Home Indústria de Defesa Marinha da Coreia do Sul desenvolverá submarino com propulsão nuclear

Marinha da Coreia do Sul desenvolverá submarino com propulsão nuclear

5918
153
Submarino KSS-III sul-coreano
Submarino KSS-III de projeto sul-coreano com propulsão diesel-elétrica e AIP de células de combustível

A Coreia do Sul planeja construir um submarino nuclear de 4.000 toneladas e um “Iron Dome” na área da capital, para se defender de ataques de artilharia de longo alcance da Coreia do Norte.

O Ministério da Defesa divulgou seus planos de médio prazo na segunda-feira, que prometem W300,7 trilhões para os militares nos próximos cinco anos, com o orçamento de defesa previsto para exceder W60 trilhões em 2024 (US$ 1 = W1.183,93).

O submarino de 4.000 toneladas, muito maior do que o submarino de 3.000 toneladas atualmente em construção, será armado com mísseis balísticos e propulsado por um reator nuclear. Isso pode exigir uma revisão do pacto nuclear com os EUA, que proíbe a Coreia do Sul de usar energia nuclear para fins militares.

Mas o vice-conselheiro de segurança nacional Kim Hyun-chong disse a repórteres no final do mês passado que a construção de um submarino nuclear “não tem nada a ver com o pacto nuclear”.

Ele disse que uma revisão das diretrizes de mísseis dos EUA, que removeu todas as restrições ao uso de foguetes de combustível sólido, dará a Seul maior independência para defender o país e o plano do governo de construir um submarino com propulsão nuclear faz parte disso.

O ministério também espera desenvolver um “Iron Dome” para evitar ataques de artilharia de longo alcance em Seul e arredores, com o objetivo de implantá-lo no final da década de 2020. Isso será semelhante a um sistema de defesa aérea móvel israelense destinado a interceptar tiros de artilharia com lançadores de mísseis instalados em locais estratégicos.

A Coreia do Norte posicionou cerca de 1.000 peças de artilharia de longo alcance perto da fronteira.

Os planos do ministério também incluem a construção de um porta-aviões leve de 30.000 toneladas com o objetivo de implantá-lo no início de 2030.

FONTE: chosun.com

Subscribe
Notify of
guest
153 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Claudio Moreno
Claudio Moreno
1 mês atrás

Olá Senhores mais uma vez.
Esse é o caminho natural para quem deseja negar o mar ao inimigo.
Ainda que muitos torçam o nariz, falem bobagens do acordo do SubNBR, o Brasil está mais que correto em focar neste esforço.

Soberanía não tem preço!

CM

Esteves
Esteves
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Depende.

Ajeitamos o reator no submarino porque não havia outro lugar.

Negar o mar não precisa ser feito de forma radioativa. Até porque…até aprendermos as doutrinas das operações submersas esverdeadas…vamos gastar um belo orçamento.

Orçamento que tem faltado para repor os navios de superfície.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Concordo que faltam recursos (e oportunidades) para adquirir navios de combate de segunda mão. Na atual situação de alto desemprego e baixa atividade econômica, o mais adequado seria contratar a “repotencialização” das fragatas remanescentes em estaleiro nacional. Navios novos vão demorar mais uns 5~6 anos até o lançamento da primeira FCT.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Mestre,

Marinha tem que ter navio operativo.

Na atual situação de escorregamento econômico, que emitam moeda e lancemos planos.

Repotencializar, recuperar, montar, reformar, construir…tanto faz.

Precisa por navio no mar.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. A emissão de dinheiro só é inflacionária quando a industria está próxima ao pleno emprego ou sem capacidade ociosa. O atual cenário de crise econômica mostra altas taxas de desemprego e capacidade ociosa próximo a 50%. Nestas condições, é preciso aumentar os impostos bancários (sempre lucrativos) e emitir moeda, monitorando a capacidade de produção e a taxa de desemprego. É o que está escrito no manual. Neste contexto, a aquisição de navios de combate usados (que depende da oferta) demanda moeda estrangeira e não tem impacto econômico. Por outro lado, a contratação de um “reforma” para “repotencialização” das… Read more »

Adson
Adson
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, o atual governo fez algo que ao meu ver foi melhor que aumentar os imposto bancários, desceu a SELIC para 2%. Os rentistas e os próprios bancos tem agora que direcionar seus investimento para o setor produtivo, e o governo que herdou uma dívida de cinco trilhões e meio de reais e com uma SELIC nas nuvens, pagara agora bem menos juros e terá como investir em infraestrutura, saldar parte desta dívida herdada, investir em infraestrutura, em defesa, saúde, etc.Por causa desta pandemia a dívida no momento aumentou, e muito, mas era necessário, mesmo o valor nominal dos juros… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Adson
Camargoer
Camargoer
Reply to  Adson
1 mês atrás

Caro Adson. A SELIC caiu porque as taxas de inflação estão negativas, que estão negativas porque o consumo despencou. A taxa de desemprego esta acima de 12% (portanto são outros 12 milhões de pessoas que não terão acesso ao crédito nem ao consumo). A capacidade ociosa da industria deve estar perto de 50%. Portanto, não há pessoas para pegar crédito para consumir (estão desempregados ou com medo de perder o emprego) nem há empresários solicitando crédito para investir (ninguém vai comprar máquina nova ou construir uma fábrica nova se tem metade dos equipamentos parados). A único benefício da queda da… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

essa sua explicação tem uma base mais keynesiana, já a do Adson é mais liberal, em linha com que o Paulo guedes fala…. quando a taxa atual eu não gosto, pq a inflação já tava correndo principalmente em alimentos, o setor de serviços e transportes tá maqueando a inflação

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Olá Carlos. Uma crise como a atual demanda soluções keynesianas (Keynes era um aristocrata). “Não importa a cor do gato, desde que ele pegue o rato”. O rato está com alto desemprego, alta capacidade ociosa, há uma crise de demanda e não há procura por crédito. O capitalismo teve duas grandes depressões, uma na década de 1870 e outra na década de 1930. É preciso resgatar o que aconteceu naqueles anos, ver o que funcionou e o que deu errado.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Adson
1 mês atrás

“Os rentistas e os próprios bancos tem agora que direcionar seus investimento para o setor produtivo” Não. Direcionaram os seus capitais para fora do país. A saída de capitais do Brasil foi até maior do que os emergentes, o Brasil é recorde em quebrar seus próprios recordes. A crise do Covid-19 não explica essa saída avassaladora de capitais. Portanto, no Brasil estamos com juros reais negativos. Consequência? Saída de capital. Alguém por acaso é louco o suficiente de aplicar em um país com juros reais negativos em um país com insegurança jurídica e enormes problemas financeiros e econômicos? Não. Irão… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Olá Matheus. Praticamente os governos de todos os países do mundo irão registrar aumento de suas dívidas públicas em 2020 (mesmo com a redução generalizada das taxas de juros). O dinheiro investido na bolsa ou nos títulos são uma coisa. Os investimentos diretos para aumentar a produção são outra coisa. Em períodos de crise econômica como agora é comum os investimentos especulativos migrarem dos países periféricos para os países centrais. È importante lembrar que os EUA também estão com juros negativos e com uma previsão de deficit recorde e ao que parece, a queda do PIB lá parece ter sido… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

O Brasil é maior que o abismo.

Eu lia isso lá por volta dos anos 1970…

Gus Talking
Gus Talking
Reply to  Esteves
1 mês atrás

É maior porque nós trabalhamos para sustentar essa máquina pública incompetente, perdulária e custosa. Cada brasileiro do setor privado trabalha quase 8 meses do ano para pagar salários dos barnabés, o que o governo tem que fazer urgentemente é privatizar o quanto antes todas essas estatais inúteis e resolver o problema da educação, veja, as universidades públicas, que são indiscutivelmente as melhores do país, e caríssimas sem nenhum resultado prático, não chegam aos pés de qualquer universidade americana, então tem que privatizá-las também e criar faculdades comunitárias para estudantes de baixa renda, seriam meras escolinhas de 3º grau, como são… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Gus Talking
Sequim
Sequim
Reply to  Gus Talking
1 mês atrás

A ciência brasileira só tem alguma relevância graças às universidades públicas. Esse ódio da extrema direita em relação à liberdade de pensamento chega a ser cômico de tão patológico que é. Quanto às universidades públicas brasileiras não chegarem aos pés das universidades americanas , essa afirmação é típica desinformação, pois as anualidades lá chegam à casa dos dezenas de milhares de dólares. Aqui no Brasil, é só olhar o caso da USP, que é considerada umas melhores 100 universidades do mundo: quando se investe dinheiro de forma contínua, os resultados aparecem.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Olá Sequim. Um dos problemas mais graves no sistema de ensino superior dos EUA é dívida do crédito estudantil. Outro problema é o estudante de “primeira geração”, ou aquele que é o primeiro na família a cursar o nível superior. A taxa de desistência deste aluno é muito alta. Existe uma diferença no ingresso do estudante nas universidades dos EUA (a universidade escolhe o aluno) e nas brasileiras (o aluno escolhe a universidade). O corpo discente no Brasil é mais heterogêneo que nos EUA. A diferença entre o melhor e o pior aluno é muito grande, enquanto que nos EUA… Read more »

Sequim
Sequim
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Concordo plenamente, professor. Esses que defendem o fim da universidade pública e gratuita no Brasil deveriam colocar os filhos pra estudar nos States, onde as famílias têm que fazer hipotecas sobre seu imóvel pra pagar a universidade dos filhos. Queria ver esses hipócritas se tivessem que escolher entre colocar os filhos em uma universidade pública e uma universidade particular.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Sequim
1 mês atrás

O problema da universidade pública brasileira é seu custo. Vamos pegar a USP, que conheço bem. O Orçamento da USP para 2020 é de R$ 5,98 bilhões e ela tem 97.325 alunos (gradução e pos graduação). Cada aluno custa R$ 60 mil por ano ou 300 mil em cinco anos (média da graduação), ou US$ 12 mil por anos e US$ 60 mil a graduação. Nos EUA, cada aluno em universidade privada paga em média US$ 14 mil Claro: Ivy League é outra conversa. Quando levamos em conta que a salario mínimo nos EUA é US$ 7,25 por hora (uns… Read more »

Sequim
Sequim
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Mas como o Camargoer explicou, nossa universidade pública é bem mais inclusiva que a universidade americana. Como? 1. Bandejão; 2. Alojamento estudantil; 3. Transporte estudantil; 4. Bolsas de graduação, etc… Tudo isso tem um custo.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Sequim, as universidades dos EUA também oferecem tudo isso no preço. O problema é que quando a gente fala em universidade dos EUA o pessoal pensa em Harvard,Yale, Princeton, MIT, CALTECH… Ivy League. Essas aí são caríssimas mesmo

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Olá Jacinto. Os valores estão errados. Há alguns anos, o Banco Mundial fez um levantamento do custo das universidades brasileiras (Um Ajuste Justo: Análise da eficiência e equidade do gasto público no Brasil, 2017), classificando-as em 3 grupos. 1) privadas 2) públicas estaduais e 3) públicas federais. Os técnicos estimaram o custo anual das privadas em R$ 14,8 mil por ano. As públicas estaduais em R$ 32,2 mil e as federais em R$ 40 mil. O problema da conta foi dividir o orçamento total pelo número total de estudantes de graduação, ignorando que os alunos de mestrado e doutorado tem… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, Eu estou falando especificamente da USP. Todos os anos meu pai (ex-docente) recebe um email com a “Palavra do Reitor” que contém um anexo chamado “Anuário Estatístico” (acho que tem na Internet também). Na base de dados de 2019, esta anuário descreve ” alunos matriculados: 97.325 dos quais 59.097 em graduação, 14.047 mestrado, 15.248 doutorado (estranho ter mais doutorado do que mestrado) “especiais” (não sei o que é isso) 8.993. Enfatizo que estes números são dados pelo Vahan Agopyan, que é o reitor da USP. Já o orçamento da USP (R$ 5,98 Bi) está no “Jornal da USP”. Sob… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Olá Jacinto. Por favor envie um abraço meu para seu pai. No Brasil, praticamente todo mundo que faz mestrado continua fazendo o doutorado. Como o curso de mestrado é de 2 anos e o de doutorado são 4 anos, há um “represamento” natural no doutorado. Outro ponto importante é que a USP (e as outras universidades Top-20) tem os programa de doutorado melhor avaliados (por isso têm mais bolsas disponíveis). Os estudantes que fazem mestrado em universidades regionais geralmente buscam o doutorado nos grandes centros. Isso explica o grande número de doutorandos. Alunos especiais são aqueles que frequentam as disciplina… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

É caro Camargoer. Vamos sair dos EUA, porque sempre que se coloca os EUA o pessoal fica meio enlouquecido. Na Coreia do Sul a mensalidade anual de uma universidade e de US$ 6.500 em média, para um país em que a PIB per capita é US$ 31.000; No Brasil, o custo é mais ou menos os mesmos US$ 6.500 mais ou menos, para um PIB per capital que não chega a US$ 10 mil. Eu não acho ruim ter ensino superior gratuito, só acho que ele é caro demais. E se você for ver a experiência cearense com educação básica… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Olá. Acho difícil comparar o gasto por aluno do ensino fundamental/médio com o ensino superior. A qualidade do ensino superior tem um piso abaixo do qual inviabiliza o ensino. O que podemos perceber e que as instituições de ensino superior privadas cobram 1/3 do custo estimado para um aluno de uma instituição pública, mas oferece uma formação inferior. No Brasil, pior que o PIB per capita (um valor médio) tem sido a desigualdade que concentra a maior parte da riqueza em uma elite e deixa a maioria em níveis tão baixo de renda que prejudica inclusive o aprendizado das crianças,… Read more »

Matheus S
Matheus S
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Pois é. O problema é que esse abismo está aumentando a cada ano. Por exemplo, mais duas pessoas importantes pediram demissão de seus cargos, ligados a pasta econômica. O Brasil certamente não é um país para amadores.

Matheus S
Matheus S
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

Uma coisa é ter os EUA como o seu devedor e outra coisa é ter o Brasil como seu devedor. Nosso histórico é bem conhecido, calotes e moratórias, congelamento de ativos(poupança), revogação de contrato à canetada, golpes e outras situações que abalam a confiança do Brasil no mundo. Os EUA é totalmente o oposto disso. A capacidade de quitação da dívida é um dos diversos fatores que mantém a taxa de juros baixa nos EUA, e principalmente em países desenvolvidos, assim como a enorme demanda por dólar, ao contrário do real que não chega nem perto de ter a demanda… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Matheus S
1 mês atrás

a saída de capitais do Brasil, só assustou alarmistas, dizendo que o Brasil não era mais um pais para se investir, porém o país foi um dos que mais recebe investimentos no mundo, o que me asssusta é a dívida.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Olha, acho que você está enganado. O BACEN divulga essas informações de tempos em tempos e em junho deste ano divulgou que em março abril e maio deste ano, os estrangeiros retiraram R$ 150 bihões do país…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Jacinto
1 mês atrás

Como eu disse, isso foi os alarmistas, fuga de capitais, para se refugiar do Brasil não aocnteceu, o que aconteceu foi nossa taxa de juros caindo, é só a taxa de juros subir que o Dólar caia, agora a realidade já é outra. mas ainda vejo um cenpario favorável ao país se o govenro n~~ao derrubar o teto.

Sequim
Sequim
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Alarmistas? Porque você acha que o dólar está a mais de 5 reais? Engraçado é que quando estava em 2 reais e 50 em 2015 muita gente reclamava. Agora com ele a quase 6 reais, estes devem estar satisfeitos, né não?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Sequim
1 mês atrás

estes quem? Por mim o Brasil fazia uma reforma, para endurecer ainda mais o teto de gastos, e adotaríamos um currency board, 1 dólar igual a 2 reais.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Adson
1 mês atrás

A queda da Taxa Selic é uma tendência que antecede o Bolsonaro. O Michel Temer pegou o pais com a SELIC a 14%,25 e entregou com 6,25%.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

no manual de quem?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Olá Carlos. Samuelson. Geralmente sempre tem um exemplar mesmo que mais antigo disponível na biblioteca.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Quando a MB recebeu a primeira Niterói eu tinha 18 anos, hoje tenho 59 e elas já passaram por três ModFrags.
Existem limites tecnológicos que não podem ser superados nestas antigas fragatas, em especial no tocante a geração de energia para alimentar sensores mais modernos e com maior alcance. Dada a idade das embarcações o custo x benefício não compensa.

Teropode
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Tá , mas a questão do orçamento é de fácil resolução , basta trocar o caviar por filé de merluza e terceirizar a cozinha .

JOAO
JOAO
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Com certeza vão iniciar o projeto e finalizar a construção bem antes da MB concluir o seu. Constatação absurda, mas bem provável.

PACRF
PACRF
Reply to  JOAO
1 mês atrás

Há muito tempo a Coréia vem desenvolvendo sua indústria naval, não na construção de embarcações militares, mas também embarcações para transporte de carga.

MMerlin
MMerlin
Reply to  JOAO
1 mês atrás

O nível educacional, acadêmico, de necessidade e de fomento em pesquisa e desenvolvimento da Coréia do Sul está anos luz a frente do nosso país.
A Europa demorou séculos e inúmeras guerras para alcançar o nível em que se encontram hoje.
Algumas democracias asiáticas, como Japão, Coréia do Sul e Taiwan conseguiram isto em poucas décadas. É muito? Depende do ponto de vistas. Nossa nação desperdiça o berço esplendido que nascemos, defendendo fórmulas que não dão certo a tempos.

Camargoer
Camargoer
Reply to  JOAO
1 mês atrás

Olá João. A programação da MB é lançar o SN10 em 2029/2030. O reator do Labgene já está sendo construído e provavelmente será homologado em 2022. Os coreanos teriam que iniciar a construção do reator naval experimental agora para que seu submarino fique pronto antes do SN10.

Jorge Knoll
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Infelizmente tal previsão não se cumprirá. 2035/2036, quantos muitos que aqui externam sua opinião, não verão o submarino brasileiro nuclear ser lançado ao mar.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jorge Knoll
1 mês atrás

Olá Jorge. Talvez o SN10 possa atrasar caso o atual e o próximo governo eleito em 2022 decidam interromper o programa ou reduzir os recursos. A única etapa que falta é a homologação do Labgene. O projeto do SN10 já está na fase de detalhamento. Tudo sugere que os problemas técnicos já foram superados.

Gus Talking
Gus Talking
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Prezado, há 40 anos o Brasil pesquisa a energia nuclear, o que se fez até hoje foram contruir maquetes bonitas, se não fosse aquele almirante picareta roubar tanto, talvez tivéssemos vários reatores funcionando, talvez até produzindo plutônio para bombas atômicas, mas perdemos a oportunidade, o bonde passou.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Gus Talking
1 mês atrás

Olá Gus. A fábrica de combustivel baseada nas ultracentrifugas deve ser contabilizada como resultado do programa nuclear da MB

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Gus Talking
1 mês atrás

E felizmente não produzimos combustível para bombas atômicas, diga-se de passagem. Ainda bem que pelo menos esse bonde passou. Até acho boa termos o conhecimento e os meios de produzirmos, mas pelo menos dentro de um futuro previsível, produzir armamento nuclear está BEM LONGE de ser uma boa ideia.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Olá Leandro. O processo para fazer combustível enriquecido a 4% (para Angra I e II) e a 95% (uma bomba) é similar. Só leva mais tempo para fazer a bomba. Toda matéria-prima que entra em Resende é inspecionada pela ABACC e pela AIEA. O que entra de um lado precisa sair do outro. Não existe o risco de usar Resende para fazer material para uma bomba. Por outro lado, é mais simples produzir plutônio usando urânio a 4% (que forma plutônio dentro do reator) e depois separar quimicamente. Contudo, seria necessário fazer um reator secreto e desviar minério de urânio… Read more »

Marcilio lemos de Araujo
Marcilio lemos de Araujo
Reply to  Gus Talking
1 mês atrás

Bom dia Gus, respeito o seu comentário mas equivoca na afirmação de picaretagem do Almirante, nenhum projeto estratégico confidencial é desenvolvido com dinheiro previsto no orçamento pois se assim o fosse não seria de publicidade restrita, O Almirante ora em epígrafe, é um dos maiores cientistas nucleares do mundo, saudações.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcilio lemos de Araujo
1 mês atrás

Olá Marcilio. Defendo o indulto presidencial ao Alm.Othon, contudo não espero esse tipo de grandeza do atual presindente.

Jorge Knoll
Reply to  JOAO
1 mês atrás

João, disseste a própria verdade. O submarino coreano vai ao mar antes do submarino brasileiro. ,

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  JOAO
1 mês atrás

Se bobear, lançarão 2 antes do Brasil terminar o seu.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

De acordo com o Sr. João Moita Junior.

Lemes
Lemes
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Seria saudavel de de bom tom, antes de inventar de brincar de subnuc termos uma marinha de verdade. Coisa que não temos! Uma marinha que mal e porcamente consegue manter operacionais dois ou três IKL-209 (o fusca dos submarinos) e que só deus sabe como pretende manter e operar os scorpene, que não possui escoltas de verdade, que fica brincando de força aeronaval com meia duzia de A-4 sem ter a menor perspectiva de possuir um porta-aviões, e ainda fica gastando o pouco que tem num projeto ridículo de uma baleia branca nuclear não é uma marinha para se levar… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Lemes
1 mês atrás

Concordo com o Sr. Lemes. Não há interesse de ser desenvolvido enquanto Forças.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Olá Claudio. Concordo. Sou um entusiasta do SBN. Os maiores esforços foram realizados. Infelizmente, li esta semana que o governo federal está segurando as verbas para Resende adquirir a matéria prima para processar o combustível nuclear para Angra I e II. Os reatores são anualmente realimentados. Caso o material a matéria prima não seja adquirida agora, será necessário importar o combustível (isso se o mercado internacional tiver disponível, porque isso é encomendado com antecedência).

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Prezado,

O texto fala em um submarino nuclear portador de mísseis balísticos, ou seja , um SSBN. Os SSBN’s nao são usados como arma de negação de uso do mar. Os SSN’s é que se incumbem desta tarefa. Portanto me parece que seu comentário está equivocado.

Esteves
Esteves
1 mês atrás

Ameaças e inimigos. Assim se constrói uma indústria de Defesa.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Esteves
1 mês atrás

eu nao ia querer que uma Venezuela ou Colombia tivesse armas nucleares…

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Caro Marcelo. As ameaças á soberania brasileira não são os países da América latina.

Thiago
Thiago
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Hoje, diante da insignificância e tombo da Argentina ou da implosão da Venezuela, mas não é uma situação confortável, Carmagoer. Qualquer um dos nossos vizinhos pode se tornar um proxy, como maneira de assegurar a própria sobrevivência ou ascensão regional, se inserir nesse contexto de rivalidade global em troca de muito pouco. É verdade que a nossa região é periférica e distantes dos principais atores, até os EUA mostram um certo desleixo com o seu próprio quintal. Porem o cenário é de imprevisibilidade e risco. Diante da premissa que todo vazio tende a ser preenchido, da ascensão da China e… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Thiago
1 mês atrás

Olá Thiago. Concordo com você que a situação da Argentina e da Venezuela são ruins e deve piorar com a crise da Covid. O seu argumento que potências de outros continentes podem afetar o equilíbrio geopolítico na América Latina corrobora o meu comentário. Os riscos para a soberania brasileira estão localizados fora do nosso continente. Outros países da América Latina também estão com problemas, como o Equiador e Bolivia, sem falar do Chile que havia entrado em uma espiral de protestos sociais antes da epidemia. O Itamaraty tinha uma atuação muito equilibrada e ativa na região, abortando todas as tentativas… Read more »

jss
jss
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Não esqueça do “chanceler”, em minúsculas também….este malfazejo diplomático começou antes !

Camargoer
Camargoer
Reply to  jss
1 mês atrás

Olá JSS; Talvez fique mais adequado escrever “Xanceler”. Sem chance.

Adson
Adson
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Marcelo, um subnuc não é uma arma nuclear, e´um submarino de PROPULSÃO nuclear. Para usá-lo como arma nuclear teríamos que levá-lo a alguma costa inimiga, explodi-lo para que ele contamina-se a costa daquele país, é ilógico, rsrs.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Mas mesmo antes, um governo com vergonha na cara, continuidade e projeto de nação. O Brasil carece de todos estes pré-requisitos.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Concordo com o Sr,. Esteves.

Caio
Caio
1 mês atrás

Só pra cutucar , será que o deles vai demorar 40 anos, para ficar pronto?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Caio
1 mês atrás

Olá Caio. Talvez o programa do submarino nuclear coreano seja mais curto que o do brasileiro, mas acho improvável que eles consigam comissionar o submarino antes do SN10 (a não se que a MB interrompa o ProSub).

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Ou…
A não ser….
Que a verba pro SNBR sofra mais uma(s) tesourada(s), e que o cronograma tenha que ser revisto pra mais un(s) ano(s).
O que é totalmente possível e provável.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Olá Wilber. O Prosub ainda precisa de mais ou menos US$ 2 bilhões ao longo dos próximos 10 anos (praticamente R$ 1 bilhão por ano). 1. É preciso concluir e homologar o Labgne (falta pouco). 2. È preciso construir o SN10 (estimo algo em torno de US$ 1 bilhão ~ US$ 1,2 bihão). 3. Construir as instalações radiológicas na BSIM. A continuidade do ProSub (até o lançamento do SN10) envolverá 3 governos (o atual, o eleto em 2022 e o eleito em 2026). Claro que qualquer um destes presidentes poderá cancelar o ProSub ou inviabiliza-lo cortando as verbas. A atual… Read more »

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Caio
1 mês atrás

Nem 40 meses.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Caio
1 mês atrás

Os sul coreanos, menos de 30 anos atrás, estabeleceram um programa de desenvolvimento de submarinos em 3 fases. A primeira fase era adquirir sub alemães (214) a segunda construir localmente, sob licença e com acréscimos subs alemães e a terceira fase era desenvolver um submarino próprio. A terceira fase já se concretizou: em menos de 30 anos os sul coreanos deixaram de ser meros compradores de submarinos e se tornaram desenvolvedores e construtores de submarinos. E o que era apenas despesa, se tornou fonte de receita, já que eles, hoje, exportam submarinos.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

O Brasil fazendo escola, eu creio fomos o primeiro país sem armas nucleares a fazer um submarino nuclear!

Marcos10
Marcos10
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Ainda não fizemos. Por hora é só promessa.
Não sei, mas acho que esse dai fica ponto antes do nosso.

JOAO
JOAO
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Com certeza sim! Quando construírem a quinta unidade, talvez estejamos concluindo a nossa primeira.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Olá Marcos. Discordo. A fábrica de combustível é um fato (é operacional e comercial). O estaleiro e a nova base de submarinos são fatos. O Labgene é um fato (o vaso do reator está sendo fabricado pela Nuclep). O programa ultrapassou a etapa de promessa em 2009 quando foram assinados os contratos.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O foguete brasileiro também estava pronto, na rampa de lançamento.
De lá para cá o que foi lançado ao espaço foi só o dinheiro.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Caro Marcos. Há uma enorme diferença entre o programa do VLS e o ProSub. O VLS era de responsabilidade da FAB (DCTA) que após o acidente resolveu priorizar o VLM (veículo lançador de microssatélites). Os programas da FAB que poderiam ser comparados ao ProSub seriam o FX2 ou o KC390. Cada coisa em seu lugar.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

resolveu priorizar o VLM, que também está uns 4 anos atrasado e não se tem mais notícias. Não duvido nada que daqui a pouco seja cancelado tbm.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jadson Cabral
1 mês atrás

Olá Jadson. As razões de priorizar o VLM ou sua interrupção tem que ser perguntado para a FAB.

IBIZ
IBIZ
1 mês atrás

Não ficaria surpreso se o projeto deles saísse do papel e terminasse antes do submarino nuclear brasileiro.

guilardo
guilardo
Reply to  IBIZ
1 mês atrás

Amigos. Podem ter certeza que esse subN da Coréia do Sul, que iniciará ainda, ficará pronto primeiro que o do Brasil. Só me lembra a implantação das pesquisas espaciais brasileiras, que iniciou primeiro do que a China, a Índia e Israel, e até hoje não conseguimos lançar um mísero, micro, ou o que seja, em órbita.

Marcelo
Marcelo
Reply to  guilardo
1 mês atrás

Sem recursos financeiros é impossível! Tem que elevar para 2.2% do PIB os gastos com defesa

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

2,2% pra quê? Pra gastar maia de 80% com soldo e pensão?

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Concordo, sou contra elevar os gastos antes de tornar medidas para reduzir a folha para 60%.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás

Caro Rodrigo. O primeiro mandato de Rooselvelt foi caracterizado pelo lançamento do NewDeal. Foram tomadas algumas ações para recuperar a atividade econômica. O PIB tinha caido -30% e o desemprego estava em 25%. Contudo, no início do segundo mandato, acreditando que a economia estava em recuperação, foram tomadas ações para reduzir as despesas do governo federal, buscando reduzir o déficit. Isso provocou uma nova queda econômica, voltando aos níveis do início do primeiro mandato. Sem entrar no mérito do tamanho do efetivo das forças armadas (que também considero demasiadamente grande), o problema agora é a queda da arrecadação devido ao… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, obrigado pelo post.
Acredito que os militares contribuem muito pouco com o PIB através de seus salários, custeios, e benefícios. Agora demando muitos recursos do orçamento das FFAA. Não sou contra um investimento maior no setor, muito pelo contrario. Não concordo com reduções para os militares que estão na ativa, pois já entraram com uma perspectiva de carreira, mas uma reestruturação para os futuros militares.
Grande abraço.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás

Olá Rodrigo. Fiz uma estimativa que os 90 mil jovens que cumprem serviço obrigatório anualmente custem cerca de R$ 1 bilhão ao ano. Ano passado, o MinDef gastou um pouco mais de R$ 80 bilhões com pessoal ativo e inativo. Segundo o Portal da Transparência, em 2019 o governo federal pagou em salários para pessoal civil R$ 84 bilhões (ativos) e R$ 27 bilhões para os militares (392 mil ativos, sendo 90 mil cumprindo serviço obrigatório). e R$ 116 bilhões para pensões e aposentadorias (civis e militares). São praticamente 300 mil militares de carreira, a maioria no EB. O serviço… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Olá Marcelo. O problema deste número é que o PIB de 2020 será menor que o de 2019. O FMI estima que o PIB brasileiro irá ter uma queda de -9,1%. Os operadores de mercado (mais otimistas porque precisam vender seus produtos) estimam em -5,3%. A média destas duas estimativas é -7% (mais provável). Talvez os gastos com defesa possam até ser maiores que 2% do PIB desde que tenham algum impacto no aquecimento da atividade econômica nacional, por meio de compras governamentais. O problema é que com uma queda catastrófica do PIB e com taxas deflacionárias, a equipe econômica… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Sempre defendi o Estado mínimo necessário. O que a maioria das pessoas não compreende é que a palavra ‘necessária’ é a chave da frase. Em tempos que crise, o Estado sempre TEVE que se fazer presente. Comparando com a Segunda Guerra Mundial e anos imediatamente posteriores, TODOS os países afetados tiveram que aumentar o tamanho do Estado de maneira à gerenciar e suprir o país. A diferença é que a maioria desses países retraiu uma vez que a casa ficou em ordem. Não gosto da interferência do Estado em praticamente qualquer nível da vida do cidadão porém estamos justamente no… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Olá Leandro. O Brasil estava com um índice Gino maior que 0,5 até ano passado. A maior parte dos aposentados recebe um salário-mínimo. O salário médio no Brasil é R$ 2,3 mil. Portanto há uma enorme parcela da população que precisa dos serviços de saúde e educação oferecidos pelo Estado. Isso em condições normais. A carga tributária brasileira é similar á média dos países da OCDE, mas a desigualdade é maior e a taxação sobre renda no Brasil é inferior ao dos países da OCDE. Desde a promulgação da CF88, o Estado vinha aumentando as garantias e direitos dos indivíduos… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Eu disse isso a um ano atrás:
Era questão de tempo até a China esticar a corda e a CS construir seu sub-nuke.
E aposto que a CS já tinha planos pra isso, e não é de hoje.
Os próximos serão a Austrália e o Japão, fiquem vendo.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

bem, so fica pronto antes ou junto do nosso se a CS estiver com um programa secreto de reator com uns bons 10 ou 15 anos…se nao, nao tem como ficar pronto antes ! Tecnologia nuclear nao eh bolinho nao…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Concordo. Mas nenhum país sério ( e a CS é um país sério ) simplesmente decide, de uma hora pra outra, fazer subNucs.
Certeza que CS, Japão e Austrália tem décadas de estudo sobre isso, sobre a viabilidade do projeto, quais os desafios, como deve ser feito, etc, etc.
Dinheiro, base industrial e pessoal capacitado pra isso eles tem, mesmo que demore décadas. Além de terem inimigos pra servir como “incentivo”.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

A Coreia do Sul tem mais de vinte Usinas Nucleares operando.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Não vejo isso como consequência de animosidade com a China, visto que uma eventual invasão da Coreia do Sul por norte-coreanos e chineses seria por terra e com um desfecho, muito provavelmente, rápido.
Um submarino não seria muito útil em uma guerra entre esses países.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Como não?
Imagine que 90% de todo seu comércio internacional seja feito por via marítima, e seu adversário mande 2 ou 3 subs nucleares pra sua costa.
Imagine a quantidade de meios que você seria obrigado a usar só pra caçar esses subs.
Qual país do mundo dorme tranquilo sabendo que seu inimigo tambem tem sub nuclear?
Melhor dissuasão que essa, só se os subs tambem tivessem mísseis balísticos nucleares.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

A Coreia do Sul não nunca faria isso com possíveis milhões de soldados chineses e norte-coreanos a 70 km de sua Capital, arregimentados em caso de animosidade crescente.
Seria suicídio.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Se a Coréia do Sul estivesse encarando uma invasão iminente, o que ela teria à perder de qualquer maneira?

E uma península montanhosa não é exatamente um lugar onde os milhões e milhões de soldados fariam uma diferença imediata. Acho que uma invasão norte-coreana/chinesa talvez não obtivesse uma vitória tão rápida e tão esmagadora quanto os números fazem parecer, mesmo sabendo que a China não se importaria tanto com o número de baixas, já que teriam mais do que o suficiente para a reposição e não teria que enfrentar opinião pública interna.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Suicídio? Provavelmente.
Mas isso se chama dissuasão. Isso se chama “tú quer mesmo pagar pra ver? Quer mesmo fazer essa aposta?”

Jacinto
Jacinto
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

A Coreia do Sul é uma potencia nuclear latente. Têm o conhecimento, a tecnologia e material atômico estocado para construir armas nucleares em 6 meses.

Marcos R
Marcos R
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

E vão construir um subnuc portdor de missseis balísticos… Quanto tempo leva para adicionarem ogivas atômicas nesses mísseis?

Last edited 1 mês atrás by Marcos R
Jacinto
Jacinto
Reply to  Marcos R
1 mês atrás

“If we decide to stand on our own feet and put our resources together, we can build nuclear weapons in six months,” Suh Kune-yull, a professor of nuclear engineering at Seoul National University, told the Times. “The question is whether the president has the political will.”

Andromeda 1016
Andromeda 1016
1 mês atrás

Há fortes indícios de que a Coreia do Sul vai comprar tecnologia francesa de construção de submarino nuclear.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Andromeda 1016
1 mês atrás

Mas em que nível?
Estrutura ou propulsão?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás

O nível que a CS estiver disposta a pagar. E a CS tem grana pra isso.

Andromeda 1016
Andromeda 1016
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás

Suffren Barracuda, e o motivo principal da escolha deste submarino é que o reator dele utiliza urânio enriquecido a 20%, o que atende às necessidades da Coreia que não pode enriquecer urânio acima desse valor devido ao acordo firmado com os Estados Unidos.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

4000 ton nuclear eh bem pequeno, similar a classe Amethiste francesa. O nosso que nem eh dos maiores, tera 6000 ton se nao me engano.

Andromeda 1016
Andromeda 1016
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Bem, os coreanos costumam diminuir as especificações de seus armamentos quando os tornam públicos para evitar críticas de seus vizinho China e Japão, logo acredito que este submarino será bem maior do que 4000 toneladas quando ficar pronta.

Andromeda 1016
Andromeda 1016
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

O Suffren possui 5300 toneladas sem lançador de mísseis verticais, contudo uma vez que o submarino coreano terá lançadores verticais é óbvio que será muito maior do que 4000 toneladas

Camargoer
Camargoer
1 mês atrás

Caros Colegas. É disseminada a má-vontade de muitos colegas com o ProSub. As críticas começam com a duração (corretas), com a ausência de mísseis verticais (injustas), ausência de armas nucleares (fora de contexto), com o envelhecimento da frota de superfície, com a escolha do modelo francês, com o numero de submarinos, com a ausência de um segundo lote de Scorpenes, com os custos de construção e operação, com o tamanho do submarino, com o atraso no PMG dos Tupi (conjuntural) e até como tamanho do efetivo da MB comparado com outras marinhas similares (correto). Seria importante separar os problemas do… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Agora sim a ROK Navy terá um poder de dissuasão muito maior.

JuggerBR
JuggerBR
1 mês atrás

Já imaginaram se no futuro, com estas armas prontas, a Coréia do Sul cai nas mãos do norte coreano? Um submarino nuclear com capacidade de lançar misseis balísticos de qualquer lugar deixaria o ocidente em pânico…

GFC_RJ
GFC_RJ
1 mês atrás

Isso é o que chamo de execução de uma estratégia de defesa naval!
Não aquela porcaria que tenho lá em casa!

É Sub-Nuc, Destróier AEGIS, Porta-F35s… Nossa senhora!

Esteves
Esteves
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Eles.
Inimigos, ameaças, foram invadidos, sistema de ensino de primeira linha, disciplinados, focados no aprendizado e nos resultados, gente louca no entorno.

Nós aqui.
Amigos de todos.

Flamengo X Atlético MG
Que coisa triste
Palmeiras X Corinthians
Medonhos
Goiás X São Paulo
Dizem que foi o COVID que se recusou a participar

O prefeito quer marcar as praias com fitas. O outro prefeito fez um kit com oxigênio + remédios contra pulgas.

Tem alguma coisa errada nesse país.

Marcos R
Marcos R
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Esqueceu o prefeito que quer usar ozônio via retal para tratar Covid…

Sequim
Sequim
Reply to  Marcos R
1 mês atrás

Esqueceu o presidente que disse” é só uma gripezinha, tá okey?”

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Sequim
1 mês atrás

“E daí? Lamento, quer que eu faça o quê? Bora tocar a vida”

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Dr. Drauzio Varella, medico queridinho da Globo, é o autor.

Coronga nas costas do Presidente… Não cola cara pálida!

Sequim
Sequim
Reply to  Farroupilha
1 mês atrás

Dr. Dráuzio aprendeu a imitar o Bolsonaro? Porque eu ouvi isso da boca do próprio (des) presidente.

Azor
Azor
1 mês atrás

Poderiam fazer parceria com o Brasil !! nosso projeto de SBN estha bastante adiantado !!

Pablo Maroka
Pablo Maroka
1 mês atrás

Escorre lagrimas quando vejo um aliado da democracia e liberdade alcançando voos tão grande.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Pablo Maroka
1 mês atrás

É muito provável que a CS desenvolva seu projeto de submarino nuclear em torno de um reator de quarta geração. Com isso, não produzem resíduos radioativos com capacidade de serem aproveitados para produção de bombas. Ficam dentro dos tratados de não proliferação, não terão problemas de lixo radioativo nem os custos absurdos do descomissionamento de um Sub Nuc de reator PWR. Nós poderíamos e deveríamos seguir o mesmo caminho, ainda que ao custo de perda de alguns investimentos. Em se tratando de submarinos, a simplificação dos problemas de isolamento radioativo, diminuição de peso devido ao menor espessura dos vasos de… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Pera. Espera por favor.

“Para IV geração tem-se esperança de que, a partir de 2030, várias usinas já estejam sendo produzidas e fornecendo energia em larga escala com bastante segurança e competitividade econômica. Há a estupenda estimativa de que a capacidade de geração de energia será de 100 a 300 vezes maior que tecnologias inferiores produzem atualmente.”

Ainda estamos estudando reatores de segunda geração.

Quando chegarem na produção comercial e militar dos reatores de 4a.geração nos anos 2030…estaremos após 50 anos aprendendo a operar o Álvaro Alberto…se o Álvaro Alberto existir nos anos 2030.

Carlos
Carlos
1 mês atrás

“ah mas o deles vai ficar pronto antes dos nossos”

Ah sim, grandes patriotas com grande fé no país aqui na trilogia.

Sequim
Sequim
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Cara, é bem por aí. Tem um monte de gente aqui que adora se auto-intitular “patriota” mas também adora atacar e desmerecer as conquistas do Brasil como nação: o País investe em caças novos? ” Só 36? Vergonha este país, blá blá blá “; o País não investe em caças novos? ” Vamos ficar sem defesa antiaérea! Vergonha este país, blá blá blá “; O País investe em novos submarinos? ” Só 4 submarinos? Vergonha este País, blá blá blá “; O País não investe em submarinos? ” Não temos uma marinha de verdade! Vergonha este país, blá blá blá… Read more »

Teropode
1 mês atrás

Acho que a unificação da Coréia não interessa a ninguém , apenas aos coreanos …. por uns 10 anos a Coreia unificada teria que resolver problemas sociais mas após este período começariam a se tornar players importantes , Japão e EUA não curte , China e Rússia também não . Isso se a unificação for liderada pelo sul , se for liderada pelo norte kkkkkkkkkkkkk, seria o apocalipse zumbi .

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Acharam que a reunificação alemã também encontraria problemas de ordem econômica e social por décadas, mas não foi bem assim. Claro que o desafio entre as Coréias é bem maior, mas eu apostaria que seria mais rápido do que dez anos.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Institucionalmente, a reunificação alemã foi surpreendentemente rápida. Mas no cotidiano eu vejo que a unificação ainda não se completou. A parte oriental da Alemanha possui índices de desemprego maiores, menor produtividade e dinamicidade na economia. A diferença da periferia de Berlin Ocidental para a Oriental é bizarra. Dresden tinha obras de reconstrução dos bombardeios da 2a GG ocorrendo nesta década ainda (fui lá em 2010), mais de 20 anos depois da unificação. Concluí que foram 40 anos quase parados, reconstruindo a passos de cágado e só deu uma acelerada de 2000 para cá. Impressionante. Acho que uma possível unificação da… Read more »

Teropode
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Bom , eu acredito em apenas 10 anos , os especialistas dos anos 80 possuíam viés apocalíptico , o fim estava logo ali 👉….. na esquina .

Cleber
Cleber
1 mês atrás

Ficara pronto antes do nosso ! E com um poder dissuassorio muito maior . Terra brasilis …

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

É… O mundo se preparando para uma nova guerra…

Vilela
1 mês atrás

Certamente entra em operação antes do Álvaro Alberto…

Camargoer
Camargoer
Reply to  Vilela
1 mês atrás

Olá Vilela. Eu acho que provavelmente o SN10 ficará pronto antes. Mas é apenas chutologia minha e sua.

Paulotd
Paulotd
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

CS vai terminar o sub nuclear antes da gente, e antes das 4 “fraguetas” também

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Caro Camargoer, Caso os sul coreanos desenvolvam por si mesmos a propulsão desse possível SN, é coisa que vai demorar muito mais que o nosso. Um SN é projeto extremamente complexo. Sendo que algo necessário e demorado será a fase de certificações de inúmeras partes do mesmo, haja visto se for dotado de características stealth como a novíssima classe Astute dos ingleses. Certos comentários acima depreciativos de nosso ProSub e SN Álvaro Alberto são hilários até. – Caso comprem a tecnologia pronta de algum generoso fornecedor então, sim, poderá ser realidade em poucos anos. – A Índia, em desespero de… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
1 mês atrás

O que vejo é a Coreia do Sul procurando se resolver de forma pragmatica. Deseja cacas de 5 geração inclusive nacionais Alicerçou sua industria naval de defesa dando lhe a musculatura na area mercante. Possui otimos projetos civis e militares Ja ensaia ter seu próprio Nae, mas não fico surpreso se tudo nao passar de apenas um ensaio para a aquisição do Nae britanico É um atalho e conseguiriam navegar um com menos de 1 ano Fosse uma proximidade maior com o Brasil, poderiam financiar o nosso projeto de subnuke e assim eles pularem etapas. É a fome com a… Read more »

Paulotd
Paulotd
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

Off: 2,8 milhões de reais da MB para brindes. Ver na Veja

Last edited 1 mês atrás by Paulotd
Camargoer
Camargoer
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

Olá Paulo. Se quiser ver, Veja. Se quiser ler….

Camargoer
Camargoer
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

Olá Paulo. Pois é. Os editais de pesquisa do CNPq tem uma lista de coisas que são proibidas de adquirir, como por exemplo “brindes”. Aliás, a cadeira que eu uso na minha sala comprei com meu dinheiro (porque a cadeira fornecida pela universidade quebrou).

Luiz Floriano Alves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Esclarecendo: já existem reatores de quarta geração a venda. A Whestignhouse aceita pedidos para uunidaes integradas de 5 MW do modelo e Vinci.O Canada está negociando mini reatores de quarta geração com a Argentina e o Chile. A nossa burocracia está planejando como fará a certificação de PWRs daqui a 10 anos? Triste, mesmo…

Esteves
Esteves
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Calma.

Vamos tentar o nosso de segunda geração e de 50 anos.

Mestre Camargo garante que estamos testando o Labgene.

Se e quando…quando e se estivermos operando…vamos ver que história é essa de reator de 4a. geração.

Mas será assunto para 2050/60.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Como eu só abasteço em postos da rede BR, no que eu puder o Labgene estará homologado em 2022/2023. Agora, vai depender do Ponto Ypiranga. Falar nisso, ontem dois frentistas pediram as contas e vão trabalhar de Uber,(ou qualquer coisa de relacionada a ser empreendedor… não entendi)

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Acho que o posto muda de bandeira.

Sai Posto Ipiranga, entra bandeira nenhuma.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. Eu entendo pouco de bandeira. Tem que perguntar para quem foi treinado prestar continência. Outras vezes bate a incontinência.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

No tempo passado eu chamava isso de purrinha. Quebrava uns palitos e jogava no blefe.

Ganhava quem perdia.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Típico de estatais e autarquias.

Até os espanhóis comprarem era brinde todo ano. Depois que os Opus Dei chegaram…acabou.

Acabou o rarara.

Esteves
Esteves
Reply to  Paulotd
1 mês atrás

Estatutários. Só festa.

Esteves
Esteves
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

Olha, veja… Antes e depois de ser privatizada e vendida aos portugueses, os parceiros de negócios eram americanos. A planta foi digitalizada com o CDMA. Isso permitiu a entrada dos coreanos da LG e da Samsung, os maiores defensores do CDMA da Qualcomm…outra vez os americanos. Os coreanos…naqueles anos…fazer negócios com eles…chamados pelos japoneses de cães do Oriente…bem…não era favorável. Fazer negócios com os nokianos que faliram anos mais tarde e com os americanos (que também faliram mas conseguiram vender aos chineses) significava somente…transpirar, fazer a pré-venda, fazer a pós-venda, fazer rarara, fazer rarara novamente e mostrar resultados. Os coreanos..eles… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

https://twitter.com/marmilbr/status/1293701780442931207

Marinha do Brasil

@marmilbr

#PROSUB Hoje (12), o Submarino “Riachuelo” realizou a primeira navegação independente, sem a necessidade do uso de rebocadores. Foram testados os lemes, o sistema de navegação e propulsão, os diesel geradores, as cargas das baterias no mar e o sistema de comunicação.



EfQm6aCWsAE2FPn.jpg
Oséias
Oséias
1 mês atrás

AIP é bom, mas nuclear é incomparável.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Oséias
1 mês atrás

A USNavy é mais proativa e está investindo em novas formas de propulçao e abastecimento. A ultima, publicada na Popular Mechanics de Agosto diz respeito a uma forma de converter o CO2 em OC ou monóxifo de carbono e hidrogênio. Assim a queima de combustível gera mais combustível mediante um processo catalítico, com intervenção de água do mar.
será ou é como extender o abastecimento por um ano ou mais, em qualquer barco da USNavy.