Home Geopolítica A China não quer conquistar, apenas fazer negócios

A China não quer conquistar, apenas fazer negócios

7800
202
Navios da Marinha Chinesa em exercício

Os alertas de Pompeo sobre um ‘império marítimo’ não acertam o alvo

Por Robert D. Kaplan

O secretário de Estado Mike Pompeo disse no dia 23 de julho que o objetivo do Exército de Libertação Popular da China não é proteger sua pátria, mas “expandir um império chinês”. No início do mês passado, ele alertou a China para não tratar o Mar da China Meridional “como seu império marítimo”.

Pompeo está realmente muito atrasado. A China, de uma forma ou de outra, é um império há milhares de anos. E sua atual encarnação imperial não é especificamente por causa de suas ações no Mar do Sul da China.

A competição entre as grandes potências sempre foi uma atividade imperial. Não é preciso ficar obcecado, como Pompeo parece estar fazendo, sobre a China ser um império. A verdadeira questão é: que tipo de império é a China?

É um império terrestre ou marítimo? É um império missionário como os EUA, que busca impor seus valores universais, ou outra coisa? Todas essas categorias pressagiam resultados diferentes na luta das grandes potências com a China. E as distinções são tão relevantes hoje quanto eram há séculos e milênios.

Impérios terrestres, como os dos mongóis e os da Rússia sob os czares, tendem a ser inseguros e agressivos, enfatizando o “hard power”. Isso porque as fronteiras terrestres são facilmente violadas, de modo que o poder imperial se sente perenemente inseguro. Impérios marítimos como os de Veneza, Grã-Bretanha e Estados Unidos desde que invadiram as Filipinas em 1898, em geral, tendem a enfatizar o comércio e, portanto, têm sido mais benignos, uma vez que os mares e oceanos oferecem melhor proteção natural, mesmo que os portos sejam abertos a influências cosmopolitas.

A China do século XXI apresenta um desafio único principalmente porque é um império terrestre e marítimo, devido a uma costa de 9.000 milhas ao longo de uma das rotas marítimas mais importantes do mundo e uma posição continental na Eurásia que faz fronteira com adversários históricos como a Índia e a Rússia.

A Iniciativa Belt and Road da China é melhor entendida como um projeto imperial. Por terra, estradas, ferrovias e oleodutos, a China se conectará através da Ásia Central pós-soviética ao Irã, onde ramais se estenderão à Europa e ao Oriente Médio.

Investimentos planejados nos países participantes da iniciativa One Belt, One Road da China

Investimentos planejados nos países participantes da iniciativa One Belt, One Road da ChinaPor via marítima, a China vem construindo e ajudando a financiar portos de última geração com aplicações comerciais e militares do Mar da China Meridional através do Oceano Índico e do Mar Vermelho até o Mediterrâneo oriental. Salientar que vários desses portos e projetos relacionados fazem pouco sentido econômico é ignorar seu significado geopolítico — e, portanto, imperial e mercantil. Onde os navios porta-contêineres forem, os navios de guerra os seguem.

Dada essa dupla natureza, a China será agressiva e cosmopolita. Assim, reprime povos subjugados, como os muçulmanos uigures, que ficam no caminho do Belt and Road em terra, enquanto envia aparelhos de consumo para a África e além com sua frota mercante e comercializa produtos vitais para a economia mundial, como a rede 5G da Huawei Technology Co.

Considerando que os EUA têm sido historicamente uma potência missionária em todo o mundo, fazendo proselitismo dos ideais de democracia e direitos humanos, a China não tem tais impulsos. Funcionará com regimes independentemente de seus valores, autoritários ou não — com o presidente russo Vladimir Putin ou a chanceler alemã, Angela Merkel, não importa. Assim, enquanto a China busca derrubar a hierarquia de poderes existente ao ultrapassar os EUA, por outro lado é um status quo imperium. Ao contrário dos EUA, que sempre buscou mudar as estruturas internas e os sistemas de valores dos países que classifica como autoritários, a China não busca mudanças nos arranjos domésticos de estados individuais.

A China se envolveu em projetos de desenvolvimento de portos com os repressores Mianmar e Paquistão, mas também com a Grécia e a Itália democráticas. A aliança da China com a Rússia pode ter mais a ver com a geopolítica do gás natural do que com o fato de que ambos os países são agora ditaduras.

A recém-revelada parceria estratégica e econômica de 25 anos entre a China e o Irã, potencialmente valendo centenas de bilhões de dólares, foi vista como uma aliança entre duas potências autoritárias. Mas o principal interesse da China é a localização vantajosa do Irã entre o Oriente Médio e a Ásia Central, sua abundância de petróleo e gás natural e sua população instruída de 83 milhões de consumidores em potencial. Se o Irã tivesse uma contra-revolução e se tornasse mais liberal, a China estaria igualmente interessada nessa relação estratégica.

CSCL Venus, imagem via Daniel Eckhart
A China ultrapassou os EUA em 2018 como principal nação marítima do mundo

A China é imoral internamente, mas amoral externamente. Repressão aos uigures e tibetanos, a repressão em Hong Kong, potencial agressão contra Taiwan — tudo isso está embutido na geografia imperial chinesa de povos não-han em torno do núcleo étnico han da China. Mas além das fronteiras reais e imaginárias da China, ela busca harmonia em vez de conflitos de valores. Isso não é tão egoísta quanto parece. Os chineses sabem que seu sistema de tributos imperiais entre meados do século 14 e meados do século 19 no Leste Asiático provou que a hegemonia pode ser mais estável e menos sangrenta do que o sistema de equilíbrio de poder da Europa.

Esse sistema de tributos “continha compromissos confiáveis ​​da China de não explorar estados secundários que aceitassem sua autoridade”, explica o cientista político da Universidade do Sul da Califórnia, David C. Kang. A China liderava, mas os estados secundários desfrutavam de “latitude substancial” em seus assuntos.

O povo chinês está bastante confortável com sua história e tradições imperiais, ao contrário do povo do Ocidente que hoje tanto nega quanto pede desculpas por eles. A China tem tudo a ver com status. Respeite a China e muito pode ser feito em termos de cooperação internacional.

Enquanto os americanos se preparam para a chamada Guerra Fria com a China, é importante não exagerar as intenções de Pequim. A China é implacável, mas não busca a conquista no sentido tradicional, além de seus próprios territórios e mares adjacentes. Procurará dominar e influenciar as economias estrangeiras, mas não as sociedades estrangeiras e a forma como se governam. A China não é uma potência revolucionária, apesar de seu apelido comunista.

No entanto, como a China se comporta em termos imperiais e mercantis, suas relações carecem da transparência e das normas jurídicas das democracias representativas. É por isso que o Belt and Road está evoluindo para um sistema sutilmente coercitivo de negociações opacas com o qual os muitos países ao longo de seu caminho, devido aos seus altos níveis de corrupção, acham bastante compatível.

A resposta a esse desafio não é meramente emular a China com a própria realpolitik sem sangue da América, como Pompeo e o presidente Donald Trump parecem querer, mas retornar ao realismo esclarecido da Guerra Fria e das décadas pós-Guerra Fria, nas quais os direitos humanos tiveram seu lugar entre outros interesses nacionais.

Lembre-se de que os americanos perderam seu zelo missionário em parte por causa das falhas em tentar impor a democracia ao Iraque e ao Afeganistão e, conseqüentemente, têm vivido com a reação. O pêndulo da política externa dos EUA oscilou de um extremo ao outro. Competir com os chineses em termos imperiais significa recuperar um idealismo temperado que permite ao mundo distinguir entre um Ocidente esclarecido e os senhores de Pequim.

Mais importante ainda, uma vez que a China tem uma visão para seu sistema imperial — Belt and Road — os EUA exigem sua própria visão de ordem internacional. Isso ocorre de maneira mais eficaz por meio de alianças econômicas, militares e de tendência democrática entre as nações. Um excelente exemplo é a Parceria Transpacífico (TPP), que Trump rasgou ao chegar à presidência em 2017. Competir com a China e nos diferenciar dos valores da China exige ressuscitar o TPP e construir sobre ele. Isso é algo que Joe Biden deve fazer se for eleito presidente.

A China tem seus limites. As ações de Pequim na ex-colônia britânica de Hong Kong foram provavelmente um fator para o Reino Unido fechar seu mercado para a rede 5G da Huawei. Com o passar do tempo, é provável que os europeus fiquem cada vez mais desiludidos com o histórico de direitos humanos da China. O soft power pode ser superestimado, mas é importante. Lição: o novo império da China é irresistível apenas se os EUA não oferecerem uma alternativa.

FONTE: Bloomberg

Subscribe
Notify of
guest
202 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Nem oito e nem oitenta, hoje o poder é mais econômico que físico e essa guerra entre EUA e China é acima de tudo comercial, mas não podemos esquecer também que a China além das disputas comerciais ainda tem disputas fronteiriças com vários países, tem principalmente no Mar da China, e ainda tem o caso de Taiwan, mas tirando isso não vemos interesse da China de dominar outros países e transformá-los em colônias chinesas. O que eles querem no resto do mundo é dominar econômica e politicamente e não militarmente.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Eles não pensam isso ainda, pois primeiro precisam dominar seu quintal para poder ir para o quintal dos outros (me refiro a locais mais longe e não na ásia). A partir do momento que eles dominarem a Ásia e África, vai sobrar para a América do Sul. O pais pode ter a piores das intenções do mundo, mas quando coloca dinheiro no meio, as pessoas dão umas de cegos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Espero que sobre para a América Latina.
Afinal, a China hoje é a locomotiva do Mundo e está com muito dinheiro para investir.

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Mas tonho, se w china nos dominar, não tem jeito, tu vai ter que trabalhar.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Jagderband#44
1 mês atrás

Vc não entendeu nem o título da matéria.
Leia de novo.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jagderband#44
1 mês atrás

em vez de fica comentando besteira ele vai ter que ficar fazendo baterias das 7 da manhã até as 7 da noite kkkkkkk

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

E dormir de baixo da bancada kkk

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

É o que dezenas de milhões de americanos e brasileiros querem, né?

Sagaz
Sagaz
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Se os patrões não compram o chinês que vai a falência. A China não existe para os chineses, existem para trabalhar para o mundo, e cobrando barato!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

não sei, é?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Na verdade, tenho minhas dúvidas.
Quando foi implementado o auxílio do Governo americano de US$ 600, muitos economistas falaram que milhões de trabalhadores estavam recebendo mais que o salário de quando trabalhavam.
Idem no Brasil.
Milhões de de pessoas que já estavam desempregadas e outros muitos milhões subempregadas passaram a ganhar uma ‘graninha’.
Agora, por que será que praticamente só esses dois países estão tendo tanto problema com isso?

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Os suíços também fazem baterias de 7 da manhã até as 7 da noite , só falta você me dizer que eles são escravos também. Livre mercado quando me convêm né Carlitos?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Sim, mas eles moram em um país bem melhor, condições de trabalho melhor, passam as férias na Itália ou na França, ou bem longe, ou o poder de compra da China já é o mesmo que do Suíça, alias, onde fica essa fábrica de baterias na Suíça, nem sabia que tinha uma lá, aliás Suíça é linda de mais.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Jagderband#44
1 mês atrás

Só vai dominar se a gente ficar pagando mordomia para milico, ao invés de bombas nucleares, mísseis, satélites, caças avançados, submarinos nucleares, etc. Que pensamento de vira lata esse do brasileiro, ameaça se responde com ameaça, não com chororo.

Se amanha aparecer um empregado novinho na tua empresa, com todo o gás, vendendo mais que todo mundo, batendo todas as metas, arrancando aplausos do chefe, você vai ficar de mimimi ou vai tentar vender mais que ele?

Cinturão de Orion
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

“… a China hoje … está com muito dinheiro para investir.” NÃO. Está investindo muito dinheiro para DOMINAR.

JORENE
JORENE
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

“A China não quer conquistar….” Discordo do autor. Aparentemente os chineses “amiguinhos” só querem fazer bons negócios, mas desconfio que os uigures, tibetanos, taiwaneses, vietnamitas, cristãos, falum gongs, indianos, filipinos, japoneses, opositores politicos, hong kong, não concordem com as disgressões do autor. Só para lembrar que a China comunista entrou em guerra com os japoneses, os nacionalistas, os americanos e Onu na Coréia, com o Tibete, com a Índia, com o Vietnam. Agora ameaça até o Butão (!!!). Não são tão pacificos assim. Sua politica é investir na Ásia, África e América com obras que endividem governos fracos e povos… Read more »

Teropode
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

A China é o resultado da ganância ocidental por lucro fácil , os países que investiram na China contavam que eles seriam ludibriados como os outros povos párias , dançaram e levaram uma invertida , agora dependem tanto da mão de obra chinesa que sair desta situação pacificamente será impossível .

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Numa relação desgastada entre Brasil e China, Pequim é quem sairia mais prejudicada. A constatação é de Dingding Chen, professor de relações internacionais da Jinan University, em Guangzhou, e diretor do Intellisia Institute, um dos maiores think tanks chineses dedicado à política externa do país. Em entrevista exclusiva à coluna, o acadêmico deixou claro que o ambiente de tensão política que existe entre a China e alguns de seus parceiros comerciais é uma nova realidade que o país asiático terá de enfrentar…. – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2020/08/10/relacao-brasil-china.htm?cmpid=copiaecola

Teropode
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Vc fez um esforço enorme , rolou , girou , saltou , tudo com o intuitivo de dizer que a China se interessa apenas por negócios , quer dominar econômica e politicamente e não militarmente ? Qual é a diferença prática disto se o resultado pretendido é o mesmo , subjugar os seus “parceiros” transformando estes em um grande latifúndio hortifrutigranjeiros e receptores de seus excedentes populacionais 😂😂😂😂😂😂

Camargoer
Camargoer
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Caro Terapode. O autor defende que os EUA estão exercendo uma política externa equivocada com a China ao tentar compreender as ações chinesas usando os mesmos valores adotados pelos EUA para pautarem a sua política externa. A tentativa do Departamento de Estado de impor uma narrativa de “guerra fria” está fadada ao fracasso porque a política externa chinesa está baseada em uma história milenar divergente da visão hegemônica.

Teropode
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Deveriam abrir as pernas ou propor dividir as regiões entre eles ? História milenar divergente da visão hegemônica …..perai dá um tempo nem vc acredita nisto , a história chinesa sempre foi pautada pelo expansionismo colonial , até a presente data não tentei zombar da sua inteligência , portanto não zombe da minha.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Caro Terapode. O autor do texto argumenta que o poder do Império Chinês ao longo de séculos se fez por meio da cobrança de impostos, dando autonomia administrativa aos territórios sob sua influência, ao contrário de outros impérios que exerciam seu poder pela imposição de seus valores morais. Caso você discorde do autor, exponha seus argumentos, coloque exemplos e aponte os erros do autor.

Abner
Abner
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

você está certíssimo, temos grandes exemplos de autonomia administrativa dada pela grandiosa China…Hong Kong,Tibet.
Comparar a China de séculos atrás com a atual do PCC chega a ser ridículo.

Teropode
Reply to  Abner
1 mês atrás

A intenção é está , ridicularizar e afastar os bons debatedores .

Abner
Abner
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Tem razão Teropode,acho que o twitter tornou se a principal evidencia dessa nova “estratégia”.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Abner
1 mês atrás

Caro Abner. Por alguma razão que desconheço, você concorda comigo mas pelo argumento usado pelo autor. Seria mais adequado dizer que “Concorda com o autor” (ao invés de dizer que concorda comigo).

Abner
Abner
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

tem razão camagoer,minhas desculpas.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Abner
1 mês atrás

Olá Abner. Sem problema. Um grande abraço.

Teropode
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Ainda não me aposentei , talvez depois quando sobrar tempo .

Camargoer
Camargoer
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Olá Teropode. O que estar aposentado, empregado ou desempregado tem a ver com o debate?

Marcelo Danton
Marcelo Danton
Reply to  Teropode
1 mês atrás

BINGO!
Praticou O famoso “embrometion”!!

Com meias verdades, ludibria os cultos, fazendo-os baixar a guarda, abrindo seus “ouvidos emocionAIS”
Feito isso…vem com a tese rasteira, rasa mesmo, tipico de alguém que foi pago pelos chinas.
Tempos sinistros virão e só melhorarão/mitigar com a implantação efetiva e rápida do conceito “industria 4.0”, além de os EUA apoiarem fortemente e sem suas rançosas dissimulações marotas, a América Latina.
O resto é chover no molhado…verdadeiras masturbações filosóficas pega trouxa.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcelo Danton
1 mês atrás

Olá Marcelo. Quando li “ouvidos emocionAIS”, pareceu-me que as maiúsculas no fim da frase era “AI5”. Talvez tivesse dado algum sentido ao sei texto.

Teropode
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Qual o problema como AL5 ? A China vive uma versão dele a 71 anos e mesmo assim é admirada por muitos ocidentais 😂😂😂😂😂, vcs são muito seletivos na hora de indignar-se , 😂😂😂😂😂😂😂

Camargoer
Camargoer
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Olá Terapode. Há anos defendo o regime democrático, definido pelo Estado de Direito constituído sobre a soberania popular e com a garantia dos Direitos Humanos, como único modo de reduzir as desigualdades sociais e preservar o único direito individual inalienável, que é o direito á vida. Desprezo qualquer outro regime assim como desprezo ditadores e psicopatas com índole autoritária. Os mais antigos na trilogia e os mais atentos já leram isso diversas vezes, mas acho importante reafirmar estes princípios. Fico igualmente indignado a cada violação dos direitos humanos por regimes á extrema-esquerda ou extrema-direita.

Teropode
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Assim eu choro !!!! 🤣🤣🤣🤣🤣🤣

Camargoer
Camargoer
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Olá Terapode. Certo. Aguardarei passar o seu momento de emoção para continuarmos o debate.

Teropode
Reply to  Marcelo Danton
1 mês atrás

Traduza por favor !

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Imperialismo é imperialismo, não importa se de direita de esquerda, a China não é diferente só por ser comandada por um Partido Comunista, está fazendo o que todo império faz neste planeta desde a antiguidade: se expandindo, seja fisicamente, politicamente ou economicamente. O problema das expansões dos impérios é que geralmente ele vai se chocar com outro império, quem for mais forte vence, e assim, caminha a humanidade!!!

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

O artigo é interessante. Mas, considerando-se a quantidade de inimigos que a China tem, ou faz, em suas fronteiras, e considerando-se que ela está comprando brigado com metade da Asia por reinvidicar todo o Mar da China, ao meemo tempo em que faz comércio com esses mesmos inimigos, eu me pergunto o quê, exatamente, esses chineses tem na cabeça.
A história já mostrou que o chinês não é um povo burro….

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Vc já percebeu quantos inimigos os EUA têm e, pior (para eles) como esse número está aumentando nos últimos anos?
Não é a toa que Putin está novamente apoiando a eleição de Trump.
Jinping também.
O sujeito é um desastre.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Existe uma pequena diferença aí:
Os EUA estão a milhares de km’s de seus inimigos. Nem o Canadá e nem o México são seus inimigos declarados, ou podem lhe invadir de uma hora pra outra. Os EUA tambem não possuem nenhuma pendencia fronteiriça com ambos os seus vizinhos.
Nem o México e nem o Canadá são potências nucleares, e tem ogivas prontas pra acertar qualquer lugar do território norte-americano em minutos.
Nenhuma dessas coisas pode ser dita da China.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

.

Last edited 1 mês atrás by Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

O problema é que os “aliados” que possuímos aqui nos States são todos de aluguel. Como aquele cara cheio da grana que acha que a mulherada briga por ele por que ele é um gatão.
Agora que a grana começa a ficar mais apertada, os “aliados” passam a ficar mais tímidos na relação, e a dar bola para outros caras.
Ultimamente, até mesmo Israel anda paquerando com a China, algo antes impensável.
Aqui está um bom artigo a respeito que li no Foreign Policy… Para quem precisa, aí está o Google Translate.

Abs

https://foreignpolicy.com/2020/06/16/us-israel-china-deals/

C3AEE8DC-F433-4895-B469-D893A2E22640.jpeg
Last edited 1 mês atrás by Joao Moita Jr
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Valeu!
SDS

Teropode
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Com a China não é diferente , com a Rússia também não , ou será que os aliados da China se encantaram pelos olhos puxadinhos ? Kkkkkk, vc escreve besteira demais , desde que o homem desceu da árvore suas alianças são por interesse , foi assim com o Egito antigo , com os Otomanos .

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Pois é, olha o argumento do João. “ah, as relações dos americanos são de aluguel”. E com a China seria de que? Com os americanos ainda há vários aspectos relevantes, além do aspecto “financeiro”. Por exemplo, o sistema democrático. Países democráticos se sentem muito mais a vontade ao se aliar a outros países democráticos. Aliás, claramente o sistema democrático funcional garante maior segurança jurídica para um ambiente de negócios. Outro exemplo, a cultura americana influencia a cultura ocidental e de vários países orientais há mais de 50 anos. Costumes, cinema, música, esportes etc. Outro exemplo: A China possivelmente assumirá a… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Esse ‘poderio militar’ americano era muito maior, proporcionalmente, na época das Guerras da Coreia e do Vietnã e os EUA foram derrotados.
É apenas um sonho enlouquecido os EUA quererem enfrentar a China.

Teropode
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Eu gostaria muito de te explicar esta do conflito mas acho que vou perder é tempo , deixa quieto ,vc não vai entender .

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Eu também gostaria de explicar a extrema gravidade da situação econômica dos EUA e os cenários possíveis que vão se abater sobre a sociedade americana.

Teropode
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Empatamu então.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

concordo com a influencia cultural, mas esportes nao…eu ainda nao corro para a TV para assisitir Futebol Americano, Beisebol, Polo Aquatico, NASCAR e nem NBA. Assisto futebol (de verdade), volei e F-1. Acho que em esportes nossa infuencia eh bem mais europeia.

Teropode
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

É mais uma vítima da indignação seletiva .

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Quero ver se os EUA ainda vão ficar pagando a conta militar de Israel se este se engraçar mais com a China.

paulo araujo
paulo araujo
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Acho que Israel é, sempre, aliado de si mesmo.
Aliás, como devem ser todos os países.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  paulo araujo
1 mês atrás

Assim deveria ser o Brasil.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

De fato, atende aos interesses Chineses a permanência de Thrump e sua politica isolacionista, contrário a blocos comerciais e exigindo mais investimentos nos EUA que nos parceiros comêrciais. A China como a Russia, cresce usando as falhas, ocupando os espaços vazios, fazendo parceiros comêrciais, fazendo aliados enquanto os EUA querem subalternos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

É exatamente isso.
Perfeito!

Teropode
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Vc força a barra colocando a Rússia neste debate , aqui falamos de players de primeira grandeza e só para pontuar ; Filipinas , Vietnam , Nepal, Tibet e Índia não concordam com este argumente frágil e demagogo .

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Forçar a barra é que querer insistir que Filipinas, Vietnã, Índia e etc. vão entrar em guerra com a China.
Não há essa possibilidade.
Vc sabe o que significa o ‘I’ de Brics?
Vc sabe quando o Vietnã será aliado dos EUA? NUNCA!.
Vc sabe de quanto foi o incremento das relações comercias entre a China e as Filipinas, Tailândia, Indonésia e outros países do Oriente?
Pesquise.
Vc estão sonhando com algo que nunca acontecerá.

Abner
Abner
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

como sempre espalhando noticias falsas né kings…
https://www.foxnews.com/media/kyle-griffin-russia-trump-biden-china-iran
China e Irã são pró Biden…
Só o fato de você ser um ferrenho critico do Trump e ao mesmo tempo um bajulador,para nao dizer outra coisa,da China,já é possivel saber que Trump está no caminho certo.A reeleição do trump será um desastre para a China.
Em relação aos inimigos dos EUA….Estamos falando de quem?Irã?Coréia do Norte?Palestina?kkkkk

Matheus S
Matheus S
Reply to  Abner
1 mês atrás

Eu concordo com o Antonio, a China realmente quer Trump ao invés de Biden. Os chineses acreditam que Trump minou a confiança que os aliados tinham nos americanos e isso não deixa de ter razão. O aparente isolacionismo de Trump com seu slogan “America First” colocou a China em evidência ao mesmo tempo em que os EUA se isolam. As ações de Trump falam por si só. A retirada dos EUA no Acordo TPP. Por mais que eu deteste Obama, essa foi uma herança positiva do governo dele, isolando os chineses economicamente com a parceria de vários países desse acordo.… Read more »

Abner
Abner
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Matheus S, quais seriam esses países que tiveram a confiança nos estados unidos abalada ?De verdade, eu tenho essa dúvida. Não vejo evidencias de aliados afastando se dos EUA.. Reino Unido recentemente expulsou a Huawei da competição pelo 5G.Japão e Austrália demonstraram apoio em relação as acusações a OMS. Quando a China começou a intimidar a vizinhança no mar do sul da China, Trump respondeu prontamente, dando o recado que não teria medo de entrar em conflito. Até mesmo em relação a Coreia do Norte, apesar das complicações, chegou a mandar defesa antiaérea de longo alcance(se não me falha a… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Abner
1 mês atrás

Eu tenho um grande problema quando se trata do uso da linguagem. Eu disse “confiança” e não afastamento.

Você pode discordar, mas o fato é que o soft-power dos EUA diminuiu tremendamente com a presidência de Trump, e acredite, eu sou um dos maiores apoiadores dele, no dia da eleição dele em 2016, eu virei a madrugada acompanhando a eleição dele.

Portanto, mesmo que eu apoie muitas das políticas de Trump, a presidência dele certamente abalou o soft-power dos EUA globalmente.

Abner
Abner
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Complementando o meu comentário.
O pais que esta mais sofrendo com novas taxas é a China. Países como o Brasil e a Coréia foram excluídos das taxações sobre o aço e o alumínio por exemplo.
Em relação ao acordo do Irã, existiam evidencias que o ira não estava cumprindo o acordo…
Acredito que a visão a qual Trump quer vender é que o EUA não fará mais o papel de bobo. A retirada dos americanos da OMS e das tropas da Alemanha são os maiores exemplos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Matheus S.
Nem é preciso lembrar que o sujeito ‘pirateou’ equipamentos médicos que iam para outros países nessa epidemia, atropelando a tudo e a todos.
E deixou claro que compraria todas a vacinas possíveis, dando um ‘dane-se’ para o resto do Mundo.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A China quer Biden em vez de Trump, a Rússia quer Trump em vez de Biden.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Por que a China torce para que Trump vença.
O presidente diminuiu o poder da América e sua posição no mundo.
https://www.marketwatch.com/story/why-china-is-rooting-for-trump-to-win-11596656684

Falken666
Falken666
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Kings, vc sabe a diferença entre materia de opinião e factual certo? Porque qualquer texto que se alinhe com o que você delirantemente defende, é agarrado como uma bóia salvavidas. Acho que nem é confusão, parece desonestidade intelectual mesmo. De toda forma, como somos democracia, é seu direito delirar, na china, se fosse algo contra o governo, já estaria encrencado, talvez em algum campo de reeducação do partidão. Pare de passar vergonha.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Falken666
1 mês atrás

Estou utilizando um site de negócios americano que tem todo o interesse em ver a prosperidade americana.
Não me baseio em fake news e nem em blog suspeitos.
Ok?

Camargoer
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

A Rússia quer Putim e a China Junping.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

É uma discussão sem substância: os conceitos sobre interesses nacionais não são decisivos. As nações estão submissas ao sistema capitalista que reorganizou as cadeias mundiais de produção e encara um colapso catastrófico que coincide com o fim do mundo. O dinheiro que irrigava o Brasil das commodities e sustentava as políticas redistributivas das esquerdas acabou; a direita, na lona e cordas, não vê como governar sem praticar depredações e pilhagens ou vender tudo da massa falida ao poder hegemônico no umbral. Como brasileiro, me importa saber como nosso país pode evitar o desastre de uma recolonização que deixa ao governo… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Caro Alex. Creio que você parte de um pressuposto falso de que o sistema capitalista “é o fim da história”. Primeiro porque capitalismo não é sinônimo de democracia, muito menos que a democracia liberal seja o melhor modelo democrático. A visão mais ampla de democracia é aquela na qual a soberania popular e os direitos humanos são garantidos por um Estado de Direito. Existem vários exemplos de regimes não-democráticos organizados em torno do sistema capitalista. Aliás, alguns economista criticam a democracia por dificultar a implantação de um sistema capitalista eficiente até porque a democracia é um regime político estruturado para… Read more »

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O capitalismo tá cheio de amores pela eficiência chinesa. Deixado a si mesmo, o capitalismo é autodestrutivo apesar de toda racionalidade de que se gaba. A democracia é a maior invenção do ocidente, por mais corrompida pelo cálculo de valor que esteja, e é o âmbito formal da existência de direitos essenciais, por mais cinicamente que flerte com os poderes que desprezam a vida humana e o indivíduo. Mas democracia demanda liberdade, igualdade e fraternidade que se façam espelhar no mundo material: ela não é dada mas conquistada. Mas tô chovendo no molhado e os cínicos iluminados, que se fecharam… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Olá Alex. Concordo bastante com você sobre a importância da democracia na história humana. Acredito que a vida é o único direito inalienável do ser humano e que somente o Estado Democrático de Direito é capaz de garantir esse direito. A liberdade é a consequência do direito inalienável á vida por meio do respeito aos direitos humanos e á soberania popular. A democracia requer o debate, o confronto de ideia e o respeito ás regras. O capitalismo nada tem a ver com a discussão sobre democracia.

Teropode
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Muda pouco na política externa , os EUA possuem política de estado , não é como aqui , toda vez que troca de ideologia se apressam para destruir oque foi feito anteriormente , por isso rodamos atrás do rabo .

Andre
Andre
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

você já percebeu quantos e quem são os aliados dos EUA?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Andre
1 mês atrás

Percebo antes, quantos aliados que eles vêm perdendo.
E olha que eles começaram em uma posição privilegiada de mais de um século.
Afinal, quase todos eram aliados deles, tirando a URSS e os países do Pacto de Varsóvia.
E o que temos hoje?
A China vem avançando e avançando a ponto de ter mais parceiros comercias que os EUA., atualmente.

737-800RJ
737-800RJ
1 mês atrás

Fazer negócios com organizações privadas chinesas É fazer negócio com o Partido Comunista Chinês e financiar, mesmo sem que se queira, as Forças Armadas daquele país e fomentar seu expansionismo. O conceito de propriedade privada que temos não é o mesmo que existe na China! Ela só é usada como subterfúgio para arrecadação de gigantescas importâncias para tocar os projetos de sua ditadura e seus sonhos imperialistas globais. Não existe santo em geopolítica, mas não consigo aturar esses ares de inocência que tentam passar sobre os atos chineses!

MMerlin
MMerlin
Reply to  737-800RJ
1 mês atrás

Seu comentário está correto. O conceito de “propriedade privada” chines é muito diferente do brasileiro. Ao abrir uma empresa, você percebe que esta só irá passar pelo trâmite burocrático daquele país se a mesma garantir que está apta e condizente com as solicitações do PCC, principalmente no que tange privacidade e objetivos da empresa. Se a matriz fica em outro país, no caso, o nosso, o negócio muda de patamar e as exigências aumentam. Algumas chegam a ser absurdas. Mas o que realmente é difícil de entender é que, só porque leram algum livro sobre o país como “Sobre a… Read more »

Last edited 1 mês atrás by MMerlin
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  737-800RJ
1 mês atrás

E eu ligo? O que a China faz com o dinheiro do que compramos de la não é da minha conta, pago os militares daqui para nos protegerem com efetividade, se torram com bobagens o problema esta aqui, não no expansionismo chinês.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  737-800RJ
1 mês atrás

A XPCC (Xinjiang Production and Construction Corps) é uma milícia organizada como empresa que administra campos de reeducação para Uygures e se constitui em estado paralelo afinado com a agenda do partido comunista. Será que os milicianos do Rio, tão ativos no ramo imobiliário, não gostariam de imitar o modelo chinês? Ou nós exportamos o modelo de estado paralelo miliciano/traficante pra China? Tantas dúvidas…

MMerlin
MMerlin
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Comparar milicianos ou traficantes com o que ocorre na província Xinjiang é totalmente sem fundamento.
O primeiro tem como objetivo basicamente aumento de riqueza e o segundo tem como foco a supressão étnica e religiosa, que é muito mais perigoso.
A própria histórica já mostrou do que somos capazes para alcançar este último objetivo.

gordo
gordo
1 mês atrás

o novo império da China é irresistível apenas se os EUA não oferecerem uma alternativa.”
Quero saber se vamos instigar essa alternativa ou vamos fechar o TikTok também e ficar satisfeitos com equipamento doado de estoque para prestar serviços na vizinhança.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  gordo
1 mês atrás

Os EUA não têm nada a oferecer ao Brasil.
Pelo contrário. Tem a tirar.
Como exemplo, devemos lembrar que por mais de uma vez atropelaram nosso comércio exterior vendendo aos chineses produtos de nossa pauta de exportações.
Depois vêm com o papo de expansionismo chinês.
Mas, na calada da noite, Trump liga para Jinping pedindo que a China compre mais soja americana para fortalecer os agricultores do País, sua base de apoio.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Verdade, os EUA são os nossos maiores competidores no mercado Chinês. No fundo e tudo jogo de cena para forçar a China a comprar mais deles e menos dos outros e se possivel retirando a concorrência em areas estratégicas co a técnologia.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Provavelmente. A diferença aí é que China não compra apenas matéria prima dos EUA. Compra também muito tecnologia e serviços. Isso sem contar as empresas americanas que produzem em solo chines equipamentos eletrônicos e outros produtos.
E nós? Vendemos, de forma significativa, apenas matéria prima. Por que? Porque não temos produtos competitivos no mercado internacional, uma vez que a manufatura, que incluiu todos os segmentos envolvidos, encarece por demais o valor final dos produtos.

Last edited 1 mês atrás by MMerlin
Mensageiros
Mensageiros
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

O que os EUA tinham de oferecer ao Brasil já temos, a Democracia. Falta absorvermos o liberalismo como pilar da economia e competir mais com os EUA na agricultura que somos fortes em vez de arregar e deixar tudo pra eles.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Mensageiros
1 mês atrás

Sim.
Agora falta oferecer um sistema que dê dignidade ao povo com casa, educação, alimentação, saúde, distribuição e dignidade.
Só democracia não enche barriga.
Aliás, é isso que os próprios EUA estão sentindo na pele.
Uma ‘´duocracia’ que já não atende aos interesses da própria população e cuja sociedade está se esgarçando.

Falken666
Falken666
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Bem se vê que você não sabe nada da China, lá é muito pior que os EUA, e ainda sem democracia. Já fui para lá 3 vezes, e não na rota turística, o interiorzao mesmo, que não aparece na mídia, que lembra a Coreia do Norte. O dia que 30% da população chinesa tiver a qualidade de vida da classe média estadunidense, talvez a coisa possa ser discutida de forma comparativa. Você só repete texto de mídias simpatizantes do partidão.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Mensageiros
1 mês atrás

Esta maluco amigo. Nós já competimos com os EUA no agronegôcio e eles já estão chiando, começamos a melhorar na area industrial com a EMBRAER e eles queiam comprar assim como fizeram com o super-tucano em que monopolizaram a venda dele. Mais umvoouco e viramos adversários ao ponto de ser uma ameaça.

Rodrigo M
Rodrigo M
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Um comentário correto! É pra glorificar de pé igreja!!

Welington S.
Welington S.
1 mês atrás

China cada vez mais dando uma de MST querendo invadir terras e ela só quer fazer negócios sim…

Blind Mans Bluff
Blind Mans Bluff
1 mês atrás

Essa ideia de imperio missionario eh apenas mais cavalo de troia chines.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Blind Mans Bluff
1 mês atrás

Caro Blind. A ideia que os EUA tem uma política externa “missionária” é uma concepção bem estabelecida, principalmente a partir de Wilson, ao fim da Ii Guerra. Livros classicos como “A marcha da insensatez” mencionam a politica externa dos EUA exatamente nestes termos.

Thiago
Thiago
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Praticamente toda potência hegemônica ou que pretende ser tal estabelece e cria uma própria missão e vocação que justifica e motiva suas ambições . Os EUA sao o modelo de potencia Imperial , expansionista e messiânica por excelência, desde sua fundação. Facil observar-lo nos mitos, crenças religiosas ou laicas e narrações fundantes dessa nação . Ate na arquitetura, moedas e bandeiras, a exagerada e onipresente referência ao modelo Imperial da antiga Roma é evidente. Nos conjuntos de mitos e crenças da nação estadunidense, qualquer um com um pouco de curiosidade irá observar a veia messiânica da primeira potência global. Desde… Read more »

Thiago
Thiago
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Peço licença e desculpa Camargoer, queria complementar alem de discordar do colega” Blind”.

Thiago
Thiago
Reply to  Thiago
1 mês atrás

Observo que algumas colocações do autor são pertinentes, os EUA , no seu camninho de expansionismo e hegemonia , não levaram só o porrete mas toda uma narração baseada sobre a defesa da liberdade econômica, dos direitos individuais , da democracia etc ( creia quem quiser e os mais ingênuos) … algo totalmente ausente na política chinês, que não possui outra maneira de ludibriar /convencer, apenas pragmatismo da força bruta e conveniência . Ou seja os EUA possuem um modelo, uma proposta, um Soft Power sofisticado e convencedor… o outro lado não possui realmente uma proposta ou modelo que possa… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Thiago
1 mês atrás

Os EUA antes de serem uma nação, são uma ideia, como disse um certo filósofo da qual não me recordo o nome.

Last edited 1 mês atrás by Matheus S
Camargoer
Camargoer
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Caro Matheus. Ninguém pode ignorar a importância dos EUA. Eles foram o primeiro país fundado sob a ideia iluminista de democracia. Contudo, por mais importante que tenha sido a Constituição e a Declaração de Independência, ela refletia alguns valores do Sec.XVIII, por exemplo ao permitir a escravidão, o voto restrito aos homens e um sistema eleitoral baseado em um sistema indireto devido as dificuldades de comunicação e locomoção. Alguns destes problemas se tornaram gritantes á luz dos direitos humanos no Sec XXI, tanto que os EUA tem sofrido de uma crescente desigualdade social. Quando você diz que os EUA são… Read more »

Camargoer
Reply to  Thiago
1 mês atrás

Olá Thiago. Obrigado pelo comentário. Resumiu em poucas palavras uma biblioteca. Muito bom.

William Duarte
William Duarte
1 mês atrás

Foi mais ou menos isso que Hernández Cortes disse a Montezuma. Veimos em paz para fazer negocios w deu no que deu.

Astolfo
Astolfo
1 mês atrás

Se em 2020 ainda estamos discutindo o óbvio, ou seja, que a China deseja dominar o mundo inteiro de todas as formas possíveis, realmente estamos muito atrasados. Desinformadores como o autor deste péssimo artigo fazem o mesmo que Lênin fez no início da URSS, dizendo que os soviéticos apenas queriam “fazer negócios” com os europeus e americanos. Resultado: a URSS recebeu enormes investimentos financeiros e os utilizou contra, justamente, os europeus e americanos! A China é ainda mais pérfida e faz a URSS parecer um gatinho de estimação. Só otários ou interessados para querer “apenas negócios” com um país que… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Astolfo
Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Astolfo
1 mês atrás

Não querendo defender comunista más defendendo os fatos históricos. Amigo, se você estudar história, vai ver que antes da segunda guerra mundial, a união soviética estava meio sob controle, na dela, apenas exportando o ideal comunista. Ai vem a Alemanha Nazista, querendo invadir a união soviética em busca de recursos naturais e eliminar o ideal comunista pois os via como ameaça. Ai oa soviéticos avançaram após a invasão alemà sobre territórios que ela nem cogitava de invadir e se lá não sairam ate 1989.

Last edited 1 mês atrás by Cristiano de Aquino Campos
Ronaldo Rangel Pires
Ronaldo Rangel Pires
Reply to  Astolfo
1 mês atrás

Na mosca Astolfo . Mais claro que isso aí, impossível.

Jonatan
Jonatan
1 mês atrás

Por via das dúvidas, é melhor se armar contra o grande dragão. Caso a China queira mesmo se expandir militarmente, aí não vai ter só soft Power. Vai ter porta avião chinês na ZEE do Brasil!

Andrigo
Andrigo
1 mês atrás

“Viemos fazer negócios”
Pesqueiros chineses nos mares territoriais alheios.

Francisco AMX
Francisco AMX
1 mês atrás

VC até tenta ler…mas é um sofisma atrás do outro… A China apenas parece agir, internacionalmente, apenas visando comércio, crescimento econômico… mas a busca é sim por poder central, comunista, mesmo que use do capitalismo e livre comercio, não se pode esquecer do objetivo final, e ele não casa com liberdade e não solucionará os problemas da humanidade, uma vez que, depois de dominar o mundo, não haverá mais de quem roubar propriedade intelectual…caberá apenas o big-brother dos poucos inclusos nesta barbárie para sequestrar a liberdade da imensa maioria. os USA sempre foram justos e claros para com seus ideais,… Read more »

filipe
filipe
1 mês atrás

A China apenas esta aproveitando as lacunas deixadas pelo Ocidente, investindo em África e agora no Médio Oriente, são áreas que depois da 1ªGM o Ocidente deixou de controlar de forma forte, antes da 1ªGM havia grande Impérios que controlavam grandes extensões de territórios (Britânico, Otomano, Françês, Austro-Hungaro-Germânico , Russo, Chinês) , esses impérios deixaram de existir, passamos a ter o domínio Global dos EUA depois da 2ªGM, passou a haver o equilíbrio do terror nuclear entre os EUA e a URSS, com o fim da URSS, o mundo passou a ser Multipolar, dai a oportunidade que a China aproveitou… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Resumindo, tudo não passa de GRANA, muita GRANA.

E as torcidas a se degladiar.

Luis
Luis
1 mês atrás

fonte:bloomberg rs, só isso basta pra saber se é algo q valha a pena ser lido ou não. material de esquerdista feito para esquerdistas

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luis
1 mês atrás

Caro Luis. A Bloomberg é uma agência de notícias para o setor financeiro.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

sim e daí? não tira o fato do viés ideológico embutido no texto

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Robert Kaplan com viés ideológico? É isso?!
Claro! Acabei de ter insights de que o Balanced Scorecard é uma ferramenta marxista de desempenho corporativo! Há 20 esquerdizando as grandes empresas!

Luis
Luis
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

poderia fazer a gentileza de dizer quais grandes empresas não financiam aquele setor político associado ao aumento do estado, dos impostos e das regulamentações para eliminar a concorrência para ter a garantia de se manter no topo? excetuando os koch e, talvez, os waltons, gostaria muitíssimo mesmo de saber de mais alguma grande empresa ou bilionário apoiando a liberdade de fato e não apenas no discurso falacioso. talvez exista 1 ou 2 ainda assim, e para cada um q vc achar, posso lhe apontar dezenas equivalentes militando do outro lado, ainda assim seria legal conhecer. no aguardo

Last edited 1 mês atrás by Luis
Camargoer
Reply to  Luis
1 mês atrás

Olá Luis. Creio que o problema seria mais complexo ainda, por exemplo sobre o direito de uma empresa financiar um partido. Eu tenho severas críticas a isso, começando pelo fato são as pessoas que votam e fazem escolhas políticas. A permissão de empresas e fundações financiarem políticos parece distorcer o ideal democrático. Acho correto que pessoas possam fazer doações pessoas aos partidos (em um limite estabelecido pela sua declaração de imposto de renda para evitar lavagem de dinheiro. Uma pessoa que queria doar mais terá que declarar maior renda e com isso pagar mais imposto. Um excelente mecanismo inspirado nos… Read more »

Luis
Luis
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

olá, continuo aguardando, desta vez sentado, o nome das grandes empresas ou bilionários seus proprietários q supostamente apoiam o livre mercado e a liberdade individual em detrimento das regulamentações e engenharia social. sobre seu ponto, grandes empresas não financiam partidos realmente, obviamente q marcas, prédios, equipamento, estoques, sozinhos não fazem nada, quem faz são pessoas, detentoras de poder, o dono, ceo, diretoria, acionistas enfim, cada um dá sua propriedade o quanto quiser pra quem quiser. dá pra racionalizar e criar tecnicalidades pra justificar o contrário, sempre é possivel racionalizar qq coisa, quanto a isso não discordo.

Luis
Luis
Reply to  Luis
1 mês atrás

tão enfadonho tentar se comunicar com outra bolha que pensa q os novos bilionários e famílias aristocráticas são capitalistas, porque tem empresas e atuam em bancos e bolsa. quando publicamente e escancaradamente agem apoiando a intervenção estatal que protege e aumenta suas fortunas, por serem eles amigos do rei

Last edited 1 mês atrás by Luis
Luis
Luis
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

esquerdizando as grandes empresas” expressão muito divertida, como se fosse preciso alguém fazer algum grande esforço para q as grandes empresas quisessem optar por este caminho. precisassem de publicações para ajudar, ou fossem doutrinados por revistas semanais. continue contribuindo humor é sempre positivo.

Camargoer
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Caro Carlos. Daí que seriam dois equívocos. O primeiro desprezar um texto considerando o veículo no qual foi publicado. O segundo equívoco seria achar que a Blomberg seria uma agência de esquerdistas que publicam para esquerdistas. Como um erro nunca anula outro erro, o resultado foi catastrófico.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O veículo em que foi publicado eu conheço muito bem, e leio, pena eu não ter dinheiro para ter a versão paga que sai coisas interessantes e ajuda em tomadas de decisões durante o dia, caso esteja operando na bolsa, a bloomberg não é uma agência de esquerdistas, é uma agência com esquerdistas.

Luis
Luis
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

oh meu deus, mercado financeiro, falou as palavras mágicas, se é mercado financeiro, então certamente são capitalistas e minha crítica é totalmente infundada. sinceramente não sei nem por onde começar, como abordar alguém q tenha ou diga ter essa visão porque para haver comunicação tem q haver uma linguagem em comum, e se vivem em um mundo de narrativas desconsiderando os fatos obvios facilmente verificáveis fica muito difícil. se deixarem minha postagem abaixo, foi uma tentativa dentro da minha pouca paciencia pra desenho

Luis
Luis
Reply to  Luis
1 mês atrás

é, não deixaram

paulo araujo
paulo araujo
Reply to  Luis
1 mês atrás

isso é argumento “Ad hominen”,

Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Já afirmei isso aqui, antes.
A China está correndo solta, avançando em todos os mercados do Mundo enquanto os EUA ficam querendo fabricar e vender armas que ninguém está interessado.
Um discurso belicoso e fora de propósito.
Ainda mais em um momento de desastre econômico agravado pela pandemia.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Xings tu já ouviu falar em industria 4.0? a briga pelo 5G tu acha mesmo, que é para somente fazer dowload ou ver streaming de série melhor? só vou falar isso, de resto só te digo que os EUA não estão parados.

Matheus
Matheus
1 mês atrás

Eles querem fazer o que os EUA vem fazendo desde quando eles derrubaram a porta do Japão na era Meiji. Se não fizerem negócios com eles por bem, farão por mal.

Camargoer
Camargoer
1 mês atrás

Caros Colegas. É uma análise sensata, sem o viés político que o grupo em torno de Trump tenta colocar visando a sua reeleição. Temo que assim como um colega que supõe que a Bloomberg seja uma agência Sputinik para quem aplica na bolsa, outros dirão que “deixaram de ler quando… “. Quando mesmo que deixaram de ler qualquer coisa? Em outra postagem sobre as fotos do estaleiro chinês, um colega comentou sobre a ascensão da China após a II Guerra, respondi que a China tem 5 mil anos de história. Não sei se concordo com tudo o que Kaplan escreveu,… Read more »

Vovozao
Vovozao
1 mês atrás

09/08/2020 – domingo, btarde, ou voces sao inocentes ou se fazem, tudo que é feito pelos chineses tem a MÃO pesada do partido chines, porque eles iriam investir em portos na africa, paises que possuem pouco peso na balança comercial chinesa??? Porque eles sao bonzinhos??? Porque do envio da grande frota de pesqueiros para as aguas do Equador??? Não estariam testando estes paises. As pessoas que entende dirão com que logistica se envia 230 barcos pesqueiros para uma distancia de mais de 3000 milhas nauticas, sem uma estrutura de alimentação, de combustiveis….. ou voce acha que voce entra em qualquer… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Vovozao
1 mês atrás

Vovozao

Agora, falta vc explicar porque os EUA tem tantas bases no Mundo e tantos soldados no exterior.
Será que tem a mão pesada do Governo americano? Da CIA?
Os EUA são bonzinhos e querem o bem estar da coletividade mundial?

Vovozao
Vovozao
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

10/082020 – segunda-feira, bdia, Antonio, claro que eu sei disso tudo, os grandes interesses “” Made in USA “”, vem primeiro…. listado assim…. NSA… investiga quais e o que pode (m) interessar ao governo dos USA, seja economico ou estratégico, ai vem a pobre da CIA, e inventa que estão vendendo drogas, e, vão se infiltrado , quando vemos ja dominam todo o cenario, e so para complementar….. o chines aprendeu com quem esta doutrina….. o chines é campeao em copiar.

Esteves
Esteves
1 mês atrás

Oferecer uma alternativa. Deve ser por esse caminho. Existem alternativas aos modelos chineses? La no final do texto vem o ressentimento econômico com o 5G da Huawei. A Europa e os EUA não querem abrir competição. Do jeito que está a conta…a conta sempre sobra para quem não detém a tecnologia. As operadoras de telecomunicações terão que pagar para usar o 5G assim como pagaram e pagam pelo 3G e 4G. Quanto o consórcio europeu cobra talvez não seja muito diferente de quanto os chineses cobram pela infraestrutura e pela transmissão da banda ultra larga. Mas é grana que vai… Read more »

Theo Gatos
Theo Gatos
1 mês atrás

É verdade esse bilete!
.
Sds

Esteves
Esteves
1 mês atrás

Feliz dia dos pais para todos que são país. E para os que serão.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Obrigado. Dê um abraço nos pais e avós que estiverem ao seu alcance.

R_cordeiro
R_cordeiro
1 mês atrás

A china nao ira criar arquipelagos militares, apenas ilhas para o turismo. A China abordara todas as boas praticas comerciais, votem pela china vomo economia de mercado, a china nao ira invadir o tibet, somente vamos verificar como o dalai lama vive, a china nao ira copiar equipamentos russos, somente se inspirar, a china nao ira matar milhoes de pessoas em nome de uma ideologia, apenas unir o pais. Essas balelas da china ja venho escutando a decadas, ninguem mais cai nessas.

sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

Fato: os mais fortes sempre querendo subjugar os mais fracos. Fazer negócios com produtos na mão direita e porrete na esquerda. Só compra comigo. Nada de comprar com A, B ou C. Caso o país não tenha uma força de dissuasão desenvolvida e que impõem condições o fortão com porrete pode levar porretada também do mais fraco. Aí você pode fazer negócios. Desde a antiguidade é assim e sempre será. Grande abraço.

sergio ribamar ferreira
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

“Caso o país…condições, o fortão com porrete pode levar porretada ….”

Chevalier
Chevalier
1 mês atrás

Ahahahahaa. Quanto vcs ganharam para postar essa propaganda? Ahhh fonte Bloomberg, claro, do bilionário de mídia globalista que queria concorrer contra Trump… da turminha do Bill Clinton que armou o dragão. Imagina, o PC Chinês só quer fazer “negócios” sim. O general Mourão-dinheiro-que-é-bão curtiu isso. Por isso que atacam a India, interferem no Brasil, constroem ilhas no meio do mar, jurando que não irão militarizá-las e depois fazem exatamente isso; pescam em aguas territorias do outro lado do mundo, reclamam uma cidade russa, perseguem cristãos, budistas, muçulmanos, rastreiam e matam seu proprio povo, usando tanques se for preciso… faz sentido.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Se alguém acha que ‘fazer negócio’ é uma atividade harmoniosa ou neutra, sem cruzamentos políticos/ideológicos, em que os negociantes resguardam sua ‘latitude’ então negociar com a China não eh um risco: o porco não vai ter que morrer pra haurir o lucro de sua sociedade com a galinha no restaurante que só serve ovos com bacon.

Pablo Maroka
Pablo Maroka
1 mês atrás

Temo trump não tenha tempo de agir mais duramente enquanto o império vermelho avança pela humanidade.

Espero que essa eleição da grande democracia se reverta, a humanidade precisa de um grande lider.

Last edited 1 mês atrás by Alexandre Galante
Camargoer
Camargoer
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

Caro Pablo. A Coreia do Norte tem um “amado líder”. A ideia que os EUA possam liderar o ocidente é exatamente o conceito de “política externa missionária” criticada no artigo. Trump foi um desastre para a história dos EUA e é resultado da incapacidade do Partido Republicano em barrar sua candidatura. Trump não tinha qualquer qualificação para ser considerado pré-candidata, e mostrou na presidência que de fato não era qualificado para a presidência. Sorte dos presidentes ruins anteriores que tiveram suas histórias redimidas.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

E sorte dos inimigos americanos que estão se deliciando com a queda americana.

Camargoer
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Olá AntonioK. Para o Brasil, o melhor cenário seria de um mundo multipolar. Por isso, seria ruim uma queda dos EUA. Se por um lado a China seria o maior parceiro comercial brasileiro, os EUA continuam sendo o segundo parceiro comercial. Na década de 30 o mundo celebrou o fascismo como a solução para a crise da grande depressão. Os setores que celebram a China como solução para a crise da COVID podem estar enganados.

Chevalier
Chevalier
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O Trump já é um dos 5 maiores presidentes da história americana, senhor esquerdopata. Vc só repete chavões da Grobo que por sua vez repete da CNN.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Chevalier
1 mês atrás

Caro Chavalier. Acho que a resposta de Bolton a uma pergunta se Trump era corrupto, em uma entrevista publicada no El Pais “Bem, acredito que [Trump] é um presidente amoral, que se concentra nas coisas que o ajudam a se reeleger, sem necessariamente se basear no que é melhor para os EUA.”

Rprosa
Rprosa
1 mês atrás

Como são arraigadas as paixões e os afilamentos culturais e políticos de alguns foristas, pois ao mesmo tempo que criticam a China por exercitar seus músculos diplomáticos, econômicos e militares no escopo de lograr êxito nos seus interesses, apoiam a política internacional americana, que nada se diferencia ada política chinesa. Posto que os EUa aplicam amais de 100 anos apolítica do big stick, fazendo pressão econômica e militar sobre qualquer país, governo ou pessoa que apenas imagine opor-se ao status quo imposto pelos americanos. Pergunto qual a diferença da china criar ilhas artificiais a centenas de quilômetros de sua costa… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rprosa
1 mês atrás

qual a diferença da china criar ilhas artificiais a centenas de quilômetros de sua costa marítima e nela criar bases militares voltadas ao apoio de suas forças armada? Me diz aí tirando 2 países, Afeganistão e Síria, quais países os EUA tomou território para fazer bases e ainda mentiu que não ia fazer. quanto ao refém aí é por tua conta. de resto parece que você entendeu, são todos farinha do mesmo saco.

Rprosa
Rprosa
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Poderíamos iniciar citando o México, pois grande parte da região oeste dos EUA foi tomada do México, ou você vai negar isso? Poderíamos também citar as centenas de intervenções militares praticadas pelos EUA desde 1700, mas isso seria redundância pois acredito que uma simples pesquisa na Wiki lhe esclareceria estes fatos. Poderíamos falar de Diego Garcia cujo os ghabitantes originários foram removidos a força pela Grã Bretanha e o atol posteriormente entregue aos EUA, mas acho que você deve saber disso. Da mesma forma acho que você possui discernimento sufiente para saber que não é preciso invadir uma país para… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Rprosa
1 mês atrás

O “desde 1700” é um exagero já que os EUA passaram a existir só em 1776 e depois de anos de guerra, os britânicos finalmente reconheceram a nova nação em 1783. . E dessas “centenas de intervenções militares” muitas foram de pouco significado, outras vitais,como o socorro à Coreia do Sul após a mesma ter sido invadida pela Coreia do Norte em 1950. . O Japão depois de derrotado foi durante décadas a segunda maior economia do planeta, a Alemanha Ocidental fazia inveja à Oriental, a Coreia do Sul tornou-se próspera, etc. . E o Plano Marshall não foi bom… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Dalton
1 mês atrás

infelizmente, pior sem eles.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rprosa
1 mês atrás

Eu não falei, em intervenções militares, só for falar de intervençaõ militar, aí a lista é enorme mesmo, falei em ir tomar o território na cara de pau igual os chineses, estão fazendo, pra mim vc tá passando pano para eles, justificando o erro dos chineses com o erro dos EUA….você vai negar o desatre que foi a intervenção americna na Ucrânia, na Iuguslávia, na Líbia, no Iraque ou na Síria? Eu não nego, eu afirmo, que quanto a Iugoslávia, foi certo, na Ucrânia foi imoral, mas foi mais softpower, e atos de bastidores com uso de guerra híbrida…Iraque temos… Read more »

LeoL
LeoL
1 mês atrás

A China quer fazer negócios, contanto que os benefícios sejam todos para os chineses. Temos o exemplo aqui no Brasil com a Vale quando lançou os Valemax para tentar ter uma participação no transporte de minério de ferro para a China dominado pelos operadores chineses como Cosco e outras. Automaticamente sofreram represálias, inventaram alguma restrição para não permitir que atracassem em portos chineses. No fim a Vale teve que vender os Valemax muitos para esses mesmos operadores chineses e num passo de mágica as restrições deixaram de existir.

alexandre
alexandre
1 mês atrás

O negócio dela, é tomar territorio dos outros, invadir e pilhar..

Pedro Tavares Nicodemos Filho
Pedro Tavares Nicodemos Filho
1 mês atrás

Cai nessa conversa de que “A CHINA não quer conquistar, apenas fazer negócios.” quem quiser ser o otário do momento … O tanto que a CHINA está se armando é para sobrepujar toda a Asia, inclusive a India, exceto a Russia. Com o histórico de ROUBO DE DADOS, QUEBRA DE PATENTES COM FABRICAÇÃO DE CÓPIAS BARATAS QUE QUEBRAM EM MESES de tudo quanto se possa fazer ideia, se mostra bem pouco confiável. Recentemente foi publicada uma notícia em inglês mostrando que 70% dos servidores e 90% dos smartphones são MADE IN CHINA e contém um CHIP de roubo de dados… Read more »

Italo Souza
Italo Souza
1 mês atrás

Uma leitura interessante dos interesses chineses

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Texto muito bom

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Aí o analista passou pano para china e disse:”A China não quer conquistar, apenas fazer negócios” kkkkkk, não é o que eu vejo, eles se entrometendo em países ao seu redor, tomando áreas de outros países, não aceitam a soberania de Taiwan, nem de seus vizinhos. se a china quer só fazer negócios então pq toda essa hostilidade para todos os lados?

Marquês de São Vicente
1 mês atrás

Sei, sei… A China tem um governo de esquerda, autoritário, ditatorial, que persegue minorias e busca expansão territorial (Mar do Sul da China e Tibete) porque precisa de seu “espaço vital”.

Aonde foi que vi algo igualzinho?

Camargoer
Reply to  Marquês de São Vicente
1 mês atrás

Olá Marque. Segundo o autor, você pode encontrar as bases da atual estratégia nós 5 m anos de história da China. Sobre o espaço vital, você mesmo mostrou a diferença entre a China e a Alemanha ao pontuar que os chineses tem um regime de esquerda.

Marquês de São Vicente
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Acho divertida essa concepção. Sempre foi dito que Hitler era de direita porque permitia que os bens de produção fossem de propriedade privada (apesar de serem pesadamente tutelados e orientados pelo estado nazista).
Bem, ta aí a Huawei e Alibaba que não me deixam mentir…

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

Pra mim os objetivos da China são explicados pela pirâmide de Maslow. Primeiro manter o povo alimentado e satisfeito, pra poder manter o partido no poder. Aí a estratégia é assegurar os recursos, seja por aliança, aquisição ou qualquer forma de ter o fluxo de comida e combustível. Depois partem pras outras necessidades, conseguir se manter seguro estando cercado de inimigos históricos, e ai inclui resolver Taiwan.e mostrar os músculos pros vizinhos. Por último é o mais difícil, fazer o mundo ‘comprar’ a China, pra que o mundo ache que a China é indispensável pra estabilidade mundial.

Mensageiro
Mensageiro
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Os EUA já tem toda essa pirâmide na palma da mão.

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

Com certeza, a china é paz e amor… Hitler também não queria guerra, ele queria apenas a Áustria e Checoslováquia…

Camargoer
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Vitor. Você está equivocado. Após a tentativa de golpe em Munique, Hitler foi preso e na cadeia escreveu seu livro no qual ele explicava seu desenho de ocupar a parte ocidental da URSS. Toda a movimentação que fez anexando a Áustria e os Sudetos, e depois invadindo o resto da Checoslováquia, Polônia etc foi decidida em torno da estratégia de ocupar a URSS.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Por ele Stalin se renderia sem lutar e entregava as chaves dos armazéns de comida e combustível. Garrincha ainda não tinha dito sua frase mais celebre, mas era isso que Hitler queria…

Camargoer
Camargoer
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

Caro Jugger. Creio que Hitler teria promovido o genocídio da população soviética de qualquer modo. Quando as tropas nazistas ocuparam a Ucrânia, uma parte da população acreditava que isso teria colocado fim à ditadura stalinista. Os soldados alemães foram bem recebidos. Contudo, na sequência, vieram os grupos de extermínio organizados pela SS (inclusive recrutando as forças policiais locais para exterminar judeus soviéticos e membros do partido comunista em um primeiro momento, para em seguida promover a pilhagem de toda a população soviética nas áreas ocupadas). O desprezo pela população eslava era tanto um traço dos nazistas quanto dos oficiais do… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Mas os Sudetos e o corredor polonês estavam ocupados por maioria de alemães que queriam fazer parte da Alemanha, neste caso não houve agressão e sim o pleno respeito ao princípio da autodeterminação dos povos dessas regiões. Fosse eu naquela situação também teria feito o mesmo, foi um favor que Hitler fez aos alemães destas regiões, que foram entregues a países que não se identificavam de forma covarde por Versalhes.

Bernardo
Bernardo
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

A idéia de unir os povos germânicos é muito anterior a Hitler. O plebiscito de 38 na Austria validou essa ideia. Quanto aos sudetos, essa área do império Austro-Hungaro sempre foi habitada por alemães desde a idade média, na verdade o tratado de Versailles foi um desastre, até hoje vemos as consequências…

paulo araujo
paulo araujo
1 mês atrás

Estou neste fórum há anos. Mas, ele me deixa espantado, às vezes. Não bastassem os inúmeros artigos disponíveis, explicando muito detalhadamente, para que aqueles os entendem, as verdadeiras características do desafio representado pela China, aqui entram em discussões bizantinas. As hipoteses mais delirantes, muito mais embasadas nos achismos e preconceitos pessoais e “wishful thinking” do que em fatos. Agora, o Blog posta um artigo de Robert D. Kaplan, um especialista reconhecido no assunto que aborda. Vi a chamada e corri para ler. Imperdível. E não me decepcionei. Eu esperaria mais reconhecimento pela capacidade do autor e reverência pelas explicações cristalinas… Read more »

Domingos
Domingos
1 mês atrás

Esqueceram de lembrar sobre o novo coronarirus, a quebradeira econômica ao redor do mundo e a quantidade de mortes que estamos enfrentando. Pelo conhecimento norte americano que foi transmitido por seu presidente, o vírus é produto de manipulação biológica e a dúvida é se foi acidente ou proposital. É confiar muito no partido comunista se acreditar num acidente biológico como esse. Dizer que o pcch não tem interesse em dominar o planeta, é enganar os leitores, pois o próprio xi jimping foi claro ao projetar a china como nova superpotência econômica e militar mundial até 2040.

Adriano Santos
Adriano Santos
1 mês atrás

Fonte: BLOOMBERG! Uma publicação mais progressista impossível.

China quer conquistar sim, através de mercados, dominar povos e influenciar cultura com certeza. O comunismo é destruidor – e não se trata de economia.

Quanto menos espaço a China tiver no mundo, melhor.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

A China apoia e protege o Maduro na Venezuela e sua ditadura louca, dizer que a China não se mete no governo de outros países e que só quer negócios e a paz não passa de loucura já que todas as evidencias apontam o contrário.

Rprosa
Rprosa
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Se formos partir para esta premissa os EUA apoiam a Arábia Saudita, o Catar, a Turquia, a Irmadnade Muçulmana na Líbia, os terororistas na Síria, o genocídio no Sudão, a máfia albanesa, os nazifacistas da Ucrânia, os revolucionáriuo uigures na China, os separatistas de Kosovo, etc.
Mas estes pequenos fatos não se pode arguir, pois o pretexto e a exportaçãod a pax americana, a liberdade dos povos e preservação dos ideais da democracia americana.

naval762
naval762
1 mês atrás

O autor andou lendo Aleksandr Dugin. A China só quer fazer comércio, tá bom. Tu finge que sabe de alguma coisa e eu finjo que acredito no que dizes.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 mês atrás

Esta afirmação ” A China não quer conquistar, apenas fazer negócios” Me lembra aquela situação do namorado que convida a moça para ir em sua casa, somente para conversarem….

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Saldanha da Gama
1 mês atrás

E a aranha disse para a mosca: “Quer conhecer a minha casa?”

João Adaime
João Adaime
1 mês atrás

Boa tarde senhores Estava tentando passar ao largo desta discussão, mas vamos lá: Os EUA precisam da China para vender seus produtos agrícolas principalmente, para comprar seus eletrônicos e outros manufaturados a preço de banana e para que a China financie seu deficit público, comprando títulos da dívida dos EUA. O Brasil precisa da China para vender seus produtos agrícolas e minérios, para comprar seus eletrônicos e outros manufaturados, inclusive os produtos de 1,99 a preço de banana e para que a China financie nossa infraestrutura. Neste último item cabe uma observação. A China investe sem se preocupar com Amazônia,… Read more »

Corcel
1 mês atrás

Tem quer muito ingênuo ou achar que os outros são idiotas pra acreditar nisso.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
1 mês atrás

China expansionista. Chegou um pouco tarde.
Poderia ficar no comércio e pesquisa científica.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

Esse de longe é a reportagem mais tendenciosa que já li em toda a minha vida. Realmente a imagem da inteligência brasileira deve tá na lama para publicarem uma reportagem dessa e querer que se acredite. Um minímo de bom senso e crítica não acredita uma baboseira dessas… Vamos respeitar heim…

GFC_RJ
GFC_RJ
1 mês atrás

Os EUA tem tantos ativos… E os chineses reconhecem isso. Segundo Mahbubani (2020) em “Has China Won?”… 1 – O dólar ainda é a grande reserva de valor mundial e ainda será por um bom tempo, pois quem tem grana confia no dólar; 2 – 18 das 20 melhores universidades do mundo são americanas (as outras duas são Oxford e Cambridge). Até os melhores… chineses(!) vão estudar nos EUA. 3 – O invidualismo americano é fabuloso “enquanto a China produz um Mao Zedong a cada 100 anos, os EUA produzem dezenas como Bill Gates, Mark Zuchenberg, Steve Jobs, Elon Musk etc.”.… Read more »

GFC_RJ
GFC_RJ
1 mês atrás

Enfim… Mas segundo o mesmo autor, um dos grandes problemas dos EUA é buscar soluções do século passado para problemas do século XXI. Muita gente especula suas estratégias extremamente deficientes.   Blockchain ainda não atingiu nem de perto sua maturidade e as criptomoedas tem potencial para tirar o dólar como moeda padrão no comércio em algumas décadas. Ainda mais se os EUA continuarem a usar a sua moeda como arma contra adversários como o Irã. Afinal se as portas se fecham, buscam-se janelas. Outra… O autor especula que a guerra entre EUA e China não será vencida pela via militar e,… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Todo esse investimento americano nas forças armadas será em vão… Bem, bem, bem. O investimento americano existe para manter a doutrina. Isso inclui China, Mediterrâneo, Coreanos, Rússia, Pacífico, Ártico. Houve a corrida espacial durante a guerra fria. Enquanto isso, chineses e coreanos cresciam. Então…parece que essa doutrina que todo presidente americano jura manter (fazer desse país a maior potência do mundo) está sempre evoluindo…ou os americanos estariam cometendo os mesmos erros dos anos 1980/90. Doutrina que se sustenta somente pela via diplomática é a doutrina da espada curta. É com essa doutrina que acabamos sem navios em 2020. E sem… Read more »

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Larga de ver filme e volta para o Santo Daime e nos traga uma revelação apocalíptica das formigas amarelas.

Esteves
Esteves
Reply to  Farroupilha
1 mês atrás

Nossa visão periférica do que passa no mundo, sustentada por análises jornalísticas indubitavelmente merecedoras de cervejas “puro malte”, julga quem é o bom e que é o mau. Em cada quarteirão abriram uma hamburgueria. ”Puro malte”…o que importa é a qualidade do cereal, da água, dos ingredientes. Putin mandou fazer fila pra tomar vacina. Aí de quem não tomar. Quem for vacinado ganha uma dose de vodka para garantir a eficácia do troço. O problema da Baía da Guanabara é que vemos o esgoto a partir do continente. Então…a merda será sempre bela merda. Eu acho que o Nostra está… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Farroupilha
1 mês atrás

A Ford trouxe um carro chinês. Territory.

Dizem que pode ser qualquer coisa…menos um Ford. Falam que parece qualquer um…mas não parece um Ford.

Tempos terríveis.

LeoL
LeoL
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Yusheng S330 e colocaram a marca Ford para poder vender fora da China. Detalhe que o motor é baseado num velho motor Mitsubishi de 1977 que usa o ciclo Miller ainda. Boa sorte pra quem quiser pagar quase 200mil naquilo.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Esteves, Um livro de UM intelectual e de mais 400 páginas não se concorda com 100% do que está escrito. Dois ou três argumentos no qual você discorda não elimina 10 ou 15 que te fazem refletir melhor para analisar situações complexas além da página 2. É um tijolo em um muro que deve ser grande, largo e forte. Quando eu pus “Bem… É uma posição” significa que essa é a posição DELE, mas eu sou bastante cético quanto a isso… Minha veia realista salta mais forte. Ele sugere no livro, por exemplo, uma postura americana para Taiwan que eu… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

É isso aqui ó.

“E ciência não é produzida exclusivamente por universidades, mas empresas, forças armadas e institutos independentes também produzem.”

Ciência e resultado.

Esteves
Esteves
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

A China não tem uma Bollywood. Foi isso que o Esteves não disse.

Esteves
Esteves
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

É Last.

Last of Us.

Fatura 14 milhões por hora.

Esteves
Esteves
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Não pode beijar.

Chineses estão cumprimentando com os pés.

TikTok.

Emmanuel
Emmanuel
1 mês atrás

Maior marinha tinha a União soviética.
O que aconteceu com ela?
Enferrujou.
Esses navios de hoje serão nossos prestobarbas de amanhã.
A Rússia precisa dos euros da Europa Ocidental e essa do seu gás.
A China dos dólares americanos e esse da sua mão de obra barata.
Ninguém vai invadir ninguém porque todo mundo quebra.
No máximo vão matar alguns pobres de algum país subdesenvolvido, como aconteceu na Coréia e Vietnã.
Atrasados somos nós. Eles são muito espertos que ganham dinheiro em cima das nossas falhas.
Eu quero 5G, não importa de quem seja.
O resto é blábláblá.

Nostra
Nostra
1 mês atrás

The infographic in the article shows India as part of the one belt one road .

This is explicitly false and untrue .

India is the first country to oppose Chinese one belt on road. And is not a participant in it. Nor did india recieve nor will receive any investment with regard to it from china.

Last edited 1 mês atrás by Nostra