Home Aviação Naval Marinha dos EUA tem seis porta-aviões fora de operação na Costa Leste

Marinha dos EUA tem seis porta-aviões fora de operação na Costa Leste

39473
128
Base Naval de Norfolk na Costa Leste dos EUA, em foto de 2012

O site americano Breaking Defense noticiou que a Marinha dos EUA está com seis porta-aviões fora de operação na Costa Leste, em manutenção ou em testes.

Quando o porta-aviões USS Harry S. Truman perdeu uma uma comissão interrompida no mês passado depois de sofrer grandes problemas elétricos, o único porta-aviões baseado no Atlântico atualmente capaz de navegar foi forçado a voltar para o porto.

Normalmente, seis porta-aviões são baseadas em Norfolk. Quatro são baseados na Costa Oeste, sendo dois em San Diego e dois em Bremerton, Washington. Um outro porta-aviões, o USS Ronald Reagan, é o único navio do tipo sediado fora dos Estados Unidos, em Yokosuka, Japão.

Não está claro quanto tempo o Truman ficará fora de serviço, mas as primeiras estimativas de que estaria pronto até o final de novembro podem ser otimistas demais, de acordo com uma pessoa familiarizada com o problema.

Esse é o status status dos porta-aviões da Costa Leste:

  • USS Dwight D. Eisenhower (CVN-69) – concluiu a Basic Phase of the Optimized Fleet Response Plan (OFRP) e está progredindo normalmente através de treinamento para ser desdobrado.
  • USS George Washington (CVN 73) – na fase de manutenção, passando por um reabastecimento e uma revisão complexa (RCOH) na Newport News Shipbuilding.
  • USS John C. Stennis (CVN 74) – no final da OFRP, apoiando operações na costa leste; programado para RCOH.
  • USS Harry S. Truman (CVN 75) – na fase de manutenção; estão em andamento esforços de reparo para um problema elétrico, a fim de restaurar a capacidade total do navio, para desdobrar o navio e sua ala aérea embarcada o mais rápido possível.
  • USS George HW Bush (CVN 77) – Fase de Manutenção.
  • USS Gerald R. Ford (CVN 78) – Nova construção, em fase de testes de mar.

O USS Gerald R. Ford (CVN 78), considerado o navio de guerra mais caro da história, custando cerca de US$ 13 bilhões, voltou aos testes de mar, mas ainda continua com problemas: somente 4 dos 11 elevadores eletromagnéticos de armas estão funcionando. As catapultas e o sistema de cabos de parada, também eletromagnéticos, ainda precisam de ajustes.

Quando a Ford terminar os testes no mar, espera-se que o porta-aviões retorne à Estação Naval de Norfolk, onde entrará em um período de testes e testes pós-entrega. Isso incluirá a certificação de sistemas de combustível e de comando, além de testes de compatibilidade de aeronaves e sistemas de combate.

A última previsão dada para entrada em operação do Ford é 2024, mas o Secretário da Marinha dos EUA disse que está trabalhando para entregar o navio antes disso.

USS Gerald R. Ford (CVN 78) em novas provas de mar
Subscribe
Notify of
guest
128 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
6 meses atrás

Ainda assim, o Tio Sam tem mais NaE’s fora da ativa no momento, do que o resto das Marinhas do mundo tem NaE’s na ativa.

Pela chamada da matéria, pareceu até que os NaE’s estavam com um problema muito sério, mas só estão passando por manutenção e reabastecimento do reator mesmo.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Willber Rodrigues
6 meses atrás

Normal, o inferno na frota americana seria o paraíso para o resto.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Ricardo Bigliazzi
6 meses atrás

Essas banheiras flutuantes só bota medo em pais tribal tipo Iraque e Afeganistão. Russia caga e anda para NAes, o avangarde foi preparado para lança-los ao fundo do oceano quando a chapa esquentar. Até o Irã causaria um estrago danado nesses vasos de guerra se caso houvesse um conflito.

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  Willber Rodrigues
6 meses atrás

A mídia globalista infiltrada em todos os jornais do mundo, não se cansa de colocar em prática suas notícias sensacionalistas e tendenciosas.
Estas práticas são sinais de um inexplicável ódio por quem os protege e alimenta.
Resumo da notícia, os Estados Unidos estão muito bem. Continuam poderosos e organizados.

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Mídia globalista infiltrada??!! Fala sério….. O que há de tendencioso e sensacionalista na matéria além do fato de que 6 (seis) estão atracados em diferentes estágios de manutenções programadas?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Helio Eduardo
6 meses atrás

Pois é. Não vi sensacionalismo nenhum, mas a divulgação de um fato: seis estão fora de operação, o que é um número além do normal, pois representa mais da metade dos porta-aviões dos EUA. O ideal é que fosse menos da metade, ou próximo de 1/3. Ou seja, eles também têm seus problemas.

Dalton
Dalton
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Talvez Nunão porque a frase “6 fora de operação” não condiz exatamente com a verdade já que o “Ike” encontra-se em fase intermediária de treinamento que não vale a pena acelerar e que o “Stennis” esteja sendo utilizado na importante função de treinar pilotos enquanto espera pelo início de sua modernização. . O “Stennis” inclusive retornou de uma missão em maio, ainda encontra-se certificado, basta devolver a ele uma ala aérea e municia-lo novamente, então não deve ser assim tão difícil coloca-lo em modo de combate, se a situação assim exigir. . A primeira vista parece que todos os 6… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Entendo.
Acredito que a fonte original escolheu o título para dar mais ênfase ao que realmente está disponível, hoje, para operações, num contexto de aumento das tensões internacionais.
Mas não vi sensacionalismo, sinceramente. Apenas não dourou a pílula.

Flanker
Flanker
Reply to  Dalton
6 meses atrás

E o Gerald Ford, que está entre esses 6, acho que nem foi declarado operacional, pois nunca realizou uma comissão….nem lembro se já foi incorporado pela US Navy…

Dalton
Dalton
Reply to  Flanker
6 meses atrás

Sim Flanker ele já faz parte do inventário da chamada “Força de Batalha” desde 2017, tem uma tripulação e diferente do USS Zumwalt que foi temporariamente removido do inventário, já se sabe exatamente o que se irá fazer com ele, lançar e recuperar aeronaves. . Só que ao contrário de todos os demais NAes que precisaram de 2 anos em média para serem declarados prontos para missão, o “Ford” necessitará de mais tempo e enquanto vai se trabalhando no que não funciona direito e no que não foi instalado, ele deverá ao menos ajudar na formação de novos pilotos e… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Entendi, Dalton. Então, isso corrobora o que eu quis dizer e talvez não tenha sido entendido. O Ford nem realizou uma comissão oficial sequer….portanto, colocá-lo como um dos 6 NAe “indisponíveis” soa como exagero. Ele está comissionado, mas nunca operou de faro, como um NAe opera….e dos outors 5, como você explicou muito bem, ao menos 1 pode voltar a operam em pouquíssimo tempo caso necessario. E outro, vai voltar a operar logo, após manutenção.

Dalton
Dalton
Reply to  Flanker
6 meses atrás

O “problema” Flanker é que o “Ford” foi comissionado depois do previsto e passados dois anos do comissionamento ainda está longe de poder ser enviado em uma missão então não é um “exagero”.
.
Quanto aos outros 5 aí sim, há um certo exagero como já
comentamos acima inclusive o que ocorreu com o USS Harry Truman foi uma falta de sorte, pois ele, à Ala Aérea CVW 1 e
os navios do grupo estavam completamente certificados para missão tanto que o cruzador e os 3 destroyers foram despachados e encontram-se no Mar Arábico agora.

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

E isso tudo não poderia ser interpretado de outra maneira!?

Penso que se os 6 NAes estão agora em diferentes fases de manutenção ou de reparo, logo estarão navegando. Poderia ser dito que, em breve, os 6 estarão em comissões pelo mundo afora…

Não acredito, por um minuto sequer, que a US Navy se permita estar com as calças na mão em caso de conflito, seja qual for a probabilidade de um acontecer. Do meu ponto de vista, são os mais eficientes do planeta em planejamento…

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Helio Eduardo
6 meses atrás

Estão entre os mais eficientes sim, mas longe de serem infalíveis, Helio. Há manutenções de navios que estão levando mais tempo que o previsto, há um navio que não ficou operacional na data prevista. Essas coisas acontecem e fogem do planejamento, resultando em haver mais da metade da frota não disponivel para operações nesse momento. A verdade dessa situação está nem tanto à Terra (os EUA estão com as calças na mão) nem tanto ao céu (são os mais eficientes do planeta).

Almeida
Almeida
Reply to  Helio Eduardo
6 meses atrás

Pessoal caiu mesmo na paranóia da extrema direita né? Qualquer notícia que não os agradem é culpa de uma conspiração global para acabar com o ocidente cristão…

Fabio Mayer
Fabio Mayer
6 meses atrás

Aquela velha máxima: quem tem um, não tem nenhum, quem tem dois, tem um, quem tem três, efetivamente tem um!

Almeida
Almeida
Reply to  Fabio Mayer
6 meses atrás

E quem tem onze tem cinco!

Flanker
Flanker
Reply to  Almeida
6 meses atrás

E esses cinco equivalem aos 2 da China (o 2° já está plenamente operacional?), 1 da Índia, 1 da França e 2 do Reino Unido (ainda não operacionais)?…..nem citei meios menores como os NAe’s de Itália, Espanha, Tailândia, ……Qualquer um desses navios desse países que entrarem em manutenção vai deixar o país que o possui “meio” prejudicado….

Hermes
Hermes
Reply to  Flanker
6 meses atrás

Fora os demais navios americanos que apesar de não serem porta-aviões podem lançar o F-35.

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Flanker
6 meses atrás

No caso da China e do Reino Unido terão sempre um na ativa, já a França e a índia não. ( Rússia também já que só tem um )

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Fabio Mayer
6 meses atrás

Exato Fabio e tem gente não só na MB como aqui na trilogia sonhando com um PA, sendo que para manter um na ativa seriam necessários 2 já que 1/3 ou até metade da frota estaria em manutenção. Ter 1 é o mesmo que ter nenhum. No caso dos submarinos a mesma lógica. temos atualmente 5 com outra já entrando em operação; vamos negociar 2 com o Peru, ficam 4 onde apenas 2 estariam na ativa

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  Émerson Gabriel
6 meses atrás

Emerson Gabriel,

Foi a isto mesmo que me referi. Se quem tem 11, conta com 5, imagine quem tem apenas um, ou quem tem apenas 3 fragatas operacionais, ou quem tem apenas 5 submarinos para uma extensão gigantesca de mar.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
6 meses atrás

De qualquer forma é muito NaE para estar fora de operação na Costa Leste. Vamos aguardar que a US Navy volte com todo vapor logo e que o planejamento de parada seja melhorado.

MAURÍCIO GAMA DE MEDEIROS
Reply to  Luiz Trindade
6 meses atrás

Porque essa fascinação pela forças armadas americana?Sou civil e gostaria de entender isso.

Camargoer
Reply to  MAURÍCIO GAMA DE MEDEIROS
6 meses atrás

Olá Maurício. Eu entendo que a USN seja hoje a mais impressionante força naval, com equipamentos admiráveis. Por outro lado, a MB vem da tradição da Marinha portuguesa, a mais antiga de todas as marinhas. Mais antiga que a RN. Tenho um especial carinho pela MB (que juntando o que sinto pela FAB e EB não somam metade do que sinto pela MB). Navio ou submarino e muito mais legal que carro de combate ou avião de caça.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

“Navio ou submarino e muito mais legal que carro de combate ou avião de caça.”

Seja bem-vindo ao clube, ou, para alguns, o lado negro da Força, que também é muito mais legal.

Camargoer
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
6 meses atrás

Olá Nunao. Acho que e a turma da ” água salgada”.. por outro lado, as outras turmas preferem barro ou nuvem.

Tomcat
Tomcat
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Me junto à vocês!!! Gosto mais de navios e submarinos também!!!

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Tomcat
6 meses atrás

4!!!!!!

Dudu
Dudu
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Camargoer:
Discordo.O caça é o mais legal.Depois vem o submarino.Daí os navios.

Roberto Dias
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Estudei na Epcar e na AFA, e lembro da rivalidade que existia entre as forças durante as competições esportivas entre armas, cada um querendo justificar porque a sua era “melhor”, lembro que os “paulinhos”, apelido dos estudantes da MB por causa de uma bermudinha que eles usavam como uniforme, sempre diziam que bastava um tiro para derrubar um avião, bem, hoje sabemos que a realidade é bem diferente, mas deixemos isto de lado porque é uma discussão que nunca acabaria. 🙂

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
Reply to  Roberto Dias
6 meses atrás

Boa, Batata. Contínuas um cara 10, aliás, 100 (apenas os Cobras entenderão).

Flanker
Flanker
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

“Navio ou submarino e muito mais legal que carro de combate ou avião de caça.”
Isso depende do gosto de cada um….

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

No meu caso sou admirador de submarinos que são uma arma que inspira respeito em qq navio.

Dalton
Dalton
Reply to  MAURÍCIO GAMA DE MEDEIROS
6 meses atrás

Faça de conta Maurício que esses NAes não são “americanos” e veja pelo lado da conquista tecnológica. Mesmo àqueles que não gostam de “americanos” mas gostam realmente de navios irão concordar que são fascinantes. . Por outro lado a tradição e a História dos NAes desde o USS Langley de 1922 também é fascinante. . A História americana e no caso aqui, História militar é muito rica principalmente quando paramos para pensar que o país é mais antigo que o Brasil em menos de 50 anos e para àqueles que gostam de navios, aviões, tanques, etc, os EUA acabam sendo… Read more »

Fred francisco
Fred francisco
Reply to  Dalton
6 meses atrás

amigo.. menos de 50 anos?!?! pois vou te dizer que os EUA são mais novos que o Brasil.

DuartePMartins
DuartePMartins
Reply to  Fred francisco
6 meses atrás

Declaração independencia do Brasil 1822
Declaração independencia EUA 1776

Dalton
Dalton
Reply to  Fred francisco
6 meses atrás

EUA : 1776 – Brasil : 1822 . Diferença de 46 anos ! 46 < 50 !
.
Como diria a Paula Toller…"Onde foi que eu errei ????? "

Camargoer
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Olá Dalton. Os EUA eram dois países. No sul era uma aristocracia agrária escravocrata como o Brasil. No norte ocorreu uma revolução burguesa. Esse conflito provocou uma guerra civil, que impediu a independência O norte dos EUA são uma república burguesa desde sua independência. O Brasil era uma aristocracia escravocrata que criou um império para manter o poder e evitar uma revolução burguesa. A República foi um golpe de estado para evitar a revolução burguesa. Revolução de 30 pode ser vista como uma revolução burguesa tardia que provocou uma guerra civil. Para não teve erro. Acertaram tudo. Para 99% o… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Oi Camargo…parece que ficou um pouco confuso…” a guerra civil impediu a independência” ? Independência do Sul ?
.
A “independência” como você sabe, foi declarada em 1776 ainda sob jugo britânico e vários anos se passariam antes da expulsão definitiva dos britânicos e muitos anos mais se passariam até os EUA terem o contorno que possuem hoje.
.
Norte e Sul acabaram tendo desavenças, mas, nem sempre
foi assim, dando início a guerra civil de 1861 a 1865, mas, a data da independência é 1776 de um jeito ou de outro.

Camargoer
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Olá Dalton. Obrigado pelos comentários. Após a independência dos EUA (aquela de 1776), eles fundam a primeira república baseada nos conceitos iluministas de democracia moderna. Contudo, o modelo escravagista do sul seria incompatível com esse modelo liberal do norte. As leis Jim Crow no sul são um exemplo da dificuldade do sul dos EUA superarem os modelo escravocrata. Concordo que o termo “secessão” ou “separação” seria mais adequado do que “independência” para descrever a guerra civil. A independência das 13 colônias possibilitaram a formação de uma república liberal burguesa. Há uma ruptura do modelo aristocrático da Inglaterra que é substituído… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Camargoer
6 meses atrás

Camargo…da forma como vejo… . Norte e Sul eram “diferentes”, para começar a população do Norte muito maior que a do Sul enquanto este possuía uma população de escravos maior que a do Norte, como aliás ocorre/ocorreu em muitos outros países que possuem suas diferenças também, mas foi apenas no início de 1861 que foi constituído os “Estados Confederados da América” e que durou até 1865, portanto apenas 4 anos. . Muitos jovens oficiais do exército que combateram juntos na guerra contra o México, por exemplo, tiveram em 1861 que tomar lados e muitos sulistas permaneceram leais ao norte o… Read more »

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Fred francisco
6 meses atrás

46 anos mais antigos dada as datas de independência

Fred francisco
Fred francisco
Reply to  Dalton
6 meses atrás

pode pesquisar.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  MAURÍCIO GAMA DE MEDEIROS
6 meses atrás

Acredito que seja porque eles sejam s referência em equipamentos militares, o resto do mundo corre atrás mas ainda ninguém alcançou.

Roger Martins
Roger Martins
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Verdade e graças a Deus América manda.omaginem a Rússia ou China a mandar que seria de nós

Albuquerque
Albuquerque
Reply to  MAURÍCIO GAMA DE MEDEIROS
6 meses atrás

Amigo não queira entender.Continue na sua vida civil e boa sorte.

Mattos
Mattos
Reply to  MAURÍCIO GAMA DE MEDEIROS
6 meses atrás

Adoro avioes e navios. Carros de combate e blindados vem la atras. desculpem o portugues mas o teclado e americano.

Nilson
Nilson
6 meses atrás

Estão naquele momento fatídico em que a diagonal de manutenção fura bonito e os meios ficam quase todos indisponíveis. Via de regra porque vários fatores imprevistos conspiram em conjunto. Na MB temos um caso clássico recente, o dos IKL.

Salim
Salim
Reply to  Nilson
6 meses atrás

Nilson, ikls náo e bem assim, um ativa, dois já deveriam ter retornado a tempos ativa e dois estão parados aguardando a troca de humores na marinha.

Space Jockey
Space Jockey
6 meses atrás

Se eles quiserem poem todos seis em operação em menos de 1 ano, é só o bagulho esquentar.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Space Jockey
6 meses atrás

Exatamente, a capacidade industrial dos EUA é impressionante. Te diria que em 30 dias já aprontam 1 deles.

Alcy
Alcy
Reply to  Eduardo
6 meses atrás

A capacidade industrial dos EUA é tão grande que só como um exemplo eles repararam graves danos no Lexington em 24 horas, na véspera da batalha de Midway.

Nilson
Nilson
Reply to  Alcy
6 meses atrás

Em verdade repararam o Yorktown. O Lexington já estava em sua tumba no Mar de Coral.

Mario Favaratti
Mario Favaratti
Reply to  Alcy
6 meses atrás

Bem lembrado.

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Alcy
6 meses atrás

Eram outros tempos, na época não havia a tecnologia eletrônica de hoje

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Space Jockey
6 meses atrás

Não sei se há tripulação treinada para todos ao mesmo tempo e se o “bagulho esquentar “, em um conflito em larga escala em 1 ano muita coisa já aconteceu

Carlos
Carlos
6 meses atrás

Se eles quiserem podem comprar a na são paulo da marinha do Brasil para ajudar

Carlos Augusto Alves de Azevedo
Reply to  Carlos
6 meses atrás

$ eles twm…

rommelqe
rommelqe
Reply to  Carlos
6 meses atrás

Só para ajudar, o Carlos quis dizer “….podem comprar o NA São Paulo…” rsrsrsrsrsrsr

Edson
Edson
Reply to  Carlos
6 meses atrás

Se prometerem que levam embora pode ser até de graça rs

Silvio de Barros Pinheiro
6 meses atrás

Eu tenho uma ótima sugestão para esses gangsters sobre o que fazer com esses porta aviões. Só que vai doer.

Wellington Rossi Kramer
Reply to  Silvio de Barros Pinheiro
6 meses atrás

Cada um com suas preferências!

Dalton
Dalton
6 meses atrás

Dois dos NAes pertencem a Frota do Pacífico. O USS George Washington que está passando por modernização de meia vida e reabastecimento dos reatores nucleares coisa que só pode ser realizada na costa leste e o USS John Stennis. . O USS John Stennis é um recém chegado que depois de uma missão de 7 meses pelo Pacífico, Índico e Mediterrâneo, terminou em Norfolk em maio último e ficará a disposição por mais de um ano sendo empregado no treinamento de pilotos e testes diversos antes de também iniciar a modernização de meia vida e reabastecimento dos reatores, similar ao… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Grande Dalton.

Hermes
Hermes
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Dalton, uma curiosidade. Os navios e submarinos nucleares quando estão já encostando para reabastecer tem uma reserva de energia em seus reatores para serem aprestados ao combate rapidamente em caso de urgência ou já estão no vermelho e correm risco de “apagão” caso ainda permaneçam algum tempo em operações?

Dalton
Dalton
Reply to  Hermes
6 meses atrás

Bom dia Hermes…no caso de você retornar, o “combustível nuclear” de NAes e submarinos é constantemente monitorado para que fique dentro da expectativa de quanto se deve “usar” para que não termine antes da hora garantindo que fique dentro da expectativa de vida deles. . Submarinos como os classe “Los Angeles Improved”, “Seawof ” e “Virgínia” não necessitam de reabastecimento durante uma expectativa de vida de 33 anos e embora seja possível reabastece-los não compensa pois o casco já estará bem usado entre outras coisas. . Quanto a NAes o “combustível” dura pelo menos 23 anos quando então é necessário… Read more »

Hermes
Hermes
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Obrigado pela resposta, esclareceu mesmo minha dúvida.

Esteves
Esteves
6 meses atrás

Quando vi o título da matéria pensei que era pra jogar fora…

Contribuinte inconformado.
Contribuinte inconformado.
6 meses atrás

Mais um motivo para se preocupar com a Marinha Brasileira que diferente dos EUA simplesmente não tem navios suficiente nem para projetar poder no próprio território…

Foxtrot
Foxtrot
6 meses atrás

Com a re aproximação do Brasil com Estados Unidos, seria interessante a aquisição de uma unidade caso eles queiram vender?

julio
Reply to  Foxtrot
6 meses atrás

Eles não vendem equipamento militar e a MB não tem verba, tripulantes , aviões e escoltas pra operar um navio desse porte.

julio
Reply to  julio
6 meses atrás

#Equipamento militar nuclear

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  julio
6 meses atrás

È tem essa característica !

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  julio
6 meses atrás

O problema maior caro Júlio, é que a MB não tem isso tudo que você disse e menos mais um pouco rsrs e ainda assim os almirantes vivem alucinados com esses tipos de equipamentos.
Complicado !

ELIEZER LUIZ ABBOTT FERREIRA
Reply to  julio
6 meses atrás

Isso é uma grande verdade. Preferem canibalizar o que serve de deus velhos navios, retirar o armamento, etc e deixá-los enferrujar e apodrecer em um cemitério de navios muito bem vigiado por eles. Nada que é bom e moderno, é vendido, nem para seus aliados. Vejam o caso da Inglaterra, sua eterna aliada. Teve que se esforçar muito e construir um pequeno Porta-aviões, de rampa, sem catapulta , não podendo lançar aviões com plena carga de armas e combustível, com no máximo 40 aeronaves entre aviões tipo Sea Harrier ou o F-35 ( se os americanos o venderem) e alguns… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  ELIEZER LUIZ ABBOTT FERREIRA
6 meses atrás

Eliezer…não há absolutamente nenhum NAe da US Navy bem conservado que possa ser vendido para um aliado, além do mais, os
“ingleses” não tem recursos para operar o que extra oficialmente é conhecido como “Super Carrier” com 4 longas catapultas e necessidade
de uma tripulação superior a 3.000 pessoas não incluindo 2000 de uma ala aérea compatível com tal navio.
.
Os “ingleses” com muito sacrifício terão dois esquadrões de F-35B,
24 aeronaves de linha de frente apenas em 2023 !

Rudipy3to
Rudipy3to
Reply to  julio
6 meses atrás

não tem tripulantes….kkkk

Fred francisco
Fred francisco
Reply to  Foxtrot
6 meses atrás

comprar um super NAe de ataque, nuclear?! :-))))

Almeida
Almeida
Reply to  Foxtrot
6 meses atrás

Hahahaha é cada viagem!

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Foxtrot
6 meses atrás

EUA não vendem PA nuclear e nem Sub nuclear rs. Nem para seus melhores aliados. Lembrando também do F-22 que foi vetada a venda para quem quer que fosse.

Carlos Andrade
Carlos Andrade
6 meses atrás

Sou apenas um técnico em reparos navais , ( agora aposentado ) Tenho acompanhado nestas páginas , alguns comentários bem interessantes , cujo teor mostra serem de pessoas com conhecimentos de embarcações e aviões militares. Se me permitem o “bico ” de um civil com mais de Sessenta sim sessenta anos em reparos de navios de todos os tipos . Comecei como aprendiz com nove anos de idade. E com quinze liderava grupos nós reparos a bordo. Nunca conduzi , apenas socorri , risos. Acho inadmissível e até imbecil, alguém construir um porta aviões , com novas tecnologias que não… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Carlos Andrade
6 meses atrás

Carlos… . a primeira vista parece um grande absurdo, mas, NAes exigem muitos anos para construir e certificar e não se pode mais construir dois ao mesmo tempo como no início da década de 1960, o máximo que se consegue hoje é ter um no final de construção e outro no início, ou seja, levaria décadas para se ter todas essas tecnologias que não podem ser totalmente testadas em terra, então uma saída foi implementar todas no primeiro navio da classe. . E o “Gerald Ford” não será enviado em nenhuma missão de combate ainda por alguns anos, então não… Read more »

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Carlos Andrade
6 meses atrás

Carlos Andrade, aproveitando a sua experiência de 60 anos em reparos de navios. Qual a sua opinião sobre o Garcia D’avila que em breve vai para o fundo do mar por problemas na propulsão. O navio no geral está em boas condições podendo operar por mais uns 15 a 20 anos se não fosse a propulsão. Quero saber se por onde você trabalhou eles afundariam um navio extrategico desse por problemas na propulsão ou correriam atrás de reparar a propulsão, encontrar uma propulsao recondicionada pelas marinhas do mundo. Diz aí?

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Carlos Andrade
6 meses atrás

Carlos embora eu não concorde, sua história e experiência deve ser respeitada. Sempre aprendemos com os veteranos.

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
6 meses atrás

. USS Dwight D. Eisenhower (CVN-69) Classe Nimitz: início da construção em 1970 e lançado ao mar em 1975. Comissionado em 1977. . USS George Washington (CVN 73) Classe Nimitz: início da construção em 1986 e lançado ao mar em 1990. Comissionado em 1992. . USS John C. Stennis (CVN 74) Classe Nimitz: início da construção em 1991 e lançado ao mar em 1993. Comissionado em 1975. . USS Harry S. Truman (CVN 75) Classe Nimitz: início da construção em 1993 e lançado ao mar em 1996. Comissionado em 1998. . USS George HW Bush (CVN 77) Classe Nimitz: início… Read more »

Roosevelt
Roosevelt
6 meses atrás

Confesso que ainda fico encasquetado com esse lance de comissionamento. Para mim quando isso acontece é porque já houve a aceitação depois de todos os testes em todos os sistemas. O Gerald Ford, já foi comissionado, o Zumwalt também e não há um cronograma eficaz para que estejam de prontidão ou já disponível para os desdobramentos? Com o orçamento deles vejo que estão regredindo um pouco nessa parte de planejamento. De qualquer forma registro aqui como são formidáveis as fotos dessas máquinas emparelhadas. Isso realmente é poder.

Dalton
Dalton
Reply to  Roosevelt
6 meses atrás

Há precedentes Roosevelt na forma dos USSs Ronald Reagan e George H W Bush ambos comissionados antes dos testes de mar, verdade que isso foi corrigido em questão de meses, mas, o “Gerald Ford” é muito diferente e o
“Zumwalt” além de muito diferente também, será empregado de uma forma
não originalmente prevista.

Roosevelt
Roosevelt
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Valeu Dalton.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Roosevelt
6 meses atrás

Sem contar que a situação não é bem como aparenta o titulo, o IKE e o Stennis se necessários estariam em condições operacionais, o Ford ainda não entrou em serviço, logo inoperantes mesmo seriam 3, dos quais imagino que dois deles se apertar o calo podem ficar operacionais em algumas semanas.

Sincero
Sincero
6 meses atrás

E o Brasil ainda quer ter um? Que se contente com o porta helicóptero e olhe lá, é como diz um velhinho do boteco aqui perto, quem não tem “bucha” não contrata “canhão”. Pra bom entendedor…

Marcos R.
Marcos R.
6 meses atrás

Alguém sabe dizer se aqueles Forrestal e Kitty Hawke ainda estão em reserva, ou só tem o Enterprise?

Dalton
Dalton
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Marcos… . talvez você não esteja familiarizado com a palavra “stricken”. Essa expressão é utilizada apenas quando Navio não serve para ir para a reserva ou o tempo dele na reserva expirou. . Não há mais nenhum “Forrestal” todos foram desmantelados e o “Kitty Hawk” foi “stricken” dois anos atrás e será desmantelado, assim como o “John Kennedy” que não será mais convertido em museu. . O “Enterprise” nem foi para a reserva, foi bastante cortado para se ter acesso aos reatores cujo combustível nuclear residual foi retirado e aguarda verbas para que os reatores sejam retirados e estocados em… Read more »

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Dalton
6 meses atrás

Eu realmente gostaria de entender porque alguém negativa uma resposta objetiva e esclarecedora para uma pergunta.
Obrigado pela explicação, Dalton.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Sputinik com certeza, Marcos!

Camargoer
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Marcos. Ignore e relaxe.

Émerson Gabriel
Émerson Gabriel
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Deve ser o pessoal que acha que o Brasil poderia comprar o Enterprise

ednardo curisco
ednardo curisco
6 meses atrás

esta foto é de uma humilhação sem par.

Camargoer
Reply to  ednardo curisco
6 meses atrás

Essa foto e uma humilhação para a paz

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
6 meses atrás

A coisa tá feia para o larapiador de petróleo alheio hein…

Flanker
Flanker
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
6 meses atrás

Kkkkkkk……tem navio ali que pode voltar a operar em questão de dias…..e além desses 6, tam mais 5 navegando por “outros mares”…..é tá feia a coisa mesmo…..kkkkkkkkk…cada uma que se lê….

Felipe Brazil
Felipe Brazil
6 meses atrás

Interessante os Americanos usarem nomes como o Eisenhower para dar nome aos seus navios. Mostra uma cultura forte e sem desvios. Quem sabe um dia chegaremos a esse ponto. Aqui a esquerda se esforça para apagar nossa história. Lembremos sempre com respeito dos nossos pracinhas na Segunda guerra mundial.

Miguel
Miguel
6 meses atrás

Estas banheiras velhas, custosas e arcaicas não servem pra nada…. só para atacar país pobre e sem marinha com submarinos. Verdadeiros alvos flutuantes…..

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Miguel
6 meses atrás

Estas banheiras velhas, custosas e arcaicas são o sonho de consumo de todas as marinhas de guerra do mundo, vide os esforços de chineses, indianos, ingleses e mesmo russos que já mostraram sua maquete que sonham em um dia operar.

Flanker
Flanker
Reply to  Marcos R.
6 meses atrás

Simmmmm……deve ser por isso mesmo que a China está investindo pesadamente nesse tipo de navio……kkkkkkkkk

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  Miguel
6 meses atrás

Porta aviões só funcionam contra países desdentados e sub-armados…que não tem com o que se defenderem…é por isso que baixam a crista e não se metem com países como a Coreia do Norte…quando o governo trumpalhão ameaçou este regime de intervenção militar os PAs deles nem se aproximaram da região…passaram direto para a Austrália…com o rabo entre as pernas…como diz o ditado…em rio que tem piranha, jacaré nada de costas…

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Oiseau de Proie
6 meses atrás

Não só passaram perto como 3 Porta Aviões realizaram exercícios conjuntos próximos a Coreia do Norte.

O USS Ronald Reagan, USS Nimitz e o USS Theodore Roosevelt fizeram exercícios próximos a Coreia do Norte no auge da crise.

Saiu matéria em vários sites inclusive aqui no naval.

Guilherme
Guilherme
Reply to  Oiseau de Proie
6 meses atrás

As vezes fico me perguntando se esse tipo de comentário é por ignorância ou má fé. Os EUA fizeram um baita exercício junto a Coréia do Sul no auge da crise!
E todas as marinhas do mundo investem ou sonham em um dia investir nos porta aviões. Vide China, Inglaterra, França, Índia e a Rússia, que só para dizer que tem um “porta avioes” em sua marinha, mantém um navio ridículo como o Kuznetzov.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Guilherme
6 meses atrás

Má fé e fanatismo.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Oiseau de Proie
6 meses atrás

Não somente as US NAVY estava por lá como também os B-1 e B-2, tirando o sono do gordinho que ia dormir em uma mina de carvão com medo das GBU-57.

Douglas Santos
Douglas Santos
6 meses atrás

O Brasil bem que poderia ter tentando uma negociação com EUA na aquisição de um porta aviões. Já que dizem que os dois tem boa relação. E tipo nem que seja o PA mais velho que pro Brasil tá ótimo. Só gosta de operar PA velho mesmo. E tem notícias que a marinha tem interesse em operar novamente PA. Então seria uma boa..

Marcelo-SP
Marcelo-SP
6 meses atrás

Acho que tem mais poder aeronaval nessa foto da base de Norfolk que em todo o resto do mundo… incrível! Se a MB pudesse escolher um só, no uni-duni-tê, já tava bão…!!! Rsrsrsrsrsrs!!!

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
6 meses atrás

O fato é esse: tá caro pra caramba manter e operar essas belezas. Como apontado por um medalhão da USNavy, o preço médio do bote duplicou dos anos 80 pra cá, de um bi o bote pra dois bi o bote, e a frota encolheu a metade (dos 600 pra 290). O custo de um CSG representava um oitavo do orçamento dedicado e agora bateu no quarto – não veremos CSG dando sopa por aí (embora o LHD Wasp esteja chegando na altura do Prata 😉 ). Parece sacanagem: agora que a USNavy reconheceu que o caldo entornou feio (já… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Alex Barreto Cypriano
6 meses atrás

Só que a US Navy já informou que sua frota de CVN’s será de 10 belonaves…então, mesmo sendo caros de operar e manter, se manterão como núcleo de projeção de poder da US Navy, mesmo no longo prazo.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Flanker
6 meses atrás

Pra fazer guerra ou manter presença é preciso dinheiro, certo?

Flanker
Flanker
Reply to  Alex Barreto Cypriano
6 meses atrás

Sim…..é óbvio! Qualquer um sabe….inclusive a US Navy. Apesar de todas as coisas que falem em contrário, esses NAe continuarão operando…..com seus grupos de batalha correspondentes!
Os EUA vivem “em crise”….já faliu “n” vezes na vontade de alguns….tem um déficit astronômico…..mas, continua com suas FFAA sendo a meta a ser batida e superada.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Flanker
6 meses atrás

E é por isso que a USNavy avisa o congresso de que precisa de mais dinheiro dizendo que não vai conseguir os arbitrários 355 botes e nem a disponibilidade adequada com o que já tem, no atual cenário de competição. Mesmo na América, dinheiro e infraestrutura militar não dá em árvore… E é bem provável que, sob mais quatro anos de Trump, as coisas piorem ainda mais pra Navy, apesar do que Trump diz, pra gáudio das esquerdas de lá que tem rezado o ‘quanto pior, melhor’. Offtopic: curioso como cada novo presidente dá a ordem executiva pra enterrar o… Read more »

Camargoer
Reply to  Flanker
6 meses atrás

Olá Flanker. Gosto muito dos textos do André Araujo sobre economia. Ele comentou várias vezes que um Estado nunca “quebra” pois é ele quem emite moeda, principalmente nos dias atuais que não existe mais lastro em ouro. Gosto muito da visão dele sobre ser um erro esquecer das diferenças entre uma administração privada e uma pública.

Camargoer
Reply to  Alex Barreto Cypriano
6 meses atrás

Caro, Alex, a corrente de casualidade seria essa mesma. Precisa de poder para fazerdinheiro. Precisa de guerra ou ameaça de guerra para ter poder. Precisa de dinheiro para manter a pressão militar. Precisa de pressão militar para fazer dinheiro,

Mario Favaratti
Mario Favaratti
6 meses atrás

Então a Rússia e a China não devem ter nenhum em operação efetiva.

Mario Favaratti
Mario Favaratti
6 meses atrás

O Brasil pode construir pequenos porta aviões de baixo preço para proteger nossa costa além das 200 milhas.

Alexandre Avilez
Alexandre Avilez
6 meses atrás

Olá Senhores que participam desse site. Meu nome é Alexandre Avilez, ao ver a chamada no Google fiquei curioso e li a reportagem e posteriormente os comentários e opiniões a seguir. Fiquei impressionado com o conhecimento de muitos sobre a Marinha Americana e outras do mundo. Gostaria de compartilhar a experiência que tive pois acho que fui um dos poucos brasileiros civis que teve essa chance. Tenho dois filhos que pertencem as forças armadas americanas, um na Navy, o mais velho, e o mais novo na Air Force. Meu filho mais velho, agora com 29 anos, foi para os USA… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Alexandre Avilez
6 meses atrás

Obrigado por compartilhar Alexandre !

Camargoer
Reply to  Alexandre Avilez
6 meses atrás

Olá Professor. Bacana. Antes, quando eu escrevia “quimico” nas fichas de hotel. Até que um dia, vi um colega colocando apenas “professor” (nada de prefessor universitário, ou pesquisador, ou professor de quimica. Apenas professor). Senti vergonha de ter demorado tanto para perceber que eu também estava esquecendo de valorizar nossa profissão. Parabéns pela família. Seja bem vindo ao PN.

Jonathan Pôrto
Jonathan Pôrto
6 meses atrás

Vem pra MB pra ver o que é crise !!! Menor tonelada deslocada desde o Brasil Império !!

Camargoer
Reply to  Jonathan Pôrto
6 meses atrás

Olá Jonathan. Acho difícil comparar os dois períodos. É preciso lembrar que o Império recebeu a frota usada na guerra da independência, além da ocorrência da Guerra do Paraguai e dos problemas de fronteira. Hoje, o país esta com uma boa relação com os países vizinhos, está em paz. Também é preciso lembrar da abrangência do ProSub. A situação seria grave se a MB estivesse desativando seus meios de superfície e submarinos sem qualquer ação para a aquisição de novos meios.

Giovani
Giovani
6 meses atrás

O Brasil ainda considera ter outro NAe e uma Aviação de Combate de século 21?

Paulo Fernando
6 meses atrás

Da um desse pro Brasil e todo grupo de batalha também, vamos ter a quarta maior marinha do mundo…