Home Indústria de Defesa Submarino Riachuelo: CASNAV e Fundação Ezute realizam seminário sobre Avaliação Operacional

Submarino Riachuelo: CASNAV e Fundação Ezute realizam seminário sobre Avaliação Operacional

2940
15
Submarino Riachuelo – S40

O Centro de Análises de Sistemas Navais (CASNAV) e a Fundação Ezute realizaram, no final do mês de agosto e na primeira semana de setembro, um seminário de quatro dias que teve como objetivo fazer as apresentações da Descrição Funcional dos Subsistemas e da Descrição Operacional do Sistema de Combate do “Riachuelo”, primeiro dos quatro submarinos de propulsão diesel-elétrica em construção no âmbito do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), desenvolvido pela Marinha do Brasil (MB).

Realizado no auditório do CASNAV e seguindo todas as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenção da Covid-19, contou com a presença de representantes da MB de diversas partes interessadas como: IPqM (Instituto de Pesquisas da Marinha), CGAEM (Centro de Guerra e Acústica e Eletrônica da Marinha), COGESN (Coordenadoria-Geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear), ComForS (Comando da Força de Submarinos), DSAM (Diretoria de Sistemas de Armas da Marinha) e, claro, o próprio CASNAV.

O principal objetivo do seminário foi consolidar os conhecimentos disponíveis e necessários para a Avaliação Operacional sobre os subsistemas do Sistema de Combate, descritos nos diversos manuais do submarino, bem como promover a troca de informações e de experiências junto à MB.

Perfil do submarino Riachuelo S40. Desenho: José da Silva

Na Descrição Funcional de cada um dos 11 subsistemas do submarino, as funcionalidades e os respectivos requisitos de performance foram mapeados.

A Descrição Operacional do Sistema de Combate foi balizada nos modelos híbridos para a vigilância marítima, que combinam as vantagens dos modelos JDL (Joint Directors Laboratories) e do ciclo OODA (Observe, Oriente, Decida, Atue).

A visão sistêmica do modelo empregado para representar os Macroprocessos do submarino “Riachuelo”, com foco no Sistema de Combate, apresenta cada elemento do modelo preenchido e descrito por processos operacionais que facilitam o entendimento das diversas atividades necessárias para a operação do sistema de combate.

Os conteúdos que integraram os quatro dias de seminários foram apresentados por Cleber A. de Oliveira, Diego N. Botelho, Gabriel T. Vilela, José F. M. Bianco, Lucas O. Guimarães, Robson S. Cáceres e Vitor H. M. Albuquerque, engenheiros da Fundação Ezute.

Submarino Riachuelo - S40
Submarino Riachuelo – S40

FONTE: Fundação Ezute

Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camargoer
1 mês atrás

Olá Colegas. Em uma outra noticia, alguns colegas perguntaram sobre a cor do submarino. Acho que estas fotos mostram melhor a cor do submarino.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Esse assunto de “cor do submarino” é uma grande besteira. É coisa de quem não entende do assunto, mas mesmo assim opina. Essa questão já está superada aqui no Blog. O Nunão e outros poucos que comentam aqui, que de fato conhecem o assunto, já esclareceram o assunto.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Navio de guerra é cinza. Matte. Não reflete a luz.

Alguns preferem o amarelo.

J. Ricardo
J. Ricardo
1 mês atrás

Antes do novo presidente assumir o cargo a gente só via materias falando do atraso do programa de submarinos e agora a gente só matarias de como o programa está avançando a passos largos

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  J. Ricardo
1 mês atrás

Menos, J. Ricardo.
Teve uma grande série de matérias, sobre a situação do programa e incluindo a divulgação do cronograma que é seguido hoje, que foi publicada aqui quando quem estava no governo era o antecessor.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

Concordo. Os novos projetos das FA, que representam os novos pilares, estão sendo gerenciados com bastante profissionalismo, blindando os mesmos contra interferências políticas.

Estas mudanças de cronograma e diminuição da produção devido ao contingenciamento de verbas são normais, previstos e monitorados. Sem dúvida é um dos itens no gerenciamento de riscos do plano de projeto de cada contrato.

Camargoer
Reply to  J. Ricardo
1 mês atrás

Olá Ricardo. Como disse o Mundo, “manos”. O ProSub foi assinado em 2009, incluindo o financiamento aprovado pelo Senado. Em 2013, a UFEM foi inaugurada e o estaleiro já estava sendo construído. O prédio do Labgene tambem já estava sendo concluído. As primeiras peças do S40 foram cortadas na França em 2011, se não me engano. O programa foi sendo bem financiado até a crise de 2015, que havia sido até então sem precedentes. Portanto, o programa já estava no segundo mandato da Dilma, tendo iniciado no segundo mandato de Lula. Ainda assim ele caminhou. O Programa retoma um novo… Read more »

Teropode
Reply to  J. Ricardo
1 mês atrás

Realmente de certa forma o governo atual tem seus créditos , só por não cortar as verbas do programa já é uma evolução pois anteriormente a faca passava geral na área militar , agora não , isto é fato !

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

É uma bela e mortal máquina!

Teropode
1 mês atrás

Será um multiplicador de poder , na minha opinião poderiam iniciar a construção de 2 ao mesmo tempo , seria ótimo para o Brasil , imagino uma força de Submarinos com 2 nucleares , 5 Scorpenes e 2 Tupis apartir de 2030 , tem como financiar este projeto , lembro que em Minas os bombeiros estavam sucateados , ai o governo lançou um programa para reequipar a tropa , em 4 anos equiparam geral , os caras não tinham nem uniforme , o empresariado sempre contribuí quando os argumentos são convincentes .

Esteves
Esteves
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Ótimo.

O primeiro reator já leva 50 anos. Ainda um protótipo.

Scorpenes são submarinos franceses montados sob licença. Para montar mais Scorpenes…assinar contrato e contar muitos milhões de euros.

Tupis. Não estão operativos. Precisa esperar os offsets da ThyssenKrupp. Nada indica que sobreviverão além de 2030.

Reequipar tropas de bombeiros…fardas, carros, cordas, sirenes, barcos, coragem, bóias, coragem, lanternas, picaretas…nada disso vem da França.

Silas
Silas
29 dias atrás

off-topic…

Assistam a este vídeo, https://www.youtube.com/watch?v=RXXMJAU6vY8

Sensacional…..

rommelqe
Reply to  Silas
28 dias atrás

Obrigado Silas! Muito nteresante esse video!

Silas
Silas
Reply to  rommelqe
27 dias atrás

Tem sequência, na segunda parte o cara entra dentro do tubo de torpedo, já com o sub submerso sob a calota polar… imagina a sensação do cara?!?!?! ta doido…
E ele vai fazer mais takes da reportagem…