Home Marinha do Brasil FOTO: Navios de guerra em formatura na UNITAS LX

FOTO: Navios de guerra em formatura na UNITAS LX

16272
49
Os navios USS Carter Hall (Marinha dos EUA), PHM Atlântico e NDM Bahia (Marinha do Brasil) lideram a formatura durante a UNITAS LX

Navios de guerra das Marinhas do Brasil, EUA, Argentina e Peru em manobras durante a Operação UNITAS LX ao largo do Rio de Janeiro.

Os navios USS Carter Hall (Marinha dos EUA), PHM Atlântico e NDM Bahia (Marinha do Brasil) lideram a formatura.

De 19 a 30 de agosto, o Brasil sedia a Operação UNITAS LX, o mais antigo exercício marítimo multinacional, que é organizado pelos Estados Unidos desde 1959.

O exercício visa fortalecer parcerias marítimas e melhorar a interoperabilidade, possibilitando que os países participantes treinem a condução de operações navais conjuntas em forças-tarefa multinacionais. Pela primeira vez, neste ano, o foco do UNITAS será testar a capacidade de cooperação regional marítima em cenários de ajuda humanitária e resposta a desastres naturais.

Além de Estados Unidos e Brasil, Argentina e Peru contribuem com navios e aeronaves. Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá, Paraguai e Reino Unido participam com suas delegações, enquanto Japão e Portugal estarão observando, totalizando, assim, 13 nações, 14 navios ou embarcações, um submarino, oito helicópteros e cinco aeronaves de asa fixa.

49
Deixe um comentário

avatar
11 Comment threads
38 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
35 Comment authors
Peter nine ninejodreskiFirefoxJagderband#44Antonio Palhares Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Até a Argentina conseguiu mandar um navio e um helicóptero, e o Chile não.
Linda foto

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Wilber, o Chile participa com seus navios e aeronaves na UNITAS do Pacífico. Essa é do Atlântico, onde a participação é com delegações mesmo.

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini
Marcos
Visitante
Marcos

O Peru participa do UNITAS pacifico e mesmo assim enviou um navio

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Sim, o Peru marcou presença com navios nas duas fases: um navio-patrulha de cerca de 500 toneladas no exercício realizado no Pacífico e uma corveta / navio-patrulha oceânico de 1200 toneladas na fase do Atlântico. Quanto ao Chile, que foi o motivo de minha resposta ao colega mais acima, neste ano os chilenos sediaram a fase do Pacífico (tal qual o Brasil sedia a fase do Atlântico), respondendo por cerca de metade dos navios e mais da metade do pessoal envolvido no exercício realizado em julho, com a Armada Chilena contribuindo com três fragatas, um navio-tanque, dois navios-patrulha, um submarino,… Read more »

Sérgio Melo
Visitante

O Brasil participou com navios na fase do Pacífico?

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Não, Sérgio. Mas sediou a fase do Atlântico.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Agradeço as respostas e esclarecimentos, Nunão

Sincero
Visitante
Sincero

O Chile sempre foi meio avesso a integração da América do Sul e o Mercosul, participa porque não tem outro jeito.

india-mike
Visitante
india-mike

Lembrando que na UNITAS pacífico não enviamos nem sequer um observador…

Mahan
Visitante
Mahan

Peru e Bolivia são muito mais importantes que Chile e Argentina.

Flanker
Visitante
Flanker

Sério??? Importantes para que?? Kklkkk

Helio Mello
Visitante
Helio Mello

Com o Peru temos um acordo de desenvolvimento de um barco patrulha fluvial, desenvolvido pelo Cotecmar na Colômbia, pelo Sima no Peru e pelo CPN do Brasil. Visa padronizar os meios de patrulhamento na região. Fora questão comercial, não faço ideia da importância da Bolívia, mas acredito que se alguém ver o Peru e a Bolívia como importantes, é por causa da fronteira com a Venezuela, que foi rebaixada a inimiga pública número 2 pelo Presidente kkk.

Kemen
Visitante
Kemen

Ainda ei de ver no futuro, pelo menos duas fragatas nossas, de escolta anti aéreas, de defesa de área, escoltando nosso porta aviões de 50.000 tn. Pelo menos agora na Unitas, que fique o aprendizado obtido nessas operações e possam ser transmitidos aos futuros oficiais e marinheiros que integrarão nossa Marinha do futuro.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Kemen, você deve ser novo hehehehe. Eu desisti de imaginar ver isso. Meu último suspiro foi quando vi o São Paulo entrando na Baía de Guanabara pela primeira vez, com a esquadra perfilada seguindo logo atrás e finalmente o Minas Gerais chegando por último. Ali eu lembro de ter pensado ‘agora temos um porta-aviões!’

E deu no que deu hehehehe

Otto Lima
Visitante

Sonho meu, sonho meu…

Renan
Visitante
Renan

Uma pergunta besta estes navios s da foto, teria como desembarcar na praia da Venezuela, sem acréscimo de nenhuma outra embarcação?
Acho que não, todos seriam afundados por aviões com mísseis naval, pois na minha opinião não tem cobertura anti aérea suficiente nesta formação.
O que vocês acham?

100nick-Elã
Visitante
100nick-Elã

Só a título de informação: agora a Venezuela conta com proteção da Marinha Russa. A segunda melhor marinha do mundo, em poder ofensivo e primeira melhor marinha do mundo em poder defensivo.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

“Só a título de informação: agora a Venezuela conta com proteção da Marinha Russa.”

A essa distância e no quintal dos EUA? O porrete russo afina quanto mais longe vai…

“A segunda melhor marinha do mundo, em poder ofensivo…”

Bom. Tem a China que pode ser considerada nessa posição dependendo dos critérios.

“e primeira melhor marinha do mundo em poder defensivo.”

Essa é a US Navy também.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Bobeira sua. Depois da USN ainda tem os Klingons em poder ofensivo e eram seguidos de perto pelos Romulanos antes que aquela porcaria de estrela explodisse. Sabe-se lá onde aparecem os Russos nessa história toda. Só sei que estão mal das pernas.

Helio Eduardo
Visitante
Helio Eduardo

Antes deles, russos, colocaria também os Cardassianos, apesar do estrago que sofreram na Guerra do Dominium.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

100nick, passa um pega dessa droga que tu usa

Bosco
Visitante
Bosco

100,
A melhor em poder “defensivo”?
Tem certeza disso? Você já ouviu falar de um battle stryker group com pelo menos 50 F-18 e 4 E-2? Já ouviu falar do sistema Aegis?
*Só lembrando que o LRASM já está operacional a partir do B-1B. Só um leva 26 mísseis.
* Só lembrando (2) que cada F-18 pode levar até 4 Harpoons ou SLAM-ERs.
Não tem Kashtan no mundo que dê conta.

Flanker
Visitante
Flanker

Noooossa, que medoooo!!! Kkkkkkkk

Sequim
Visitante
Sequim

Essa é a esquerda que a direita adora. Uma esquerda que argumenta sem fatos, que defende por defender, que assina embaixo de qualquer absurdo só para marcar posição contrária . Ah sim, antes que eu me esqueça : sou de esquerda. Apenas para pontuar que não é tudo igual, definitivamente.

Helio Mello
Visitante
Helio Mello

Esquece a Venezuela. Temos de invadir agora é a Guiana Francesa!

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Nós a invadimos uma vez.

Firefox
Visitante
Firefox

kkkkk boa.

jodreski
Visitante
jodreski

Amigo não é bem assim que funcionam as coisas, quando a base aérea síria foi bombardeada pelos EUA, nela tinham aeronaves russas que decolaram antes do bombardeio começar, você sabe, eu sei, até a cadela laika sabe tb que isso não foi coincidência, os russos sabiam do bombardeio iminente e se retiraram de cena. Então 1- eles foram avisados pelos próprios americanos (provavelmente), sinal que americanos e russos não são tão inimigos assim, tudo é uma questão do que está sendo discutido. 2- eles não defenderam a base. Então achar que a Rússia iria comprar uma guerra com outro país… Read more »

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Como diz a matéria, o objetivo do exercício é treinar a capacidade de resposta à desastres naturais e ajuda humanitária, então, como terremotos, enchentes, vulcões e fogo não disparam mísseis antinavio, eu diria que não, essa formação não é feita para combate em si, mas desdobramento de meios, suprimentos, resgate e comando e controle da operação em si, e não teria como desembarcar em qualquer local hostil. Fosse esse o caso, diversos outros meios seriam acrescidos.

Caravaggio
Visitante
Caravaggio

Mais um psicopata em Venezuela.

Emerson
Visitante
Emerson

Mais um navio como o USS Carter Hall na MB seria muito bom!

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Já estava bom aquele vucan no Bahia! kkk

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Pra que? O NDM Bahia é mais novo do que ele, inclusive.

Emerson
Visitante
Emerson

A MB está se doutrinando em operação de desembarque anfíbio e trabalhos com porta helicópteros, de forma que, há a redução de custos comparados a operações com porta aviões.
Outro ponto a ser considerado é que: com este tipo de navio a MB passa possuir um nível maior de prontidão, já que os custos operacionais e de manutenção são menores.
O NDM Bahia entrou em serviço três anos depois que o USS Carter Hall entrou em serviço pela Marinha dos EUA.
E ainda existe a máxima de que: quem tem um não tem nenhum.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Quem não tem orçamento, fica feliz de ter um. E tecnicamente temos dois navios de desembarque que se complementam, sendo o Altântico e o Bahia. Mas antes de podermos desembarcar em qualquer lugar, precisamos garantir que esses navios consigam chegar inteiros no local de desembarque, e isso estamos longe de conseguir à menos que operemos em força tarefa mista com alguma potência que possa fazer esse serviço de proteção.

Dalton
Visitante
Dalton

Se o Garcia D Avila G 29 for retirado de serviço em dezembro de 2019 e o Mattoso Maia G 28 não retornar ou
retornar e permanecer em serviço por poucos anos mais, um “LSD” como o USS Cartel Hall com potencial para
20 anos de serviço, caso fosse disponibilizado para venda, o que não acontecerá, seria uma boa adição ainda mais que o Almirante Sabóia G 25 já completou 52 anos.

Allman
Visitante

A costa brasileira tem milhares de km; só conseguem fazer exercícios próximo ao rio?
Muda Brasil.

Jadson Cabral
Visitante
Jadson Cabral

A MB concentra todos os meios (que não não são muitos) no Rio. Do jeito que a coisa anda, não deve haver muito dinheiro pra aventuras mais longínquas.

Sinceramente
Visitante

Brasil com 119 banheiras ( só o Atlântico e o Bahia se salva )
Mas temos 80 Almirantes 38 mi oficiais na MB e 115 filhas pensionistas 2 mil generais aposentado 85% do orçamento garantido para todas as forças de despesas ops defesa !
Um líder infantil e a França volta a debochar ( Gerra da lagosta foi a primeira)

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Sinceramente… o português mandou lembranças, mas você está certo em boa parte das críticas.

Marcos Cooper
Visitante
Marcos Cooper

Tudo muito bonito mas e aí? O que foi embarcado no Atlântico?

Fernando "Nunão" De Martini
Visitante
Fernando "Nunão" De Martini

Super Cougar e Sea Hawk

alexandre
Visitante
alexandre

Jornalistas….

Burgos
Visitante
Burgos

Mini Rimpac !!! Kkkkkkkkk
Show !!!
Melhor do que nada !!!👏

Paulo Steffano Barbosa Flexa
Visitante
Paulo Steffano Barbosa Flexa

Muito bonito, parece muito com os jogos de batalha naval antigos.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Eu sei por que o exercício é próximo ao litoral do Rio.
Tem chopp liberado entre 17:00 e 19:00 na praça XV e praça Mauá.
=D =D =D

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Liberado não! Dois por um. Se fosse liberado nem consigo imaginar as consequências hehehehe

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Tirando os navios logísticos a liderar, a restante formatura é meio pobre. 😕
Sem dúvida que gostei mais do foco e das imagens da porção do exercício realizada no pacífico.