Home Marinha do Brasil VÍDEO: Navios da Marinha patrulham o litoral Nordestino em ações de combate...

VÍDEO: Navios da Marinha patrulham o litoral Nordestino em ações de combate às manchas de óleo

6674
92

Em resposta ao crime ambiental ocorrido em setembro, quando houve um derramamento de petróleo no litoral do Nordeste, a MB já empregou mais de 2,7 mil militares de 48 organizações militares, distribuídos em 16 navios de superfície, 2 helicópteros, 4 aeronaves de asa fixa da Força Aérea Brasileira, 63 viaturas, 2 grupamentos de fuzileiros navais, 21 equipes de inspeção naval e cinco centros de comando das operações, tendo realizado, até hoje, mais de 1,2 mil inspeções navais.

Os navios da Marinha do Brasil recolheram, desde o início das ações de combate às manchas de óleo no Nordeste, 2.700 quilos de resíduos nos estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, que compõem a área de jurisdição do Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN).

Foram empregados até o momento, no mar dos cinco estados nordestinos, os Navios-Patrulha “Macaé”, “Macau”, “Guaíba”, “Goiana”, “Graúna”, “Gravataí”, e “Bocaina”; o Navio-Balizador “Comandante Manhães”; a Corveta “Caboclo”; e o Navio de Desembarque de Carros de Combate “Almirante Saboia”.

Como previsto no Plano Nacional de Contingência, para a gestão de ações de resposta e elucidação dos fatos, o Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil, o Ibama e a ANP, vem realizando um trabalho incessante, desde a primeira aparição de manchas de óleo, de monitoramento do litoral e limpeza das praias, além de conduzir investigação sobre causas e circunstâncias do evento.

O GAA atua em coordenação com o Exército Brasileiro, Força Aérea Brasileira, ICMBio, Polícia Federal, Petrobras, Defesa Civil, assim como, diversas instituições e agências federais, estaduais e municipais, além de empresas e universidades.

Navio-Patrulha Guaiba P41

FONTE: Marinha do Brasil

Subscribe
Notify of
guest
92 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Zhanshi
Marcelo Zhanshi
9 meses atrás

Corveta Caboclo tem 65 anos!!!
Daí se tira a penúria que vive a frota brasileira!!!

Torcer para que com essa história de derramamento de óleo pelo menos aqueles recursos do fundo da marinha mercante apareçam!!!

Flanker
Flanker
Reply to  Marcelo Zhanshi
9 meses atrás

Eu nem sabia que tinha alguma das Corvetas dessa classe (Imperial Marinheiro) ainda na ativa!

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Flanker
9 meses atrás

E ainda está firme e forte, aparentemente muito bem mantida, e se continuar assim ainda vai longe. Está no 2º DN, onde o número de ocorrências é relativamente menor, comparado a outros distritos (foi o que me disse em entrevista há poucos anos o então comandante do 2º DN), então nesse ritmo ela pode ir longe. Devagar, mas vai longe. A Caboclo também trabalhou bastante à época do acidente do voo AF 447, dez anos atrás, e muita gente se surpreendeu que a corveta estava na ativa. E ela continua! No vídeo, uma coisa que chama a atenção, na parte… Read more »

india-mike
india-mike
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

A corveta Caboclo, apesar de demonstrar graficamente a situação da MB hoje em dia, nos lembra do excelente projeto e propósito que teve. Foram construídas 10 unidades da classe Imperial Marinheiro para servirem como espinha dorsal das forças distritais. Realizando missões de patrulha, SAR e minagem e contra-minagem. A Imperial Marinheiro – V15 ainda foi empregada brevemente como navio de salvamento submarino. Eu sinceramente acho que precisamos de uma “Imperial Marinheiro” do século 21. Um navio para mobiliar e padronizar os distritos navais. Exemplos como o MRAV3600 da Damen, o Datillo da Fincantieri e os B2M e BSAM da Naval/Kership… Read more »

Vovozao
Vovozao
Reply to  india-mike
9 meses atrás

28/10/19 – segunda-feira, btarde, I M, não houve alguma corveta da classe I. Marinheiro, doada à um país Africano, durante o governo LULA, ou estou enganado???

india-mike
india-mike
Reply to  Vovozao
9 meses atrás

Vovozao, a Purus – V23 foi transferida para a Marinha da Namíbia em 2004.

A Namíbia ainda encomendou um NPa novo da classe Grajaú que foi entregue em 2009.

Bardini
Bardini
Reply to  india-mike
9 meses atrás

O problema é que na visão da MB, o substituto dessas Corvetas, seria uma outra Corveta: comment image

india-mike
india-mike
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Pois é Bardini. Na verdade eu acho até que existe espaço pra um NApOc como o que eu descrevi coexistir com um NPa500, pq claramente esses navios de 500t não podem fazem as missões que eu descrevi acima, ao mesmo tempo que eventualmente precisaremos de um navio patrulha mais barato para substituir os Grajaú. O problema é que o NPa500 não vai poder ser tão barato, justamente pela complexidade que a MB quer colocar nele, como um CMS relativamente sofisticado, canhão BAES 40mk4, radar DT, SHORAD (FFBNW) etc (e entendo que por isso que vc fez a piada de chamá-lo… Read more »

Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Isso aí não e uma corveta e uma cruza de vaca com cavalo, não puxa carroça e não dá leite.
Mais uma das tantas cagad……do imperador e seus miquinhos amestrados.

Marcelo Zhanshi
Marcelo Zhanshi
Reply to  Juarez
9 meses atrás

Hahahaha….

Esse aqui acha que a classe “Imperial marinheiro” foi cagada do Imperador….só rir para não chorar!!!

Imperial marinheiro é uma homenagem aos…quem diria…marinheiros da Marinha Imperial do Brasil, especialmente àqueles que tombaram em guerras, como o Imperial Marinheiro Marcílio Dias, que tombou defendendo o pavilhão nacional em um duelo de sabres contra três paraguaios ao mesmo tempo.

O fato de se chamar Classe Imperial Marinheiro não significa que foi encomenda do Imperador, que nessa época ja tinha caído há uns 70 anos.

Inclusive, precisamos voltar a homenagear eles com uma nova classe!!!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Marcelo Zhanshi
9 meses atrás

Marcelo,
Praquele comentário (goste-se ou não dele, o que não vem ao caso) precisa de pré-requisito no histórico do Juarez.

Ele chama de Imperador um ex-comandante da Marinha do qual ele é desafeto declarado.

E eu acho que ele se referia como coisa da época desse ex-comandante o navio-patrulha postado por outro colega, não a corveta classe Imperial Marinheiro.

Juarez
Juarez
Reply to  Marcelo Zhanshi
9 meses atrás

Cidadão, estou me referindo ao famigerado Napa 500, fruto de mais uma parceria caracu entre o reino de banarnia, comandado a época por Stalinacius Moluscus I, seu fiel escudeiro naval, “o imperador” e os fedorentos da da Avenue Foch. Navio que serve exatamente para porr……nenhuma. O que a marinha precisava era exatamente de uma nova “Caboclo”, um navio na faixa de 1.000 tons, com capacidade de reboque, de aguada, SAR e combate a incêndios, um navio simples, confiável, bom de mar e barato.

Marujo
Marujo
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Que barco é este da ilustração?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Marujo
9 meses atrás

NPa500BR, desenvolvido pelo Centro de Projetos de Navios a partir dos parâmetros da classe Macaé (a qual descende da Vigilante, francesa) para se adequar melhor às especificações e necessidades da Marinha.
Entre os pontos negativos do novo projeto em relação à classe Macaé, a meu ver, é que a velocidade máxima cairá um pouco, provavelmente compensada por maior autonomia, o que seria o lado positivo.

Ernane
Ernane
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

Nossas forças armadas deveria estar à altura de suas riquezas e responsabilidades!
Nossos comandantes são fracos, ecigem muito pouco do congresso e do chefe do executivo, mesmo estando em tempos de paz; mas, até quando? É preciso estar em constante evolução, na expectativa de dias sombrios, estando preparado, mesmo que eles não venham.

Ernane
Ernane
Reply to  Ernane
9 meses atrás

Correção: deveriam- exigem; desculpe-me pelo erro ortográfico.

Pablo Araújo Correia Lima
Reply to  Flanker
9 meses atrás

reza a lenda que nas PMGs feitas nela ainda se encontra placas de metal arrebitado no costado (usado no estaleiro da holanda, a marinha só trabalha com solda)

Fabio Araujo
Fabio Araujo
9 meses atrás

O petróleo é venezuelano, resta saber se foi um acidente numa negociação ilegal, por consta das sanções à Venezuela, ou se foi proposital e neste caso um atentado ao Brasil. Torço muito para que tenha sido a primeira opção!

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Fabio Araujo
9 meses atrás

Como petroleo não é transportado em tonel, não ficarei surpreso se descobrirem como ação intencional de alguem. Mais e mil toneladas foram recolhidas e as analises indicam ser o mesmo conteudo encontrado nos toneis encontrados…mas o estranho é que poucos toneis foram achados indicando que seriam necessarios centenas deles…. então, não foi um petroleiro pois sequer possuem onde carregar tonel…. mais estranho, é que quem quer que compre, precisa carregar num oleoduto nem que seja para o tanque do deposito do porto….alguem imagina alguem virando tonel para carregar este tanque ou oleoduto??? não né… Então, a tese do transbordo de… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  carvalho2008
9 meses atrás

Pois é.

Homens de preto. Mas se anunciam verdes.

J.Neto
J.Neto
Reply to  carvalho2008
9 meses atrás

Não necessariamente, graneleiros líquidos, possuem tambores (200 l) onde são colocados rejeitos de limpeza com as mesmas características do produto principal, assim o transbordo de um NT a outro é a mais forte possibilidade, durante uma ação clandestina vide embargo existente. Não esquecer que se foram por ex.: 1.000 T de produto ( certamente foi muito mais ), cada tonelada seria teoricamente armazenada em 05 tambores ( mesmo ~densidade <1) que dariam 5.000 tambores por baixo, não existe transporte neste nível, só granel…

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  J.Neto
9 meses atrás

Usar tambores retira 30% da capacidade volumétrica e de peso da carga….

Isto não tem cara de ser uma operacao comercial desastrada

Veja, 5 mil barris por baixo? E transferir em alto mar??? nao tem como…

Quando são dois petroleiros, eles estendem o mangote e realizam o bombeamento… agora 5 mil cargas rolantes??? É ruim hein!? Não duvido que a descarga em mar ocorreu e aí alguns acabaram caindo sem ser abertos e aí boiaram dando-vos pista da coisa

J.Neto
J.Neto
Reply to  carvalho2008
9 meses atrás

Se houve rompimento ou desconexão de um mangote em uma operação desastrada, a uma vazão minima de bombeamento por bb centrífuga de 600 m3/h, durante 1 min de vazamento até que a operação seja novamente controlada, já foram 10 m3 (!) no mar. Lembrar que a operação clandestina tem tudo pra dar errado…

J.Neto
J.Neto
Reply to  carvalho2008
9 meses atrás

Aliás, a assertiva inicial é de transporte de granel líquido, não em tambores que realmente não existiria tal operação, apenas a justificativa de possível tambores no mar, o que constantemente aparece em qualquer época do ano…

MAURÍCIO GAMA DE MEDEIROS
Reply to  Fabio Araujo
9 meses atrás

A demora do governo em atender a necessidade de ajuda aos estados atingidos parece proposital e uma retaliação aos governos nordestinos. Nada mais me surpreende.

sagaz
sagaz
Reply to  Fabio Araujo
9 meses atrás

Na minha opinião é urgente uma espécie de “intimação internacional” à Venezuela para que exponha todas a logística de petróleo dos últimos meses, afinal, o mais perverso cenário é de que um petroleiro sem ser apto a fazer transferência de petróleo em alto mar, ou sob condições adversas, tenha naufragado. Quanto de óleo um petroleiro de pequeno porte transporta? 30 mil, 50 mil toneladas? Outra questão é, se não há qualquer controle sobre o que aquele país faz nos mares, se não há idéia por onde anda o petróleo ali produzido, o mundo irá continuar vendo o oceano Atlântico correr… Read more »

Nadison Paz
9 meses atrás

O que preocupa e isso, estamos sem meios aéreos,navais,carros de combates antigos, sem sistemas de defesa antiaérea e não vemos movimentos para mudar isso.
Ja não podemos nem nos defender e ainda alguma meio que tem manda para as forca da UNIFIL.Um pais como o nosso de dimensiones continentais sem poder se defender proteger o seu povo a sua soberania triste isso.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Nadison Paz
9 meses atrás

Se vierem pra cá só nos resta a guerrilha mesmo, não entendi pq não compraram uns 500.000 IA-2 ainda, ou nem na guerrilham depositam fé ?

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Space Jockey
9 meses atrás

Nossos vizinhos tem projetos muito bons, acho que os OPV-93 poderia ser uma boa solução para escassez de navios de patrulhas

comment image

Thiago Aiani
Reply to  Adriano Madureira
9 meses atrás

Chega a dar vergonha que a segunda economia das Américas, a 8/9 do mundo ter de recorrer e pedir penico para Peru ou Colômbia, cujos projetos meia boca nem são de autoria desses paises para tarefas tão simples, os quais poderiam e deveriam ser produzidos/ exportados por nós .

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
9 meses atrás

Desculpe, mas..
Fazer patrulha com um NDCC?
Não tinha um meio mais adequado pra isso, ou “é o que tem, então vai tú mesmo” ?

Jorge
Jorge
Reply to  Willber Rodrigues
9 meses atrás

O ndcc já estava no norte fazendo outra missão , aproveitaram e pegaram ele pra ajudar.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Jorge
9 meses atrás

Faz todo o sentido, Jorge.

Nesse caso poderiam deslocar mais helicópteros de maior autonomia pra lá, aproveitando que o navio tem convoo capaz de operar aeronaves do porte do H225M, por exemplo.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

Ok, vendo sob esse ângulo, faz mesmo sentido.

Tomcat
Tomcat
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

Ninão, que NDCC é aquele? Pelo vídeo não consegui ver o número do navio. Iria mesmo perguntar que tipo de navio era porque não consegui identificar, mas aí o Wilber já respondeu. É, ando enferrujado, preciso dar uma olhada de novo no que a MB tem…

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Tomcat
9 meses atrás

Tomcat, nem precisa ter trabalho pra identificar, está no texto da matéria…

“ Foram empregados até o momento, no mar dos cinco estados nordestinos, os Navios-Patrulha “Macaé”, “Macau”, “Guaíba”, “Goiana”, “Graúna”, “Gravataí”, e “Bocaina”; o Navio-Balizador “Comandante Manhães”; a Corveta “Caboclo”; e o Navio de Desembarque de Carros de Combate “Almirante Saboia”.”

Tomcat
Tomcat
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

Putz, foi mal Nunão!!! Deixei passar essa parte…

A C
A C
9 meses atrás

Nao seria o caso de estabelecer patrulhamento aereo com UAVs? Se a questao tecnica for superada (caso haja), parece ser financeiramente vantajoso para o patrulhamento da “Amazonia Azul”.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  A C
9 meses atrás

Que UAVs ?! Não temos nada, estamos trás até do Irã com relação a meios modernos e tendencias futuras.

A C
A C
Reply to  Space Jockey
9 meses atrás

Com todo o respeito, o colega nao soube responder e ainda fez reclamacoes. Nao me parece o caminho mais adequado para busca de solucoes. Vou alem e deixo aqui minhas opinioes em linhas gerais: – Patrulha maritma eh de responsabilidade da MB e o uso de meios aereos deve ser considerado, goste a MB ou nao; – A MB pode e deve deternimar quais as “areas quentes” para patrulha da Amazonia Azul. Essas podem ser dinamicas mas devem ser vigiadas 24/7. Implementacao de regime de vigilancia diferenciada para areas nao criticas; – Em conjunto com os meios navais existentes, adote-se… Read more »

Thiago Aiani
Reply to  A C
9 meses atrás

Nada disso amigo, que conversa de FAB !! Esse é uma tarefa da Marinha. Ja é algo corriqueiro que ja se tornou paradigma em muitas armadas o emprego de drones embarcados. Até a marinha iraniana , deafasada e obsoleta os empregas. A MARINA MILITARE Por exemplo já utiliza camcopter para individuar as rutas do tráfego ilícitos e as embarcações de migrantes clandestinos no Mediterrâneo! A Marinha australiana utiliza o Scaneagle que pesa 20 kg e nem precisa de um heliponto para ser lançado. Vamos retroceder na linha temporal ? Insistir na teimosia de ter uma aviação de asa fixa composta… Read more »

Thiago Aiani
Reply to  Thiago Aiani
9 meses atrás

comment image

Thiago Aiani
Reply to  Thiago Aiani
9 meses atrás

comment image

Thiago Aiani
Reply to  Thiago Aiani
9 meses atrás

A MB avaliou o emprego de ambos os modelos à mais de 5 anos atrás…
https://www.naval.com.br/blog/2014/06/05/schiebel-demonstra-o-camcopter-s-100-para-a-marinha-do-brasil/

Thiago Aiani
Reply to  Thiago Aiani
9 meses atrás

comment image

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Thiago Aiani
9 meses atrás

E depois de cinco anos, oque de bom aconteceu🤔❓

Adquiriram ou só fizeram como cachorro olhando para forno de assar frango⁉️

João Moro
João Moro
9 meses atrás

Parabéns a marinha. Espero que consigam encontrar a fonte o quanto antes.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  João Moro
9 meses atrás

Só se for a fonte da juventude para esses meios de 65 anos…

Dalton
Dalton
Reply to  Space Jockey
9 meses atrás

S.J. exageros à parte, não pude deixar de rir com essa tirada… 🙂

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  João Moro
9 meses atrás

Todo o plano conspiratório por trás disso já esta desbaratado pelo o desgoverno…Foi o Greenpeace em complô com a Venezuela a mando do Papa…rs…

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
9 meses atrás

Fim de jogo: empate. Não se sabe quem e por quê, não temos um BOSS (brazilian ocean surveillance system) nem guarda costeira (ou marinha) apta. I zé fini!

Space Jockey
Space Jockey
9 meses atrás

Credo, a primeira foto lembra um vaso da Segunda Guerra… onde viemos parar meu pai.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
9 meses atrás

É o que tem pra hoje! 🤷‍♂️

Rodrigo
Rodrigo
9 meses atrás

Se for comprovado que for intencional da Venezuela…o que faremos? Teremos culhoes?

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Rodrigo
9 meses atrás

Nem canhões! Só um blá blá, nem multa, talvez um pedido de desculpas.

Thiago Aiani
Reply to  Rodrigo
9 meses atrás

Intencional ou menos deveria-se interromper toda e a qualquer capacidade venezuelana de produzir petróleo já que se mostrou inapropriada e irresponsavel, prejudicando assim nosso ecossistema e economia . Um bela salva de MdCNs a partir dos nossos S-BR para destruir o que sobra da indústria petrolífera deles para que em futuro eles sejam mais cautelosos e pensem duas vezes antes de fazer m@@@ no nosso quintal.

Que falta faz uma MARINHA de Guerra e uma GUARDA Costeira!!

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Thiago Aiani
9 meses atrás

Aí você depois acordou desse seu sonho de uma MB com atitude de US Navy não foi🤔🇺🇸⁉️
Não temos nem culhões para abater aeronaves de traficantes no nosso espaço aéreo, iríamos bem ter coragem de começar um conflito com um país da vizinhança.

Thiago Aiani
Reply to  Adriano Madureira
9 meses atrás

Adriano, conflito não . Mas caso fosse demonstrada a responsabilidade venezuelana( com dolo ou sem ) seria o mínimo de ser esperar alguma atitude mais assertiva, de intimidação ou mesmo retaliação! Uma patrulha naval ostensiva, mostrar os músculos, marcar presença, inibir ações clandestinas ou até o comércio deles .

Rene Dos Reis
Reply to  Rodrigo
9 meses atrás

Nada o Bolaonaro já demonstrou que morre de medo do Putin

carvalho2008
carvalho2008
9 meses atrás

Do limão a limonada

Imagine o Makassar apoiando a operação também

Não é caro de desdobrar, vejam que o NDCC tambem está sendo usado…

Pode operar com helis fennec as555n que são os mais baratos também para este tipo de hora voo e pode abastecer os navios menores

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  carvalho2008
9 meses atrás

Já desmentiram, parece que essa troca Pelo Makassar foi um fakezão que criaram.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Space Jockey
9 meses atrás

Não teve desmentido nenhum, Space Jockey. Foi divulgada uma nota genérica sobre cooperação na área de submarinos pelo MD do Peru, sem divulgação dos termos detalhados do acordo assinado lá.

Assim, sem haver esse detalhamento do que foi assinado, continuamos com as informações acumuladas até agora de outras fontes, nem mais nem menos.

Caio
Caio
9 meses atrás

O museu digo, base naval do Rio de Janeiro vai ficar vazio. Kkkk
Quanta tristeza o descaso com as coisas sérias neste país.
Só sobram bravatas infantis sem nenhuma vontade real, e a misericórdia de Deus em casos mais graves.

Foxtrot
Foxtrot
9 meses atrás

Ou seja, estamos patrulhando com alguns navios de 65 anos.
E os almirantes sonhando com mais um LHD e NAe,s, assim não dá.
Construção imediata dos Napa500-BR, OPV-1800 BR, aquisição do Wave, troca dos Tupis em Patrulhas Peruanos de 1.800 T.
Não fizeram o dever de casa a tempo e agora que a porta está arrombada estão tentando correr atrás do prejuízo.
Infelizmente essa característica é tipica de nos brasileiros, nunca agimos com prevenção sempre com reparação.
Triste !

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Perfeito

Wilson
Wilson
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Se não me falha a memória, desde 2008 o governo brasileiro tem uns documentos das FA’s apresentando a tipo e a quantidade de material que precisa ser adquirido e o orçamento para que isso seja feito.
Nunca receberam o orçamento, só promessas, o melhor planejamento é destruído quando não existe previsibilidade orçamentaria.
Que as Forças Armadas cometem muitos erros administrativos não é novidade e o governo parece fazer tudo ficar ainda pior.(estou falando em uma janela de 20 anos, ok).

Marujo
Marujo
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Existe patrulha oceânica peruano de 1.800 T? Acho que o amigo se equivocou.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Marujo
9 meses atrás

Já que não iremos construir mais navios da classe River(Amazonas), que compramos três e compramos o direito de construir mais aqui, porquê não comprarmos navio patrulhas da Colômbia 🤔⁉️

Acho que não faria mal algum comprar de um vizinho confiável…

comment image

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Adriano Madureira
9 meses atrás

Ótima ideia Adriano.
Partilho de sua ideia também.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

Não será humilhação nenhuma comprar de um vizinho menor e terceira maior economia da América do Sul… Os chilenos compraram navios dele modelo OPV-80 ou 93, se não me engano… É já que não teremos mais Rivers na MB, seria bom ao menos conversar com os colombianos, um encontro formal, examinarr tais navios, seus custos, pois assim como as Niterói, nossos Macaé e imperial brasileiro não são eternos, e se for para esperar o nascimento desse projeto de navio patrulha oceânico nacional sair do papel e da maquete, daqui a pouco teremos que pensar em outro meio para patrulhar e… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Marujo
9 meses atrás

Acho que sim caro Marujo.
Na verdade acho que um de nossos vizinhos mais próximos a construir um OPV-1800 foi a Colômbia e um pouco mais distante o México.
Obrigado pela correção.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Foxtrot
9 meses atrás

“ Ou seja, estamos patrulhando com alguns navios de 65 anos.”

Alguns não, um só. Os demais navios envolvidos na operação são bem mais novos que a corveta Caboclo, pode conferir os nomes na matéria e pesquisar.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
9 meses atrás

Obrigado pela correção caro Fernando.
Mas o grande “Q” da questão é que são meios insuficientes para nossa ZEE que foi ampliada recentemente.
Seria o mesmo que te dar a função de patrulhar um bairro de São Paulo sozinho.
Você faria o trabalho, mas com que qualidade?
Que venha o Sisgaaz ampliado, satélite Amazônia-1, satélite SAR nacional, mais SBR, SNBR etc.
Antes disso não há como a alta adm da MB em LHD como navio escola, NAe etc.

Fábio
Fábio
9 meses atrás

Teve a Oportunidade de estar Visitando o Navio de Patrulha Guaíba quando o mesmo esteve atracado no Porto de Cabedelo – PB, garanto que sua tripulaçã o é muito bem treinada, o navio em si está em ótimas condições, possuindo vários meios de “poder de fogo” . Creio que nossa MB deveria investir em Mais navios patrulhas, armar os navios de patrulha amazônica e colocar alguns deles para patrulhar o nosso querido Litoral Nordestino que Tanto ajuda o nosso país com suas atrações turísticas, abraços. Ps: sou Leigo no assunto, mas acompanho diariamente o Blog, para tentar entender melhor a… Read more »

Marujo
Marujo
9 meses atrás

É bom a MB rever seus planos e buscar o OPV inglês que está nas Malvinas par aumentar a capacidade de patrulha oceânica e coibir este tipo ilícito.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Marujo
9 meses atrás

as ilhas são falklands e não malvinas

Marujo
Marujo
9 meses atrás

Por que o dinheiro do FNM ainda não saiu? Onde está agarrando? Falta de governo?

Mahan
Mahan
9 meses atrás

Mais um furo da marinha…depois da porta arrombada…mesmo trecho aproximadamente do desastre do air france…quem não lembra daquela palestra ridícula do tal jobim? Cadê a aviação de esclarecimento naval? Que faz o Serviço de Informação da Marinha, não tem nenhum operador na venezuela? Onde estão os satélites pra vigilância das nossas águas? Já identificaram os poços venezuelanos, onde está o revide? Ah ..já sei…qual cisne branco…mas não aquele que conduz o vingador da lenda.

Wagner
Wagner
9 meses atrás

Parabéns a Marinha por seus esforços. Mas fica evidente a necessidade de mais naves patrulha.

José Luiz
José Luiz
9 meses atrás

Creio que a nossa área de influência deveria ter cobertura de radares OTH, os quais já dominamos a tecnologia. E detectado um navio com transponders desligados ele deveria ser interceptado por meio aéreo e devidamente fotografado e identificado. E as fotos deveriam ser públicas na internet. Assim não ia acontecer de o autor ficar encoberto

Paulotd
Paulotd
Reply to  José Luiz
9 meses atrás

Marinha pode muito bem dar uma simplificada no projeto da classe Macaé, afinal ela comprou o projeto Francês e o melhorou. Vi alguns avanços como a troca da motorização original MTU por dois motores caterpillar marítimos 3416 (bem mais baratos e também robustos). Outro ponto é não necessidade desse Bofors 40mm em TODOs os Macaé e radar mais barato que os Thales que a marinha usa e tem no mercado outros fabricantes mais em conta. Pro Macaé, na função dele nem o 30 mm é necessário, um 30mm automatizado Bushmaster custa uma fortuna. Um reparo manual de GAM B01 (20mm… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Paulotd
9 meses atrás

Bem elaborado, Paulo.
Mas acho que pelo menos para os primeiros NPa500BR não faltarão canhões de 40mm em condições de uso em estoque. Já foram desativadas três corvetas classe Inhaúma, somando seis bons canhões de 40mm.

Sou da opinião que é um armamento desejável pelo alcance e poder de convencimento de um alvo em fuga, que esteja ainda a 10km de distância, a parar.

Dod
Dod
9 meses atrás

Caramba a Bocaína saiu do norte de Belém p/ o Nordeste do Brasil

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
9 meses atrás

Aquele canhão fazia sucesso na segunda guerra mundial 😂😂😂

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
9 meses atrás

Olhem esse canhão kkkkk pago imposto para manter uma FREMM, mas a marinha me oferece uma tranqueira dessas do tempo que minha avó nem sonhava em perder a virgindade…

Juarez
Juarez
Reply to  Defensor da liberdade
9 meses atrás

Pois é cidadão, mas esta “tranqueira” ta lá empurrado água e cumprindo a missão quando é chamada. tu vais ver o que vai ser estas merd…..desas gambiarras de Napa 500 quando começarem a ficar com meia vida.

JOSE CARLOS RANGEL TOLEDO JUNIOR
9 meses atrás

Quais as aeronaves da FAB envolvidas na operação, seriam os P-3 Orion ? A propósito, aproveito para perguntar sobre aquela questão da troca das asas dos P-3, para extender sua vida útil, saberiam informar se houve algum avanço nesse sentido?

Colombelli
Colombelli
9 meses atrás

Quando a MB vai se alertar pra importância do saliente nordestino? Quanto tempo vai durar a concentração de meios no RJ? 67%. E o segundo maior efetivo é DF. 1000 km do mar. Isso precisa ser revisto. A presenca militar é mais necessaria onde não esta a presença civil.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Colombelli
9 meses atrás

Praia e balada juntos, o Rio é a melhor localização..

Durval
Durval
9 meses atrás

A grande mídia adora bater nos militares. Só lembram deles nas tragédias e assim mesmo os criticam. Falta de meios e treinamento inadequado.
Mas se esquecem que fizeram coro para que se cortasse seuas parcas verbas.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Durval
9 meses atrás

Oxe, achei que os militares existissem para atuar nas tragédias mesmo. Houve cortes em todas as áreas do governo, por que os milicos não podiam entrar na dança também?

horatio nelson
horatio nelson
9 meses atrás

bom agora q ja sabemos q foi um ataque militar ao nosso país já que petroleo bruto não se transporta em barris e um acidente em uma baldeação não obteria esse alcane do maranhão a bahia(uma area impossivel caso fosse apenas um derramamento acidental) qual opção é a melhor:
a) assumir a vergonha derrota e humilhação.
b)pedir desculpas a venezuela
c)extinguir a marinha atual e construir uma nova de respeito q ofereça o minimo de poder ofensivo.