Home Marinhas de Guerra HMS Medway zarpa rumo ao Caribe

HMS Medway zarpa rumo ao Caribe

5331
31
HMS Medway
HMS Medway

A tripulação do navio de patrulha offshore HMS Medway partiu hoje (20) para assumir um dos significativos compromissos permanentes da Marinha Real Britânica.

Eles estão destinados à Tarefa de Patrulha do Atlântico (Norte), uma missão que visa garantir a Commonwealth e os Territórios Ultramarinos Britânicos no Caribe, interrompendo o fluxo de narcóticos contrabandeados e apoiando os esforços de ajuda humanitária.

O HMS Medway é o segundo dos novos navios da classe “River” a partir para esse tipo de tarefa de patrulha; seu navio irmão HMS Forth chegou às Ilhas Malvinas no início deste mês para ocupar o posto lá.

O Comandante Ben Power do HMS Medway, disse: “Foi necessário um esforço extraordinário para preparar o Medway para o desdobramento. Desde que deixamos Scotstoun, em junho do ano passado, conduzimos a geração mais rápida de um navio de superfície na memória recente – isso só foi possível devido ao comprometimento, lealdade, coragem e trabalho duro da equipe de meu excelente navio. Sou grato a eles e suas famílias.”

Enquanto os OPVs permanecerão em tarefa, os membros da equipe do navio passarão 10 semanas no navio e depois quatro semanas fora de rotação. Como a equipe do navio é maior do que a tripulação necessária para levá-la ao mar, o pessoal pode sair, concluir cursos de promoção e realizar treinamento, garantindo que o navio permaneça na estação.

O segundo lote de OPVs construídos para a Marinha Real é mais rápido e maior, oferecendo espaço suficiente para um convés de voo e acomodação para 50 pessoas adicionais. O convés de voo é grande o suficiente para suportar os helicópteros Wildcat e Merlin do Fleet Air Arm.

O HMS Medway está substituindo o RFA Mounts Bay, um navio projetado para operações de desembarque anfíbio que está em patrulha há quase três anos.

FONTE: Royal Navy

Subscribe
Notify of
guest
31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
marcus
marcus
8 meses atrás

Bastante parecido com a Classe Amazonas. Por sinal a Marinha poderia comprar mas unidades, pelo menos mais 7.
Comprar, nada de produzir no Brasil.
Mais barato, e ficariam prontas muito rápido.

Wylson
Reply to  marcus
8 meses atrás

Mais barato aqui no Brasil vc tá de brincadeira né nem a classe Macaé a Marinha comsiguio colocar toda em mar

marcus
marcus
Reply to  Wylson
8 meses atrás

Comprar, nada de produzir no Brasil.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  marcus
8 meses atrás

Quando adquirimos os três navios da classe Amazonas também compramos a licença para produzir alguns deles aqui, resta saber quando a MB vai construir.

Helio Mello
Helio Mello
Reply to  Fabio Araujo
8 meses atrás

O projeto dos Amazonas está no CPN, e é tão detalhado que até os banheiros portáteis utilizados na construção estão na maquete 3D. Só não faz pq falta vontade política.

Eliakim
Eliakim
8 meses atrás

Irmão mais novo dos nossos valorosos Amazonas

nonato
nonato
Reply to  Eliakim
8 meses atrás

Mais novo e maior…

Sailor
Sailor
8 meses atrás

“ZARPA” não PN, “DESATRACA”!

Sailor
Sailor
Reply to  Alexandre Galante
8 meses atrás

Esse termo é apaisanado, vc como um ex nauta, deveria usar o termo marinheiro correto…abraço.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Alexandre Galante
8 meses atrás

10 nota 10!!! Site feito para todos e de fácil interpretação, seja para militares, profissionais do meio, amantes e admiradores paisanos e até para os leigos, assim se faz e se constrói o respeito, admiração e amor pelas forças armadas e por conseguinte o BRASIL. Parabéns mais uma vez e salve a gloriosa e histórica Marinha Brasileira.

Sailor
Sailor
Reply to  Alexandre Galante
8 meses atrás

Ok, entendi, mas vc poderia ir ensinando ao grande público esse linguajar marinheiro…não custa nada.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
8 meses atrás

Ele deve posteriormente seguir para a América do Sul onde vai operar nas ilhas Malvinas no lugar HMS Clyde que a MB não quiz compra lo….

Dalton
Dalton
Reply to  Top Gun Sea
8 meses atrás

O texto menciona que o HMS Forth já está nas Malvinas sendo ele o substituto do “Clyde”. O “Medway” patrulhará o Atlântico Norte.

rommelqe
rommelqe
Reply to  Top Gun Sea
8 meses atrás

A manchete fala em patrulhar o Caribe. Seriam as costas da Guiana, maior renda per capita do mundo, adjacente â Venezuela:

Dalton
Dalton
Reply to  rommelqe
8 meses atrás

É o que a Royal Navy chama de “Atlantic Patrol Tasking North” visando o Atlântico Norte e o Caribe.
.
APT(N) is the Royal Navy’s commitment to secure and protect the interests of Great Britain and her Overseas Territories in the regions of the North Atlantic and the Caribbean. The deployment also conducts counter narcotics missions and provides humanitarian assistance during the hurricane season. The task is typically carried out by either an Offshore Patrol Vessel (OPV) or Royal Fleet Auxiliary (RFA).

Mercenário
Mercenário
Reply to  rommelqe
8 meses atrás

rommelqe,

Eles não costumam patrulhar a costa da Guiana.

Em 2016 o HMS Mersey fez uma visita que eles consideraram “histórica”, depois de 20 anos de ausência. Segue o link:

https://www.royalnavy.mod.uk/news-and-latest-activity/news/2016/april/12/160412-hms-mersey-historic-visit-to-guyana

As patrulhas devem envolvem principalmente os territórios britânicos como Montserrat, Ilhas Virgens Britânicas, Ilhas Cayman, etc.

rommelqe
rommelqe
Reply to  Mercenário
8 meses atrás

Caro Mercenario, realmente este e um fato ate porque naqueles lados (ja trabalhei por la…) os interesses da commonwealth nao eram tao importantes assim. Esse fato e justamente ratificado por 20 anos de ausencia da marinha da HM.
Agora com a descoberta e inicio de produçao de petroleo, o Maduro cresceu os olhos e ate ja ameaçou retomar “o territorio venezuelano ocupado”, o que, na minha opiniao, parece fazer com que essa area da Guiana seja mais cotidianamente patrulhada.

Mercenário
Mercenário
Reply to  rommelqe
8 meses atrás

Exato, rommelqe.

Ainda mais quando há notícia da participação da Shell (companhia anglo-holandesa) no processo, vide link:

https://www.reuters.com/article/us-guyana-oil/shell-wins-auction-for-guyanas-first-three-crude-oil-cargoes-idUSKBN1YS131

Luis
Luis
Reply to  rommelqe
8 meses atrás

de onde vc tirou essa renda per capita? eles são cerca de 120º no mundo atrás do brasil e do butão. https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_GDP_(PPP)_per_capita

Phil
Phil
Reply to  Luis
8 meses atrás

Já considerou o PIB após o início da exploração de petróleo…

Luis
Luis
Reply to  Phil
8 meses atrás

não, prefiro ficar na esfera da realidade concreta ao futuro brilhante prometido

rommelqe
rommelqe
Reply to  Luis
8 meses atrás

E preferivel que pelo menos leia ….

Luis
Luis
Reply to  rommelqe
8 meses atrás

o pib por cabeça da guiana é o referido. relatório por relatório de pesquisas, em 2007 se dizia q o brasil seria um grande exportador de petróleo e o eike seria o homem mais rico do mundo…
https://www.dw.com/pt-br/da-euforia-%C3%A0-crise-a-trajet%C3%B3ria-do-pr%C3%A9-sal-em-16-manchetes/g-36361958

rommelqe
rommelqe
Reply to  Phil
8 meses atrás

Exatamente. A extração e venda começa no futuro distante de janeiro de 2020.

rommelqe
rommelqe
Reply to  rommelqe
8 meses atrás

Vejam aqui mesmo no Naval a materia de 2015 “Londres examina ameaça da Venezuela às bacias petrolíferas da Guiana”

rommelqe
rommelqe
Reply to  rommelqe
8 meses atrás

E tambem no Forças terestres” Venezuela envia militares a região disputada e causa protesto da Guiana”

João Bosco
João Bosco
8 meses atrás

Esse navio britânico , por um acaso, não seria um aviso para o Sr. Maduro não se encrencar com os protegidos de majestade? Tipo” estamos por perto, não mexa….”?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  João Bosco
8 meses atrás

Nessa lógica o navio que já estava lá, e o HMS Medway está substituindo, também era.

Acho difícil dizer que qualquer navio que vá para o Caribe seja aviso à Venezuela. Tem sempre navios franceses, ingleses e americanos por lá.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  João Bosco
8 meses atrás

Esse Maduro é um vira latas, “late muito e morde pouco”.