Home Marinhas de Guerra Navios da Marinha dos EUA visitam o Mar de Barents pela primeira...

Navios da Marinha dos EUA visitam o Mar de Barents pela primeira vez desde a década de 1980

4205
91

Navios da Marinha dos EUA entraram no Mar de Barents na segunda-feira, entre a Noruega e a Rússia acima do Círculo Polar Ártico, pela primeira vez desde a década de 1980, informou a US Navy.

A missão, segundo um comunicado, é “afirmar a liberdade de navegação e demonstrar integração perfeita entre aliados”.

O Ministério da Defesa da Rússia anunciou rapidamente que a força-tarefa de cinco navios, incluindo um da Marinha Real Britânica, está sendo monitorada de perto.

Os destróieres de mísseis guiados USS Donald Cook e USS Porter, o grande navio de suprimentos USNS Supply e a fragata britânica HMS Kent entraram no Mar de Barents depois de realizar exercícios antissubmarino no vizinho Mar da Noruega. A eles se juntou o destróier USS Roosevelt.

A Noruega e os Estados Unidos são aliados da OTAN, embora a Noruega não esteja visivelmente envolvida no exercício. Os militares russos foram notificados da operação.

“Nestes tempos desafiadores, é mais importante do que nunca mantermos nosso ritmo constante no teatro europeu, enquanto tomamos medidas prudentes para proteger a saúde de nossa força”, disse a vice-almirante Lisa Franchetti, comandante da 6ª Frota dos EUA.

“Continuamos comprometidos em promover a segurança e estabilidade regionais, ao mesmo tempo em que construímos confiança e reforçamos uma base de prontidão no Ártico”, afirmou Franchetti.

Poucas horas após a chegada da força-tarefa, o Ministério da Defesa da Rússia anunciou que estava monitorando os navios.

“Os ativos da frota [russa] do norte começaram a rastrear o grupo de ação em superfície da OTAN”, afirmou. A Frota do Norte é baseada na costa da Península de Kola e usa o Mar de Barents como acesso para seus navios de superfície e submarinos no Oceano Atlântico Norte.

Os exercícios antissubmarino e a chegada dos navios ao mar de Barents foram realizados sem a participação da Marinha Norueguesa.

Em outubro de 2019, a Noruega decidiu não participar do programa de defesa antimísseis apoiado pela OTAN, dias após a primeira-ministra norueguesa Erna Solberg se encontrar com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov.

“Os exercícios da Marinha dos EUA e da Marinha Real nos mares de Barents e da Noruega defendem as rotas marítimas transatlânticas ou ameaçam a defesa do bastião russo e sua dissuasão nuclear e, portanto, a estabilidade estratégica”, comentou Gjedssø Bertelsen, da Universidade Ártica da Noruega.

“A Noruega se absteve desses exercícios, talvez entendendo o perigo para seu relacionamento bilateral com a Rússia de ameaçar a dissuasão nuclear da Rússia”, acrescentou Bertelsen.

FONTE: UPI

Subscribe
Notify of
guest
91 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

A Guerra Fria de volta com força total, estamos de volta aos anos 80!

PACRF
PACRF
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Normal para países que têm marinhas poderosas navegar com seus meios em águas internacionais, onde querem e bem entendem. Por aqui, mal conseguimos patrulhar adequadamente nossas águas territoriais.

Diego
Diego
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Mesmo com um ex-militar como presidente, o Brasil só comprará 4 Tamandaré …
É impressionante q falta de consciência popular quanto à necessidade de equipamentos para a sua FAs, idem para a FAB quanto ao Gripen, era para ser no mínimo o dobro tendo das FCT quanto dos Gripen… agora com covid19 ferrando a economia acho que vai ficar nisso aí e olhe lá

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Diego
1 mês atrás

Que fonte é essa Diego? Quem disse que ficarão somente com 4 CCT? E quanto ao F-39? Estamos construindo Subs tb, o Tonelero ficará pronto esse ano. Claro que o momento é de incertezas mas ficar “chutando” como muitos fazem aqui não é legal!

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
Reply to  Diego
1 mês atrás

Problema não é a população, são as próprias forças armadas!! Orçamento deles são um dos maiores do mundo, mas gastam como ?? Mais com meios, equipamento ou pessoal ??

Mgtow
Mgtow
Reply to  Diego
1 mês atrás

“Mesmo com um ex-militar como presidente”…kkkkkk…não me faça rir. Esse cara é terrorista. Tentou colocar bombas no quartel para forçar aumento salarial. Um sujeito desse não se leva em conta. A crise economica ja estava instalada muito antes da Covid

Rene Dos Reis
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Me lembrei do mar de óleo , já caiu no esquecimento.

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

No quarto parágrafo da nota, está escrito: “A eles SE JUNTARAM o destróier USS Roosevelt”. O certo é: “A eles SE JUNTOU o destróier USS Roosevelt.”

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Charles Dickens
1 mês atrás

Não sei como alguém pode não aprovar um comentário que corrige um erro grosseiro de português no texto comentado. Talvez quem não tenha gostado ache que não existe erro. Devem ter faltado à aula na escola primária que tratou de concordância verbal.

Fernando Vieira
Reply to  Charles Dickens
1 mês atrás

Nelson Rodrigues já dizia que “O Maracanã vaia até minuto de silêncio” aqui nego negativa qualquer coisa também.

Pessoalmente eu não dou a mínima pra esse placarzinho de positivo / negativo e raramente também positivo ou negativo algum comentário.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Fernando Vieira
1 mês atrás

X2

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Charles Dickens
1 mês atrás

Charles. São os imbecis juramentados, idiotas da objetividade e cretinos fundamentais. Que acham que não se deve ter o minimo respeito pela língua Pátria.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Especialmente aqui no blog…

Pablo Maroka
Pablo Maroka
1 mês atrás

Vendo essa imagem o hino nacional heróico dos EUA tocou na minha mente e me emocionei.

GuiBeck
GuiBeck
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Kkkkkk boa!

Marujo
Marujo
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Lambe botas! Lacaio!

Kemen
Kemen
Reply to  Marujo
1 mês atrás

Cai na risada, desculpe. kkkkk Vai ver que ele é norte americano ou porto riquenho (Pablo Maroka ???)
Eu me emociono ao houvir o nosso hino nacional e o hino à bandeira.

Sandro Malta Moran
Sandro Malta Moran
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Hino à bandeira com letra de Olavo Bilac, o príncipe dos poetas brasileiros.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Marujo
1 mês atrás

É isso aí! Viva a China!!

Fernando Vieira
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Heroico por heroico o hino russo é muito mais bonito e heroico que o americano. A Marselhesa da França também é excelente.
Antes que venham, estou falando exclusivamente dos hinos nacionais, sem qualquer juízo de valor dos países.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Fernando Vieira
1 mês atrás

O da Rússia é o mais bonito, acho o do Brasil lindo, o do Império também.

Fernando Vieira
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

O hino americano não funciona muito bem para inflar o peito para uma batalha como o fazem o hino russo e a Marselhesa. Mas os americanos resolveram o problema com um “hino de guerra informal” que é o “Battle Hymn of the Republic” que é lindo e causa esse efeito.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Fernando Vieira
1 mês atrás

Fernando. Com certeza.Graças a Deus que o mundo está mudando.

Kemen
Kemen
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

O Bolsa também se emocionou.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Kemen

Também acho, mas eu tenho a nítida impressão que o Pablo foi irônico.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

E eu jurei à bandeira do meu país. O ” Auri Verde pendão da minha terra. Onde a brisa do Brasil beija e balança”. Na minha querida Marinha.No seu Corpo de Fuzileiros Navais. Jamais cantarei outro hino ou adotarei outra bandeira.

Enes
Enes
Reply to  Antonio Palhares
1 mês atrás

Selva.

Dalton
Dalton
1 mês atrás

Primeira missão do USS Roosevelt DDG 80 que está substituindo o USS Carney DDG 64 um “Arleigh Burke” mais antigo na Espanha e que em breve retornará para a Florida.
.
O plano é substituir os outros 3 DDGs até 2022, com Arleigh Burkes, mais novos e/ou modernizados e também enviar um esquadrão de helicópteros já que pelo menos 3 dos
DDGs terão hangares para operar helicópteros orgânicos.

Señor batata
Señor batata
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Boa tarde Dalton. Se me permite uma pergunta: o senhor já pensou em escrever e produzir material sobre conteúdo naval militar?
Pergunto isso pois seus comentários quase sempre trazem boas informações e muito pertinentes ao texto. Talvez o senhor pudesse ajudar q difundir mais conteúdo de qualidade.
De todo modo fica meus agradecimentos pelos seus comentários.
Tchau e saudações.

Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Nada mais natural. para compensar a presença de navios russos no Caribe.

MFB
MFB
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A marinha russa é uma piada.

Fernando
Fernando
Reply to  MFB
1 mês atrás

Claro que é estão construindo apenas 8 submarinos nucleares em seus estaleiros e tem mais ordens para assinar em 2020!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  MFB
1 mês atrás

Realmente. Eles deveriam mandar uma comissão aí para aprender como se faz. 😂😲😄🤣😅

Carlos Ravara
Carlos Ravara
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Os EUA comunicaram à Rússia antes de colocar as embarcações no local.
Tem como fazer exercícios com o Bastion-P sem provocar os EUA?

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  Carlos Ravara
1 mês atrás

Tem, só programar disparos sequenciais a umas Centenas de KM de distância, os radares dos DD vão reconhecer só na fase final, como o exercício foi feito a Centenas de Km de distância, vai ficar apenas como um aviso e demonstração de força.

Mas acho que um exercício de kinzhal seria mais efetivo, duas aeronaves carregando cada uma um e lançando em um alvo hipotético a uns 400km de distância dos DD, seria mais impactante e ninguém poderia reclamar.

Carlos Ravara
Carlos Ravara
Reply to  Italo Souza
1 mês atrás

Entendo, fiz essa pergunta porque Murmansk, Franz Josef e Nova Zembla formam um arco contra qualquer agressor.

Marcelo R
1 mês atrás

Todos estamos assistindo ultimamente a um EUA desesperado….procurando uma guerra, nem que seja nuclear… com a economia seriamente colapsada, com grandes problemas sociais surgindo no seu futuro…os EUA agora precisam de uma guerra….quem viver verá… depois disto ….não tenho mais certeza….se viverá mais….

RPiletti
RPiletti
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

Se não diretamente, indiretamente sempre estiveram envolvidos em conflitos militares…

cerberosph
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

Trump esta cada vez mais desesperado por uma guerra para se eleger. Não sera o primeiro presidente americano a fazer isso.

Dalton
Dalton
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Você acredita mesmo que um simples “Grupo de Ação de Superfície”
navegando em águas internacionais próximas de um aliado´significa o prenuncio de uma guerra contra a Rússia ?

cerberosph
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Respondi ao comentário do Marcelo R, não à postagem. Básico da interpretação de texto.

Dalton
Dalton
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Não importa a quem respondeu e sim que ambos acreditam que
uma guerra é iminente.

Fernando Vieira
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Esse pessoal devia estar por aqui quando teve a Crise dos Mísseis em Cuba.

Dalton
Dalton
Reply to  Fernando Vieira
1 mês atrás

Não entendo esse “ódio cego” Fernando…é como se os EUA nunca tivessem feito nada de bom e não devessem ter reagido como por exemplo quando a Coreia do Norte invadiu a Coreia do Sul ou Kennedy deu ordens para furar o bloqueio soviético a Berlim.
.
Felizmente a maioria dos que frequentam o blog não perde
tempo vomitando ódio mesmo assim, muita gente boa se
distanciou do blog por conta de tais comentários.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Exatamente Dalton,

O blog baixou o nível.

Quando se trata de post mais técnico podemos observar que poucos são os comentários que de fato são pertinentes.

No geral há uma enxurrada de baboseiras com viés político , por conta de ausência de conhecimento técnico.

Tudo isso junto com uma agressividade sem razão de ser.

A ausência de mediação no blog , que era comum há até pouco tempo atrás, também contribui para o baixo nível dos comentários postados

Kemen
Kemen
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Dalton, eu acho importante distinguir o Estado em si, de um presidente que tem mandato transitorio e, também distinguir um povo da politica externa praticada por um presidente.
É normal as pessoas misturarem tudo, não dando importancia a estes detalhes.

Dalton
Dalton
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Não se trata disso Kemen, aliás o assunto é a revisitação do Ártico pelos EUA que é uma coisa absolutamente normal devido a maior importância que ele vem ganhando, mas, para alguns, navios americanos por lá é obra do Trump que deseja apenas provocar os russos.
.
Para eles Trump ordenou pessoalmente ao Comando da VI Frota e ao navio da Royal Navy que assim procedessem, assim como também ordenou que o USS Harry Truman fosse para lá em 2018 ou que os submarinos “Connecticut” e “Toledo” fossem para lá em março passado, etc.
.

Fernando Vieira
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Eu também não entendo isso. Eu mesmo da trilogia só venho nesse porque é o mais ponderado. Uma vez tentei no “aéreo” e no “ForTe” mas não dá. Não pela qualidade das matérias, mas pelos comentários. Aqui, exceto por uma ou outra cheerleader de político que aparece por aqui de vez em quando ou admiradores do astrólogo, as pessoas em geral tem um pouco de noção das coisas. Nenhum país é bonzinho e nenhum país é o grande Satan, cada país só procura seus próprios interesses que ora se alinham, ora não com os interesses dos outros e assim nascem… Read more »

nonato
nonato
Reply to  Fernando Vieira
1 mês atrás

Não existe polarização.
Existe que desde 2013, as pessoas de bem resolveram reagir.
E o lado de lá resolveu inflamar a militância em prol de Maduro.
O pessoal que critica os Estados Unidos, geralmente o fazem seguindo uma retórica lançada pelas lideranças marxistas.
Falam mal dos Estados Unidos, e bem da Rússia, China, Coreia do Norte, Cuba, Venezuela.
Isso não é brincadeira.
Estamos em plana guerra fria 2.0.
Quem tenta esconder isso, é porque é do lado de lá.
Geralmente a turma do coronel de Garanhuns.

Fernando Vieira
Reply to  nonato
1 mês atrás

Tanto não existe polarização que seu comentário explicitou a polarização. “a turma do lado de lá”, “as pessoas de bem do lado de cá” É exatamente o que digo que está matando o país.

Há pessoas boas em todos o espectro político válido hoje. A esquerda não é um demônio, nem tampouco a direita o é. Há pessoas ruins em ambos os lados também. E sempre que alguém com mente fechada procura apenas o lado ruim de quem pensa diferente dele.

Inclusive, para evitar exatamente o que não gosto que acontece aqui, humildemente me retiro dessa discussão.

cerberosph
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Mas não contra a Russia ou China, EUA só bate em cachorro morto e ainda pedem ajuda de uma coalizão.

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Mas quais foram os cachorros grandes que ousaram atacar os EUA ultimamente , para que você diga isso ?

nonato
nonato
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Viva maduro e che Guevara!!!
O décadas de doutrinação nas universidades não faz..
Morar nesses países maravilhosos ninguém quer, né…
Até os caviar, querem passar férias nos Estados Unidos.
Falam mal mas vão passear.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Em guerra já estamos faz tempo. Melhor digo, guerras. Até mesmo entre os militares, as vezes temos difficuldades de saber exatamente aonde estamos envolvidos, e em que escala, e até mesmo de que lado. O outro dia por exemplo, um amigo recebeu deployment orders para uma parte da África que nem sequer sabíamos que existia, muito menos da existência de um contingente nosso lá. Acho que somente o império britânico lá no final da sua vida teve tantos efetivos espalhados em tantas partes longínquas.

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Uma guerra talvez no, mas início de uma provocação maior levando a uma guerra, sim.

Parece um teste de paciência.

Kemen
Kemen
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Existe uma tatica desse presidente, reconhecida devido aos 70.000 mortos pelo C-19 (Que Deus os acolha), desviar a atenção pública reativando a guerra fria.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Kemen o que voce diz não tem fundamento, são exercícios aconteceriam com ou sem o coronavirus.
Não tem relação ao vírus.

Não foi uma ordem direta do Trump enviar esses navios para la, inclusive se pesquisar em jornais americanos nem estão dando atenção a isso.

Kemen
Kemen
Reply to  Augusto L
1 mês atrás

Augusto, eu me referi em reativar a guerra fria, o que vem ocorrendo em varios aspectos, e com a China também, não somente no retorno da navegação da Navy no mar de Barents após 40 anos. Desde esse novo mandato no governo norte americano depois do Obama, a guerra fria andou aumentando, ou não? O Putin continua nos seus seguidos mandatos, ele é o mesmo. O presidente da China também.

nonato
nonato
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Sim, Bobama permitiu a China pintar e bordar.
A Russia também. Agora entrou um presidenta sério e não um Bobama…

Hcosta
Hcosta
Reply to  nonato
1 mês atrás

Obama é o culpado de tudo? A Rússia financia estes novos e velhos idiotas populistas europeus tentando adquirir alguma influência, algo que já não conseguia fazer pela ameaça de uma invasão e pelo fracasso da sua economia. Acha que é por acaso as ligações entre a campanha de Trump e a Rússia? Na minha opinião quem defende Trump, e pouco há para defender em termos geo-políticos, não percebe que vai de encontro com os interesses da Rússia de Putin. Quantas vezes Trump criticou a Rússia? Temos dois lados para escolher: a democracia liberal ou o autoritarismo. Não é a diferença… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Ué e recentemente não teve navio russo no Caribe, anuncio de base em Cuba, usina nuclear na America do Sul pela Rosatom, o Putin previu o Covid 19? aí se preparou antes, comentário sem noção

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Reply to  cerberosph
1 mês atrás

Trump se meteu em quantas guerras até agora ? Quantos milhares de soldados americanos perderam a vida por uma aventura do Trump ?
Com qual guerra ele ganhou nas eleições ?

Gus Talking
Gus Talking
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

Não vai ter guerra nenhuma, Rússia e EUA tem mais em comum do que vc pensa. Ainda menos provável seria uma guerra contra a China, não há o menor interesse econômico, as guerras futuras serão somente econômicas, sem mísseis.

ted
ted
Reply to  Gus Talking
1 mês atrás

A maioria das guerras começaram primeiro por motivos econômicos e segundo por políticos.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

Ninguém vai guerrear com ninguém. De uma olhada nos jornais (sites) internacionais de noticias. Não sei porque as torcidas do blog estão em polvorosa. O que vai acontecer é que os Países mais fortes do mundo vão se fechar para fomentar a economia que realmente está combalida. Quem vive de exportar é bom repensar o futuro próximo.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Vão se fechar para vender para quem, cara pálida?
Imagine um agricultor americano, que depende das exportações para a China, comprando carros, celulares e viajando.
Com que renda?
Portanto, impossível.

Carlos Ravara
Carlos Ravara
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

E com que indústria, Antoniokings?
Vá nesse site, clique em MAX e divirta´se.
https://tradingeconomics.com/united-states/industrial-production

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Imagina a fábrica chinesa que produz esses carros e celulares que depende das exportações para o agricultor americano, o advogado alemão, o padeiro francês…
Espera! Eu sei a resposta, “o mercado chinês tem 1.2 mil milhões de consumidores”. Então o mercado chinês é auto sustentável mas os outros não?

Carlos Ravara
Carlos Ravara
Reply to  MestreD'Avis
1 mês atrás

Bingo!!

nonato
nonato
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

Falou: turma do Maduro

Mgtow
Mgtow
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

O negocio é Russia e China não cairem nessas provocações. Matar eles na unha. Jamais se dar um tiro de calibre 12 na cabeça do bandido no tapete de sua casa.
Deixa os EUA se estribuchar

Dalton
Dalton
1 mês atrás

A Noruega é aliada dos EUA, faz parte da OTAN e o Ártico vem assumindo cada vez mais importância tanto que em 2018 o USS Harry Truman foi enviado para lá sendo que o último NAe que esteve por lá foi em 1991.
.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Dalton, não acha que já vão tarde?
Os Russos passaram os últimos 20 anos a explorar activamente o Ártico, incluindo aquela proeza publicitaria de colocar uma bandeira russa no fundo do mar no pólo. Possuem fortes pretensões de fazer valer os seus direitos internacionais pelos recurso, e creio que os outros paises (EUA, Canadá, Noruega e Dinamarca) podem não ter antecipado a jogada.
Será que os Los Angeles e os Virginia continuam a patrulhar com frequência a zona?

Dalton
Dalton
Reply to  MestreD'Avis
1 mês atrás

Mestre…
.
os russos sempre estiveram em peso no Ártico até por uma questão geográfica enquanto os EUA estão representados pelo Alasca que não é tão desenvolvido e só de alguns anos para cá o derretimento do gelo começou a ser significativo com aumento da acessibilidade e rotas de comércio.
.
E sim, submarinos da US Navy costumam participar de exercícios como o
“ICEX”, visitar a Noruega, etc, e mesmo submarinos da Frota do Pacífico o tem feito também como o USS Seawolf anos atrás.
.
abs

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  MestreD'Avis
1 mês atrás

Mestre…..

Americanos e Ingleses nunca deixaram de estar presentes no Mar de Batente, com seus subs.

Quando houve o incidente com o Kursk, um sub inglês estava presente.

Abs.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Luiz Galvão
1 mês atrás

O problema é que sub nuclear não serve para mostrar bandeira. As aparências é que os EUA não ligaram para o seu flanco norte desde o fim da guerra fria por não considerarem ser um perigo. O Alasca servia como uma base de alerta antecipado e pouco mais. A falta de quebra gelos na USN e Coast Guard é um assunto com décadas o que limitava o acesso a diversas zonas do Alasca. A northern slope foi “dada” ás petrolíferas que eram as únicas que operavam à vontade na zona. Com o degelo do Artico, a zona vai ser contestada.… Read more »

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  MestreD'Avis
1 mês atrás

Sim. OTIMO comentário.

Ana.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Luiz Galvão
1 mês atrás

Desculpe o corretor ortográfico. Ao invés de Ana leia-se Abs.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Luiz Galvão
1 mês atrás

Quantos negativos tem a nossa simples troca de ideias…

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

No futuro imagino que missões assim vão ser realizadas pelas fragatas de modo a polpar os Destroyers, quando a US Navy realmente quiser “flexionar os musculos” os Burkes irão de modo a mostrar uma presença mais firme.

Fernando Vieira
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Eu penso em algo assim também. O custo de manter um Burke deve ser considerável. Mesmo sendo ele a espinha dorsal da Marinha dos EUA.

Se a Marinha americana tiver uma alternativa mais leve e mais barata para mostrar bandeira em todo lugar, deixando os Burkes para as coisas mais quentes, eles podem salvar um bom dinheiro.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Parece que o COVID-19 já não assola tão gravemente a US Navy.

Segue o jogo em águas internacionais.

Dalton
Dalton
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Pois é para quem decretou a similaridade com a batalha de Midway onde 4 NAes japoneses foram afundados o USS Nimitz já partiu para treinamento avançado e o USS Ronald Reagan está passando por testes de mar após
4 meses em manutenção para daqui duas semanas sair em patrulha, tudo dentro do combinado.
.
Evidente que não está fácil para ninguém e cortes virão para todos !
.
Pensei em parar de comentar e apenas ler como tantos fazem, mas, o blog além de informativo está ficando divertido também 🙂

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Apenas um detalhe, o Mar de Barents banha a Noruega, então não há nada demais nisso. Caso a frota Americana se aproxime e fique a menos de 12 milhas da Costa da Russia aí sim viraria uma situação de violação internacional e de provocação explicita.

Bispo
Bispo
1 mês atrás

Imaginando a que distância daquela região seriam afundados em caso de conflito.
Aposto que a uns 300km…

eremildo
eremildo
1 mês atrás

No Mar de Barents, no Mar do Sul e no Golfo! Quem pode desafiar a US Navy?? Bom ser aliados deles !

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  eremildo
1 mês atrás

Os curdos não concordam totalmente com você.

Felipe
Felipe
Reply to  eremildo
1 mês atrás

Os P-800 Onix (Yakhonts)

Italo Souza
Italo Souza
1 mês atrás

Esse exercício no tem nada haver com manter a defesa or testar prontidão, é apenas provocações e mapeando de defesas na região.

Isso é perigoso e irresponsável, tanto que a mais interessada na defesa da região que é a Noruega, acha desnecessário, afinal ela tem aproximações grandes com a Rússia que não considera uma ameaça.

A Otan parece querer reabrir os anos mais disputados da guerra fria, mesmo que isso custe a defesa de alguns de seus membros.

Mgtow
Mgtow
1 mês atrás

….“afirmar a liberdade de navegação”….são os mesmos canalhas que bloqueiam e pirateiam navios com destino a Venezuela.
Deixe esses comedores de hamburguer ficar provocando a Russia pra ver o inferno que vai ser os mares do Caribe com enxames de submarinos russos vasculhando o quintal deles

Rafael M. F.
Rafael M. F.
1 mês atrás

Curiosidade inútil: Novaya Zemlya é a ilha onde foi detonada a Tsar Bomba em 1961.