Home Indústria de Defesa Estaleiro Asmar do Chile tem capacidade para construir fragatas

Estaleiro Asmar do Chile tem capacidade para construir fragatas

5292
292

O site Infodefensa.com noticiou que estaleiros europeus garantiram a capacidade do estaleiro Asmar de construir fragatas no Chile, após inspeção.

A Armada Chilena pretende substituir seus escoltas atuais de segunda mão por navios de guerra construídos no país na década de 2030.

Segundo um estudo feito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Chile a melhor alternativa seria a construção de fragatas de 5.200 toneladas e 132 metros de comprimento a médio prazo.

Segundo este estudo, construir navios no país será marginalmente mais custoso do que comprar navios usados e modernizá-los, mas a construção de navios novos gera empregos e disponibilidade maior ao longo do tempo.

Subscribe
Notify of
guest
292 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Paulotd
Paulotd
29 dias atrás

Aqui não conseguem nem terminar o classe Macaé, dois esqueletos tavam lá no estaleiro Eisa falido, Maracanã e outro patrulha. Pq não tiraram de lá e não terminará? Tem mais de 10 anos isso. Maior marinha em terra do mundo.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Paulotd
29 dias atrás

Como assim, nossos scorpenes não estão sendo entregues? E as niterói que foram construídas na década de 70/80 e que navegam lindamente por 40 anos!
Esqueceu dos submarinos U 209 e das corvetas? fala sério!

Canarinho
Canarinho
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Talvez este exemplos que voce citou sejam exceções que confirmem a regra. Os numeros não mentem, temos sim as maior marinha em terra do mundo, 80 mil de efeitvos para um numero mínimo de embarcações mais velhas que a serra.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Canarinho
28 dias atrás

Na verdade a regra é justamente a entrega dos navios, a exceções são os que demoraram muito para serem construídos, centenas de navios militares foram construídos no Brasil desde nossa independência, e menos de 10 tiveram atrasos gritantes.(eu particularmente não conto o cruzador protegido Tamandaré de 1890 e o S-BR, pelas dificuldades técnicas que os mesmos representaram para a indústria naval brasileira). No caso dos efetivos eles foram programados pelas previsões que se tinha em 2010, no caso a 2ºEsquadra, o Prosub e os outros programas da MB, o cenário indicava uma realidade que não se confirmou, não ponha toda… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Wilson Look
28 dias atrás

Pelo o quê você falou, a marinha teve um aumento de contigente gigantesco em 12 anos, devido a planos de longo prazo que não aconteceram. Mais uma prova da tremenda incopetência, má fê e cabidão que a marinha é. Aumentaram o conbtigente para uma esquadra que nem o terreno para a sua instalação tinha, tambem não tinha navios para ela e nem verba ou contratos previstos para a sua implataçào. A marinha vendo isso, não suspendeu concursos, não reduziu o contigente do serviço militar obrigatório que se define todo ano. Obs. A maior parte do contigente das forças armadas e… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
28 dias atrás

Raciocina um pouco comigo:
Você é o responsável por um setor de uma empresa e o chefe da empresa afirma para você que pode dobrar o número de funcionários do setor que ele já está arrumando a grana para comprar novas máquinas para o setor, aumentando a eficiência e o lucro do mesmo, o que você faria?

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Wilson Look
27 dias atrás

Mesmo a sua lógica ser quase impossivel em uma empresa, aumentar custos sem
Pespectiva concreta de lucro, eu sendo empregado, cumpro ordens mesmo sabendo ser um risco. Más mesmo assim, no dito caso, a empresa não concretiza o negôcio e demite todos os funcionários contratados evitando o prejuizo. Já a marinha e nós, vamos arvar com esse custo por anos.

Last edited 27 dias atrás by Cristiano de Aquino Campos
Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
27 dias atrás

Isso é a realização de uma aposta de risco, muita empresa não cresce por não apostar e as que apostam podem ou quebrar ou crescer para um nível que não imaginavam antes.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Wilson Look
27 dias atrás

Só para lembrar, a nossa marinha já esta inchada a decadas com exesso de efetivo. Bem antes de se sonhar com segunda esquadra e mesmo assim, os concursos realizados não foram para preencher a segunda esquadra.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
27 dias atrás

O efetivo da MB, tem que ser grande, não tem como fugir disso, devido as obrigações que ela tem que cumprir(mesmo ficando a desejar).O que determina excesso ou falta de efetivo sempre são as obrigações, por exemplo se a MB tem excesso a RN tem falta.
Tem muita coisa acontecendo na MB que não estamos sabendo, muita mesmo.

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
27 dias atrás

Qual aumento de ativos planejados e se tenha algo, você contrata 10 anos antes. Alem de não ter nada substancial que justifique este quadro. Royal Navy e França tem 35 mil homens. Pela sua projeção seriamos ou teríamos quantos meios a mais que eles. Desculpe defender o indefensável .

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
27 dias atrás

Como falei antes a RN tem falta de pessoal e muita.
Outra coisa na época a impressão que se passava era que tudo poderia ser feito ao mesmo tempo, prosub, prosuper, pronae, etc… a MB caiu nesse papo, agora não adianta mais chorar o passado, é ir em frente não importa se com 40 mil ou 80 mil.

Camargoer
Reply to  Paulotd
29 dias atrás

Caro Paulo. A licitação das Macaé foi vencida por dois estaleiros. O Inace (no CE) que cumpriu o contrato e entregou os navios, e o Eisa (no RJ) que pediu falência. Como os dois casos das Macaé iniciadas faziam parte da massa falida, e portanto poderiam ser leiloados para pagar as dívidas trabalhistas, foi preciso uma autorização da justiça para a MB retira-los do estaleiro falido. O transporte deles de NIteroi para o AMRJ foi realizado por uma empresa privada especializada e foi bastante caro. A MB poderia tê-los transferidos para outro estaleiro no RJ, até mesmo para Itaguaí (que… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
27 dias atrás

Camargoer, já são 8 anos da quebra e já esta AMRJ a tempos. Ai contrata empresa espanhola para terminar barco projeto francês com boa parte feita por Brasil; Engepron deveria ter esta documentação ou eles gerenciam projeto por zazap.Inace fez tres NAPA em 3 anos. Contrata eles para acabar este e construir mais 3.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
27 dias atrás

Eu vi o montante de dinheiro que realmente ia para o término desses navios por ano e o valor que tinha que ir para a obra ficar dentro de um cronograma aceitável, a diferença é gritante, não sei se chega a 1/3 do valor que tinha que ir.

Xerem
Xerem
Reply to  Paulotd
28 dias atrás

Paulotd tiram do Eisa e estao sendo construidos no AMRJ a 1 ou 2 anos nao me lembro agora ,mais quando ficarao prontos ai e outra historia !

André
André
29 dias atrás

Estamos vendo mais um país no continente com visão estratégica. Que isso seja o início de uma grande incentivo a seus vizinhos.

Alexandre
Alexandre
Reply to  André
29 dias atrás

Visão estratégica deles é comprar fragata de segunda mão com 30 anos de uso!

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

Isto deve ser lei por estas bandas:

“Se alguém elogiar algum país, deve obrigatória e imediatamente aparecer alguém pra descer o K7 e menosprezar ao máximo o país elogiado.”

E aí, já achou os caças chilenos sem radar nem GPS, nem capacetes dash, nem capacidade BVR?

aereo.jor.br/2020/09/04/forca-aerea-do-chile-exibe-seus-f-16-com-misseis-aim-120-amraam/

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Eu não achei nada, quem achou foi o Ministro de defesa do Chile, que quer comprar esses equipamentos para sues caças F 16, se entenda com ele chileno, não comigo.

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

KKK foi vc quem postou isso. Agora vai negar? Suas Palavras: “ Na verdade, a grande decepção é saber que os F 16 bk50/52 que foram comprados novos, mesmo que em pouco número, somente 10 unidades, também vieram com um recheio pobre e sem coisas básicas como GPS/INS !” “Com relação a “modernização” dos F 16 do chile, creio que está muito claro o que não foi feito, porque o Governo Americano não iria mentir, e o próprio Ministro de Defesa do chile confirmou. Então , contra fatos não há argumentos! Os F 16 MLU do chile vieram depenados conforme… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

O mané, vc devia se calar e parar de falar bobagens. Tudo que vc está postando e dizendo que eu falei é a mais pura verdade, falei mesmo e mantenho cada palavra dessa. Mas entenda definitivamente que minhas observações e conclusões foram tiradas de fatos reais ditos pelo pentágono e confirmados pelo ministro de defesa chileno, que é a maior autoridade em defesa do chile! Então se entenda com seu ministro de defesa, não comigo, entendeu ou quer que eu desenhe? Vc é um tipo que não se cansa de tergiversar para tentar fazer valer sua opinião. Mas o fato… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

*para
** prevê

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

KKK Pegou ar KKK

Eu tergiversei? as palavras são suas e estão escritas aí com o link e tudo KKK

Mas entenda definitivamente que minhas observações e conclusões foram tiradas de fatos reais ditos pelo pentágono”

Outra mentira KKK

Mostra aí aonde o Pentágono disse isso, tem o link?

KKK

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

É sério que vc está pedindo o link?
De uma matéria postada e debatida aqui na trilogia há pouco tempo com fonte do pentágono?
E depois foi confirmada pelo MD do chile?
Vc não é sério mesmo!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Mas o fato é que os caças f 16 do chile estão obsoletos e não possuem avionica moderna, a ponto de seu governo ter que gastar a bagatela de 600 milhões de dólares para tentar trazer eles pata um padrão minimamente aceitável.”

KKK Olha aí KKK isso acontece quando a realidade bate à tua porta KKK

https://www.aereo.jor.br/2020/09/04/forca-aerea-do-chile-exibe-seus-f-16-com-misseis-aim-120-amraam/

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

“Mas entenda definitivamente que minhas observações e conclusões foram tiradas de fatos reais ditos pelo pentágono”

Outra mentira KKK

Mostra aí aonde o Pentágono disse isso, tem o link?

KKK

Posta aí o Link que mostra onde o Pentagono diz que os F 16 do Chile vieram depenados aí eu chupo

KKK

Cara mentiroso e fica puto ao ser desmascarado

KKK

Cara eu sou teu fã KKK

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Juro que vou mandar um email para o pentágono e para o MD chileno dizendo que um tal de glasquis 7 afirma que não é necessário a compra de GPS, capacete HMD, INS , IFF, rádios criptografados e etc, para os F 16 chilenos.
Ele inclusive tem uma matéria do infodefensa mostrando isso, pra que gastar 600 milhões de doletas com coisas que já existem nesses caças e que tem apenas 30 anos de uso? Absurdo!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Juro que vou mandar um email para o pentágono e para o MD chileno dizendo que um tal de glasquis 7 afirma que não é necessário a compra de GPS, capacete HMD, INS , IFF, rádios criptografados e etc, para os F 16 chilenos.”

Aproveita e manda o link onde mostra que eu disse isso!!!

KKK

Está apelando cara. Na tua idade deveria ter vergonha KKKK

Vai cara Posta aí o Link que mostra onde o Pentagono diz que os F 16 do Chile vieram depenados

KKK

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Que era a nossa a bem pouco tempo e depedendo do tipo de navio, ainda continua.

Salim
Salim
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

As OHP Australianas foi uma pena perdermos oportunidade, Hoje sao barcos ( se nao depenaram na venda os melhores da america sul.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
27 dias atrás

Esse navios são navios de defesa aérea de área, a MB precisa de navios multi-tarefa, não navios especializados, por hora esse foi o ponto.

Matheus Parreiras
Matheus Parreiras
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

Nesse momento as fragatas deles estão melhores que as nossas

Camargoer
Reply to  André
29 dias atrás

Olá André. A ideia do Chile de construir as fragatas em um estaleiro chileno é correta. Ela vai ao encontro do que eu defendo sempre que é a nacionalização do equipamento militar. Acho muito legal a conclusão que o custo é marginalmente maior mas os benefícios compensam.

Rafael
Rafael
Reply to  André
28 dias atrás

A Argentina não vai curtir o seu comentário…

OSEIAS
OSEIAS
29 dias atrás

Gera emprego em casa, aumenta a expertise tecnológica e as divisas ficam no país, melhorando o saldo da balança comercial. Parabéns aos chilenos.

Camargoer
Reply to  OSEIAS
29 dias atrás

Olá Oseias. Exato. O próximo passo de ousadia seria o Brasil e o Chile juntarem forças para o fornecimento de peças e equipamentos para a construção das FCT e das fragatas chilenas.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Camargoer
27 dias atrás

O que o Chile pode nos fornecer que não temos?

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Jadson Cabral
27 dias atrás

Não é que não temos, mas o que pode ser vantajoso para o Brasil e para o Chile, em termos estratégicos, econômicos ou tecnológicos. Não é uma afronta a nossa soberania, é apenas racional.

guilardo
guilardo
29 dias atrás

O Peru constrói navios anfíbios de boa qualidade, a Colômbia pequenos patrulhas de excelente qualidade. O Chile já se prepara para construir fragatas de 5.200 toneladas. Na Argentina, o caos está instalado e a capacidade de construção naval está a zero. Mas nosso caso é emblemático. Observem os colegas que temos infra estrutura para construir todos tipos de navios e até mesmo porta aviões, se for decisão política. Na segunda guerra construímos corvetas e três contratorpedeiros. Estes com autorização dos EEUU. Mas senhores, não obstante termos todo o insumo básico de construção naval, temos da outra banda, políticos corruptos e… Read more »

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  guilardo
29 dias atrás

Guilardo,

Achei seu comentário muito bom, mas discordo com relação ao Peru. O Makassar não passa de um casco de navio civil, com motorização também de navio civil, adaptado para ter alguma capacidade anfíbia.

Salim
Salim
Reply to  Funcionario da Comlurb
27 dias atrás

Sim Makassar Peru e um barco civil melhorado para uso militar . Bahia e Atlântico tem esta mesma concepção. Não acho má ideia, barcos funcionam e bem, porem não são barcos para guerra aberta e sim retagurda.

sergio ribamar ferreira
Reply to  guilardo
28 dias atrás

Concordo com o Sr guilardo. Deitados em berço …como sempre e atrasados.

Rafael costa
Rafael costa
Reply to  guilardo
28 dias atrás

Para a sua informação, a classe Tamandaré não são corvetas e sim fragatas, essas fragatas irão deslocar 3500 toneladas, apenas 300 toneladas a menos que as atuais fragatas da marinha, por isso elas devem ser consideradas fragatas. E essas fragatas não são “inofensivas” como você disse, e a nossa marinha vai começar a construir a primeira já em 2021 enquanto o Chile sonha em poder construir fragatas em 2030 e na minha opinião, eles não vão ter dinheiro para construir fragatas de 5200 toneladas, a marinha do Chile compra navios usados a décadas e não creio que eles vão ter… Read more »

glasquis 7
Reply to  Rafael costa
28 dias atrás

“enquanto o Chile sonha em poder construir fragatas em 2030 “ Só um esclarecimento, os Chilenos não sonham, eles já tem as capacidades comprovadas até por estaleiros Europeus. Não constroem agora por que não há condições de construir tudo (Quebra Gelo, Navio de desembarco Anfíbio e Fragatas) ao mesmo tempo então segue-se uma sequência Primeiro o Quebra Gelo, depois os Navios de Desembarco Anfíbio e logo serão as Fragatas. Além do mais, é um risco muito grande pra economia do Chile bancar tudo isso ao mesmo tempo. Lembre que é o 8% da população do Brasil e um sexto do PIB.… Read more »

João Bosco
João Bosco
29 dias atrás

E enquanto isso, na terra brasilis……

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  João Bosco
29 dias atrás

Calma ai parceiro,também iremos construir as nossas por aqui,além de estarmos construindo os nossos próprios submarinos,inclusive o de propulsão nuclear. As críticas ao Brasil quando aos assuntos de defesa são merecidas,mas estamos em outro patamar quando comparados a qualquer outro país que esteja abaixo do Rio Grande.

Jean Jardino
Reply to  Allan Lemos
29 dias atrás

Sabe-se qdo ficara prontos os navios, e os submarinos de gracas a Deus que os franceses deram uma baita mao para construir…

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Jean Jardino
29 dias atrás

Até 2033.

ALLAN
Reply to  Jean Jardino
29 dias atrás

enquanto isso, no Chile eles tem power point, então sim, estamos bem na frente ainda do resto da america latina.

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Jean Jardino
29 dias atrás

de graça que não foi essa mão amiga.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Jean Jardino
29 dias atrás

E vc acha que eles farão sozinhos?

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

E vc acha que eles farão sozinhos?”

Os OPV, o Navio Oceanográfico e o Quebra Gelo estão construindo sozinhos. Por que não poderiam construir sozinhos as Fragatas?

Bardini
Bardini
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Ah sim, claro, estão construindo tudo sozinhos…
.
Não tem ninguém da Fassmer, envolvido no projeto dos OPVs da Fassmer.
O Quebra Gelo não tem nada relacionado a VARD. Nadinha. 100% ASMAR.
.
Vai contar vantagem no Chile, zé lero-lero.

Last edited 29 dias atrás by Bardini
Glasquis7
Reply to  Bardini
29 dias atrás

Oh dor de cotovelos viu. https://www.infodefensa.com/latam/2020/05/05/noticia-asmar-talcahuano-construye-bloques-rompehielos-chileno.html” https://www.infodefensa.com/latam/2020/02/03/noticia-asmar-logra-avance-construccion-rompehielos-chile.html https://www.armada.cl/armada/con-una-inversion-total-de-mas-de-200-millones-de-dolares-comenzo/2017-05-09/165445.html “Esta gran desafío, a cargo de la Dirección de Programas, Investigación y Desarrollo de la Armada, en conjunto con el Departamento de Proyectos de Construcción Naval de ASMAR, “ https://www.ovejeronoticias.cl/2017/04/chile-construye-un-gran-buque-rompehielos-de-vocacion-antartica/ Se vc me mostrar aonde tem técnicos da Fassmer ou da VARD trabalhando em ASMAR eu retiro o dito. Caso contrário, é pura dor de cotovelos Não tem, pra tua dor de cotovelos. O projeto foi comprado por ASMAR e modificado por técnicos de ASMAR e por isso não tem contrato nenhum com a FASSMER além do fornecimento do projeto e os… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Glasquis7
27 dias atrás

Dor de cotovelos? Pq? Pq os chilenos elaboram requisitos e compram projeto de lego sob medida pra montar em casa? . O Chile não projeta nada… . O ASMAR é uma soma de EMGEPRON com a estrutura do AMRJ. A cada novo navio que tem de comprar, abrem uma concorrência, em que o ASMAR é o contratante de um projeto estrangeiro. O mesmo ocorre aqui, porém a MB ao invés de utilizar o AMRJ, por conta de uma visão em que ela quer “sair” do RJ, contratou a TKMS. . Caso do Navio Polar Chile: a Marinha conjuntamente com o… Read more »

Last edited 27 dias atrás by Bardini
glasquis 7
Reply to  Bardini
27 dias atrás

Ho! Capitulina,

Em nenhum momento eu disse que ASMAR desenhou ou projetou. Principalmente por que ASMAR é um Estaleiro não um escritório de projetos navais.

O que eu disse, e sempre fui bem claro nisso, é que a ARCh, comprou o projeto previamente licitado e contratou ASMAR pra executá-lo. Tanto da FASSMER Quanto da VARD.

O Chile não projeta nada…”

De essa monta não.

Aliás acho que ninguém na América Latina projeta navios dessa monta.

Vc conhece algum país que projete Fragatas ou Corvetas?

Tal vez, algum país que projete Patrulheiras ou Quebra-gelos na América Latina?

Conhece Capitu?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  glasquis 7
27 dias atrás

O CPN projetou, a versão original das Tamandaré, quando ainda eram corvetas, tem um projeto de um navio de patrulha oceânico entre outros.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
27 dias atrás
Glasquis7
Reply to  Wilson Look
19 dias atrás

absoluta, ninguém projeta navios de alta complexidade na América Latina.

glasquis 7
Reply to  Bardini
27 dias atrás

Capitu,
Ai entra a parte que o “canteiro de obras”, que consequentemente conta com suporte VARD em todas as etapas.”

Qual é o suporte que a VARD está dando no “canteiro de obras”?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Bardini
28 dias atrás

Resposta perfeita Bardini, não lembrava o nome das empresas que deram as licenças de fabricação.
Estou tentando ver a matéria sobre a modernização dos treinadores chilenos que está sendo feita por uma pequena e desconhecida empresa brasileira, quase de fundo de quintal, rsrsrs
Imagina Bardini, se a enaer perde uma modernização para uma pequena empresa Brasileira , vai ganhar de quem ? Kkkk

Alexandre
Alexandre
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Lembrei da matéria! treinadores da marinha do chile sendo modernizados no Brasil!

http://www.pqtec.org.br/n/757/avionics-services-conclui-modificacao-de-primeira-aeronave-chilena

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Mentira, os opv foram uma licença de fabricação com amplo apoio do fabricante original, inclusive a Colômbia está fazendo um opv semelhante com a mesma licença do fabricante. Do mesmo modo, o quebra gelo é tb uma licença de fabricação. Percebe-se que a falta de caráter é uma coisa bem peculiar a vc. Mente compulsivamente, enquanto o chile compra mais supertucanos do Brasil e moderniza seus treinadores com uma empresa tb brasileira, nesse caso em particular, quase uma empresa desconhecida , rsrsrs Como é ser chileno e saber que seu país tem que recorrer a uma pequena empresa brasileira para… Read more »

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Sem credibilidade nenhuma cara KKK o Chile comprou o Projeto e o executou localmente. Fez OPV até pra outros países KKK

Tenha um pouco de decência e pare de mentir.
KKK

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Sem credibilidade? diz ai, qual País comprou OPV fabricada no chile?
Que cara sem vergonha!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

https://translate.google.com/translate?hl=pt-BR&sl=es&u=https://es.wikipedia.org/wiki/ICGV_%25C3%259E%25C3%25B3r&prev=search&pto=aue

Como vc diz: CHUPA!

Mas entenda definitivamente que minhas observações e conclusões foram tiradas de fatos reais ditos pelo pentágono”

Posta aí o Link que mostra onde o Pentagono diz que os F 16 do Chile vieram depenados.

KKK

Cara mentiroso e fica puto ao ser desmascarado.

KKK

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

KKK Tu tá apelando da até pena KKK

Este é o Poder Naval, o Poder Aéreo é outro forum.

Quando não se tem argumentos pra rebater a realidade, se age desta forma.

Disposto a criar mentira sobre mentiram pra denegrir o Chile.

KKK Isso por que no teu Nink no You Tube tu tinha uma foto tua no Monumento a Arturo Prats.

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Estamos falando de uma classe de OPV que o chile fabrica sob licença, se não me engano está na 4 ou 5 unidade, e então o chileno sai com outro OPV que nada tem a ver com o debate, kkkkkkk
Chega a dar pena a falta de caráter do mesmo, e pegou ar quando mostrei que a ENAER não consegue ganhar uma concorrência para modernizar treinadores da Marinha do chile, muita capacidade nessa Enaer, kkkkkk
Chuuuupa mané!

Glasquis7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Cara, vc é doente. Esta foi sua pergunta:

diz ai, qual País comprou OPV fabricada no chile?”

Eu penas repondi.

Lamentavelmente, a verdade é esta.

Agora vá tomar seu remedinho e deixa a realidade seguir seu curso.

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

Va se tratar.
KKK

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

os opv foram uma licença de fabricação com amplo apoio do fabricante original,…Do mesmo modo, o quebra gelo é tb uma licença de fabricação”

Então, aí está a tua oportunidade de “me desbancar” mostrar como eu minto.

Prova qual foi o “amplo apoio” que a VARD ou a FASSMER deram. posta um link, uma notícia, algo assim, que dé pra acreditar.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Jean Jardino
29 dias atrás

“Mãozinha” esta que foi devidamente remunerada pelo Brasil.

Camargoer
Reply to  Jean Jardino
29 dias atrás

Caro Jean. Os alemães ajudaram na construção dos Tupi e vão ajudar na construção da FCT. Os ingleses ajudaram na construção das Niterói. Os franceses ajudaram na construção dos SBR e estão ajudando no SN10.

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
27 dias atrás

Barroso era nosso e descontinuaram, Tikuna era evolução nossa mataram, Adarter era parte nosso vão comprar irist, e por ai vai. Estamos no TOT eterno.

Matheus Parreiras
Matheus Parreiras
Reply to  Jean Jardino
27 dias atrás

Essa “mão” não veio de graça, foi devidamente bem paga, e agora somos capazes de construí-los aqui sem quase nenhum apoio Francês.

Para de ficar rebaixando os esforços do Brasil, já basta o Chileno travestido vir aqui aloprar o povo.

Last edited 27 dias atrás by Matheus Parreiras
Alexandre
Alexandre
Reply to  João Bosco
29 dias atrás

Enquanto isso na terra brasilis temos 4 submarinos convencionais e mais um nuclear sendo construídos, pelo menos 4 fragatas de 3500 toneladas em inicio de construção, fora o desenvolvimento de um míssil naval!
Será que é melhor um sonho chileno que poderá ou não se realizar em no mínimo 10 anos?

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

pelo menos 4 fragatas de 3500 toneladas em inicio de construção,”
Nossa já? Parabéns viu. Eu achava que ainda estavam na fase de contrato.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

O contrato para a construção já foi assinado, o que falta no momento é a definição da configuração final da classe, o caso quais sensores e armas que os navios irão usar.

Last edited 29 dias atrás by Wilson Look
Glasquis7
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

Então não estão em início de construção.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Se for de acordo com um planejamento que eu vi, então a construção da primeira Tamandaré vai começar em 2022 com o lançamento ao mar em 2024 e incorporação ao setor operativo em 2028, quando a ultima unidade for lançada ao mar, de 2020 até 2022 seria a adequação do estaleiro e capacitação dos trabalhadores.

glasquis 7
Reply to  Wilson Look
28 dias atrás

Então não estão em início de construção.
Vai iniciar, em 2021 segundo o programa.

Rafael costa
Rafael costa
Reply to  Wilson Look
28 dias atrás

A construção da primeira fragata da classe Tamandaré começará em 2021 e ela irá ser lançada ao mar em 2024 !!!

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Pior é um devaneio para ser realizado em no mínimo dez anos!

Camargoer
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Olá Glasquis O contrato já foi assinado. Agora estão sendo negociados os dispositivos e sistemas de armas (como discutido na noticia sobe a aquisição dos canhões da Leonardo).

Glasquis7
Reply to  Camargoer
28 dias atrás

A construção das Tamandaré ainda terá início no próximo ano. Isso se tudo correr dentro do Cronograma.

Por tanto, ainda não teve início e no fundo isso é o de menos. O importante é iniciar.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Depende do que vc entende por inicio, me parece que o projeto está pronto, contrato feito, o estaleiro ja selecionado e recebendo o maquinário, bem como o processo de contratação de funcionários sendo realizado. Parece ser um início.

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Sim claro, repete isso, quem sabe um dia alguém de credibilidade a teus comentários.

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

É mesmo, como vc dizia de nossos caças? de papel?
Está voando por aqui, sua credibilidade é zero, kkkkkk

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

É mesmo, como vc dizia de nossos caças? de papel?”

Em 2014 eram apenas projeto e vc os citava como combatendo contra o Chile, nessa época eram apenas isso projeto.

Suas palavras:

“Mas entenda definitivamente que minhas observações e conclusões foram tiradas de fatos reais ditos pelo pentágono”

Mostra aí o link que mostra o Pentágono falando isso.

KKK

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Vá procurar desocupado!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

“Vá procurar desocupado!”

KKK Perdeu a esportiva KKK

O cara foi desmascarado, não tem como sustentar as suas mentiras e fica bravinho KKK

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Nunca falei isso em 2014, como vc é descarado. Mas tenho aqui um comentário seu, onde afirmava que os F 16 do chile já tinham radar AESA, isso em 2017. Tem outro comentário onde vc diz que o Brasil não tem MBTs. E mais outro onde vc dizia que programas como o KC 390, A DARTER, Gripen NG, ASTROS 2020, Guarani nunca chegariam ao fim , porque no Brasil tudo ficava para o futuro, mas não se concretizava. Dizia que eram armas de papel, kkkkkkkkkkkkkkk Cara , que papel bom esse que se usa por aqui, porque está tudo aí,… Read more »

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

Cara vá se tratar.

sagaz
sagaz
Reply to  João Bosco
29 dias atrás

Olha o parque industrial chileno… não sei não se o custo x benefício será tão bom assim. No caso do Brasil temos uma capacidade ociosa gigante em estaleiros com o declínio da expansão da exploração de petróleo. Somos um dos maiores produtores de aço mundial, temos capacidade energética disponível implantada mais Deus sabe quanto em capacidade de expansão. Querem ver esse país decolar? Comecem nessas eleições municipais parando de eleger quem uso fundão eleitoral, quem te pede voto cantando musiquinha, quem tem realmente currículo…

Camargoer
Reply to  sagaz
29 dias atrás

Caro Sagaz. A questão do fundo eleitoral é uma discussão mais ampla. O candidato pode receber doações de pessoas (que serão os doadores? O que é melhor, usar o fundo eleitoral para bancar sua campanha ou ser bancado pelo Lemann? Ou usar recursos públicos desviados por algum meio ilegal? Ou ser bancado ilegalmente por alguma empresa privada?

Glasquis7
Reply to  sagaz
29 dias atrás

Já foi discutido isso no Chile nos anos 2.000. Na época o presidente era Ricardo Lagos e o projeto se chamava TRIDENTE que acabou sendo postergado ao se considerar menos viável do que a aquisição de meios de segunda mão como é o caso das Type 23, Type 22 Bach II, das L class e das M class.

Acredito que já tenham resolvido a equação custo/benefício.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

E não saiu do papel, isso é que é uma fragata de papel, 20 anos depois, e eles dizem para esperar mais uns 10 anos! kkkkkkkk

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Isso mesmo, na década de 30. por enquanto deve ser construído o Quebra Gelo e logo os Navios de Assalto Anfíbio. Depois as Fragatas.

Mas a capacidade já tem, e atestada por Estaleiros Europeus.

O que não tem é aquele link do Pentágono falando que os F 16 Chilenos estão depenados que tu diz que tens.

Posta aí cara imagina que grande triunfo pro teu ego conseguir comprovar uma mentira!

KKK

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Europeu atestou isso? mas não é o que o comandante da marinha do chile diz, onde fala textualmente(hoje) que terão que fabricar navios de transporte e paulatinamente chegar a capacidade de fazer fragata, e que isso vai levar uns 10 ou 12 anos! Mesmo assim está usando projetos internacionais através de uma RFP. Olha a verdade aí chileno, vc e suas mentiras caindo no chão, kkkkkkkkkkkk

https://www.infodefensa.com/latam/2020/09/30/noticia-asmar-construira-cuatro-buques-transporte-armada-chile.html

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

O site Infodefensa.com noticiou que estaleiros europeus garantiram a capacidade do estaleiro Asmar de construir fragatas no Chile, após inspeção.”

é a matéria que vc está negando. Ultimamente é assim, o negasionismo violento,

Vá se tratar,

Camargoer
Reply to  João Bosco
29 dias atrás

Olá Bosco. Enquanto isso no Brasil são concluídos os quatro Scorpenes e o reator protótipo naval que será usado no SN10. É contratada a construção de quatro fragatas levas de 3,7 mil ton e é lançada a chamada para a construção do navio de apoio antártico.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Camargoer
28 dias atrás

Esses caras só querem criticar, infelizmente Camargoer, pessoas lúcidas como vc não existem mais!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

pessoas lúcidas como vc não existem mais!”

A começar por vc KKK

Vá se tratar

Junior
Junior
29 dias atrás

Eles estão fazendo o certo, começaram construindo barcos pequenos e menos sofisticados e estão evoluindo com o tempo, tanto em mão de obra como em instalações físicas no estaleiro, estão construindo um quebra gelo, depois vão construir um navio anfíbio para fazer companhia ao Sargento Aldea e só depois vão começar a construir as fragatas, pela tonelagem e pela tradição, creio que a Type 31 britânica seja uma boa alternativa

Glasquis7
Reply to  Junior
29 dias atrás

O Chile participou do Projeto das Type 31 Britânicas. O mais seguro é que seja esse o projeto escolhido pra construção.

O importante é que já demonstra ter condições e capacidade de construção de Fragatas.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Foi mesmo? então diga qual foi a participação do chile nessas fragatas? vai contribuir com o que? que armamentos? que sensores? desenvolveram o projeto do casco? o sonar ou o radar?

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

Se vc não tem compreensão leitora à altura dos comentários deveria pedir ajuda. Meu comentário está escrito claramente:

“O Chile participou do PROJETO”

Qual foi a participação no projeto, acredito ser informação classificada mas veja isto:

infodefensa.com/latam/2020/05/25/noticia-royal-destaca-aporte-armada-chile-fragata.html

Só um aviso, está em espanhol. Já tem dificuldades pra entender o português né?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Continuo com minha pergunta, qual contribuição que o chile deu no projeto da fragata inglesa?
Vc que tem uma grande compreensão em LEITURA, poderia nos explicar em português , em espanhol ou em Inglês, já que compreendo os três idiomas.
Afinal, se ele participou, deve ter dado alguma contribuição importante, tudo dentro da mais clara interpretação do seu comentário!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Eu não participei do projeto, pergunta pro comando da Royal Navy, eles que disseram que a ARCh participou do projeto.

KKK

Deve doer muito em vc. KKK

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Outra imaginação tipo fofoca da sua cabeça?

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Outra imaginação tipo fofoca da sua cabeça?”

Não cara esta é uma mentira que é verdade KKK

infodefensa.com/latam/2020/05/25/noticia-royal-destaca-aporte-armada-chile-fragata.html

Eu posto os link

Ainda espeamos esse link que tu tens do Pentágono falando que os F 16 Chilenos vieram depenados KKK

Mas pode dar uma olhada nestes vídeos pra ver como estão pelados e obsoletos:

https://www.aereo.jor.br/2020/09/04/forca-aerea-do-chile-exibe-seus-f-16-com-misseis-aim-120-amraam/

F-16-Chile-AIM-120.jpg
Junior
Junior
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Eu não sabia disso, li que os britânicos convidaram os chilenos como observadores do projeto, muito provavelmente fizeram isso para aumentarem as suas chances na futura concorrência, talvez o Chile tenha direito de dar alguns pitacos no projeto, lembrando que as Types 31 são uma variação do projeto de fragatas dinamarquês

Glasquis7
Reply to  Junior
29 dias atrás

Na verdade eu não tenho muito conhecimento ao respeito. O que eu soube é (e é papo tipo fofoca, nunca se sabe se é verdade ou invenção) é que a ARCh junto com ASMAR participaram do projeto de casco. Tal vez se diga isso pela capacidade de construção desenvolvida pra Quebra Gelo.

Mas isso é tudo conjectura, na realidade ninguém nem sabia que o Chile tinha participado do Projeto até os agradecimentos da Royal Navy

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Quem não sabia disso, só delírios de uma mente frustrada!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

Va se tratar.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Junior
28 dias atrás

Falou tudo Junior, o chile deve ter sido convidado como observador, visando tão somente conquistar um cliente. Talvez tenha dado algum pitaco, tipo a pintura que combina com o mar que banha o chile!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

o chile deve ter sido convidado como observador, visando tão somente conquistar um cliente. Talvez tenha dado algum pitaco, tipo a pintura que combina com o mar que banha o chile!”

Fonte: As vozes da tua cabeça KKK

Posta o Link cara a gente está esperando tu validar mais essa mentira KKK


DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
29 dias atrás

Precisamos disso aqui no Brasil, porém precisamos primeiro fechar o primeiro contrato de 4 fragatas leves com uma compra de mais duas unidades posteriormente e depois comprarmos pelo menos a mesma quantidade de 6 unidades de 6T (fora as compras de oportunidade).

Alexandre
Alexandre
Reply to  DOUGLAS TARGINO
29 dias atrás

Já fechamos o contrato, pagamos uma boa parte do valor do negócio e os alemães já estão contratando mão de obra para iniciar a construção das mesmas.

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

“… pagamos uma boa parte do valor do negócio e os alemães já estão contratando mão de obra para iniciar a construção…”

Então são os alemães que construirão?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Vc tem discernimento? porque vc sabe que quem ganhou a concorrência foi um estaleiro Alemão, que vai fabricar no Brasil com mão de obra Brasileira. Do mesmo modo, se o chile vier a fabricar qualquer fragata , será com parceiros europeus usando e treinando a mão de obra do chile, então deixa de falar bobagens chileno.

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

Vc tem discernimento?”

Tenho sim, o que parece que falta a vc. Veja o que vc escreveu:

“quem ganhou a concorrência foi um estaleiro Alemão, que vai fabricar no Brasil com mão de obra Brasileira. “

Então, é uma empresa alemã a que vai construir. Isso segundo as suas próprias palavras.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

E desde quando eu neguei isso?
Não sou chileno para ficar aqui dizendo mentiras sobre meu país .
Bem diferente dos seus comentários , que diz que os opvs e o quebra gelo foram desenvolvidos pelo chile sem ajuda externa!
Uma grande mentira de sua parte.

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

MAIS UMA MENTIRA!!! KKK

Bem diferente dos seus comentários , que diz que os opvs e o quebra gelo foram desenvolvidos pelo chile sem ajuda externa!|”

O que eu postei é que foram construídos por ASMAR, o Projeto OPV 80 é da Fassmer Assim como odo Quebra Gelo é da VARD

KKK

Tu é mentiroso e sim caráter né?

Mostra aí onde eu postei que o Chile desenvolveu os OPV ou o Quebra Gelo.

Sem carater

KKK

deve estar doente a esta hora

KKK



Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

O projeto é alemão, modificado para atender as necessidades da MB, e os 4 serão construídos no Brasil e como agora o estaleiro pertence a TKMS, que é alemã, são eles que estão contratando mão de obra BRASILEIRA, para a construção dos navios.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

Isso eu entendo mas, é tecnologia alemã em mãos de uma empresa alemã Não são estaleiros navais do Brasil os que comandam a construção.

Pelo menos é isso que eu entendi.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

O que falta no Brasil, é uma EMBRAER Naval, em certo sentido. Para projetar e gerenciar a construção dos navios no País, podendo ser em estaleiros privados ou estatais.

No caso das Tamandaré, é a EMGEPRON que está gerenciando o programa e o consórcio Aguas Azuis é o responsável por construir os navios, mas a palavra final é da MB.

Eu diria que o mais certo aqui é dizer que é tecnologia alemã, mas mãos de um consórcio de empresas alemãs e brasileiras.

Junior
Junior
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

Sinceramente isso não faz a menor diferença para mim, o importante é que elas sejam construídas, os Australianos fizeram os destroies deles com ajuda espanhola e não estão com esse mimimi, vão fazer os submarinos com ajuda francesa e não estão com esse mimimi, vão fazer as suas fragatas com ajuda britânica e não estão com esse mimimi, portanto para mim o importante é que acabe o lenga lenga, se construa a fragata e ela comece a navegar, não importa se com ajuda alemã, italiana, japonesa ou marciana

Glasquis7
Reply to  Junior
29 dias atrás

Concordo com vc. A MB está precisando de definições.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

A marinha do chile é que está precisando de definições, afinal são 20 anos desde o anúncio que iria fabricar fragatas, e agora diz que serão mais 10 anos, isso é ser um país do futuro, kkkkkkk

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Não cara Em Fragatas nos próximos 10 anos o Chile está no topo na região com 8 Fragatas no estado da Arte.

Mas posta os link que tu tá falando KKK

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

A MB está precisando de uma política naval de Estado sólida e isso deveria vir do Congresso.

glasquis 7
Reply to  Wilson Look
28 dias atrás

Eu acho que não é isso. Acho que existe um lobi muito forte pra entrar em compras com TOT por que deve ser lucrativo pra alguém.

Capacidade de construção o Brasil já demonstrou que poderia ter se quisesse. Então o problema é outro e eu acho que é o poder do lobi.

Camargoer
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Caro Glasquis. O estaleiro Ocean em Itajaí está no Brasil. É uma empresa com CNPJ registrado da receita federal como empresa brasileira. Os proprietários podem ser alemães, chineses, chilenos, paraguaios (la garantia soi yo). Tanto faz. Os impostos sobre serviços e sobre renda serão recolhidos no Brasil. A empresa poderá inclusive solicitar financiamento do BNDES para modernizar suas instalações. A remessa de lucro é uma prerrogativa do investidor após pagar os impostos. Mesmo investidores brasileiros podem remeter seus recursos para o exterior, pagamento os impostos e taxas obrigatórias.

Glasquis7
Reply to  Camargoer
28 dias atrás

Caro Camargoer:

Empresa alemã anuncia aquisição do estaleiro Oceana, em Itajaí, para construir navios da Marinha”

É o mesmo caso da ATMOS:

SAAB adquire a empresa brasileira ATMOS Sistemas “

Nem vou discutir um assunto que já foi debatido aqui por diversas vezes. Mesmo sabendo que com vc o debate é dentro de um nível muito superior, de muito respeito e educação.

Camargoer
Reply to  Glasquis7
27 dias atrás

Olá Glaquis. Acabei convencido que os debates envolvendo as forças armadas do Chile se tornaram improdutivos. A gente pode continuar conversando em outras postagens, mas eu desisti sobre o Chile… ao menos por enquanto. Vai ser uma pena, porque eu gosto muito do Chile. Tenho bons amigos que vieram de lá e outros que foram para lá. Estou esperando acabar a pandemia para levar minha filha para visitar os Andes… adoro.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Vc tem que se decidir, uma hora diz que a OGMA não pertence a EMBRAER porque está em solo português(mesmo com a EMBRAER tendo comprado 65% das ações).
Não é o mesmo critério quando o estaleiro está no Brasil, ou vc só quer achar um argumento para depreciar o meu País?

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

 uma hora diz que a OGMA não pertence a EMBRAER “

Cara eu nem falei da EMBRAER KKK

Tá apelando KKK

Tô falando de ASMAR, Estatal Chilena, Não de EMBRAER. Acorda cara

Já começou com chilique.

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

Vc disse em outra matéria que a OGMA não era da EMBRAER por ter sua instalações em Portugal!
Vai mudar na cara dura agora?
Muito falta de caráter e muita mentira numa pessoa só!
A fome que passou no chile afetou seu caráter chileno, pensei que os mais de 15 anos morando no Brasil e se alimentando bem pudessem reverter o quadro, pensei errado!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

Vá se tratar,

Camargoer
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Caro Glasquis. O estaleiro alemão foi contratado para fornecer o projeto e coordenar o trabalho que será realizado em um estaleiro no Brasil. Os funcionários poderão ser brasileiros, chilenos, alemães, chineses…. o único detalhe será a necessidade de visto de trabalho para os estrangeiros. O modelo é muito parecido ao que aconteceu com os Scorpene, com a diferença que o ProSub foi financiado por um banco francês, e as FCT serão pagas pela Emgepron com recursos oriundos do Tesouro.

Glasquis7
Reply to  Camargoer
28 dias atrás

Mesmo assim, será uma projeto alemão construído por uma empresa Alemã, com tecnologia alemã.

Se ela comprou o Estaleiro ao qual vai transferir a tecnologia, será uma empresa alemã, transferindo tecnologia alemã pra ela mesma.

Se a mão de obra é internacional, isso não vem ao caso. quando ela decida ir embora, deixará todas essas instalações e esse conhecimento aqui?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Normalmente, os trabalhadores seriam demitidos, e o estaleiro fechado, bom o maquinário e os trabalhadores ficariam, e são os trabalhadores que tem o conhecimento de como fazer.

glasquis 7
Reply to  Wilson Look
27 dias atrás

Me desculpe mas se isso é o TOT que vc está considerando, acho que está muito distante.

De qualquer forma, continua sendo o mesmo. O Brasil compra um projeto e contrata o projetista ou o dono do projeto pra vir construir no Brasil mas, no Estaleiro que ele comprou. O que tem de Transferência Tecnológica nisso?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  glasquis 7
27 dias atrás

O TOT dos submarinos não está apenas no estaleiro, tem muitas outras empresas que se beneficiam desse contrato, o mesmo vai ocorrer no caso das fragatas, tem muita empresa que vai fabricar itens para esses navios e vão receber o TOT.

Um detalhe, pode ser que tanto o radar como o sonar sejam fabricados no Brasil caso a MB escolha eles.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
27 dias atrás

Estamos falando das Tamandaré. O caso dos Scorpene é diferente pois, embora a construtora seja estrangeira, as instalações são nacionais. O país fica com tudo que está lá dentro e o conhecimento que possa ter adquirido durante a construção. caberá ao Brasil dar sequência ao constante processo de renovação pra não perder essas capacidades.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
27 dias atrás

As instalações do estaleiro Oceana que vai construir as Tamandaré também ficam no Brasil, assim como a mão de obra.
Esse movimento não aconteceria de a TKMS vise que seriam apenas esses 4 navios, eles estão buscando ter um pé aqui para terem vantagem em contratos maiores não só no Brasil mas na região, não existe razão lógica para se comprar um estaleiro só para construir 4 navios sem perspectiva de futuras encomendas.

E só para completar tem muita empresa no Brasil que vai receber capacitação para entregar componentes para esses navios.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Mesma coisa acontecendo no chile, que acabou de licitar 4 navios de transporte com empresas estrangeiras, a sua falta de personalidade é uma coisa a ser estudada!
https://www.infodefensa.com/latam/2020/09/30/noticia-asmar-construira-cuatro-buques-transporte-armada-chile.html

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

A mentira no grau que em vc se desenvolve é claramente um distúrbio grave, se não mental, é de caráter. “Mesma coisa acontecendo no chile, que acabou de licitar 4 navios de transporte com empresas estrangeiras” A matéria diz claramente: “ASMAR desenvolveu a especificação técnica de requerimentos para a licitação dos DESENHOS BÁSICOS dos navios, pré-selecionando três empresas internacionais que participam atualmente na licitação que determinará o modelo eleito. A construção destes navios, como publicou Infodefesa, SERÁ FEITA NAS INSTALAÇÕES DE ASMAR TALCAHUANO, uma vez finalizado o projeto do Rompe Gelos Almirante Oscar Viel.” ASMAR – Estatal Chilena de Construção… Read more »

Marcelo Baptista
Marcelo Baptista
Reply to  Glasquis7
27 dias atrás

Glaquis7. Eu trabalho em uma empresa Alemã, com tecnologia Alemã, mas o projeto é feito todo no Brasil por brasileiros, e em alguns pontos, usamos tecnologia nacional no equipamento. Então não precisamos levar as coisa tão na ponta da faca, as definições de propriedade e capacidade vão muito além da sede da matriz de uma empresa, principalmente em um mundo globalizado. Na minha opinião, o real problema sempre foi o planejamento, são planos sem um solido contrato com aporte financeiro bem definido, que impeça o Estado de ficar cortando quando o negocio aperta, ou quando o governante da vez não… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
29 dias atrás

Os comandantes brasileiros também deveriam ter pensado em construir escoltas de no mínimo 5k toneladas.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Allan Lemos
29 dias atrás

O plano original era escoltas de no mínimo 6.000 toneladas.
O PROSUPER previa 5 escoltas de 6.000 toneladas, 1 navio de apoio logístico de 23.000 toneladas e 5 NaPoc de 1.800 toneladas.

Pela leitura que faço dos acontecimentos, originalmente o plano era conduzir esse programa em paralelo com o PROSUB, mas a demora na definição do vencedor da licitação pelo governo, aliada as mudanças políticas e econômicas, levaram a criação de outro programa complementar com navios menores e mais baratos como uma alternativa.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

O plano original foi abandonado de vez,então.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Allan Lemos
29 dias atrás

Pelo que parece sim, mas não da forma como pode-se pensar, tem referencias a um programa de navios patrulha oceânicos, e os requisitos de um futuro navio de apoio logístico estão definidos.

Acredito que a MB vai lançar outro programa grande após a conclusão do PROSUB e manterá programas menores em paralelo, e pelos custos apenas escoltas com mais de 6.000 toneladas ou o PRONAE que se enquadram na categoria de programas grande.

ALLAN
Reply to  Allan Lemos
29 dias atrás

O projeto foi sofrendo modificações com o passar do tempo, foi evoluindo com a situação do Brasil desde então, a ideia do reaparelhamento da marinha tomou forma em 2009, a visão e as perspectivas do Brasil nessa época era uma, oq aconteceu foi uma realidade completamente oposta.

Camargoer
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

Caro Wilson. As FCT são complementares ás fragatas pesadas de 5~6 mil ton. É possível que após o primeiro lote de FCT a MB decida por fragatas leves adicionais, ou fragatas pesadas, ou abandone tudo para comprar navios de segunda-mão. Acho difícil dizer que a escolha de 4 fragatas leves seja uma decisão errada quando comparada a 2 fragatas pesadas. São diferentes e complementares.

Zorann
Zorann
Reply to  Allan Lemos
28 dias atrás

Eu não entendo esta fissura por tonelagem. O que conta é a modernidade/quantidade de armamentos/munição embarcados, além do potencial de crescimento futuro de novas versões.

Para nossas necessidades, de acordo com os armamentos que escolhemos, de acordo com misseis que pretendemos ter em estoque, as Tamandarés estão de bom tamanho.

Para ter um navio maior , com mais armas, mais VLS e ter somente poucos misseis/munições em estoque, não faz sentido.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Zorann
27 dias atrás

Faz todo o sentido,um navio de pouca tonelagem não pode operar muito longe da sua costa e tem menos autonomia do que um navio de tonelagem maior. E navios mais pesados geralmente são melhores armados.

glasquis 7
Reply to  Allan Lemos
27 dias atrás

Navios menores são mais ágeis, rápidos, manobráveis e de mais baixo custo de operação. Quanto à sua autonomia, Podem ser abastecidos em alto mar. Pra isso só precisa de um bom abastecedor e uma boa linha logística.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  glasquis 7
27 dias atrás

Tem um porem, dependendo das capacidades náuticas o navio pode não operar bem em mar agitado e isso tem que ser levado em conta, no caso das Tamandaré elas tem um calado grande e uma largura comparável as meko a200, mesmo sendo mais curto no comprimento, o que as torna bem estáveis em mar agitado, sendo superiores as Niterói nesse ponto.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
27 dias atrás

Certo mas, eu não entendi esse “porém”
O que vc descreveu não vai contra o que postei sobre o tamanho das embarcações.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
27 dias atrás

Dependendo do mar, as embarcações podem ficar restritas a uma certa distância do litoral, não podendo operar em mar aberto.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  glasquis 7
27 dias atrás

A sua análise é bem simplória. Navios menores não servem para atuar em águas azuis. Quanto à agilidade,velocidade e manobrabilidade,vai depender do contexto em que é utilizado. Navios pequenos são mal armados,via de regra. Se a coisa se resumisse a “é só abastecer em alto mar”,as grandes potências não construiam navios de mais de 9k toneladas. Ambos os tipos de navios são usados para propósitos diferentes e ambos são igualmente necessários.

Zorann
Zorann
Reply to  Allan Lemos
27 dias atrás

As Niteroi, acredito eu, nao sofrem de problemas para navegar no Atlantico, ou para qualquer lugar para onde ja foram enviadas.. E tem tonelagem semelhante as Tamandares. Nao ha necessidade de nada maior e seim de maior quantidade de navios.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Zorann
26 dias atrás

Alguns meses atrás,pequenos pesqueiros chineses estavam perto das águas do Peru,alguns também já estiveram nas águas argentinas,e nem por isso eles estariam aptos a um combate naval em alto mar. O fato das Niterói já terem operado bem longe das águas brasileiras não faz da MB uma marinha de águas azuis. Uma coisa é um navio sair do ponto A e ir direto até o ponto C,e operar neste último onde há uma base naval,outra coisa é um navio sair do ponto A e combater no ponto B,no mar aberto e depois ter que voltar a esse mesmo ponto A.… Read more »

Filipe Prestes
Filipe Prestes
29 dias atrás

A preferida dos chilenos é mesmo a Type31?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Filipe Prestes
29 dias atrás

É o que parece, sempre falam dela, como se fosse o futuro na armada chilena.

Eu tenho um pé atrás quanto ao custo do navio.(inclusive do mostrado na imagem da matéria, esse custo pra mim esta subdimensionado para um navio de mais de 5.000 toneladas).

ALLAN
Reply to  Filipe Prestes
29 dias atrás

É a evolução dos navios que eles usam, eles se apoiaram nos navios britânicos, então é natural eles seguirem por esse caminho;
Um exemplo disso é que se o Brasil quiser comprar mais navios de guerra muito provavelmente será alemão, pois é o caminho mais natural a se seguir.

Alexandre
Alexandre
29 dias atrás

Essa é a típica matéria de power point! O Brasil já fabrica corvetas, fragatas e submarinos desde a década de 70. Fabricamos navios mercantes da classe Panamax, que estão entre os maiores do mundo. No momento estamos fabricando 4 submarinos convencionais ao mesmo tempo, e estamos finalizando o protótipo de um reator nuclear naval. E no máximo , no próximo ano , começaremos a fabricar as Fragatas Tamandarés, que serão as mais modernas da região sem dúvidas. Hoje, no Brasil, temos pelo menos 5 estaleiros com condições de fabricar fragatas. E vimos isso na competição das Tamandarés, onde cada participante… Read more »

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

“Essa é a típica matéria de power point!! Deve doer muito. “O Brasil já fabrica corvetas, fragatas e submarinos desde a década de 70.” Não. Já fabricou. Hoje não tem mais condições de construir navios maiores do que 500 TO. por esso tem que contratar e pagar aos alemães. “No momento estamos fabricando 4 submarinos convencionais ao mesmo tempo,” Não. Estão construindo dentro de um cronograma mas não são os 4 ao mesmo tempo. se assim fosse, estariam os 4 em testes de mar e veja que o Quarto ainda nem cortou a Chapa. E verdade seja dita, sem a… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Se o Brasil tem estaleiros capazes de construir navios mercantes entre os maiores do mundo, como não seria capaz de construir navios maiores de 500 ton? O caso do EISA é um caso atípico, e não deve ser usado como padrão de comparação, da capacidade de construção naval do Brasil. E não é mais DCNS é Naval Group, e o caso das Tamandarés, é que existe a possibilidade real de contratarem mais 2 unidades, a MB pelo menos está tentando conseguir isso e a recente compra dos canhões de 76mm da Leonardo, com possibilidade de mais 2 permite esse tipo… Read more »

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

Vamos aos fatos. A MB não tem condições de construir navios maiores do que 500 Ton. Isso já foi discutido diversas vezes aqui no Poder Naval. Um navio militar, tem caraterísticas diferentes de um navio mercante por tanto um estaleiro civil precisaria de muitas adequações pra construção de um navio militar. Mais ainda em se tratando de Fragatas. Finalmente, Nenhum desses estaleiros é Brasileiro. Todos são estrangeiros então, o Brasil não tem hoje, as condições de construir uma fragata. Já teve, na época da construção das Niterói. Hoje não tem mais. Diferente do caso de Chile, Peru e Colômbia que… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Tem muito estaleiro brasileiro grande, pensar que somente um estaleiro estatal é nacional não bate com a realidade, o mais comum é os estaleiros brasileiros terem parceiros internacionais, como o Atlântico Sul que tem parceiros japoneses e é atualmente o maior estaleiro da América do Sul. Se a MB fosse usar os projetos do CPN para serem construídos pelos estaleiros nacionais, eles se apresentariam e se adequariam rapidamente para construir os navios, eu dou 2 anos para que se adequem para construir navios militares, (o mesmo tempo que se espera que será gasto no Oceana para o mesmo construir as… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

“Vamos aos fatos. A MB não tem condições de construir navios maiores do que 500 Ton. Isso já foi discutido diversas vezes aqui no Poder Naval. Um navio militar, tem caraterísticas diferentes de um navio mercante por tanto um estaleiro civil precisaria de muitas adequações pra construção de um navio militar. Mais ainda em se tratando de Fragatas. Finalmente, Nenhum desses estaleiros é Brasileiro. Todos são estrangeiros então, o Brasil não tem hoje, as condições de construir uma fragata. Já teve, na época da construção das Niterói. Hoje não tem mais. Diferente do caso de Chile, Peru e Colômbia que… Read more »

Junior
Junior
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

Se o Brasil tem estaleiros capazes de construir navios mercantes entre os maiores do mundo, como não seria capaz de construir navios maiores de 500 ton?”

Ai vc vai me desculpar amigo, não tem como comprar a construção de um navio mercante com uma fragata, a segunda é muito mais complexa de construir e não estou falando apenas do casco (que é a parte mais simples de construir) mas do seu recheio, esse sim precisa de pessoal altamente treinado e qualificado para tocar o projeto

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Junior
29 dias atrás

Eu sei das diferenças de complexidade, o que falta nos estaleiros nacionais é qualificar o pessoal para esse tipo de trabalho, como foi feito no PROSUB por exemplo, foi isso que eu quis dizer. O recheio tem alguns componentes que já são fabricados no Brasil, mas tem outros que não.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Uma coisa que eu esqueci, todos os submarinos convencionais, já foram iniciados, sendo que o primeiro está em testes de mar, o segundo será lançado ao mar esse ano, o terceiro ano que vem e o quarto em 2022, só o sub nuclear que ainda está em fase de qualificação, mas no mais tardar até 2023 ele começa a ser construído.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Quando um mentiroso fala é terrível, kkkkkk “Não. Já fabricou. Hoje não tem mais condições de construir navios maiores do que 500 TO. por esso tem que contratar e pagar aos alemães.” O Brasil fabricou em 2006 o último submarino t 209 tikuna, foi no AMRJ, estaleiro estatal da Marinha do Brasil. Esse mesmo estaleiro, tinha concluído a fabricação da Corveta barroso, um projeto de navio de guerra Brasileiro, sem apoio do exterior, também em 2006. Em 2009, o estaleiro privado INACE, localizado no Ceará entregou o 1 navio de patrulha classe MACAE, de 500 t, que até hoje está… Read more »

Glasquis7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

“O Brasil fabricou em 2006 o último submarino t 209 tikuna, foi no AMRJ, estaleiro estatal da Marinha do Brasil” Só pra vc ficar sabendo e ficar por dentro das coisas, estamos em 2.020, Michel Jackson morreu, George Bush não é presidente dos EEUU, O Lula não mais presidente do Brasil, a Inglaterra está optando pelo BREXIT,o FX II por fim foi definido e até tem protótipo fazendo testes e as Macaé continuam sem concluir por que o AMRJ não tem condições de construir navios acima de 500 Ton. Mentira é dizer que o Pentágono publicou que os F 16… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Michel Jackson morreu, George Bush não é presidente dos EEUU, O Lula não mais presidente do Brasil, a Inglaterra está optando pelo BREXIT,o FX II por fim foi definido e até tem protótipo fazendo testes .

É verdade, só duas coisas não mudaram:
1) o AMRJ tem hoje dois submarinos fazendo PMG e com seus cascos cortados, coisa que o ASMAR não tem capacidade de fazer com dois subs ao mesmo tempo, isso além de ser o único estaleiro da américa do Sul que já fabricou submarinos, fragatas e corvetas, essas últimas sem assistência de ninguém!
2)Comentário editado.

glasquis 7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

Aproveita e vá se tratar.

Rafael costa
Rafael costa
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

Só discordo em um ponto do seu comentário, a marinha do Brasil não está construindo 4 submarinos ao mesmo tempo. A marinha já lançou ao mar o primeiro submarino da classe Riachuelo e o segundo submarino vai ser lançado ao mar esse ano e o terceiro provavelmente vai ser lançado ano que vem e assim por diante !!!

Nilo
Nilo
29 dias atrás

Enquanto em terras brasilis. Mas um projeto de navio da Marinha carissimo pelo preço da unidade produzida por conta da transferencia de tecnologia e justamente com os alemães. Aqueles dos subs, dos…dos..
O que!! TMS que comprou Oceana.
40%, de novo não tem nada. Mas tem a Embraer, aquela que ia ser vendida para Boeing, que era uma empresa viável e que uma hora para outra deixou de ser, desculpa sou miope estou tentado enchergar um ponto no i.
Quer fabricar barco chama os indios.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Nilo
29 dias atrás

Provavelmente o único estaleiro que não seria comprado, seria o AMRJ, todos os outros ou seriam comprados ou teriam a maior parte de suas ações compradas pelo vencedor, sendo que no caso dos italianos o estaleiro já é deles.

Se fosse só pelo programa, a TKMS provavelmente não compraria o estaleiro, eles estão visando algo muito maior do que 4 fragatas, pode ter certeza e também toda a mão de obra será brasileira, e isso não tem preço, o estaleiro se constrói, mas capacitar trabalhador é muito mais difícil e demorado.

Alexandre
Alexandre
29 dias atrás

Estamos pagando hoje, cerca de 500 milhões de dólares por cada Tamandaré, que deslocam 3500 toneladas. E eles acham e vão pagar 398 milhões de dólares por cada fragata de 5000 toneladas daqui a dez anos?
Fala sério, esse power point chileno não tem lógica!
Isso não é nem um sonho, é um devaneio, rsrsrs

Glasquis7
Reply to  Alexandre
29 dias atrás

“Estamos pagando hoje, cerca de 500 milhões de dólares por cada Tamandaré, que deslocam 3500 toneladas. E eles acham e vão pagar 398 milhões de dólares por cada fragata de 5000 toneladas daqui a dez anos?”

É a diferença de se contratar uma empresa pra construir e Construir com seus próprios médios. se calcula que um 60% dos recursos empregados devam ficar no país.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Não faz diferença. Só se o Chile for construir um navio próprio, de projeto e desenvolvimento nacional, se não, se for um projeto de outro país, adaptado as necessidades da armada chilena, vai sair bem mais caro, só ficará mais barato se forem reutilizar equipamentos de navios que estiverem sendo retirados do serviço, como o UK está fazendo.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
29 dias atrás

Não tenho conhecimento ao ponto de rebater a tua afirmação com propriedade mas, a fragata pretendida pelo Chile e da qual participou no projeto é justamente a Type 31 de UK.

Tal vez isso explique os custos anunciados.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Mas o UK vai usar radares de outros navios assim como outros componentes, como armas, assim barateando os custos, se o Chile for fazer em casa uma Type 31, vai ter que comprar o projeto, e não acredito que o Chile vá canibalizar algum navio para usar itens na sua nova fragata, então acredito que o preço que o Chile pagará é perto do que o Brasil pagou.

Glasquis7
Reply to  Carlos Campos
29 dias atrás

Se for pagar um valor próximo ao das Tamandaré então, sairão baratas pois serão uns 1.700 Ton a mais cada fragata.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Pois o Brasil pagou muito caro pelo ToT e offset, acredito que dá sim para o Chile levar 1700 a mais por cerca de 500 milhões, afinal o caro de um navio é o recheio.

glasquis 7
Reply to  Carlos Campos
28 dias atrás

Aí já não tenho como opinar muita coisa pois, não tenho um conhecimento técnico que me permita ter uma opinião melhor formada.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Carlos Campos
29 dias atrás

Eu diria que no mínimo o preço seria de uns 700 milhões de dólares a unidade, tirando offsets.

Nas Tamandaré estão incluindo os offsets, tot, suporte durante o ciclo de vida do navio, etc… por isso parece caro, mas o custo real de uma Tamandaré deve ser de no máximo uns 400 milhões de dólares.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
28 dias atrás

Tal vez vc esteja certo. Eu, como disse antes, não tenho conhecimento suficiente como para rebater.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Carlos Campos
28 dias atrás

Não chega perto do preço das tamandarés nunca, uma fragata de 5000t está custando hoje em torno de 600 milhões de dólares, imagine em 2030!

Alexandre
Alexandre
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

O governo chileno disse que cerca de 20% ficam no país , de onde vc tirou esses 60% ?
Cara, deixe de falar bobagens e mentiras, nunca o chile vai fabricar uma fragata de 5000t por 400 milhões de dólares em 2030! Isso é devaneio pra chileno ver, para enganar seu povo!

glasquis 7
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

è Verdade são os A darter.

Alexandre
Alexandre
Reply to  glasquis 7
28 dias atrás

O A darter não está pronto? como assim chileno?

https://www.aer.mil.br/noticias/mostra/34702/

https://www.edrotacultural.com.br/novo-missil-para-o-gripen-esta-pronto/

Cara, suas mentiras já estão passando dos limites!
É muita inveja, kkkkkkkkkkkkk

Glasquis7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

Apesar do CANCELAMENTO PROUÇÃO NO BRASIL, a FAB comprará inicialmente 12 mísseis A-Darter produzidos pela Denel até que ele seja homologado para emprego no Gripen E.”

https://www.aereo.jor.br/2020/08/03/segundo-site-fab-compra-missil-iris-t-no-lugar-do-a-darter/

Tutu
Reply to  Alexandre
28 dias atrás

O preço das type 31 britânicas não servem de referência para ninguém, lá elas vão ser navios secundárias, e bem pelados, algo entre um OPV e uma type 26.
Caso o Chile compre esses navios eles vão vir como meio principal, ou seja, armados adequadamente.

Os britânicos estão cogitando nem colocar mísseis anti-navio nas suas.

https://ukdefencejournal.org.uk/type-31-frigate-may-or-may-not-be-fitted-with-anti-ship-missiles/

Last edited 28 dias atrás by Tutu
Alexandre
Alexandre
Reply to  Tutu
28 dias atrás

Concordo, se vierem desdentadas podem custar esse preço hoje, mas em 2030 não.

Glasquis7
Reply to  Alexandre
27 dias atrás

O navios não são um pacote, raramente se ofertam armados e com sistemas de guerra definidos (Radares, Sonares, diretores de tiro, mando e controle, etc.) Mesmo por que projetar um navio já com seus armamentos implica num aumento substancial de custos e limita as possibilidades de negociação por diversos motivos, entre eles, as necessidades do comprador, as capacidades econômicas e técnicas de operar os armamentos e as dificuldades e restrições que alguns clientes possam ter sobre os mesmos. Pode ver que no caso das Tamandaré, os canhões estão sendo comprados separadamente. Apenas navios usados são ofertados desta maneira e mesmo… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
29 dias atrás

Os países sulamericanos tem que produzirem localmente seus equipamentos militares nem que seja sob licença!

Last edited 29 dias atrás by Fabio Araujo
Marcelo R
Marcelo R
29 dias atrás

É Paulo td, dinheiro tem…., e tem muito dinheiro por aqui….So que é mal gasto….. Tudo o que vemos por aqui é rotulado de CUSTO BRASIL…mas na verdade é mesmo DESVIO….. nada vai pra frente por aqui , tudo empaca e assistimos tudo sem poder fazer nada… também tem os rótulos como CONTINGENCIAMENTO….., tudo é na verdade briguinha de comunistas com o governo, ou era “antes”….. briguinhas de TCU,de congresso nacional, de partidos anti-BRASIL com as forças armadas, ou era antes TAMBEM distribuição das verbas para todos ficarem satisfeitos e depois o que sobrava não dava nem pra construir uma… Read more »

Adriano alves da Silva
29 dias atrás

Uma coisa que jamais Eles vão conseguir fazer é Aviões no Nível da Embraer.

Glasquis7
Reply to  Adriano alves da Silva
29 dias atrás

É mais aí jé é um papo de quem a tem maior e esse não é o objetivo do Chile.

Cadillac
Cadillac
Reply to  Glasquis7
28 dias atrás

Diz isso porque nessa área não tem como pagar pau para o Chile.

Glasquis7
Reply to  Cadillac
28 dias atrás

Não, digo isso por que este forum é o Poder Naval e aqui estamos tratando de temas da área militar naval e neste caso, o comentário  dele, nada tem a ver com o tema abordado nem com a área a ser debatida, apenas serve para limpar o ego ferido de quem fez o comentário. Ego ferido não sei o por que se na realidade, ninguém falou nada contra o Brasil. Falta de foco e objetividade dele e de muitos aqui. Se fosse pra “pagar pau”, o Chile, junto com o Brasil e a Argentina são os únicos 3 países da… Read more »

Pedro Bó
Pedro Bó
29 dias atrás

Não entendo o porquê de toda matéria que sai sobre o Chile na Trilogia é motivo para desmerecer o Brasil… Olha quantos cases de sucesso a indústria militar brasileira teve nos últimos 50 anos: Urutu, Cascavel, Guarani, submarinos Tupi e Scorpene, Super Tucano, R-99, Astros, agora o Av/Mt-300, corveta Barroso e outros que minha memória me trai. Temos capacidade de enriquecer material nuclear (de 8% para 80% é um pulo de poucos anos), indústria naval capaz de produzir navios pesados (outro pulo pequeno para produzir navios militares de maior porte), indústria aeroespacial robusta e bastante know-how nas Universidades. O Chile… Read more »

Nilson
Nilson
Reply to  Pedro Bó
28 dias atrás

O problema é que as matérias envolvendo o Chile põem a nu o desastre que tem sido o planejamento e a construção naval militar no Brasil e a incapacidade da MB manter o quantitativo de navios operativos necessários. Um país com economia bem mais modesta conseguiu montar um planejamento para décadas, comprando navios de oportunidade, mantendo as 8 fragatas operativas, iniciando construções menores com intuito de ganhar know how para construções maiores. Que podem ou não virar realidade. Aí fica muito evidente a inépcia do Brasil nos últimos 20 anos, em que os projetos de navios de superfície muito pouco… Read more »

Cadillac
Cadillac
Reply to  Nilson
28 dias atrás

Pelo teor de certos comentários aqui, é depreciação sim. Tem tanto fanboy que eu ainda me pergunto porque eles ainda não se mudaram para lá.

Glasquis7
29 dias atrás

Depois da Década de 70, em que o Chile, sem armamentos, teve que enfrentar a enorme possibilidade de uma guerra contra o Peru ( em 75) e a Argentina (em 78) muito superiores em armas, e que poderia levar a uma guerra total do Chile em 3 frentes contra seus 3 países vizinhos e em todas as suas fronteiras terrestres, decidiu-se investir em tecnologias de forma gradual e mantida. Desta forma, a contar de 1980, as Estatais ASMAR, ENAER e FAMAE, tem se esforçado em adquirir conhecimento e capacidades que permitam ao Chile ter algum grau de independência tecnológica na… Read more »

Maus
Maus
Reply to  Glasquis7
29 dias atrás

Se for aprovada uma nova constitucional igual a da Argentina isso tudo vai pro brejo.

Glasquis7
Reply to  Maus
29 dias atrás

è o Chile, não a Argentina. Países diferentes com histórias diferentes, percepção de ameaça diferente e uma visão militarista totalmente distinta.

Camargoer
Reply to  Maus
28 dias atrás

Caro Maus. Quais são os pontos da constituição argentina que poderiam levar outros países ao colapso se fossem adotados?

Top Gun Sea
Top Gun Sea
29 dias atrás

O Chile e o seu pibinho sempre pensando alto e realizando.

Gabriel BR
Gabriel BR
29 dias atrás

A construção de Fragatas no ASMAR vai colocar o estaleiro chileno num grupo seleto de países do continente americano. Melhor ainda se o projeto deles for nacional!

Glasquis7
Reply to  Gabriel BR
29 dias atrás

Melhor ainda se o projeto deles for nacional!”

Acho que na parte técnica ainda há muito a percorrer pra chegar na parte de desenvolvimento de projeto. Tal vez um projeto pronto modificado localmente por técnicos da ARCh pra seguir as necessidades do Chile.

Nilo
Nilo
29 dias atrás

Bó…. rsrsrs… “Não entendo o porquê……..na Trilogia é motivo para desmerecer o Brasil…” Ausência de uma cultura (nossa) que não valoriza debate objetivo. Mérito do Trilogia, valoriza debate objetivo. Wilson, congratulações. O Problema peca na raiz ao ter assinado com os alemães, vício da MB?,.. agora é só relaxar..rsrsrsrs,, como diz nosso comandante falta pouco. ….. são eles que estão contratando mão de obra BRASILEIRA. Ma quem paga essa conta somos nós. .. PROSUPER previa…. mas a demora… na definição do vencedor da … aliada as mudanças.. ..econômicas. Ainda bem que demorou…e se tivesse assinado…. TKMS.. o estaleiro, …toda a… Read more »

Luiz Floriano Alves
Reply to  Nilo
28 dias atrás

Em construção de vetores temos a fase de montagem e a da fabrucalçao. Montagem, vc reune em im determinado lugar, as diversas partes e obtem um conjunto completo e operacional. Fabricação, vc planeja, projeta, fabrica e monta os componentes.Exemplo do Gripen na Suécia. Os Suecos compram motor e aviônicos no exterior e constroem a fuselagem. Ocanhão vem da Alemanha, os misseis , idem. Montam em Linkoping e mandam para o Brasil. Aqui dizemos que foi fabricado, em Gavião Peixoto. Na verdade é montado em Gavião Peixoto. As Niteroi foram montadas no AMRJ. Fabricados na GB, os armamenros e máquinaS. vem… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Luiz Floriano Alves
28 dias atrás

Podemos dizer que as Inhaúma e a Barroso, foram fabricadas no Brasil então?

Nilson
Nilson
Reply to  Wilson Look
28 dias atrás

Sim. Elas foram. E as Tamandaré seriam a continuação da família. Mas aí não rolou…

Nilo
Nilo
Reply to  Nilson
28 dias atrás

Pois é, porque agora iria rola…rsrsrs…Embraer Naval…TKMS matou na raiz, TKMS o futuro lhe pertence. 5 ou seis toneladas?

Ricardo
Ricardo
29 dias atrás

5000 toneladas. Excelente peso para fragatas.

sergio ribamar ferreira
28 dias atrás

Parabéns ao Chile e a sua Armada.

Mattos
Mattos
28 dias atrás

Muito blá blá blá. Vejo uma coisa, Esse é o caminho. Gripen, um baita negócio (espero que seje as 100 unidades) em andamento. Submarinos, no mesmo caminho(acho 4 unidades do convencional não tapa o buraco do dente) e o nuclear que vai ser a grande escola pro futuro. Fragatas no mesmo caso, poucas unidades que só vão servir pra desfile. Deveria ser o dobro. Dinheiro está aparecendo, o poder executivo apesar de todo os inimigos, está conduzindo esse projetos com lisura e vontade. Quanto a classe política e judiciária, esse não levo nenhuma fé que tenham patriotismo para aceitarem e… Read more »

Mateus Lobo
Mateus Lobo
28 dias atrás

Parabéns a armada chilena pela escolha, se usar realmente a Type 31 como base sem dúvidas terão uma boa plataforma. É um sistema similar ao que o brasil escolheu, fabricar localmente um projeto estrangeiro, com a diferença que a Tyssenkrupp comprou o estaleiro brasileiro.
O Brasil vai seguir com os alemães, e ao que tudo indica a intenção inicial da MB é a aquisição de 6 fragatas da classe Tamandaré, mas a menina dos olhos é um projeto baseado na MEKO A400. Tomara que as vebas fluam e que no futuro tenhamos 6 MEKO A100 e 4 MEKO A400

Wilson Look
Wilson Look