Home Aviação Naval Coreia do Sul estuda dois projetos de porta-aviões

Coreia do Sul estuda dois projetos de porta-aviões

14004
173

A Coreia do Sul está considerando dois projetos de porta-aviões tendo em vista a atual taxa de expansão militar dos principais países do nordeste asiático.

Um projeto é um porta-aviões de tamanho médio de 70 mil toneladas, com um deslocamento carregado de 71.400 toneladas, 298m de comprimento e 75m de largura. O navio teria 1.340 tripulantes e 40 aeronaves, sendo 32 de asa fixa e 8 de asas rotativas. O custo estimado de aquisição totalizaria 5,4 trilhões de won (US$ 4,5 bilhões).

O outro seria um navio de 40 mil toneladas, com deslocamento carregado de 41.500 toneladas, com 238m de comprimento e 62m de largura. O navio teria 720 tripulantes e poderia transportar 20 aeronaves, sendo 12 de asa fixa e 8 de asas rotativas. O custo estimado de aquisição foi de 3,1 trilhões de won (US$ 2,6 bilhões).

A Coreia do Sul, que estuda operar o caça F-35B de decolagem curta e pouso vertical (STOVL) nos atuais porta-helicópteros, poderia operar a versão embarcada F-35C nos futuros porta-aviões. O F-35A, de decolagem e pouso convencional, já é operado pela Força Aérea da Coreia do Sul.

A Coreia do Sul busca se equipar contra a China, que opera dois porta-aviões de 60 mil toneladas e está construindo um terceiro de 80 mil toneladas.

 

173
Deixe um comentário

avatar
45 Comment threads
128 Thread replies
3 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
79 Comment authors
Antunes Netoelcimar marujocarvalho2008FarroupilhaWilliam Duarte Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Meio mais que necessário pra Coréia do Sul e Japão que se veem cada vez mais acuados no xadrez da China e dos Estados Unidos e agora também da Coréia do Norte.

Apesar disso, se a classe Dokdo for de fato convertida para receber o F-35, os sul-coreanos teriam um excelente meio para conter qualquer impulso chinês, pelos menos por ora.

Edmilson Sanches
Visitante

Uma pergunta.Em uma hipotética guerra entre China e Coréia do Sul,qual a sobrevida de um porta aviões sul coreano?

Demetrius
Visitante
Demetrius

E da China…?

Alison Lene
Visitante
Alison Lene

Lá vem fã boy acreditando que EUA iriam interferir… Ucrãnia pensou o mesmo… Geórgia tb… Curdos tb…

teropode
Visitante

Semelhante a sobrevida do PA chinês, naquela região tudo é apertadinho .

Guilherme
Visitante
Guilherme

A mesma sobrevida que o do chinês

Edmilson Sanches
Visitante

Nos anos 80,ainda na guerra fria,li em uma reportagem que em uma guerra total entre EUA x URSS,um porta aviões e suas escoltas de superfície durariam no máximo duas horas a partir do início da guerra.Não sou conhecedor do assunto,longe disso,mas creio que a China tem uma superioridade enorme sobre CS e Japão,e daqui a uns 10 anos,quando a CS,tiver seu porta aviões,a China terá uns 5 ou mais.

Leo Rezende
Visitante
Leo Rezende

Seguindo seu raciocínio, esses 5 ou mais PA chineses serão quase inúteis, dinheiro jogados fora.
As nações mais desenvolvidas”militarmente” nos recantos mais “quentes”desse mundão de meu Deus,quase todas utilizam essas super armas ,que custam bem mais que os olhos da cara.
Aposto que suas doutrinas preveêm uma sobrevida maior do que 2hrs e meia de combate de um dos seus principais e um dos mais valiosos meios de dissuasão e combate.

Edmilson Sanches
Visitante

Não é meu raciocínio.Eu disse que lí isso e é em caso de uma guerra total,nuclear,entre EUA e a então URSS.Um míssil nuclear talvez fizesse esse estrago,não sei.A minha opinião de leigo é que,nessa região,quem manda é a China e Rússia.Então não tem muito o que fazer,a não ser amizade com eles.

Leo Rezende
Visitante
Leo Rezende

Por favor,perdoe minha colocação errada.
O que quis dizer seria :Seguindo ESSE raciocínio ,e não”Seguindo SEU raciocínio”.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

isso é balela, os PA de qualquer país são cercados por suas escoltas, no caso americano teriam que passar por AB e Tinconderoga e os Subs que o acompanham, são centenas de mísseis anti aéreo e anti navio, mesma coisa dos chineses que estão criando uma marinha cheio de navios de grande tonelagem capazes de levar dezenas de mísseis cada um.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Na epoca a doitrina era de guerra nuclear toral. Os planos soviéticos previam um ataque de multiplas direções, de pelo menos 32 misseis anti-navios super-sônicos. Obs. Só precisavam que um chegasse a pelo menos 5 ou 10 km da força tarefa do PA, já que todos os misseis estavam com ogivas nucleares táticas. O objetivo era vaporizar o PA e destroçar todos os navios e volta.

Flavio Jose Markowicz
Visitante
Flavio Jose Markowicz

Só acho estranho tantos movimentos armamentistas num mundo onde a ONU “manda e desmanda”. Não são todos países membros? Qual seria o lucro de uma guerra? Aliás, a China, com a imensidão que tem, para que atacaria a minúscula Coréia? Se houver, de fato, uma guerra, melhor que EUA e Rússia disparem suas ogivas, pois o mundo já estará perdido mesmo.

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

A ONU está quebrada. Seu dinheiro acaba este mês. O ultimo que sair do edifício que apague a luz. Já vai tarde essa inutilidade.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

É inútil para interesses americanos actuais, mas é das únicas instituições dignas de serem melhoradas e aptas a solucionar os problemas globais presentes e futuros. Umas vez dissolvida, nada melhor será criado, sinal de que estamos condenados.

Augusto Liborio
Visitante
Augusto Liborio

A ONU não resolve nada, há tempos deixou de ser uma instituição ocidental. Tem q acabar mesmo

Nilo Rodarte
Visitante
Nilo Rodarte

Uma instituição como a ONU onde somente cinco países tem poder de veto e, portanto, eles é que realmente comandam tudo conforme os seus interesses não funciona e não vai funcionar nunca. Quantas resoluções importantes da ONU foram vetadas por apenas um lado ou simplesmente ignoradas? Uma organização mundial de estados, tenha o nome que tiver, se cada estado membro não tiver o mesmo peso na votação, votação esta que tem que ser respeitada e cumprida após aprovação da maioria, não tem legitimidade e serve apenas de instrumento nas mãos de uns poucos conta o resto dos dominados.

Marcelo Baptista
Visitante
Marcelo Baptista

A ONU nunca mandou ou desmandou, sempre foi um fórum de discussão diplomática, mas que dependendo dos interesses dos países membros do conselho de segurança, congelava, e atualmente tem menos representatividade do que tinha a 30 anos. E a guerra em si não é o objetivo final, isto tudo é um jogo de pôquer, cada um mostrando apenas uma parte da mão, o fim é gerar uma nova acomodação do poder mundial.
Quem vai ganhar o jogo?
Realmente não sei, mas o mundo vai definitivamente ficar diferente.

César
Visitante
César

Nenhuma!
Seriam os primeiros alvos.
São grandes, são lentos e não precisam ser destruídos, apenas “furados”.
Submarinos nucleares, bombardeiros, drones e mísseis balísticos são ferramentas de dissuasão bem mais eficientes.

Alison Lene
Visitante
Alison Lene

Nenhuma…

Pedro
Visitante
Pedro

Acredito que em um possível confronto, difícil cogitar que esse ou aquele terá supremacia, existem inúmeros fatores contras e a favor. O tendão de Aquiles dos chineses é a engenharia reversa, que na maioria das vezes não dá certo, basta vermos o avião embarcado deles, cheios de problemas de estabilidade, que foi usado como base um avião russo, e isso se aplica aos demais meios bélicos daquele país… houveram confrontos em que um país tinha 100 mil soldados e perderam para uma nação que tinha 30 mil (apenas um exemplo), se não me engano foi Israel (vencedor) contra um daqueles… Read more »

zé
Visitante

E eu achando que os mares fossem vias de trânsito globais. ..

Alison Lene
Visitante
Alison Lene

Coisa inútil pra Coreia do Sul… Muito melhor seria desenvolver misseis balisticos… PA é para projetar força… é pra quem ataca e, normalmente, longe…É só um navio pra ser afundado…

Leonardo
Visitante
Leonardo

Parabéns Coreia do sul !

BMIKE
Visitante
BMIKE

Também vejo com bons olhos esse projeto de 40 mil ton, se 1 sai por 2,6 bi dois construídos juntos talvez sairia um pouco menos que esse valor cada. Pode se supor que um NAE Sul Coreano de 40.000 t mais uma dotação de 20 sea gripen sai em torno de 4 Bi dólares, esse valor pode ser quitado em 15 a 20 anos e usaríamos esse material adquiridos novos por pelo menos 40 anos!

TeoB
Visitante
TeoB

Boa tarde, se não fosse a nossa situação financeira seria de pegar carona em um projeto de umas 40 mil toneladas… comissionar daki a 10 anos mias ou menos.

Williams Jonas Barbosa
Visitante

O nosso país por ano só com deputados, gasta quase 1bi por ano, isso sem contar senadores, ministro e a quadrilha toda, para ter-mos um projeto deste porte, só bastaria diminuir a quantidade de sangue sugas que estão espalhados no nosso país. Se nossa amada pátria conseguisse se livrar disso, teríamos uma força armada melhor equipada.

Émerson Gabriel
Visitante
Émerson Gabriel

Qual a necessidade militar da MB para um PA? Mal temos escoltas! Não temos $$$, mas caso existisse, seria mais adequado investir em escoltas e submarinos. Nossa realidade militar é muito diferente da Ásia

pangloss
Visitante
pangloss

Acho que o melhor meio de dissuasão naval, contra um ataque chinês, seria a arma submarina.
Ou a Coreia do Sul prefere projetar poder para além de suas fronteiras?

Bardini
Visitante
Bardini

Eles estão estudando a construção de Submarinos Nucleares…
.
E subamrino não invalida a necessidade de um Porta Aviões em uma Marinha.
.
Marinha tem que lutar abaixo da água, sobre a água e nos céus. Se uma força desprezar um destes braços, estará condenada a ser derrotada.

leonidas
Visitante
leonidas

A Coréia parte do princípio (do qual também partilho) que é com capacidade de ataque que se faz a melhor defesa. Se cada pais daquela área se fizer de “Brasil” e não dispor de condições de manter projeção de poder mar a fora (caso se faça necessária uso de força) a China vai simplesmente colocar posto com cancela e tudo e pedir ticket de entrada e saída para cada embarcação das nações daquela região. A China perdeu na disputa internacional sobre sua reivindicação sobre aquele mar e esta disposta a se impor. E vai meter um loko ferrado só testando… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Também partilho da ideia que a Coréia do Sul tenha um PA. No início achei besteira, mas a Coreia do Sul é um país de tamanha pequeno. A estratégia deles deve ser levar e manter a guerra para fora de suas fronteiras, assim como Israel faz. Devido a isso, sira importante ter um PA para projetar poder fora de seu território.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Só que no caso o inimigo esta do outro lado da bahia eu na outra margem do rio. A area maritima em disputa e um mar, não um oceano.

Moriah
Visitante
Moriah

Dois projetos bem interessantes… não dá para deixar de imaginar esse modelo menor….

Kemen
Visitante
Kemen

Porta Aviões… não entendi. Na minha humilde opinião o que a Coréia do Sul teria de desenvolver seriam misseis de longo alcance e também submarinos com capacidade para lançar misseis mar-terra, seu provável inimigo esta ao norte e a sudoeste também. Porta aviões seu maior aliado tem.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Mas o seu maior aliado quer ajuda para segurar o dragão. Em um possível conflito no mar do Sul da China, seja para impedir a invasão de Taiwan, uma marinha Sul coreana forte, com Navios Aeródromos e também a japonesa, ajudariam os EUA na missão. Em 2040 ou 2050 a China provavelmente terá 10 Naes. Os EUA talvez terão 11 ou 12. Mas estarão deadobrados pelo mundo. Talvez mantenham 6 no sudeste asiático. E aí se tiverem mais 2 da Coreia do Sul, + 2 do Japão, + 1 do Reino Unido, + 1 da Austrália, todos eles serão muito… Read more »

Ronaldo Rangel Pires
Visitante
Ronaldo Rangel Pires

É isso aí Luiz, coerente e preciso.

Kemen
Visitante
Kemen

Colega Luis, para proteger outras partes do mundo tem também a OTAN a Grã Bretanha-2, França-1 (e talvez 2 em 2040) e Italia e Espanha com multi propositos que podem levar alguns aviões. Não vejo um objetivo claro em manter paridade em porta aviões, o que mais deveria preocupar, no mar são os submarinos chineses e norte coreanos, porta aviões na atualidade são muito vulneráveis e requerem também fortes escoltas que poderiam estar atuando em outras operações. Misseis de precisão afetam a infra estrutura de um pais, portos, fabricas, bases aéreas, instalações militares, depósitos de combustivel, etc. Bem mais impactante… Read more »

R22
Visitante
R22

Na verdade acho que não é questão de manter paridade mas sim de ter CSGs suficientes pra atuar de forma global. Além disso 1 Único CSG tem poder de fogo suficiente pra todo tipo de missão. São centenas de Tomahawks pra ataques de precisão, e dezenas de F-18 para enfrentar ameaças aéreas e ataques ao solo.
E um CSG está longe de ser vulnerável a não ser que se recorra a armas nucleares.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Realmente.

Em um possível conflito total na região, a Coreia do Sul seria atacada por terra.
Além do mais, sua posição geográfica tornaria esse navios alvos fáceis para os chineses, principalmente se forem fundeados no Mar Amarelo.

Torama
Visitante
Torama

Dessa vez não discordo de você, mas saliento que o mesmo vale para os PAs chineses.
Esses estarão igualmente vulneráveis no Mar Amarelo, afinal, os principais possíveis inimigos da China também tem forte presença ali.

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Antônio então pq os chineses estão fazendo os seu? Talvez o tamanho seja problema para a parte mais próxima ao continente asiático porém se a luta se estende o tamanho deixa de ser um problema…. Para a CS e Japão talvez navios menores, furtivos, leia-se não ser reconhecido, e mais ágio seja mais interessante…

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Flávio Henrique

Image os P.A. fundeados em qualquer porto sul-coreano ou chinês, respectivamente.
Os chineses podem deixar os seus fora de alcance dos sul-coreanos por causa da extensão de seu territórios.
Já os navios sul-coreanos podem ser alcançados pelos chineses em qualquer parte do território deles.
A Coreia do Sul é muito pequena.

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

Ninguém em sã consciência atacaria a Coreia do Sul por terrra, nem china, nem rússia … aquela península é montanhosa e o país concentra maioria de seus investimentos no seu exército. Haveria mais chances de sucesso atacando por mar ou céu, mas o país está preparado para isso também.

Marcelo R
Visitante
Marcelo R

Não tem condição. um porta aviões em construção para o Brasil é inviável…. Vejam a novela que está para começar as 4 corvetas, que tudo indica que “se” ficarem prontas algum dia, a U.S. NAVY deverá estar operando com naves estelares com torpedos fotônicos….Mentalidade e vocação para ser colônia para ser explorado e sem capacidade de realizar alguma administração planejada, enquanto isso o dim dim sai por aeroportos clandestinos, sem que ninguém fale nada…. isso e o Brasil…

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Em breve veremos veementes declarações da China de que essa “politica expansionista e ameaçadora da Coreia do Sul” desestabiliza o equilíbrio militar da região e causa uma escalada nas tenções. (Risos)

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Mais algumas ameaças regionais da China e Coreia do Norte e eles vão ter motivação para construírem o modelo maior.

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

E do Japão….sim estão meio numa disputa por que as raposas de lá nacionalista querem reparação em quanto a geração que viveu a guerra já recebeu o pedido de desculpa…

TIAGO MEDEIROS FELIX
Visitante

Não acredito que a melhor maneira de se defender da China seja com um porta aviões.

O que a China mais tem é armamento pra couterar PA ( por causa dos EUA).

Não acredito que a Coreia do sul queira “projetar poder” no mar do sul da China.

No primeiro segundo de guerra o alvo com absoluta certeza seria o porta aviões.

Além do mais a Coreia do sul não está longe assim da China que inviabilize caças + reabastecimento aéreo pra chegar nos seus objetivos.

Acredito que misseis e submarinos seriam uma jogada com custo benefício bem mais interessante.

leonidas
Visitante
leonidas

Demorô para ela colocar isso em serviço.
Como é bom ver nações de verdade cuidando de sua defesa para variar…

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Ai, ai,
quem pode pode né.

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

“O outro seria um navio de 40 mil toneladas, com deslocamento carregado de 41.500 toneladas, com 238m de comprimento e 62m de largura. O navio teria 720 tripulantes e poderia transportar 20 aeronaves, sendo 12 de asa fixa e 8 de asas rotativas. O custo estimado de aquisição foi de 3,1 trilhões de won (US$ 2,6 bilhões)”.

Acho que esse projeto cairia muito bem para a MB, e dependendo da forma de pagamento, seria bom se aproximar dos sul-coreanos…

Bardini
Visitante
Bardini

Esse é o navio que cairia muito bem a MB:comment image
.
Pq?
.
Pq é extremamente multimissão e não depende das aeronaves de asa fixa para ser útil.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Bardini, esse é o Mistral?

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Perdão, fiz confusão! Kkkk Vi agora que é o Trieste

Augusto Liborio
Visitante
Augusto Liborio

Muito pequeno a MB precisa de algo mais ofensivo para patrulhar todo o atlântico sul e dissuadir potenciais inimigo de colocarem bases na África.

Bardini
Visitante
Bardini

Essa linha de pensamento é tão errada…

Augusto Liborio
Visitante
Augusto Liborio

Errada aonde ? Quer a china no atlântico? Eu não quero. Então pronto. A MB ja avisou o congresso que quer focar na costa africana

Marcelo Baptista
Visitante
Marcelo Baptista

Acho que a questão não é de tamanho, é saber usar (eheh) e ter em quantidade adequada.
Pelo que aprendi lendo aqui, para termos uma força dissuasória adequada, olhando para a geopolítica hoje, e sonhando que temos dinheiro, seriam 3 destes.

leonidas
Visitante
leonidas

Coréia certíssima e o Japão que não acorde não, fica confiando nos Estados Unidos e olha só o que aconteceu com os curdos. Claro que são contextos diferentes mas o principio é sempre o interesse maior que pode variar tremendamente conforme o presidente. Nos EUA a geração de novos democratas representam o que há de pior e estão empenhados em levar para a América todo o modo terceiro mundista de gestão que nunca permitiu que a America Latina evoluísse e esta destruindo a Europa. Logo se um democrata dessa corja chegar ao poder (algo bastante razoável) Israel, Japão, Arabia Saudita… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Leonidas, o Japão é uma base avançada para as forças militares dos EUA, não apenas há muitos navios, inclusive um NAe baseado lá, como muitas aeronaves, tropas, fora o entra e sai de navios de passagem, quase que diariamente então trazer tudo isso para Pearl Harbor não é uma opção. . Japão e Coreia do Sul estão aumentando suas forças, não por falta de confiança nos EUA e sim porque os EUA estão tendo dificuldades para aumentar suas forças militares, mesmo manter o que já tem, mas, tanto Coreia do Sul como Japão estão próximos do limite, não se verá… Read more »

Kemen
Visitante
Kemen

Dalton, complementando sua informação, no Japão tem Okinawa (base naval e aérea), Yokota (base aérea), Misawa (base aérea) e outras instalações menores. Em Guam Andersen (base aérea), Apra Harbour (base navel) essa ilha foi a que a Coreia do Norte afirmou tempos atras que seus misseis alcançavam… Além disso tem no Havai Pearl Harbour essa bem mais distante.
No japão em Misawa tem furtivos além de outros.

Dalton
Visitante
Dalton

Ninguém está a salvo em lugar nenhum Kemen e se torce para que um conflito não irrompa entre as grandes potências, provavelmente as guerras por procuração continuarão acontecendo com as grandes potências por trás e enquanto isso há toda uma gama de missões que precisam ser executadas em tempos de paz .

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

U$ 2,6 BI do Nae para transportar somente 20 aeronaves, achei caro. O Queen Elisabeth custou U$ 3,8 bi, mas pode operar 70 aeronaves. Eu não iria nessa opção, a menos que seja 20 no deck e mais 20 no hangar, totalizando 40. Aí faz mais sentido. Eu ainda prefiro o LHD Trieste da Itália. Menos da metade do preço, U$ 1,1 bi e capacidade de operar 20 aeronaves, além de blindados e equipamentos de fuzileiros, etc. Vejamos 2 opcoes: 1 Nae Sul coreano por U$ 2,6 bi. 12 Gripen Naval por U$ 1,5 bi. Desenvolvimento do Gripen Naval U$… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Talvez Luis porque o projeto do NAe coreano preveja catapultas, conforme o desenho e catapultas encarecem significativamente à aquisição e manutenção de um NAe uma das razões que o “Queen Elizabeth” acabou sendo finalizado com uma “rampa” na parte dianteira do convés de voo e sem maquinário e cabos de retenção de aeronaves. . Um NAe até pode operar um número maior de aeronaves, mas, não poderá operar com eficiência, pois terá que ser reabastecido um número muito maior de vezes para garantir combustível para às aeronaves então há um número máximo e um número ideal de aeronaves. . O… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Sim, é verdade as catapultas encarecem, mas pelo número reduzido de aeronaves que contestei. Não seria melhor o F-35B em um LHD Trieste, do que um caça mais barato como o Gripen, porém um Nae mais caro?
Sobre os 12 F-35B me surpreendeu a informação. Acho muito pouco.
Poderiam construir um LHD Trieste para isso, porque um Nae tão grande para embarcar somente 12 F-35B?
Os Navios Aeródromos americanos embarcam 48 caças e podem chegar a mais de 90 aeronaves.
O Reino Unido terá mais de 100 F-35B, porque vão embarcar somente 12 em cada Nae? Muito estranho.

Mercenário
Visitante
Mercenário

Dalton,

O padrão do QE será operar dois esquadrões da RN/RAF. Isso já foi confirmado pelo comando da RN.

Somente na primeira missão, em 2021, que espera-se um esquadrão da RN e outro do USMC.

Ademais, a menção a 70 aeronaves logicamente engloba asas rotativas. E foi informado pelo canal oficial de mídia das forças armadas britânicas.

Dalton
Visitante
Dalton

Mercenário e Luis ou mais alguém interessado… . até 2023 estão previstos 2 esquadrões de F-35B um da RAF e outro da Royal Navy , o da RAF o “617” será o primeiro, depois de 2023 outros 2 esquadrões, totalizando 48 aeronaves de linha de frente, mais um esquadrão exclusivo para treinamento “207” de 12 aeronaves além dos 3 usados apenas para testes totalizando 63 aeronaves o que garantirá um esquadrão a bordo e se necessário ser reforçado por um segundo. . Também achei estranho a proposta de adquirir 138 se é que se concretizará o que colocaria mais da… Read more »

Mercenário
Visitante
Mercenário

Dalton,

Exatamente, a partir de 2023 o PADRÃO será embarcar os dois esquadrões britânicos de F 35B no QE e não apenas um.

As 138 aeronaves ainda não estão contratadas (é o número previsto durante todo o programa), por enquanto são 48, das quais 17 já foram entregues.

Dalton
Visitante
Dalton

Até pode ser Mercenário, porque a informação de que apenas um esquadrão será normalmente embarcado podendo ser reforçado por um segundo, basicamente como ocorreu durante as “Falklands” não foi escrito em pedra. . Só acho difícil que os 4 esquadrões estarão “sempre” certificados e disponíveis para embarque nos 2 NAes, já que um poderá estar parcialmente certificado e outro operando de base terrestre por exemplo, como acontece com os 3 esquadrões de Rafale M e um único NAe francês. . O que acho interessante é que os 2 NAes britânicos terão uma importante função anfíbia, serão muito mais do que… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Mestre Luis, Com certeza cabe bem mais. O Nae Sp com 33 mil ton caberia abarrotado e saturado, ate 40 aeronaves…..mas iam 30 nele de boa…. Os mitos na internet, afirma que catapultas podem acrescentar cerca de 20% de custo final sobre o NAE stobar…. Cabos de parada devem acrescentar uns 10%….e olha lá…. Então, eu faria um Trieste espichado e encorpado, deslocando as ilhas para mais a boreste e angulando o conves entre 9o a 10o. graus. Alocaria cabos e parada e skijump. reequilibraria o desenho ampliando em mis umas 5 mil ton de projeto e pronto!!!! Estaria feito… Read more »

BMIKE
Visitante
BMIKE

Gosto muito do Trieste, as vezes penso o quanto seria interessante instalar um par de catapultas eletromagnética ali naquela grande proa. Se transformar ele em um NAE puro seria belíssimo!

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

CS estudando a construção de 2 novos NaE’s.
Austrália num projeto muitibilionários de novos meios de superfície navais.
O Japão comissionando cada vez mais submarinos
Os aliados americanos na região recebendo o F-35

Como eu disse num post anterior, qualquer dia desses a CN e a China esticam demais a corda, e a Australia e Japão mudam suas Constituições e começam a criar seus programas nucleares, seja pra submarinos ou NaE’s, ou pra armas nucleares.
Vamos ver até onde vai a paciência desses países com a China e seu cão de guarda ( Coréia do Norte )

Dalton
Visitante
Dalton

O Japão convidou a China para uma “revista naval” esse mês, mas, não convidou a Coreia do Sul, então nem toda razão de se existir é a China.
.
A Coreia do Sul pode estar querendo não ficara para trás quando a marinha japonesa
adaptar seus dois “Izumos” para operar com o F-35B já que muito provavelmente o
sul coreano “Dokdo” não é capaz, e/ou pode ter em mente a Coreia do Norte.

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Bobagem gigantesca. De saída: se opera F-35B, pra quê catapulta, ainda mais num design semelhante a um LHD Wasp? Pra gastar fortunas com o F-35C? Só os gloriosos, salve, salve, EUA, podem projetar poder aeronaval com porta-avioes puros sangue bem nascidos e adequadamente escoltados por CG/DDG/SSN e anjos do céu. O resto, inclusos os chinas, entraram de fusquinha contra Ferrari e todo mundo borrando os fundilhos…

Dalton
Visitante
Dalton

Trata-se apenas de um estudo inicial Alex que pode não dar em nada, mas, pelos desenhos trata-se de um Nae com catapultas , convés em ângulo ,
maquinário e cabos de retenção para aeronaves e esse estudo pode significar que o “Dokdo” não pode embarcar confortavelmente um esquadrão de F-35Bs
então seria uma opção para uma versão maior do “Dokdo” que possa embarcar o F-35C e o E-2D.

Davi
Visitante

Se todos os cheques meses mijarem 1 litro no oceano ao mesmo tempo, a terra já era

Davi
Visitante

Se todos os chineses mijarem 1 litro no oceano ao mesmo tempo, adeus terra*

teropode
Visitante

Sem armas nucleares isso vira uma piada , região apertadinha , PA são poucos úteis para quem é nativo da região, a China possui PÁs para projeção de força, para auto-defesa os SUBa são mais indicados , para desfiles os PH adaptados estão de bom tamanho.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Quem sou eu para ditar a estratégia sul-coreana…….mas, eu acho besteira os sul-coreanos terem Naes. Diante da geografia da regiao, seria mais factível para conter a marinha chinesa e seus, futuros, porta-avioes, sistemas de mísseis de longo alcance e hipersônicos, disparados da costa e de aviôes

julio
Visitante

Achei pouco o numero de aeronaves embarcadas pois o PA francês de 45 000 toneladas pode embarcar até 40 aeronaves.

Dalton
Visitante
Dalton

Julio…o NAe francês é movido a energia nuclear assim ele pode se dar ao luxo de ser menor pois não precisa estocar combustível para si, além do mais,
há uma capacidade máxima e uma capacidade ideal de aeronaves, não está especificado qual o caso e o projeto coreano pode estar visualizando uma aeronave maior e mais pesada que o Rafale M como o F-35C, então não se trata apenas de quantidade e sim o tipo de aeronave também.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Só vejo sentido se forem uma contrapartida ao apoio irrestrito dos EUA em defesa do território Coreano. Quem tem um, não tem nenhum, e o pior que ter dois é pouco

Os Chineses ainda arranjarão um monte de inimigos no Mar da China. Duvido que Filipinas, Brunei, Malásia, Taiwan e Vietnã que reivindicam soberania sobre diferentes partes do Mar da China Meridional, por onde circula 30% do comércio global e que abriga 12% da pesca mundial, além de possíveis jazidas de gás e petróleo continuem faceiros a opressão imposta pela China com suas invasões obviamente ilegais.

Anesio Papini Filho
Visitante
Anesio Papini Filho

Perguntar não ofende: Aonde é que um País como esse consegue essa fábula de dinheiro se despesa militar não dá lucro, e mais , não é só ter dinheiro pra construir uma belo nave como essa, e a manutenção, salário dos tripulantes e pessoal de terra para dar apoio, aquisição de aviões, combustível, e a Frota que dá guarnição ao (NA) navio aeródromo, será que esses países fabricam dinheiro ??????.

Dalton
Visitante
Dalton

São países com uma boa infraestrutura, educação, saúde, industrialização, até voltada para armamento, etc, que conseguem poupar dinheiro para investir em forças armadas, por conta de vizinhos belicosos e também por conta de tratados com outras nações.
.
A França por exemplo tem um NAe de propulsão nuclear e 4 submarinos estratégicos com mísseis “intercontinentais” próprios.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Não.
Eles apenas não tem FA´s inchadas, e que consomem 80% da verba com pensões e salários.

Dalton
Visitante
Dalton

A marinha brasileira pode ter excesso de pessoal Wilber, mas, o Reino Unido por exemplo tem falta de pessoal seja na Royal Navy, RFA e “Guarda Costeira” conforme publicado e pode se dar ao luxo dessa falta de pessoal ser compensada por outros integrantes de um Tratado como a OTAN por exemplo, além do mais, a marinha brasileira é inflada por um robusto Corpo de Fuzileiros não necessariamente para desembarque em praias inimigas, mas, para uso em território nacional de uma força profissional. . Nada garante que cortes no pessoal que irão gradualmente ocorrer, cerca de 10% , redundarão em… Read more »

bjj
Visitante
bjj

Me parece arriscado demais os sul-coreanos adquirindo e operando um NAe naquela região. Como já foi dito é um lugar muito “apertado”, onde as distâncias são muito curtas, e em um eventual conflito esse NAe certamente seria um dos alvos prioritários. A China, se quisesse, não teria dificuldade nenhuma de atacar um navio como esse ainda no porto, e a Coréia do Norte possui a maior frota de submarinos do mundo, que, embora sejam defasados em sua maioria, precisariam apenas de um pouco de sorte e uns dois torpedos para mandar bilhões de dólares e milhares de vidas humanas para… Read more »

Sincero
Visitante
Sincero

O porta aviões se tornou o Dreadnought do século XXI, um meio que era exclusividade de potências militares e seus “satélites”, agora todo país quer um. “Si vis pacem para bellum.”

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Putz, podiscrê mermão! Quer que o Brasil arranje um NAe? Bote um no Chile e na Argentina. História como farsa é aqui mesmo…

Sincero
Visitante
Sincero

O Brasil, mesmo com um porta helicópteros, os nossos vizinhos não querem ficar atrás.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Havendo verbas essa seria a hora ideal da MB cooperar com os Sul Coreanos nesse projeto deles.
Pois como ainda é estudos todo o conhecimento será realmente adquiridos por técnicos, engenheiros e pessoal da MB e indústria nacional.
Outro benefício para nós seria a indústria naval e estaleiros Sul Coreanos (muito eficientes por sinal).

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

298m de comprimento e 75m de largura. O navio teria 1.340 tripulantes e 40 aeronaves, sendo 32 de asa fixa e 8 de asas rotativas.
😲😲😲
Quase a 1000% a mais que a tripulação desejada para as CCT,s.
Fora o camarote especial para o alto comando da esquadra.
Quando digo que nossos militares estão desatualizados para o T.O mundial moderno há que ainda tenta defender enorme barbaridade !

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Um Nae pra o Brasil, por mais absurdo que possa parecer, não deveria ter alojamentos, cozinha, sala de operações, catapulta, turbinas a gas, nem vapor, teria de ser extremamente espartano e focar apenas no suporte que 45 mil toneldas de aço posam oferecer como alojamento de aviões, pista e depositos de combustivel/munições….

Estou sendo provocativo propositamente….

Se fazem a dispersão de pistas no asfalto….conseguiriam fazer cascos simples assim e em quantidade para diluirem as alas aereas….

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

voltando as raizes….e ao aço….suprimir todos os custos que não agregam direta e objetivamente a capacidade de combate….

Lembrando que no Brasil, jamais um Nae ficaria passeando mostrando bandeira ou ficaria do outro lado do globo….seriam o anel externo de defesa do continente antes que qualquer força pudesse se aproximar….

Dalton
Visitante
Dalton

Sem alojamentos, cozinha, etc, será difícil encontrar pessoal para tripular esse navio que aparentemente teria que passar muito tempo no mar sendo o “anel externo de defesa” e os que tripulassem não iriam querer retornar então nada de “ancoras douradas” 🙂

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Quem já foi numa plataforma da Petrobrás sabe como as instacoes e acomodações dos funcionários é confortável. Os danados ficam gordos de tanta comida fácil e de qualidade, pra desespero dos helicópteros de transporte 😀
Brincadeiras à parte, não tem como fugir de suprir o necessário à um bote levaavinhaozinhum. E esse necessário é indispensável. Mesmo as ilhas aeródromo chinesas devem ter instalações e acomodações completas pro pessoal alocado.

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Ops: ‘são confortáveis’.

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

sim…logico….a questão é o dimensionamento……

Sergio Cintra
Visitante
Sergio Cintra

Para um “anel externo de defesa do continente”, vejo como um ideal, devido a extensão, distribuir plataformas – corvetas ou opv, por exemplo, dotadas de camcopter, ou algo, como a Marinha já testou no P-121 e ter-se um cinturão defensivo mais “robusto” armado ( sub’s, ph’s ) atrás e pontuais a suportar o anel externo. Acredito que em termos de gastos seria menor do que ter-se uma FT nucleada por NAer.
Mas infelizmente, sonhos apenas por ora! E quanto a custos objetivos, não tem-se escapatórias, afinal qualquer que seja o aparato, tem tempo de deslocamento.

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

OPV é policia….fragata é guerra…. OPVs ou Corvetas classicas não servem para anel externo de defesa….. Repito! Anel de patrulha é uma coisa…. Anel de defesa é outra…o anel de defesa é o “choque de combate” Anel de patrulha está contido dentro do anel de defesa e não o inverso. De nada adianta um NapaOC afastado identificar e ser atropelado pela Task invasora e não ter ninguem lhe dando cobertura e meter os peitos para barrar…. Não basta saber que o inimigo esta vindo…voce tem de saber e ter como barrar a aproximação ou ainda, impor uma depreciação de perdas… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Carvalho, sua ideia enfrenta alguns defeitos… Uma plataforma de aço oceânica, com 45 mil ton, sem bons motores, teria pouca mobilidade, o que dificultaria as operações aéreas que necessitam de bom vento para facilitar as decolagens e pousos. Também facilitaria sua localização e acompanhamento o que vem contra uma das principais vantagens dos PA (ser uma grande força de ataque e defesa de grande mobilidade). Portanto, bons e caros motores não podem faltar nessa sua plataforma. E mesmo para o caso de aeronaves F-35B, a boa mobilidade ainda se faz necessária para não ser um alvo de fácil localização. –… Read more »

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

Isto é coisa do passado…..ha mais de 20 anos existem grandes navios mercantes que fazem só no diesel, 25 knots de velocidade…. é por isto que voces estão vendo o crescimento da propulsão diesel nas marinhas de guerra…tomadas, aceleração, evasivas e desaceleração eram coisas da epoca que voce driblava artilharia de tubo. Não se dá olé em misseis….. 25 knots são suficientes para qualquer configuração de defesa aérea nas decolagens….dentro do envelope para configurações de ataque, não tão bom quanto um CTOL. Ainda existem outras possibilidades dentro deste contexto que não mencionei. Em um dos modelos, acredito que um casco… Read more »

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Também tenho que discordar caro Carvalho 2008.
Isso não seria nem um navio na melhor das hipóteses.
Concordo que tem que se diminuir as regalias em navios da MB , vide exemplo dos absurdos em se falando de tripulação das CCT,s, mas não há como não ter cozinha, dispensa de alimentos , água potável e tudo essencial a sobrevivência humana.
Mas a MB precisa focar em navios simples, robustos, de fácil operação e com a menor tripulação possível.
Dotados de armamentos pesados e mortais .

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

é logico que vair ter Mestre Foxtrot…vc ja me conhece….. sabe que meu estilo é provvocar o pensamento extremo oposto afim de despertar a reflexao para as alternativas…. Uma tripulação não pode viver de MRE por mais de 10 dias…..mas inclusive a propria MRE tem de ser considerada. Esta provocação é justamente para abrir a mente que o que precisamos é da banheira mecanica…. E esta banheira tem de ter um design apto a operação anfibia e de asa fixa….( se existissem mais opções alem do F35, nem precisava ser stobar…mas como é arriscado….vai stobar)…. Então, se um casco ora… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Ate misseis pesados ja existem em containeres hoje em dia….o problema e ironico, é que navios de guerra não tem espaço no conves para carrega-los

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

o LORA Israelense

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Veja estes kits de acomodação

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

e este aqui, um container gerador com capacidade de 2MW

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

a aqui, cozinha…quando precisar….
https://youtu.be/FdfrEzrDa4Q

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

e aqui…misseis que podem ser transportador sobre o conves, basm 1 ou 2 containeres no maximo e em adição as escoltas que podem plotar a posição em que devem se disparados.

Não são apenas os russos que possuem, os israelense tambem, alem de outros….

https://youtu.be/Ch2Rqte6XOs

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Dinheiro não falta! É muita opulência e muito gasto com judiciário e legislativo, na Câmara um deputado tem o privilégio de poder ter de 5 a 25 secretários parlamentares em seu gabinete, e muitas vezes aproveitam até para comer boa parte do dinheiro dos assessores e fazer uma rachadinha gostosa e pôr no bolso um dinheiro extra, que varia entre salários de R$ 1.025,12 a R$ 15.698,32 reais. Cada um dos 513 deputados brasileiros e dos 81 senadores custa mais de US$ 7 milhões por ano – seis vezes mais que um parlamentar francês, por exemplo. LUXOS como verba indenizatoria,… Read more »

Almeida
Visitante
Almeida

Muitos colegas confusos aqui no post sobre a necessidade da CS operar porta-aviões.

NAes não são armas de defesa, são armas de projeção de poder.

A CS não quer NAes para defender seu território de uma agressão chinesa. Eles querem NAes para poder contestar a China em suas áreas de interesse comuns, rotas de comércio, etc. Conflitos localizados, não total e irrestrito.

Bardini
Visitante
Bardini

“NAes não são armas de defesa, são armas de projeção de poder.”
.
O Porta Aviões é um monstro defendendo uma área. Um monstro…

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

Isso mesmo Almeida. O buraco é maios embaixo e a Coreia precisa se armar para se defender nos conflitos regionais que possui com seus vizinhos. O mais problemático no momento é o Japão. Para ter uma ideia alguns anos atrás parlamentares coreanos partiram de barco para visitar a ilha Dokdo que é de possessão coreana mas o Japão contesta isso. Durante a viagem um navio da guarda costeira japonesa de aproximadamente 5000 toneladas bloqueou o caminho do barco que transportava os parlamentares caçando ela por todo o caminho e colocando-se diante dela para que não conseguisse avançar. O episódio ensinou… Read more »

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

não não são de projeção de poder….isto é um vicio de visão causado pela doutrina de emprego de marketing americana… Porta Aviões são autenticos controle de area, estejam onde estiver….e onde necessitem estar…. Se for para controlar o espaço aereo Coreano, lá estarão… Se for para controlar o espaço Japones….lá estarão… Se for para controlar o espaço aereo Chines, lá estarão…. Se for para controlar o espaço aereo americano, lá estarão… Tal como foi em Midway…eles tinham de defender um pedaço de terra no meio do oceano….lá estiveram… E controlar espaço aereo não tem nada a ver em enxergar o… Read more »

nonato
Visitante
nonato

Minha avaliação para o governo coreano é ficar com o maior.
Na verdade, não vejo muito sentido a Coreia do Sul ter porta aviões.
É vizinha da China.
Um avião para alcançar o território inimigo não precisa ir por mar.
Ademais esse NAE menor com apenas 2 aviões só pode ser brincadeira.
O outro com 32 também acho pouco mas ainda vai.
Os dois principais inimigos é só cruzar fronteira

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

O fato é que além de ter recursos financeiros para tal, a Coréia do Sul vive sendo acuada para entrar num conflito. A Coréia do Norte alocando cada vez mais recursos para seu programa nuclear com um governo dos EUA cada vez mais lento olhando somente para o próprio umbigo, A CS esta procurando se defender. Agora é fato que quando a CS tiver dois porta-aviões, a China terá um poder naval ainda maior nesse momento.

Valdeir Veloso
Visitante
Valdeir Veloso

É o investimento que o Japão está fazendo em “defesa”, que preocupa a Coréa do Sul.

Marquês de São Vicente
Visitante
Marquês de São Vicente

Um NAe para Coreia do Sul… Considero uma abordagem equivocada. Acredito que esse $ seria melhor investido em submarinos e defesa antiaérea.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Daqui a uns dias a China vai se pronunciar dizendo que esses projetos colocam em perigo a estabilidade e a paz da região, igual ficam esperneando pelos Submarinos e Porta Helicopteros (que pode levar os F35) do Japão.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

daqui a 10 anos a china também vai estar cercado por Austrália, Japão, EUA e Coreia.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

A China não vai ficar cercado, o que vai acontecer é que a China vai ter um poder naval combinado sobre o comando dos EUA. Mesmo assim se todo o poderio aéreo demonstrado no aniversário de 70 anos da Revolução funcionar, principalmente os mata porta aviões, ainda assim vai ser um osso duro de roer…

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Osso duro de roer é o Afeganistão kkk US e URSS que o diga…… logicamente atualmente a china é osso duro de roer, mas não terá sua tão sonhada supremacia no Pacífico, pois essas marinhas que citei juntas seriam o suficiente para conter os Chineses e manterem a Paz.

Esteves
Visitante
Esteves

Dinheiro não falta, Mas não é com esse dinheiro daqui que iremos pagar porta-aviões, porta-helicópteros, submarinos, escoltas, aviões, blindados de lá. Coreanos tem dólares e euros. Nós não temos. Quando contam que somos uma economia entre as 10 ou entre as 15 significa somente uma conversão para o dólar. Nós não temos aqueles trilhões de dólares que aparecem no PIB. É fantasia. Coreanos tem grana porque eles detém patentes, matrizes, conhecimento e fazem negócios. A Coréia não é um país isolado. Para quem recorda os carros da Hyundai que rodavam por aqui nos anos 1970/80 com placas do Paraguai…os carros… Read more »

Andromeda 1016
Visitante
Andromeda 1016

A Coreia do Sul precisa do porta aviões por causa dos seus vizinhos Japão, China, Rússia etc. A Coreia tem várias disputas territoriais no mar com a China e principalmente com o Japão e se eles bloquearem o acesso da Coreia nos territórios disputados ela simplesmente perde a disputa e os territórios. No caso específico do Japão a Coreia permite que eles explorem economicamente parte do mar ao redor das ilhas Dokdo pois se houver confrontação com o Japão ela perde a ilha pois tem menos meios que o Japão. Existe outra área submarina imensa ligada ao continente pela península… Read more »

Diego
Visitante
Diego

As ilhas(rochedos) de Dokdo ficam apenas à 216 km do Continente, nessa distância a Coreia do Sul poderia perfeitamente enviar aviões militares pra patrulhar a região, não necessitando de nenhum porta-avião pra isso.
O Japão possui mísseis antinavios terra-mar com alcance de 400 km de distância, permitindo que os japoneses tenham um perímetro defensivo muito forte em torno de suas ilhas, não faz sentido (caso haja um conflito com o Japão), a Coreia do Sul operar um porta-avião dentro do alcance desses mísseis.

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

50 Km ao lado de Dokdo tem a ilha Ullungdo que pertence à Coreia do Sul mas como ela não tem pista de pouso aviões (está para ser construido) caças sul coreanos tem que vir da península o que não garante muito tempo de vôo sobre as ilhas aos caças coreanos. No caso do F15 parece que ela consegue ficar uns 15 minutos no máximo sobre a área e tem que retornar à base, o que para os militares coreanos não é o ideal. Caças menores somente teriam capacidade de ir até as ilhas dar uma volta e retornar à… Read more »

Andromeda1016
Visitante
Andromeda1016

Rocha? Ouviu falar de Okinotorishima? esse sim é que é rocha …. e submerso ainda rsrsrsrs

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Show demais! A ROK Navy é uma da minha marinhas favoritas

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Como disse mestre Dalton, estou sendo intencionalmente provocativo para fomentar a reflexão dos reais objetivos que devem ser alcançados numa arma e recurso De um lado, os desejos de uma nave estelar Enterprise com capacidade de dobra, com todo o conforto e tecnologia possível e do outro, batalhões do CIGs e Tanquistas usando espiriteira e covinhas na terra de latrina….. Fossem apenas as necessidades de crescimento tecnológico e energia da embarcação ainda vá lá….mas a verdade é que o metro quadrado e respectivo custo das instalações humanas dispararam também O estranho é que mesmo navios de vocação explícita de empurrar… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Gente não é salame.

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

sim, claro!!! gente não é salame e nem deveria ser!!!! Mas coerencia com o que se pode e o que se deve… Na selva, nos campos ou no Tanque, o heroico acende espiriteira….latrina na covinha do chao…. Nao defendo espiriteira em navio, nem saquinhos plasticos de latrina….mas faço questão de forçar e lembrar as diferenças de dignidade ou indignidade do que um combatente pode considerar…. Da para fazer um desenho bom barato de manter, com dignidade de conforto e segurança de fazer inveja as demais armas….. E lembre, falo de um modelo especifico de navio que é o Nae….que ficara… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Caro, Eu (quem seria eu?) concordei com vossos posts e com as vossas opiniões sobre navios mercantes adaptados. Lembro dos PDFs. Tem no YouTube também. Israelenses. Você precisa despejar os mísseis e ir embora. Se for afundado que afundem o navio depois que ele cumpriu a missão. Furtivamente. Navios de guerra em tempos de paz ficam 70% a 80% do tempo no porto. Tem o adestramento, o aprestamento, o treinamento, que seriam realizados nesse Nae espiriteira. A tripulação altamente motivada parte em missão. No mesmo Nae espiriteira no qual foram treinados. Motivados pelo patriotismo. Vamos rezar o Pai Nosso. –… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Bem, se chegamos então ao momento que definitivamente consenso de que onde e como as necessidades biológicas não são os definidores de êxito da arma, podemos deixar as licenças poeticas extremados que foram tão necessárias para resetar o conceito ortodoxo e focar no que é absolutamente necessário e o que é razoável. Absolutamente necessário seriam: A) convés de pouso de decolagem, B) estoque de combustível e armas, C) vento relativo de 25 knots, D) conjunto de cabos de parada, D) espaço e pré disponibilização de cablagens elétricas e hidráulicas Absolutamente razoável seriam: F) containers de geradores elétricos, G) containers de… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Sim, De A) a H) faltou o E). Talvez nesse E poderíamos citar a esquecida tripulação. O navio vai cumprir missão. Quem leva o navio são os marinheiros. Havendo castigo, desconforto, carências de qualquer tipo, como seria motivar? Em filmes hollywoodianos faz discurso. Em Nae espartano trocamos pelo patriotismo? Uma vez…li que o amigo e outros defendem meios simples montados à partir de construções mercantes ou navios mais leves que embarcariam mais mísseis e/ou dispersassem aviões rapidamente. Ok. Eu preciso ser efetivo. Não necessariamente o mais rápido. Devo fazer antes. Meus vetores, meus radares, meu engajamento com mísseis, torpedos, aviões,… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Carvalho, “navios da II Guerra” exigiam por exemplo grandes tripulações e hoje em dia não há muita gente interessada em fazer carreira, ainda mais passar por desconforto, em caso de guerra se faz sacrifício, mas, em tempos de paz nem tanto. . Em época de guerra a disponibilidade pode ser aumentada sacrificando-se a tripulação e o navio, você deve lembrar por exemplo do USS Yorktown avariado no Mar de Coral que partiu para a batalha seguinte em Midway sem estar 100 por cento e mesmo os 6 NAes japoneses que atacaram Pearl Harbor e causaram destruição nos 5 meses seguintes,… Read more »

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

Pois então, os navios da WWII tinham maior tripulação, alojamentos eram menorese não obstante isto, cumpriram o endurance necessario de mar para a missão. O Homem do seculo 20 pôde e o homem do seculo 21 não pode?…. Não acredito nisto! É minha crença pessoal que consubstancio enquanto existir o mesmo homem do seculo 21, Tanquista, da Selva, da artilharia, que por vocação e missão, desdobram-se praticamente sob as mesmas intemperies do seculos passados , apesar das melhorias que cada arma propiciou. Meu exemplo dos 21 dias consecutivos de persistencia tambem são igualmente provocativos…. Na guerra do seculo 20, navios… Read more »

Antunes Neto
Visitante
Antunes Neto

Opa mestre Carvalho,

Nossas ilhas oceânicas podem revelar um parâmetro de até onde precisaremos ir para proteção, e tempo de mar tb.
.
Exercícios na costa africana com marinhas amigas, ou mesmo um deploy como elemento de comando contra piratas no sul da africa poderiam ser atividades extra que também indicariam o tempo de mar.

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

Corretíssimo!!! as distancias de ponta a ponta entre Brasil e Africa oscilam entre 3 mil km a 6 mil km…. Lembrando que o Nae brasileiro tem de manter um colchão de segurança entre 300km a 1000 km da costa. Isto em situações belicas, guerra real e iminente dentro desta area, pois não cabe a ele a patrulha, vigilancia, etc…. Patrulha e vigilancia é para NapaOc, afinal….Nae não é para emprego contra piratas certo?? Nem fragatas e corvetas deveriam ser….rzrz.. Na media, nosso Nae operaria num pico alto de 3 mil a uma distancia minima de 500 km da costa brasileira….… Read more »

Antunes Neto
Visitante
Antunes Neto

Entendo. Acredito que a MB possui 3 eixos mais necessários agora:
1. Os Subs.;
2. As covertas;
3. NaPa500 (aqui pode-se inserir as adições da classe Amazonas);


Aproveitando o post para teste de imagem.

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

correto

Antunes Neto
Visitante
Antunes Neto

Estive brincando com a configuração de um Nae no início de ano…

Saiu essas balburdias aqui:

[IMG]https://drive.google.com/file/d/1t4aYSDpfnyyXD-RihPeNhSFiQGlKIeqw/view?usp=sharing[/IMG]

Dalton
Visitante
Dalton

Poder pode Carvalho, só que o homem e agora a mulher também para a qual há necessidades diferenciadas, como se está vendo a bordo de navios e submarinos de outras nações ,não precisam sujeitar-se a essas condições espartanas do seu modelo a menos que o padrão para admissão seja diminuído o que resultaria em pessoas menos aptas. . Na US Navy por exemplo poucos anos atrás, navios estavam fazendo em média 9 meses de missão e isso não apenas estava desgastando os navios mais rapidamente, como apontaram relatórios, como a taxa de retenção e o moral começaram a cair, afinal… Read more »

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

Perfeito Mestre Dalton, Usemos os proprios exemplos alocados de um e de outro e veja que os contextos são extremamente diferentes. Sempre caimos em armadilhas caso se persista mensurar o TO por armas e doutrinas de terceiros. Veja o exemplo oferecido pela US Navy de trabalhar entre 9 e ter reduzido para sete meses de mar. Ele não somente não se aplica aos Nae que desenhei, como mais uma vez insisto a lembrar que o caso brasileiro literalmente “dispensa” isto. Nae brasileiro iria patrulhar o mundo? familias em San Diego e missões no sul da China?? Veja novamente, Nae brasileiro,… Read more »

Pedro
Visitante
Pedro

Meu sonho é ver o Brasil em parceria com os sul-coreanos, os caras tem expertise em projetos navais militares de grande porte e tenho certeza que se fosse feito um Nae em parceria com eles, seria um custo abaixo do que se fizesse com os franceses ou outra nação amiga…

William Duarte
Visitante
William Duarte

Quem tem 4,6 bilhões de dólares para gastar em um PA, junta mais 600 milhões e fica com 2 PA’s menores de US$2,6 bilhões cada. Pode até alguns falar que são dois alvos, mas acredito como poder de dissuasão 2 PA’s são bem mais táticos e podem agir em separados mas de forma coordenada, e por fim sempre teriam pelo menos 1 Porta Aviões em atividade

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

Dentro destes duas hipoteses de modelo, seria tambem minha opção: construir e mobiliar dois menores….mas existem outras contas por tras….sempre é muito dificil dois menores terem um custo igual a um unico maior….geralmente não tem como….dará uma conta maior de tripulação total, equipes de manutenção, maquinário, etc….

carvalho2008
Membro
Famed Member
carvalho2008

no minimo no minimo, o adversario tem de acertar dois alvos….se ele acerta apenas hum, voce ainda tem 50% de forças para contra atacar….e como tudo se decide muito rapido hoje em dia, é o que acho que ganha o maior peso na balança e dados da sorte….

elcimar marujo
Visitante
elcimar marujo

uma parceria com os sul coreanos ia bem nessa área de porta aviões