quarta-feira, fevereiro 24, 2021

Saab Naval

GHENOVA concluirá dois NaPa para a MB

Destaques

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...

TOPEX 1-87: USS Nimitz e cruzador nuclear USS California no Brasil, em 1987

Em 1987 eu era tripulante da fragata Niterói - F40 e quando estava em operação no mar, fazia parte...

SIMULAÇÃO: ‘Operação Pólvora’ – FAB e MB enfrentam o USS Nimitz

No início de novembro, o presidente Jair Bolsonaro em discurso com tom bélico ameaçou usar pólvora quando acabar a...
Guilherme Poggiohttp://www.naval.com.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

GHENVOA assinou um contrato com a Marinha do Brasil pelo valor de R$6,4 milhões, com duração prevista de um ano e possibilidade de renovação por quatro anos adicionais.

O contrato é um acordo marco, espécie de contrato guarda-chuva, que abrange trabalhos de engenharia de detalhamento para construção, reparos e modernização dos meios navais da Marinha, e a demanda inicial deve ser a finalização dos navios patrulhas (NaPa) Maracanã e Mangaratiba, cuja construção estava interrompida até então. Na assinatura do contrato, que tomou lugar no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, estiveram presentes o Contra-Almirante Diretor do AMRJ e os Comandantes que participarão da gerência do contrato, bem como o Diretor Geral Corporativo da GHENOVA, Raul Arévalo, e o Country Manager da filial brasileira, Frederico Cupello.

GHENOVA tem uma ampla trajetória em projetos de embarcações militares, com uma alta capacidade para realizar todas as fases da concepção e engenharia de navios, tanto civis quanto militares de alta tecnologia.

Nossa companhia é líder no setor naval e offshore, tendo participado de importantes projetos do setor de defesa, como a fragata espanhola 105 Cristóbal Colón, um LHD (Landing Helicopter Dock) para a marinha australiana, Navio Juan Carlos I para a marinha espanhola, e diversos trabalhos para a Marinha colombiana.

Neste sentido, Frederico Cupello, Country Manager da GHENOVA no Brasil, explica que a assinatura deste contrato é uma oportunidade muito importante para a empresa, já que a expectativa é que a experiência seja muito positiva e permitirá novas contratações com a Marinha do Brasil.

GHENOVA é uma companhia internacional que conta com uma equipe formada por mais de 500 pessoas, e que oferece serviços de engenharia multidisciplinar e consultoria em uma grande variedade de setores, tanto no âmbito de defesa como civil: energias, indústria, infraestruturas, naval, offshore, aeronáutica e sistemas.

Atualmente, opera em mais de 25 países, e possui sedes em Sevilha, Porto de Santa Maria, Vigo, Ferrol, Madrid, Cartagena das Índias (Colômbia), Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), Rio de Janeiro (Brasil) e Austrália.

FONTE: GENOVA

DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO

Publicado em: 07/02/2020 Edição: 27 Seção: 3 Página: 28

Órgão: Ministério da Defesa/Comando da Marinha/Diretoria-Geral do Material/Diretoria Industrial da Marinha/Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro

EXTRATO DE CONTRATO

Contratante: Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro. Contratada: GHENOVA BRASIL PROJETOS LTDA. Processo nº 12-0116/2019-2. Pregão nº 44/2019. Contrato de Prestação de Serviços nº 41.000/2019-220/00. Valor: R$ 6.400.000,00. Objeto: Elaboração de projetos de detalhamento para a emissão de documentos necessários à execução de projetos de construção, reparo e modernização de meios navais da Marinha do Brasil (MB), a serem indiciados pelo Departamento de Projetos Navais do AMRJ, que serão prestados nas condições estabelecidas no Termo de Referência, anexo do Edital. Data de Assinatura: 06/02/2020. Vigência: 12 Meses.

- Advertisement -

131 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
131 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
André Macedo

Ainda essa novela pra duas patrulhas apenas? Me pergunto o que causou isso, será que a criação da tal guarda costeira não seria melhor em questão de direcionamento de recursos?

Jodreski

Não sei! Por isso vou perguntar a Guarda Costeira teria um orçamento separado da MB, ou teria um orçamento subordinado ao da MB? Pq se for assim nem adianta criá-la! Nada vai mudar ainda teremos duas “forças” sucateadas a da MB e da Guarda Costeira! Agora se o orçamento não for subordinado aí quem sabe teríamos uma Guarda Costeira decente, desde que a mesma não seguisse os mesmos exemplos das três forças que gostam de gastar dinheiro com folha de pagamento e AMA um excesso de contingente! Agora eu quero ver a MB aceitar ceder parte do que recebe para… Read more »

Camargoer

Olá. j. Depende de se 1. Essa suposta guarda costeira for um ministério em si, desvinculada de qualquer esteira antiga. Poderia até ser uma secretária ligada a presidência. 2. Essa GC poderia ser um comando dentro do Ministério da Defesa, com status igual a MB, EB e FAB. 3. Essa GC poderia ser um Departamento do ministério da Defesa, 4. Essa GC poderia ser um Departamento da MB ou ter um status igual ao dos CFN. 5. A GC poderia estar no ministério da justiça e ter o mesmo status da PF e da PRF. 6. Ela poderia ser um… Read more »

DanielJr

Eu sou a favor de ser um departamento da PF. Sou a favor de tirar várias coisas que são responsabilidades das forças armadas e colocar tudo para a PF fazer. Documentação de armas, controle da venda de explosivos, fiscalização de embarcações quanto a documentos, se o piloto está bêbado, etc.

Márcio Xavier

A PF não teve estrutura para manter nem as lanchas de patrulha que foram adquiridas e quase todas doadas à MB. Os meios aquáticos precisam de manutenção qualificada e constante. Criar uma nova estrutura também iria gerar mais despesas administrativas porque uma Guarda Costeira independente vai precisar ser administrada. Ainda acho o melhor caminho procurar melhorar e otimizar o patrulhamento e o serviço costeiro dentro da própria MB.

Tiago

Pelo visto smj os doze meses do contrato são para detalhar o projeto executivo do que falta ser feito, em relação ao projeto original. Com este mapeamento formal se licita (ou se contrata com dispensa) a conclusão. É necessário para ter parâmetros beeeem objetivos do que se precisa de serviços, materiais, etc, (como exigem a lei e os órgãos de controle, para poder avaliar preços unitários detalhadamente e evitar “excessos” na contratação). Deve ter muita coisa já feita que deve demandar uma inspeção detalhada para que o serviço seja retomado, do contrário nenhuma empresa vai ser maluca de assumir a… Read more »

Camargoer

Olá Tiago. Pensei a mesma coisa. Inspeção, revisão, atualização.

Carlos Alberto Soares

Outro terraplanista

Camargoer

Olá CAS. Um terraplanista vive sobre uma superfície aberta. Um globalista vive sobre uma superfície fechada. Um relativista vice em uma superfícies espaço-tempo.

ALISON L C SILVA

o que tem de babaca aqui que negativa so por quem postou o comentario…

Esteves

Aqui negativam homenagem, abraços, mensagem de final de ano, parabéns, reconhecimentos, opiniões, comentários.

Nada escapa dos buracos negros.

Roberto Medeiros

Creio q este contrato não diga respeito somente aos patrulhas. Talvez façam tambem das Niterói, para verificar a viabilidade?

Carlos Alberto Soares

Desenha aí para mim:

Projeto executivo tem.

No caminho se faz a caminhada.

Escreveu muito blá blá blá…..

É a MB sendo cada vez mais MB

E ainda tem quem explique o terraplanismo.

rommelqe

Thiago concordo integralmente com seu comentário. O projeto de uma embarcação não se resume à geometria de um casco obtida e realizada a partir de um plano de linhas desenvolvido em laboratorio. Acredito que certamente a licitação por intermedio da qual foram contratados o INACE e o EISA foi realizada utilizando o que chamamos de projeto básico. No projeto básico emprega-se dados de mercado mas não necessariamente aqueles que serão efetivamente utilizados na execução. Como exemplo cito um caso em que eu mesmo estive envolvido. O motor que foi utilizado no projeto básico original era um MWM; posteriormente o estaleiro… Read more »

Camargoer

Olá Poggio. Pelo que entendi do DOU, é um contrato de prestação de serviços para o detalhamento do projeto. Talvez isso signifique uma avaliação do estado dos dois NaPa e do AMRJ para a conclusão dos dois navios. Talvez isso passe pela reelaboração do memorial descritivo e da revisão do projeto de gestão das etapas de conclusão dos dois. Eu imagino que é uma boa ideia revisar o projeto nessa etapa, implementar algumas atualizações a partir da experiência adquirida pela operação dos NaPa anteriores. Uma coisa é construir do zero, outra coisa é reformar o que estava pronto e outra… Read more »

rommelqe

Sim meu amigo, finalizar algo que foi mal iniciado e há tempos parado – após ter sido parcialmente materializado – é o pior dos mundos. Agora, esses serviços relativos à reelaborar projeto foram objeto de licitação pública? Ou isso só vale para corvetas e Gripens?

Camargoer

Olá Rommelqe. Eu não sei como a MB contratou a Ghenova. Pode ter sido por licitação ou por carta-convite. Pode até ser contratação direta se for justificado. Teria que buscar o edital de contratação ou alguém em nome do PN escrever para a Ghenova sobre isso com o compromisso de publicar aqui. Pelo que lembro, não teve licitação para contratar a empresa que fez o transporte dos cascos de Niteroi para o AMRJ. Acho que a MB até poderia ter contratado um estaleiro diretamente para concluir os dois NaPa, mas usar o AMRJ também é uma boa ideia. Acho que… Read more »

Lucas

Foi licitação.

rommelqe

É caro Lucas, ta la no texto: Processo nº 12-0116/2019-2. Pregão nº 44/2019. Obrigado, não tinha visto com atenção. Não duvido que a Ghenova tenha total capacidade (sou até muito suspeito …) e que à Marinha não restavam muitas opções (embora conheça várias equipes que poderiam igualmente detalhar este projeto e acompanhar toda a fase executiva…). Equipamentos desta natureza não aceitam muitos desaforos (como dizia grande amigo); a corrosão,a obsolescencia, entre outros inumeros fatores matam qualquer embarcação parada no cais a mais do que um ano sem nenhuma proteção etc. O que me parece mais problematico neste caso, é que… Read more »

João Adaime

Prezados Tiago e Camargoer
Sem medo de errar: o pessoal do AMRJ ou da Emgeprom faz isso.
Caso não possam fazê-lo por “n” motivos, entrega pra Inace que eles fazem este serviço (a consultoria) até de graça, caso ganhem o contrato para concluir os dois navios.
Se as duas atividades não puderem ser feitas pela mesma empresa, por motivos legais, mesmo assim entrega a consultoria para a Inace e deixa que o AMRJ termine a obra. Tenho certeza de que ficaria mais barato. E os recursos não sairiam do Brasil.
Abraço

Camargoer

Caro João. Teria que perguntar para a Inace se ela tem equipe disponível tanto para o projeto executivo quanto para a conclusão das construção dos dois NaPa. Acho que é um pouco mais complicado do que parece. A MB não tem como escolher quem ela quer quando ela quer pelo preço que quiser pagar.

Helio Mello

João, não é bem assim a coisa. O contrato prevê a finalização do projeto dos navios patrulha com alocação de pessoal e equipamento dentro do CPN. Está quantificado em torno de 25 pessoas neste projeto, que ficarão em regime de dedicação exclusiva neste projeto (o que não é nem um pouco prática de mercado em qualquer projetista, no Brasil ou no mundo). Trata-se de um navio pequeno (que é uma complexidade a mais) que será asbuiltado e corrigido, o que é consideravelmente difícil. Pelo que sei a Marinha só possui a engenharia básica do navio (pelo menos foi o que… Read more »

Camargoer

Olá Helio. Obrigado pela ajuda esclarecendo tudo isso. Puxa, você estava na Eisa? Espero que tenha conseguido sair sem problemas. A MB deveria filmar tudo e produzir um documentário ma NatGeo.. eu gostaria de assistir.

Esteves

12 meses para,

“Elaboração de projetos de detalhamento para a emissão de documentos necessários à execução de projetos de construção, reparo e
modernização de meios navais da Marinha do Brasil…”

Se em 12 meses não sair um projeto de detalhamento…

rommelqe

Houve licitação?

Helio Mello

Rommelque, houve sim. Pregão 442019, se você for no comprasnet tem toda a documentação.

Mario SAE

Poggio, Boa tarde.

Uma informação fora do tópico.

O General Braga Neto deve substituir Onyx Lorenzoni na Casa Civil. O convite foi feito pelo Presidente Bolsonaro e aceito pelo general. Onyx Lorenzoni deve ir para o Ministério da Cidadania.

Mais um general no primeiro escalão.

Sds.

João Moro

De onde veio essa notícia? da FOICE?

Mario SAE

João, boa tarde.

Do gabinete do presidente.

MMerlin

E cada vez mais o Presidente de cerca de pessoas confiáveis, que respeitam a hierarquia e o principal, tem como histórico a competência.
Como toda pessoa, tem seus defeitos, mas em se tratando da escolha para Ministros, os principais setores estão bem servidos. E não duvido nada que inclua mais um, mas no Ministério da Educação.

Fernando Vieira

Ainda tem lixo pra tirar. O MEC e o das relações exteriores são prioridades porque o que tem lá hoje são dois asnos.
O governo melhorará muito se se livrar da influência dos filhos do presidente e do astrólogo.

MMerlin

Sem dúvida, os filhos prestam um verdadeiro desserviço ao país no que tange a administração.
São uma fábrica de problemas, não só para o Presidente como para o Estado.

francisco Farias

Além disso vão encher o INSS de militares aposentados, em vez de realizar concurso público. Isso fere totalmente a constituição federal que determina o ingresso em cargos públicos só por meio de concurso amplo e geral. E antes que alguém defenda é bom lembrar que funcionários militares tem regime jurídico diferente dos funcionários civis. Portanto, jamais poderiam ser contratados pelo INSS sem concurso. O Governo está tentando acalmar os militares que querem a todo custo morder um pedaço do bolo. Entretanto, esta medida resultará em perdas de voto a reeleição poderá ser comprometida. Os militares estão indo com muita sede… Read more »

João Moro

francisco Farias, eles não encherão de militares o INSS. O que está acontecendo é que o governo contratará TEMPORARIAMENTE os militares da reserva que VOLUNTARIAMENTE irão trabalhar para diminuir a fila de processo a serem analisados.

Camargoer

Caro João. Eu estou com muitas dúvidas sobre esse problema do INSS. Varios familiares se aposentaram nos últimos 8 anos… não lembro deles reclamando de filas para dar entrada nos papeis, fazer laudos, pedir esclarecimentos. Eu mesmo fui umas tres vezes no INSS tirar duvidas… ai começa um monte de problema… tem que ver melhor o que está acontecendo.. tem jabuti nessa árvore

Esteves

Mestre,

O GF criou a Super Receita. Lembra?

INSS + Receita Federal.

O que está acontecendo agora?

O Ministério da Economia criou a conta .Gov. Cadastros, informações, BigBrother do brasileiro estão migrando para essa única gestão do CPF.

Ministério da Economia + Receita Federal + Previdência Social.

Desde o ano passado…desde há alguns meses está havendo lentidão e represamento de várias solicitações e procedimentos na Previdência.

Alterações estão levando mais de 30 dias, os postos físicos perderam terceirizados, a lentidão avançou.

Soma-se a fila de pedidos de aposentadoria no regime antigo que ainda não foram respondidos.

Mais as fraudes.

Rotinas.

Camargoer

Faltou o GRATUITAMENTE… Mais isso seria muito patriotismo

Fernando Vieira

Violar a constituição é crime de responsabilidade. Mais um inclusive. Só ter um deputado com cojones na câmara e o presidente fica na mão do Rodrigo Maia, que basicamente já é o presidente do Brasil mesmo.

Trathanius

‘MISERÊ’ 😏

Camargoer

“ASEREJE” com Las Ketchup.

Jhon

Não dava para por de baixo do guarda chuvas do projeto Tamandaré, a conclusão dos dois navios na contrapartida financeira do projeto? Seria + rápido e sem custos extras a MB.

Camargoer

Olá Jhon. Os alemães entregarão um projeto executivo para as FCT para serem feitas em Itajaí. Os dois NaPa serão concluídos no AMRJ, o que demanda um projeto executivo bem diferentes (até porque os dois estão em diferentes etapas do cronograma, um parece estar quase pronto e o outro bem mais atrasado)

Esteves

Os alemães entregarão 4 navios.

Camargoer

Olá Esteves. De fato. O que tentei dizer, mas não disse, era que os alemães irão entregar quatro navios, mas para isso eles terão que elaborar um projeto executivo para a construção desses navios, o que incluirá um planejamento das atividades no estaleiro, como movimentação de materiais e peças, estoques, cronograma físico-financeiro. etc. Mas concordo como você que tudo é apenas o meio chegar ao objetivo, que serão as quatro FCT. Valeu pela correção.

Esteves

Mestre,

O Esteves não ousaria corrigir mestres.

Eu somente frisei que contamos com os 4 navios alemães.

Nada de projetos aqui.

André E.

Projeto executivo detalha como será a execução do contrato.
Projeto executivo é diferente de projeto de engenharia.

Terá sim um projeto executivo para as FCT.

Camargoer

Oi André. Independente do nome, tem que ter um projeto detalhado do navio, com instalações detalhadas, estrutura, especificação de equipamentos, elétrica…. Depois tem que ter o projeto de como isso vai ser feito, estruturas temporárias, encaixe de módulos, movimentação de equipamentos pelas aberturas (o caso clássico de projetar uma sala para o piano e não deixar uma porta grande para o piano entrar). Depois tem o projeto do estaleiro, da movimentação das peças e cronograma de aquisição e entrega de equipamentos. Odeio lembrar meus tempos de Encol.

Jhon

O que falta pouco para concluir um deles motores , parte eletrônica e tubulações, um serviço que pode ser realizado com assistência dos alemães Embraer.

Camargoer

Olá. Quem dá apoio para instalar equipamentos e a empresa que fornece os equipamentos.

Salim

A engepron náo faz isto!?!!??!!? Manda pra Inace terminar e acaba com esta novela. E barco patrulha de 500 ton, náo e barco guerra. Concordo comentário acima, precisa ser criada guarda costeira com estrutura enxuta e acabar com esta novela.

Farroupilha

Muitíssimo estranho mesmo.
Então esses mixurucas de barcos patrulhas possuem uma tecnologia impossível para ser realizada aqui mesmo no país?
O bom negócio é dar empregos lá fora. Sério… Que se feche as portas dessa Emgepron, que pelo visto nem jangada conseguiria projetar direito.
VERGONHA!

Carlos Campos

A EMGEPROM é só uma empresa que contrata outras empresas para fazer o serviço, assim parte do lucro fica na EMGEPROM para ser usado em outro projetos, a empresa também fica livre para receber recursos sem mexer no teto de gastos.

marcus

Projeto Caviar e Projeto Champanhe Francesa.

Rodrigo

Ou seja essa engrepom é outra teta pública que só suga recursos do contribuinte.

Precisamos do partido novo na presidência para acabar com essas estatais

Camargoer

Caro Rodrigo. E se o corpo técnico da Emgepron já está comprometido com os outros projetos, ou que as FCT demandam muito mais trabalho da Emgepron do que a empresa consegue atender? Poderia contratar mais engenheiros específicos para esse projeto, ou contratar uma empresa para fornecer o serviço. Teria que perguntar para quem sabe mais.

Salim

Compramos projeto alemão,sem contrato ainda, porem seu argumento fica estranho pelos motivos abaixo. Licitação já foi feita com solicitação detalhada. Analise das propostas e duvidas sanadas. Declarado vencedor. Falta pedido, portanto só teremos algum movimento tecnico alguns meses apos contrato assinado. Se engepron fosse competente já estaria com projeto e detalhamento em seu poder pois o primeiro barco do ilha já estava na fase de instalação motores e acabamento, lembre barco patrulha, náo barco guerra, por isto reforço minha opinião, deveriam ser entregues para estaleiro nacional com competência ( maioria ocioso ) para terminar estes 3 barcos patrulha. Projeto francês,… Read more »

Cavalli

“Cabide de emprego estrelado”…

Já comentei isso e volto a comentar. Nossos oficiais formados em intendência/administração pela Escola Naval, que ao longo de suas carreiras adquirem muita experiência, não são capazes de fazerem o processo de compra/aquisição de meios? De onde vieram este pessoal da ENGEPROM?

Há, da Marinha….curioso não?!

marcus

Se não me engano o INACE fez 2 NPA 500. Deveriam ter levado os cascos direto para eles.

Salim

Contratados em 2006 e entregues em 2009. Marinha não está acostumada com isto, cumprimento de prazo e barcos navegando. Projeto inicial era 26 barcos so saiu os dois Inace P70 e P71. O projeto destes 3 barcos deveria estar disponível no estaleiro ilha e a marinha deveria ter acompanhado projeto, muito estranho contratar empressa espanhola para algo que temos aqui.

Camargoer

Caro Salim. Foram duas licitações. A INACE ganhou uma e a EISA ganhou a segunda. As documentações estavam em ordem e nenhum dos que perderam a licitação anulou o resultado. A Inace fez o seu planejamento e concluiu o contrato. A Eisa faliu no meio do contrato. A MB precisou conseguir que a justiça liberasse os dois cascos e as peças/equipamentos adquiridos que estavam estocados em Niteroi, e levou tudo para o AMRJ. Então a MB fez um planejamento para concluir um NaPa esse ano e depois o outro (não lembro se a Emgepron está envolvida nesse planejamento). Para retomar… Read more »

marcus

Entrem no site https://www.inace.com.br/. O pessoal não está começando agora, tem experiencia.
Deve ter rolado uma comissão muito boa, para assinarem um contrato com essa empresa.

Camargoer

Caro Marcus. Talvez a Inace tenha um programa de produção para outros clientes para os próximos anos. A sua contratação para concluir os dois NaPa demandaria algum atraso para os atuais clientes ou o estaleiro só poderia atender a MB daqui meses ou até anos. Se eles pegaram algo que temem que não darão conta o prejuízo para a imagem do estaleiro (além das multas contratuais) pode ser maior que o lucro do serviço (por exemplo, uma funilaria que atende seguradoras dificilmente aceita serviços particulares que não sejam pequenos reparos).

Camargoer

Olá Marcus. Teria que verificar como ocorreu essa contratação. Pode ter sido por licitação, pode ter sido por carta-convite ou pode ter sido por inexigibildade de licitação. Sem saber isso fica tudo no chute.

Carlos Alberto Soares

Pronto, enfim bom senso.

Zorann

Se você criar uma guarda costeira, você simplesmente irá dividir o bolo. Criará um monte de estruturas redundantes, mais um monte de caciques e oficiais, pra fazer ainda menos.

É inocência sua imaginar que teríamos uma estrutura enxuta. Mais inocência ainda imaginar que isto significaria mais verbas para a Marinha.

Glasquis7

Com esse montante de dinheiro, dá pra fazer o que?

Camargoer

Olá Glasquis. Acho que o Tiago matou a charada. É uma atualização do projeto executivo.

Glasquis7

E a ENGEPROM, pra que serve?

Esteves

Projetos.

Nilson

Gerenciamento de projetos. A Emgepron não executa. Não faz projetor nem obras.

Cristiano de Aquino Campos

Ou seja e uma empresa redundante.

Esteves

Projeto.

Glasquis7

E isto: “trabalhos de engenharia de detalhamento para construção, reparos e modernização dos meios navais da Marinha” no se encaixa na parte de projetos?

Glasquis7

E isto: “trabalhos de engenharia de detalhamento para construção, reparos e modernização dos meios navais da Marinha” no se encaixa em Projetos?

Nilson

Sim, encaixa em projetos. Mas a Emgepron não faz projetos; ela gerencia projetos.

Rafael Oliveira

Mas a Marinha tem o CPN também. Ele deveria ter competência para fazer isso.

Esteves

Entendeu?

Uma faz o projeto. A outra faz a gerência do projeto.

Ainda não chegamos em quem fará os navios.

Camargoer

Olá Esteves. No caso dos dois NaPa, o AMRJ irá concluir a construção dos dois barco. Isso já foi postado aqui no PN.

Nilson

Mestre Camargo, salvo engano o que foi postado é que o AMRJ vai licitar as obras que ainda faltam. Não me pareceu que fosse o pessoal do AMRJ que iria executar as obras.

Camargoer

Oi Nilson. O texto da DOU menciona que os espanhóis foram contratados para elaborar, projetos de execução, reparo e revisão dos meios da MB. Lembro de um outra postagem sobre o detalhamento do orçamento das forças armadas que mencionava que o AMRJ faria a conclusão dos dois NaPa, primeiro o que estã mais avançado e depois o outro mais atrasado.

Esteves

Aguardando.

12 meses para elaborar. Depois vem a gestão do projeto que deve incluir as melhores ofertas, as melhores execuções, o melhor prazo, para entregar os dois navios. Testes. Incorporação.

Tarefas para uns…4 ou 5 anos.

Jadson Cabral

Já cansei dessa novela

Jadson Cabral

Pra serve todo o pessoal da marinha? Toda a experiência adquirida nas manutenções dos meios da esquadra não são o suficiente pra terminar um mero navio patrulha??? Impressionante!

Glasquis7

Esta é uma velha discussão.

Por isto é que me parece inutil a chamada “compra com TOT” que se faz por estes lados.

Halley

engenharia da marinha pelo visto é só mais um ralo de dinheiro.

João Moro

Quem bom que o contrato foi assinado. Isso significa que iniciarão logo a manutenção e conclusão destas embarcações, que precisamos muito!!

Esteves

Significa que assinaram o contrato do projeto. Os cascos estão parados. Incompletos.

Precisa escanear, atualizar, construir memorandos construtivos, avaliar o estado, recomendar, direcionar, precificar, orçar. Indicar propulsão, sistemas, eletrônica, elétrica.

Quase como fazer do zero.

Nenhum estaleiro vai pegar um casco ou um semi navio iniciado por outros e dar sequência sem um projeto detalhado que se responsabiliza pela construção.

Herança. Ou colheita maldita.

Glasquis7

E a ENGEPROM, pra que serve?

Salim

Caro João esta novela vai longe, vao começar a rever projeto, temos dois destes ativa feitos Inace e o projeto e francês, ai escolheram empressa da Espanha, sinistro.

eslima70

Esperamos que realmente terminem essa Novela!

Camargoer

Olá Estima. Eu temo que seja uma daquelas histórias na qual o “mocinho morre no final”. Esperemos que não.

João Adaime

Confesso que não entendi. Pelo texto, parece que será uma consultoria apenas. Mas consultoria em cima de um projeto que já existe e já foi executado através de outros navios desta classe, o Macaé e o Macau? E ambos na Inace. Não consegui saber se eles possuem estaleiro próprio. O pouco que consegui saber da Ghenova no Brasil, no que diz respeito à área náutica, lembra muito a Emgeprom. Logo…. Muito estranho mesmo. Por que não entregar o término destes outros dois também à Inace? Será que os proprietários da Inace são de uma corrente política diferente da dos atuais… Read more »

Esteves

Ghenova é empresa de projetos. Consultores. No Brasil estiveram associados ao estaleiro Promar.

Cal

EMGEPRON – Empresa Gerencial de Projetos Navais… mas contratam a Ghenova espanhola para (re)projetar(?) um projeto francês que já foi até executado (P70 e P71).

Tá ‘serto’…

Esteves

A Emgepron não projeta. Ela faz a gestão dos projetos.

Gestão.
Capitalização do estaleiro escolhido, orçamentos, ações, tarefas, checagens, acompanhamentos das qualidades e das plantas, correções, padrões conforme o projeto, deadlines.

A tarefa da construção e da montagem é do estaleiro.

Mano Jô

Pode ser que a própria INACE não tenha disponibilidade para encaixar o projeto no seu cronograma. Ou simplesmente o dinheiro oferecido foi muito pouco.

Camargoer

Olá Mano. Escrevi isso diversas vezes em outras postagens sobre os NaPa. Tem que perguntaro interesse da empresa. Por um lado, reclama que a estatal não funciona, do outro que o governo precisa ser ultraliberal e passar tudo para o setor privado… Daí vem dando ordem para a empresa se virar e arrumar o problema da MB.

J R

Essa novela esta parecendo a da Barroso, a diferença é que lá era uma corveta, agora são dois barquinhos de patrulha. Que fase…

Top Gun Sea

Com implementação ou não o mais importante é dar continuidade à execução do projeto que já está bem adiantado até onde parou as obras. É quase nada mas, serão duas embarcações zero operando.

Nilson

Sugiro aos editores dar uma aprofundada e, caso assim entendam, alterar o título da matéria para algo como “Ghenova apresentará projeto executivo para conclusão dos dois NaPa para a MB”. Da forma como foi publicado, parece que a própria Ghenova executará as obras de conclusão, o que não está amparado no extrato do contrato. Aproveitando o ensejo, fica mais forte ainda a minha desilusão com a área de projetos navais da MB: se nem conseguem fazer esse projeto executivo (em cima de um projeto executivo preexistente), como pensam em fazer projeto de corveta, navio patrulha e navio patrulha oceânico. Eu… Read more »

Nilson

Talvez o melhor termo não seja projeto executivo, mas detalhamento, que é um termo que existe na nota da própria Ghenova.

Enes

É possível que quando esses dois navios patrulha ficarem prontos, e se ficarem, o apocalipse de São João já tenha acontecido.

SentaPua

Se com as NaPas, tenho medo do que pode acontecer com as Tamandarés

jotapê

O Centro de Projetos de Navios (CPN) não poderia fazer este serviço? Sem contar que a MB deve possuir todos os desenhos/estudos de construção fornecidos pelo INACE e EISA.
Está muito estranho esse contrato.

Nilson

Sim, essa é a desilusão a que me referi acima. Se a Marinha resolveu gastar R$ 6mi para uma empresa fazer o projeto, logicamente é pq seu setor de projetos – no caso o CPN – não se considerou habilitado para tanto. E olha que esse é um projeto que certamente será executado, ou seja, era oportunidade real de um projeto do CPN sair do papel.

ADRIANO MADUREIRA

Ainda irão insistir nessa novela mexicana?! Perda de tempo e de recursos da nação!

JT8D

Decepcionante. Pra que um corpo de engenheiros cheio de gente formada em universidades renomadas e pós-graduação no exterior (às nossas custas), se para qualquer servicinho é preciso contratar terceiros? Estou chegando à conclusão que o ideal mesmo é ter forças armadas enxutas, que em tempo de paz não se tornem cabidaços de encostados.

Foxtrot

“O contrato é um acordo marco, espécie de contrato guarda-chuva, que abrange trabalhos de engenharia de detalhamento para construção, reparos e modernização dos meios navais da Marinha.”
Esta ai a tal clausula de salvaguarda tanto falada por mim.
Será que só agora o GF via MB conheceu essa técnica tanto propagada no comércio civil?
Se já tivessem conhecimentos administrativos modernos e ágeis, não precisaríamos ter contratado essa Meko Gambiarrada ou mesmo ter atrasado ou cancelado tantos meios navais construídos localmente.
Parabéns a Ghenova, os gringos mais uma vez ganhando nosso dinheirinho !

EduardoSP

“GHENVOA assinou um contrato com a Marinha do Brasil pelo valor de R$6,4 milhões, com duração prevista de um ano e possibilidade de renovação por quatro anos adicionais.”
Já estão cantando a pedra… possibilidade de renovação por quatro anos adicionais…

Fabio Mayer

E mais 4 anos para entregar os dois navios patrulha! Quem vê os prazos de construção dessas coisas, imagina que o Brasil está construindo navios com tecnologia alienígena, para demorar tanto!

Mateus

A vontade que eu tenho é de dar uma surra de urtiga no nosso almirantado. O estaleiro inace (Ceará) entregou os navios sem problemas, acredito que até dentro do prazo. Ai levou o projeto para um estaleiro cheio de dívidas no Rio de Janeiro.

A MB o Rio de Janeiro são farinha do mesmo saco

Se brincar, vão levar o projeto Tamandaré para o RJ

halley

se fizer o navio muito longe a tchurma não consegue levar o seu trocado pra casa, se é que me entende.

Fabio Mayer

E a lei de licitações prevê a possibilidade de certame preço + técnica, bem como instrumentos de controle financeiro do contratado, para evitar que uma empresa falida assuma o contrato.

Leonardo M.

A MB é a única marinha do mundo que gasta bilhoes por ano em projetos em papel, maquetes e viagens para os almirante irem ver lançamento de subnuc(francês).
Navio que é bom…

Fernando "Nunão" De Martini

Bilhões em projetos e maquetes? Tem certeza quanto a esse número?

Leonardo M.

Projeto de ter porta avioes
Conpra emoção Paulo, A4, modernizacoes, Kc-2, navios que foram pra PMG e depois aposentados.
CFN maiores que muitos exercitos da America Latina
Bases desnecessárias

Enfim, a MB é um grande projeto de marinha que gostaria de ser igual a US Navy que nao deu certo.

Esteves

Vichi,

Fernando faz umas perguntas…

Fernando "Nunão" De Martini

Perguntar não ofende.

Fabio Mayer

Vai juntando um projeto executivo aqui, uma remoção de estaleiro ali, uma renovação de equipamentos acolá… e demora o prazo de construção de um mega hiper porta-aviões, com o preço de uma fragata!

Brasil em essência!

Camargoer

A opção era vender tudo como sucata. O que poderia ser feito de diferente?

Esteves

Vender como sucata.

Mas,

A vergonha. A morosidade. A falta de gestão orçamentária. A falta de resultados.

Vide Traders. Outro defunto pra MB.

Fabio Mayer

Camargoer, Deu-se a solução, simples, ok. Mas será que se usassem a Lei de Licitações lá no passado com mais cuidado, especificando preço e técnica, colocando condições mais objetivas de contratação, esse desastre chegaria nesse ponto? Havia um estaleiro que estregara duas embarcações no prazo e no preço, fizeram nova licitação quando podiam renovar a primeira se lá, no primeiro edital, as coisas estivessem bem estipuladas. Imaginemos que o Brasil estivesse construindo um porta-aviões come esses parâmetros: demoraria 40 anos? Levaríamos 40 anos para entregar um PA? Quanto ele custaria? O que eu quis dizer é: contrate-se com critério e… Read more »

Fabio Mayer

Camargoer,

Pelo que está na matéria, se pode inferir inclusive, que o segundo NaPa pode levar até 4 anos para ser entregue. Ele teve a primeira chapa de aço cortada quando? Quanto tempo a despender com um navio patrulha?

Kemen

Boa escolha, a empresa tem grande experiência, espero que não fique somente em desenho e especificações dos patrulheiros, que a MB pense grande e siga rumo a fragatas a serem construidas no Brasil. Sugiro como nome de uma hipotética nova classe das fragatas “classe Terena”

Fabio Araujo

Espero que esse contrato possa ser ampliado para além da conclusão destes dois e que venham a construir mais alguns!

Nunes-Neto

Por acaso a marinha não tinha nenhum oficial,engenheiro….acompanhando o andamento da construção?O estaleiro não enviava relatórios? A marinha não fazia vistoria?Acho estranho falarem que vão contratar uma empresa para saber o que foi feito no navio!Se eu tivesse um carro na oficina ou construindo uma casa , iria todo dia ver a obra,um navio que foi investido milhões não se sabe o que foi feito e o que falta fazer?Deveria ter um grupo técnico da MB acompanhando o andamento da construção e que conhece o projeto muito bem!

Camargoer

Olá Nunes. Acho que uma boa comparação e a construção de uma casa. Por mais que você fique em cima do engenheiro e o engenheiro em cima do mestre e o mestre em cima da equipe, acontecem erros e modificações que não são documentadas. Outra coisa que precisa ser levada em consideração seria o tempo que o casco ficou parado. Uma revisão geral seria uma questão de segurança. Mesmo que após uma revisão geral o relatório seja que está tudo certinho, isso tem que ser feito. Por fim, o que ocorreu foi a falência da empresa. Parou tudo, demitiu todo… Read more »

Nunes-Neto

Entendo ,mas dentro da Marinha deveria ter pessoas que conhecem muito bem o projeto, melhor que qualquer engenheiro da Ghenova, deveria ter dentro da MB um grupo que sabe até se falta um parafuso no beliche do camarote 2, somente acho que deveria…não estamos falando de um submarino, e sim de um navio patrulha de menos de 500 toneladas.

Nilson

Mais um buraco engolidor de verba pública ( blá, blá, blá ) e só dialética. Têm sido assim com projetos da marinha, é só fazer uma leitura do histórico de projetos da força.

- Advertisement -

Posts mais comentados

EXCLUSIVO: Marinha estuda compra de caças F/A-18 Hornet ‘por oportunidade’

Por Roberto Lopes* O assunto emergiu na manhã da sexta-feira, 10, durante a cerimônia de troca de comando na Diretoria...
- Advertisement -
- Advertisement -