison Lene
Alison Lene
Reply to  Rafael Coimbra
9 meses atrás

EUA não podem deslocar suas forças para ali cara… os inimigos que fozeram em todas as partes do mundo irão atacar essas areas desguarnecidas….

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Alison Lene
9 meses atrás

Exato. O Irã invade o México e a Coréia do Norte invade o Canadá, deixando os americanos cercados! Plano perfeito!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

quando avaliado só por país sim, quando avaliado em estado de conflito, aí essa superioridade desaparece.

filipe
filipe
9 meses atrás

A Alemanha perdeu a 2GM porque abriu duas frentes, os EUA não podem cometer esse erro, ou se pacifica com a Russia , ou se pacifica com a China, ter os dois como inimigos não é benéfico… e a Russia ficou mais agressiva assim que a China se tornou a segunda economia mundial, a Russia anexou a Crimeia, a Russia fez guerra na Siria, a Russia se prepara para intervir na Venezuela, alguns dizem que foi a Ulcrania que motivou a virada de atitude da Russia, mas eu acho que foi a China, competir militarmente com os EUA é quase… Read more »

Claudio
Claudio
Reply to  filipe
9 meses atrás

Só pra te corrigir -Primeiro ouve um referendo na Crimeia pra se unir com a Rússia cujo resultado passou dos noventa porcento de aprovação, é historicamente a Crimeia era russa, foi doada à ukrania por fazer parte da urss. -segundo a Rússia interviu na Síria a pedido do governo local pra ajudar a combater o estado islâmico que era financiado é treinado pela cia, bem diferente dos americanos que invadiram pra ajudar os terroristas. -terceiro, se a Venezuela pedir ajuda a Rússia pra impedir os americanos de roubarem o petróleo eles o farão,só pra lembrar a Venezuela nao vende petróleo… Read more »

João Moro
João Moro
Reply to  Claudio
9 meses atrás

Achei interessante as ponderações mas incluo mais uma: A Rússia não é um pais amigo que ajuda os outros a defender-se do “malvado EUA”! Os seus interessantes também são tão ou mais escusos que o dos EUA.

Bosco
Bosco
Reply to  Claudio
9 meses atrás

Claudio, – primeiro, o referendo foi com uma Crimeia ocupada e sem fiscalização internacional. Sabemos o resultado disso. – segundo, o ditador sírio sofreu o que todos os ditadores sofrem, mais cedo ou mais tarde, que é uma tentativa de retirá-lo do poder. Os rebeldes sírios são apoiados pelos EUA. Quanto ao EI, vc é que está dizendo que eles são treinados pela CIA e financiados pelos EUA. Infelizmente (ou felizmente) o que você diz não é levado em conta no mundo real. – se a Venezuela pedir ou se o Maduro pedir? Uma coisa não tem nada a ver… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Claudio
9 meses atrás

vc é ingênuo, os Russos no começo da Guerra embargados foram solidários aos Sírios, chega eu quase choro por ver tamanha bondade, aquilo dali é importante demais para os Russos, e na minha opinião o EI é mais cria da Arábia Saudita, AS mata jornalista, financia terrorismo, destrói prédio em Manhattan e fica de boa, sou contra os Europeus na Síria e os Americanos também, na Síria temos um conflito que é mais Rússia x Europa e Grupos de poder ocidentais……. o Wahabismo da AS é perigoso, tendo até mesmo a Rússia no passado ameaçado a AS sobre isso, hj… Read more »

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  filipe
9 meses atrás

Amigo, a Rússia não fez guerra na Síria, eles foram chamados por damasco após jogadores externos fabricarem o conflito e começarem a financiar e suprir a “oposição moderada” com treinamento e armamentos, fora mercenários de outros países…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  filipe
9 meses atrás

a Guerra da Síria na minha opinião é mais Europeia do que Americana, tudo para parar a Rússia, todo mundo sabe que a Rússia poderiam ‘acabar’ com a Europa em um inverno, sem dar um tiro.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Carlos Campos
9 meses atrás

Ahahaha. Nem por isso, passava se mais frio. Mas não morriamos, se fizessem bloqueio do gás que passa na Argélia, aí já eram outros quinhentos e outra história, no dia que os russos cortarem os gasodutos o mais probavel é os europeus reforçarem as ligações com os que vêm de África.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Peter nine nine
9 meses atrás

Não é a toa que os europeus mantêm pequenos contingentes por lá pelas zonas de África, tal como russos e chineses.

Harriman Nelson
Harriman Nelson
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Pois e’, como a era de ouro dos USA ja’ era.
Naquela epoca haviam pensadores brilhantes
como Kissinger, Zbigniew Brzezinski, John Kenneth Galbraith,
Herman Kahn, e muitos outros com visao do futuro.
Hoje ………………

JT8D
JT8D
Reply to  Harriman Nelson
9 meses atrás

Caro Harriman, não interprete meu comentário com anti-americano, mas nenhum desses indivíduos que você citou era americano de nascimento

André Bueno
Reply to  JT8D
9 meses atrás

Kissinger, assessor de Nixon, de origem alemã [fã de futebol], Brzezinski, assessor de Carter, de origem polonesa. Mas Hahn nasceu em New Jersey! Acabei pesquisando este último… e que trabalho na RAND Corp.

JT8D
JT8D
Reply to  André Bueno
9 meses atrás

Verdade André, Herman Khan é o único americano da lista, embora de ascendência judaica. Galbraith nasceu no Canadá

José Augusto
José Augusto
Reply to  Alexandre Galante
9 meses atrás

Você não pode se fiar apenas em um livro, mesmo que seja do Kissinger… outro fator que você está ignorando, os EUA (e sua economia) mudaram radicalmente nos últimos 3 anos (alguns analistas já dizem 15 anos em 3…) e a China está se revelando muito menos sólida do que parecia antes da era Trump. Acho que H. Kissinger não contava com uma guinada tão abrupta na política americana, talvez seu livro esteja desatualizado… as variáveis mudaram…

Bosco
Bosco
Reply to  José Augusto
9 meses atrás

José,
O único fato imutável no mundo é o fato dele ser altamente mutável. rsrsss
O tal fator “caos” está permeado em tudo no Universo.
Teoria do caos: “Pequenas alterações nas condições iniciais produzem resultados amplamente divergentes para tais sistemas dinâmicos, tornando a previsão a longo prazo impossível.”

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Bosco
9 meses atrás

N. N. Taleb na veia hein, Bosco?

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  José Augusto
9 meses atrás

O Trump, é grande presidente??? Em quê?? A economia mudou para melhor??? Em quê????

Bosco
Bosco
9 meses atrás

Não se ganha guerras com mísseis, mas com bombas e com capacidade de reconhecimento, vigilância e controle, de modo a se antecipar ao inimigo e poder direcionar suas armas. Enquanto os chineses não acabarem de desenvolver seus mísseis (que estão sempre no modo futuro) e explicarem (nem precisam provar, basta explicarem de forma que seja compreensível e aceitável) como irão usar mísseis balísticos para atingir porta-aviões a 4000 km de distância, é só retórica. Quem escreveu esse relatório não tem conhecimento disso. Deve ter feito o o cálculo de X mísseis com X capacidade contra X mísseis com X capacidades… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Correção: menos o Japão, que não tem mísseis de ataque estratégico.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Vale salientar que até os japoneses estão pensando em implantar mísseis Tomahawks em seu território.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Bosco acredito que vão colocar os Tomahawk em terra de novo, para igualar os mísseis chineses na região sem ter que mandar mais navios.
A estimativa que os EUA tenham cerca de 6.000 mísseis Tomahawks

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
9 meses atrás

O problema é que so podem ser disparados de navios.

marcus
marcus
Reply to  Augusto L
9 meses atrás

Já pensou 6000 misseis Tomahawks com ogivas nucleares de baixa potencia, 20 kilotons, pipocando na cabeça da Chinesada.

Bosco
Bosco
Reply to  Augusto L
9 meses atrás

Acreditou certo: