Home Indústria de Defesa Energização das baterias do submarino Humaitá – S41

Energização das baterias do submarino Humaitá – S41

6775
133

A equipe do Estaleiro de Construção (ESC) segue trabalhando empenhado na finalização do submarino Humaitá – S41, segundo submarino do Prosub.

A carga das baterias marca a aproximação da etapa de energização do submarino, para início dos testes dos sistemas a bordo.

Os submarinos convencionais do Prosub são equipados com 360 elementos de baterias, divididos em duas praças localizadas na seção 4 e na seção 2A, com cada bateria medindo 1,20m, responsáveis por alimentar o motor elétrico de propulsão (MEP) e todos os demais sistemas internos.

Ativação dos elementos de bateria do Submarino Riachuelo, em 2018

 

Visão em corte de uma bateria do submarino S-BR

FONTE: Itaguaí Construções Navais (ICN)

Subscribe
Notify of
guest
133 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Caramba 1,20 metro de altura cada… e eu aqui achando caro trocar as 02 baterias da D-20 da empresa (R$ 390,00 pila cada uma) Essas ai devem seu um pouco mais caras 🙂

Brincadeiras a parte mais uma importante etapa vencida… Parabéns a todos, gostaria de saber a possibilidade ?? de no futuro o Brasil construir por aqui submarinos iguais ou similares para por exemplo marinhas do Chile, Peru, Argentina e ou outras, pois estamos adquirindo “Norral” que deve ser aproveitado não pode ser desperdiçado

Pedro Rocha
Pedro Rocha
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Mestre Rodrigo saudações! Já construímos os do Peru e Argentima (IKL 206) e estamos concluindo os do Chile (Scopene sendo que o modelo chileno é variação espanhola)

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Pedro Rocha
1 mês atrás

Desculpe-me,mas de onde você tirou que estamos construindo submarinos para o Chile?

Pedro Rocha
Pedro Rocha
Reply to  Pedro Rocha
1 mês atrás

Olá pessoal! Desculpem o mal entendido o que eu quis dizer que foi mal escrito é que já construímos, no caso para nossa MB os modelos utilizados pela Argentina e Peru (classe Tupi) e a variante francesa dos utilizados pelo Chile (classe Riachuelo). Detalhe atualmente somos os únicos que fabricam submarinos na America do Sul haja vista que a Argentina não fabrica mais os TR1700

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Acho difícil essa possibilidade,se alguma marinha quiser adquirir Scorpènes,logicamente a França vai querer que eles sejam fabricados por lá para gerar empregos.Provavelmente sairia até mais barato e menos burocrático para o comprador adquiri-los diretamente no fornecedor ao invés de fazer a aquisição através de um intermediário.Além disso há sempre a chance de um comprador exigir que o aparelho seja fabricado no próprio país.

Junior
Junior
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Não seria, já tem toda uma infraestrutura montada aqui, com pessoas qualificadas, diferentemente da França, aonde o último scorpene construído foi para a Malásia há muito tempo atrás. O que pode acontecer é partes do Scorpene, como a vela do submarino, ser construído na França e exportada para ser montada aqui, como eles fizeram no primeiro Sbr. E lembrando que aqui a linha de montagem esta aberta, ou seja, ela esta prontinha para construir outro scorpene imediatamente

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Junior
1 mês atrás

Junior,pode ter certeza que os estaleiros da DCNS na França são muito mais capacitados para construir submarinos do que a ICN,que está fabricando os nossos.Além do mais,a França dificilmente deixaria de gerar empregos lá,para gerar aqui,como eu afirmei.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. Você assume uma premissa que a França pressionaria para que que o submarino fosse construído na França para assegurar que todos os empregos fossem gerados lá, o que teria inviabilizado a fabricação dos submarinos no Brasil ou na Índia. A fabricação local também interessa à França por gerar empregos nas empresas fornecedoras de sistemas. Pense que qualquer que seja o estaleiro escolhido, a França será o principal fornecedor dos sistemas de controle, propulsão e talvez até de armas. Um ganho parcial garantido é melhor que um potencial ganho completo.

Kemen
Kemen
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Pelo que se acompanha nas vendas da DCNS, para ganhar uma concorrência que exija participação local na construção ela possibilita isso junto aos construtores navais locais pqra essas unidades que o clienyte quer, construtores locais que podem ou não ser pré estabelecidos pelo comprador, se não for exigida participação local na construção, ela pode ou não oferecer, dependendo das condições tecnológicas dos construtores locais.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Olá Kemen. Pois é. Os franceses são flexíveis. Depende do cliente.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Olá Allan. A França apoiaria a venda de um Scorpene construído no Brasil porque uma parte significativa dos equipamentos seriam feitos na França. Pode ser a geração apenas parcial de empregos, mas é demanda para as empresas francesas. A parte burocrática é tão grande de um contrato destes que tanto faz onde for feito. O ponto mais delicado é a relação diplomática e a viabilidade do financiamento para o estaleiro. Estas coisas dependem muito do empenho diplomático do governo brasileiro. O problema é conseguir esse empenho do governo.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Então VCS não detestam os Europeus em geral, e os Franceses em particular.
Engraçado, devem pensar que os outros andam a dormir.

Camargoer
Camargoer
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Caro Rui. Não entendi seu comentário. Explica melhor.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Rui, boa tarde.

Já vi outros posts seus e vejo que vc tem muito a contribuir com seu conhecimento. Não entendo porque fica postando esses comentários tipo Europeus x Sul americanos.

Abs.

Kemen
Kemen
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Como? Compramos Gripen, IKL, Scòrpene, Meteor, Meko A100 e detestamos os europeus?
A propósito, gentilicos no Brasil escrevemos com letra minúscula!

Kemen
Kemen
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Não acredito, a não ser que já tivesse sido estabelecido no contrato de compra do pacote todo com a MB. Estamos entrando num caminho de suposições superpostas.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Camargoer
Camargoer
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Olá Kemen. Foi como você escreveu em outro comentário. Depende do cliente. Se o Brasil tiver a chance de construir um Scorpene para exportação, vai ter que importar um monte de componentes da França. È uma questão de conversar, de negociar. O atual contrato da MB é para a construção de 4 SBR, do SBN e do estaleiro. Submarinos adicionais demandariam outros contratos, outras condições. Acho que os franceses é a parte simples do contrato. O difícil é convencer uma outra marinha a comprar um submarino de meio bilhão de dólares, já que isso vai demandar um financiamento do BNDES… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Pela política demonstrada pelos franceses, o sub tipo scorpene e uma plataforma exportação nativa francesa ou transferindo tecnologia ao pais comprador. Brasil’ india como exemplo. Chile e Malásia compraram duas unidades cada. A classe barracuda base futuros sub nucs franceses e a oferecida a Australia e provavelmente aos futuros compradores.

Renato
Renato
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Prezado Camargoer, Era pretensão da nossa Marinha ampliar a parceria com a França no tocante a transferência tecnológica de construção dos Submarinos. Mas infelizmente em pleno andamento da construção de nossos Submarinos, o nosso “digníssimo” presidente da República abriu a bocarra e falou demais. Conclusão, o que estava em tratativas de forma sigilosa emperrou. A Marinha lamentou o episódio de forma velada. Isso atrapalhou e muito as pretensões de maiores conhecimentos junto a França. Isso dito por um Almte.da força que pediu para não ser identificado. Esse Presidente pra mim é igual aquele jogador que só entra no time pra… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Renato
1 mês atrás

Olá Renato. Você saberia de modo geral, quais eram os temas que estavam sendo negociados?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Olá Rodrigo. Claro que seria possível, mas isso depende do Chile ou da Argentina, como compradores, decidir compra-las do Brasil. No caso dos submarinos, há pouca diferença de preço em construir no Brasil ou em outro estaleiro. A decisão teria muita influencia política e na capacidade do governo brasileiro de oferecer condições de financiamento vantajosas, por exemplo via BNDES. O problema foi que o presidente do Brasil não foi na posse do presidente da Argentina e a ministra Damares ofende a ex-presidente do Chile. Assim fica difícil conquistar um cliente para comprar um submarino de meio bilhão de dólares.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Não que eu queira defender o energúmeno que atualmente ocupa o Palácio do Planalto,mas a esquerda acha que quem é de direita é nazifascista,então mesmo se aquele pateta tivesse alguma noção de decoro e fosse um homem que soubesse se comportar como um chefe de Estado,não haveria nenhuma possibilidade da Argentina fazer esse tipo de negócio com o Brasil.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. Todo nazista/fascista é de direita. Apenas uma fração das pessoas de direita são fascistas. Outra fração é de democratas. A mesma sobre as pessoas de esquerda. Uma fração é democrata. Eu passei a separar as pessoas em democratas (direta e esquerda) e não-democratas (extrema-direita e extrema-esquerda). Eu evito “centro” porque ninguém é de centro (que seria uma posição neutra). Bush-Jr era considerado de direita e teve uma excelente relação com Lula (considerado de esquerda). O Brasil tinha uma excelente diplomacia que assegurava relações com praticamente todos os governos, independente da matriz ideológica. Quem arruinou isso foi o Ernesto,… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Caro Camargoer,se existe coisa que a esquerda odeia,é a democracia. Falar em “democrata de esquerda” é um oxímoro. O que existe são aqueles que acham que a esquerda fez um bom governo por pura ignorância e por isso se identifiquem como “esquerda”,esses talvez tenham algum apreço pela democracia,mas os outros têm ojeriza à palavra.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Olá Allan. Temo que você desconhece o que é esquerda. No momento que você “exclui” por definição a esquerda do espectro político, você sacrificou o próprio conceito de democracia. Do mesmo modo que é um erro achar que toda a direita é fascista, é um erro ignorar o campo democrático à esquerda. Recomendo o texto do Bresser Pereira “O paradoxo da esquerda no Brasil” de 2006. Um pouco antigo, mas continua sendo muito bom.

Sequim
Sequim
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Exatamente professor. Sonha-se no Brasil com uma “democracia” sem oposição e sem contraditório. Muito esquisita essa “democracia” à brasileira.

Last edited 1 mês atrás by Sequim
Camargoer
Camargoer
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Olá Seq

Camargoer
Camargoer
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Olá Sequim. Acho que essa discussão sobre democracia se tornou urgente novamente. Precisamos voltar a discutir a necessidade da democracia tanto para a proteção do indivíduo quanto para a redução da desigualdade social. Ou isso ou a revolução das massas.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Verdade e digo mais. Sem imprensa livre, policia indepedênte e sem judiciário indepedênte.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer,não existe um único lugar no mundo onde as ideias da esquerda foram aplicadas e houve democracia em sua plenitude.De fato,nem toda pessoa de direita é fascista,mas toda pessoa verdadeiramente de esquerda é antidemocrática,pois a essência do que é defendido pela esquerda por si só já vai totalmente contra aos princípios democráticos.Pessoas de esquerda defendem a democracia apenas na teoria,mas na prática a combatem.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. As democracias escandinavos baseadas no estado de bem-estar social são exemplos de sociedades democráticas de esquerda. A ideia da escola pública e gratuita e uma política de esquerda. Programas de saúde como o SUS são ideias de esquerda. Políticas compensatórias como cotas de gênero ou etnia são políticas de esquerda. Microcrédito são políticas de esquerda Legislacao trabalhista com férias remuneradas, limite a jornada de trabalho, proibição de trabalho infantil são políticas de esquerda. Universidade pública e gratuita também seria uma política de esquerda. O cooperativismo teve origem na esquerda. Tributação progressiva da renda. Licença maternidade e paternidade. O… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

A sua visão é míope e superficial,meu camarada. São justamente as ideias da esquerda que estão destruindo a civilização ocidental desde a sua base. A implementação de certas políticas públicas sociais se trata apenas de aumentar o tamanho do Estado e tornar as pessoas dependentes do mesmo.

Last edited 1 mês atrás by Allan Lemos
Sequim
Sequim
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Eu não sei se sua confusão de esquerda=comunismo é apenas ignorância ou é proposital. A esquerda está “destruindo” as bases da civilização ocidental? Veja a notícia que saiu hoje sobre um país “atrasado “chamado Alemanha que vai instituir uma renda mínima de 1.200 euros por mês pelos próximos 3 anos. Vão fazer isso pra estimular a economia. Como a Alemanha é atrasada, né? Culpa dos comunistas, ora esses comunistas!

Last edited 1 mês atrás by Sequim
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Sequim
1 mês atrás

Sem ofensas,mas se você acha que esquerda não tem nada a ver com comunismo,aconselho que você procure estudar sobre o tema antes de sair por ai tentando debater sobre o assunto que você evidentemente não entende,ou pelo menos abra os olhos pars a realidade política brasileira,se mesmo assim você achar que esquerda e comunismo não estãl relacionados,então estará apenas sendo desonesto intelectualmente.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. Todo comunista seria de esquerda, mas apenas uma parte da esquerda seria comunista. Portanto estaria errado dizer que comunismo seria sinônimo de esquerda.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer,como eu disse,a sua análise sobre a situação é superficial.Esquerda e comunismo são como unha e carne,um não existe sem o outro e são sim sinônimos O que pode existir são diferentes graus de “esquerdismo”,há aqueles que se filiam ao PCO e PSTU para a defesa aberta e explícita do cominismo,há aqueles dá esquerda nutella,que apoiam o PT,PSB,PDT,há a esquerda covarde,representada por partidos como o PSDB,que juram de pé junto que não são de esquerda porque têm medo de sair do armário,e por fim há os simpatizantes da esquerda,que acham que o Lula era bonzinho e fez um bom governo… Read more »

Renato
Renato
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Allan,
Vc viveu sempre no Brasil?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Alan. Todo comunista é de esquerda, nem todo esquerdista é comunista. A esquerda é mais “heterogênea” que a direita. É comum dizer que a esquerda geralmente é derrotada porque geralmente ela entra em disputas eleitorais fragmentada (o exemplo mais engraçado das disputas dentro da esquerda é o filme “A vida de Brian”). A pauta de “costumes” geralmente aparece em oposição à pauta conservadora, mas ela é um equívoco confundir a luta identitária com a luta entre os sistemas econômicos capitalista x socialista. O que ocorre é que muitos grupos que lutam pelos direitos humanos, pela igualdade de gênero (homens… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer,como eu disse em outro comentário,o feminismo,os grupos LGBT e também os ambientalistas são os novos braços armados do comunismo,os dois primeiros em especial são os responsáveis diretos pela degradação moral e social da sociedade,tudo o que é defendido por esses grupos é nocivo à sociedade.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. O movimento feminista, lgtb, ambientalista, etc, são legítimos e estão relacionados com a luta pelos direitos civis. Surgem da luta pelo sufrágio universal, pelo fim das leis de segregação e do movimento pacifista contra as armas nucleares. Nenhum deles está diretamente relacionado com questões econômicas como capitalismo ou comunismo. Estes movimentos estão ligados aos partidos de esquerda porque os partidos de direita se fecharam para eles.

Renato
Renato
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Allan,
Se vc acha q tudo q é da esquerda é comunismo, porque a França faz parte da OTAN e não faz parte do pacto de Varsóvia?
Algum dia vc morou em outro país?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. O capitalismo tem a tendência de concentrar renda por meio da redução dos salários. Uma boa fonte de estudo sobre o que era o capitalismo no início da revolução industria são os livros de Charles Dickens. Segundo o IBGE, a chance de um jovem filho de país com nível fundamental incompleto terminar a faculdade seria menor que 5%, enquanto que o filho de país com nível superior completo seria maior que 75%. Isso mostra que a desigualdade social se perpétua geração após geração. Não existe meritocracia que vença está barreira social. Segundo Delfin Netto, foram as ideias de… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer,o capitalismo jamais teve a pretensão de ser perfeito,mas mesmo com suas falhas ele é um milhão de vezes melhor do que a alternativa,e acho que você concordará comigo,a menos que você já tenha ouvido falar de milhões de pessoas tentando pular para o lado direito do Muro em busca do “Sonho soviético”. Concordo,há barreiras sociais que não podem ser quebradas pela meritocracia,e é nesse sentido em que a plena aplicação dos direitos de segunda geração se faz necessária para que seja garantida uma igualdade material entre os cidadãos.Mas isso está longe de significar instituir uma dependência dos indivíduos em… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. O capitalismo surge a partir da revolução industrial como um sistema de acumulação de riqueza de um grupo de pessoas que não integravam a “nobreza” europeia, proprietária das terras. Concordo com você que seria um absurdo alguém dizer que o capitalismo teve algum dia a pretensão de ser perfeito. O sistema soviético falhou em promover a democracia e em garantir o bem-estar da população. Também é fato que a maioria das barreiras sociais jamais serão vencida por meritocracia ou esforço próprio. Os EUA no pós-guerra emergem com uma enorme infraestrutura industrial que foi modernizada e ampliada durante o… Read more »

Renato
Renato
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Se vc conhece tão bem os regimes políticos europeus, me fale a respeito do regime social democrata francês.
Diga-se de passagem um dos mais bem sucedidos do mundo.
Esse é o mais próximo do que eu penso para uma sociedade mais justa.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Renato
1 mês atrás

Olá Renato. As democracias escandinavas (Suécia, Finlandia e Noruega) apresenta melhores índices ainda que a francesa. No Japão, há também um amplo bem estar, apesar de uma enorme apatia política.

Renato
Renato
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer,
Obrigado pela informação.
Não sou contra quem pensa diferente de mim.
Isso não seria democrático
Só espero sempre que o outro que me contrapõe venha com argumentos sustentáveis e plausíveis e não com respostas subjetivas.
Em tempo:
Admiro o sistema francês, mas isso não acarreta afirmar que é um sistema sem algumas falhas.
Até porque sistema perfeito desconheço.

Last edited 1 mês atrás by Renato
Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Na europa, nós paises baixos, suêcia, noruega e principalmente na França, onde a esquerda surgiu, te diz o contrário.
O maior problema e confundir esquerda com comunismo e direita com nazismo ou fascismo.
Nem toda á esquerda e comunista e nem toda a direita e fascista.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Olá Cristiano. Concordo com você.

FABIO GUILHERME LOUZADA MARTINELLI
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Desculpe, mas a esquerda representa justamente a prevalência do comum sobre o indivíduo. Ocorre que o comum acaba traduzindo-se em um grupo determinado (escolhido) de pessoas, tolhendo a liberdade. Fascismo e comunismo são irmãos e estão o mesmo lado da cartela de cores. Temos aí a esquerda. Então não há como falar em liberdades e esquerda. Países escandinavos têm economias abertas e liberais, seguindo ora mais ora menos a cartilha do que denominamos políticas econômicas de direita. Politicas sociais de direita diferem da esquerda porque são provisórias e visam atender uma situação pontual.

Camargoer
Camargoer
Reply to  FABIO GUILHERME LOUZADA MARTINELLI
1 mês atrás

Caro Fábio. Fascismo e comunismo são diferentes. O capitalismo surge com a revisão industrial, e junto com ele surge a classe proletária. As condições nas fábricas eram desumanas, com jornadas longas, trabalho infantil e salários miseráveis. O assédio sobre as mulheres era constante. Não havia férias nem direitos trabalhistas. Neste contexto surge o socialismo e o comunismo, além da luta pelo voto universal. O fascismo surge no Séc.XX como uma reação a revolucao sovietiva e passa a ser considerado ao no início da década de 1930 como uma solução capitalista ao desafio colocado pela expansão do movimento comunista a partir… Read more »

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Não se engane! Eles só aparecem “no final” e só têm apreço ao socialismo – luta de classes. Aliás, agora estão se intitulando progressistas, humanistas, etc. (seja lá o que isso for).
São chegados a um intenso e perene controle social, a um Estado onipresente e onisciente (quase um Estado-Deus).
E rebatem à exaustão, quase que atavicamente, opiniões divergentes, martelando famosos e antigos mantras.
Entretanto, parece-me que existe “uma corrente nórdica” buscando alternativas. Quem viver verá.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Edson Parro
1 mês atrás

Caro Edson. Fico surpreso e preocupado em saber que você tem dúvidas sobre o que significam os valores humanistas. A luta de classes é inerente ao capitalismo, já que os proprietários dos meios de produção ficam com o excedente de riqueza produzido pelo seu funcionário, que recebe um salário inferior à riqueza que produz com seu trabalho. Aliás, o socialismo surge para encerrar a luta de classes.

Kemen
Kemen
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Os extremos sejam de direita ou esquerda buscam o absolutismo, o dominio completo, a história é testemunha.

Renato
Renato
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Allan Lemos, O que é esquerda e direita na sua compreensão? Para mim há muito tempo fugi desses dogmas ultrapassados que não acrescentam em nada o discernimento no entendimento popular do que é política. Hoje eu julgo as ações e não os títulos ou rótulos que cada ideologia ostenta. Tanto um quanto outro estão entupidos.de erros, principalmente. Se alguma ideologia ou partido tivesse dado certo, o Brasil hoje seria uma superpotência mundial. Julgo hoje o que é certo ou errado, o que é bom ou o que é ruim, independente de do partido ou ideologia. Se amanhã o socialismo fizer… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Renato
1 mês atrás

Renato,esquerda e direita não são dogmas ultrapassados,são definições realistas dos lados do espectro político. Você fala da dicotomia capitalismo vs socialismo como se ambos fossem igualmente incompetentes no Brasil,mas parece ignorar a realidade dos fatos,o simples fato de estarmos nos comunicando há milhares de kms de distância já é o bastante para provar a superioridade daquele sobre este. Enquanto que não há um único lugar no mundo que tenha obtido sucesso através do socialismo. É óbvio que há muitos problemas no caso brasileiro,mas eles nada têm haver com o capitalismo em si,mas sim com outros fatores que se estendem pelo… Read more »

Renato
Renato
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Não entendi. Vc andou andou, andou e objetivamente não disse absolutamente nada. Sugiro vc se informar melhor e se atualizar. Comece pelo vídeo postado no YouTube com as declarações do Ex Presidente militar General João Batista Figueiredo a respeito da política brasileira. Allan, Aprenda que nessa guerra não existem santos. Nem os militares escapam. Vide militar que transportava drogas no avião presidencial. Esse é peixe pequeno. Imagine o que os peixes graúdos não fizeram. Veja o vídeo do ex general e Presidente e depois volte aqui e me diga o que vc entendeu do recado dele. Saiba separar o joio… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Renato
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Renato
1 mês atrás

Renato,aguardarei você refutar a minha linha de raciocínio. A única coisa que direi é que eu não falei que existiam santos,mas que de um ponto de vista objetivista,o lado certo é óbvio.

Renato
Renato
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Ratifico minha pergunta:
Vc sempre morou no Brasil?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Renato
1 mês atrás

Desde o nascimento.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Renato
1 mês atrás

O socialismo nunca fará nada pela Nação pois esse não é o objetivo dele,nem aqui e nem em nenhum outro lugar do mundo. O objetivo do socialismo é trabalhar em prol do próprio socialismo,não importa quem tenha que ser sacrificado,seja o povo ou a própria identidade nacional.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. O capitalismo tem como objetivo acumular capital, sem considerar os interesses das pessoas, das cidades, dos países ou mesmo sem considerar os interesses ambientais, não importando quem ou o quê tenha que ser sacrificado.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer,”acumular capital” é o interesse de todos nós,caso contrário você pegaria o seu salário todo mês e o jogaria na lata do lixo.Se Bill Gates não tivesse interesse em acumular capital,não estariamos conversando através de computadores,se John Rockefeller não tivesse interesse em acumular capital,os americanos continuariam vivendo na idade média sem combustíveis e outros derivados do petróleo. A busca pelo capital tem impusionado o avanço da humanidade,mesmo que o capitalismo não seja perfeito,já a busca pela “igualdade” que o socialismo prega só leva à miséria. Essa preocupação toda com interesses ambientais não passa de histeria coletiva,desde que eu estava no… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. O salário não é capital, mas é o pagamento que o trabalhador recebe por “vender” a sua capacidade de realizar trabalho. Um assalariado não é capitalista. Lucro, comércio, dinheiro (meios de troca) existem há milhares de anos, contudo o capitalismo é bem recente, tendo surgido durante a revolução industrial. O buraco na camada de ozônio foi identificado na década de 70, quando foi estabelecido a relação entre o CFC e o metano da destruição do ozônio. Por isso, o CFC foi banido em todos os países, o que primeiro resultou na interrupção do processo de destruição do ozônio… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Todos nós somos capitalistas e todos nós usufruimos das maravilhas proporcionadas pelo capitalismo,principalmente aqueles professores das universidades federais que defendem com unhas e dentes as teorias de Marx ao mesmo tempo em que dirigem um Fusion,têm um iPhone 11 no bolso,frequentam o McDonalds e passam férias na Disney.Esses são os capitalistas raiz,aqueles que denfendem o capitalismo só para si e jogam o socialismo no lixo,de preferência no colo dos pobres. São também conhecidos como “socialistas de iphone”,”esquerda caviar” ou “liberais de limosine”.

Last edited 1 mês atrás by Allan Lemos
Renato
Renato
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Porque as pessoas não comentam as mazelas dos anos da ditadura?
Medo, vergonha, preconceito, ignorância política ou algum interesse pessoal sigiloso?
Quero deixar bem claro uma coisa.
Como em todo e qualquer segmento da sociedade, existem as pessoas de caráter, existem as sem caráter.
E essa premissa serve para os militares também.

J. Ricardo
J. Ricardo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Lula só teve aopio e excelente relação onde despejou dinheiro do BNDES de graça!

Camargoer
Camargoer
Reply to  J. Ricardo
1 mês atrás

Caro JRicardo. O BNDES tem disponível a relação de todos os contratos de financiamento. Sendo um banco, ele precisa obedecer ás regras do setor. Recursos a fundo perdido também são acompanhados por auditorias (quem já teve que enfrentar um auditor da FAPESP sabe). Quem dá o parecer sobre empréstimos é a equipe técnica do banco. Acho que você desconhece a seriedade dos funcionários do BNDES. Entendo que o tema ainda desperte paixões e sentimentos primitivos em muita gente (lembrei do BobJef) mas já chegou o momento de uma ampla “autocrítica” sobre que foi o governo Lula tanto de quem o… Read more »

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Quando será que lulla fará uma autocrítica?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Edson Parro
1 mês atrás

Caro Edson. O ex-presidente é parte da história, assim como será o atual quando encerrar seu mandato. Cabe aos historiadores, economistas, sociólogos fazerem análise de seus governos. Por outro lado, a sociedade participa da ação política apoiando ou se opondo ás ações de governo. Contudo, esse apoio/oposição é feito no calor do momento. Somente depois é possível avaliar com alguma racionalidade os acertos ou erros dos apoios/oposições. Este debate deve ser feito por quem fez as escolhas eleitorais naquele momento do voto. A autocrítica é sobre esse momento de escolha pessoal, protegido pelo voto secreto. Autocrítica é particular.

Pedro
Pedro
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Ótimo comentário. Parabéns, cuidado que a patrulha já chamou o Mestre Dalton de Comunista, por só postar coisas da China….

Camargoer
Camargoer
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Olá Pedro. Há anos participo com comentários na trilogia. Já fui ofendido de maneira grosseira, tive dados pessoais publicados, um colega que dizia ser da inteligência das forças armadas sugeriu que eu estava sendo observado pelo serviços internos, fui ameaçado, ameaçaram minha familia. Eu agradeço muito os editores que excluíram vários desses comentários e algumas vezes puniram alguns dos cegas que exageraram nas críticas. Mas estes casos são exceção. A maioria dos cegas são ótimos. Já aprendi muito. Mudei de opinião várias vezes. Respeito muito o debate aqui.

Kemen
Kemen
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, me parabenizo com você por suportar essas coisas incriveis, acho que o debate construtivo enriquece, pontos de vista diferentes são e devem ser aceitos junto com seus argumentos, siga em frente colega, por mim você é muito bom em seus argumentos e aceita debates e observações diferentes. Não desista.

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer estamos mesma trincheira, as vezes VC viaja um pouco rss porem respeito sua posição e sou contra qualquer atitude, náo só contra você, de ninguém. Se náo gostarem pulem seu comentário, porem a agressão de qualquer especie repudio veementemente. Lembrando Brasil e para todos brasileiros, o sistema democrático garante isto ao invés de esquerda/direita que discriminam parte população, acredito que esta discriminação vem de algum trauma infância ou complexo inferioridade latentente.

Kemen
Kemen
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Discordo de vc Camargoer (aliás isto é bem democratico), tem partido definido como posicionamento de centro, nenhuma alusão ao positivo, negativo e neutro da eletricidade, mas sim da politica. A Suiça é um pais de posição neutra, a Suecia também é um pais considerado de posição neutra. Um partido politico de centro, pode ser favoravel a uma proposta de um partido de direita ou centro direita e ser favoravel a uma outra proposta de partido de esquerda ou centro esquerda. Isso se chama centrismo, que analisa o que é melhor com os seus membros na sua posição politica em cada… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Ola Kemen. De fato, há quem defina a existência dos partidos de centro-direita ou centro-esquerda. Ache que nenhum partido político é neutro porque ele possui interesses, possui seu programa e sua estratégia para vencer as eleições (todo partido político tem um projeto de poder, é para isso que eles disputam eleições). O importante é lembrar que os partidos que participam de processo eleitoral democrático orbitam em torno do centro mantendo-se afastados daquilo que chamo de extrema-direita e extrema-esquerda. Os partidos ou movimentos políticos extremos têm em comum a negação do diferente. A extrema-direita nega o direito da esquerda democrática de… Read more »

Vitor
Vitor
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Se livrar da extrema direita no poder vai dar mais trabalho do que foi se livrar da extrema esquerda.

Enquanto a extrema esquerda esta impregnada na mídia e universidades, a extrema direita toma mentes e corações nos quarteis. Pobre Brasil.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Mas para fabricar para as outras marinhas vai depender além de vontade política se essas marinhas vão ter orçamento para tal aquisição. É mais fácil vender um ou dois IKL-209 usados para o Peru e tentar incluir na venda a modernização dos mesmo aqui no Brasil!

eggfilho
eggfilho
1 mês atrás

achava que era mais de quatrocentos baterias, conforme anteriormente noticiado por ser sbr maior que o scorpene.

John Paul Jones
John Paul Jones
1 mês atrás

Pergunta que não quer calar e a reportagem acima não esclarece:

A Bateria é Nacional ou Importada da EXIDE ??

Foi fabricada no Brasil ??

Acho que não ….

Cadê a tão propagandeada Nacionalização ?!? ….

John Paul Jones
John Paul Jones
Reply to  Antonio Polati
1 mês atrás

Obrigado Antonio, lá tá a resposta, não é nacional, vamos aguardar os próximos capitulos desta história. Abraços

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Antonio Polati
1 mês atrás

Muito interessante o artigo. Mas ele também mostra o descaso dos oficiais e políticos brasileiros com o setor da defesa. Deixar uma empresa estratégica como a Saturnia ser controlada por uma empresa estrangeira e falir é um pecado. É inacreditável que não tenham aprendido absolutamente nada com o fim da Engesa.

Last edited 1 mês atrás by Allan Lemos
Renato
Renato
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

E o que o atual Presidente fez com a EMBRAER? Só não foi pra frente pq a BOEING estava endividada até a alma.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Renato
1 mês atrás

Amigo,você me entendeu mal,eu sou conservador no sentido mais clássico da palavra,mas eu não apoio o atual presidente,e uma das razões que o fez ganhar a minha antipatia foi justamente a quase entrega da Embraer à Boeing,que ao meu ver teria sido um crime de lesa-pátria. Um outro motivo foi a entrega da Base de Alcântara. Eu também sou contra a ideia de privatizar empresas estratégicas como a Petrobrás e a Nuclep,cujas privatizações foram cogitadas pelo Guedes. Eu sou conservador patriota,o Bolsonaro é só um entreguista de direita.

Camargoer
Camargoer
Reply to  John Paul Jones
1 mês atrás

Olá JPJ. Eu sei que as baterias dos Tupi são feitas no Brasil. As marinha tem total interesse em que as baterias dos Riachuelo também sejam nacionais. Conheço alguns pesquisadores que estiveram envolvidos com a nacionalização das baterias do Tupi. Talvez eles saibam algo sobre as baterias do Riachuelo.

John Paul Jones
John Paul Jones
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

De acordo com o artigo acima seria para o terceiro submarino, vamos aguardar os próximos capítulos, espero que essa empresa Newpower não siga as aguas da Saturnia infelizmente …

Camargoer
Camargoer
Reply to  John Paul Jones
1 mês atrás

Olá JPJ. Estas baterias tem um ciclo de vida inferior ao do submarino. Elas precisam ser trocadas quando são realizados o PMG. O acidente com o submarino argentino foi provocado por problemas no recondicionamento das baterias velhas. Portanto, mesmo que o S40 e S41 sejam inicialmente equipados com baterias importadas (os Tupi foram equipados inicialmente com baterias alemâs), é preciso ter capacidade de produzi-las nacionalmente para quando os submarinos realizarem seu PMG. Talvez um submarino use uns 4 ou 5 conjuntos de baterias em sua vida. Portanto, alto entre 15~20 conjuntos de baterias fabricadas no Brasil. Creio que o custo… Read more »

J Hernani
J Hernani
Reply to  John Paul Jones
1 mês atrás

Meu primeiro post espero que sera uma resposta a altura do comentario acima.

Sobre as baterias fornecidas a MB, antes quem fazia a substituição e reparos era a Falida Saturnia do interior de SP, aqui messe link as resposta quanto a bateria dos Scorpenes DCNS Naval Group https://www.naval.com.br/blog/2018/06/07/nacionalizacao-no-prosub-o-desafio-das-baterias/

Renan
Renan
1 mês atrás

Grande avanço
Aguardo ancioso o lançamento ao mar

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

E uma coisa muito importante a tecnologias de fabricação dessas baterias foram repassadas para o Brasil, não sei se as baterias do 209 já eram fabricadas aqui, mas agora se não eram quem sabe não podemos fazê-las também pois basta adaptar a tecnologia para produzir as baterias com as características técnicas das baterias do IKL.

Aéreo
Aéreo
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

A SATURNIA fabrica há 30 anos baterias de submarinos no Brasil.

Salim
Salim
Reply to  Aéreo
1 mês atrás

Nao temos mais Saturnia, foi comprada e fechou ( otinas baterias ) Foi anunciado que a partir do terceiro sub teremos bataria nacional. Vamos aguardar, porem não vi nada mais escrito a respeito disto. Mostra situação atual, ate o aço e importado.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Salim
1 mês atrás

Salim, seu comentário está corretíssimo.

Aproveito a oportunidade para dizer que sempre leio o que vc escreve, sempre focado no assunto da matéria, ao contrário da maioria que enche o saco falando de política e de como a MB gasta seu orçamento com aposentadoria e outras coisas.
É isso. Foco no assunto da matéria.

Control
1 mês atrás

Srs
Baterias chumbo ácidas são de tecnologia centenária e poderiam ser fabricadas aqui por alguma das fábricas que produzem baterias estacionárias e para o setor automotivo, porém há a questão da continuidade da produção (as FA`s são péssimos clientes). Economicamente é mais negócio importa-las. Aliás, pagar TOT para produzir baterias chumbo ácidas é um tremendo atestado de incompetência ou má fé ou ambos.
O lógico seria estarmos trabalhando para desenvolver a tecnologia da ion de lítio ou, melhor ainda, das de grafeno.
Sds

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Control
1 mês atrás

A primeira fábrica de baterias de Lítio Enxofre do mundo está sendo construída no Brasil, em Minas Gerais.
Olha aqui uma matéria sobre:https://canaltech.com.br/inovacao/primeira-fabrica-de-baterias-de-litio-enxofre-do-mundo-sera-no-brasil-165477/

Grafeno em baterias? eu conheço a aplicação em placas de circuitos, mas desconheço qualquer capacidade de armazenamento de energia do mesmo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Control
1 mês atrás

Caro Control. A bateria chumbo-ácido, que equipa os Tupi usam uma tecnologia mais antiga e amplamente conhecida. O problema é a homologação do dispositivo para ser usado em um submarino. É preciso garantir que o modelo construído faça os ciclos de carga-descarga em segurança, sem emissão de gás hidrogênio (devido a eletrólise da água nos eletrodos) e mantendo a densidade de carga (a velocidade com que a bateria é carregada e descarregada afeta a disponibilidade de potência para operar os motores. A pólvora foi inventada no Sec VIII na China imperial e continua tendo um destacado papel militar.

Control
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Srs Jovem Camargoer As baterias chumbo ácidas sempre liberam algum hidrogênio nos ciclos de carga/descarga, mesmo no caso das seladas. Afinal, o hidrogênio está presente no eletrólito (tanto no ácido como na água) E por isto é que qualquer instalação com bancos de baterias chumbo ácidas precisa de cuidados para manter o volume de hidrogênio no ambiente abaixo dos níveis de perigo. Quanto a tecnologia das baterias, as atuais pouco diferem das baterias utilizadas, por exemplo nos Tupi. Tanto a estrutura física como os materiais envolvidos pouco diferem, o que resulta em desempenhos bem parecidos. A questão é que nã… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Control
1 mês atrás

Caro Control. Não pode confundir o íon hidrogenio H+ que caracteriza a acidez do meio com o gás hidrogênio H2 que explode. O gás hidrogênio H2 pode ser formado pela redução do íon H+ ou pela eletrólise da água. A fabricação das baterias dos submarinos não depende de escala. Isso nunca vai ter. Por isso são caras. O problema delas continua sendo homologacao.

Control
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Jovem Camargoer Pode informar qual o tipo/modelo/fabricante de bateria chumbo ácida que não libere hidrogênio? Afinal há diversas aplicações industriais que se beneficiariam de tal bateria pela redução de custos com instalações especiais e procedimentos de segurança. No que tange a questão de que a demanda não é importante para viabilizar a produção local sugiro uma consulta aos fabricantes, aí se incluindo os fornecedores das peças e partes que entram na produção dos elementos. Afinal uma bateria chumbo ácida não contem apenas chumbo e eletrólito, mas exige vasos, separadores, etc. Mesmo sendo de uma produção quase artesanal, o desenvolvimento do… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Control
1 mês atrás

Olá Control. Em teoria, nenhuma bateria de chumbo-ácido deveria gerar gás hidrogênio. No eletrodo de chumbo, os elétrons são liberados pela precipitação do sulfato de chumbo. No outro eletrodo de óxido de chumbo, os elétrons são capturados também pela precipitação de sulfato de chumbo. A origem do sulfato de chumbo é o ácido sulfúrico. A recarga acontece pela dissolução do sulfato de chumbo. A geração de gás hidrogênio ocorre devido contaminantes nos eletrodos e na solução de ácido sulfúrico (como ferro, manganês, alumínio, cálcio) que podem leva a reações paralelas. Outro problema é a variação do pH devido o consumo… Read more »

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

OI Camargoer A homologação entra na questão da escala e custo. Não é uma questão em separado. Para atender todos os requisitos para uma homologação, a empresa tem que investir em pessoal, equipamentos, procedimentos, certificações. O quanto vale a pena para uma empresa fazer este investimento todo, com o histórico que o Brasil tem? Quantas Barroso haviam sido planejadas e quantas temos. Quantos NaPaO, foram planejados e quantos foram entregues? Esta é uma visão minha, enquanto nossa Economia for de 0 a 100 e depois a 0 novamente, dificilmente seremos autônomos em varias áreas, simplesmente porque não sei se vou… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcelo Baptista
1 mês atrás

Olá Marcelo. Entendo o seu ponto de vista. Todas estas despesas devem ser colocadas no preço final, inclusive o lucro da empresa. Isso eleva o preço. A importação pode ser mais barata que só se justifica para equipamentos e insumos não-estratégicos. Um material estratégico deverá ser produzido nacionalmente mesmo que isso signifique um preço maior (geralmente, os preços dos insumos estratégicos é tão grande que os custos relacionados á nacionalização, incluindo a homologação, são diluídos). A empresa pode obter ganhos adicionais exportando o produto ou aproveitando a tecnologia para produzir outros produtos para o mercado civil. O preço é a… Read more »

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 mês atrás

Quando será o lançamento ao mar do Humaitá? Ainda neste ano?

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Alexandre Galante
1 mês atrás

Obrigado pelo esclarecimento, Galante!

FRANCISCO MARCELIO DE ALMEIDA FARIAS
1 mês atrás

360 elementos de baterias? Por que diminuiram? Eram 440 como anunciado e também que a partir do Tonoleiro seriam nacional … Quem sabe informar por aqui?

FRANCISCO MARCELIO DE ALMEIDA FARIAS

Baterias HAGEN (Exide Technologies Industrial Energy) distribuídas em 2 compartimentos, cada um com 220 células.
http://tecnodefesa.com.br/nuclep-na-cerimonia-de-integracao-dos-submarinos-classe-riachuelo/

Rafa_Positronn
Rafa_Positronn
1 mês atrás

Ainda lembro como se fosse hoje: O Presidente Lula assinando o acordo com o Sarkozy e os Trilogiopatas torcendo o nariz

Hoje, no cumulo do cinismo, a galera vem parabenizar

é muito descaramento

Canarinho
Canarinho
1 mês atrás

Uma observação, no texto abaixo da gravura da reportagem diz que a helice é movida por uma turbina. Nao seria a helice ser movida por um motor eletrico, este por sua vez e alimentado pelo banco de baterias, que por sua vez e recarregado atraves de um motogerador acionado por um motor Diesel? Algumas perguntas para os nobreas colegas do forum O motor elétrico foi nacionalizado (e alguem saberia dizer se e um motor de corrente continua com ou sem escovas?) O motor Diesel e fornecido por alguma empresa nacional? Acredito que a Weg tenha condicoes de fornecer o moto… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Canarinho
1 mês atrás

Olá Canarinho. Você está certo. O hélice é movimentado diretamente pelo motor elétrico. O motor elétrico pode receber energia das baterias, diretamente do gerador ou de ambos simultaneamente. O gerador é movimentado por um motor diesel. O gerador pode fornecer energia para o motor elétrico ou para a bateria ou para ambos simultaneamente

Salim
Salim
Reply to  Canarinho
1 mês atrás

Tambem tenho diversas duvidas no assunto do que sera produzido no Brasil. Ate agora so montagem. Se alguem tiver algo concreto poderia nos esclarecer.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Salim
1 mês atrás

Só montagem?
Todo o casco resistente e suas estruturas do internas são atualmente fabricados no Brasil (na Nuclep e na UFEM, uma do lado da outra), e há diversos itens nacionalizados e em nacionalização.

Tem dezenas de matérias a respeito aqui no site, muitas delas coberturas especiais dos próprios editores. Sugiro digitar “Prosub” no campo busca.

Last edited 1 mês atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Pois é!

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Canarinho
1 mês atrás

Ótimo comentário.

Seria interessante sabermos, ao final, o que de fato é made in Brasil (%) nos SBR.

Salim
Salim
Reply to  Alexandre Galante
1 mês atrás

Acredito ser um tópico interessante situação atual de fornecimento efetivo de produtos nacionais neste programa. O que foi planejado para o real e futuro pretendido. Acredito náo ser fácil empreitada, porem seria de bom proveito.

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Canarinho
1 mês atrás

Canarinho Busque na trilogia, existem ótimas reportagens com fotos fantásticas das fases de construção do Riachuelo e muitas informações, por exemplo: https://www.naval.com.br/blog/2018/02/16/weg-comeca-fabricar-motores-para-submarinos-da-marinha/ https://www.naval.com.br/blog/2018/06/11/11-de-junho-dia-de-entrar-no-futuro-riachuelo-com-o-poder-naval/ Mas em resumo, não os motores principais, estes, para estas 4 unidades, são franceses, inclusive, segundo alguns comentários, a fabricante francesa teve receio de repassar para WEG a ToT, pelo tamanho da WEG, pois a empresa francesa praticamente só existe por necessidade estratégica da França. Lembro que nos Tupi, os motores auxiliares são todos Siemens, pelo que lembro de ter visto em outras reportagens. E isto casa com a discussão sobre se temos ou não capacidade de… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Marcelo Baptista
1 mês atrás

Temos sim condição de produzir, porem náo temos mais engenharia de ponta para sustentar estes projetos. Infelizmente e nossa realidade, hoje vem tudo pronto, vários itens produzidos aqui, porem engenharia básica e de fora. Ressalto sempre a importancia de criarmos tecnologia e técnicos de nivel. Brasil forte e Brasil independente. Como exemplo nas FAAS, tot sub, tot helicópteros, tot avião,
tot corvetas e por ai vai. Aceitar realidade sera primeiro passo para girarmos este jogo.

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

A tecnologia dessas baterias deveriam ser transferidas a Moura baterias ou outras empresas nacionais que fabricam baterias diversas.
Essas baterias é semelhantes as utilizadas pelos Tupis?
Se sim, porquê não adquiriram da mesma empresa nacional que fabricava baterias para os Tupis?
Porquê não utilizaram a tecnologia nacional em baterias de submarinos adquirida nós Tupis para os SBR?
Afinal de contas, baterias são semelhantes para qualquer equipamento eletro eletrônico.
Por fim, será que transferiram para Weg a tecnologia dos motores elétricos ??

Camargoer
Camargoer
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Olá Fox. Cada submarino tem um modelo de bateria, tanto em tamanho quanto em desempenho. Seria impossível pegar a bateria do Tupi e colocar no Riachuelo primeiro porque as baterias têm tamanhos e pesos diferentes, e em segundo porque elas tem capacidade de carga e velocidade de carga/descarga diferentes. Cada submarino tem uma demanda de potência diferente, o que implica um desempenho diferente. As baterias do Tupi são chumbo-ácido. Eu imagino que as baterias do Riachuelo também sejam deste tipo, mas a empresa que for fabrica-las terá que homologar o desempenho (por exemplo, as baterias teriam que exibir uma determinada… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Olá Camargoer concordo em partes com você.
Mas como você mesmo disse, se as baterias dos SBR serão de chumbo/ácido como as dos Tupis, logo temos a tecnologia para dimensiona-las de acordo com as necessidades dos SBR (desempenho, tamanho, peso etc).
Não necessitava ter importado da França, bastaria ter solicitado aos franceses os requisitos de desempenho das baterias, que o antigo fabricante das baterias dos Tupis faria para os SBR,s.
Agora se elas forem de Li/gel como acreditou ter lido em algum lugar, isso já justificaria a importação.
Mas obrigado pelas explicações !

Camargoer
Camargoer
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Olá Fox. Eu encontrei informações contraditórias sobre as baterias dos Riachuelo. Considerando que sejam de chumbo-ácido, seria necessário algum tempo para homologar a fabricação delas no Brasil. Talvez por isso, os primeiros conjuntos foram importados. Se for uma tecnologia diferente, então a sua fabricação no Brasil vai demandar etapas (aprender a montar, depois a fabricar componentes, etc)

Salim
Salim
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Bateria estacionaria e o filho capeta, qualquer falha explode, pega fogo ou solta gases mortais. Em submarino e critico. Já trabalhei recarga de baterias estacionárias e tudo tem que estar tinindo para náo dar sinistro, das instalações, aos carregadores, fiação, exaustão natural e a qualidade da bateria conta muito.. No submarino e bem complicado, piscou , morreu.

Kim Jong Un
Kim Jong Un
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás
Kemen
Kemen
1 mês atrás

Qualquer pretensão que tenhamos de construir Scorpene para exportação requer contrato com o detentor do projeto na França definindo em detalhe o que poderia ser construido aqui. Isso tambem inclui querer construir mais unidades similares para a nossa Marinha.
Até agora não entendi porque pretendemos descartar os IKL modernizados, são excelentes submarinos.

Last edited 1 mês atrás by Kemen
Luiz Floriano Alves
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Essa venda dos IKL levanta suspeitas. No atual cebário de incertezas qualquer meio util deve receber manutenção e deve ser mantido de prontidão. Também dificil de aceitar que não podemos fabricar as baterias chumbo-ácido dos Scorpenes. Se fosse algo inivador, tipo Litio – Ion poderíamos aceitar importa-las do Japão ou da Coréia do Sul que já as fabricam. Mas Chumbo ácido que é uma tecnologia da primeira guerra é muito estranho. No Brazil Defence Directory de 1987 consta que fabricavamos baterias para os submarinos Guppy e Oberon. 500Ah, etc..Saturnia era a marca. Existe ainda?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

O que digo caro Luiz. Essas transações internacionais das FAAs nacionais são no mínimo curiosas. Na minha modesta opinião, não deveríamos nem ter adquirido os SBR, pois já dominavamos a tecnologia de fabricação dos Tupis (construindo inclusive um Tupi nacional o Tikuna). Para que gastar esses bilhões para partir para outro projeto? Com esses bilhões poderíamos ter partido para o SNB-10 nacional e de quebra sobrava grana para o SNBR. Mesmo “erro” estão cometendo com as Tamandarés/Meko gambiarra. Essa história das baterias dos Oberons eu não conhecia, o que torna a história de importação do projeto dos SBR mais grave… Read more »

Kim Jong Un
Kim Jong Un
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Essa matéria explica o problema com a nacionalização das baterias dos Scorpenes.

https://www.naval.com.br/blog/2018/06/08/nacionalizacao-no-prosub-motores-eletricos/

Kim Jong Un
Kim Jong Un
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

“Também dificil de aceitar que não podemos fabricar as baterias chumbo-ácido dos Scorpenes”

Tem uma matéria aqui no blog que explica o que aconteceu.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Olá Luiz. As primeiras discussões sobre a venda de Tupis para a Argentina foram iniciadas aqui no PN por mim logo após o acidente com o submarino argentino. Não tem nada suspeito. O Brasil fábrica as baterias para o Tupi. As baterias para o Riachuelo podem ter a mesma tecnologia chimbo-acido mas ter características diferentes. Precisam de um novo processo de homologação.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer
Agadeço lhe a atenção. Fica o esclarecimento. Abraço.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Olá Luiz. O PN tem uma dinâmica que fica difícil acompanhar. As vezes alguns assuntos se tornam bastante discutidos, depois ao meses até aparecer alguma notícia nova sobre o assunto. Gosto muito do ProSub então acabo lembrando mais sobre ele do que sobre outros assuntos. Praticamente não acompanho temas como o M113, por exemplo. Já o ProSub me interessa muito.